terça-feira, 31 de março de 2020

Projeto #Guaíraflix disponibiliza atrações culturais durante período de isolamento social

O Centro Cultural Teatro Guaíra compartilha com o público espetáculos produzidos pelos corpos artísticos da instituição. Por meio do projeto #Guaíraflix já foram exibidos os balés “O Lago dos Cisnes” e “O Segundo Sopro”. O objetivo é proporcionar aos paranaenses atrações culturais variadas durante o período de isolamento social ocasionado pela pandemia Covid-19.
Diretora do CCTG, Monica Rischbieter explica que a ideia surgiu para manter a conexão do teatro com seu público. “A Cultura é o que nos une e nos enriquece em momentos de dificuldade, por isso percebemos que não poderíamos ficar afastados do nosso público. Essa é a forma do Governo do Estado dizer que, apesar do isolamento, estamos todos juntos”, diz.

COREOGRAFIAS - Os dois balés veiculados no #Guaíraflix são sucesso de público e crítica. “O Segundo Sopro” é o balé mais dançado da história do Balé Teatro Guaíra, com 300 apresentações em todo o Brasil. Com uma mescla de movimentos clássicos e nuances de jazz, a coreografia também foi pioneira no uso da água como elemento artístico, tendo sido a primeira com chuva artificial no Brasil. A técnica para esse efeito foi desenvolvida pela equipe de bastidores do CCTG.
“O Lago dos Cisnes” foi apresentado pela primeira vez em 2018 e se tornou um sucesso instantâneo, com mais de 40 mil espectadores. A coreografia de Luiz Fernando Bongiovanni traz elementos contemporâneos ao maior clássico do balé mundial. A coreografia levou seis meses para ser elaborada e demandou mais de 750 horas de ensaio.
As coreografias podem ser acessadas no canal do YouTube do Teatro Guaíra 

Venda de pinhão está liberada a partir desta quarta-feira


O Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, libera a partir dessa quarta-feira (1º) a colheita, venda, transporte e armazenamento do pinhão. A recomendação é que a semente seja colhida de pinhas que já caíram, sinal mais garantido de sua maturação. Além disso, evita que a pessoa corra o risco de queda ao subir numa araucária.
As normas e instruções são estabelecidas na Portaria IAP nº 046/2015 e tem como objetivo conciliar a geração de renda e proteger a reprodução da araucária, árvore símbolo do Paraná e ameaçada de extinção.
 Quando o pinhão cai ao chão é uma oportunidade para animais, como a cutia, ajudarem a semear em outros lugares, garantindo a reprodução da araucária”, explica o gerente de Monitoramento e Fiscalização do IAT, Alvaro Cesar de Góes.
A semente da araucária se forma dentro de uma pinha, fechada, que com o tempo vai abrindo até liberar o pinhão, o qual precisa de quatro anos para completar o seu amadurecimento.
As pinhas maduras desprendem dos galhos geralmente entre os meses de abril a agosto e quando arrebentam esparramam as sementes do seu interior.
Além de servir de alimento para a fauna local, o hábito de comer pinhão foi herdado de algumas tribos indígenas, sendo agora produto tradicional nas festas juninas e também utilizadas em várias receitas”, relata Góes.

PROIBIDO – Mesmo sendo colhido na data permitida, é proibido o consumo e venda do pinhão verde. As pinhas imaturas apresentam casca esbranquiçada e alto teor de umidade. Se consumido, pode muitas vezes prejudicar a saúde, podendo causar problemas como a má digestão, náuseas e até episódios de constipação intestinal.
Isso acontece, em grande parte, porque neste estado a semente apresenta um alto teor de umidade, o que favorece a presença de fungos, podendo o alimento se tornar até tóxico para o consumo humano.

MULTA - De acordo com as normas ambientais, a pessoa que for flagrada na venda, transporte ou no armazenamento do pinhão antes de 1º de abril está sujeita a responder a processos administrativo e criminal, além de receber auto de infração ambiental e multa de R$ 300,00 para cada 60 quilos de pinhão.

DENÚNCIAS - A venda de pinhões trazidos de outros Estados também não é permitida, sendo obrigatório respeitar as normas locais. Denúncias sobre a venda irregular de pinhão e demais infrações ambientais, podem ser feitas no link Fale Conosco, no site do órgão http://www.iap.pr.gov.br, pelo telefone do IAT Curitiba: (41) 3213-3700 ou regionais do IAT e Polícia Ambiental.

Espaços culturais do Estado se aproximam do público com ações via redes sociais


Os espaços culturais do Governo do Estado seguem fechados para o público em cumprimento ao decreto estadual nº 4.230 de 16 de março de 2020. Mas, apesar desse distanciamento físico, as equipes seguem trabalhando, produzindo conteúdos e disponibilizando-os de forma virtual para a população. As ações vão de atividades lúdicas e educativas para o público infantojuvenil – jogos, contação de histórias – ao compartilhamento de espetáculos de dança e de conteúdo histórico de acervo.

VISITA VIRTUAL – O Museu Oscar Niemeyer (MON) possui seis exposições que podem ser vistas virtualmente na íntegra pela plataforma Google Arts & Culture. São elas: “Luz Matéria”; “Ásia: a terra, os homens, os deuses”; “Nos pormenores um universo – Centenário de Vilanova Artigas”; “Irmãos Campana”; “Não está claro até que a noite caia”, da artista Juliana Stein, e “Circonjecturas”, do artista Rafael Silveira. Confira no link: https://artsandculture.google.com/partner/museu-oscar-niemeyer
Além das visitas virtuais, o museu intensificou o conteúdo disponibilizado em suas redes sociais, e tem publicado uma série de fotos inspiradoras dos ateliês dos artistas do acervo, mostrando como eles trabalham em seus espaços. Já foram revelados os cantinhos de criação de Gonçalo Ivo e Julia Kater. Ainda como parte do programa, o MON está postando uma série de entrevistas com artistas como Juliana Stein e Lilian Gassen. Para acompanhar de perto, siga o MON nas redes sociais: @museoscarniemeyer no Facebook e Instagram.

PARA AS CRIANÇAS – O Museu Paranaense (MUPA) atende cerca de mil crianças e adolescentes por mês nas visitas conduzidas pelo Departamento Educativo. Pensando nesse público tão querido e importante para o museu, a equipe tem criado e disponibilizado jogos para download em casa. Para quem quiser participar da brincadeira, estão disponíveis um jogo da memória com palavras indígenas e um desenho para colorir de uma máscara Tapirapé, que faz parte da exposição “Ephemera/Perpétua”. A ideia é aprender brincando. Confira essas e outras novidades nas redes sociais do MUPA: @museuparanaense no Facebook e Instagram.
A equipe da Seção Infantil da Biblioteca Pública do Paraná (BPP), que também se dedica a crianças e adolescentes com diversos projetos diariamente, produziu uma versão virtual da Hora do Conto e da Oficina de Trabalhos Manuais. O público pode assistir à história “A Bruxa do Batom Borrado”, do escritor Anderson Novello, contada pelo ator e diretor Thiago Dominoni; e também pode fazer o download de um tutorial de dedoches para pintar, recortar e colar em casa. Confira nas redes sociais da BPP: @bibliotecapr no Facebook e Instagram.

GUAÍRAFLIX – O Centro Cultural Teatro Guaíra (CCTG) resolveu compartilhar espetáculos de grande sucesso do Balé Teatro Guaíra (BTG) no que apelidaram de GuaíraFlix. A seleção especial de conteúdos já conta com os sucessos “O Lago dos Cisnes” e “O Segundo Sopro”. Mais coreografias devem ser divulgadas sem breve. Siga o CCTG nas redes sociais para novidades: @teatroguaira no Facebook e Instagram.

TEASER – Justo em março, o Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC-PR) comemora seu cinquentenário. Toda a programação agendada, com a abertura de uma grande exposição, foi adiada. Mas a data histórica não pode ser esquecida. Para celebrar o aniversário de seus 50 anos, uma série de posts nas redes sociais vai contar a história do museu e também servir como um teaser da exposição que está por vir. Acompanhe em @mac_parana no Instagram e em @macparana no Facebook.

ACERVO E PREVENÇÃO – O Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR) optou por uma combinação inusitada: fotos de acervo com recomendações de prevenção ao novo coronavírus estão sendo postadas em suas redes sociais. As fotografias selecionadas são das coleções Dario Vellozo, Jesus Santoro e Guilherme Glück, e fazem parte do acervo do museu, que, assim, passa a ser mais conhecido aos visitantes. Acompanhe: @misparana no Facebook e @mis_pr no Instagram.

Mais informações: www.cultura.pr.gov.br

quinta-feira, 26 de março de 2020

Festival “É Tudo Verdade” faz mostra online de documentários


Ao completar 25 anos, o festival de documentários “É Tudo Verdade” começa nessa quinta-feira (26) a exibição de filmes online em parcerias com as plataformas Spcine Play e Canal Brasil Play, além da página do Itau Cultural. São 50 horas de programação em 30 títulos, entre longas-metragens, curtas e séries.
A maior parte da mostra, que deveria se iniciar também nesta semana, foi adiada para setembro devido ao fechamento das salas de cinema em São Paulo e no Rio de Janeiro com a crise causada pela disseminação do coronavírus.
Na página do Itau Cultural, estará disponível a série “A Herança da Coruja”, feita pelo diretor francês Chris Marker em 1989. Em 13 episódios de 26 minutos é discutido o legado político e cultural da Grécia classica para a sociedade contemporânea a partir da exploração de palavras como democracia e misoginia. O diretor do festival, Amir Labak explica que naquela época Marker já antecipava uma tendência atual da produção de documentários. “O formato série documental está em expansão no mundo”, enfatizou na entrevista coletiva de lançamento do festival.
Na Spcine Play, o serão exibidos dez longas-metragens de cineastas mulheres que marcaram a história do festival, além do inédito “O Segundo Encontro”, de Veronique Ballot. Fazem ainda parte dessa programação outros três longas e seis curtas que passaram pelo “É Tudo Verdade” em 1996 e dois documentários sobre o cineasta José Mojica Marins, que morreu neste ano.
A série “Cineastas do Real”, com 26 entrevistas feitas por Amir Labaki com alguns dos principais documentaristas brasileiros, estará disponível no Canal Brasil Play.

A programação com horários e formas de acesso pode ser vista na página do festival - www.etudoverdade.com.br

Documentário sobre o jogador Alex está disponível no DAZN


Depois de ser exibido nas telas de cinemas de seis capitais brasileiras, o documentário "Alex Câmera 10" que retrata a carreira do ex-jogador Alex, ídolo do Coritiba, Palmeiras, Cruzeiro e Fenerbahçe, está disponível na plataforma de streaming, DAZN.
No mesmo tempo de uma partida de futebol, 90 minutos, o filme traz os últimos anos de carreira do jogador pelo Coritiba, homenagens no Palmeiras e no Cruzeiro além de uma viagem a Istambul onde o atleta se depara com curiosas histórias de torcedores do Fenerbahçe.
Grandes nomes do futebol brasileiro como Zico, Pepe, Evair, Neto, Djalminha, Afonsinho, entre outros, lembram histórias e falam da carreira de Alex que se tornou ídolo por onde passou.
No roteiro tem momentos de forte emoção como no tetracampeonato paranaense, conquista que não acontecia há 40 anos; seu gol de número 400 na carreira e a partida despedida dos gramados.
A exibição no DAZN se deu através de uma parceira com o Cinefoot, Festival de Cinema de Futebol, onde o filme foi apresentado”, explica do produtor executivo, Adriano Rattmann. O filme fica em exibição até o dia 5 de abril no canal.
A distribuição de “Alex Câmera 10” - filme de Adriano Rattmann & Cauê Serur - teve investimento do FSA/BRDE/Ancine e Estado do Paraná.

Museus do mundo para visitar sem sair de casa


Neste período de quarentena, uma lista de alguns museus do mundo com o link para o acesso:

1. Pinacoteca di Brera - Milano https://pinacotecabrera.org/

2. Galleria degli Uffizi - Firenze https://www.uffizi.it/mostre-virtuali


4. Museo Archeologico - Atenas https://www.namuseum.gr/en/collections/



7. British Museum - Londres https://www.britishmuseum.org/collection

8. Metropolitan Museum - New York https://artsandculture.google.com/explore

9. Hermitage - São Pesteburgo https://bit.ly/3cJHdnj

10. National Gallery of Art - Washington https://www.nga.gov/index.html

11. Museu Oscar Niemeyer - Curitiba https://www.museuoscarniemeyer.org.br

Exposições históricas podem ser acessadas no site da Fundação Cultural de Curitiba


A Fundação Cultural de Curitiba disponibiliza em PDF os materiais informativos e fotografias das exposições "Curitiba Tempo e Memória" e "Presença Negra em Curitiba". Para aqueles que não visitaram as mostras, e mesmo para os que já viram, é uma oportunidade de conhecer mais sobre a história da cidade. Os materiais oferecem muita informação interessante para estudantes e também para a população em geral.
A exposição "Curitiba Tempo e Memória" está montada no Memorial de Curitiba, mas fechada à visitação como medida de prevenção à pandemia do coronavírus. A mostra propõe um passeio por Curitiba desde sua pré-história até os dias atuais, por meio de documentos manuscritos, fotografias, filmes com sobreposição de imagens antigas e atuais e réplicas de obras de arte.
Esses recursos ajudam a entender a evolução da cidade desde a fauna pré-histórica aos paleoíndios que caminharam pelo atual solo curitibano há cerca de 15 mil anos, conhecer a formação da cidade desde a fundação, em 1693, e percorrer os ciclos econômicos da mineração, do tropeirismo e da erva-mate.
A mostra destaca a presença dos imigrantes europeus que chegaram à cidade depois dos portugueses e dos afrodescendentes, ajudando a mudar o rosto da antiga capital da província do Paraná, no século XIX, para a cidade de quase 2 milhões de habitantes que se tornou referência mundial em inovação.

PRESENÇA NEGRA - A exposição "Presença Negra em Curitiba" ficou dois anos em cartaz e encerrou a sua temporada no início deste mês de março. Quem não viu tem a oportunidade de baixar o arquivo com os painéis de textos e imagens que revelam a participação protagonista dos negros na formação de Curitiba, desde os primórdios da cidade até os dias atuais.
A exposição, aberta no dia 28 de março de 2018, teve significativa visitação durante todo o período. Mais de 10 mil pessoas percorreram a mostra ao longo desses dois anos.
O projeto da mostra, realizado pela Diretoria de Patrimônio da Fundação Cultural, teve a orientação dos historiadores Maria Luiza Gonçalves Baracho e Marcelo Saldanha Sutil. A professora doutora Joseli Mendonça, do Departamento de História da UFPR, prestou assessoria técnica na definição dos temas que integram a exposição. O pesquisador e cenógrafo Márcio Marins também colaborou com imagens e informações sobre a religiosidade.

Quarentena leva enxadristas para o computador e amplia possibilidades de participação


Em vez de suspender as atividades do Clube de Xadrez Erbo Stenzel, da Fundação Cultural de Curitiba, os cuidados em torno do novo coronavírus estão fazendo com que torneios e campeonatos do esporte migrem para as telas de computador. É assim desde a última quinta-feira (19), quando foi aberta a Copa de Xadrez On-line Alexandre Direne - a alternativa digital para os campeonatos presenciais que, por ora, não podem acontecer. O nome do campeonato homenageia o especialista em Sistemas Tutores Inteligentes e divulgador do xadrez on-line.
Só nesta segunda-feira (23), 28 pessoas se conectaram ao site onde acontecem as partidas diárias, sempre à noite, e deram andamento à terceira etapa da competição.
A receptividade é tanta que ela deve se manter mesmo depois que os jogos presenciais forem retomados”, avalia o engenheiro mecânico e consultor em inovação industrial Rafael Lopes. Antigo frequentador do Clube, ele também é o organizador da nova Copa e idealizador da competição.

ANTIGO PONTO DE ENCONTRO - A criação do ambiente virtual veio para reunir os cerca de 600 enxadristas de todas as idades do clube, forçados a se manter longe dos dez tabuleiros disponíveis no local por tempo indeterminado. Em períodos normais, eles vão até o local para disputar dois eventos: a Copa Grande Mestre Jaime Sunye (às quintas e sextas-feiras, das 19h às 20h) e a Copa Erbo Stenzel (aos domingos, das 11h às 12h).
Há mais de 30 anos, o espaço funciona na Galeria Júlio Moreira, no Centro Histórico. Por sugestão do artista plástico Jair Mendes, o local homenageia Stenzel - mais conhecido como escultor mas que também era enxadrista. Em 1959, ele sagrou-se campeão paranaense absoluto do esporte. 

POSSIBILIDADE DE EXPANSÃO - A nova plataforma, diz o coordenador do Clube, Wilson da Silva, só aumenta as qualidades inclusivas do esporte. “Se presencialmente já misturávamos pessoas de idades, gêneros e características especiais, agora podemos agregar jogadores sem limite de participações e de outros lugares do Brasil e do mundo”, compara o gestor, que é pedagogo, mestre e pós-doutor no campo que relaciona xadrez e desenvolvimento cognitivo.
Sem essa possibilidade tecnológica, dificilmente os participantes do Clube Erbo Stenzel teriam a oportunidade de disputar partidas com enxadristas renomados. É o caso do mestre nacional Álvaro Almeida e do mestre internacional Nathan Filgueiras, catarinense de apenas 16 anos que se conectou ao Clube no começo desta semana e venceu o torneio.

segunda-feira, 23 de março de 2020

Jornal Cândido de março apresenta um panorama da produção literária de autoras


A literatura produzida por mulheres mundo afora é o assunto de capa da edição 104 do jornal Cândido, publicado pela Biblioteca Pública do Paraná. O material, assinado pela crítica e ensaísta Camila von Holdefer, elenca um time de autoras de diversos países - entre nomes consagrados, novos talentos e resgates importantes -, com comentários das tradutoras de suas obras no Brasil. “Com frequência o nome de quem traduziu um livro é omitido. Quis que as próprias tradutoras apresentassem as autoras cuja leitura elas tornaram possível”, explica Camila.
Outro destaque do Cândido de março é a participação de dois “imortais”. Antonio Cicero, ocupante da cadeira 27 da Academia Brasileira de Letras, colabora com o poema “O Grito”, incluído em uma nova antologia de sua obra, a ser lançada ainda neste mês. E João Almino (cadeira 22) aconselha os novos autores na seção De Escritor para Escritor.
A edição ainda traz uma entrevista com o jornalista Jotabê Medeiros (autor das
biografias de Belchior e Raul Seixas), reportagem de Gisele Barão sobre os 60 anos da morte de Albert Camus, fotos de Alessandro da Silva Reis na seção Cliques em Curitiba, HQ de Rafael Sica, artigo de Paulo Polzonoff Jr. na coluna Pensata, conto inédito de Itamar Vieira Junior e traduções de Rodrigo Garcia Lopes para poemas de Derek Walcott. Todas as ilustrações são de Aline Daka.
Em razão do fechamento temporário da Biblioteca Pública do Paraná (que segue orientação do Governo do Estado para o enfrentamento ao coronavírus), a distribuição de exemplares impressos do Cândido de março está suspensa até o retorno das atividades da instituição. O jornal pode ser lido em seu novo site ou no formato PDF.

Prefeitura libera R$ 450 mil para atender artistas em tempo de coronavirus


Para apoiar os artistas curitibanos neste momento de crise do coronavírus, em que todas as atividades culturais foram canceladas ou suspensas, a Fundação Cultural de Curitiba vai lançar nesta semana um edital para seleção de conteúdos audiovisuais, produzidos individualmente, a serem veiculados em suas redes sociais. O valor disponibilizado para o edital é de R$ 450 mil.
Podem ser curtas-metragens, videoclipes, monólogos, leituras, contação de histórias, clipoemas, vídeodança ou espetáculos de dança solo filmados, arte digital, animações, exposições virtuais, documentários, números de circo individual filmados, entre outros.
Mesmo em tempos difíceis de enfrentamento do coronavírus, a arte e a beleza consolam. Por isso estamos lançando esse edital para minimizar, dentro do possível, os impactos da pandemia entre aqueles que vivem de sua arte”, disse o prefeito Rafael Greca.
Serão selecionadas 300 propostas e cada uma será adquirida pela Fundação Cultural em suas redes pelo valor de R$ 1.500,00. Os vídeos devem ser de classificação indicativa livre. Poderão se inscrever no edital produtores culturais individuais - pessoa física ou jurídica (MEI), residentes em Curitiba e cadastrados no Sisprofice.
As inscrições serão feitas pelo Sisprofice, em data a ser divulgada em breve, por meio dos formulários padrão e com o envio do link do vídeo na plataforma Youtube. A seleção será feita por uma equipe multidisciplinar de especialistas e a compra dos direitos autorais e o uso dos vídeos será por um ano para uso exclusivo da Fundação Cultural de Curitiba.
 “Diante de todas as dificuldades que os tempos de isolamento social nos impõem e, principalmente, dos impactos que o segmento cultural enfrentará, estamos empenhados em atenuar perdas da classe artística”, ressaltou a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro.

OUTRAS AÇÕES - Além do edital, a Fundação Cultural de Curitiba está programando outras ações para apoiar os artistas e oferecer entretenimento ao público em tempos de isolamento social:

• Lançamento do aplicativo Curitiba Lê Digital – Literatura on-line, com conteúdo de mais de 200 autores de domínio público, brasileiros, curitibanos e paranaenses

• Disponibilização por meio de rede social de concertos da Camerata Antiqua de Curitiba, shows e apresentações de outros grupos musicais da FCC; vídeos de apresentações de dança, teatro, circo e outras performances; exposições Curitiba – Tempo & Memória e Presença Negra em Curitiba.

• Acesso on-line aos acervos da Fundação Cultural de Curitiba, por meio do Sistema Pergamum: acervos artísticos dos museus da Gravura, da Fotografia, Metropolitano de Arte (MuMA) e de Arte Sacra; acervos históricos da Casa da Memória – mais de dez mil imagens com temas como imigração, famílias pioneiras, vistas da cidade; fotos que ilustram exposições históricas da FCC nos últimos 40 anos, entre outros documentos e referências bibliográficas, que servem de suporte para pesquisadores, estudantes e público em geral; e acervos dos espaços de leitura.

Hemepar pede doações e adota agendamento online


O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar), em função da pandemia de Covid-19, passou a adotar um sistema online de agendamento para doação de sangue em duas unidades: Curitiba e Cascavel. Desde sexta-feira (20), doadores dessas cidades podem entrar no Paraná Inteligência Artificial (PIÁ), sistema de serviços públicos do Estado, para marcar horário.
A medida tem objetivo de evitar aglomerações e filas, e está no bojo das orientações da Secretaria da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Com isso, as pessoas podem continuar a doar sangue e manter os estoques para atendimento aos hospitais.
A solução foi construída na semana passada pela Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar) em meio ao aumento do número de casos do novo coronavírus e de novas recomendações para isolamento social. Para acessar, basta clicar neste link.

FUNCIONOU - Apenas em Curitiba foram 100 agendamentos entre sexta-feira (20) e domingo (22). “O sistema funcionou muito bem ao longo do final de semana”, afirma Liana Andrade Labres de Souza, diretora da rede Hemepar. “Ele é rápido, fácil e é uma alternativa diante da crise. Na sexta-feira, foram 24 agendamentos e apenas quatro faltas. No sábado, 38 agendamentos, com quatro pessoas que não compareceram. O sistema online gerou boa adesão já neste primeiro final de semana”.
O objetivo é ampliar o agendamento online para as demais 20 unidades espalhadas no Interior. “Já disponibilizados essa alternativa para a Secretaria de Saúde e esperamos que a adesão aumente nos próximos dias. É uma medida importante porque nos ajuda a manter os estoques mesmo diante dessa crise de saúde pública”, complementou Liana. “É uma ação para reforçar as doações e os cuidados necessários diante da pandemia”.
Como é um serviço essencial para a sociedade, a rede Hemepar segue funcionando normalmente de segunda a sábado (das 7h30 às 18h). Caso os doadores não agendem horário, as unidades orientam contato telefônico prévio para informações sobre o movimento.

DOAÇÕES – Além da nova alternativa de organização logística, a rede Hemepar passou a impedir doações de pessoas acima de 60 anos ou daquelas que apresentam algum sintoma ligado ao novo coronavírus ou a gripe comum. A recomendação para esses grupos é de isolamento domiciliar, conforme orientação do Ministério da Saúde. Até então, as unidades recebiam doações de pessoas entre 16 e 69 anos.

REDE – A rede é responsável pela coleta, armazenamento, processamento e distribuição de sangue para 385 hospitais públicos, privados e filantrópicos do Paraná. As unidades estão localizadas no Interior e na Capital. O Hemepar de Curitiba é a unidade central, e conta com apoio de quatro hemocentros regionais (Guarapuava, Cascavel, Maringá e Londrina), oito hemonúcleos (Ponta Grossa, Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Campo Mourão, Umuarama, Paranavaí e Apucarana) e nove unidades de coleta e transfusão (Paranaguá, Irati, União da Vitória, Cianorte, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Toledo, Telêmaco Borba e Ivaiporã).

Museu Paranaense disponibiliza jogo da memória com palavras indígenas


O Museu Paranaense (Mupa) disponibilizou um jogo da memória para download com palavras indígenas para que toda a família possa aprender brincando neste período em que o museu está fechado para visitação.
Palavras como abacaxi, capivara, jiboia e arara têm origem indígena e estão presentes no jogo. Quem quiser baixar o arquivo e imprimir em casa pode encontrá-lo no site www.museuparanense.pr.gov.br ou nas redes sociais do museu no @museuparanaense no Facebook e Instagram.
O jogo da memória com palavras indígenas foi utilizado pelo Departamento Educativo no início do ano, nas atividades da programação de férias do Museu, que focou nos povos originários do Paraná, com visitas mediadas às exposições relacionadas aos povos indígenas, contação de histórias e brincadeiras de origem ameríndia.
O jogo fazia parte dessas atividades e agora está disponível para todos que queiram aprender um pouco mais do vocabulário indígena presente em nosso dia a dia.

PASSO A PASSO – O arquivo está dividido em quatro folhas para impressão no formato pdf, que devem ser impressas duas vezes cada para formar os pares. Acompanha também um arquivo de instruções de como preparar o jogo, uma forma de já iniciar a brincadeira no momento da confecção.
Se a impressora não for colorida, dá para imprimir em escala de cinza e fazer do colorir parte da brincadeira. E para quem não tem impressora em casa, não precisa ficar de fora: pode acessar os arquivos para conhecer as palavras e se arriscar em desenhar os animais, frutas e plantas em pedaços de papel. Tudo pode ser divertido, interativo e muito educativo.
O Museu Paranaense está preparando novos materiais para disponibilizar de forma online para o público durante este período de distanciamento social, em que muitas pessoas estão em casa. O conteúdo será disponibilizado em breve no site e redes sociais.

DECRETO ESTADUAL – O Museu Paranaense está temporariamente fechado para o público atendendo ao decreto estadual nº 4.230, que determina o fechamento dos espaços culturais do Governo do Paraná – museus, bibliotecas, teatros – e suspende os eventos artísticos e culturais a partir do dia 17 de março de 2020.

sexta-feira, 6 de março de 2020

Exposição fotográfica retrata o cotidiano dos catadores de Curitiba


O fotógrafo Ari Baiense inaugura nesta quinta-feira (5), às 18h, no Centro de Arte Digital do Museu Municipal de Arte (Portão Cultural), a exposição “Mutirão”, sobre os catadores de material reciclável de Curitiba. Junto com a exposição, Ari Baiense lança um fotolivro com as imagens da exposição. Os registros foram feitos durante mais de 10 anos, nos quais o fotógrafo acompanhou o trabalho dos catadores da Associação Mutirão, localizada no Sítio Cercado.
A Associação Mutirão é um coletivo de trabalhadores que buscam seu sustento com dignidade e apoio de outros cidadãos. O objetivo é oferecer aos catadores condições de vida mais dignas e desenvolver a autoestima, visto que são eles que gerenciam o projeto. O fotolivro foi viabilizado por uma campanha de financiamento coletivo e a renda obtida com as vendas será revertida para a Associação Mutirão.
Este livro foi editado para celebrar as conquistas e relatar através de imagens, textos e depoimentos a experiência singular desses batalhadores”, diz o autor. A obra contou com a colaboração de José Carlos Fernandes, jornalista e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR); das alunas de jornalismo da UFPR, através do programa de extensão NCEP - Núcleo de Comunicação e Educação Popular; de Vinicius Barajas, artista plástico; Renato Bedore, designer gráfico; e Fábio Fernandes, escritor, tradutor e professor.
O fotolivro está à venda no site do fotógrafo (www.aribaiense.com) ou na Escola Portfolio de Fotografia (Rua Alberto Foloni, 634, Juvevê). A renda será revertida para a Associação Mutirão.
Depois da exibição no MuMA, a mostra percorrerá todas as Ruas da Cidadania. O circuito inicia pela Rua da Cidadania da Matriz, onde permanece de 16 de março a 16 de abril.

O Museu Municipal de Arte (MuMA) está situado no Portão Cultural (Av. República Argentina, 3430) e pode ser visitado de terça-feira a domingo, das 10h às 19h, com entrada franca.


Cine Passeio festeja 1º aniversário com programação especial e meia-entrada


O Cine Passeio completa um ano no fim deste mês, mas quem ganha presente é o público. A partir desta quinta-feira (5), começa a valer o dia da semana escolhido para a promoção da meia-entrada para todos os públicos. De sexta-feira (6) a domingo (8), para celebrar o Dia Internacional da Mulher, a meia-entrada vale somente para o público feminino. As novidades não afetam quem já era beneficiado pelo desconto e continua tendo direito a ele.
Além disso, durante todo o mês de março, a cada semana, o Cine Passeio vai exibir um dos quatro filmes de maior bilheteria em seus primeiros 12 meses de existência. “Dor e Glória”, do espanhol Pedro Almodóvar, foi o quarto mais assistido e abre a programação. O longa ficou em cartaz no espaço durante 11 semanas e atraiu 3.617 pessoas.
Permanecem em cartaz o brasileiro “Jovens Polacas”, de Alex Levy-Heller; o italiano “Martin Eden”, de Pietro Marcello; o britânico “1917”, de Sam Mendes; o neozelandês “Jojo Rabbit”, de Taika Waititi; e o sul-coreano “Parasita”, de Bong Joon-Ho, grande vencedor do Oscar de 2020 e que entra na 18ª semana de exibição.
Estreiam na grade de programação “Você Não Estava Aqui”, do inglês Ken Loach. Neste novo trabalho ele aborda questões sócio-políticas, temas recorrentes em sua filmografia. O drama “Meio Irmão”, de Eliane Coster, conta a história de uma jovem em busca da mãe desaparecida.
Na sessão especial Olhar Proibido, nesta sexta (6), às 23 horas, será a vez de “Mr. Leather”, do goiano Daniel Nolasco. O filme trata do universo dos aficionados por roupas de couro durante a realização da segunda edição do festival Mr. Leather Brazil. O longa será exibido simultaneamente nas salas Luz e Ritz.

A partir desta quinta-feira (5), confira a programação completa do Cine Passeio no site http://www.cinepasseio.org/programacao.

terça-feira, 3 de março de 2020

Paiol Digital de março mostra a força do empreendedorismo feminino


Quatro trajetórias de sucesso de mulheres brasileiras serão contadas na edição especial sobre Empreendedorismo Feminino do Paiol Digital, evento mensal do Vale do Pinhão que ocorre no dia 10 de março, das 19h às 23h, no Teatro do Paiol.
Vamos reunir nesta edição especial, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, um time de empreendedoras que busca constantemente a inovação. São exemplos para todas as mulheres que sonham em abrir o seu negócio, que precisam entender os caminhos dos empregos do futuro e que reservam parte da sua agenda para ajudar o próximo”, destaca Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, órgão ligado à Prefeitura e responsável pela política de empreendedorismo da capital.
O Paiol Digital terá palestra da empresária Lilian Miranda, fundadora da marca de acessórios Prata Fina. Ela irá detalhar seu trabalho como embaixadora da organização Mãos Sem Fronteiras Pela Paz no Mundo, que oferece atendimentos gratuitos e cursos de formação para uso da técnica de estimulação neural, associada à prática regular de meditação.
Entre as iniciativas do Mãos Sem Fronteiras estão o aplicativo da campanha 5 Minutos, Eu Medito, desenvolvido em Curitiba, onde fica a sede brasileira da organização. Com tutorial que ensina a meditação em 5 minutos, o app tem um "meditômetro" que soma os minutos de prática diária dos usuários em todo o mundo.

ECONOMIA CIRCULAR - Advogada e apaixonada por moda, Luanna Toniolo Domakoski estudou Gestão de Marketing em Harvard e se inspirou a criar uma empresa que defende o consumo consciente. Luanna abriu, em 2016, a Troc, uma plataforma que conecta pessoas que querem vender e comprar roupas, bolsas, sapatos e acessórios usados, de grife e em perfeito estado.
Segundo ela, mais do que permitir que todas as usuárias tenham acesso aos produtos que sempre sonharam, a startup curitibana tem como objetivo educar as brasileiras para que cada vez mais apostem na economia circular.

GESTÃO DE PESSOAS - Formada em Economia pela PUCRio e com pós-graduação em Business pela Columbia University e Economia Comportamental em Harvard, Fernanda Teich irá dividir com o público do Paiol Digital sua trajetória na Stone, startup carioca que ousou entrar no setor de pagamentos de cartão e conquistou o status de um dos nove unicórnios do Brasil (com valor de mercado acima de US$ 1 bilhão),
Fernanda entrou na Stone, em 2013, com apenas 22 anos e já trabalhou nas áreas de Tecnologia, Operações e Vendas. Atualmente, ela está revolucionando o setor de Pessoas da startup, onde é responsável por Partnership, Educação e Gestão de Talentos.
A edição de março do Paiol Digital terá ainda a apresentação da gerente da Endeavor Paraná, Leticia Preuss, que irá explicar como é o trabalho da organização que apoia o empreendedorismo e os empreendedores de alto impacto.

EMPREGO DO FUTURO - Emprego do Futuro é uma das principais agendas da gestão do prefeito Rafael Greca, assim como mobilidade urbana, sustentabilidade e cultura da inovação. A conexão de Curitiba e dos curitibanos com os desafios para a conquista dos Empregos do Futuro motivou um conjunto de ações desenvolvidas pelo Vale do Pinhão, o movimento da Prefeitura e do ecossistema de inovação da cidade para garantir o crescimento sustentável de Curitiba.
Desenvolvidas pela Agência Curitiba/Vale do Pinhão e Fundação de Ação Social (FAS), as iniciativas englobam desde ações focadas no setor de tecnologia e inovação até as de capacitação de habilidades técnicas e humanas. O princípio é simples: muitas profissões “tradicionais” vão mudar e muitas novas vão surgir. O objetivo é capacitar, apoiar e incentivar jovens e adultos, de forma que estejam mais bem preparados para as demandas do mercado de trabalho atual e futuro. As iniciativas incluem: Worktibas, 1º Empregotech, Primeiro Emprego, Tecnoparque, Liceus de Ofícios e Inovação, Bom Negócio, Mobiliza, Espaços Empreendedor, Empreendedora Curitibana, Fab Lab e Paiol Digital.

Vila Urbana exibe “Lion – Uma Jornada Para Casa” na 3ª edição do CineVila


Nesta terça-feira, 3, o complexo de gastronomia e entretenimento Vila Urbana realizará a 3ª edição do CineVila. A partir das 19h, será exibido o filme “Lion – Uma Jornada Para Casa”, que recebeu seis indicações ao Oscar 2017, incluindo “Melhor Filme”, “Melhor Ator Coadjuvante” para Dev Patel e “Melhor Atriz Coadjuvante” para Nicole Kidman. A entrada gratuita.
O CineVila nasceu com o intuito de reforçar nosso compromisso cultural, com a transmissão semanal gratuita de filmes cult do cinema nacional e internacional no palco principal do complexo”, conta Lucas Velasques, sócio administrador do Vila Urbana (rua Marechal Deodoro, 686, Centro).
“Lion – Uma Jornada Para Casa” conta a história de Saroo, um menino de 5 anos que se perdeu do irmão mais velho perto de uma estação de comboios, na Índia, enquanto descansava em uma das carruagens. Saroo foi parar em Calcutá, a 1.500 quilômetros de casa, e enfrentou grandes desafios para sobreviver sozinho, até ser adotado por uma família australiana. Incapaz de superar o que aconteceu na infância, aos 25 anos ele decide buscar uma forma de reencontrar sua família biológica.

Mais informações na página do Facebook ou perfil do Instagram do complexo gastronômico.

Trabalhos fotográficos de Daniel Castellano ganham exposição no Shopping Ventura


A exposição “Um Olhar, Uma Curitiba” do fotógrafo Daniel Castellano volta ao Ventura Shopping para homenagear a cidade. A mostra conta com 20 registros realizados pelo profissional, durante os mais de 14 anos de carreira.
Castellano se apaixonou pela fotografia em 2001 e, desde então tem se dedicado a ela. Tem forte atuação como repórter fotográfico, mas se diz explorador do mundo. Seu trabalho já foi exibido em diversas exposições e seus temas variam bastante, vão desde sobre o metrô de Londres aos pescadores do litoral paranaense. Veja alguns trabalhos do fotógrafo aqui.
Nesta exposição ele apresenta a simetria de Curitiba, com o olhar treinado do fotógrafo e com a ajuda da tecnologia. Com o auxílio de drones, Castellano fez produções de pontos turísticos de Curitiba vistos de ângulos diferentes, como o Jardim Botânico, o Cemitério Municipal e ruas da cidade.
Escolhemos trazer a exposição novamente por conta do sucesso da primeira vez, e por ser um trabalho em homenagem à Curitiba. Castellano conseguiu captar fotos únicas, que são presentes aos curitibanos e turistas”, conta a gerente de marketing do Ventura Shopping, Daniela Leal.
A exposição fica no setor verde em frente às lojas Americanas, durante o horário de funcionamento do Ventura Shopping (rua Itacolomi, 292, Portão).


“Enquanto Somos Humanos” tem duas performances solo na Alfaiataria


Entre os dias 3 e 8 de março (terça a domingo), os artistas Michelle Moura e Maikon K apresentam suas duas novas performances solo “Overtongue” e “Máquina Êxtase”, às 20h, na Alfaiataria. A proposta é que os dois solos sejam vistos em sequência pelos espectadores. As obras fazem parte da segunda etapa do projeto “Enquanto Somos Humanos”, que em 2019 já resultou em uma peça de mesmo nome na qual Michelle e Maikon dividiam a cena. Agora, os dois solos são apresentados individualmente, porém Maikon e Michelle colaboram entre si na interlocução da dramaturgia.
Neste projeto, continuam a investigação sobre a alteração de consciência, os limites entre humano e não-humano, mitologias, construção de realidades e produção de sensações.
Em “Overtongue”, Michelle Moura compõe paisagens corporais perpassadas pelo mecânico, alienado e grotesco. Com um vocabulário reduzido de sons e movimentos, dissociações físicas e vocais servem como matéria para a transfiguração, fazendo com que o familiar se torne cada vez mais desconhecido. Em tempos em que a palavra parece ter perdido fôlego e valor, em que é difícil distinguir a verdade da mentira, “Overtongue” é ora promessa de desintegração de statements, ora cemitério de intenções. Através de uma língua delirante, Michelle remete à “câmara de ecos” onde crenças e ideias já existentes são amplificadas pela repetição dentro de um sistema fechado.
Em “Máquina Êxtase”, Maikon K investiga o estado de êxtase como dissolução da identidade humana, uma experiência corporal que rompe os limites das convenções sociais e dos códigos morais. O êxtase é um dos grandes tabus de nossas sociedades: regulado e controlado, é uma promessa que nunca se cumpre, contida em cada produto à venda, nas falas de líderes políticos e religiosos, nos aplicativos de sexo, na publicidade, na estética. Partindo da imobilidade e de um olhar multifocal, o performer ativa uma estranha presença que modula interior e exterior, controle e descontrole, embriaguez e intensidade.
Os ingressos custam R$ 10,00 (meia) e R$ 20,00, dando ao espectador a oportunidade de assistir aos dois solos em sequência. O projeto é realizado com o apoio do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura – Profice – Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Paraná e possui o apoio da Copel.

O espaço Alfaiataria está situado na Rua Riachuelo, 274, Centro.

Ficha técnica

OVERTONGUE

Criação e performance: Michelle Moura
Colaboração dramatúrgica: Maikon K
Residências: Fabrik Postdam (DE), STUK (BE). Coprodução: CND Pantin (FR), Vooruit (BE). Distribuição internacional: Something Great.

MÁQUINA ÊXTASE

Criação e performance: Maikon K
Colaboração dramatúrgica: Michelle Moura
Residência: Programa InResidence Porto (PT).

Equipe técnica

Som: Kaj Duncan David
Luz: Nadja Naira
Espaço: Fernando Marés
Figurino: Faetusa Tirzah
Interlocução: Alejandro Ahmed
Produção: Greice Barros (Núcleo Produções Cultura e Desenvolvimento)
Assistência de produção: Janaína Micheluzzi
Design gráfico: Adriana Alegria
Desenho/arte: Manuela Eichner
Fotografia e vídeo: Eli Firmeza
Assessoria de imprensa e conteúdo de mídias sociais: Luisa Bonin e Thays Cristine (Platea Comunicação e Arte)
Realização: ICA – Associação Instituto Circo Artístico
Apoio: Copel

“O Chamado da Floresta” estreia a Sessão Melhor Idade do Cineplus Jardim das Américas


Em uma ação inédita, a Rede Cineplus do Shopping Jardim das Américas, pioneira do Brasil com equipamentos de acessibilidade para deficiência visual e auditiva, apresenta outra novidade: sessões de cinema especiais para a “Melhor Idade”. As sessões especiais serão sempre na primeira quarta-feira do mês, às 14h30.
As vantagens foram pensadas no conforto e praticidade. Os ingressos terão valor fixo de R$ 7,00 para os idosos e seus acompanhantes. Outros clientes que não estejam na companhia de idosos pagarão o valor normal da bilheteria. Além do preço acessível a sessão contará com mimos, incluindo chá e bolachinhas. A programação também será direcionada. “Escolheremos sempre o filme em cartaz mais adequado a eles para exibição”, conta a criadora da ideia e sócia do Cineplus Marina Pastre.

PRIMEIRA SESSÃO - A estreia da Sessão Melhor Idade será dia 4 de março, às 14h30, com o filme “O Chamado da Floresta”. Estrelado por Harrison Ford, o filme narra a história de um cachorro acostumado á vida doméstica de bichinho de estimação e que, numa virada do destino, vai parar no Alasca, tendo de enfrentar a vida selvagem. É uma bela história de superação e persistência, baseada no clássico de mesmo nome, escrito por Jack London.

Mais informações: 3366-5885 ou www.jardimdasamericas.com.br/

Coro Cênico de Curitiba retorna ao palco do Guairinha


Após o sucesso de bilheteria da estreia em 2019, o Coro Cênico de Curitiba retorna à cena para uma curta temporada do espetáculo “Amar e Mudar as Coisas Interessa Mais”, no Teatro Guairinha. Com direção cênica de Léo Moita e direção musical de Cainã Alves e Igor Ribeiro, o espetáculo criado pelo Coro Cênico de Curitiba, grupo artístico composto por mais de 20 profissionais, será apresentado nos dias 6, 7 e 8 de março. Os ingressos antecipados podem ser adquiridos a partir de R$ 10,00 (meia entrada) pelo Ticket Fácil e na bilheteria do Centro Cultural Teatro Guaíra
Vamos continuar o eco do espetáculo de estreia. A gente quer amar e mudar coisas, tanto no sentido de amar o próximo como no sentido de amor ao nosso país. Amar e revolucionar nossos sentimentos pelos Brasil e por toda a América Latina”, propõe o coordenador geral e diretor cênico do Coro, Léo Moita. “A música sempre foi um dos grandes meios de amar e também de revolucionar e nesse espetáculo isso não poderia ser diferente. O público vai escutar desde clássicos da música popular nacional e latino-americana até novas sonoridades e novos artistas que formam um grande caldeirão revolucionário com muito amor”, completa Cainã Alves.
O encontro da diversidade e a visibilidade do cenário social, tanto no país, quanto na América Latina, é o eixo condutor encenado pelos artistas, a partir das 18 canções que integram o repertório. “Todo o Coro Cênico, entre homens e mulheres, canta Pérola Negra (Luiz Melodia), Provável Canção de Amor Para Estimada Natália (Amanda Pacífico e Cacau de Sá) e Flutua (Johnny Hooker). Então, o arranjo é uma provocação para o próprio grupo e público. A criação é toda em conjunto”, relata Moita, sobre o processo de montagem ao longo dos meses.
Nascido em 2018, o grupo realiza ações frequentes de arrecadação de verba e apoios para viabilizar seus projetos. Desde financiamentos coletivos no seu ano de estreia, até festas de arrecadação, como o “Festival Primavera Entre os Dentes”, criado e realizado em 2019.  “‘Amar e Mudar as Coisas Interessa Mais’ propõe uma ressignificação sobre a contemporaneidade, trazendo um novo sentido para o amor e a revolução em diferentes formas de canto, ancestralidade, nacionalidade e cultura”, diz o diretor cênico. “É um gesto de afago, de carinho. É um beijo, bem no meio do Brasil. É um amor que a gente não pode perder”, completa Moita.
Cultura do Estado do Paraná, Academia Ph.D Sports, Casa Quatro Ventos, Centro Cultural da Espanha, Centro Cultural Teatro Guaíra, De Inverno Comunicação, Effex - Tecnologia e Criação, Foto e Gráfico Digital, LACOMUS Unespar, MarqImpactaPDV - Comunicação Gráfica, Missê Mariá Comida e Arte, Oz Espaço Criativo, Padaria América, e da Psicóloga Carolina Krauss.

Mais informações: 3304-7900. Compre Online em http://bit.ly/AmarEMudar2020

Parceria resgata passeio da Maria Fumaça entre Antonina e Morretes


O Litoral do Paraná vai ganhar ainda neste semestre uma nova (e clássica) atração, capaz de representar de maneira definitiva um movimento de regionalização turística entre Antonina e Morretes. A Maria Fumaça voltará a passear no trecho entre as duas cidades. Serão passeios diários e casados com a descida do trem pela Serra do Mar.
Esse resgate só foi possível porque o Governo do Estado e a empresa Rumo Logística formalizaram um protocolo de intenções no ano passado para a revitalização da ligação férrea. A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), entidade sem fins lucrativos que promove a conservação do patrimônio histórico ferroviário brasileiro, será responsável pela operação.
As obras na ligação de 16 quilômetros estão em andamento e no final do ano passado um teste natalino comprovou o interesse das cidades pela iniciativa. Com esse ramal, o turista poderá conhecer as duas cidades históricas do Litoral passando pela Mata Atlântica de trem. As últimas excursões que transportaram turistas de maneira regular usando a linha aconteceram na década de 1990.
Segundo a ABPF, os trechos serão diários, conforme a demanda, e a operação deve ser iniciada já em abril, depois da manutenção que a Maria Fumaça recebe em Rio Negrinho (SC). “O intuito é de fomentar o turismo, porque a ABPF e as cidades dependem da receita do turismo para sobreviver. Todo dinheiro da bilheteria será usado para o museu que vamos criar em Antonina ou Morretes. A ideia é ter um centro de memória do trem, tão importante para essas cidades”, explica Marlon Ilg, vice-presidente da associação.
Morretes é uma potência turística e Antonina está ressurgindo. Com grande divulgação na Região Metropolitana de Curitiba, com quase três milhões de habitantes, e os parceiros certos como a Serra Verde Express, que já transportou quase quatro milhões de pessoas em duas décadas, com quem estamos trabalhando diversos pacotes, acreditamos em uma demanda muito expressiva, como nas outras oito operações similares que temos espalhadas pelo País”, complementa.

ATRAÇÕES - A programação inicial prevê viagens de 50 minutos a 1 hora de duração, com atrações locais dentro dos vagões. Há, inclusive, projetos envolvendo os produtos típicos do Litoral, perspectiva idealizada em parceria com o Morretes Convention e Visitors Bureau, entidade apolítica e sem fins lucrativos formada por empresas empenhadas em apoiar o desenvolvimento do turismo local.
É um projeto muito completo. Estamos conversando com Paraná Turismo e com as duas prefeituras, amadurecendo a operação para ter tudo pronto até a Páscoa. Temos mais de 40 anos de experiência no mercado e queremos replicar o sucesso do trem do vinho do Rio Grande do Sul”, acrescenta Marlon. “Teremos teatro, música regional, e roteiros casados, além de uma locomotiva totalmente repaginada e o visual emblemático da Serra do Mar paranaense”.

LIGAÇÃO – A Maria Fumaça trará mais energia para a estação ferroviária histórica de Antonina, que foi restaurada nos últimos anos. A estação está ligada à história ferroviária do Paraná, iniciada com a inauguração do trecho Curitiba-Paranaguá, em 1885.
A construção ocorreu em 1916, após o incêndio que destruiu a antiga estrutura, e com um investimento de R$ 1,4 milhão houve troca do telhado, substituição dos sistemas elétricos e eletrônicos, reforma dos banheiros e sistemas hidráulicos e a restauração das esquadrias de madeira. Há, inclusive, exposições pelo local.
Já a estação de Morretes existe desde 1883, mas seu prédio original foi substituído por um novo edifício de concreto e alvenaria em estilo art déco na década de 1950. A ferrovia foi projetada pelos irmãos Rebouças. À época (1885) foi uma das mais ousadas obras de engenharia do mundo.
É algo que toda a população espera, retomar a ligação diária desse trecho histórico. O Paraná cresceu a partir das locomotivas do Litoral, e queremos usar esse caminho para contar um pouco sobre a importância da Mata Atlântica e das outras possibilidades do município. É uma conquista que só trará benefícios para o Litoral”, afirma Allana Cristina Araújo, responsável pela programação turística da prefeitura de Antonina.

HISTÓRIA - A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária é uma entidade civil sem fins lucrativos de cunho histórico, cultural e educativo. A missão é promover o resgate e a conservação do patrimônio histórico ferroviário brasileiro, disponibilizando os bens à visitação pública, desde que a conservação do bem não seja colocada em risco.

Visita guiada ao Cemitério Municipal resgata a memória de curitibanas pioneiras


No próximo sábado (7), a visita guiada ao Cemitério Municipal São Francisco de Paula presta uma homenagem ao Dia Internacional da Mulher – comemorado no domingo (8). Serão apresentadas aos participantes as biografias das mulheres pioneiras da capital paranaense.
É a oportunidade de conhecer mais sobre a trajetória de Enedina Alves Marques, a primeira engenheira negra do Brasil, a fotógrafa Fany Wolk, a professora Maria Nicolas, a feminista Marianna Coelho, a médica Maria Falce, a poetisa Helena Kolody, Didi Caillet, entre outras.
A visita acontece das 9h às 12h e está com as inscrições abertas. Os interessados devem encaminhar um e-mail para o endereço visitaguiada@curitiba.pr.gov.br, informando nome e RG de até quatro participantes.
A programação é gratuita, mas está sujeita ao preenchimento das 60 vagas existentes. A confirmação da participação é feita em resposta ao e-mail enviado.

CURITIBANAS RENOMADAS - De acordo com a diretora de Serviços Especiais da Secretaria do Meio Ambiente, a pesquisadora e responsável pela visita, Clarissa Grassi, é o quarto ano consecutivo da visita temática pelo Dia Internacional da Mulher.
São mulheres que desempenharam papéis de importância história de Curitiba, em diferentes áreas, e que merecem ter a sua trajetória contada e conhecida”, ressalta.

VISITAS GUIADAS - As visitas acontecem nas modalidades padrão, temática e noturna, conforme calendário mensal.
A ação explora a potencialidade do primeiro cemitério da cidade como resumo simbólico de Curitiba, explorando a arquitetura, arte e geodiversidade por meio da trajetória das pessoas ali sepultadas.