segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Museu Alfredo Andersen recebe nova exposição fotográfica

Nesta terça-feira (30), às 18h, o Museu Alfredo Andersen abre a mostra “Oceano Entre Terras: Convergência e Hibridação”, com obras dos fotógrafos Adam Lipinski e Hermes de la Torre. A entrada é gratuita.
A mostra traz 50 fotografias que refletem diferentes formas de ver o mundo, retratando espaços que poderiam estar nos dois lados do Oceano Atlântico, seja na Europa ou na América Latina. A exposição tem curadoria de Elena Barcellos e Oscar Dominguez Nuñez e permanece no MAA até 1º de abril.
A promoção da mostra é fruto da colaboração entre o Museu Alfredo Andersen, a Embaixada da Espanha no Brasil, o Instituto Cervantes - Curitiba em parceria com a Bienal Internacional de Curitiba.

A exposição “Oceano Entre Terras: Convergência e Hibridação” pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9h às 18h; sábado, domingo e feriado das 10h às 16h. Mais informações: 3222-8262 ou 3323-5148.

Biblioteca Pública exibe performances da Bienal Internacional de Curitiba

A Biblioteca Pública do Paraná recebe, nos dias 1.º e 2 de fevereiro, a performance “Repetidamente Repetente”, da artista Érica Stórer. Evento da Bienal Internacional de Curitiba, cada apresentação tem quatro horas, com início às 8h30 e previsão de término às 12h30. No dia 1.º, a atividade artística acontece no Hall Térreo, e no dia 2, na Sala de Literatura. A entrada é gratuita.
Na performance, a artista Érica Stórer permanece sentada em uma cadeira e mesa de estilo universitário, e sobre topo da mesa é construída uma torre de tijolos de um metro. Na sequência, Érica coloca a cabeça dentro de um orifício da estrutura de tijolos e se mantém imóvel. Após a última apresentação, o material utilizado na performance fica em exposição na Biblioteca até 25 de fevereiro.

A BIENAL - A Bienal de Curitiba é reconhecida como o maior evento de arte contemporânea da América do Sul e um dos principais eventos do circuito mundial de arte. Organizada pelo Instituto Paranaense de Arte, tem parceria com a Secretaria de Estado da Cultura, o Governo do Paraná, a Fundação Cultural de Curitiba e conta com o apoio do Ministério da Cultura do Governo Federal.
Mais informações: 3221-4974.

Dia do Quadrinho tem debate na Gibiteca sobre representatividade feminina

A Gibiteca de Curitiba promove nesta terça-feira (30), às 19h, um debate sobre a representatividade feminina nos quadrinhos e o lançamento da HQ “A Samurai - Primeira Batalha”, produzida por cinco desenhistas. A programação comemora o Dia do Quadrinho Nacional (30 de janeiro) e tem entrada franca.
O debate reúne desenhistas para falar sobre a produção e os desafios das mulheres que produzem quadrinhos. Participam da mesa: Raphaela Corsi (Revista Capitolina/A revolução das narrativas feministas nas histórias em quadrinhos), Márcia Macedo d´Haese (Smilinguido, Mig & Meg), Pryscila Vieira (Amelie, Uma Mulher de Verdade), Celina Pacheco (Calafrio/Mestres do Terror), Mylle Silva (A Samurai), Bianca Pinheiro (Mônica Força, Dora, Bear), Ma Matiazzi (Morte Branca/Loira Fantasma de Curitiba) e Amanda Barros (Ursereia).
A publicação “A Samurai - Primeira Batalha” foi idealizada por Mylle Silva, roteirista de HQ que convidou cinco quadrinistas, todas mulheres, que contam a história sob o olhar feminino. São elas Renata Nolasco, Mary Cagnin, Chairim Arrais, Má Matiazi e Jéssica Lang. Cada artista desenhou cerca de dez páginas da história.
“A Samurai” é Michiko, uma jovem que foi vendida ainda bebê para o okiya (a casa das gueixas) para ser treinada como uma delas. No entanto, seu maior sonho é encontrar a verdadeira família e, para realizá-lo, ela decide quebrar as regras da sociedade japonesa, estratificada e machista, para tornar-se samurai. Nesta terceira HQ da personagem, a adolescente e inexperiente Michiko ingressa no exército do daimyou (senhor feudal) Toyotomi. Antes mesmo que pudesse refletir sobre como agir, a samurai iniciante é colocada em uma arriscada batalha que traz consequências irreversíveis para a sua vida.

Casa da Leitura Miguel de Cervantes recebe o escritor André Gravatá

A Casa da Leitura Miguel de Cervantes (Praça da Espanha) recebe nesta terça-feira (30), às 19h, o escritor paulista André Gravatá. Ele fará o lançamento do livro de poemas “Inadiável”. Publicado pela Editora 7 Letras, a obra reúne poesias que, nas entrelinhas, perguntam: quão infinito é o encontro entre duas pessoas debaixo de um toldo, esperando a chuva passar? O que é inadiável hoje?
A leveza dos versos de André Gravatá se faz presente por todos os cantos de "Inadiável", obra em que tudo pode ser matéria-prima poética: um velho atlas, uma ligação por engano, um peixe de aquário – mas também a contagem do tempo, o primeiro contato entre índio e colonizador, uma ida à feira no fim de semana.
Gravatá consegue transitar pelos mais diversos temas sem perder seu estilo e sua originalidade. É também coautor dos livros “Volta ao Mundo em 13 Escolas” e “Mistérios da Educação”. É um dos co-fundadores da Virada Educação, evento criado em 2014 que já mobilizou milhares de pessoas por todo o Brasil.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Candidato ao Oscar, “The Post: A Guerra Secreta” é o destaque entre as estreias cinematográficas

Com duas indicações ao Oscar - melhor filme e atriz -, o novo filme de Steven Spielberg se destaca entre as estreias nos cinemas curitibanos. Ao lado dele a comédia “Encolhi a Professora”; os dramas “Lou” e “Sem Fôlego”; o ficção “Maze Runner: A Cura Mortal” e a animação nacional “Peixonauta: O Filme”.
Continuam em cartaz boas opções como "Jumanji: Bem-Vindo à Selva", "O Rei do Show", "O Destino de uma Nação", "Extraordinário", "Uma Verdade Mais Inconveniente", "O Jovem Karl Marx", "Roda Gigante", "Assassinato no Expresso do Oriente", "Saudade" e "Me Chame Pelo Seu Nome".
Para as crianças, as animações "O Touro Ferdinando" e "Viva - A Vida é Uma Festa".
E uma pré: o drama "Todo o Dinheiro do Mundo", de Ridley Scott.

ENCOLHI A PROFESSORA - Comédia germano-austríaca dirigida por Sven Unterwaldt Jr. (“Os 7 Anões”) e estrelada por Anja Kling, Oskar Keymer, Axel Stein, Justus von Dohnányi, Lina Hüesker e Eloi Christ. Mudar de escola já é complicado, imagina ter que se enturmar para fazer novos amigos e por acidente ainda transforma sua professora em uma pessoa de 17 centímetros? Isso acontece com um garoto chamado Felix, que tem o sonho de ser piloto de avião e junto com seus novos amigos, vão viver várias aventuras para salvar a escola de ser fechada e descobrir como trazer a pequena professora, a rabugenta sra Schimit, de volta ao seu tamanho normal.
Classificação etária: Livre

LOU - Drama biográfico germano-suiço dirigido pela estreante alemã Cordula Kablitz-Post e com Katharina Lorenz, Nicole Heesters e Liv Lisa Fries à frente do elenco. A escritora e psicanalista Lou Andreas-Salomé decide reescrever suas memórias aos 72 anos. Ela relembra sua juventude em meio à comunidade alemã de São Petersburgo. Desde criança, sonhava em ser intelectual e estava determinada a nunca se casar ou ter filhos. Além de trabalhar com nomes famosos, ela escreve sobre os relacionamentos conturbados com Nietzsche e Freud, além da paixão por Rilke e conflitos entre autonomia e intimidade, junto com o desejo de viver sua liberdade.
Classificação etária: 16 anos

MAZE RUNNER: A CURA MORTAL - Wes Ball - responsável pelos dois filmes anteriores da série “Maze Runner” - dirige esta ficção com muita ação que encerra a saga. Thomas lidera seu grupo de Clareanos em fuga em sua missão final e mais perigosa até então. Para salvar seus amigos, eles devem invadir a lendária Última Cidade, um labirinto controlado pela CRUEL que pode vir a ser o labirinto mais mortal de todos. Qualquer um que o complete vivo, receberá respostas às perguntas que os Clareanos têm feito desde que chegaram ao labirinto. Katherine McNamara, Dylan O’Brien, Kaya Scodelario, Nathalie Emmanuel, Thomas Brodie-Sangster, Rosa Salazar e Giancarlo Esposito estão no elenco.
Classificação etária: 12 anos

PEIXONAUTA: O FILME - Animação nacional dirigida pelo trio Célia Catunda, Kiko Mistrorigo e Rodrigo Eba. Peixonauta, Marina e Zico saem do Parque em busca do Dr. Jardim e dos primos Pedro e Juca, mas ao chegarem à cidade grande encontram tudo vazio. Após investigarem melhor, percebem que as pessoas não sumiram, mas sim encolheram. Intrigados e correndo contra o tempo, Peixonauta e seus amigos precisam desvendar a causa do fenômeno e salvar a população do desaparecimento completo.
Classificação etária: Livre

SEM FÔLEGO - Drama dirigido por Todd Haynes (“Carol”) baseado no livro homônimo de Brian Selznick e estrelado por Julianne Moore, Oakes Fegley, Millicent Simmonds, Michelle Williams, Jaden Michael, Cory Michael Smith e Tom Noonan. Gunlint, Minnesota, 1977. Ao atender um telefonema, o garoto Ben é atingido pelo reflexo de um raio, que caiu bem em sua casa. Esta situação faz com que seja levado a um hospital em Nova York, onde descobre que não consegue mais ouvir um som sequer. Em 1927, a jovem surda Rose foge de sua casa em Nova York para encontrar sua mãe, a consagrada atriz Lillian Mayhew. A vida destes dois garotos que não conseguem mais ouvir está interligada a partir de um livro de curiosidades, que os leva ao Museu de História Natura
Classificação etária: 10 anos

THE POST: A GUERRA SECRETA - Drama biográfico assinado por Steven Spielberg (“Ponte dos Espiões”) com os astros Tom Hanks e Meryl Streep à frente do elenco. A produção recebeu duas indicações ao Oscar: melhor filme e melhor atriz (Meryl Streep). Em 1971, Ben Bradlee e Kat Graham, editores do jornal The Washington Post, recebem e publicam um documento ultrassecreto de 14 mil páginas contendo informações militares sobre as ações dos EUA durante a Guerra do Vietnã. O material não só comprometeu a imagem do governo americano, como também desacreditou o combate militar. Stark Sands, Bob Odenkirk, Tracy Letts, Bradley Whitford, Bruce Greenwood, Matthew Rhys, Alison Brie, Carrie Coon, Jesse Plemons, David Cross e Zach Woods completam o cast
Classificação etária: 12 anos
Veja o trailer 

Dez locais para curtir Curitiba durante a 35ª Oficina de Música

Durante os dias 27 de janeiro a 8 de fevereiro Curitiba se transformará na capital da música do Brasil. A 35ª edição da Oficina de Música vai movimentar a cidade inteira. São esperados mais de 1.300 alunos de todo o país. A oficina também terá estrangeiros, vindos da Argentina, Paraguai, Bolívia, Holanda, Alemanha, Reino Unido, Espanha e Lituânia.
Serão 96 cursos de música erudita e popular brasileira, com aproximadamente 125 eventos, entre concertos, palestras, feiras, workshops, oficina verde, além do “circuito off” em 13 bares da cidade. Veja toda a programação.
Além de todo o repertório musical diversificado, seguem abaixo algumas dicas para aproveitar a cidade durante a Oficina de Música.

Memorial de Curitiba

No Memorial de Curitiba vai ter samba e música erudita distribuídos em oito dias de programação. O espaço fica no meio do Centro Histórico, próximo das igrejas mais antigas da cidade – Igreja da Ordem e Igreja do Rosário. Aos domingos, o local recebe o Pavilhão Étnico. No dia 28 de janeiro, a Escola de Samba Mocidade Azul se apresenta às 12h.
No dia 4 de fevereiro é a vez da Escola de Samba Enamorados, no mesmo horário. Ao lado, o Palacete Wolf (Praça Garibaldi, nº 7) tem um Posto de Informação ao Turista, com várias informações, dicas e roteiros.

Teatro Guaíra

O Centro Cultural Teatro Guaíra vai ter diversos dias de programação, sendo 12 no Guairão e 14 no Guairinha. O teatro é um dos mais tradicionais do Brasil e um dos marcos da arquitetura modernista no Paraná, valendo, por si só, uma visita.
Do outro lado da Praça Santos Andrade está o prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (agendamentos pelo telefone 3360-5000). A uma quadra dali está o Passeio Público, o mais antigo parque municipal de Curitiba, inaugurado em 1886. Fica aberto de terça-feira a domingo, das 6h às 20h.

Capela Santa Maria

A Capela Santa Maria (foto) vai receber diversos concertos, recitais e apresentações musicais durante a Oficina Musical. Ali também acontecem a Oficina Verde e a Feira do Vinil. Localizada no Centro da cidade, a capela em estilo neoclássico foi construída pela Congregação Marista, em 1939. É hoje a sede da Camerata Antiqua de Curitiba, grupo de coro e orquestra fundado em 1974 e mantido pela Prefeitura de Curitiba. Após participar dos eventos na capela, aproveite para passear pelo calçadão da Rua XV de Novembro, também conhecida como Rua das Flores.

Teatro do Paiol

O antigo paiol de pólvora, transformado em teatro em 1972, é um símbolo cultural e histórico de Curitiba. O espaço, que mantém as características originais da edificação, com a configuração de construção romana em forma circular, abriga importantes espetáculos de música e teatro.
Ao lado do teatro, uma ciclovia leva ao Centro e para o Centro Cívico, bairro que reúne os prédios públicos do estado, marcante por sua concepção urbanística. Pedalando um pouco mais, chega-se ao Bosque João Paulo II e, mais a frente, ao Parque São Lourenço. O Teatro do Paiol também fica próximo do Jardim Botânico, cartão-postal de Curitiba.

Bicicletando na Oficina

Um passeio ciclístico musical é a proposta do Bicicletando na Oficina, organizado com o Ciclo Iguaçu – Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu. O passeio sairá da Praça de Bolso do Ciclista às 16h no dia 3 de fevereiro (sábado) e passará pelo Bosque do Papa em direção ao Parque São Lourenço, onde haverá shows musicais.
Adultos e crianças podem participar do passeio, que será acompanhado por agentes da Setran – Secretaria Municipal de Trânsito. Os ciclistas terão música o tempo todo, já que duas rikshas levarão instrumentistas para tocar durante o trajeto.

Linha Turismo

No próximo domingo (28), quem pegar o ônibus da Linha Turismo, que sai às 15h da Praça Tiradentes, poderá apreciar o repertório de música celta do grupo Gaiteiros de Lume. O grupo tocará durante o trajeto até o Memorial Ucraniano, no Parque Tingui, e depois fará um show especial no palco que estará montado no local. Com a aquisição da cartela com cinco tíquetes, no valor de R$ 45,00, é permitido desembarcar em quatro dos atrativos turísticos de sua preferência.

Parque Tanguá

Um passeio musical de motociclistas está programado para o dia 4 de fevereiro (domingo), saindo da Capela Santa Maria em direção ao Parque Tanguá. A ideia é que os músicos peguem carona com os motoqueiros até o parque, onde haverá apresentação da Banda Sinfônica da 35ª Oficina de Música. A apresentação terá um repertório bem popular, com clássicos do rock e da MPB, segundo o maestro Edivaldo Chiquini.

Unilivre

No dia 4 de fevereiro (domingo), na Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre ) haverá shows, a partir das 15h, dos grupos Clan Mac Norse, de música nórdica, e Gargul, de música neomedieval. A universidade está no Bosque Zaninelli, que tem como atrações a mata nativa e o ar puro.

Bosque Alemão

No Oratório de Bach, no Bosque Alemão, um recital de cravo e violino com Fernando Cordella e Emmanuele Baldini. A apresentação será no dia 4 de fevereiro (domingo) às 15h.
O bosque conta com elementos relacionados à cultura germânica, uma homenagem do prefeito Rafael Greca e da cidade de Curitiba à etnia que aqui se estabeleceu no século 19, a partir de 1833. Além do oratório, a Torre dos Filósofos, uma torre com 15 metros permite visualizar o bosque.
No meio do percurso, que conta a história de "João e Maria" dos irmãos Grimm através de painéis de azulejo, situa-se uma biblioteca denominada Casa da Bruxa (ou Casa de Contos), que é um espaço reservado para desenvolver o interesse pela leitura no público infantil. Ao final da trilha, chega-se ao pórtico que reconstitui o frontão da Casa Milla, um dos principais exemplares da arquitetura da imigração alemã.

Sociedade Thalia

O belo edifício, declarado de interesse histórico pelo município, marcou a vida cultural da capital com grandes bailes e imperdíveis carnavais dos anos 1950 a 1980 e o inesquecível Balé Thalia, conduzidos pelos talentos de Tadeu Morozowicz e sua filha Milena. O local vai abrigar o Baile da Sociedade Thalia, no dia 3 de fevereiro (sábado). A rua onde está a sociedade, a Comendador Araújo, é uma das mais bonitas da cidade. Seguindo pela rua chega-se à Avenida do Batel, um dos polos da vida noturna de Curitiba.

Bloco Garibaldis e Sacis sai neste domingo na Marechal Deodoro

O bloco Garibaldis e Sacis convida os foliões para festejar o Carnaval 2018 neste domingo (28), das 15h às 19h, na Avenida Marechal Deodoro, no Centro. A festa faz parte dos eventos pré-carnavalescos organizados pela Prefeitura e Fundação Cultural de Curitiba e é destinada ao público de todas as idades. 
O trecho da Marechal Deodoro entre a Rua Barão do Rio Branco e a Avenida Marechal Floriano estará fechado para a passagem do bloco. A área delimitada terá a segurança garantida pela Polícia Militar e empresa especializada. No local, não será permitido o ingresso com garrafas e outros objetos de vidro.
Para que tudo transcorra com tranqüilidade, os participantes devem estar atentos às recomendações do Guia do Folião, elaborado pela FCC. As principais dicas são: deixar o carro em casa e utilizar preferencialmente o transporte coletivo; vestir roupas e fantasias leves, arejadas e confortáveis; não esquecer do filtro solar; ingerir bebidas alcoólicas com moderação e beber muita água; cuidar do celular e evitar o uso de objetos como joias e relógios caros.
O guia também dá dicas de comportamento para garantir o respeito entre os foliões. A recomendação é se afastar e não revidar atitudes daqueles que não estão na mesma sintonia. Acesse o Guia do Folião aqui.

Programação

PRÉ-CARNAVAL 2018

Garibaldis e Sacis na Marechal Deodoro
28 de janeiro, das 15h às 19h
Rua Marechal Deodoro da Fonseca (trecho entre R. Barão do Rio Branco e R. Marechal Floriano Peixoto)

Garibaldis e Sacis na Regional Bairro Novo
4 de fevereiro, das 15h às 19h
Rua São José dos Pinhais – Sítio Cercado (trecho entre R. Nova Aurora e R. Dr. Lauro Gentil Portugal Tavares)

Oficina de maquiagem (para o Zombie Walk)
3 de fevereiro, em dois horários: 14h e 15h30. Duração de 1h a 1h30 cada
Gibiteca de Curitiba – Solar do Barão – R. Carlos Cavalcanti, 533
Inscrição: R$ 15

CARNAVAL 2018

Baile Infantil
10 de fevereiro, a partir das 14h
Avenida Marechal Deodoro

Desfile dos Blocos Carnavalescos e Escolas de Samba de Curitiba e Região Metropolitana
10 de fevereiro, a partir das 15h30 (blocos) e 19h (escolas)
Avenida Marechal Deodoro

Apuração das Notas do Desfile das Escolas de Samba
11 de fevereiro, das 15h às 21h
Memorial de Curitiba – Teatro Londrina

Marcha Zombie Walk
11 de fevereiro, das| 12h às 20h
Roteiro: Boca Maldita, Rua XV de Novembro, Paço da Liberdade, Riachuelo, Praça 19 de Dezembro, Cândido de Abreu e Praça Nossa Senhora da Salete

Psycho Carnival
12 de fevereiro, das13h às 19h
Praça Nossa Senhora da Salete

Rei Momo e Rainha do Carnaval são reeleitos

A cerimônia de concurso do Cortejo Real do Carnaval 2018 lotou o Memorial de Curitiba na noite desta quinta-feira (25). Ao som da bateria da escola de samba Mocidade Azul, três candidatos a Rei Momo mostraram à comissão julgadora sua animação e habilidade com o samba. Já na disputa ao título de Rainha, 1ª princesa e 2ª princesa, entre os quesitos, as nove concorrentes foram avaliadas pelo samba no pé, beleza e desenvoltura.
O título de Rei Momo ficou com Rubens Marques da Silva, reeleito por mais um ano. “A emoção é muito grande. É o meu quinto ano concorrendo e meu quarto ano como Rei Momo e espero que a minha felicidade transpareça para todo mundo que estiver na avenida”, afirmou Rubens.
Eleita Rainha do Carnaval em 2016, ano da última disputa, houve reeleição também no mandato de Renatha Karolina Rosa. “Eu estou feliz, eu realmente não esperava, a competição estava bastante acirrada. Receber essa notícia foi demais. É uma sensação incrível ser reeleita”, destacou a rainha.
A candidata Paula Carolina Mello Galvão foi quem recebeu a faixa de 1ª Princesa do Carnaval 2018. “Eu vim representar com muita garra e muita energia. Eu amo essa festa do povo e quero mostrar que Curitiba tem Carnaval sim”, pontuou a concorrente que em 2014 foi eleita 2ª Princesa e em 2015, 1ª Princesa.
Novata na disputa, Edna dos Santos Souza levou o título de 2ª Princesa do Carnaval. “Adorei participar. Cheguei há um ano em Curitiba e senti um frio na barriga, pois as candidatas são fortíssimas” afirmou a candidata eleita, que é natural de Campos de Goytacazes, no Rio de Janeiro.
Hoje a gente percebe que o prefeito Rafael Greca está retomando e valorizando o Carnaval, bem como outras ações populares. A partir daqui a gente espera que essa festa continue crescendo como foi há décadas atrás”, afirmou a carnavalesca Rosa Ribas, que foi uma das fundadoras da Escola de Samba Deu Zebra no Batuque, criada em 1983. De acordo com Rosa, a agremiação teve, no seu auge, mais de 600 componentes e encerrou as atividades em 1996.

Obrigações do Cortejo – O Rei Momo e a Rainha vão receber R$ 3 mil cada e as princesas receberão R$ 2 mil cada. As obrigações dos eleitos é representar a cidade nos eventos do Carnaval agendados pela Fundação Cultural. As obrigações do cortejo eleito começam logo após o concurso e consiste em participar dos ensaios das escolas de samba, do desfile da Marechal Deodoro no dia 10 de fevereiro e dos bailes populares e demais festividades. O concurso foi aberto para maiores de 18 anos, residentes em Curitiba há pelo menos seis meses e que tenham espírito carnavalesco, simpatia e samba no pé. O Carnaval de Curitiba 2018 é uma realização da Fundação Cultural de Curitiba (FCC).



quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Livraria Cultura promove fim de semana com jogos infantis gratuitos

Com as crianças em férias, toda programação cultural e de diversão é bem-vinda. Quem ainda não decidiu onde levar as crianças no último fim de semana do mês, pode conferir os eventos gratuitos da Livraria Cultura do Shopping Curitiba.
No sábado (27), os pequenos vão se divertir em uma tarde de jogos com a Grow Brinquedos. Entre os jogos disponíveis para a brincadeira, estão a Pizzaria Maluca, Perfil Disney e Lince.
E no domingo (28), é a vez de soltar a imaginação e inventar histórias com o jogo Historiando, da Araquarela Brinquedos.

As programações são gratuitas e acontecem a partir das 16h na Livraria Cultura (piso L3). Informações pelo fone 3941-0292 ou www.shoppingcuritiba.com.br.

Abertas as inscrições para a 6ª edição do Festcine de Pinhais

Estão abertas as inscrições para o Festival de Cinema Curta Pinhais - Festcine. O evento é promovido pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, da Prefeitura de Pinhais, por meio do Departamento de Cultura.
As sessões serão gratuitas e exibidas no Auditório Márcio José Moro, no Centro Cultural Wanda dos Santos Mallmann, entre os dias 23 e 27 de abril. Os interessados devem se inscrever até o dia 23 de março no site da Prefeitura de Pinhais onde também pode ser acessado o regulamento, entre outras informações sobre o festival.
De acordo com a organização, o Festcine tem como principais objetivos: despertar e estimular maior interesse da população, do público escolar e da comunidade em geral pela sétima arte em todas as suas formas; estimular o desenvolvimento do mercado para os amadores que atuam na área e dar visibilidade às produções amadoras e independentes. Além disso, também visa proporcionar possibilidades para novos talentos e promover intercâmbio entre artistas, produtores, diretores, distribuidores, público e entidades culturais afins de todo o território nacional.
O Festcine Curta Pinhais é um evento que reúne produções profissionais e amadoras da área do cinema, em apresentações de curtas e longas-metragens de qualquer gênero (ficção, documentário, animação, drama, comédia, musical, épicos, adulto, infantil) e outras técnicas cinematográficas alternativas, além de clipes musicais. O festival é organizado em seis categorias concorrentes:
- Curta-metragem de ficção;
- Curta-metragem de documentário;
- Longa-metragem;
- Curta-metragem realizado por estudantes dos níveis fundamental e médio a partir de câmera de celular;
- Clipe musical;
- Filme Destaque Pinhais.
A iniciativa pode vir a constituir mostras paralelas para produções que não sejam classificadas para as categorias competitivas.

Mais informações pelo e-mail festcinepinhais@gmail.com, pelo telefone (41) 3912-5253 ou no site http://www.pinhais.pr.gov.br/evento/50/.

Museu Oscar Niemeyer registra recorde de público em 2017

O Museu Oscar Niemeyer (MON) registrou recorde de público em 2017: foram 361.638 visitantes, em uma média de mais de 30 mil visitantes por mês. Foi o maior número de público desde que o museu foi inaugurado em 2002.
O MON é um espaço dedicado à exposição de Artes Visuais, Arquitetura e Design. Possui cerca de 35 mil metros quadrados de área construída e mais de 17 mil metros quadrados de área expositiva, considerada a maior da América Latina.
Com um total de 12 salas expositivas, a cada ano são realizadas mais de 20 mostras, em um total de 350 exposições, de artistas de nacionais e internacionais, e recebeu mais de três milhões de visitantes desde a inauguração. Foi escolhido como o terceiro melhor museu do Brasil e quinto da América do Sul, segundo o maior site de viagens do mundo, o TripAdvisor, com o prêmio Travellers' Choice; e está no ranking da publicação inglesa The Art Newspaper entre as mostras mais visitadas do mundo. Recebeu também prêmios da ABCA (Associação Brasileira de Críticos de Arte).
Tendo uma equipe multidisciplinar, que visa aproximar e aperfeiçoar a experiência dos visitantes com as artes visuais, o Museu possui o setor Educativo que atende diariamente estudantes, professores e o público em geral, bem como realiza cursos e oficinas, abertas ao público, com o objetivo de capacitar pessoas no desenvolvimento de trabalhos e projetos.
Além disso, oferece programas voltados a públicos específicos, como o “Arte para maiores”, “MON para educadores”, “MON para Todos”, “Uma noite no MON” e a “Colônia de férias”. Nas quartas a entrada é gratuita para todos, garantindo acessibilidade aos visitantes. Mais informações: 3350-4400 ou www.museuoscarniemeyer.org.br.

Espetáculo gratuito para crianças de todas as idades neste domingo

No domingo, dia 28, acontecerá a sexta edição da série de apresentações gratuitas e outras experiências teatrais, dando continuidade ao Projeto Abração em ação, desenvolvido pela Associação Abração Círculo das Artes-AACA, em parceria com a Cia. do Abração.
Nesta edição, a Cia. do Abração apresenta o espetáculo “O Trenzinho do Caipira”. No palco, seis personagens, de diferentes regiões do Brasil, simultaneamente, recebem uma misteriosa carta de Villa Lobos, convidando-os para uma viagem de trem. Encontram-se, por obra do destino ou da carta que receberam, na estação de trem e constatam que acabam de perdê-lo. Este fato provoca uma instabilidade e um questionamento em cada um sobre o sentido de estarem ali. O sentido da viagem, o sentido do trem. O sentido da própria vida. Ao se conhecerem, percebem suas necessidades e desejos comuns e decidem, então, construir o seu próprio trem.
A diretora da Cia do Abração Letícia Guimarães comenta que ao final, com várias informações obtidas sobre a obra de Villa Lobos e muitos ensinamentos para suas próprias vidas, juntos, nossos brasileiros conseguem construir seu próprio trem.
“Nossos personagens decifram a missão contida na misteriosa carta enviada por Villa Lobos e que lhes dá motivação suficiente para iniciar sua grande viagem. O final desta viagem? Cada espectador poderá concluir qual o sentido este trem tomará...”, comenta a diretora.

Livre para todas as idades, “O Trenzinho do Caipira” será encenado na Sala Raul Cruz, sede da Cia. do Abração, situada na rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725, Bacacheri. A entrada é franca (sujeito à lotação).Os ingressos serão distribuídos a partir das 15h.

Fusão do erudito com o popular dá o tom da 35ª Oficina de Música de Curitiba

A 35ª Oficina de Música de Curitiba será aberta neste sábado (27), às 19h, no Teatro Guaíra, com um concerto que une a Camerata Antiqua de Curitiba, o Vocal Brasileirão, a pianista Cristina Ortiz e a cantora Jane Duboc numa homenagem ao compositor Tom Jobim. A fusão entre a música erudita e a música popular brasileira é a marca desta edição, que durante 13 dias oferecerá uma intensa programação musical por toda a cidade.
O concerto começa com a Camerata apresentando duas obras clássicas – Coronation Anthems, de Georg Friedrich Haendel, e o Concerto para Piano nº 4 em Sol Maior, de Ludwig van Beethoven – sob a regência do maestro Abel Rocha. A pianista Cristina Ortiz, brasileira de destaque no cenário internacional, será solista na apresentação da obra de Beethoven.
Na segunda parte, a Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba (grupo de instrumentistas da Camerata) acompanha o Vocal Brasileirão e a cantora Jane Duboc no repertório de composições de Tom Jobim. Com direção artística de Vicente Ribeiro, esse programa encerra as comemorações dos 90 anos de nascimento do compositor (1927-1994).
O concerto de abertura – cujos ingressos custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia) acrescidos de R$ 6,00 de taxa administrativa) – dá uma demonstração do que será a 35ª edição da Oficina de Música. Pela primeira vez, os cursos e espetáculos dos núcleos de música erudita e popular serão realizados simultaneamente. O concerto reflete essa fusão entre as duas áreas.
A primeira parte da apresentação contará com o brilho da pianista Cristina Ortiz, que há anos saiu do Brasil para a Europa, onde desenvolveu uma carreira de sucesso. Solista com as mais famosas orquestras – Berlim, Chicago, Cleveland, New York, Praga, Viena, Londres – Cristina Ortiz já trabalhou sob a batuta de grandes maestros. Além da carreira solo, tem se apresentado ao lado de artistas como Antonio Meneses, Uto Ughi, Emanuel Pahud, Lynn Harrell e o Quinteto de Sopro de Praga.

Homenagem a Tom Jobim – A apresentação do Vocal Brasileirão retoma a experiência realizada em dezembro de 2016, quando os cantores de MPB e a Orquestra de Câmara estrearam o concerto com as obras de Tom Jobim. O regente Vicente Ribeiro explica que o repertório é um recorte bem específico da obra do compositor – a fase pós-bossa nova, que inicia nos anos 70 e tem como marca a aproximação da música de Jobim com a brasilidade e as influências de Villa-Lobos.
Nessa fase, Tom Jobim deixa a praia do Rio de Janeiro e começa a olhar para o interior do Brasil”, compara o regente. “Esse repertório representa justamente a fronteira entre o erudito e o popular, mostrando a riqueza da música brasileira com o timbre da música de concerto”, explica. Canções como Quebra-Pedra (1970), Águas de Marcos (1972), Boto (1976), Borzeguim (1987) e Pato Preto (1994) são exemplos desse período da produção musical de Jobim.
Para Vicente Ribeiro, a experiência de unir as duas áreas é enriquecedora. “A música é muito generosa. A divisão por área se dá em função de certas especificidades que acabam criando rótulos, mas na verdade a música é uma coisa só”, diz. “Para o Vocal Brasileirão é um prazer ter o acompanhamento luxuoso das cordas da Orquestra de Câmara”, destacou. Nesta parte do concerto, entra em cena a cantora Jane Duboc, um dos ícones da MPB, considerada pela Revista Rolling Stones uma das mais belas vozes do Brasil.

Oficina 2018 – Durante 13 dias, a 35ª Oficina de Música de Curitiba oferecerá 96 cursos de música erudita e popular brasileira e aproximadamente 160 eventos, entre concertos em teatros e parques, palestras, worskhops, mostra especial de filmes, passeios ciclístico e motociclístico, feira gastronômica, oficina verde, além do “circuito off”, que acontece em 17 bares, com 50 atrações. O tema da atual edição é “Misture-se”, reforçando a novidade deste ano, que é a realização simultânea das áreas erudita e popular.
Outras grandes atrações marcam a 35ª Oficina, como o show de Toquinho, com a participação de crianças do projeto MusicarR das regionais de Curitiba, o concerto de Martinho da Vila com a Orquestra à Base de Corda e o concerto da Orquestra e Coro de alunos da Oficina no programa “Porgy and Bess”, de George Gershwin.
A Oficina de Música é promovida pela Prefeitura de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba e Instituto Curitiba de Arte e Cultura – ICAC, com patrocínio e apoio de grandes empresas e instituições. “Apoiar a 35ª Oficina de Música é uma oportunidade única para a Caixa, proporcionando à população de Curitiba espetáculos e programação primorosa, além da troca de experiências entre os músicos que vem de todos os lugares do mundo em razão da qualidade e do diferencial do evento”, afirma a gerente de Marketing, Comunicação e Cultura da Caixa, Cybelle Radominski Demattê.

Parceria – A 35ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização da Prefeitura Municipal de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Instituto Curitiba de Arte e Cultura – ICAC, Ministério da Cultura e Governo Federal, com patrocínio da Caixa Econômica Federal.
A edição conta com apoio master da PUC-PR, do Centro Cultural Teatro Guaíra e da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná. São patrocinadoras por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura as empresas Copel, Sanepar e Elejor. A Oficina também conta com o patrocínio direto da Itaipu Binacional. A programação completa da Oficina de Música está disponível no site www.oficinademusica.org.br.

Revista Helena traz ensaios com ideias e perspectivas para 2018

A Secretaria de Estado da Cultura lançou o número 7 da revista Helena, publicação trimestral de artes e ideias editada pela Biblioteca Pública do Paraná. Com textos, fotos e ilustrações produzidas por colaboradores de todo o país, a primeira edição do ano começa com um bloco de ensaios pautado por propostas e perspectivas para 2018. São três textos - sobre cultura, política e futebol - assinados por Teixeira Coelho, Cláudio Gonçalves Couto e Christian Schwartz, respectivamente.
Outro viés deste número 7 é o da arte como força transformadora. João Almino trata disso em um ensaio que parte da obra de Antonio Candido (para quem a literatura é um direito de todos). Pedro Só também, ao contar a história dos criadores da Flup, a inovadora Festa Literária das Periferias. E a reportagem de Paulo Camargo sobre a tradição fotográfica no Paraná mostra como a expressão artística pode mudar as coisas, começando pelo próprio indivíduo.

OUTROS DESTAQUES - Jotabê Medeiros entrevista o ex-Mutante Arnaldo Baptista, que completa 70 anos em julho. Marcelo Träsel investiga o boom gastronômico na cultura e na indústria da informação e do entretenimento. Beatriz Resende lembra do primeiro romance de Sonia Coutinho, que retratou a nova condição da mulher antes de o feminismo voltar à tona no debate público. Rodrigo Garcia Lopes refaz o percurso pessoal e literário do poeta Paulo Leminski.
A edição ainda traz uma crônica de Ana Miranda, poemas de Ruy Espinheira Filho, um conto de Márcia Denser, HQ de Allan Sieber, ensaio fotográfico de Elenize Desgeniski e dezenas de ilustrações de artistas de vários estados (Caco Galhardo, Karina Freitas, Eloar Guazzelli, André Ducci, Tereza Yamashita, André Caliman, Carla Pilla, Simon Taylor, Augusto Meneghin).
A Helena tem tiragem de mil exemplares e distribuição gratuita na Biblioteca Pública do Paraná e nas bibliotecas e escolas de ensino médio do Paraná, além de pontos de cultura de Curitiba. Também é enviada por correio para jornalistas, escritores, acadêmicos e artistas gráficos de todo o Brasil. Para ler online, acesse www.helena.pr.gov.br. Mais informações: 3221-4911.

Grupo Tesão Piá se apresenta em curta temporada no Teatro Regina Vogue

Presença cativa nos teatros de Curitiba, o grupo Tesão Piá volta a subir no palco do Regina Vogue, em curta temporada, nos dias 26 e 27 de janeiro e 2 e 3 de fevereiro.
A nova montagem conta com muita música, personagens, esquetes e surpresas pra lá de especiais. “Entre curitibanos e capivaras esse é um show que você não precisa levar a japona, porque o clima vai esquentar! Venha se identificar e rir com essa piazada que não perde uma piada”, satiriza Cadu Scheffer, integrante do grupo.
As apresentações acontecem nas sextas-feiras e sábados, às 21h. Os ingressos estão à venda pelo Disk Ingressos e custam R$ 50,00 e R$ 25,00 (meia).

Sobre o grupo - Formado em abril de 2013 o grupo Tesão Piá foi criado com a intenção de fazer humor regional, recriando e satirizando situações do cotidiano do curitibano, por meio de vídeos criados para a internet. Os temas dos vídeos abordam desde o famoso clima de Curitiba até as gírias mais comuns usadas pela população e já somam 15 milhões de acessos em seu canal do YouTube.
Mais informações: 2101-8292 ou www.reginavogue.com.br.

sábado, 20 de janeiro de 2018

Do drama ao terror, um pouco de tudo nos cinemas curitibanos

A terceira semana de 2018 tem filmes para todos os gostos. A começar pelo drama “Me Chame Pelo Seu Nome” (foto) que vem tendo muitas indicações para as premiações de início de ano e deverá ter lembrado pelo Oscar. 
Também chegam às telonas a comédia “Correndo Atrás de um Pai”, repleta de artistas conhecidos; os dramas “Os Iniciados” e “Pela Janela”; o terror “Sobrenatural: A Última Chave” e os documentários “Saudade” e “Uma Verdade Mais Inconveniente”.
Continuam em cartaz boas opções como "Jumanji: Bem-Vindo à Selva", "O Rei do Show", "Star Wars: Os Últimos Jedi", "Extraordinário", "O Destino de Uma Nação", "O Estrangeiro", "Roda Gigante", "Com Amor, Van Gogh", "O Jovem Karl Marx" e "Assassinato no Expresso do Oriente".
Para as crianças, as animações "O Touro Ferdinando", "Viva - A Vida é Uma Festa" e “As Aventuras de Tadeo 2: O Segredo do Rei Midas”.

CORRENDO ATRÁS DE UM PAI - Comédia americana dirigida por Lawrence Sher (“Cães de Guerra”) e estrelada pelos conhecidos J.K. Simmons, Owen Wilson, Glenn Close, Ed Helms, Debra Stipe, Ving Rhames, Katie Aselton e Ryan Cartwright. Kyle e Peter, são irmãos cuja mãe excêntrica os criou para acreditar que seu pai havia morrido quando eram jovens. Quando descobrem que isso é uma mentira, eles se juntam para encontrar seu pai real e acabam aprendendo mais sobre sua mãe do que eles provavelmente já quiseram saber.
Indicação etária: 12 anos

ME CHAME PELO SEU NOME - Drama coproduzido entre França, Itália, Estados Unidos e Brasil, dirigido por Luca Guadagnino (“Um Mergulho no Passado”) e interpretado por Armie Hammer, Timothée Chalamet, Michael Stuhlbarg, Amira Casar e  Esther Garrel. Baseado no romance homônimo de André Aciman, a ação se passa no norte da Itália, no verão de 1983. Elio Perlman, um garoto ítalo-americano de 17 anos, passa seus dias na casa de campo de sua família, preguiçosamente transcrevendo música e flertando com sua amiga Marzia. Um dia, Oliver, um charmoso pesquisador americano de 24 anos, que está fazendo doutorado, chega na cidade para trabalhar como estagiário de verão encarregado de ajudar o pai de Elio, um renomado professor especializado em cultura greco-romana. Em meio ao esplendor ensolarado desse cenário, Elio e Oliver descobrem a beleza inebriante do desejo despertado ao longo de um verão que mudará suas vidas para sempre.
Indicação etária: 12 anos

OS INICIADOS - Cabo Oriental, África do Sul. Xolani, um operário solitário, viaja para as montanhas rurais com os homens de sua comunidade com intuito de atuar nos rituais de Ulwaluko, que consiste na circuncisão de adolescentes de origem Xhosa para que eles ingressem finalmente na vida adulta, tornando-se homens. Xolani assume a responsabilidade sobre um garoto da cidade que o pai teme ser homossexual e, quando o iniciante questionador descobre seu segredo mais bem guardado, o operário não tem mais paz. Esta coprodução entre África do sul, Alemanha, França, Holanda foi dirigida por John Trengove (“Eles Só Usam Black-Tie”) e tem Nakhane Touré, Bongile Mantsai e Niza Jay Ncoyini nos principais papéis.
Indicação etária: 16 anos

PELA JANELA - Drama coproduzido entre Brasil e Argentina estrelado por  Magali Biff, Cacá Amaral e Mayara Constantino sob a direção de Caroline Leone (“Vermelho Russo”). Rosália é uma dedicada operária de 65 anos que dedicou a vida ao trabalho em um fábrica de reatores da periferia de São Paulo. Certo dia acaba demitida e é consolada pelo irmão José, com quem vive. Ele resolve levá-la em uma viagem de carro até Buenos Aires com o objetivo de distraí-la e no país vizinho Rosália vê pela primeira vez um mundo desconhecido e distante de sua vida cotidiana.
Indicação etária: 10 anos

SAUDADE- Este documentário coproduzido entre Brasil, Portugal e Angola busca entender o significado desta palavra portuguesa dita 'intraduzível’. O filme procura analisar este sentimento através da arte, vista pelos olhos de grandes artistas lusófonos contemporâneos, revelando de forma inédita a relação transversal que se estabelece entre a produção intelectual e a saudade. A direção é do paraibano Paulo Caldas (“País do Desejo”) e Adriana Falcão, Arnaldo Antunes, Déborah Colker, João Câmara, Johnny Hooker, Karim Aïnouz, Lira, Milton Hatoun, Nilda Maria, Ruy Guerra e Zé Celso estão entre os depoentes do documentário.
Indicação etária: 12 anos

SOBRENATURAL: A ÚLTIMA CHAVE - Terror americano dirigido por Adam Robitel (“Atividade Paranormal 3”). Neste quarto filme da franquia ‘Sobrenatural’, a doutora Elise Rainier é chamada para “limpar” a casa de um homem no Novo México, por coincidência a mesma onde passou a infância, onde fatos estranhos continuam ocorrendo e ainda relacionados a sua história familiar, que finalmente será revelada. No final, os aficionados recebem a garantia de que a franquia prosseguirá. Lin Shaye, Leigh Whannell, Angus Sampson, Kirk Acevedo e Caitlin Gerard formam o elenco.
Indicação etária: 14 anos

UMA VERDADE MAIS INCONVENIENTE - Dez anos após “Uma Verdade Inconveniente" ter alertado sobre a necessidade da união entre países para tratar a crise iminente envolvendo o aquecimento global, Al Gore retorna ao tema para mostrar não apenas as consequências práticas da crise climática, mas também os avanços obtidos na obtenção de energia através de fontes limpas. A dupla Bonni Cohen e Jon Shenk (“Audrie & Daisy”) assina a direção e, além de Gore, Donald Trump, Barack Obama e Vladimir Putin fazem comentários.
Indicação etária: 10 anos
Veja o trailer 

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Painel do grafiteiro Ferge homenageia artista Ida Hannemann

Em um painel de 9 metros de comprimento por 2,5 metros de altura, o artista Ferge Grafitti retratou elementos ícones de cidade de Curitiba, como a gralha azul, o pinheiro, uma litorina e uma parte do viaduto do Capanema. O trabalho em grafite está instalado no salão de refeições do Restaurante Popular do Capanema, inaugurado nesta quinta-feira (18).
A obra “Cores Curitibanas” é uma homenagem à artista Ida Hannemann de Campos, autora do painel “Gralha-Azul”, obra produzida em 1996, que está localizada na praça em frente ao Asilo São Vicente de Paula, no bairro Cabral. O painel em azulejo apresenta pinheiros, pinhões, vistas da Serra do Mar e, gralhas-azuis e serviu de inspiração ao grafiteiro.
É um privilégio poder fazer uma homenagem para a Ida Hannemann por meio do grafite. Eu não a conhecia pessoalmente e estou muito feliz em conhecê-la, ela foi uma referência para o meu trabalho. Os traços dela sempre me interessaram. Como o meu trabalho é uma homenagem ao dela, o meu painel tem o nome “Cores Curitibanas”, pois leva um pouco das cores dela e um pouco dessa parte da alegria curitibana que temos”, explica Ferge.
A artista plástica curitibana Ida Hannemann de Campos, no início dos anos 1940 teve aulas com o pintor Guido Viaro, e ainda em atividade, acumula mais de 70 anos de trabalho em diversas expressões como desenhos, aquarelas, cerâmicas, gravuras, pinturas, tapeçarias e poesias.
Já o grafiteiro Ferge soma uma carreira de 20 anos e tem suas obras espalhadas pela cidade como um registro na trincheira do Bairro Novo e uma obra no muro do condomínio Parque Iguaçu, da COHAB, que totaliza 22 mil metros quadrados que retratam as características de Curitiba.
Na véspera da inauguração do espaço, o prefeito comparou a obra dos dois artistas. “Há quase cem anos de diferença entre eles, mas uma proximidade muito grande na arte e na sensibilidade”, afirmou.
O artista revelou que o seu interesse pela arte surgiu por volta dos oito anos de idade e que a oportunidade para pintar começou no muro da sua casa. “Não tinha curso para eu fazer, então eu comecei a desenhar com tinta guache no muro de casa”, conta Ferge.
O painel de Ferge foi produzido com 12 horas de trabalho. Para compor a obra foram necessárias cerca de 60 latas de tintas spray. De acordo com o artista, o painel ganhou cobertura em verniz para ter sua durabilidade aumentada para um período de até 15 anos.

O novo Restaurante Popular do Capanema é administrado pela Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab) e a produção do painel “Cores Curitibanas” teve o apoio da Fundação Cultural de Curitiba.

MON promove exposição com obras de videoarte do seu acervo

O Museu Oscar Niemeyer inaugura neste sábado (20) a exposição “Experiências do Limite”, a partir das 10 horas, na sala 11. A mostra apresenta oito trabalhos que consistem em obras de videoarte e registros de performances, pertencentes ao acervo do museu.
Os vídeos integram o acervo da instituição a partir de duas coleções - a série “Circuitos Compartilhados” (coleção de mais de 200 vídeos reunidos pelo artista Newton Goto) e o programa “Rotação de Culturas” (projeto realizado em 2014 a partir do intercâmbio de artistas visuais de todos os estados das regiões norte e sul do país), desde o Amapá até o Paraná.
A mostra tem um caráter especialmente importante para o museu, pois apresenta, ainda que de modo breve, a produção de videoarte no Brasil a partir dos anos 1970 até hoje, explorando o recurso do vídeo tanto pelo seu viés documental, como pela estética visual das imagens em série. Além disso, será uma oportunidade de mostrar alguns trabalhos que ainda não haviam sido exibidos ao público.
As obras são assinadas por Grupo Imagem e Cia. no Amapá, Sérgio Cardoso no Amazonas, Daniel Santiago e Paulo Bruscky em Pernambuco, o Coletivo Bijari em São Paulo e, finalmente, Marcelo Nitsche, Key Imaguirre e Ricardo E. Machado no Paraná.
A emergência da videoarte – isto é, o campo da produção artística que tem o vídeo como suporte – no Brasil ocorre nos anos 1970 e encontra-se diretamente ligada às então novas práticas artísticas, como a performance, o happening e a instalação. Tais frentes de investigação traduzem certas tentativas de dirigir a criação artística às coisas do mundo e à tecnologia, à natureza e à realidade urbana. E assim a videoarte também se colocou como um suporte para discussão das relações entre espaço, tempo, luz e o campo de visão do observador, convocando o público para vivenciar o papel entre o espectador do cinema e o observador do museu ou galeria de arte.

A mostra “Experiências do Limite” pode ser visitada até dia 11 de março, de terça a domingo, das 10h às 18h. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada). Mais informações: 3350-4400 ou www.museuoscarniemeyer.org.br.

Visitas guiadas ao Cemitério Municipal recomeçam neste sábado

A programação de visitas guiadas ao Cemitério Municipal de Curitiba recomeça neste sábado (20). No primeiro encontro, a temática será Religiões e Religiosidade.
A visita vai celebrar o dia da Religião, comemorado em 21 de janeiro, data em que também se celebra o dia de combate à intolerância religiosa no Brasil. O passeio vai abordar as diferentes visões que as religiões têm acerca da morte e de que forma essa percepção influencia nas práticas de sepultamento.
Com a mediação da pesquisadora Clarissa Grassi e a partir da abordagem de aspectos religiosos, o visitante vai conhecer túmulos com diferentes formas de sepultamento e culto à memória dos mortos.
Será mostrado de que forma a religião influencia no sepultamento. Por exemplo, os alemães, assim como os judeus, têm uma arquitetura específica. Também é interessante observar a mensagem registrada num epitáfio de uma família espírita. Já os túmulos de protestantes não têm santos”, explica Clarissa.
Ainda serão mostradas as trajetórias de personalidades ligadas às religiões. “Como destaque, podemos citar o túmulo de Sebastião Paraná, fundador da Federação Espírita do Paraná; de Mansur Guerios, que foi um dos fundadores da Congregação Mariana, bem como a lápide de Maria Bueno, também visitaremos um túmulo maçom”, afirma a pesquisadora.
Para 2018 serão realizadas as visitas nas modalidades padrão, noturna e temática, esta última vai abordar aspectos sobre empresários, mulheres pioneiras, arquitetura e geologia, negros e clubes operários, imigrantes. Uma das novidades deste ano será a temática sobre futebol.

Inscrições - Ainda há vagas disponíveis para quem quiser participar da visita guiada deste sábado. As inscrições são realizadas por e-mail. O interessado deve encaminhar nome completo e número de RG para: visitaguiada@smma.curitiba.pr.gov.br. A atividade é gratuita e o número de vagas é limitado.

Balanço - Um público de 2.201 pessoas participou das visitas ao Cemitério Municipal São Francisco de Paula em 2017. Os encontros foram realizados entre os meses de fevereiro e dezembro. O número de inscritos corresponde a 51 edições de visitas, das quais 28 foram direcionadas à comunidade e 23 referem-se a atendimentos a instituições de ensino e cultura.
As visitas são ofertadas em três modalidades: padrão, temática e noturna. De acordo com Clarissa, todas as turmas apresentaram rápida lotação, com média de cinco dias para o preenchimento total das vagas.
Ao longo de 2017 a visita temática abordou tópicos como mulheres pioneiras, monumentos, personalidades negras, imigrantes, artistas plásticos, iconografia religiosa, poetas e músicos, totalizando nove ações nessa modalidade.

Visitas noturnas - Com nove edições no ano passado, as visitas noturnas tiveram 609 inscritos. De acordo com Clarissa, essa modalidade tem bastante demanda. “A procura foi altíssima, alcançando na edição de julho 800 e-mails, com a lotação das turmas em apenas 20 minutos”, afirma. Com um público diversificado em faixa etária e escolaridade, as ações tiveram uma média de 40 participantes, incluindo a presença de crianças com os pais e de turistas de outros estados.
Temos um público extremamente eclético, tem muita criança que participa. Também temos registro de público oriundos de outros estados como São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro".

Promovida pela Diretoria de Patrimônio Cultural da Fundação Cultural de Curitiba, a visita guiada oferece ao visitante informações sobre arquitetura, geologia, história e arte e a trajetória das pessoas ali sepultadas. O objetivo da ação é desmistificar o cemitério e mostrar seu potencial como patrimônio cultural da cidade.

Curador da Bienal de Curitiba, Royce Smith, mediará uma visita guiada no Memorial de Curitiba

Um dos curadores da exposição “Porque o mundo nunca deve perder seus afetos”, o americano Royce W. Smith oferecerá uma visita guiada gratuita, em inglês/espanhol com tradução simultânea. O evento será neste domingo, dia 21 de janeiro, às 11 horas, no Memorial de Curitiba, local que se encontra parte da mostra, que também se estende ao Museu Paranaense, integrando a Bienal de Curitiba/17.
A mostra questiona disparidades econômicas, a corrupção de longa data e a inclusão do binário “eu” versus “outro”, que reacende as chamas da misoginia, homofobia, racismo e classismo, além de uma cultura voltada para si e um isolacionismo que promete o retorno às serenas paisagens políticas que não (e nunca) existiram.
A exposição reúne obras de artistas dos mais diferentes países: Austrália, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Cuba, Egito, Estados Unidos, França, Israel, Paraguai, Taiwan e Uruguai. São nomes como Ale Mazzarolo, Avi Sabah, Bill Burns, Christina Z. Anderson, Daniela Busarello, Ed Pien, Elvo Benito Damo, Enrique Chagoya, Enrique Tente Miralles, Eron Zeni, German Tagle, Glenda Salazar, Gonzalo Garcia, Ian Van Coller, Javier Calvo Sandi, Javier Vanegas, Jeremy Hatch, Julia Isidrez, Khaled Hafez, Luis Manuel Alcántara, Miles Neidinger, Nestor Siré, Omar Estrada, Pedro Tyler, Reinier Nande e Theo Lipfert.

Sobre a Bienal – A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba é reconhecida como o maior evento de arte contemporânea da América do Sul e um dos principais eventos do circuito mundial de arte. A edição de 2017 conta com a participação de 435 artistas de 43 países, sendo a China o país homenageado. A programação segue até o próximo dia 25 de fevereiro ocupando, além do Memorial de Curitiba, mais de 100 espaços na cidade. Em 2018 a Bienal celebra 25 anos da realização de sua primeira edição (1993) e atualmente, além de ser realizada em Curitiba, está em outras cidades do Brasil e da América do Sul.

Royce W. Smith – Possui doutorado em História da Arte pela Universidade de Queensland, Austrália (2005). É crítico de arte, membro da AICA - Associação Internacional de Críticos de Arte, pesquisador de arte contemporânea e professor convidado do Instituto Superior de Arte de Havana, Cuba. Foi contemplado pelo Governo dos Estados Unidos da América com a Bolsa Fulbright.
Já deu palestras em diversos eventos internacionais como: “Biennials: Prospect and Perspectives”, simpósio organizado pelo Centro ZKM de Karlsruhe, Alemanha; e no Fórum Teórico comemorativo aos 30 anos da Bienal de Havana, Cuba. Como curador, tem inúmeras exposições de arte contemporânea no currículo, como “Grito de Liberdad”, Bienal Internacional de Assunção, Paraguai, 2015 e 2017 (Curadoria Geral); “Between, inside, Outside”, 12ª Bienal de Havana, Cuba, Pavilhão Cuba, 2015; Bienal de Curitiba 2017 (Curador convidado).
Para participar, é necessário mandar um e-mail confirmando presença no evento para contato@bienaldecuritiba.org, com nome completo e telefone, com o assunto “Visita Mediada Royce Smith | Bienal de Curitiba”.
Para mais informações, acessar o site da bienal www.bienaldecuritiba.com.br ou o facebook https://www.facebook.com/bienaldecuritiba/.

A Bienal de Curitiba é uma realização do Ministério da Cultura do Governo Federal, Secretaria de Estado da Cultura do Paraná e Fundação Cultural de Curitiba/Prefeitura Municipal de Curitiba. Patrocínio de: Copel, Fomento Paraná, Sanepar, Governo do Paraná, Itaipu Binacional, Velsis, Eletrobrás Furnas, Huawei, BYD Brasil e Horizons Business Telecom. Apoio Especial: Montana State University.