sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Capital Inicial apresenta o álbum "Saturno" em Guaratuba

Um dos pilares do rock nacional, o Capital Inicial, que está com 30 anos de carreira, desembarca em Guaratuba neste sábado (1º), com o show da turnê de seu mais recente trabalho “Saturno”, disco lançado no final de 2012. Além disso, vai apresentar os clássicos da carreira nas areias do litoral paranaense. Com realização da Prime, o quarteto faz única apresentação na Prime Arena Curaçao, no Café Curaçao (rua Brejatuba,500), em Guaratuba, a partir das 22 horas.
Com um repertório de 11 faixas, o 16º álbum da carreira de Dinho Ouro Preto (vocais e guitarra), Flávio Lemos (baixo), Fê Lemos (bateria) e Yves Passarell (guitarra) possui uma linha ainda mais roqueira. ‘Saturno’ está mais pesado, o baixo mais presente e a levada mais rock ‘n’ roll. Com um som mais pesado e letras vigorosas, o disco lembra, em alguns momentos, o início da carreira do grupo, nos anos 80. "Saquear Brasília", "Água e Vinho" e "O Lado Escuro da Lua", nome inspirado em "The Dark Side of the Moon”, do Pink Floyd, que está em alta rotação nas rádios, são algumas das faixas que chamam atenção e que vão estar no repertório. Sucessos como “Natasha”, “Não olhe para trás” e "A sua maneira", também devem fazer parte do set list.
Dinho e seu comparsa Alvin L. respondem por nove músicas do trabalho, sendo uma delas com a participação do tecladista, Robledo Silva. As outras duas são de autoria de Dinho com Pit Passarell, irmão do guitarrista Yves Passarell.
Além das músicas do novo álbum, Dinho Ouro Preto e sua trupe também devem tocar sucessos que marcaram os 30 anos de carreira da banda.

Inovação - O Capital Inicial inovou no clipe da faixa “O Lado Escuro da Lua”. O vídeo é todo em 360º. O vídeo foi gravado no Deserto do Atacama, no Chile, usando a novidade tecnológica, que permite que os músicos pareçam estar encostando na lua.

Informações sobre ingressos: 41 3315-0808 / 41 3442-6851 / www.maisumadaprime.com.br / www.curacaoguaratuba.com.br.  

Correios lançam selos da Copa do Mundo em Curitiba

Os Correios colocaram em circulação nesta quinta-feira (30), a emissão especial “Copa do Mundo da FIFA - Brasil 2014 - Cidades-Sede”. Composta de 12 selos que retratam as cidades-sede da Copa (Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo), a emissão filatélica destaca a importância histórica deste evento mundial, que será realizado este ano no Brasil.
O lançamento dos selos em Curitiba aconteceu no Memorial de Curitiba e teve a participação do presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli, e do diretor regional dos Correios no Paraná Areovaldo Alves de Figueiredo.
Para ilustrar os selos foram usados os cartazes oficiais de cada uma das cidades-sede. A técnica utilizada foi computação gráfica, com arte-finalização de Daniel Effi.
A tiragem é de 600 mil selos, a R$ 1,20 cada. As peças podem ser adquiridas nas agências dos Correios, na loja virtual (www.correios.com.br/correiosonline) e na Central de Vendas à Distância (centralvendas@correios.com.br)
Livraria Curitiba lança edital de exposições para novos artistas


Para incentivar os jovens talentos da arte contemporânea, o grupo Livrarias Curitiba oferece espaço destinado aos artistas interessados em expor suas obras na loja da capital paranaense no Shopping Estação.
Os pretendentes devem ler o Edital de Exposições 2014 no site www.livrariascuritiba.com.br preencher o formulário e enviar cinco fotos das obras em baixa resolução (72 DPIs) até o dia 16 de fevereiro para o e-mail exposicao@livrariascuritiba.com.br
A seleção será feita por uma comissão julgadora, o resultado será divulgado até o dia 25 de fevereiro e um representante entrará em contato com os escolhidos.
Este edital tem o objetivo de valorizar os novos talentos e incentivar quem está começando. Colocar a arte num espaço não tradicional, como uma livraria, faz com que o público tenha mais contato com essas manifestações”, diz Andrea Mühlmann, diretora de Marketing do Grupo Livrarias Curitiba.
Os artistas nomeados poderão exibir suas produções durante 27 dias corridos na loja do Shopping Estação, entre os meses de março a novembro de 2014. O horário de visitação será o mesmo de funcionamento do ponto: das 10h às 22h de segunda a sábado e aos domingos, das 14h às 20h. A entrada é franca.

Alguns critérios de seleção - Poderão participar artistas plásticos e fotógrafos acima de 18 anos, que apresentem propostas dentro do contexto da arte contemporânea, nas mais diversas formas de manifestação como pintura, desenho, gravura, objetos e fotografia sendo que nenhuma obra deverá ultrapassar o tamanho de 90 cm em nenhuma das dimensões e não superar o peso de três quilos.
Não serão aceitos trabalhos escolares, artesanato, fotografia publicitária ou de eventos. Poderão ser enviadas cópias de matérias de jornais e revistas referentes às exposições realizadas anteriormente pelo artista. Os trabalhos a serem expostos devem ser recentes, produzidos a partir de 2008.

Nos museus, paisagens brasileiras em diferentes técnicas artísticas

Mapas, instrumentos de navegação e exploração topográfica e diversas técnicas artísticas que remetem a viagens, migrações e descobertas. É o que o Museu de Arte Contemporânea (MAC), o Museu Paranaense e o Museu Oscar Niemeyer (MON), três espaços do Governo do Paraná, oferecem ao público nos primeiros meses de 2014.
Na exposição “A Geodésia Museológica”, do curador José Francisco Alves, os visitantes vão conferir obras do acervo do MAC até 27 de abril. Há pinturas de paisagens bucólicas, litografias do Recife, xilogravuras sobre retirantes do sertão nordestino, aquarelas que dizem respeito a diversos territórios brasileiros, principalmente do Paraná.
A mostra conta ainda com objetos, como aparelhos de cartografia dos acervos do Museu Paranaense e do Museu de Ciências Geodésicas e Cartográficas da Universidade Federal do Paraná. Compõem a exposição obras de 59 artistas, entre eles Dulce Osinski, Ida Hannemann de Campos, Poty Lazzarotto, Raul Cruz, Luiz Carlos Brugnera, João Osório Brzezinski e Francisco Stockinger. Deste artista, é apresentado um conjunto de 17 gravuras doadas recentemente pelo Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli, exibido integralmente pela primeira vez.
Em “Vladimir Kozák, o Olhar de um Viajante”, no Museu Paranaense, quadros, fotos e filmes produzidos por Vladimir Kozák retratam detalhes da história do Estado. A mostra também apresenta uma espécie de biografia do artista, com mapas que ilustram o trajeto feito por ele em viagens e cartas escritas neste período. Um Olhar Feminino sobre a Natureza do Paraná: Karla Kozák traz as aquarelas feitas pela irmã de Vladimir.
Já a exposição “OPARÁ – Onde Nasce o São Francisco”, do fotógrafo e engenheiro Marco Alves, em cartaz no Museu Oscar Niemeyer até 16 de março, reúne fotografias em preto e branco sobre a Serra da Canastra, em Minas Gerais. Segundo um dos curadores, Rosely Nakagawa, “Marco atribui às paisagens da Serra da Canastra a sua dimensão poética, através da visão contemplativa de quem aprende com a natureza e faz parte dela”. 

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Um best-seller chega aos cinemas

A adaptação do best-seller "A Menina Que Roubava Livros" é o destaque entre os filmes que entram em cartaz nesta sexta-feira. Outras novidades: a aventura "47 Ronins"; o terror nacional "Quando Eu Era Vivo" e o drama "Fruitvale Station - A Última Parada". Temos pré-estreias de candidatos ao Oscar: “Trapaça”, “Philomena” e “12 Anos de Escravidão”. E volta às telas um clássico do terror dos anos 80, “Fome de Viver”, em cópia restaurada. Continuam em exibição ótimas opções como “"Álbum de Família", "Blue Jasmine", "Capitão Phillips", "Gravidade", "Jovem e Bela", "Ninfomaníaca", "O Lobo de Wall Street" e "Trem Noturno Para Lisboa". Para as crianças, “Frozen” e “Tarzan”.

47 RONINS - Do conto mais antigo da cultura japonesa, surge uma aventura épica estrelada por Keanu Reeves (“Matrix”) como Kai, um excluído que se une a Oishi (Hiroyuki Sanada), o líder dos 47 Ronins. Juntos, eles buscam vingança sobre o traiçoeiro soberano que matou seu mestre e baniu sua espécie. Para devolver a honra à sua pátria, os guerreiros embarcam em uma missão que os desafia com uma série de provas que destruiriam os guerreiros comuns. Kô Shibasaki, Tadanobu Asano, Rinko Kikuchi, Jin Akanishi, Yorick van Wageningen e Cary-Hiroyuki Tagawa completm o elenco, dirigidos por Carl Rinsch. Chris Morgan (“Celular - Um Grito de Socorro”) e Hossein Amini (“Branca de Neve e o Caçador”) assinam o roteiro.
Indicação etária: 14 anos

A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS - Drama adaptado do best-seller homônimo de Markus Zusak e dirigido por Brian Percival (“Downton Abbey”). Geoffrey Rush; Emily Watson; Sophie Nélisse; Ben Schnetzer; Nico Liersch; Heike Makatsch; Gotthard Lange e Carina N. Wiese estão à frente do elenco. Durante a Segunda Guerra Mundial, uma jovem garota chamada Liesel Meminger sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Tudo se incia quando a mãe de Liesel, comunista, perseguida pelo nazismo, envia a garota e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura.
Indicação etária: 10 anos

FRUITVALE STATION - A ÚLTIMA PARADA - Drama dirigido por Ryan Coogler, baseado em uma história real que chocou os Estados Unidos. Oscar Grant tem 22 anos, vive na Bay Area de San Francisco, ama seus amigos e é generoso com estranhos. Na manhã do dia 31 de dezembro de 2008, ele sente uma estranha tensão no ar ao acordar. Ele resolve passar o dia adiantando suas resoluções de ano novo: tornar-se um filho melhor, um namorado melhor e também um pai melhor para sua filha de 4 anos - mas uma tragédia vai interromper seus planos. Michael B. Jordan, Melonie Diaz, Octavia Spencer, Kevin Durand, Chad Michael Murray e Ahna O’Reilly são os principais nomes do elenco.
Indicação etária: 14 anos

QUANDO EU ERA VIVO - Drama de terror nacional baseado no livro “A Arte de Produzir Efeito Sem Causa”, de Lourenço Mutarelli. Após o fim do casamento e a perda do emprego, Júnior (Marat Descartes) retorna à casa do pai (Antonio Fagundes). Mas esta não é mais a casa de sua infância. Seu quarto agora é habitado pela jovem inquilina Bruna (a cantora Sandy) e todo o ambiente lhe parece inóspito e opressor. No quartinho dos fundos, Júnior encontra objetos estranhos que pertenciam à sua mãe, incluindo uma misteriosa mensagem criptografada. Certo de que a compreensão da mensagem é a chave para entender melhor seu passado e seu presente, Júnior desenvolve uma obsessão pela história da família, ao mesmo tempo em que acontecimentos sombrios passam a fazer parte da rotina da casa. A direção é de Marco Dutra (“Trabalhar Cansa”) e Gilda Nomacce, Helena Albergaria, Eduardo Gomes, Kiko Bertholini, Lilian Blanc, Lourenço Mutarelli e Tuna Dwek completam o elenco.
Indicação etária: 12 anos

Karol Conká embala o litoral neste final de semana

Milhões de visualizações no YouTube, cheia de atitude e Ks, Karol Conká é um dos nomes mais comentados do rap feminino feito no Brasil. Com realização da Prime, a rapper curitibana desembarca pela primeira vez em Caiobá, neste sábado (1º), para comandar a festa “Caiu a Ficha!” no Hyddra Concept Lounge (Rua Alvorada, 600), a partir das 22 horas. O show será de seu disco de estreia, “Batuk Freak”. Para completar, a discotecagem fica a cargo dos dj´s Ploc e Popson.
Lançado em 2013, o primeiro álbum rendeu a artista o Prêmio Multishow 2013 na categoria Revelação. Entre os maiores sucessos da rapper estão músicas como “Boa Noite”, “Me Garanto”, “Corre Corre Erê”, “Gandaia”, “Gueto ao Luxo” e “Toda Doida”, feita em parceria com Boss in Drama, que devem fazer parte do repertório do show no sábado. Karol chega a Caiobá acompanhada por sua banda, formada por Madu (guitarra), Abu (baixo) e Daniel Perin (bateria), além do DJ e produtor Nave Beatz.
Caroline dos Santos Oliveira nasceu em Curitiba e, aos 16 anos, ganhou um concurso da escola com um rap de sua autoria. Por intermédio de um rapper amigo, foi convidada a abrir um show do MC GOG. Em seguida, entrou para o grupo Agamenon e conheceu o produtor Nave, responsável pelas batidas que deram origem a seu repertório.
Em 2011, Karol lançou um EP com sete faixas. No mesmo ano, foi indicada a aposta do VMB com o clipe de "Boa Noite". A partir daí, conquistou o respeito de rappers como Racionais MC's, Criolo, Emicida e Marcelo D2, com os quais chegou a dividir palcos.
Informações sobre ingressos: 3315-0808 / www.maisumadaprime.com.br / www.diskingressos.com.br

André Abujamra e grupo Badulaque em simbiose no Teatro do Paiol

No último dia de janeiro e no primeiro de fevereiro, o palco do Teatro do Paiol recebe o espetáculo "BADU ABU – Badulaque Convida André Abujamra". As apresentações especiais, que fazem parte do projeto Música no Paiol, marcam a reunião do grupo Badulaque. No dia 31, ainda, a banda e o artista participam de um bate-papo no Conservatório de MPB, às 12h30, com entrada franca.
Desde que se formou nos corredores da Faculdade de Artes do Paraná (FAP), em 1999, o grupo chama atenção pelas suas peculiaridades estéticas. Suas performances transformam sons em aventuras repletas de emoção, com influências teatrais e tecnológicas.
Após uma pausa de 10 anos no trabalho, seus integrantes Paulo de Nadal, Pedro Solak, Janio ED Rodrigues, Eliane Campelli, Val Ofílio e Marcelo Pereira – todos atuantes na cena artística de Curitiba – decidiram convidar para o show o multiartista André Abujamra, que atuou recentemente no remake da novela global “Saramandaia” (2013).
No espetáculo, os artistas conduzem o público por uma viagem pop bem-humorada, numa simbiose de versões Badulaqueiras de sucessos de Abujamra como “Alma não Tem Cor”, “O Mundo”, “Juvenar” e “Imaginação”, e versões com a pitada “abujâmrica” no repertório do Badulaque.
O show BADU ABU acontece na sexta-feira (31) e sábado (1º), às 20h30. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00.

Balé “O Quebra-Nozes” na tela do Cinemark Mueller

Há mais de um século, o balé “O Quebra-Nozes” encanta crianças e adultos em um espetáculo mágico e atemporal. Em fevereiro, o público de Curitiba poderá assistir à apresentação sem ter que ir a Londres – sede da Royal Opera House, tradicional casa de espetáculos que apresenta o balé. A Rede Cinemark, do Shopping Mueller, exibirá o espetáculo na capital a partir deste sábado (1º).
Os ingressos já estão à venda no site www.cinemark.com.br/royal-opera-house e custam R$ 50,00 e R$ 25,00 (meia). A duração do espetáculo é de 2h10, incluindo o intervalo. “O Quebra-Nozes” integra a nova temporada de balés e óperas da Royal Opera House, exibida no Brasil com exclusividade pelo Cinemark.

O espetáculo - “O Quebra-Nozes” se desdobra em dois atos. No primeiro, o público é convidado para a festa de Natal oferecida pelo casal Stahlbaum e conhece seus filhos, Clara e Fritz. A menina ganha um quebra-nozes do padrinho, um mago. Durante a noite de Natal, o Quebra-Nozes ganha vida e Clara embarca em uma incrível aventura por uma floresta mágica com árvores gigantes onde ela e o boneco, agora de carne e osso, precisam enfrentar o exército liderado pelo Rei dos Ratos. Quando os soldados vencem a batalha, o bosque se transforma em uma linda estufa de inverno e o Quebra-Nozes vira um príncipe.
No segundo ato, Clara e o príncipe visitam reinos encantados e encontram flocos de neve que bailam, a Fada Açucarada, seu belo príncipe e sua doce corte com gotas de orvalho, pirulitos, bombons e mais em uma série de coreografias deslumbrantes.

Primeiro domingo do mês de fevereiro tem entrada gratuita no Museu Oscar Niemeyer

O Museu Oscar Niemeyer (MON) realiza, no dia 2 de fevereiro, o “Domingo + Arte”, dia de atividades especiais e entrada gratuita no espaço, das 10h às 18 horas. Neste domingo, haverá visita mediada pela exposição “Jayme Bernardo, designer” e oficina com a artista Maria Cheung (foto). O ingresso precisa ser retirado na bilheteria do museu até as 17h30 do dia 2 de fevereiro.
A oficina de cerâmica com a artista Maria Cheung tem como tema “Máscara em argila” e ocorre em três horários, as 14h, 15h15 e 16h30. Sempre no subsolo do museu, no espaço da Ação Educativa, as vagas para a oficina são limitadas.
A partir das 15h30, na sala 5,  acontece a visita mediada pela exposição “Jayme Bernardo, designer”, feita pelo próprio artista Jayme Bernardo junto com o também designer Clímaco Cézar Schawb Filho.
O público poderá aproveitar o domingo e conferir também as mostras “OPARÁ Onde Nasce o São Francisco”, “Ida Hannemann, entre o pincel e a pena”, “Meu Bem – Beatriz Milhazes”, “Anjo e Boneco – Nuno ramos”, “Salvando Aparências - João Osorio Brzezinski”, “FotoBienal Masp”, “Roger Ballen: Transfigurações, fotografias 1968-2012”, “45 Manoel Coelho - Arquiteturadesign”, IDEA Brasil 2013, o melhor do design brasileiro”, Museu em Construção”, “Cones”, “Espaço Niemeyer” e o “Pátio das Esculturas”.
Além das exposições, há ainda uma sala em homenagem ao artista Waldemar Freyesleben e intervenção com mais de quatro mil flores de cerâmica no jardim do MON.
O Setor de Documentação e Referência do Museu também funcionará neste domingo. O espaço conta com um acervo de quase oito mil publicações sobre artes visuais, design, arquitetura e urbanismo. Todo o material do setor está disponível para livre consulta e os usuários recebem acompanhamento especializado. O horário especial de atendimento neste dia é do meio-dia às 18 horas.

Parque Atuba recebe atrações do programa Música nos Parques

Chorinhos e música regional vão embalar os momentos de lazer de quem visitar o Parque Atuba, no próximo domingo (2). A área verde, de 173 mil metros quadrados, localizada no bairro Atuba, na região Norte da cidade, será palco para as apresentações do programa Música nos Parques, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba. A dupla denominada “Sons de Campo e Cidade” e o violonista Daniel Miranda fazem os shows programados para às 14h e 16h.
A série Música nos Parques teve início domingo passado, no Passeio Público, e terá continuidade até julho, com 48 apresentações de 24 grupos e artistas selecionados por edital do Fundo Municipal da Cultura. O programa acontece sempre aos domingos, com entrada franca, em parques, praças e áreas de lazer, contemplando diversos estilos e tendências musicais.
O duo “Sons de Campo e Cidade”, formado pelo acordeonista Evandro Cardoso (Manchinha) e o cantor e violonista Joel Muller, faz uma mescla de música instrumental e vocal, com algumas releituras de temas importantes da cultura regional, do Nordeste às fronteiras do Sul. Também apresenta composições próprias, diretamente influenciadas por esses contextos sonoros, que retratam o trabalho e a vida dos campesinos, dos sertanejos, dos pescadores e dos trabalhadores das cidades. Na sequência, Daniel Miranda apresenta seu show de MPB e música instrumental. No repertório, o choro e suas vertentes com músicas inéditas e de compositores paranaenses.
As apresentações proporcionam uma tarde de cultura, natureza e diversão aos frequentadores do Parque Atuba, que ocupa uma região de fundo de vale na divisa de Curitiba com o município de Colombo. A área possui lagos, pontes de madeira, pista de caminhada, cascata, ciclovia, canchas de futebol e vôlei, equipamentos de ginástica e churrasqueiras. Ainda tem como uma de suas atrações uma das típicas casas representativas da arquitetura de madeira de Curitiba.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Caixa Cultural apresenta o show "A Caatinga Canta o Cerrado”

A Caixa Cultural Curitiba apresenta, de sexta (dia 31) até domingo (dia 2), o espetáculo musical “A Caatinga Canta o Cerrado”, de Xangai e Juraildes da Cruz. No formato “voz e violão”, a dupla retoma composições de Juraildes como “Depenar”, “Vida no Campo”, “Nóis é Jeca Mais é Jóia”, “Os Meninos” e “Quem Ama Perdoa” - em uma homenagem prestada pelo baiano Xangai ao companheiro de palco goiano, de quem é um dos principais intérpretes.
Goiano de Aurora do Norte, Juraildes da Cruz se mudou com a família ainda menino para Goiânia, onde aprendeu a tocar violão e ouvir rock e MPB e absorveu diversas referências musicais - das cantigas de roda e catiras às músicas de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro.
Seu primeiro disco, “Cheiro de Terra”, foi gravado somente em 1990, com participações de Xangai, Sebastião Tapajós, Paulo Moura e Jaques Morelenbaum. Nos anos 70 participava de festivais ao lado de nomes como Jackson do Pandeiro, Fagner, Alceu Valença e Caetano Veloso. Em 2010, foi eleito melhor cantor popular pelo voto do público do 21º Prêmio da Música Brasileira. Suas composições fazem parte do repertório de grandes nomes da música brasileira como a dupla Pena Branca e Xavantinho e Rolando Boldrin.
A trajetória artística de Eugênio Avelino, mais conhecido como Xangai, teve início nos anos 70, quando gravou seu primeiro disco, "Acontecivento", em 1976. O cantor baiano, filho de sanfoneiro, aprendeu a cantar com vaqueiros e cantadores de Vitória da Conquista, onde passou a infância.
Xangai é tido como o intérprete que mais se associa à obra de Juraildes e do cantor e compositor baiano Elomar Figueira Mello. As canções de Juraildes fazem parte de seu repertório desde que gravou "Fuzuê na taboca", no álbum "Lua cheia - Lua nova", em 1989. O CD lançado em parceria com o goiano em 2004, “Nóis é Jeca Mais é Jóia”, foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira em 2005 – mas, a música que dá nome ao disco já havia sido gravada por Xangai no CD "Cantoria de Festa", escolhido o melhor de 1998 pelo Prêmio Sharp. Xangai coleciona outras parcerias com Renato Teixeira, Elomar Figueira, Vital Farias e Geraldo Azevedo.

As apresentações de “Xangai e Juraildes da Cruz: A Caatinga Canta o Cerrado” acontecem sexta-feira e sábado, às 20h e domingo, às 19h. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia, conforme legislação e correntista Caixa). Informações: 2118-5111. O espetáculo é livre para todos os públicos.

Últimos dias para ver a mostra "Brasil - Um País, Um Mundo"

A exposição “Brasil - Um País, Um Mundo”, que acontece no Memorial de Curitiba, no Largo da Ordem fica aberta ao público até o próximo domingo, dia 2 de fevereiro.
Curitiba foi a segunda cidade a receber a mostra que já recebeu mais de 15 mil visitantes e que passará por todas as doze cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. O evento conta com apoio do governo federal, da Prefeitura de Curitiba, governo estadual e patrocinadores.
A exposição revela um grandioso e exclusivo acervo de peças históricas do futebol brasileiro no decorrer dos anos. Através de fotos, objetos e instalações interativas, o público tem a possibilidade de conhecer a história e a evolução de materiais esportivos como chuteira, bolas e camisas e também de equipamentos relacionados ao mundo da bola, como a estrutura de estádios utilizados no decorrer das copas. “O material exposto é resultado de anos de pesquisa. Conta com peças de diversas coleções e são itens que realmente foram utilizados em jogos pelos atletas”, explicou Ana Gonçalves, uma das organizadoras da mostra. “Foram anos de planejamento para montarmos a exposição. Este projeto visa resgatar o orgulho do brasileiro em relação às Copas do Mundo. Mas a exposição é muito mais que futebol, já que revela aspectos da cultura e arte do nosso país”, complementou Marco Scabia, também organizador do evento.
A exposição conta a história das cinco conquistas da Seleção Brasileira de futebol nas copas de 1958, 62, 70, 94 e 2002 e também convida o público a montar a sua seleção brasileira ideal de todos os tempos, através de um painel interativo. “A exposição é o primeiro grande gol do Brasil antes do início da Copa. É um projeto que dá possibilidade às pessoas de conhecer um pouquinho daquilo que vivemos (dentro de campo)”, afirmou o ex-jogador Clodoaldo. “É a oportunidade para que o povo brasileiro participe mais desse importante evento que será realizado em nosso país. O projeto resgata o orgulho de ser brasileiro. É uma exposição única”, complementou Cafu.
O horário de visitação é das 9h às 18h (durante a semana) e 9h às 15h (sábado e domingo). A entrada é franca.

Final do Super Bowl invade o cinema

A Rede UCI Cinemas exibe, com transmissão ao vivo direto de Nova Jersey, a decisão do Super Bowl, da liga de futebol americano dos Estados Unidos (NFL). Marcada para o próximo domingo (2), a partida promete grandes emoções que serão ainda mais intensas assistidas pela telona. Os times do Seattle Seahawks e Denver Broncos poderão ser vistos a partir das 21 horas nas salas do UCI Palladium (Curitiba), UCI New York City Center (RJ), UCI Anália Franco e Ribeirão (SP).
Na sessão com o poderoso som Dolby Sorround 7.1, os aficionados pelo esporte vão conferir todas as jogadas do duelo, que reúne, pela primeira vez em 22 anos, a equipe com o melhor ataque da NFL - o Broncos, comandada por Peyton Manning - e a melhor defesa - o Seahawks, liderada por Richard Sherman. O Broncos venceu a final da Conferência Americana ao derrotar o New England Patriots, do quarterback Tom Brady, por 26 a 16, e tenta o seu terceiro título na liga. Já o Seahawks derrotou o San Francisco 49ers, atual vice-campeão do Super Bowl, por 23 a 17, pela Conferência Nacional.
O convidado escolhido para cantar no show do intervalo do Super Bowl deste ano será o havaiano Bruno Mars.
Os ingressos para esse jogo inesquecível custam R$ 50,00 e R$ 25 (meia). Eles já estão disponíveis para compra nos balcões de atendimento, caixas de autoatendimento e através do site da rede UCI, em www.ucicinemas.com.br.

Banco Central e Casa da Moeda lançam moedas comemorativas da Copa

(ABr) - O Banco Central e a Casa da Moeda lançaram nesta quarta-feira (29) nove moedas comemorativas da Copa do Mundo, que será disputada de 12 de junho a 13 de julho deste ano, em doze capitais brasileiras. A coleção, que marca a vigésima edição da Copa do Mundo de Futebol, é formada por 22.120 moedas, das quais 2.720 em ouro, 12 mil em prata e 7,4 mil de cuproníquel, que foram disponibilizadas à venda, em dinheiro, logo depois da cerimônia, na sede do Banco Central, em Brasília.
As moedas foram colocadas à venda, simultaneamente, também nas regionais do banco em Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo, Curitiba r Porto Alegre e no Rio de Janeiro, bem como no site do Banco do Brasil.

Saiba Mais - A moeda de ouro tem valor de face de R$ 10 e peso de 4,4 gramas e sai para o comprador a R$ 1.180. A moeda faz alusão à Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014, de um lado, e no verso mostra o momento do gol, com uma bola na rede, e ao lado as estrelas que formam a Constelação do Cruzeiro do Sul.
As duas moedas de prata têm valor de face de R$ 5 e peso de 27 gramas e custam para o colecionador R$ 190. Ambas fazem alusão à Copa do Mundo, de um lado, mas, no verso, enquanto uma apresenta o mascote oficial, com desenho do tatu estilizado, a outra traz um mapa do Brasil com indicação das 12 cidades-sede da competição.
As seis moedas de cuproníquel têm valor cunhado de R$ 2 e peso de 10,17 gramas, ao custo de R$ 30,00 cada. Elas compõem a série “Jogadas de Futebol”, com lances típicos como a defesa do goleiro, a cabeçada, a "matada" de bola no peito, o passe, o drible e o gol.
No Banco Central e em suas regionais, o pagamento é em dinheiro e. Nas compras pela internet, o pagamento pode ser por meio de boleto ou débito em conta para os correntistas do Banco do Brasil. A partir de março, as moedas de cuproníquel também poderão ser adquiridas em cartela com o conjunto completo das "Jogadas do Futebol", informou o diretor do Departamento de Meio Circulante do Banco Central, João Sidney de Figueiredo Filho.

Gibiteca comemora o Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos

Nessa quinta (30) e sexta-feira (31), a Gibiteca de Curitiba abre as portas com uma programação especial para o Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos, comemorado em 30 de janeiro. A data foi escolhida em referência a publicação pioneira de Ângelo Agostini "As Aventuras de Nhô Quim", de 1869, considerada a primeira história em quadrinhos brasileira.
Entre as atividades estão oficinas, rinha de games e a exibição do documentário “Capitão Brasil e sua gangue”, de Eduardo Calvet. A comemoração também terá uma mesa redonda com importantes autores locais de quadrinhos que debaterão a produção curitibana em 2013, os planos e as perspectivas para 2014 e a Gibicon – Convenção Internacional de Quadrinhos que acontece em setembro deste ano.

Atrações – Na quinta e na sexta-feira, no período da manhã, os amantes de games – principalmente os fãs de jogos ligados ao universo comics – poderão se enfrentar em “rinhas de games”. A Gibiteca também recebe uma Oficina de Cosplay na quinta e sexta-feira das 14 às 17 horas.
Já na sexta-feira, será exibido o documentário Capitão Brasil e sua Gangue, filme que retrata heróis do quadrinho brasileiro como o Anjo, Capitão Sete, Judoka, Jerônimo, o Herói do Sertão, que durante os anos 1940 a 1960 popularizaram o gênero para os leitores e assim incentivaram uma geração a desenhar histórias em quadrinhos.
A Gibiteca de Curitiba é aberta ao público de 2ª a 6ª feira das 9h às 12 e 14h às 19h, e aos sábados do meio-dia às 19h. Toda a programação é gratuita.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Desfile de carnaval volta acontecer na Marechal Deodoro

Depois de 15 carnavais o desfile das escolas de samba do Carnaval de Curitiba volta, este ano (no sábado, dia 1º de março), ao local onde teve seu auge, a Marechal Deodoro. O anúncio foi feito hoje pelo presidente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Marcos Cordiolli, em entrevista coletiva. Também estiveram presentes na oportunidade representantes das Escolas de Samba de Curitiba, do Bloco Garibaldis e Sacis e do Psycho Carnival.
Segundo Cordiolli a decisão foi tomada com base em pedidos das próprias escolas, que consideram o espaço mais adequado que o Centro Cívico.
Pesaram também a tradição e o caráter mais popular que a festa ganha na Marechal”, lembra o presidente da FCC, Marcos Cordiolli. A escolha, lembra ele, também foi feita em conjunto com outros órgãos públicos e privados, como a Associação Comercial do Paraná, e levou em conta a disponibilidade de transporte, rotas de fuga, espaço para arquibancadas e concentração das escolas, conforto e segurança dos foliões.
Este ano, as escolas que desfilam pelo Grupo A são a Acadêmicos da Realeza – campeã do ano passado –, a Mocidade Azul, a Embaixadores da Alegria e a Leões da Mocidade. No Grupo B estão as escolas Os Internautas, Unidos de Pinhais, Unidos do Bairro Alto e Imperatriz da Liberdade, que desfila como escola ingressante. O tradicional Rancho das Flores também marca presença.

Bloco – Outro desfile que migra para a Marechal Deodoro é o do Bloco Garibaldis e Sacis, que esquenta o carnaval nos três domingos que antecedem o feriado (dias 9, 16 e 23). Os motivos da saída do Largo da Ordem são parecidos. Como o bloco vem crescendo muito a cada ano, optou-se por um local que comportasse melhor o grande público. Mas os membros do bloco garantem que a animação e a “zoeira” continuarão as mesmas, com as antigas marchinhas de Carnaval e outras criadas especialmente para Curitiba, além de outros ritmos. No dia 22 (sábado), o bloco passa, pelo segundo ano seguido, pelo Sítio Cercado.

Rock – A capital também ganha, no período, um novo evento dedicado ao rock e à música independente. O Curitiba Rock Carnival será uma ampliação do Psycho Carnival, recebendo outras vertentes do rock – sem perder, é claro, o espírito alternativo. Bandas curitibanas como Pelebrói Não Sei e de outros locais, como os potiguares da Camarones Orquestra Guitarrística, estão confirmadas.
A edição deste ano é importante porque o público terá acesso gratuito a mais shows. Isso vem de encontro com o interesse do festival, que é conseguir passar esse tipo de música para mais pessoas. A FCC acertou em cheio com essa proposta”, afirma o produtor do evento, Vlad Urban.
O festival acontece em frente à Câmara Municipal de Curitiba entre os dias 1º e 3 de março (de sábado a 2ª feira). No domingo (dia 2), quem desfila da Boca Maldita até os arredores da Praça Eufrásio Corrêa é o “bloco zumbi” da ZombieWalk. A mostra de filmes de horror Grotesc-o-Vision também está confirmada (confira a programação na seção de Cinema do Guia Curitiba Apresenta). À noite, o velho PsychoCarnival também acontece, no espaço fechado do Jokers.

Realização e apoios - O Carnaval 2014 é uma realização da Prefeitura Municipal de Curitiba, da Fundação Cultural de Curitiba e do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), com o apoio da Câmara Municipal de Curitiba e da Associação Comercial do Paraná, através do Programa Centro Vivo.

Cinemateca exibe o filme interativo “EXIT, un corto a la carta”

Ligar para um número de telefone se oferecendo para trabalhar como doméstica ou responder a um anúncio de “damas de companhia”? É a primeira decisão que Oti, a protagonista de “EXIT, un corto a la carta”, tem que tomar. A opção escolhida vai definir nem só o rumo que sua vida vai tomar, mas também influenciará toda a sequência do filme, apresentado pelo Centro Cultural da Espanha e que será exibido (em espanhol e sem legendas) na Cinemateca de Curitiba nesta terça-feira (28), às 20h, com entrada franca.
A grande diferença é que a decisão não está exatamente nas mãos da personagem, mas sim do próprio público que estiver na sala do cinema no momento. De acordo com a opção que Oti, ou melhor, os espectadores escolherem em votação, o curta seguirá por diferentes histórias inspiradas nas vivências de suas protagonistas. Todas relacionadas com a imigração e a mulher.
O filme é resultado de um projeto de intervenção sócio-cultural realizado em Madri em 2010, que oferecia vários cursos de teatro e interpretação. O roteiro é baseado nas histórias reais das participantes do projeto de Adrián Silvestre, diretor cinematográfico, e Beatriz Santiago, atriz e diretora cênica, especializada em gênero.
No projeto participaram 50 mulheres imigrantes na capital espanhola, escolhidas a partir de um anúncio publicado por Beatriz e Adrián. As escolhidas fizeram os cursos oferecidos e, no fim, suas histórias de vida, aventuras e desventuras na Espanha acabaram inspirando os vários roteiros – isso porque a interatividade permite que não haja um filme único, mas várias possibilidades diferentes, cada uma mostrando distintas realidades sociais, culturais e econômicas do grupo.

Sucesso - “Exit faz referência à palavra saída em inglês e sucesso em espanhol (éxito). E un corto a la carta indica que é um curta-metragem com um cardápio de filmes curtos à disposição do espectador, o que dá interatividade à proposta”, explica Marina Santo, atriz e bailarina brasileira que integra o elenco do filme.
A Beatriz, além de atriz e diretora, é especialista em gênero e trabalha com diferentes projetos audiovisuais relacionados às mulheres. Como o tema da imigração na Europa é muito forte nas últimas décadas e, especialmente na Espanha, o índice de mulheres imigrantes ainda é alto, a diretora sentiu a necessidade de dedicar um projeto para a sensibilização da sociedade sobre essa temática”, completa Marina.
Para a coordenadora do Centro Cultural da Espanha, Rafaela Marengo, o filme já teve muita visibilidade no país ibérico e, agora, é relevante no Brasil neste momento em que há um movimento inverso ao de anos atrás, com vários brasileiros que emigraram para a Espanha voltando à América e se tornando imigrantes em seus próprios países de origem – como é o caso de Marina.

Companhia encena peça sobre poeta Julia da Costa na BPP

A vida e a obra da poeta paranaense Júlia da Costa acaba de ganhar uma montagem teatral. A peça “Flores Dispersas”, produzida pela Cia de Teatro Laurinha Produções, traz para o palco do Auditório Paul Garfunkel, da Biblioteca Pública do Paraná, a trajetória da controvertida poeta. As sessões se iniciam nos dias 28, 29 e 30 de janeiro e seguem nos dias 4, 5 e 6 de fevereiro, às 19h. A entrada é gratuita e o espetáculo é indicado para todas as idades.
O espetáculo tem texto e direção de Regina Bastos. O elenco é formado pelos atores Braz Pereira, Órli Carrara e Vilma Fernandes, além da cantora Susi Monte Serrat, que será responsável pela execução de toda a trilha sonora original, em voz e violão. A equipe de criação é composta ainda por Enéas Lour, Beto Bruel, Chico Nogueira, Áldice Lopes e José Barbosa Alves.
A peça se inicia na fase final da vida de Júlia da Costa e se utiliza de cartas de amor, prosas, poemas e trechos biográficos para apresentar ao público a surpreendente e enigmática personalidade de uma importante, mas pouco conhecida, poeta paranaense.
Mais informações 3221-4900 ou 3221-4959.

Rod Stewart não esconde nada

O cantor, compositor e astro do rock Rod Stewart, em quase 70 anos de vida, colecionou alguns números bastante expressivos: são 4 décadas de rock, 3 casamentos, 8 filhos, 16 vídeos mostrados pela MTV no dia da estreia do canal, mais de 200 milhões de discos vendidos e o recorde mundial da maior plateia de todos os tempos em um concerto de rock - 3,5 milhões de pessoas na praia de Copacabana em 1994 - registrado no Guiness Book. Sem falar nas inúmeras experiências pitorescas que tem para contar. Tudo isso ele reúne em “Rod - A Autobiografia” (Globo Livros, 392 págs, R$ 49,90), que mistura suas muitas histórias curiosas com o humor característico de Stewart.
Com um misto de despretensão, bom humor e absoluto desapego à autocensura, tom narrativo que talvez explique o sucesso mundial de “Rod - A Autobiografia”, o artista conhecido pela extrema vaidade (um dos capítulos do livro descreve em minúcias a "construção" de seu característico penteado) surpreende pela transparência e despudor com que revela sua história ao grande público.
São quase 400 páginas, incluindo 32 de fotografias pessoais, que contam, da infância humilde em Londres até os dias atuais, a trajetória de Stewart. O vocalista de timbre rouco não perde tempo glorificando o próprio mito, nem sonega nenhuma informação importante - como a decisão de dar sua primeira filha à adoção ou o abuso de drogas, incluindo o uso que fez de cocaína por meio de supositórios, a fim de preservar suas vias nasais e a voz.
Outros aspectos embaraçosos da vida pessoal anterior à fama ou da vida pública já como artista consagrado (como o célebre caso de seu maior sucesso, “Da ya think I'm sexy?”, admitido como “plágio inconsciente” de “Taj Mahal”, de Jorge Ben Jor) são abordados sem rodeios. Stewart reconhece responsabilidades, explica as circunstâncias de seus atos e escolhas, mas não busca expiar culpas.
Além de desmentir várias lendas correntes a seu respeito (entre elas, a de que já foi coveiro e jogador de futebol profissional), o roqueiro lembra-se de como conheceu o guitarrista Jimi Hendrix, de sua parceria com Jeff Beck (com quem tocou no Jeff Beck Group), como teve de fugir de uma insistente Janis Joplin nos bastidores de uma turnê pelos Estados Unidos, sua amizade com Ronnie Wood, do Rolling Stones, e também com Elton John e Freddie Mercury, com quem chegou a pensar em montar uma banda, que se chamaria “Nose, Teeth and Hair”, lembrando as características físicas mais marcantes dos três artistas. Segundo ele, estranhamente, o projeto nunca vingou. Sua vida pessoal, os três casamentos e o relacionamento com os muitos filhos, também fazem parte da história que ele desnuda em “Rod - A Autobiografia”.
Stewart também confessa que tem menos medo de envelhecer do que de enfrentar o fim da carreira - e se admite esperançoso de ter o bom senso de parar antes de entrar na espiral de decadência que o levaria a se apresentar para plateias cada vez menores. Pelo menos por enquanto, esses temores (da morte e do fim da carreira) parecem distantes. Aos 68 anos, e depois de ter enfrentado um câncer de tireoide que pôs em risco suas cordas vocais, Stewart ainda tem vigor suficiente para, uma vez por semana, atuar como lateral-direito do time amador Fram, de Los Angeles, e para ter lançado, no começo de 2013, seu 27º álbum de estúdio, “Time”, o primeiro autoral em vinte anos.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

“O Lobo de Wall Street” e as outras estreias

Após duas semanas de pré-estreias, entra em exibição o novo filme do diretor Martin Scorsese, que revela o submundo do mercado financeiro americano. Ao lado dele, dois filmes de terror: “Frankenstein: Entre anjos e Demônios” e “O Herdeiro do Diabo”. Completa o grupo, o drama nacional “Simone”. Continuam em cartaz filmes obrigatórios, como “Álbum de Família”, “Blue Jasmine”, “Gravidade”, “Jovem e Bela”, “Ninfomaníaca” e “Trem Noturno Para Lisboa”. Para as crianças, “Frozen” e “Tarzan”.

FRANKENSTEIN: ENTRE ANJOS E DEMÔNIOS - Apesar do nome, não é uma nova adaptação do clássico criado por Mary Shelley. Na realidade, baseia-se no HQ "I, Frankenstein", escrito pelo roteirista e ator americano Kevin Grevioux, responsável pela franquia cinematográfica "Anjos da Noite". O monstro de Frankenstein, agora com o nome de Adam, sobreviveu até os dias atuais. Tentando encontrar seu próprio caminho, ele acaba se envolvendo em uma batalha milenar entre anjos (que assumem a forma de gárgulas) e demônios pelo domínio da humanidade em uma cidade ancestral chamada Darkhaven. Primeira direção de Stuart Beattie (roteirista de “30 Dias de Noite”), o filme conta com Aaron Eckhart, Bill Nighy, Yvonne Strahovski, Aden Young, Caitlin Stasey e Chris Pang nos principais papéis.
Indicação etária: 12 anos

O HERDEIRO DO DIABO - Este novo terror dos diretores Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett, (“V/H/S”) acompanha a história dos jovens recém-casados Sam e Zach. Durante a lua de mel na República Dominicana, o casal descobre que está esperando o primeiro bebê. Quando a mulher começa a ter um comportamento estranho, o casal acredita que seja apenas resultado da tensão do primeiro filho, mas com o passar do tempo é evidente que as mudanças envolvem alguma força do mal que age sobre Sam. N Matt Bettinelli-Olpin, Tyler Gillett. With Zach Gilford, Allison Miller, Robert Belushi e Steffie Grote são os principais nomes do elenco.
Indicação etária: 16 anos

O LOBO DE WALL STREET - Esta quinta parceria entre o diretor Martin Scorsese e o ator Leonardo DiCaprio é uma adaptação do livro homônimo de memórias de Jordan Belfort. Belfort foi um corretor de títulos da bolsa norte-americana que entrou em decadência nos anos 90. Sua história envolve o uso de drogas e crimes do colarinho branco. Depois de uma crise financeira, Belfort descobre uma insuspeita oportunidade de faturar em cima dos bagrinhos da economia. Um sucesso que, em breve, o levará ao auge da glória, bem no coração de Manhattan, fundando a empresa Stratton Oakmont, com centenas de empregados com a mesma fome de tubarão que o chefe. Tanto sucesso, ainda mais à custa de fraudes contumazes e tantos perdedores do lado dos investidores iludidos pela lábia dos vendedores de ações da Stratton, não passa despercebido ao FBI, especialmente ao agente Patrick Denham, um caçador de criminosos de colarinho branco. Jonah Hill, Matthew McConaughey, Kyle Chandler, Jon Bernthal, Jon Favreau, Shea Whigham e Jean Dujardin completam o elenco.
Indicação etária: 16 anos

SIMONE - Esta coprodução entre Brasil. Colômbia e Espanha conta a história de uma mulher que tomou uma decisão: após anos de relacionamento com outras mulheres, resolve se envolver com um homem pela primeira vez. O longa aborda a temática da liberdade sexual por meio das vivências de sua protagonista. A trama é rodeada de questionamentos pessoais e de incertezas que colocam à prova as convicções da personagem. Baseado em fatos reais, o filme mistura elementos de ficção e documentário. Brinca com a criação cênica e a montagem, além de criar um universo único, particular e íntimo. Simone Telecchi interpreta a protagonista. O elenco também conta com Natália Mikeliunas e Roberto Birindelli. Esse é o primeiro longa de ficção do diretor e roteirista colombiano Juan Zapata, um especialista em documentários.
Indicação etária: 16 anos

32ª Oficina de Música encerra em ritmo de carnaval

Os acordes da música erudita e os sons dos ritmos brasileiros que povoaram a 32ª edição da Oficina de Música de Curitiba, em suas duas fases, terminam de forma apoteótica, neste domingo (26), com o grito de carnaval a cargo do bloco curitibano Garibaldis e Sacis, que toma conta da Boca Maldita, das 17h às 19h. A magia da festa que caracteriza o Brasil mostra sua força em Curitiba, revelando as peculiaridades de uma cidade que abriga várias etnias e é conhecida pela sua diversidade cultural.
Será a primeira vez que a Oficina de Música oferece à população um final de programação que celebra ao ar livre o sucesso de uma intensa agenda de cursos e espetáculos. Desde o último dia 5 de janeiro, a cidade convive com uma centena de mestres consagrados, vindos de todo o Brasil e de 15 países como Suíça, Portugal, França, Itália, Alemanha, Estados Unidos, Chile e Argentina.
Os professores atenderam perto de dois mil estudantes em 107 cursos, distribuídos entre as fases de música erudita e música antiga (de 5 a 14 de janeiro), tendo como sede a UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná e, na segunda etapa, música popular (de 15 a 24 de janeiro), na FESP – Faculdade de Educação Superior do Paraná, além de cursos descentralizados, nas Regionais curitibanas. Foram mais de 130 shows em espaços espalhados por toda a cidade, levando a diferentes plateias o talento de artistas brasileiros e de várias partes do mundo, além de mostrar o aprendizado dos alunos em sala de aula. Outras surpresas ficaram por conta das improvisações em locais inusitados, como as portas de hotéis nos quais os músicos se hospedaram, surpreendendo quem passava pelas calçadas e conquistando novos apreciadores de música.
Encerrar a Oficina de Música com a alegria do bloco Garibaldis e Sacis é antecipara uma manifestação que já se tornou tradição em Curitiba. O bloco pré-carnavalesco nasceu em 1999, numa iniciativa do animador cultural Itaercio Rocha, reunindo pessoas ligadas ao Conservatório de MPB de Curitiba, à Faculdade de Artes do Paraná (FAP), ao grupo Mundaréu e ao Teatro de Bonecos, com o objetivo de motivar os curitibanos para a festa mais popular do país. E a proposta encantou Curitiba, ganhando novos adeptos a cada ano e fazendo com que o Centro Histórico da cidade ganhe mais vida e animação nas tardes dos quatro domingos que antecedem o carnaval.

Maior operadora de cinemas da América Latina chega a Curitiba

A Cinépolis, rede mexicana que chegou ao Brasil há pouco mais de 3 anos, inaugurou seu primeiro complexo na cidade de Curitiba (PR), no Shopping Pátio Batel. O cinema conta com 8 salas no total. Já foram abertas 6 salas VIP’s e 1 sala Macro XE, e nos próximos dias inaugurará a inédita, exclusiva e tão aguardada sala 4DX. Trata-se de um projeto inovador, apenas com salas diferenciadas, o que trará novos modelos de entretenimento para a região e, elevará a experiência de ir ao cinema para os curitibanos.
Como precursora do modelo VIP de cinema no mundo e hoje, maior operadora deste modelo também no Brasil com mais de 20 salas, a Cinépolis oferece 6 salas VIP no Patio Batel, contando com todo o serviço e qualidade já encontrados nos demais complexos da rede, com atendimento de garçons direto nas poltronas, cardápio gourmet diferenciado, carta de vinhos e, para aumentar ainda mais o conforto, poltronas em couro mais espaçosas que reclinam eletronicamente, todas com projeção e som 100% digitais, aumentando ainda mais a qualidade de exibição. A sala Macro XE, faz parte da estratégia da empresa em levar novos modelos de exibição no país, com tela gigante e som com 13.000 watts de potência, além de cada poltrona possuir braços individuais, esta tecnologia oferece uma experiência mais imersiva do que uma exibição tradicional.
Já a sala 4DX, que será aberta nos próximos dias, oferecerá ao público uma experiência audiovisual sem precedentes, com efeitos e sensações sincronizadas ao filme. As poltronas possuem sistema eletrônico de movimentos, o que permite simular quedas, trepidação e vibrações, além de aceleração e frenagem. Junto a isso, a sala possui instalações especiais nas paredes e poltronas, que geram até 20 efeitos de luzes, água, vento, aromas e névoa. Essa será a 4ª sala 4DX da rede Cinépolis no Brasil, que já possui a tecnologia em São Paulo, Salvador e São Bernardo do Campo (SP).
Esta inauguração reforça ainda mais a presença da rede mexicana no Sul do país, que já conta com complexos bem sucedidos em Blumenau, Florianópolis e Caxias do Sul. A Cinépolis, que foi fundada no México em 1971 e já atua em outros onze países (Brasil, Estados Unidos, Índia, Peru, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Panamá e El Salvador), chegou em 2010 no Brasil e, de lá para cá, é a empresa com o maior crescimento na indústria Cinematográfica, contando hoje com mais de 230 salas, em 30 complexos, 23 cidades em 14 Estados.
Para Eduardo Acuña, presidente da rede no país, Curitiba era uma das cidades mais esperadas pela empresa: “Curitiba é uma das principais capitais para o mercado de cinema no país, e mesmo contando com boas opções de cinema, há ainda uma demanda e oportunidades para que possamos oferecer nossos diferenciais para os curitibanos”. Ele ainda acrescenta: “como uma região com tanto crescimento e buscando novidades a cada dia, estamos confiantes em levar novos modelos de exibição, como as salas VIP com alimentos gourmet no cardápio e a inovadora sala Macro XE, além da inédita sala 4DX que levará uma qualidade enorme de projeção para os consumidores e proporcionará uma experiência além do filme”.

Quinteto austríaco levará música erudita ao encerramento da Oficina de Música de Curitiba

O encerramento da 32ª Oficina de Música de Curitiba, no próximo domingo (26), acaba de ganhar um evento muito especial. Além do esperado show de encerramento na Boca Maldita, que acontece a partir da uma hora da tarde - com o grito de carnaval do bloco Garibaldis e Sacis -, os curitibanos também terão a oportunidade de assistir a uma apresentação de gala de música erudita. A partir das seis e meia da tarde, na Capela Santa Maria, o Ensemble Kaleidoskop, um dos grupos mais populares de música de concerto da Áustria, apresentará peças de Antonin Dvorak, Helmut Schmidinger e Johann Strauss II. O show é gratuito.
Internacionalmente reconhecido por sua capacidade de interpretar a experiência de concertos de música clássica com repertório tradicional, o Ensemble Kaleidoskop de Viena encanta as audiências e os amantes da música com uma performance inesquecível de obras do repertório de música de câmara tradicional mescladas com obras populares de grandes compositores austríacos, como Johann Strauss II.
Os membros do Ensemble tocam regularmente com as principais orquestras sinfônicas de Viena, que executam a música através de uma ampla variedade de estilos e gêneros – desde a música antiga até a contemporânea -, que exige de cada musico alto nível de performance e especialização.
A vinda do Kaleidoskop vinha sendo costurada pessoalmente, há algum tempo, pelo presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli. A ideia era fazer uma aproximação entre a Oficina de Música e a Áustria, que é um país central da cena musical erudita”, explica a diretora geral da Oficina, Janete Andrade. “Ficamos muito felizes com a presença dos músicos em Curitiba”. Nesse processo, o papel da Embaixada da Áustria no Brasil foi fundamental.
No sábado (25), a partir das 10h30, o grupo apresenta um workhop gratuito no Paço da Liberdade. Eles vão falar sobre a cena musical na Áustria, país em que a música erudita é tremendamente popular.
Quem é quem no Kaleidoskop – Jacqueline Roscheck Morard (violino I) estudou no Conservatório de Friburgo, na Suíça, e, posteriormente, no Conservatoire Supérieur de Musique de Genebra, onde terminou seus estudos de violino com honras. Ela se apresenta regularmente como solista e membro de conjuntos de música de câmara na Europa, Estados Unidos, Japão e o Oriente Médio. Em 2004, fundou o Conjunto Kaleidoskop Viena. Desde 1986, é professora da Universidade de Música de Viena e de master classes de nível internacional.
Celine Roscheck (violino II) fez suas primeiras aulas de música aos seis anos. Posteriormente, estudou com Michael Frischenschlager na Universidade de Música de Viena, onde se graduou com honras em 2010. Em 1999 e 2000, ganhou o prêmio “Prima la Musica”, o mais importante da música austríaca.
Johannes Flieder (viola) estudou violino de 1966 a 1977 com M. Biedermann, no Conservatório de Música de Viena. De 1977 a 1983, estudou viola com Siegfried Führlinger na Universidade de Música de Viena. Em 1980, ganhou o prêmio do ARD-Competition e, no mesmo ano, tornou-se spalla de viola da Orquestra Sinfônica de Viena, lugar que ocupa até hoje.
Erich Oskar Huetter (violoncelo) estudou com Hildgund Posch, na Universidade de Música de Graz, e com Reinhard Latzko, na Academia de Música de Basileia. Graduou-se em 1999 com honras como solista e pedagogo. Ganhou prêmios em competições em Viena, Stresa, Düsseldorf e Gorizia. É diretor artístico do Festival de Música de Câmara de Styria e do Festival “Sounding Jerusalem”. Erich realiza atividades pedagógicas como professor de violoncelo em Ramallah, na Palestina, dentro do projeto “Música para a Paz”, de Daniel Barenboim.
Christian Roscheck (contrabaixo) estudou com Ludwig Streicher, um dos mais famosos contrabaixistas do século 20. Desde 1980 é membro da Orquestra Sinfônica de Viena. Em 1997, fundou a orquestra de Câmara “Wiener Concert Orchestra”, de que é gerente e principal contrabaixista. Recebeu o prêmio de mérito artístico do Ministério de Educação e Cultura da Áustria.
A presença do Ensemble Kaleidoskop na Oficina de Música de Curitiba foi possível graças ao apoio da Embaixada da Áustria no Brasil, da Referência Locadora de Veículos e do Ateliê Sergius Erdelyi.

Projeto Música nos Parques começa neste domingo no Passeio Público

O programa Música nos Parques inicia a edição 2014 com dois espetáculos, neste domingo (12), no Passeio Público. A partir das 14h, o público poderá se divertir com as cirandas, cantigas, maracatus e carimbós do projeto “Na Sombra do Cajueiro”. Na seqüência, às 16h, acontece a apresentação do grupo Molungo que tem um trabalho inovador de pesquisa rítmica e cultural das tradições afro-brasileiras.
Desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba, o programa Música nos Parques contempla diversos estilos e tendências musicais, para este ano estão previstas 48 apresentações de 24 artistas e grupos selecionados por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura. Realizado sempre aos domingos e com entrada franca, o Música nos Parques tem apresentações previstas até julho. A novidade para este ano é que além dos parques as praças Rui Barbosa e Osório no Centro de Curitiba, União e Central na CIC e Menonitas no bairro do Boqueirão também receberão shows.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Hermeto Pascoal e Bixiga 70 são as atrações dos últimos dias da 32ª Oficina de Música

A 32ª Oficina de Música encerra neste fim de semana, com shows ao ar livre, em palco montado na Boca Maldita, no centro de Curitiba. Entre as principais atrações reservadas para os últimos dias estão as apresentações de Hermeto Pascoal, nesta sexta-feira (24), às 21h, no Guairão, e do grupo paulistano Bixiga 70, sábado (25), às 14h30, no palco da Boca Maldita.  
Um dos grandes mestres da música instrumental brasileira, Hermeto Pascoal, que reside em Curitiba desde 2003, tem prestigiado a Oficina de Música da plateia, mas este ano brindou o público com um show especial. Acompanhado de outros músicos, Hermeto mostra o seu talento e a sua criatividade como multi-instrumentista, reconhecido no Brasil e no exterior.  No show, Hermeto toca teclado, oito baixos, flauta-baixo, chaleira, escaleta e copo com água, numa demonstração de sua capacidade de tirar sons e produzir música dos objetos mais inusitados.  
Participam da sua banda músicos igualmente reconhecidos no cenário da música instrumental: Aline Morena (voz, viola caipira e percussão corporal), Itiberê Zwarg (baixo elétrico e percussão), André Marques (teclado, flauta e percussão), Vinícius Dorin (saxofones, flautas e percussão), Fábio Pascoal (percussão e direção de palco) e Ajurinan Zwarg (bateria e percussão).

Boca Maldita - A movimentação no palco da Boca Maldita começa na sexta-feira (24), a partir das 11h, com apresentações de vários grupos formados por alunos da Oficina de Música, nas aulas de prática de conjuntos: Orquestra de MPB sob o comando do maestro André Marques, Conjunto Instrumental orientado por Pedrinho Figueiredo (saxofone) e Junior Ferreira (saxofone), Conjunto de Metais de Joatan Nascimento, Conjunto de Percussão de Amoy Ribas e Conjunto Vocal  de Mônica Waghabi.
A sequência de espetáculos encerra com Ravi Brasileiro e Waltel Branco, numa reprise do show “Waltel para tod@s”, apresentado em novembro, na Corrente Cultural 2013. O show foi concebido para divulgar a música de Waltel, compositor paranaense, e assim como Hermeto, conhecido e respeitado internacionalmente. O show tem a participação de Waltel Branco, das cantoras Crisfanny Soares e Vilma Ribeiro, e de uma banda formada por Ravi Brasileiro (voz e guitarra), Endrigo Bettega (bateria), Guto Horn (piano), Fred Pedrosa (baixo acústico e elétrico), Carla Zago (violino) e Guilherme Efrom (trombone).

Talento paulistano – Em meio a uma série de bandas curitibanas que fazem a festa na Boca Maldita, neste sábado (25), uma atração especial vem de São Paulo. É a banda Bixiga 70, que se apresenta pela primeira vez em Curitiba, na turnê de lançamento de seu segundo CD. O álbum une o ritmo dos terreiros, as dinâmicas jazzísticas, a cultura jamaicana, sons da Etiópia e do norte do Brasil, como fonte para as suas próprias composições.
Dez músicos integram a banda que é sucesso na cena musical paulistana: Décio 7 (bateria), Marcelo Dworecki (baixo), Maurício Fleury (teclado e guitarra), Cris Scabello (guitarra), Rômulo Nardes (percussão), Gustavo Cék (percussão), Cuca Ferreira (sax barítono), Daniel Nogueira (sax tenor), Douglas Antunes ( trombone) e Daniel Gralha (trompete). O grupo tocará músicas do novo disco, como “Deixa a Gira Girá”, “Ocupai”, “Kalimba”, “5 Esquinas”, “Kriptonita”, “Tigre’, “Tangará”, “Retirantes” e “Isa”.
Na programação de sábado, na Boca Maldita, também estão o músico Anderson Lima (10h), a Banda Namastê (11h30), Irmãos Carrilho (16h30), Seu Zeba (17h45) e Grupo Molungo (19h15).

Grito de carnaval – A 32ª Oficina de Música de Curitiba encerra suas atividades anunciando a grande festa popular do Carnaval. Domingo (26), o palco da Boca terá shows de grupo étnicos durante a tarde, e a partir das 17h, o bloco carnavalesco Garibaldi e Sacis faz o grito de Carnaval, tomando o calçadão da Rua das Flores.
As atrações no palco começam às 13h, com apresentação de grupos folclóricos. O primeiro a se apresentar é o Grupo Folclórico Italiano Giardino D’Amuri, de Santa Felicidade, que mostrará danças típicas da Sicília. Depois, às 14h, é a vez do Grupo de Dança Flamenca do Centro Espanhol do Paraná. Às 15h começa o show do Grupo Wakaba Taiko de Tambores Japoneses. E às 16h, o grupo O Samba da Murixaba apresenta o espetáculo “Eban”, que proporciona um passeio entre as danças tribais, samba de roda, cânticos e danças afro-litúrgicas, numa amostra da força do negro e da etnomusicologia em Curitiba. 

Mais informações sobre a 32ª Oficina de Música de Curitiba: www.oficinademusica.org.br