sexta-feira, 31 de julho de 2015

Fundação Cultural recebe inscrições para oficina de editais do Cultura Viva

A Fundação Cultural de Curitiba está recebendo inscrições para a oficina de editais do Cultura Viva que acontecerá dia 6 de agosto, às 18h, no Teatro do Paiol.  A atividade pretende dar subsídios para a participação nos editais voltados à Política Nacional de Cultura Viva do Ministério da Cultura (MinC).
Serão R$ 13,428 milhões destinados à premiação de 210 iniciativas para indígenas; coletivos e entidades que atuem com a mídia livre produzindo conteúdos independentes em sons, imagens, vídeos, textos, etc; e redes culturais de diferentes expressões artísticas, identitárias ou temáticas.
Para participar é preciso enviar email para cursosfcc@fcc.curitiba.pr.gov.br com nome e número do CPF. As vagas são limitadas e a inscrição é por ordem de chegada da mensagem.

Sobre os editais

As inscrições para os editais Pontos de Mídia Livre, Pontos de Cultura Indígena e Cultura de Redes realizados pela Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural também já estão abertas.
Com o Edital de Pontos de Mídia Livre, o MinC reconhece que a relação entre cultura e comunicação é estratégica e tem crescido no Brasil de forma cada vez mais descentralizada. Do jornal de bairro à rádio comunitária, do carro de som às plataformas digitais, a transversalidade é uma das principais marcas do midialivrismo existente e atuante hoje no Brasil. Para esses grupos serão destinados R$ 5 milhões, de forma a contemplar 80 iniciativas.
O Edital de Pontos de Mídia Livre conta com a parceria da Secretaria do Audiovisual do MinC (SAv) e da Secretaria de Inclusão Digital do Ministério das Comunicações, que irá conceder 50 antenas de conexão à internet para iniciativas classificadas. O edital recebeu sugestões da sociedade civil em consulta pública, algumas contribuições foram incorporadas, como a ampliação do apoio para as iniciativas de comunicação em nível local, privilegiando a territorialização desta política. Confira: http://bit.ly/1Cg6bGK
Com o edital de Pontos de Cultura Indígena, o MinC sinaliza a prioridade da pauta dos povos indígenas nesta gestão e ressalta que a política cultural indigenista responde ainda ao desejo de conexão de algumas aldeias e culturas. Os grupos indígenas podem se inscrever de forma oral e audiovisual, enviando um vídeo ou um arquivo de voz descrevendo sua proposta, uma inovação que valoriza a tradição oral dos povos indígenas.
O Edital, realizado em parceria com a SAv e Funai, irá permitir o fomento direto a 70 comunidades e organizações indígenas com prêmios no valor de R$ 40 mil reais. O concurso visa reconhecer e apoiar atividades culturais dos povos indígenas, dando visibilidade às expressões culturais destes povos. Saiba se inscrever: http://bit.ly/1FYktqi
Inédito na política cultural do MinC, o Edital Cultura de Redes irá apoiar a organização em redes e as articulações entre os mais diversos segmentos da cultura brasileira. O objetivo é incentivar e valorizar as iniciativas culturais colaborativas que potencializam um conjunto de atores culturais a partir de seu caráter temático, identitário ou de colaboração artística e cultural. Fazer cultura em rede, atuar em rede, mobilizar e articular novas redes, rurais, urbanas, tradicionais ou contemporâneas é a proposta deste edital inovador. Serão premiadas 40 iniciativas, divididas em duas categorias, e cada iniciativa receberá R$ 50 mil. Outras 20 projetos serão fomentados para desenvolverem ações em rede. http://bit.ly/1MbdgIx
Os três editais adotam os novos instrumentos da Lei Cultura Viva. Além dos prêmios que serão destinados a coletivos culturais, as entidades selecionadas no Edital de Redes, na categoria de atuação regional/nacional, serão os primeiros a assinar o Termo de Compromisso Cultural, mecanismo que facilita a prestação de contas e o repasse de recursos.
A partir da inscrição nos editais, os interessados também poderão se autodeclarar Pontos de Cultura, sendo reconhecidos como tal caso classificados, mesmo que não sejam contemplados com o recurso.

Ary Toledo comemora 50 anos de carreira com show em Curitiba

Neste final de semana, nos dias 31 de julho, 1º e 2 de agosto, o humorista e piadista Ary Toledo, apresentará o espetáculo “Ary Toledo 5.0”. O artista acaba de voltar de uma turnê inédita pelo Japão, onde foi um sucesso de público e crítica. Durante o espetáculo “Ary Toledo 5.0”, que tem 1h30 de duração e é dividido em quatro etapas (Política, Sogra, Crianças e Raças), Ary Toledo celebra seus mais de 50 anos de carreira e vai além de suas peripécias inspiradas na criançada, aliado a sátira política atual, que é sempre um prato cheio para suas piadas hilariantes.
O espetáculo “Ary Toledo 5.0” será apresentado no Teatro Guairinha (rua XV de Novembro, 971) a partir das 21h, na sexta e no sábado; e das 19h, no domingo. Os ingressos custam R$ 70,00 (+ R$ 6,00 de taxa administrativa) e podem ser adquiridos nos pontos de venda do Disk Ingressos nos shoppings Palladium, Mueller e Estação; pelo telefone 3315-0808; e no portal www.diskingressos.com.br. Mais informações no site www.teatroguaira.pr.gov.br ou pelo telefone 3302-7900.

"Choro da Feirinha" recebe músicos convidados

A tradicional apresentação do Conjunto Choro e Seresta, na feira do Largo da Ordem, passa a ganhar reforços aos primeiros domingos do mês deste semestre com participação de importantes nomes da música curitibana. O projeto tem início neste próximo domingo (2), a partir das 10h, com o clarinetista e saxofonista Daniel Miranda.
Atuando há 42 anos, o Conjunto conhecido por “Choro da Feirinha” se afirmou no circuito cultural curitibano com a constante presença de amantes do gênero, músicos e turistas.
O convite a músicos curitibanos surgiu com base no Conjunto carioca Época de Ouro, explica Clayton Rodrigues, flautista do Conjunto Choro e Seresta, “a ideia é estimular e unir os ‘chorões’, como o grupo carioca faz. Na verdade, queremos estabelecer o que já acontece informalmente, e tornar a nossa apresentação semanal um ponto de encontro dos músicos da cidade”.
Outra novidade é que o repertório será adequado às características do convidado. O saxofonista e clarinetista Daniel Miranda, atua a cerca de 30 anos como músico e acompanhou o Conjunto em diversas apresentações, “Daniel tem um lindo trabalho com o Luís Americano, e com certeza vamos acrescentar bastante deste compositor em nosso repertório” conclui Clayton.
Miranda estudou música na Filarmônica Antoninense e Escola de Música e Belas Artes do Paraná, tocou ao lado de músicos e cantores como Zé da Velha e Silvério pontes, Roberto Sion, Carlos Malta, Vitor Santos, Humberto Araújo, Nelson Sargento, Tia Surica, Guilherme de Brito, Monarco da Portela, Tantinho da Mangueira. Atualmente compõe o grupo Os Curitibocas no Choro.

Choro e Seresta - O Conjunto Choro e Seresta, fundado em 1973 é considerado um dos grupos regionais mais tradicional e importante de Curitiba. O Conjunto é conhecido pelas suas apresentações na feira do largo da ordem que são, ao mesmo tempo, um núcleo de referência em Choro e um cartão postal da capital paranaense. O conjunto Choro e Seresta é formado por músicos que remontam 3 gerações de formação do grupo.

Neste domingo tem improviso e aulão de dança na Casa Hoffmann

No domingo (2), a Casa Hoffmann – Centro de Estudos do Movimento oferece duas atividades gratuitas abertas ao público. Das 11h às 12h30 acontece o aulão de dança “Mapa de criação: o corpo e os processos investigativos”, com a coreógrafa Rosemeri Rocha, e em seguida, das 12h30 às 14h, o Improviso de Dança e Música, promovido todo primeiro domingo do mês.
No aulão de dança, a proposta é focalizar o estudo da anatomia e da fisiologia como ponto de partida para investigar as possibilidades de mover o corpo. “Através da experiência da percepção/ação, cada um investiga, identifica e registra suas sensações, gerando possíveis organizações do movimento”, explica Rosemeri Rocha, que é doutora em Artes Cênicas, professora e pesquisadora da Faculdade de Artes do Paraná.
No programa “Improviso de Dança e Música” o objetivo é criar um ambiente de improvisação em dança e artes performativas, aberto à comunidade em geral, onde os participantes constroem as possibilidades expressivas e os limites corporais. Dessa forma, além de integrar um ambiente coletivo de criação e livre expressão, também exercitam sua cidadania no ato de dialogar, compor e habitar coletivamente o espaço.

A Casa Hoffmann está situada na rua Claudino dos Santos, 58, Largo da Ordem. Informações: 3321-3228. 

O melhor forró de Curitiba agora com Forró Maneiro

A partir deste sábado, 1° de agosto, o Espaço Cultural Calamengau convida os curitibanos do grupo Forró Maneiro para animar, juntamente com o tradicional Forró Calamengau, as noites de sábado, na capital paranaense. A festa tem início às 22h e os ingressos, somente a dinheiro, podem ser adquiridos diretamente na Sociedade Vasco da Gama, o Vasquinho, a R$ 20,00. Mais informações e reservas podem ser feitas pelos telefones 3078-7766 ou 9904-5129.
O Forró Maneiro é formado por quatro integrantes, Kiko Moura, zabumba e voz, Jullyano Mota, sanfona e voz, Dennison Luiz, triângulo e voz, e Luciano Pasinato, guitarra acústica. Para Kiko Moura, que é ex-integrante do Forró Calamengau (2006), essa é uma oportunidade única de unir a experiência do Ceará do Calamengau, com a juventude do Forró Maneiro, que está há cinco anos na estrada. “Desde 2001, quando pisei pela primeira vez no Espaço Calamengau me apaixonei pelo forró, pela zabumba (meu atual instrumento) e por essa banda maravilhosa. Estamos muito felizes com essa parceria”, diz Kiko.
O Calamengau está na estrada há 30 anos, durante esse período, vi muitas bandas se formarem, ganharem espaço e tornarem o ritmo nordestino cada vez mais popular em Curitiba. Por isso, seguimos nossa tradição que é apresentar o que há de melhor na cidade dos pinheirais e convidamos essa jovem e talentosa banda para dividir o palco com o Forró Calamengau e, assim, deixar nossos fins de semana ainda mais alegres. Sejam bem-vindos ao Vasquinho, nosso reduto do forró em Curitiba, Forró Maneiro”, destaca Maérlio Barbosa, o Ceará do Calamengau.

CALAMENGAU - Idealizado por Maérlio Barbosa, o Ceará, o Calamengau nasceu da saudade das raízes nordestinas, e m 1984. Aos poucos Ceará e o Calamengau foram se tornando a maior referência do forró no Sul do Brasil. A partir de 1998 o forró Calamengau passou a se apresentar na Sociedade Vasco da Gama e, dois anos mais tarde, o forró se tornou um espaço cultural, abrindo as portas para as mais diversas expressões culturais. Durante os 10 anos ininterruptos em que esteve no Vasquinho, o Calamengau recebeu grandes nomes da música, como Dominguinhos, Elza Soares, Geraldo Azevedo, Monobloco e Cordel do Fogo Encantado, entre outros, além de impulsionar muitos projetos curitibanos como o Clube dos Compositores e o maracatu. Após sete anos de projetos ambulantes, o Calamengau voltou à Sociedade Vasco da Gama, e a ser um espaço cultural, em fevereiro de 2015.  O Espaço Cultural Calamengau está situado à Rua Roberto Barrozo, 1190, no Alto São Franscisco, em Curitiba. 

Mercado Municipal terá festa de aniversário neste sábado

O Mercado Municipal completa 57 anos neste domingo (2) e a festa será realizada no sábado (1º), dia de seu maior movimento. Dois bolos de 30 quilos cada um e o tradicional “Parabéns”, a ser executado pela Banda Lyra, vão marcar a data.
O bolo será distribuído por quem passar pelo local, além de um suco saudável preparado pela equipe de educação alimentar da Secretaria Municipal do Abastecimento. Duas oficinas gastronômicas, de chocolates artesanais e de cafés, também estão entre as atividades em comemoração ao aniversário. 
O Mercado foi inaugurado em 2 de agosto de 1958 e ao longo das décadas se tornou o mais tradicional e importante centro de abastecimento e gastronomia de Curitiba. Os consumidores encontram desde frutas, verduras e legumes a produtos típicos e exóticos das mais diversas culturas. Com a ampliação de sua área e a instalação do Mercado de Orgânicos, o local passou a estimular uma nova tendência em alimentação, constituindo-se no primeiro no Brasil exclusivo para o gênero.
Além de ter se tornado sinônimo de centro de abastecimento, o Mercado Municipal é dedicado à difusão de práticas gastronômicas e de educação alimentar. A reforma do Mercado garantiu a instalação de um espaço de eventos, na entrada da Avenida Sete de Setembro, onde ocorrem aulas shows de chefes e oficinas de receitas rápidas e saudáveis ministradas pela equipe de nutricionistas da Secretaria do Abastecimento.
O mezanino do Mercado de Orgânicos abriga espaços para eventos, como o auditório utilizado para capacitação e treinamento de funcionários, comerciantes, produtores e outros públicos.  No mesmo local há uma sala de aula e uma cozinha gourmet, onde são realizados cursos mais elaborados e de maior duração para a divulgação de conceitos e práticas para uma alimentação mais saudável.  Atualmente, o Mercado conta com 193 empreendedores que geram cerca de mil empregos diretos. O local recebe em média 60 mil pessoas por semana.

Programação

10h • Atividade com a Unidade Móvel de Segurança Alimentar - Oficina de Sucos;

10h30 • Oficina gastronômica - Oficina de cafés – Le Caffés Especiais;

11h • Oficina gastronômica - Chocolates artesanais (D’ Fuhrmann);

11h30 • Execução do “Parabéns”, pela Banda Lyra, e corte do bolo.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Peça conta histórias das guerras do mundo na Caixa Cultural

A montagem do espetáculo teatral “As estrelas cadentes do meu céu são feitas de bombas do inimigo” é baseada em trechos de 12 relatos escritos por crianças e jovens durante diversos conflitos de guerra realizados ao longo da História, como “Diário de Anne Frank” e “Diários de Guerra - Vozes Roubadas”, de Zlata Filipovic e Melanie Challenger.
Sem obedecer a uma narrativa linear e cronológica, o texto retrata passagens ocorridas desde Primeira Guerra Mundial até a mais recente invasão do Iraque, passando pelo Vietnã, pela Intifada palestina e por vários momentos da Segunda Guerra Mundial. Esta última, por exemplo, é o cenário do caso da jovem russa que ingressou no front, em 1940, atrás de um grande amor.
"Essa foi a melhor forma que encontramos para contar as histórias. Mais do que uma cópia fiel dos fatos históricos, nos interessou a leitura artística que poderíamos fazer sobre esses fatos", explica o ator Pedro Guilherme, da Cia. Provisório-Definitivo. Com direção de Nelson Baskerville, o grupo encara o espetáculo como uma peça-documentário, fazendo recortes teatrais dos relatos das crianças e jovens – com direito a licenças poéticas, nas quais o rigor histórico cede lugar à liberdade de criação. Além dos textos inspirados nos diários, outros foram escritos pelos próprios atores e pelo diretor.
Ao dar identidade a anônimos em meio a grandes conflitos do século 20 e 21, a peça exibe um panorama documental das questões envolvidas em tempos de hostilidade.
As apresentações de “As estrelas cadentes do meu céu são feitas de bombas do inimigo” acontecem nestas quinta (30) e sexta-feiras (31), às 20h; sábado (1º) e domingo (2), às 18h e 20h. Os ingressos custam R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia, conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito Caixa). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura. A peça é recomendada para maiores de 14 anos. Mais informações: 2118-5111.


Uma semana fraca nos cinemas

Fraquinha, fraquinha a semana cinematográfica. Chegam às salas o drama “Adeus à Linguagem”; o suspense “Jogada de Mestre”; a comédia dramática “Magic Mike XXL” e o terror “Sobrenatural: A Origem”.
Continuam em exibição “Pixels”, “Homem-Formiga”, “Sentimentos Que Curam”, “Uma Nova Amiga”, “Cidades de Papel”, “Neruda-Fugitivo”, “Samba”, “O Exterminador de Futuro: Gênesis”, “Meu Passado Me Condena 2” e “Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros”. Para as crianças, “Carrossel - O Filme”, “Minions” e “Divertida Mente”. Nos clássicos da Cinemark retorna “O Clube dos Cinco”. E temos duas pré-estreias: os franceses “Que Mal Eu Fiz a Deus?” e “Sobre Amigos, Amor e Vinho”.

ADEUS À LINGUAGEM - Novo filme do mestre da Nouvelle Vague, Jean-Luc Godard, rodado e exibido exclusivamente em 3D. Estrelado por Heloise Godet, Zoe Bruneau, Kamel Abdelli, Richard Chevallier, Jessica Erickson e Christian Gregori, o filme foca no relacionamento homem-mulher. Como todos os filmes do diretor, muito diálogo e pouca compreensão. Vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Cannes 2014.
Indicação etária: 16 anos

JOGADA DE MESTRE - Suspense de Daniel Alfredson (da trilogia sueca “Millenniun”) baseado em fatos reais. Um dos homens mais ricos da Europa, dono de uma das cervejarias mais famosas do mundo, vive de forma pacata na tranquila Amsterdã. Enquanto isso na mesma cidade, um grupo amigos que vive de pequenos golpes decide arriscar tudo em um plano aparentemente perfeito. Jogada de Mestre conta a história real do planejamento, execução e o surpreendente desfecho do sequestro de Alfred “Freddy” Heineken, que resultou na maior quantia já paga por um resgate até então. O filme traz no elenco Sam Worthington, Anthony Hopkins, Jim Sturgess, Ryan Kwanten, Rob Fuller e Jemima West.
Indicação etária: 12 anos

MAGIC MIKE XXL - Comédia dramática do estreante Gregory Jacobs estrelada por Channing Tatum, Matt Bomer, Amber Heard, Elizabeth Banks, Joe Manganiello e Jada Pinkett Smith, entre outros. Três anos após Mike ter deixado a vida de stripper durante o auge de sua carreira, Magic Mike XXL reencontra os demais Reis de Tampa também prontos para jogar a toalha. Porém, eles querem fazer do jeito deles: incendiando a casa com uma última performance em Myrtle Beach e com a presença do lendário líder Magic Mike compartilhando os holofotes com eles. No caminho para o seu show final, com uma parada estratégica em Jacksonville e Savannah para rever os velhos conhecidos e fazer novas amizades, Mike e os Reis de Tampa aprendem alguns novos movimentos e sacodem o passado de maneira surpreendente.
Indicação etária: 16 anos

SOBRENATURAL: A ORIGEM - Terror dirigido por Leigh Whannell (“Jogos Mortais”) que também está no elenco ao lado de Dermot Mulroney, Stefanie Scott, Angus Sampson, Leigh Whannell e Lin Shaye. O filme se passa anos antes da assombração da família Lambert e da luta de Elise com os espíritos do além, em “Sobrenatural” e “Sobrenatural: Capítulo 2”. Nesta prequel, a adolescente aspirante a atriz, Quinn Brenner, sente que sua falecida mãe está tentando contactá-la e procura uma médium paranormal – Elise. Elise se sente compelida a proteger Quinn, mas uma tragédia do passado de Elise a faz relutar em usar suas habilidades. Pouco depois, um acidente estarrecedor deixa Quinn numa recuperação forçada em casa, enquanto seu pai viúvo, Sean, luta para manter a família unida. Quinn é, então, atacada em seu quarto por uma entidade sobrenatural maligna, e Sean implora a ajuda de Elise. Em crise em sua fé e sentido de propósitos, Elise invoca seus poderes para contactar espíritos e se vê diante do inimigo mais implacável que já conheceu: um demônio com um apetite insaciável por almas humanas.
Indicação etária: 14 anos

Drama indicado ao Oscar é a atração da Sessão Sabedoria

Nesta sexta-feira (31), às 15h, o Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR), com apoio do Conselho Estadual dos Direitos do Idoso (Cedi), promove a Sessão Sabedoria, no Auditório Brasílio Itiberê (anexo à Secretaria de Estado da Cultura). A entrada é franca e o filme é indicado para maiores de 12 anos.
Neste mês será apresentado o filme “Histórias Cruzadas”, de Tate Taylor, que mostra a vida de três mulheres de Jackson, pequena cidade americana no estado do Mississipi, nos anos 1960. Uma delas é Skeeter, uma garota da sociedade que retorna à cidade natal determinada a se tornar escritora.
Ela começa a entrevistar as mulheres negras, que trabalham como domésticas e babás, o que desagrada à sociedade. Apesar das críticas, elas continuam com o projeto, construindo uma improvável amizade.
Intensa, cheia de pungência, humor e esperança, “Histórias Cruzadas” é uma obra eterna e universal sobre a capacidade de criar mudanças. A produção foi indicada ao Oscar em três categorias, conquistando para Octavia Spencer o prêmio de melhor atriz coadjuvante.

SESSÃO SABEDORIA - A ideia do projeto, que é voltado para a terceira idade e aberto a toda a comunidade, é exibir e discutir filmes que abordam temas relevantes para a sociedade com inteligência e leveza. Ao final da sessão é feito um debate incentivando o público presente a se manifestar em relação à obra ou ao tema apresentados, fazendo uso de sua grande experiência de vida.
Todas as sessões são apresentadas e mediadas pela socióloga Rosângela Diniz Chubak.

O Auditório Brasílio Itiberê está situado na rua Cruz Machado, 138, Centro (anexo à Secretaria de Estado da Cultura). Mais informações: 3321-4729. 

Paiol será palco de encontro musical do Trio Quintina e convidados

O Teatro do Paiol será palco, nesta sexta-feira (31), às 20h, de um encontro musical do Trio Quintina, de Curitiba, com os músicos e compositores Richard Serraria, de Porto Alegre, e Kleber Albuquerque, de São Paulo. O show faz parte do projeto “República Musical Federativa do Brasil” – iniciativa do Selo Sete Sóis que visa a conexão musical entre artistas de diferentes partes do país.
A ideia principal do projeto é mostrar ao público o trabalho autoral produzido pelos compositores numa grande apresentação, em que cada grupo tem seu momento individual, mas faz também um intercâmbio no palco com os demais artistas, como uma “big jam session”. Outros shows acontecerão nas cidades dos convidados.

Sobre os artistas - O Trio Quintina surgiu em 1997, formado pelos músicos Gabriel Schwartz, Gustavo Schwartz e Fabiano Silveira, e estreou nos palcos de Curitiba em 1998. Com o propósito de fazer música brasileira, misturando ritmos e timbres e criando novas sonoridades, o trio já realizou turnês pelo Brasil e por países como Alemanha, Espanha, França, Holanda, Suíça, Itália, Inglaterra, Uruguai, Argentina e Chile. O nome “Trio Quintina” significa cinco elementos musicais (violão, guitarra, flauta, percussão e voz) executados por apenas três músicos.
Richard Serraria é músico, compositor, poeta, ex-professor universitário e agitador cultural com atuação na cena de Porto Alegre (RS) há mais de 15 anos. Suas composições são uma síntese dos ritmos afro com a música dos pampas.  O músico vem realizando shows pelo Brasil, Uruguai e Argentina.
Kleber Albuquerque é de Santo André (SP) e lançou seu primeiro CD em 1997. Suas canções autorais são influenciadas pelas leituras de Fernando Pessoa, Jorge Luis Borges e Gabriel Garcia Marques, e pelas audições de bandas como Legião Urbana e Queen. Pelo selo Sete Sóis, em 2006 gravou o seu quarto CD, “Desvio”, que traz uma parceria inédita com Zeca Baleiro. Seu trabalho mais recente é “10 coisas que eu podia dizer no lugar de eu te amo”, sua nova coleção de canções brasileiras.

Os ingressos para o show do Trio Quitina custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada, conforme legislação).

“Forró da Lua Cheia” desta sexta celebra a Lua Azul

Nesta sexta (31), acontece mais uma edição do já tradicional “Forró da Lua Cheia”, no Clube Dom Pedro II, em Curitiba. Desta vez, a temática do baile será a Lua Azul, termo usado para designar a segunda lua cheia em um mesmo mês, fato que ocorre a cada dois ou três anos devido a diferença no tempo de uma lua cheia até a próxima. Há quem acredite que este fenômeno gera uma grande força magnética e espiritual e a escola iDance, responsável pela organização do evento, vai investir nesta magia para proporcionar uma noite de muita diversão e harmonia ao público.
Garantindo a animação na pista de dança, os forrozeiros serão embalados pelo som ao vivo das bandas de forró curitibanas Xaxá do Xexé e Areia Branca, já conhecidas pelo público dos arrasta-pés na capital. A festa também irá comemorar o aniversário do dançarino Renato Zóia, professor de duas edições do quadro Dança dos Famosos, do programa Domingão do Faustão, como parceiro da apresentadora Ana Maria Braga e da atriz Lucélia Santos.
Com pouco mais de um ano, o “Forró da Lua Cheia”, que começou pequeno, para cerca de 60 alunos, no deck da panificadora Quintessência, reuniu 600 pessoas na edição de julho, no Clube Dom Pedro II, revelando o grande número de fãs do ritmo na capital.“No início, nosso público era formado basicamente por alunos da escola, mas o número de pessoas foi crescendo, investimos na apresentação de bandas super conceituadas na capital e aí as tribos se misturaram. Hoje, temos um público bem diversificado, mas que tem em comum a vontade de dançar um forró gostoso em um ambiente super alto astral, com a energia vibrante da lua cheia”, relata a professora de dança e DJ Sandra Ruthes, uma das organizadoras do evento e integrante do grupo Pró-Danças de Salão Curitiba.

O “Forró da Lua Cheia” desta sexta inicia às 22h. O Clube Dom Pedro II está situado na rua Brigadeiro Franco, 3662, Água Verde e os ingressos custam R$ 25,00 (antecipados) ou  R$ 30,00 (na hora, somente cheque ou dinheiro). Venda de ingressos/informações: 3015 -1742 ou www.idance.com.br.

Cadu Scheffer apresenta stand-up no Teatro Lala

O ator e comediante curitibano, Cadu Scheffer, fundador do grupo Tesão Piá, traz aos palcos seu novo show de comédia, intitulado “Cadu Scheffer In ConSerto”, que reúne o melhor de seu stand-up e seus personagens mais hilários. A temporada de apresentações estreia neste sábado, dia 1º de agosto, no Teatro Lala Schneider (rua Treze de Maio 629), às 21horas, e segue com sessões sempre aos sábados até o final do mês.
Com uma comédia refinada, Cadu flerta com vários tipos de humor durante 70 minutos de pura diversão. O público vai assistir a um engraçadíssimo stand-up que aborda temas de seu cotidiano, além de um desfile de personagens de tipos populares, tudo isso somado a uma grande pitada das manias curitibanas. Entre suas criações, está Osvaldo, vendedor da mais famosa câmera multiuso do Brasil: a Tac Pix. Mais do que uma paródia sobre o estilo de venda de produtos na TV, esse quadro mostra todas as funções ocultas dessa inofensiva câmera líder de vendas e devoluções. Tem ainda Alecson, um capiau do mato. Nascido em Astorga, se mudou para Curitiba para estudar, trabalhar e arranjar uma namorada. Alecson tem jeito muito peculiar de falar e entender o mundo ao seu redor. Ele conta um pouco da sua trajetória desde os tempos de roça em Astorga até os dias atuais, onde se dedica ao trabalho e tenta achar o grande amor da sua vida. Também tem o Tio Praga, aquele tiozão que todo mundo tem, que fala muito, dá conselhos, conta causos e revela coisas obscuras do passado de seus amigos e parentes. A história se passa na praia de Matinhos na presença da sua mulher (Edna) e do filho do seu amigo. Para completar, Cadu ataca de cantor e promete arrancar boas gargalhadas do público.

Cadu Scheffer - O ator e comediante Cadu Scheffer, fundador do grupo “Tesão Piá”, que faz vídeos para internet usando o sotaque curitibano como inspiração, se tornou um dos grandes destaques da cena artística paranaense. Há cinco anos, Cadu vem se dedicando ao stand-up comedy e já viajou por diversas cidades do país para apresentar seu humor típico curitibano. 
Scheffer resolveu estudar teatro depois de concluir a faculdade de Turismo, em 2003. No mesmo ano formou o grupo de teatro “Mama Djo Djo”, onde se especializou na criação de vídeos de comédia, juntamente com os amigos do teatro. Em 2005, tornou-se ator profissional e viajou para Portugal com a peça Queda Livre. Por duas vezes foi o melhor aluno do Teatro Lala Schneider e ganhou o prêmio Ademar Guerra de Melhor Ator em 2006. Entre as suas peças de destaque estão: Nossa Cidade, Dom Quixote, Manual Prático da Mulher Desesperada, O Gralha e Queda Livre.  Atuou na comédia Garagem do Rock, que ganhou o prêmio de melhor peça de 2009 pela Gazetinha. Também já dirigiu três espetáculos do grupo Mama DjoDjo. Em 2007 seu vídeo “De Volta para o Fusquinha”, ganhou Melhor Vídeo de Humor do Festival do Minuto, e em 2008, o vídeo a “Dança do Quadrado”, que contou com a direção do curitibano, foi eleito o Web Hit do Ano pela MTV.
Além disso, já protagonizou mais de trinta comerciais e participou de várias novelas, entre elas: Poder Paralelo, Bela a Feia, A Lei e o Crime e Amor e Revolução, no SBT.

Os ingressos já estão disponíveis e custam antecipados R$ 30,00 e R$15,00 (meia). Na hora, R$ 40,00 e R$ 20,00 (meia). Os bilhetes podem ser adquiridos através do site www.teatrolala.com.br e na bilheteria do teatro (de terça a quinta, das 15h às 21h; sextas e sábados, das 14h às 21h, e aos domingos e feriados, das 14h às 21h). Mais informações: 3232-4499 / 3232-8108 ou www.teatrolala.com.br.

A China de Ricardo Akam em exposição no Museu da Fotografia

O Museu da Fotografia Cidade de Curitiba recebe na quinta-feira (30), às 19h, a abertura da mostra "Todos Somos Chinas", de Ricardo Akam. A exposição reúne registros do fotógrafo feitos na China entre outubro e novembro de 2014.
Com a curadoria de Silvio Crisóstomo, "Todos Somos China" pretende aproximar o público de um país cada vez mais presente no nosso cotidiano. Segundo Akam sua ideia é mostrar uma China humana, carismática, colorida e familiar. Diferente da visão fria e fabril que, muitas vezes, toma conta do imaginário do Ocidente.

Sobre Akam - Tem 20 anos de experiência como fotógrafo nos segmentos da fotografia de casamentos, aniversários, book, eventos institucionais, arquitetura, publicidade e Photo Art. Idealizador do grupo “E Por Falar em Fotografia”, iniciou em 2012, a convite da Fundação Cultural de Curitiba, encontros quinzenais presenciais na galeria do Museu da Fotografia e também virtualmente pelo Facebook com o propósito de movimentar a produção de fotografia artística e cultural entre profissionais, amadores avançados e amantes da fotografia de Curitiba e região através de workshop, ciclos de palestras, leituras de portfólios, além de estudos para exposições com temas específicos.

O Museu da Fotografia Cidade de Curitiba está situado no Solar do Barão (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Centro) e a mostra "Todos Somos Chinas" fica em cartaz até o dia 20 de setembro, e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e 14h às 18h; nos sábados e domingos, das 12h às 18h. A entrada é franca.

QUEM É A ELITE PERVERSA DE LULA


“Lula acha que os governos do PT são criticados e que a popularidade de Dilma é de apenas 7% porque graças a ele, Lula, os pobres agora viajam de avião e comem em restaurantes.

“Sério, ele pensa isso.

“Sua frase, durante um discurso para 200 pessoas no ABC paulista, no fim de semana, foi a seguinte:

“ ‘Eu ando de saco cheio. Tudo que é conquista social incomoda uma elite perversa neste país’.

“É estranho. Jurava que a elite amava Lula. Afinal, vejamos:

“1. Nunca na história deste país, os banqueiros obtiveram tantos lucros como nos governos do PT;

“2. A elite política, representada por Maluf, Sarney, Calheiros, Temer, entre outros, sempre esteve fechada com Lula. Um de seus aliados, Fernando Collor, inclusive, pôde montar uma linda coleção de carros de playboy durante as administrações petistas;

“3. Empresários emergentes, como Eike Batista, emergiram de vez graças a generosos empréstimos do BNDES, mesmo que depois tenham submergido;

“4. Há vários amigos próximos de Lula morando atualmente no Paraná, todos com sobrenomes famosos, como Odebrecht, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez. Um deles até o apelidou, carinhosamente, de ‘Brahma’.

“Esses é que são a elite do Brasil. A elite do Brasil mora em tríplex, como Lula. Roda em Maseratis, como Collor. Tem contas na Suíça, como Odebrecht.

“Assalariados, como eu e a maioria dos meus amigos, não pertencemos à elite. Mas Lula quer dizer que sim. Quer dizer que eu, filho de professora primária e neto de sapateiro, que sustento minha família com meu salário, amigo de aposentados que ganham mil reais por mês, de funcionários públicos que pagam aluguel, de jornalistas que andam de ônibus, Lula quer dizer que eu e toda essa gente que sofre com o desconto do Imposto de Renda, com a falta de água e de luz a cada chuva, com as ruas esburacadas, com os assaltos, com a educação deficiente, com os hospitais lotados e com o preço do tomate, Lula quer dizer que nós somos da elite?

“Não somos, Lula. E tampouco nos importamos, eu e todas, absolutamente todas as pessoas que conheço, com pobres que frequentem restaurantes ou aeroportos. Nos importamos é com um país em que os assalariados pagam imposto para ter segurança, saúde e educação públicas e, ao mesmo tempo, pagam por segurança, saúde e educação privadas. Nos importamos é com um país que coloca presos em masmorras medievais, um país em que 60 mil pessoas são assassinadas e outras 50 mil morrem em acidentes de trânsito a cada ano, um país em que são gastos bilhões para construção de estádios em lugares onde praticamente não existe futebol, um país que tem sua principal estatal sangrada em bilhões de dólares pela navalha da corrupção. É com isso que nos importamos, nós, que você chama de elite perversa. Nós, elite perversa? Não. Elite perversa são seus amigos magnatas que o levam para passear de jato fretado, são seus intelectuais apaniguados, seus jornalistas financiados, seus donos de blogs comprados, seus parlamentares cooptados.


“Você, Lula, e os parasitas dos trabalhadores do Brasil, vocês são a elite perversa”.

Fruet sancionou lei que regula apresentações de artistas de rua

O prefeito Gustavo Fruet sancionou, nesta quarta-feira (29), a lei que regulamenta a apresentação de artistas de rua em Curitiba. O trâmite do projeto, aprovado na Câmara Municipal no mês passado, foi acompanhado pela Fundação Cultural de Curitiba, que já coordenava, através de seus Núcleos Regionais, as atuações dos artistas.
De acordo com o presidente da FCC, Marcos Cordiolli, a nova lei é uma reivindicação antiga dos artistas, que ajudaram a construí-la junto com o Legislativo e o Executivo. “Ela traz impactos importantes ao garantir a fruição cultural nas ruas da cidade e reforçar os direitos desse grande número de artistas que atuam em Curitiba”, afirma.
A regulamentação autoriza as apresentações culturais de artistas de rua em praças, anfiteatros, largos e vias públicas, com base em alguns requisitos: o profissional ou grupo artístico não poderá usar palcos ou qualquer estrutura sem prévia comunicação ou autorização da administração municipal e obedecer à Lei do Sossego (Lei Municipal 10.625/2002). As atividades também só poderão ser realizadas entre as 8h e 22h.
A lei também autoriza a comercialização de bens culturais durante as apresentações, desde que os produtos sejam de autoria do profissional ou grupo artístico.
O autor do projeto, vereador Mestre Pop, ressaltou que sua proposta visa dar dignidade ao trabalho desses profissionais. “Quando me mudei para Curitiba na década de 1990, trabalhei como artista de rua na rua XV [de Novembro], praça Rui Barbosa e outras praças. Fui hostilizado muitas vezes e discriminado, por ser negro, por praticar capoeira”, disse.

Circulando - Além de terem garantido o direito de se atuarem nas vias públicas, os artistas de rua já têm, há um ano, abertura em espaços da FCC. O projeto Circulando no TUC, no Kraide e no Cleon Jacques abre todo mês os palcos e a estrutura técnica do Teatro Universitário de Curitiba, na Galeria Júlio Moreira, no teatro Antônio Carlos Kraide, no Portão Cultural e no teatro Cleon Jacques, no Centro de Criatividade de Curitiba para que artistas inscritos se apresentem.
O coordenador de regionais da FCC, Crizanto Westphalen, que idealizou o Circulando e acompanhou o trâmite do projeto de lei no Legislativo, lembra que é importante para cidade reconhecer seus artistas de rua e ajudar na divulgação de seu trabalho. “Muitos destes artistas já são reconhecidos em suas comunidades, mas nunca tiveram a possibilidade de tocar em um palco com recursos técnicos”, explica.
A inscrição para o Circulando é feita na Regional mais próxima do artista. A proposta é voltada para artistas que já tenham certo reconhecimento na comunidade. Todas as apresentações são gratuitas. Os artistas terão acesso a todo equipamento técnico dos espaços. A FCC também faz a divulgação com filipetas, inserção no Guia Curitiba Apresenta e divulgação no site. Como contrapartida, os artistas poderão se apresentar em outro evento da FCC em sua Administração Regional de origem.

Confira o texto encaminhado para sanção:

Dispõe sobre a apresentação de artistas de rua nos logradouros públicos do Município de Curitiba.

Art. 1º Ficam permitidas manifestações culturais de artistas de rua no espaço público aberto, tais como praças, anfiteatros, largos e vias desde que observados, os seguintes requisito :

I – não utilizar palco ou qualquer outra estrutura sem a prévia comunicação ou autorização junto ao órgão competente do poder Executivo;

II – obedecer aos parâmetros de incomodidade e os níveis máximos de ruídos estabelecidos pela Lei nº 10.625, de 19 de dezembro de 2002;

III- ter início após às 08h00 (oito horas) e serem concluídos até às 22h00 (vinte e duas horas).

Art. 2º Durante a atividade ou evento, fica permitida a comercialização de bens culturais duráveis, desde que sejam de autoria do artista ou grupo de artistas de rua.

Art. 3º A permissão que trata o art. 1º desta Lei fica condicionada a observância das Leis em vigência, pelo Município.

Art. 4º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Incubadora Paraná Criativo inicia atividades em 10 cidades do Estado

Profissionais dos setores criativos que almejam se desenvolver, abrir ou expandir um negócio podem, a partir de agora, contar com o apoio da Incubadora Paraná Criativo, programa de promoção ao desenvolvimento sustentável a partir da Economia Criativa. Fruto de parceria entre a Secretaria de Estado da Cultura do Paraná (SEEC) e o Ministério da Cultura (MinC), a Incubadora promoverá uma série de atividades formativas em 10 cidades do Estado de agosto a outubro.
O Ciclo de Formação é composto de duas palestras abertas à comunidade e quatro oficinas. Os três primeiros ocorrem em Colombo, de 6 a 8 de agosto, em Londrina, de 11 a 13 de agosto, e em Maringá, de 18 a 20 de agosto. Para obter a certificação e formação completa de 20 horas é necessário fazer inscrição no órgão municipal de cultura de cada cidade. As vagas são limitadas.
O objetivo da Incubadora é implementar ações que visem a formação em gestão empresarial e a qualificação de profissionais e empreendedores do campo da Economia Criativa. Para tal, será realizada uma série de atividades formativas com metodologias adequadas à linguagem do público-alvo e às demandas dos setores criativos”, explica Luci Daros, coordenadora de Ação Cultural da SEEC.

Ciclo de Formação - As oficinas e palestras irão abordar o empreendedorismo criativo, ensinar sobre finanças, novas formas de financiamento, técnicas de apresentação de projeto para investidores e liderança. Serão aproximadamente 30 vagas por oficina em cada uma das 10 cidades selecionadas para receber o projeto: Colombo, Curitiba, Guarapuava, Jacarezinho, Londrina, Maringá, Pato Branco, Ponta Grossa, Telêmaco Borba e Toledo. As palestras serão abertas para toda a comunidade.
Estão previstos também três Encontros de Economia Criativa que serão realizados em Maringá, Londrina e Foz do Iguaçu, e contarão com a presença de palestrantes especialistas no assunto, de reconhecimento internacional.

Sede - A segunda etapa de atividades do programa prevê a implantação da sede da Incubadora no espaço que abrigava a Casa João Turin. A casa, que está localizada no centro histórico de Curitiba, passará por reforma para adequação ao projeto. O espaço será dedicado ao apoio de empreendimentos criativos, vai sediar eventos, oferecer cursos de formação e consultorias e funcionará também como primeiro espaço público de coworking na área de economia criativa no Estado. As atividades desenvolvidas na sede da incubadora também serão realizadas em diversos municípios do Estado.

Lançamento - O lançamento oficial da Incubadora Paraná Criativo, com a presença do Secretário de Estado da Cultura João Luiz Fiani, será no dia 21 de agosto, em Maringá, durante o I Encontro de Economia Criativa do Paraná, evento que integra as ações da Incubadora nesta 1ª etapa de atividades.
Mais informações: www.cultura.pr.gov.br.

Cinemateca apresenta atual produção do cinema chileno

Alguns dos melhores filmes chilenos produzidos nos últimos anos fazem parte da mostra que a Cinemateca de Curitiba apresenta a partir de quinta-feira até domingo (de 30 de julho a 2 de agosto). À exceção de “Machuca”, que estreou em 2005, os demais filmes da Mostra de Cinema Chileno são produções recentes, realizadas entre 2012 e 2015, selecionadas e premiadas nos principais festivais internacionais.
Na programação está o filme “No” (foto, 2012), drama político que se passa no final da ditadura de Augusto Pinochet, estrelado por Gael García Bernal e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Outra atração é “Glória”, que deu a Paulina García o Urso de Prata de Melhor Atriz no Festival de Berlim 2013.  Outra produção premiada, “Violeta foi para o céu” narra a trajetória da artista chilena Violeta Parra. O filme recebeu o prêmio do Grande Júri no Festival de Sundance (2012) e no mesmo ano foi indicado a Melhor Filme Iberoamericano no Festival de Goya (Espanha).
“Nostalgia da Luz” é uma das mais novas produções chilenas, concluída neste ano. O filme se passa no deserto do Atacama e foi selecionado para o 8º Festival de Cinema Latino-americano de São Paulo. Completa a mostra o filme infantil “31 Minutos”, cujos personagens são fantoches. As filmagens ocorreram em Santiago e também em praias do Rio de Janeiro.
A entrada é gratuita e os filmes são legendados. O filme infantil “31 Minutos” é dublado em português. Confira a programação:

30/07 - 19h30
MACHUCA (Machuca, 2004) - de Andrés Wood, com Matías Quer, Ernesto Malbran e Ariel Mateluna.
Chile, 1973. Gonzalo Infante é um garoto que estuda no Colégio Saint Patrick, o mais conceituado de Santiago. Gonzalo é de uma família de classe alta, morando em um bairro na área nobre da cidade com seus pais e sua irmã. O padre McEnroe, o diretor do colégio, inspirado no governo de Salvador Allende, decide implementar uma política que faça com que alunos pobres também estudem no Saint Patrick. Um deles é Pedro Machuca que, assim como os demais, fica deslocado em meio aos antigos alunos da escola. Provocado, Pedro é seguro por trás e um deles manda que Gonzalo o bata, que se recusa a fazer isto e ainda o ajuda a fugir. A partir de então nasce uma amizade entre os dois garotos, apesar do abismo de classe existente entre eles.
Legendado em português. Classificação: 12 anos

31/07 - 19h30
VIOLETA FOI PARA O CÉU (Violeta se fue a los cielos, 2012) - de Andrés Wood, com Francisca Gavilán, Christian Quevedo e Thomas Durand.
O filme conta a trajetória da compositora, artista e cantora chilena Violeta Parra. Esta biografia não segue uma linha cronológica, focando-se em diversos momentos da vida de Violeta, como sua infância na província de Ñuble, sua viagem pelo interior do Chile, as visitas à França e à Polônia, além do romance que ela teve com o suíço Gilbert Favre. O filme é inteiramente intercalado com trechos de uma entrevista que Violeta Parra deu à televisão em 1962.
Legendado em português. Classificação: 12 anos

01/08 - 17h
NO (No, 2012) - de René Saavedra, com Gael Garcia Bernal, Antonia Zegers e Alfredo Castro.
Chile, 1988. Pressionado pela comunidade internacional, o ditador Augusto Pinochet aceita realizar um plebiscito nacional para definir sua continuidade ou não no poder. Acreditando que esta seja uma oportunidade única de pôr fim à ditadura, os líderes do governo resolvem contratar René Saavedra para coordenar a campanha contra a manutenção de Pinochet. Com poucos recursos e sob a constante observação dos agentes do governo, Saavedra consegue criar uma campanha consistente que ajuda o país a se ver livre da opressão governamental.
Legendado em português. Classificação: 12 anos

01/08 - 19h30
GLORIA (Gloria, 2013) - de Sebastián Lelio, com Paulina García, Sergio Hernández e Marcial Tagle.
Santiago, Chile. Gloria é uma mulher solitária de 58 anos, cujos filhos já saíram de casa há algum tempo. Como se recusa a ficar sozinha em casa às noites, ela tem o hábito de ir a bailes dedicados à terceira idade. Lá ela conhece vários homens, com os quais costuma se empolgar e, tempos depois, se decepcionar. A situação muda quando conhece Rodolfo, um ex-oficial da Marinha que é sete anos mais velho do que ela. Gloria se apaixona por ele e passa até mesmo a aspirar um relacionamento permanente, mas logo é obrigada a confrontar alguns dos seus segredos mais obscuros.
Legendado em português. Classificação: 16 anos

02/08 - 16h
31 MINUTOS (31 minutos, 2012) - de Alvaro Díaz e Pedro Peirano, com Álvaro Díaz, Catalina Saavedra e Pedro Peirano.
Juanín atua como produtor no famoso noticiário de TV 31 Minutos. Ele é o último de sua espécie, uma raridade que desperta o interesse de uma malvada colecionadora de animais em extinção conhecida como Cachirula. Ela só precisa dele para completar sua exótica coleção. Contando com a ajuda de Tio Careca, ela dá início a uma caçada pelo último membro dos juanines. Juanín acaba raptado e levado até o fantástico castelo de vilão, onde são mantidos todos os animais de sua coleção. A atrapalhada equipe do programa 31 Minutos irá procurar pelo amigo e companheiro de trabalho, sem saber que acabarão enfrentando um verdadeiro exército.
Dublado em português. Classificação: Livre

02/08 - 18h
NOSTALGIA DA LUZ (Nostalgia de la luz, 2015), de Patrício Guzmán, com Patrício Guzmán, Gaspar Galaz e Lautaro Nuñez.  
No deserto de Atacama, astrônomos de todo o mundo se reúnem para observar as estrelas. Nessa região do Chile, a três mil metros de altitude, o calor do sol mantém intactos restos humanos. Ao mesmo tempo em que os astrônomos pesquisam as galáxias em busca de vida extraterrestre, mulheres procuram seus parentes na terra do deserto.
Legendado em português. Classificação: 12 anos

Museu Oscar Niemeyer realiza Domingo + Arte

O Museu Oscar Niemeyer (MON) realiza o Domingo + Arte no dia 2 de agosto, com entrada gratuita (10h às 18h) e programação especial.  Vale ressaltar que a retirada dos ingressos será feita na bilheteria do MON, até 17h30, porém, dependendo do fluxo de visitantes a distribuição poderá ser encerrada antecipadamente. A permanência no museu é até as 18 horas.
Pela manhã, às 11h, haverá uma visita mediada na mostra “Ukyio-e, obras-primas de Hokusai e Hiroshige – Coleção Museu de Arte Fuji de Tóquio”, na sala 10, com Denise Bandeira, artista, pesquisadora e professora no curso de Artes Visuais, Faculdade de Artes do Paraná/ UNESPAR. Este será o último dia que esta exposição estará em cartaz. São 70 xilogravuras do Japão vindas diretamente do Museu de Arte Fuji de Tóquio e que estão sendo exibidas no Brasil exclusivamente no Museu Oscar Niemeyer.
No período da tarde, às 14h, 15h15 e 16h30, haverá oficinas de modelagem com a Artista do Acervo, Carina Weidle. A técnica tratada será a modelagem em argila. Este projeto acontece todos os primeiros domingos do mês, quando um artista que tem obras no acervo do MON é convidado para realizar oficinas para o público geral. No espaço, além de alguns trabalhos à mostra, há um vídeo com uma entrevista exclusiva. A capacidade das oficinas é limitada a 60 pessoas por sessão e os ingressos para participar podem ser retirados no espaço da Ação Educativa (subsolo do museu).
No período da tarde também há visitas mediadas pela equipe de monitoria do museu. Às 14h, serão duas visitas simultâneas, nas salas "Ukiyo-e: Obras primas de Hokusai e Hiroshige - Coleção Museu de Arte Fuji de Tóquio" e "Audácia concreta: obras de Luiz Sacilotto". Já às 16h, as duas visitas, também ao mesmo tempo, nas mostras “Wifredo Lam: o espírito da criação” e “Crash – Regina Silveira”.

Último dia - Será também o último dia para visitar a exposição “Crash – Regina Silveira”, com 30 trabalhos da artista, como desenhos, vídeos, instalações e esculturas. A artista é considerada uma das mais importantes da atualidade. O público poderá ver também: “Wifredo Lam: o espírito da criação”, “União Soviética através da Câmera”, “Audácia Concreta – Obras de Luiz Sacilotto”, “Obras sob guarda do MON”, “Museu em Construção”, “Cones”, “Espaço Niemeyer”, “Pátio das Esculturas”, o projeto especial “Isolde Hötte, sua obra”, além de duas salas com cerca de 200 obras da coleção do museu chamada “Histórias do Acervo MON – em aberto”.

Sobre a Artista do Acervo - Carina Weidle nasceu no Rio Grande do Sul e é formada em pintura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP), MA pelo Goldsmiths College e doutorado pela USP. Atua como artista plástica nas áreas de escultura e instalação. Tem obras em acervos de museus e galerias como o Museu Oscar Niemeyer, Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC), Hayward Gallery, em Londres, entre outros.

Domingos pela manhã gratuitos a partir de setembro

A partir do primeiro domingo de setembro (6/9), o MON vai oferecer uma programação especial aos visitantes: todos os domingos pela manhã serão gratuitos, entre 10h e 13h. Além disso, haverá atividades programadas tanto pela manhã como à tarde, como oficinas, visitas mediadas e contação de histórias.
Com isso, o museu amplia o número de horas gratuitas ao público e oferece uma programação diferenciada toda semana. Além dos domingos, o MON continua com a Quinta + MON, quando o espaço fica aberto até as 20 horas, sendo que após as 18h a entrada é franca. Maiores de 60 anos e menores de 12 anos têm entrada gratuita no museu todos os dias de funcionamento (terça a domingo).

Mais informações: 3350-4400 ou www.museuoscarniemeyer.org.br

Banda Monreal faz show de lançamento do seu primeiro CD

A banda Monreal faz nesta quinta-feira (30), às 20h, no Teatro do Paiol, o show de lançamento do seu primeiro CD, “Um Por Todos”. Com dez músicas inéditas, o disco representa a consagração da banda curitibana no cenário do rock nacional. No ano passado, a Monreal foi a vencedora do festival de música autoral “Kaiser Geração Mundo Livre”, conquistando como prêmio a gravação do CD.  O ingresso para o show é colaborativo: que pagar mais que R$ 10,00 ganha o CD.
O ano de 2014 foi determinante para o crescimento da Monreal. Além da produção do primeiro disco, a banda gravou o primeiro clipe e integrou a lista dos 35 pré-selecionados para o Grammy Latino à categoria “Melhor Disco de Rock Brasileiro”. Como prêmio por vencer o “Kaiser Geração Mundo Livre”, a Monreal ganhou o direito de trabalhar com dois nomes conceituados no cenário musical nacional: o produtor musical Tom Saboia, que há mais de 20 anos vem produzindo e trabalhando com artistas como “O Rappa”, “NxZero”, entre outros, e Xandão, músico e guitarrista de “O Rappa”.
O álbum “Um Por Todos” conta com dez músicas inéditas. Foi gravado no estúdio Boom Sound Design, mixado por Tom Saboia e masterizado por Alex Wharton, no Abbey Road Studios. Integram a banda os músicos Gabriel Sill (voz e guitarra), Gilberto “Lobão” (guitarra), Marcelo “Cobaia” (baixo) e Vina (bateria). A banda vem expandindo seus horizontes musicais na expectativa de mostrar seu potencial como uma grande banda de rock nacional.

Soundcloud: https://soundcloud.com/monrealmusic

Tributo ao ABBA nesta sexta no Teatro Positivo

O espetáculo "The History - A Tribute Show to ABBA", retorna a Curitiba nesta sexta-feira (31), às 21 horas, no grande auditório do Teatro Positivo. O tributo, que vai embalar os fãs do grupo nos grandes clássicos da década de 70, foi criado para homenagear os músicos suecos que saíram das frias terras para se tornar uma lenda mundial da música pop. Pioneiro no Brasil, o show é feito pelo quarteto sorocabano formado por Mari Moraes (Agnetha Fältskog), Patrícia Andrade (Anni-Frid Lyngstad), Diego Sena (Björn Ulvaeus) e Jheff Saints (Benny Andersson). O evento comemorativo aos 40 anos de trajetória do ABBA será promovido pela João Tadeu Produções.
A turnê, que já rodou mais de 120 cidades no Brasil e América Latina, é baseada em uma compilação dos grandes clássicos e canções dos músicos que marcaram uma geração, como: “Dancing Queen”, “Mamma Mia”, “Chiquitita”, “The Winner Takes it All”, “Guimme! Guimme!”, entre outras.
A apresentação é fiel à original, pois, além de cantar e tocar, o grupo também se caracteriza por um figurino muito parecido aos integrantes originais. Um verdadeiro convite para o público voltar ao passado e relembrar os tempos da juventude, através das performances e coreografias, em um espetáculo de uma hora e meia que promete emocionar e envolver o público.
"The History - A Tribute Show to ABBA" conta com Davi Fernandes na direção musical e teclado, Glauco de Almeida no baixo, Rogério Dutra Jr. na bateria, Christian Coelho na guitarra e Jéssica Nascimento no backing vocal.

Livre para todas as idades, este tributo ao ABBA tem ingressos que variam de R$ 36,00 (meia) a R$ 136,00, de acordo com o setor do teatro.  Mais informações: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

Coral Infantojuvenil da BPP abre inscrições para o segundo semestre

O Coral Infantojuvenil da Biblioteca Pública do Paraná está com inscrições abertas para as atividades do segundo semestre. Os ensaios acontecem aos sábados, das 10h às 11h30, no Auditório Paul Garfunkel da BPP. Tanto os novos quanto os antigos participantes devem preencher a ficha de inscrição na Seção Infantil da Biblioteca, até 7 de agosto. As aulas são gratuitas.
Criado em 2013, o coral busca estimular o desenvolvimento de estudos musicais em crianças e adolescentes de 7 a 17 anos - com ou sem conhecimento prévio em técnica vocal. No final do semestre, o grupo se apresenta na própria BPP. A coordenação do projeto é das professoras Júlia Saggin (pianista) e Paula Harada (violinista).
Segundo Paula, os alunos não aprendem apenas técnicas, mas também o contexto em que as músicas trabalhadas nas aulas foram compostas e sua relação com a literatura. “A gente trabalha sabendo que todo mundo pode aprender a cantar”, afirma a violinista.

Mais informações: 3221-4974.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Oficina sobre Shakespeare com Dominique Jambert no Cena Hum

A Ave Lola Espaço de Criação promove, de 31 de julho a 2 de agosto, das 14h às 18h, no Cena Hum, a oficina sobre Shakespeare com Dominique Jambert, integrante do Théâtre du Soleil. O workshop de Dominique abordará os trechos de "Noite de Reis" (Twelfth Night), de William Shakespeare, explorará o método o Théâtre du Soleil, no qual cada um dá sua interpretação de texto para chegar a uma construção coletiva para a peça final.
Atriz há 24 anos, Dominique Jambert integrou a trupe do Théâtre du Soleil em 1997, onde descobriu as formas teatrais da Ásia, e se formou com mestres nas danças do Tibet, do Sri-Lanka, da Coreia, nos teatros Nô e Kyogen, nos tambores coreanos, nas danças europeias e no canto contemporâneo.
Nós trabalharemos com figurinos, música e talvez também com objetos de cena. O trabalho é acessível a todos, atores profissionais ou estudantes. Não é necessário decorar textos com antecedência, mas aconselhamos a (re)leitura da peça antes da oficina”, explica Dominique. Ela pede que os inscritos levem para a oficina uma roupa de trabalho neutra, em preto ou branco, e uma camisa branca, se possível.

O Cena Hum está situado na rua Senador Xavier da Silva, 166, São Francisco. Mais informações: 3333-0975 / 3016-0975.