quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Cinemateca sedia Mostra de Filmes Japoneses


De quarta-feira (31) a sábado (3), a Cinemateca de Curitiba recebe mais uma edição da Mostra de Filmes Japoneses. Toda a programação é gratuita e tem classificação livre.
Composta por seis filmes, a Mostra traz títulos contemporâneos, todos produzidos entre 2012 e 2016. Os filmes destaques da programação são: “Asahi de Vancouver”, formados por atores renomados; “A Tale of Samurai Cooking”, que aborda a culinária japonesa – tombada como patrimônio imaterial da humanidade e “Thermae Romae”, todos filmes vencedores de diversos prêmios internacionais.
A exibição é uma realização do Consulado Geral do Japão em Curitiba e da Fundação Japão e tem o apoio da Fundação Cultural de Curitiba. A exibição faz parte da Mostra de Filmes Itinerantes promovida pela Fundação Japão.

Confira a programação:

31/10 (quarta-feira)
17:00 - Asahi de Vancouver (Yuya Ishii)
19:30 - Uma Centelha de Vida (Bunji Sotoyama)

01/11 (quinta-feira)
17:00 - Minha Vida de Canção (Nobuo Mizuta)
19:20 - Uma Promessa Viva (Kan Ishibashi)

2/11 (sexta-feira)
14:00 - Asahi de Vancouver (Yuya Ishii)
16:30 - A Tale of Samurai Cooking – A True Love Story (Yuzo Asahara)

3/11 (sábado)
14:00 - Minha Vida de Canção (Nobuo Mizuta)
16:20 - Thermae Romae (Hideki Takeuchi)

Cantoritiba chega à sua quinta edição


A quinta edição do Festival Internacional de Corais de Curitiba, o Cantoritiba, começa essa semana. Do dia 1º ao dia 4 de novembro, cerca de 60 grupos de canto coral brasileiros e internacionais, vindos do Uruguai, Argentina, Portugal e Estados Unidos, vão se apresentar em mostras competitivas e não competitivas.
De acordo com o diretor de marketing do evento, José Roberto Krasucki, esta edição do Cantoritiba será marcada pela diversidade. O festival cresce a cada edição e se torna destino inclusive de grupos internacionais. “É uma experiência marcante para quem gosta de música, de divulgação do trabalho e também a chance de conhecer outras culturas musicais”, diz Helcio Pimentel, presidente do festival.
Na comissão avaliadora, um dos nomes de maior destaque é o maestro norte-americano Keith McCutchen, que é pianista e compositor com reconhecimento mundial. Os ingressos para o Festival estão disponíveis pelo Disk Ingressos, a partir de R$ 15,00. As apresentações nos palcos abertos que acontecem pela cidade são abertas ao público.

Veja a programação:

Quinta-feira, dia 1º/11
12h - Palco Aberto
Regional Matriz Praça Rui Barbosa (Praça Rui Barbosa, 101 – Centro)

20h - Abertura Oficial
Pequeno Auditório Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)

Sexta-feira, dia 2/11
10h - Palco Aberto
Oratório de Bach (R. Schubert, 175 – Vista Alegre)

10h - Palco Aberto
Praça Interna Hostel Roma (R. Barão do Rio Branco, 805 – Centro)

16h - Mostra Não Competitiva Erudita/Sacra
Pequeno Auditório Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)

20h - Mostra Competitiva Erudita/Sacra
Pequeno Auditório Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)

Sábado, dia 3/11
10h - Palco Aberto
Ruínas São Francisco (Praça João Cândido – São Francisco)

10h - Palco Aberto
Oratório de Bach (Rua Schubert, 175 – Vista Alegre)

14h - Mostra Não Competitiva Popular
Pequeno Auditório Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)

16h30 - Mostra Não Competitiva Popular
Pequeno Auditório Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)

20h - Mostra Competitiva Popular
Pequeno Auditório Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)

Domingo, 4/11
10h - Palco Aberto
Memorial de Curitiba (R. Dr. Claudino dos Santos, 79 – São Francisco – Largo da Ordem)

10h - Palco Aberto
Mercado Municipal (Av. Sete de Setembro, 1865 – Centro)

19h - Noite de Premiação – Grande Auditório Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)

Faz de Conta encerra temporada 2018 com história de Natal


Mais uma vez o Shopping Estação foi sucesso de público quando o assunto é entretenimento e diversão, com o projeto Faz de Conta, que há mais de quatro anos realiza todos os sábados espetáculos gratuitos para as famílias. Em 2018, mais de 20 mil adultos e crianças se reuniram para conferir as 44 apresentações, com atrações variadas, com dança, música, teatro e até edições especiais, como o Bailinho de Carnaval e Arraiá Junino.  
Para fechar a temporada deste ano uma programação mágica foi preparada para todos já entrarem no clima natalino. No próximo sábado (3), o público poderá prestigiar a apresentação "Como o Grinch Roubou o Natal", com a companhia Bandaleão. A peça é uma releitura de um clássico encenada com muito samba, rock, rap e outros gêneros musicais, entrelaçada em uma história de Natal. A apresentação une elementos do teatro, da literatura, da música e um palhaço. O roteiro do show foi elaborado para criar uma atmosfera lúdica e encantadora para toda a família.
Em 2019 o Faz de Conta retorna com a programação normal, repleta de atrações especiais e gratuitas, garantindo a diversão de toda a família.

Mais informações: 3094-5300 ou www.shoppingestacao.com.br.

Festival de Ópera do Paraná traz dez dias de óperas e concertos gratuitos


Entre os dias 2 e 11 de novembro acontece o IV Festival de Ópera do Paraná. Serão 14 apresentações no Guairão, Guairinha e Capela Santa Maria, todas gratuitas. Na edição anterior, 22 mil pessoas assistiram aos espetáculos.
Um dos destaques é a estreia mundial da ópera brasileira “Sóror Mariana”, composta em 1920 pelo paulista Julio Reis, com libreto do grande português Julio Dantas. “Pouco se conhece sobre as óperas brasileiras, sobremaneira as paranaenses. Restaurar e trazer à cena a música com nosso sotaque é nossa obrigação e o público sempre responde positivamente”, ressalta o diretor-geral do evento Gehad Hajar.
O evento é produzido pela Guairacá Cultural com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura e do Centro Cultural Teatro Guaíra (CCTG) sem mecanismos de incentivos públicos. Esta é a segunda etapa do Festival neste ano, a primeira foi uma turnê em agosto da ópera “Rita” pelas cidades de Antonina, Lapa, Rio Negro, Terra Roxa e Foz do Iguaçu. Haverá ainda uma récita em Ponta Grossa no dia 7 de novembro.
As outras óperas apresentadas serão “Rita”, com a Orquestra Sinfônica da Belas Artes, “O Morcego” e “O Filho Pródigo”, produzido pelo ICAC, da Fundação Cultural de Curitiba. O grande concerto desta edição serão duas apresentações da “Missa da Coroação” e “Exultate Jubilate”, de Mozart, com grande coro e orquestra. Outros concertos incluem a cantora húngara Dorottya Bánkövi, trazida pelo governo de seu país, acompanhada da Orquestra Ofilato, uma Gala Lírica com Ana Paula Brunkow e Jeferson Pires.
Além dos concertos nos teatros, apresentações surpresas ocorrerão em alguns pontos do centro de Curitiba. Não haverá distribuição de ingressos. A entrada será permitida até a lotação completa de cada sala de concerto.

ÚLTIMO FESTIVAL - O Festival de 2017 contou com público superior a 22 mil pessoas que assistiram a 40 espetáculos gratuitos, produzidos por 619 profissionais. Os destaques ficaram com “Cavalleria Rusticana” no palco do Guairão, e “Festa de São João”, opereta inédita de Chiquinha Gonzaga.

PROGRAMAÇÃO:



Óperas:

• RITA, de Gaetano Donizetti
Com Orquestra Sinfônica da Escola de Música e Belas Artes do Paraná
Solistas:
Rita - Jéssica Leão (São Paulo)
Beppe - Daniel Soufer (São Paulo)
Gasparo - Caê Vieira (São Paulo)
Direção Geral: Gehad Hajar
Regência: Paulo Barreto
2 e 4 de novembro, às 20h
Guairão

• SÓROR MARIANA de Júlio Reis
ESTREIA MUNDIAL
Direção Geral - Gehad Hajar

Sóror Mariana - Josianne Dal Pozzo
Conde de Chamilly - Odair C. Sebaniski
Abadessa - Dayane Bernardi
Sóror Inés - Dani Prim
Sóror Simôa - Kenya Horst
Sóror Agostinha - Silmara Campos
Bispo - Caê Vieira (São Paulo)
Piano - Jeferson Melo
09 de novembro, às 20h
10 de novembro, às 18h
Guairinha

• O FILHO PRÓDIGO de Claude Debussy
10 de novembro, às 20h
11 de novembro, às 16h
Guairinha

• O MORCEGO de Strauss
11 de novembro, às 20h
Guairinha

Concertos:

• MISSA DA COROAÇÃO e EXSULTATE, JUBILATE, de Mozart
Com Orquestra Sinfônica da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Coro Lírico de Curitiba e Coro Cidade de Ponta Grossa
Regência - Paulo Barreto
EXSULTATE, JUBILATE
Soprano - Ana Paula Machado
MISSA DA COROAÇÃO
Soprano - Ana Paula Brunkow
Mezzo - Adaile Domingues Koentopp
Tenor - Daniel Soufer
Barítono - Caê Vieira
Direção de Coro - Silvany de Mello
Regência de Coro - Jomar Lúcio de Lima
Maestro Coro Cidade de Ponta Grossa - Eudes Junior Stockler
Diretor der Produção - Gehad Hajar
3 e 5 de novembro, às 20h
Guairão

• RECITAL HUNGRIA
Com a cantora Dorottya Bánkövi (Hungria) e Orquestra Ofilato
6 de novembro, às 20h
Capela Santa Maria

• RECITAL DE PIANO
Programa com peças de Mozart, Beethoven, Liszt, Chopin e Debussy
Pianista - Jeferson Mello
7 de novembro, às 20h
Capela Santa Maria

• CORO DA CIDADE DE PONTA GROSSA CANTA O PARANÁ
Coro da Cidade de Ponta Grossa (Fundação Municipal de Cultura de Ponta Grossa)
7 de novembro, às 20h
Auditório do Centro de Música (Ponta Grossa)
8 de novembro, às 20h
Capela Santa Maria

• GALA LÍRICA
Greatest Hits do repertório operístico
Soprano - Ana Paula Brunkow
Tenor - Jeferson Pires
Piano - Jeferson Melo
11 de novembro, às 18h
Guairinha


Escritora Ana Rapha Nunes participa do projeto Aventuras Literárias da BPP


A escritora Ana Rapha Nunes é a convidada do projeto Aventuras Literárias da Biblioteca Pública do Paraná desta quinta-feira (1º). O evento, em que a convidada conversa com o público infantojuvenil sobre suas experiências de leitura e escrita, acontece no auditório da BPP, às 9h30. A entrada é gratuita. Após o bate-papo, haverá sessão de autógrafos e venda de livros da autora.
Carioca radicada em Curitiba (PR), Ana Rapha Nunes é escritora e professora de Língua Portuguesa.  É autora de cinco livros: “Lagartas e borboletas”, “A lua que eu te dei”, “Mariana”, “Lucas, o garoto gamer” e “A noite chegou e o sono não vem”.

Mais informações: 3221-4980.

Museu da Gravura promove atividades no Mês da Consciência Negra


A partir desta quarta-feira (31), o Museu da Gravura Cidade de Curitiba, no Solar do Barão, oferece uma programação especial em homenagem ao mês da Consciência Negra. A programação inicia às 17h, com uma roda de conversa sobre Arte, Negritude e a Cidade de Curitiba. Participam do bate-papo o poeta e dramaturgo Geraldo Magela, a fotógrafa Pretícia Jerônimo e o assessor de Políticas de Igualdade Racial de Curitiba, Adegmar Silva, o Candiero. O encontro será realizado no Centro de Documentação e Pesquisa Guido Viaro. O evento tem classificação livre e entrada franca.
Mais tarde, às 19h, no Museu da Gravura Cidade de Curitiba, será aberta a exposição Rubem Valentim. A exposição reúne obras que pertencem ao Acervo do Museu da Gravura e tem curadoria de Joseane Baratto. A mostra fica em cartaz até 2 de dezembro.
Rubem Valentim foi pintor, escultor, gravador e professor brasileiro, sendo considerado um dos grandes pintores construtivistas. Em 1979, Valentim realizou escultura de concreto aparente, instalada na Praça da Sé, em São Paulo. A obra foi definida como o Marco Sincrético da Cultura Afro-Brasileira. Nascido na Bahia, o artista faleceu em São Paulo em 30 de novembro de 1991.
E na próxima terça (6/11), às 15h, o Centro de Documentação e Pesquisa Guido Viaro realiza a exibição do documentário “Rubem Valentim: Geometria Sagrada”. Produzido em 2001, o vídeo é uma realização da Rede Sesc Senac e tem direção de Cacá Vicalvi. E no dia 13/11, também às 15h, acontece mais uma exibição do documentário.

Conservatório de MPB recebe o show “Clarone no Choro”, de Sérgio Albach


O maestro e diretor musical, Sérgio Albach, apresenta projeto inédito na discografia brasileira, um CD com clássicos do choro executados no clarone. No Conservatório de MPB de Curitiba, o show ‘Clarone no Choro’ acontece hoje (31), às 19h. A entrada é gratuita.
Apesar de pertencer à família dos clarinetes, o clarone não é muito conhecido e não é fácil de ser praticado, mas sua evolução técnica como instrumento permitiu esse grande salto”, explicou Albach.
O álbum, segundo feito pelo músico, traz 12 faixas com obras clássicas de compositores como Heitor Villa-Lobos, Ernesto Nazareth, Joaquim Callado, Jacob do Bandolim, Abel Ferreira. Além de dois compositores radicados em Curitiba: Waltel Branco e Cláudio Menandro.
O disco reúne ainda dois duetos: um com Nailor Proveta (clarinete) e outro com Nelson Ayres (piano). O ponto alto do repertório é a execução da música Gargalhada de Pixinguinha, com dois clarinetes.
O CD “Clarone no Choro” conta com acompanhamento de Daniel Migliavacca, que compôs todos os arranjos, toca bandolim e também assina a direção musical do trabalho. A ficha técnica traz também Gustavo Moro (violão), Lucas Melo (violão 7 cordas) e Ricardo Salmazo (pandeiro e reco-reco).

BIOGRAFIA - Clarinetista, arranjador, compositor, maestro e curador, Sérgio Albach é um instrumentista nascido em Curitiba com inúmeras participações em gravação de CDs, concertos, espetáculos musicais e teatrais. Desde 2002 é o Diretor Artístico da Orquestra à Base de Sopro de Curitiba.
Como pesquisador do choro, criou os projetos “Choro no Sebo”, “No TUC tem Choro” e, em 2001, a “Roda de Choro do Conservatório de MPB” que existe até hoje.
Como clarinetista, lançou seu primeiro CD solo em 2010, o “Clarineteando”, e já soma mais de 50 participações em CDs. Faz parte do “Mano a Mano Trio” ao lado de Glauco Sölter e Vina Lacerda, grupo que já excursionou pelo Brasil, América Latina e Europa.
Foi curador da Oficina de Música Popular Brasileira de Curitiba durante 14 anos (2002-2015). Dirigiu importantes produções musicais como “Uma Rosa Para Elizeth” e “Noël”, com lançamento de CD em 2009. Também compôs trilhas sonoras para peças teatrais e espetáculos de dança e vídeo.

Últimos dias para conferir duas exposições em cartaz no Museu Paranaense


A exposição “As Histórias das Mulheres a Partir do Acervo do Museu Paranaense” pode ser vista até o próximo domingo (4). A exposição é resultado de pesquisa no acervo do MP por meio de um projeto de extensão intitulado "Cultura Material e de Gênero da Universidade Federal do Paraná" e também do grupo de trabalho "Modos de Vestir", mantido pelo museu. A mostra destaca a história das mulheres, contadas por meio do acervo do MP.
Já a exposição “Belas Artes 70 anos: Ensinando e Produzindo Arte” fica em cartaz até o dia 11 de novembro. A instituição pública de ensino superior, que faz parte da Universidade Estadual do Paraná, é especializada na formação de músicos e artistas visuais. A mostra inclui objetos históricos e artísticos, além de obras de arte da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap), mais conhecida pelos curitibanos como Belas Artes.
Em 2018, a Embap completou sete décadas e escolheu o Museu Paranaense para mostrar ao público um pouco da sua história e trajetória, apresentando as diversas fases e excelência dos profissionais que se formaram na instituição e atuam em diferentes esferas da arte.

O Museu Paranaense está situado na Rua Kellers, 289, São Francisco e pode ser visitado de terça a sexta-feira, das 9h às 18h; sábado, domingo e feriado, das 10h às 16h. Mais informações: www.museuparanaense.pr.gov.br.

“Uma Noite no MON” comemora aniversário do Museu


O Museu Oscar Niemeyer (MON) promove a 5ª edição de “Uma Noite no MON”, dia 24 de novembro (sábado) das 18h às 22h30, para crianças de 7 a 10 anos. As inscrições têm início a partir desta quinta-feira (1º) na bilheteria do MON, com preenchimento do formulário de inscrição.
São 60 vagas disponíveis e o valor de participação é de R$ 80,00 por criança. A bilheteria funciona de terça a domingo, das 10h às 18h.
Esta quinta edição homenageia os 16 anos do MON, comemorado dia 22 de novembro, com uma programação especial chamada “A Noite do Pijama”, por isso as crianças devem comparecer vestidas com pijama.
A exposição abordada será a “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses”, que apresenta cerca de 200 obras provenientes de países asiáticos. No evento, personagens convidam as crianças a participarem de dinâmicas, oficinas, brincadeiras e visitas mediadas em forma de contação de histórias. Além das atividades, haverá um lanche e os participantes receberão uma lanterna personalizada.
Durante a atividade, neste dia o museu estará fechado ao público e aberto somente aos participantes. A visitação ao museu pode ser feita normalmente das 10h às 18h, com acesso até 17h30.
Mais informações: 3350-4400 ou www.museuoscarniemeyer.org.br.


segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Terror com humor é tema do 5º PapoCine no Sesc da Esquina


A 5ª edição o PapoCine no Sesc da Esquina traz um bate-papo sobre o “terrir”, gênero que mistura o terror do cinema trash com humor sádico. O filme “Morgue Story – Sangue, Baiacu e Quadrinhos”, dirigido pelo curitibano Paulo Biscaia Filho, será debatido pelo diretor, roteirista e editor Fábio Allon. O evento acontece nesta quarta-feira (31), às 19h.
No filme, um cartunista com relacionamentos frustrados, um cataléptico vendedor de seguros de vida e um médico legista sociopata têm suas vidas entrelaçadas quando se encontram em um necrotério sob circunstâncias inusitadas. Com soluções tupiniquins, o diretor Paulo Biscaia Filho mescla terror e comédia de forma criativa e de baixo custo.
O mediador do bate-papo, Fábio Allon, é graduado em Arquitetura pela UFPR, em Cinema pela FAP / CINETVPR (onde leciona as disciplinas de Direção Audiovisual I e II e Roteiro I) e mestre em Arquitetura pela UFRS. Seus trabalhos como diretor já figuraram em mais de 100 festivais pelo mundo, tendo recebido cerca de 40 prêmios. É um dos sócios fundadores do Processo MultiArtes.

PAPOCINE - O PapoCine é uma parceria do Sesc da Esquina com o Cinecriare (Unespar/CNPq) – Grupo de Pesquisa Cinema: Criação e Reflexão; o LICA – Laboratório de Investigações em Cinema e Audiovisual e Unespar (Universidade Estadual do Paraná). A intenção dos encontros é abrir um espaço de troca de experiências, bate-papo com café, discussão e conhecimento cinematográfico de forma acessível, em que comunidade, professores, estudantes e amantes da sétima arte possam papear sobre o cinema e suas vertentes. A última edição do ano ocorrerá em 28/11.

O 5º PapoCine Sesc da Esquina é indicado para maiores de 16 anos, é gratuito e tem vagas limitadas (20). Mais informações: 3304-2282.

Estão abertas as inscrições para a 36ª Oficina de Música


A abertura das inscrições para a 36ª Oficina de Música de Curitiba, que acontece de 16 a 27 de janeiro de 2019, foi anunciada na manhã de sexta-feira (26) pelo prefeito Rafael Greca. As inscrições abriram nesta segunda-feira (29) e vão até 30 de novembro pelo site www.oficinademusica.org.br.
São mais de duas mil vagas a serem preenchidas nos 103 cursos nas categorias Erudita, Antiga e Popular, para alunos de diversos níveis de conhecimento, de iniciantes a profissionais. Também serão ofertados gratuitamente cursos de musicalização infantojuvenil nas dez regionais administrativas da cidade, pelo Projeto MusicaR.
Estamos abrindo as inscrições para a Oficina de Música mantendo a tradição de que o ano começa com música em Curitiba. São cursos e espetáculos que vão se espalhar pelos parques e praças da cidade, nas ruas da cidadania, igrejas e teatros, celebrando este grande momento cultural, porque a música revoga os pesadelos da vida”, disse Greca.

INSCRIÇÕES - A Oficina de Música terá como sede principal a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), mas também serão ofertadas atividades em outros espaços.
A taxa de inscrição varia de acordo com o número de cursos e a modalidade: R$ 130,00 (um curso), R$ 195,00 (dois cursos) e R$ 234,00 (três cursos). Os cursos do MusicaR serão gratuitos.
Nesta edição, foi mantida a parceria com a Universidade Estadual do Paraná (Unespar), que irá emitir o certificado de extensão dos participantes da oficina pela Universidade das Belas Artes do Paraná.

CURADORIA - O evento terá 93 professores de todas as partes do Brasil e de outros países para ministrar os 34 cursos de erudita, 11 da fase antiga, dez do MusicaR e 48 de Música Popular Brasileira.
No módulo de Música Erudita, sob direção artística do maestro Abel Rocha, serão realizados cursos com artistas renomados, como o pianista brasileiro Jean Louis Steuerman, o trompetista Daniel Crespo (Alemanha/Argentina), a violoncelista Elise Pittenger (EUA/BH), o violonista Edelton Gloeden, a soprano Rosana Lamosa e o tenor Homero Velho.
Para o módulo de Música Antiga, sob a direção do curitibano radicado na Inglaterra Rodolfo Richter, virão importantes músicos do cenário internacional, entre eles um dos maiores contratenores de sua geração, o inglês Michael Chance, além do oboísta holandês Frank de Bruine e do cravista inglês James Johnstone, entre outros.
No módulo de Música Popular Brasileira, sob direção artística de João Egashira, estão previstas as participações artística e pedagógica da cantora Fátima Guedes, do contrabaixista Ney Conceição, do violinista de música popular Nicolas Krassik (curso inédito).

PROGRAMAÇÃO - A Oficina de Música começa em 16 de janeiro no Teatro Guaíra, com um concerto que mescla as músicas erudita e popular. Para esta edição, estão previstos 65 concertos oficiais, além de 40 do circuito off. Maria Rita, Chico Brown, Pianorchestra, Jean Louis Steurman, André Midani, Michael Chance, Fátima Guedes e Rosa Passos são alguns dos nomes de artistas e professores já confirmados para a oficina.
A programação também vai contemplar Feira do Vinil, Oficina Verde, Feira Gastronômica, Passeio Ciclístico e Motociclístico, Mostra de Cinema, Ônibus da Cultura e Paiol Digital.

PATROCÍNIO - A Oficina de Música de Curitiba é uma realização da Fundação Cultural de Curtiba e Instituto Curitiba de Arte e Cultura e conta com patrocínio direto da Caixa Econômica Federal e da Copel, por meio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura (Profice), do Governo do Estado do Paraná. Apoio master da PUC-PR, do Teatro Guaíra e da Escola de Música e Belas Artes da Unespar.



Camerata Antiqua de Curitiba faz concertos gratuitos nesta semana


A Camerata Antiqua de Curitiba fará apresentações gratuitas nesta semana: o “Concerto nas Igrejas” e o “Música pela Vida”. As apresentações serão feitas nesta terça-feira (30), no Hospital Pequeno Príncipe, e na quarta-feira (31), no Santuário São Francisco de Assis, no Xaxim. A programação será finalizada no Instituto Paranaense dos Cegos, no Batel, próxima segunda-feira (5/11).
Os projetos “Música pela Vida”, realizado em hospitais e instituições filantrópicas, e “Concerto nas Igrejas” contam com uma programação anual, difundindo a música erudita na cidade. “Quando ficamos restritos à sala de concerto deixamos de atender uma importante parcela da sociedade”, destaca Marino Galvão Jr, presidente do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, órgão responsável pela administração do grupo.
As apresentações abertas à comunidade contam com a regência de Mara Campos e direção musical de Winston Ramalho. O repertório desses concertos também reflete a característica e a proposta musical dos projetos.
São apresentadas grandes obras clássicas de compositores estrangeiros e brasileiros como Johann Sebastian Bach, George Friedrich Händel, Heitor Villa-Lobos, Antônio Carlos Gomes, Mozart Camargo Guarnieri e Edmundo Villani-Côrtes. A regência fica a cargo da maestrina Mara Campos.
Além das apresentações, a Camerata realiza concertos didáticos com o objetivo de promover o bem-estar físico, mental e espiritual do público em geral e dos pacientes, favorecendo também os familiares e amigos que os acompanham, além dos funcionários e do corpo clínico.
Tudo isso representa um avanço significativo no diálogo com a sociedade. Os concertos sociais são uma forma de a Camerata responder essas necessidades, levando cultura às igrejas, hospitais e periferias”, conclui Galvão.

CAMERATA - Considerada um dos símbolos musicais da cidade, a Camerata Antiqua de Curitiba foi criada em 1974, pelo maestro Roberto de Regina – hoje seu maestro emérito – e a cravista Ingrid Seraphim. A proposta inicial de execução exclusiva de música barroca e renascentista foi enriquecida com o acréscimo de um repertório de compositores contemporâneos nacionais e estrangeiros, abrindo novas vertentes musicais.
Mantida pela Fundação Cultural de Curitiba – FCC e administrada pelo Instituto Curitiba de Arte e Cultura – ICAC, a Camerata Antiqua possui uma trajetória de conquistas e sucessos que se explica pelo empenho de seus integrantes no contínuo aperfeiçoamento de conhecimentos e técnicas musicais, levando o grupo a se destacar nacionalmente pela qualidade e excelência de seu trabalho.
Além do prestígio conquistado, a Camerata Antiqua é também uma verdadeira escola, pois muitos de seus instrumentistas e coralistas realizam carreiras individuais, conquistando prêmios em concursos no Brasil e no exterior.

Programação

Data: Terça-feira, 30 de outubro, 10h30
Local: Hospital Pequeno Príncipe
Programa para público Infantojuvenil
Rua Desembargador Motta, 1.070 – Água Verde
Informações: (41) 3310-1253

Data: Quarta-feira, 31 de outubro, 20h
Local: Santuário São Francisco de Assis (Xaxim)
Endereço: Rua Francisco Derosso, 715 – Xaxim
Informações: (41) 3275-1213

Data: Segunda-feira, 5 de novembro, 10h30
Local: Instituto Paranaense de Cegos
Avenida Visconde de Guarapuava, 4.186 – Batel
Informações: (41) 3242-5487

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Tolstói, Mel Duarte, e Leminski no quinto dia da Flibi 2018


A programação da Flibi, a Festa Literária da Biblioteca Pública do Paraná, segue intensa nesta sexta-feira (26) com a participação, às 19h15, de Mel Duarte em mais uma edição do projeto Um Escritor na Biblioteca. A paulistana é escritora, poeta, produtora cultural e autora dos livros “Fragmentos Dispersos” (2013) e “Negra Nua Crua” (2016) - este foi traduzido para o espanhol e publicado este ano na Espanha. O bate-papo conta com tradução em Língua Brasileira de Sinais (Libras) e tem mediação do jornalista José Carlos Fernandes. Todas as atividades são gratuitas.
O escritor e tradutor Rubens Figueiredo faz palestra sobre “Guerra e Paz”, clássico do escritor russo Tolstói, às 16 horas na Arena BPP.
No mesmo espaço, às 11 horas, Rodrigo Garcia Lopes fala sobre a obra e a vida de Paulo Leminski (1944-1989); às 14 horas Lucas Mota e Otavio Linhares discutem os pontos de contato entre distopia e realidade e, às 18 horas, Luciano Chinda, professor da PUC-PR, analisa o panorama do romantismo na produção cultural do século XVIII e para além dele.
Janine Mathias é a atração desta sexta-feira do projeto Música na Biblioteca, às 17 horas, no hall térreo. Em espaços da Biblioteca, Kenni Rogers lê, às 10h30 com Giovana Rosa, e às 15h30 com Jaqueline Mancebo, trechos da obra de Jamil Snege (1939-2003), o autor homenageado da Flibi 2018.
Alyne Rocha apresenta o “Teatro Lambe-lambe: A Menina e o Mundo” às 12 horas no hall térreo e Adriana Tabalipa ministra o curso “Experimentação Gráfica”, das 9h às 11 horas, na Seção Infantil.
A partir das 15h, no auditório, acontece a exibição do filme “Gasparzinho”. Com exceção de sábado (27), a Biblioteca exibe filmes para o público infantil durante a Flibi, com entrada gratuita e sempre no mesmo horário e local.
Os autores também promovem sessões de autógrafos e suas obras estarão à venda no hall térreo da BPP. Às 10h, Rodrigo Garcia Lopes autografa várias obras, entre elas o romance “O Trovador”. Já às 15h, Otavio Linhares e Lucas Mota assinam, respectivamente, “O Cão Mentecapto” e “Boas Meninas Não Fazem Perguntas”.

A FLIBI - O diretor da BPP, Rogério Pereira, afirma que a Flibi resume em seis dias as atividades que a Biblioteca já realiza regularmente. “A Festa Literária é uma espécie de intensivo do que oferecemos ao público, contemplando diversas áreas e ampliando, ainda mais, o diálogo com a comunidade”, diz Pereira, lembrando que outras propostas, como projeção de filmes, também integram esta segunda edição da Flibi - toda a programação está disponível no site da Biblioteca.
O curador da Flibi, Marcio Renato dos Santos, diz que este ano foi possível aprimorar ainda mais a Festa Literária. “Ampliamos a programação, contemplando artistas, escritores, historiadores e jornalistas. Há diversas linguagens, de performance à música e teatro. Mas, evidentemente, a ficção e a poesia estão presentes neste evento que presta homenagem a um prosador e poeta, o Jamil Snege”, comenta Santos, que ainda acrescenta: “O ecletismo dá o tom desta edição da Flibi”.

Caixa Cultural recebe o show “Gero Camilo Canta Belchior”


O ator, poeta, dramaturgo, cantor e compositor Gero Camilo traz a Curitiba o show em que presta sua homenagem ao cantor cearense Belchior. Gero e a banda Caroço da Aurora apresentam o repertório do disco “Alucinação” e outros clássicos de Belchior na Caixa Cultural Curitiba.
Em quase 40 anos de carreira, e mais de 20 discos, Belchior revelou sentimentos e reflexões que embalaram gerações e ainda representam pensamentos contemporâneos sobre política e sociedade.  Gero Camilo cursou a Escola de Arte Dramática (EAD), na USP, tem livros publicados, passagens importantes pelo teatro e pelo cinema brasileiros, além de ter conquistado prêmios importantes. Com a participação no filme “Bicho de Sete Cabeças”, a primeira de muitas parcerias com Rodrigo Santoro, ele se tornou conhecido do grande público.

INCENTIVO À CULTURA - A Caixa investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da Caixa Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.
A Caixa Cultural Curitiba oferece, desde 2004, uma programação diversificada, com opções gratuitas ou a preços populares, estimulando a inclusão e a cidadania. O espaço, situado no centro da capital, conta com duas galerias, um teatro, uma sala de oficinas e tem 70 atrações previstas na programação de 2018.

Livre para todas as idades, as apresentações de “Gero Camilo Canta Belchior” acontecem quinta, sexta e sábado, às 20h. Os ingressos custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia, conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito Caixa). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura. Mais informações: 2118-5111.


Museu da Imagem e do Som do Paraná promove sessões especiais de filmes


O Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR) promove em sua sede nos dias 25 e 26 de outubro, exibições especiais de filmes. Na quinta (25) e na sexta-feira (26), às 19h, acontece a "Sessão Especial Mazzaropi", aberta para todo o público. Também no dia 26, às 15h, tem mais uma edição da "Sessão Sabedoria", voltada ao público da terceira idade. A entrada para os eventos é gratuita.
Conhecido pelas comédias de humor simples e com um jeito peculiar caipira, a "Sessão Especial Mazzaropi" exibe algumas das mais conhecidas obras do ator e cineasta Amácio Mazzaropi como o filme "O Jeca e a Freira",  exibido no dia 25  e "O Lamparina", com exibição em 26.
Já na sexta-feira (26), às 15h, o público da terceira idade vai conferir o filme "Garotas do Calendário", de Nigel Cole. Na trama, Chris (Helen Mirren) e Annie (Julie Walters) vivem em uma pequena cidade da Inglaterra. Após a morte do marido de Annie por leucemia as duas resolvem mobilizar um grupo de mulheres de 45 a 65 anos para arrecadar dinheiro para comprar um sofá novo para o hospital onde ele foi tratado. A ideia é posarem nuas para um calendário. A sessão permite a entrada do público em geral, maiores de 12 anos. Após a sessão, o público participa de um bate-papo conduzido pelo historiador José Luiz de Carvalho.

Mais informações: 3232-9113 ou www.mis.pr.gov.br.

Orquestra de Tunas apresenta "Clássicos do Rock" no Sesc da Esquina


Nesta sexta-feira (26), às 20h, o Sesc da Esquina recebe o show “Clássicos do Rock”, uma imersão da Orquestra Cordas do Iguaçu no universo do rock’n’roll. Os músicos farão releituras de bandas de rock internacionais como Led Zeppelin, Metallica, Guns n' Roses, AC/DC, Pink Floyd, Bon Jovi, Scorpions, Queen e Iron Maiden, entre outros.
A direção artística é de José Maria Magalhães, idealizador do Projeto Cordas do Iguaçu, com objetivo de apresentar releituras de músicas que marcaram o cenário do rock dos últimos 50 anos.
O projeto que forma a Orquestra Cordas teve seu início em 2011, na cidade de Tunas do Paraná, com o objetivo de proporcionar o desenvolvimento social e cultural dos integrantes, utilizando a música como elemento de transformação à cidadania. Em 2012, o programa foi ampliado para Pinhais atendendo Curitiba e região Metropolitana. Os 280 participantes têm acesso a aulas com os músicos e instrumentistas do Quarteto Iguaçu que também realizam apresentações de músicas clássicas, eruditas e populares brasileiras.

O Teatro do Sesc da Esquina está situado na rua Visconde do Rio Branco, 969. Os ingressos para esta apresentação da Orquestra de Tunas custam R$ 30,00; R$ 15,00 (meia) e R$ 10,00 (comerciários). Mais informações: 3304-2222 ou www.sescpr.com.br.

"Em Casa a Gente Conversa" traz Cassio Reis e Juliana Knust a Curitiba


O que acontece depois do “felizes para sempre” que encerra tantas narrativas sobre o amor? A comédia romântica "Em Casa a Gente Conversa", protagonizada pelo casal de atores Cassio Reis e Juliana Knust, é um passeio sobre os problemas da rotina no casamento com bom humor. A peça terá duas apresentações em Curitiba, no Teatro EBANX Regina Vogue (Shopping Estação), nos dias 27 (21h) e 28 (21h).
A história conta as aventuras e desencontros de um casal já em processo de separação, que revê a sua própria história durante os encontros para definir detalhes do divórcio, criando sequências de momentos hilários. Malu e Carlos Alberto, aos olhos de muitas pessoas, formam um casal perfeito, daqueles de comercial de margarina. Mas eles vivem na vida real e enfrentam todas as alegrias e agruras de um jovem casal. Com a maior sinceridade, abrem sua vida, cheia de humor, contrapontos e riqueza de detalhes - fica absolutamente impossível não se identificar.
Carlos Alberto é um homem dividido entre o desejo de ascender profissionalmente, a vontade de manter um casamento e o sonho de se manter eternamente livre. Já Malu é uma mulher que se desdobra entre carreira, casamento e a maternidade. No decorrer do espetáculo, eles falam com muito bom humor sobre assuntos pertinentes a qualquer casal: almoço em família, dia dos namorados, a vida sexual, TPM, o cotidiano da casa, a divisão de tarefas, as brigas, o balanço da relação e de amor.
A peça mostra através da ótica do humor, o abismo que separa o universo feminino do universo masculino e como os sonhos se constroem e se desfazem ao longo da vida e aborda questões universais no amor. O casal expõe suas questões com transparência. A identificação do público com eles é imediata.
Com patrocínio da Renner e Zurich Santander, "Em Casa a Gente Conversa" é protagonizada pelo casal de atores Juliana Knust e Cássio Reis, texto de Fernando Duarte e Tatá Lopes. Fernando é autor dos espetáculos, “Callas” e “Depois do Amor”, ambos com direção de Marília Pêra, “Além do Que os Nossos Olhos Registram”, protagonizado por Priscila Fantin, Luiza Tomé e Silvia Pfeifer. A direção artística é de Fernando Philbert que assinou a direção dos espetáculos “Em Nome do Jogo” e “O Escândalo de Philipe Dussaert”, ambos com Marcos Caruso, “O Topo da Montanha” com Lazaro Ramos e Taís Araújo, entre outros.

Indicada para maiores de 14 anos, a peça “Em Casa a Gente Conversa” tem ingressos que variam de R$ 28,00 (meia) a R$ 88,00 (inteira). A taxa administrativa de R$ 8,00 está incluída no valor. Mais informações: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

Alcione apresenta a turnê “Eu Sou a Marrom”, sábado, no Positivo


Neste sábado (27), às 21h15, a cantora Alcione apresenta o show da turnê “Eu Sou a Marrom” no Grande Auditório do Teatro Positivo. “Eu Sou a Marrom” faz parte do projeto de título homônimo - um show comemorativo pelos 45 anos de  carreira e 70 anos de vida da cantora maranhense. O show, inédito em Curitiba, estreou no Rio de Janeiro, e já passou por diversas cidades. A produção e realização é da RW7 Production & Entertainment.
Marrom apresenta os maiores sucessos de sua vitoriosa carreira. Alcione irá interpretar super hits como "Estranha Loucura", "Meu Ébano", "Meu Vício é Você", “Não Deixe o Samba Morrer", "Você me Vira a Cabeça" e "Gostoso Veneno", dentre os inúmeros sucessos que não podem faltar - de jeito nenhum - em seus espetáculos. São alguns dos "clássicos da Marrom", músicas que o público gosta de cantar, causam interação com as plateias, não podem ser sacadas do set list de suas apresentações.
Ainda este ano, Alcione irá gravar um DVD com seus hits mais emblemáticos, produto que fará parte do projeto "Eu Sou a Marrom", e que contará com diversos outros itens, como o lançamento de sua biografia, um longa-metragem e um musical inspirado em sua trajetória artística. 

Livre para todas as idades, a apresentação da cantora Alcione tem ingressos que variam de R$ 90,00 (meia) a R$ 450,00 (inteira) de acordo com o setor do teatro. A taxa administrativa de R$ 10,00 está incluída no valor. Mais informações: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

Artistas visuais lançam livro “Bordado Sobre Porcelana” no Solar do Barão


Neste sábado (27), às 15h, será lançado no Solar do Barão o livro “Bordaduras – Coisas de Alice”. A obra apresenta um suporte diferente para o bordado, até então não utilizado na arte contemporânea. Assinado pelas artistas visuais Giovana Casagrande e Leila Alberti, o material conta com colaborações de Marília Diaz, Tânia Bloomfield, Celaine Refosco e Walter Guerreiro.
O livro é resultado da exposição “Bordaduras – Coisas de Alice”, realizada em 2013. O projeto foi sucesso de crítica e público ao inaugurar um formato incomum no universo das artes plásticas, utilizando como ponto de partida o universo da personagem Alice, de Lewis Carroll. Juntas, Giovana e Leila criaram uma técnica inédita, a do bordado sobre porcelana, em um diálogo com dois suportes aparentemente distantes. Com a escolha e a desconstrução das técnicas do costurar, bordar, crochetar, tricotar e colar, as artistas abriram espaço para discutir a dicotomia entre arte e artesanato, e entre arte e produção industrial, trazendo à tona o movimento da arte têxtil.
Nós valorizamos e acreditamos na relevância do movimento da arte têxtil dentro das artes plásticas. Historicamente, o uso dos tecidos, fios e linhas foi visto como uma arte menor, menos criativa, e a nossa proposta é mostrar a relevância da materialidade têxtil, que no exterior encontra há anos espaço em grandes galerias e museus”, conta Giovana. O rompimento da técnica é a característica do projeto desenvolvido pelas artistas, constituído pelo imaginário de Giovana e Leila. Giovana aposta na gestualidade, o acaso, no ponto mais apertado. Já Leila utiliza o ponto mais aberto, a frouxidão, com o protagonismo do desenho e da pintura.
Nas porcelanas que encapsulamos não há ponto cruz, varicor, ponto atrás, caseado, anchor mouline. Não há também entremeio e bainhas abertas. Lá estão os nós, os ziguezagues, as laçadas espontâneas, o preenchimento do espaço com a sobreposição dos pontos e o bordado repuxado, utilizando as cores como na pintura”, diz Leila. No evento de lançamento, algumas peças da exposição também estarão expostas.

SOBRE BORDADURAS – O projeto “Bordaduras – Coisas de Alice” estreou no Museu Alfredo Andersen e na sequência, com a parceria de Cláudia Lara, foi um dos 25 trabalhos selecionados para o 66º Salão Paranaense, uma das mostras mais importantes do país. A inspiração veio do livro clássico “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, um texto repleto de encantamento e fantasia, que há mais de 100 anos serve de inspiração para artistas de todos os segmentos.
Durante 18 meses e 4 mil horas, Giovana Casagrande e Leila Alberti desenvolveram o projeto. Com experiências e exposições em outras cidades, encerram um ciclo de seis anos com o lançamento do livro sobre a exposição por meio da Lei do Mecenato,da Fundação Cultural de Curitiba e conta com o apoio da Opus Multipla e da Cartrom Embalagens.
O suporte escolhido foi a porcelana, com sua brancura asséptica, maculada pela profusão de cores dos fios de vários calibres. Com agulhas, bastidores, tesouras e fios, as artistas bordaram, tricotaram e crochetaram a porcelana, encapsulando os objetos que remetem ao universo de Alice, como bules, xícaras, vasos, bibelôs de gatos, coelhos, cachorros, corujas, elefantes, entre outros.
Com esse trabalho, a dupla criou novos sentidos para o bordado, ressignificando antigas manualidades dadas como femininas. Algumas obras receberam nomes alusivos ao universo de Carroll e também homenageiam grandes mulheres – outras “Alices” – como Sônia Delaunay, Efigênia Rolim, Marina Abramovic, Beatriz Milhazes e Lygia Clark.

Camerata Antiqua apresenta “Foudling Hospital Anthem”, obra histórica de Handel


O maestro gaúcho Diego Schuck Biasibetti chega à cidade para um concerto com a Camerata Antiqua no sábado (27), 18h30, na Capela Santa Maria. As apresentações trazem a obra “Foudling Hospital Anthem”, de George Frideric Handel. Solos da soprano Luciana Melamed, da mezzo Daniele Oliveira e do tenor Sidney Gomes completam a produção.
Pela primeira vez à frente do grupo, o maestro Biasibetti disse estar animado. “É um programa pelo qual tenho um apreço grande, por entender bem da época em que foi feito. São músicas barrocas, com uma mistura de linguagens clássicas de séculos diferentes”, comenta.
Reger a Camerata Antiqua pela primeira vez gera um pouco de ansiedade, segundo o maestro. “Aquele medinho sempre dá, a gente fica nervoso. Principalmente porque é a primeira vez que estou aqui, então é necessária uma pequena adaptação”, afirma.
Além da obra de destaque do programa, a composição “Concerto Grosso”, de Handel, também será executada. A obra “Opus Musicum Sonatarum Praestantissimarum”, de Johann Christoph Pezel, fecha a apresentação.

FOUDLING HOSPITAL ANTHEM - A obra que intitula o programa foi uma homenagem para a primeira instituição de caridade infantil do Reino Unido. O local foi também a primeira galeria de arte pública graças à filantropia criativa dos artistas William Hogarth, Handel e seus contemporâneos.
Os dois artistas eram pioneiros em seus respectivos campos de atuação e precisavam de plataformas para promover o trabalho. Em maio de 1749, Handel se ofereceu para realizar um concerto beneficente. O programa incluiu a primeira apresentação do “Anthem (Hino) Foundling Hospital” especialmente escrito por ele e que abre com um texto adaptado do Salmo 41, "Bem-aventurado é aquele que atende ao pobre", em um apelo claro ao público para apoiar o trabalho do hospital.

CONVIDADO - Diego Schuck Biasibetti é formado na Hochschule für Künste (Bremen, Alemanha) em violoncelo barroco, viola da gamba e regência coral. Como regente e solista, tem atuado com orquestras do sul do Brasil. Atualmente é violoncelo solista na Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e Unisinos-Anchieta, violoncelista e regente assistente do maestro Manfredo Schmiedt, na Orquestra Sinfônica da Universidade Caxias do Sul, e regente do Porto Alegre Consort.

Os ingressos para esta apresentação da Camerata Antiqua custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia).