sexta-feira, 28 de julho de 2017

Um arquiteto modernista solitário se despede do MON

O Museu Oscar Niemeyer (MON) encerra no próximo domingo (30), a exposição Kirchgässner: um modernista solitário, inaugurada em 21 de fevereiro de 2017. A mostra tem curadoria de Salvador Gnoato e conta com obras ainda desconhecidas do arquiteto que antecipou o modernismo no Brasil.
Frederico Kirchgässner (1899-1988) nasceu na Alemanha, vindo para o Brasil pouco tempo depois em 1909. Instalado em Curitiba, o alemão estudou Artes Plásticas e Arquitetura por correspondência na Architectktur System Karnack-Hachfeld de Potsdam e na Deutche Kunstschule de Berlim. No final da década de 1920, foi para Berlim fazer provas e tirar seu diploma. Lá conheceu Hilda (1902-1999), sua prima, com quem já trocava cartas. Apaixonaram-se, casaram-se e vieram para o Brasil.
Aqui, o arquiteto projetou a casa em que moraria com Hilda, no ano de 1930. Na Rua Jaime Reis, no centro da capital paranaense, a casa de Kirchgässner surpreendeu com a estética modernista que só seria difundida no país nas décadas de 1950 e 1960. A edificação com laje em vez de telhado, com pórticos no terraço emoldurando a paisagem, seguia a tendência modernista já reconhecida na Europa e Estados Unidos com Le Corbusier, Ludwig Mies van der Rohe, Alvar Aalto e Frank Lloyd Wright. Em Curitiba, o usual eram as casas com grandes telhados inclinados, herança da colonização europeia.
Para combinar com a vanguarda da casa, Kirchgässner desenhou e produziu móveis de design inovador, criando um mobiliário notável. O arquiteto projetou também a casa de seu irmão, Bernardo Kirchgässner, e um pequeno edifício de apartamentos.
Kirchgässner trabalhou como topógrafo da Prefeitura de Curitiba. Em 1929, desenhou a Planta de Curytiba, com nanquim sobre tecido, e uma série de desenhos da paisagem da cidade. Além da arquitetura, dedicou-se à pintura, e este seu lado artístico também é exposto na mostra.
A exposição é composta também por obras de Hilda Kirchgässner, que também era artista visual e se dedicava principalmente às aquarelas. Em 1941, Hilda teve seu trabalho reconhecido no I Salão Paranaense de Belas Artes.
Mais informações: 3350-4400 ou www.museuoscarniemeyer.org.br.


Prefeitura lança edital de R$ 2,7 milhões para produção de filmes curitibanos

A Prefeitura lançou nesta quarta-feira (26) o edital Produção Audiovisual FCC/FSA 2017, fruto de uma parceria entre a Fundação Cultural de Curitiba e a Agência Nacional de Cinema (Ancine), que possibilitará a destinação de R$ 2,7 milhões para financiamento de projetos na área de audiovisual. O lançamento será às 17h30, em solenidade no Salão Nobre da Prefeitura.
O aporte de recursos para o edital é feito pelo Fundo Municipal da Cultura de Curitiba (R$ 1,2 milhão) e pelo Fundo Setorial do Audiovisual (R$ 1,5 milhão). O formulário de inscrição e o edital com todas as regras estarão disponíveis no site do Sisprofice (www.sic.cultura.pr.gov.br). As inscrições podem ser feitas até às 12h do dia 25 de setembro de 2017.
O apoio financeiro será concedido para a produção de conteúdos audiovisuais curitibanos, de produtores independentes, não publicitários, no formato de telefilmes. Serão selecionadas quatro propostas de filmes de longa-metragem (de ficção e de animação), um documentário e nove projetos de curtas-metragens (sete de ficção e dois de animação).
Além das produções, o edital permite o financiamento de filmes que já estejam no estágio de distribuição e a concessão de recursos para realização de festivais. Serão selecionadas uma proposta de distribuição de filme e duas de realização de festivais. 
"É com muita alegria que lançamos esse edital para que Curitiba possa se consolidar como um polo de cinema, uma vez que hoje temos uma produção de excelência na cidade, assim como profissionais qualificados", afirma o prefeito Rafael Greca.
De acordo com o presidente da Fundação Cultural, Marcelo Cattani, o apoio a projetos de curtas-metragens e de realização de festivais é um diferencial deste edital, pois são categorias que foram incluídas para atender exclusivamente uma demanda da comunidade do audiovisual de Curitiba. “Esta foi uma iniciativa da Fundação depois de ouvir produtores e cineastas curitibanos. O apoio a essas produções será dado com os recursos do Fundo Municipal”, destacou. Cattani lembra que o lançamento deste edital representa a retomada dos investimentos do Fundo Municipal da Cultura.  
No processo de seleção, os projetos estarão sujeitos a três etapas de análise: fase de validação das inscrições, análise de mérito e avaliação documental. O mérito das propostas será avaliado pelo Grupo de Análise Técnica, formado por especialistas convocados exclusivamente para o edital. Suas decisões serão depois ratificadas pela Comissão do Fundo Municipal da Cultura de Curitiba.

São os seguintes os valores previstos para cada categoria:

7 projetos de produção de Curtas-Metragens de Ficção (até R$ 60 mil cada)

2 projetos de produção de Curtas-Metragens de Animação (até R$ 90 mil cada)

4 projetos de Telefilme de Ficção e Telefilme de Animação (até R$ 375 mil cada)

1 projeto de Telefilme Documentário (até R$ 300 mil)

1 projeto de Distribuição de Filmes (até R$ 100 mil)

2 projetos de Realização de Festivais (até R$ 50 mil cada)

Museu da Fotografia expõe imagens de fotógrafas brasileiras

O Museu da Fotografia Cidade de Curitiba inaugurou a exposição “Fotógrafas Brasileiras: Um Recorte no Acervo Fotográfico do Museu da Fotografia Cidade de Curitiba". A exposição reúne imagens do acervo do Museu da Fotografia feitas por mulheres fotógrafas. O objetivo do projeto é preencher uma lacuna na historiografia da produção feminina no Brasil e revelar o papel fundamental das mulheres na história da fotografia.

História - Constance, esposa de Fox Talbot, pioneiro da fotografia, ajudou-o a desenvolver papéis fotossensíveis e também no desenvolvimento das imagens de seu marido. Ela também ajudou a descobrir como adicionar iodo ao processo de Talbot para aumentar a sensibilidade à luz do papel. A primeira fotografia de paisagem realizada com um daguerreótipo foi feita por uma mulher, Ann Cook. Margaret Bourke-White foi primeira ocidental a fotografar em território soviético. Mesmo com entraves sociais, muitas mulheres conseguiram papel de destaque. Já em 1951, por exemplo, Eve Arnold, tornou-se a primeira mulher a entrar para a Agência Magnum, fundada por Robert Capa.
No Brasil não foi diferente. Em 1890, Gioconda Rizzo, filha do dono do ateliê Rizzo, rompeu com os padrões da época e chamou a atenção das damas da alta sociedade paulistana, sendo a primeira mulher a trabalhar com a fotografia no país. Nas décadas de 70 e 80, houve participações femininas representativas no Brasil, entre elas: Mareen Bisilliat, Nair Benedicto, Claudia Andujar. Em Curitiba, Vilma Slomp e Lina Faria.

A exposição “Fotógrafas Brasileiras” fica aberta à visitação até o dia 3 de setembro, de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h; sábados e domingos, das 12 às 18h. A entrada é franca. Mais informações: 3321-3260.

Memorial recebe 25 apresentações de dança gratuitas neste domingo

O Memorial de Curitiba recebe neste domingo (30), a partir das 10h, a terceira edição do “Dança Curitiba – Circuito 2017”, que contará com a participação de 12 escolas, academias e grupos de dança. A entrada é gratuita e o público terá a oportunidade de assistir a 25 apresentações de diferentes modalidades.
O ‘Dança Curitiba’ é uma opção gratuita para as famílias se divertirem, conhecerem novas modalidades de dança e o trabalho promovido por grupos locais, bem como contribui para o desenvolvimento técnico e experiência de palco dos artistas”, disse o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Marcello Richa.
A terceira edição do Dança Curitiba contará com 170 artistas e apresentações de balé, ginástica, jazz, hip hop/street dance, dança de salão, tribal fusion, dança criativa e dança do ventre. A expectativa é que cerca de 1.200 pessoas prestigiem o evento, que têm previsão de término às 13h.
O evento contará com a participação dos grupos Amany Ballet; Espaço Ortiz; Rosas do Deserto; Centro Cultural; Todo Mundo Dança; Síntese; Grupo de Dana Fernanda Becker; Studio Shirin; Solo Patricia Estrela; Grupo Cultural de Dança Afro Pop Ginga Total e Espaço Viva Mais.

Agendamento - Podem se inscrever para o “Dança Curitiba – Circuito” grupos vinculados a uma academia, escola e/ou entidades públicas ou privadas que trabalhem com dança. A idade mínima para participar é seis anos e cada apresentação tem tempo máximo de 12 minutos.
O agendamento de apresentações deverá ser feito pelo e-mail dancacuritiba@smelj.curitiba.pr.gov.br e mais informações podem ser obtidas com o Departamento de Lazer da Smelj pelo telefone (41) 3350-3715.

Orquestra à Base de Sopro e Izabel Padovani apresentam canções de Guinga na Capela Santa Maria

A cantora paulista Izabel Padovani é a convidada da Orquestra à Base de Sopro de Curitiba (OABS) em dois shows na Capela Santa Maria. Com repertório inteiramente dedicado às canções de Guinga, um dos mais importantes compositores brasileiros da atualidade, as performances serão a base para o novo ​CD da Orquestra, sétimo trabalho fonográfico da carreira iniciada em 1998. As apresentações de “Passarinhadeira - Canções de Guinga” serão nos dias 28 e 29 de julho, com ingressos a preços populares.
Temos uma preocupação em registrar nossas apresentações porque isso torna o trabalho de divulgação mais fácil, já que a Orquestra é um grupo grande o que acaba dificultando as viagens”, explica o diretor da Orquestra, Sergio Albach. “Até agora só trabalhamos com compositores vivos. O Guinga foi escolhido porque ele é, realmente, um dos principais compositores da atualidade. Dos poucos que está conseguindo renovar”, avalia Albach.
Esta também é a primeira vez que a Orquestra não está interagindo diretamente com o compositor enquanto desenvolve o trabalho. “Ele sabe, mas não tem nenhuma participação nos arranjos, ao contrário de outras experiências em que a gente convivia com o compositor”, conta o diretor. “Complicado dizer se isso torna o trabalho mais difícil, mas uma coisa é certa: não estando em contato com o compositor existe uma responsabilidade maior e diferente, afinal ele pode não gostar (rs). Mas acho muito improvável, pois estamos trabalhando com alguns dos maiores arranjadores do Brasil”, completa.
A cantora campineira, por sua vez, diz que tocar com uma orquestra é um privilégio e tocar com a OABS é desejo antigo. Ela conheceu a formação quando participou da Oficina de Música e logo gostou da sonoridade do grupo. “São grandes músicos no elenco. Venho há tempos falando com o Sergio sobre fazermos um projeto juntos e finalmente agora surgiu a oportunidade”, explica sobre o trabalho que está sendo construído em conjunto, acrescentando que não foi fácil escolher as 11 canções do repertório. “É preciso ressaltar os arranjadores do projeto que fizeram um trabalho brilhante”, completa ela.

Desafio - São muitas pessoas responsáveis por tocar a apresentação da Orquestra à Base de Sopro de Curitiba (OABS) com o repertório do cantor Guinga. André Mehmari, Lea Freire, Vicente Ribeiro, Luca Raele, Gabriel Schwartz, Luis Otávio Almeida, Mário Conde, Davi Sartori, Gilson Fukushima e Sérgio Freire são os responsáveis pela empreitada.
A cantora Izabel Padovani se sente diante de um baita desafio. “É um trabalho complexo, minucioso, que demanda dedicação e ensaios constantes, pois os arranjos são inéditos e o trabalho será gravado ao vivo. Pessoalmente é uma realização, um prazer, um projeto construído passo a passo com esses grandes músicos para prestamos nossa homenagem a este grande compositor brasileiro e à tradição de excelência do gênero canção”, pontua.
A cantora conheceu a Orquestra em 2007 durante a Oficina de Música de Curitiba da qual participava como professora de canto. No ano seguinte, novamente na Oficina, recebeu o convite para participar do show “Noël”, em homenagem a Noel Rosa, dirigido por Albach. Deste encontro nasceu o desejo de idealizar um projeto juntos.

A Orquestra - Ao longo de seus 19 anos de existência, a Orquestra à Base de Sopro de Curitiba consolidou uma rica carreira no mercado fonográfico nacional além de produzir shows com grandes artistas brasileiros. Sob direção de Sérgio Albach, a OABS lançou 6 álbuns independentes, 2 solos e outros ao lado de Lea Freire, André Mehmari, Arrigo Barnabé e Gabriele Mirabassi. Dentre alguns shows, se destacam as montagens com Joyce, Emílio Santiago e Egberto Gismonti. Com formação instrumental baseada nos instrumentos de sopro da família dos metais e das madeiras, acrescida dos instrumentos rítmico harmônicos (guitarra, piano, baixo, bateria e percussão) e com repertório dedicado exclusivamente à música brasileira, a OABS atualmente conta com 17 músicos.

Indicadas para todas as idades, as apresentações acontecem na sexta-feira (28), às 20h e sábado (29), às 18h30​. Os ingressos custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada). Mais informações: 3321-2840.

Nando Reis apresenta seu “Jardim-Pomar”, sábado, no Positivo

Depois de quatro anos na estrada com sua turnê “Sei” e suas apresentações do “Voz e Violão”, Nando Reis volta a Curitiba com novidade. Com realização da Prime, o cantor desembarca na capital paranaense neste sábado (29), com sua nova turnê “Jardim-Pomar”, baseada em seu disco de inéditas lançando recentemente. A apresentação acontece no palco do Teatro Positivo - Grande Auditório, às 21h15.
O show faz parte da tour de divulgação desse novo trabalho, produzido de maneira totalmente independente pelo próprio artista, o “Jardim-Pomar”. Gravado praticamente em duas cidades – São Paulo e Seattle, nos Estados Unidos – o disco conta com o produtor americano Jack Endino, que já trabalhou com bandas como Nirvana, Soundgarden e os Titãs.
O disco ainda contou com as participações de grandes amigos do mundo da música, como Arnaldo Antunes, Paulo Miklos, Branco Mello e Sérgio Britto, sendo uma verdadeira lembrança dos Titãs, além das cantoras Luiza Possi, Pitty e Tulipa Ruiz e dos filhos do músico, Zoe, Theo e Sebastião.
No show, que tem a direção de Roger Velloso, o público poderá conferir as músicas do novo álbum “Jardim-Pomar”, como “Só Posso Dizer”, “Azul de Presunto”, “Prá Onde Foi”, “Inimitável”, entre outras. O cantor também não deixa de lado os grandes sucessos de sua carreira, como “Os Cegos do Castelo”, “Sou Dela”, “All Star”, “O Segundo Sol”, “Relicário” e “Marvin”.
A concepção do show foi toda montada, com muita simplicidade, para mostrar uma perspectiva completamente nova do cantor para o público. “Será um show muito pessoal que mostra além das músicas, é um show para mostrar Nando Reis por inteiro”, conta Roger Velloso, diretor do show. O espaço cênico foi montado com transparências que se sobrepõem, imagens em movimento e um projeto de luz que cria um jogo entre as imagens, as músicas e a plateia. Durante o show, o público poderá ouvir sons pré-gravados (conversas, vozes, sons mecânicos, rotina, cotidiano, passos e bastidores) que dialogam com a performance de Nando e sua banda.
A concepção e o roteiro do show são de Velloso e Nando Reis. Os responsáveis pela cenografia são Felipe Tassara e Daniela Thomas e quem assina o figurino do show é Alexandre Herchcovitch.

Indicada para maiores de 16 anos, a apresentação de Nando Reis tem ingressos que variam de R$ 75,00 (meia) a R$ 230,00 (inteira) de acordo com o setor do teatro. A taxa administrativa de R$ 10,00 está incluída no valor. Mais informações: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

Curitiba ganha nova programação cultural nas Mercês

Espetáculos teatrais, apresentações musicais, leituras dramáticas, a exibição de filmes, oficinas, cursos e palestras. Todas essas atividades já estão confirmadas até dezembro de 2017 dentro da mais nova programação cultural de Curitiba. O projeto AçãoArte vai dar a largada no final deste mês, com sede no bairro Mercês.
A iniciativa surgiu da parceria entre a Thadeu Peronne Produções, o Grupo Arte da Comédia e a Sociedade dos Amigos da Cultura Ucraniana (TPUK) - que vai abrigar as ações em sua estrutura física. Os eventos de inauguração, nos dias 28 e 29, possuem entrada franca, e contarão com a estreia do espetáculo “A Comédia da Panela” e animadas festas julinas após as apresentações.
O espaço que receberá a programação do AçãoArte está instalado dentro do prédio histórico da TPUK (Rua Brigadeiro Franco, 374), um local que já possui forte tradição com as artes e que neste ano completa 70 anos de existência. Nesta nova iniciativa, o local sediará produções e oficinas do ator, diretor e produtor Thadeu Peronne e os ensaios e montagens do Grupo Arte da Comédia - companhia comandada pelo diretor italiano Roberto Innocente e atuante em Curitiba há 10 anos.
De acordo com Thadeu Peronne, o AçãoArte surge de uma busca antiga por um local que pudesse abrigar as suas produções, receber uma programação artístico cultural diversificada como opção ao público curitibano, oferecer oportunidades aos artistas nacionais e possibilitar a vinda de produções de fora do país.
"Trata-se do primeiro filho de minha intensa busca por um casarão para a realização de espetáculos e interferências artísticas e do meu desejo de com isso beneficiar toda a comunidade" diz Thadeu Peronne.

Eventos de inauguração - Para abrir as atividades da mais nova programação cultural de Curitiba, o Grupo Arte da Comédia, especializado em commedia dell’arte, vai estrear o seu novo espetáculo nos dias 28 e 29.
“A Comédia da Panela” é uma adaptação do clássico “Aulularia ou La Commedia Della Pentola” – de autoria do dramaturgo romano Plauto. A obra serviu de inspiração para outros renomados escritores, como Shakespeare e Molière. Na montagem do Arte da Comédia é colocada em cena uma discussão atual sobre o lado cômico da busca frenética por prazer e riquezas que sonda a humanidade.
Após as apresentações, o público poderá participar de uma animada festa julina, com opções gastronômicas variadas e muita música. “Essa parceria possibilitará eventos incríveis. O espaço do AçãoArte, com mesas e cadeiras diante do palco, ao estilo cabaré, permite que as apresentações realizadas no local sejam sempre seguidas de festas temáticas, com boa comida e bebida. Uma maneira de festejar a arte e a vida”, declara Roberto Innocente.

Programação de 2017 - Além das montagens teatrais e festas promovidas dentro do AçãoArte, uma vasta programação musical terá espaço no local. Por meio de acordo firmado com a Escola de Música e Belas Artes do Paraná - a EMBAP, a partir do dia 6 de agosto, nas manhãs de domingo serão oferecidos concertos musicais variados que irão desde a música clássica até o repertório operístico, passando pela MPB.
Uma oficina de Interpretação para Câmara também será ofertada. Para setembro, está prevista a apresentação do espetáculo “As Aves de Aristófanes”, de Thadeu Peronne. Oficinas de dança, hip-hop, grafite, cursos para crianças, adultos e terceira idade, entre outras ações, podem ser acompanhados no site da programação: www.acaoarte.com.br.

Sábado de cultura francesa: Aliança Francesa promove atividades culturais e gastronômicas gratuitas

A Aliança Francesa realiza a segunda edição da “Jornada Portas Abertas”, neste sábado (29). Será um dia inteiro, das 9h30 às 19h, com programação cultural, gastronômica e pedagógica, tudo gratuito e aberto ao público.
Realizamos o primeiro evento em março e o interesse do público foi grande, por isso, preparamos mais uma “Jornada” para receber as pessoas que não puderam vir antes, mas que têm interesse de conhecer a língua, a cultura e a gastronomia da França”, explica Dayana Belmont, gerente de marketing da AF Curitiba.
As atividades são variadas. Estão marcadas, aulas experimentais de francês, pocket show com Lilian & Layane, duo que participou do The Voice Brasil, apresentação de teatro, degustação de espumantes Chandon, aulas de enogastronomia e palestras sobre literatura. Além disso, quem sempre quis estudar o idioma terá a chance de concorrer a 18 bolsas de estudo, seis integrais e 12 parciais, que isentam 50% da mensalidade.

Toda a programação acontece na sede da instituição, que fica na Alameda Prudente de Morais, 1101, divididas no Café Babette, Cozinha Gourmet, Midiateca e salas de aula. Mais informações: 3223-4457.  A agenda completa e o formulário para inscrições estão no link http://www.afcuritiba.com.br/af/evento/jornada-de-portas-abertas/

“Dunkirk”, “Em Ritmo de Fuga” e outros bons motivos para ir ao cinema

Seis estreias movimentam os cinemas curitibanos. A principal delas é o drama de guerra “Dunkirk”, do diretor Christopher Nolan. “Em Ritmo de Fuga” mistura ação, bom humor e excelente trilha sonora. Completam as novidades o terror “7 Desejos”; as comédias francesas “Monsieur & Madame Adelman” e “O Reencontro” e a americana “Como se Tornar um Conquistador”
Continuam em exibição e valem uma ida ao cinema “De Canção em Canção”, “Homem Aranha: De Volta ao Lar”, “Frantz”, “Soundtrack” e “Paris Pode Esperar”.
Para as crianças, “Carros 3” e “Meu Malvado Favorito 3”.
E duas pré-estreias: o drama nacional “O Filme da Minha Vida” e o campeão de bilheterias, “Planeta dos Macacos: A Guerra”

7 DESEJOS - Terror do diretor americano John R. Leonetti (“Anabelle”). Clare Shannon (Joey King) é uma garota de 17 anos que está tentando sobreviver a vida de estudante, até que seu pai encontra uma antiga caixa de música e lhe dá de presente. O que a garota vem a descobrir é que a misteriosa caixa pode lhe conceder sete desejos e com eles ela pode ter a chance de conquistar tudo o que quer. Porém, tudo tem um preço e ela vai aprender da pior maneira. Faça um desejo! Mas cuidado com o que você deseja, as consequências podem ser fatais. Joey King, Sherilyn Fenn, Shannon Purser, Ryan Phillippe, Elisabeth Röhm e Ki Hong Lee estão à frente do elenco.
Indicação etária: 14 anos

COMO SE TORNAR UM CONQUISTADOR - Esta comédia do diretor americano Ken Marino (estreando em longas) conta história do sexy e sedutor Maximo que tem o sonho de ser um milionário, mas sem levantar um dedo. Para isso, ele passa a conquistar mulheres muito ricas e glamourosas. Ele então se casa com uma mulher rica e 25 anos depois ele é trocado por um homem muito mais jovem e é forçado a morar com sua irmã Sara e seu sobrinho Hugo. À procura de uma vida de luxo, funcionários e carros, este filme expõe os valores que realmente importam: o poder do charme e acima de tudo o amor familiar. O elenco tem Eugenio Derbez, Salma Hayek, Rob Lowe, Kristen Bell, Raphael Alejandro e Michael Cera.
Indicação etária: 12 anos

DUNKIRK - Baseado em fatos reais, o novo filme do diretor britânico Christopher Nolan (“Interestelar”) nos conta a história da Operação Dínamo, que conseguiu resgatar milhares de soldados da cidade de Dunquerque, ao norte da França, durante a Segunda Guerra Mundial. Entre maio e junho de 1940, tropas nazistas encurralaram cerca de 400.000 soldados aliados, muitos deles britânicos. A chance de resgate pelo mar era sistematicamente dizimada pelos ataques precisos dos submarinos e aviões alemães. Tudo parecia perdido e a Inglaterra estava a um passo de tornar-se o próximo alvo a cair nas mãos de Hitler. Enquanto a liderança do exército inglês calculava que apenas uma pequena parte dos soldados conseguiria sair do cerco, a operação conseguiu salvar mais de 330 mil homens das forças da França, do Reino Unido, da Bélgica e da Holanda. O elenco conta com Tom Hardy, Cillian Murphy, Mark Rylance, Aneurin Barnard, Harry Styles, Kenneth Branagh, James D´Arcy, Jack Lowden e Kevin Guthrie, entre outros.
Indicação etária: 14 anos

EM RITMO DE FUGA - Muita ação neste filme do diretor britânico Edgar Wright (“Todo Mundo Quase Morto”) estrelado pela dupla Ansel Elgort e Lily James. Um talentoso piloto de fuga, Baby, que confia na batida da sua trilha sonora para ser o melhor de todos no que faz. Quando ele conhece a garota dos seus sonhos, Baby vê uma chance de largar a sua vida no crime e sair dela limpo. Mas depois de ser coagido por um chefe do crime, ele deve enfrentar a música que toca quando um assalto dá errado e ameaça a sua vida, o seu amor e a sua liberdade. Os conhecidos Jon Hamm, Jamie Foxx e Kevin Spacey têm participações especialíssimas.
Indicação etária: 14 anos

MONSIEUR & MADAME ADELMAN - Comédia romântica dirigida pelo ator francês Nicolas Bedos - estreando na direção - e com o próprio Bedos, Doria Tillier e Denis Podalydès à frente do elenco. O filme fala sobre a vida conjunta de um casal que convive por 45 anos. Ele, um escritor perdido na vida, ela uma brilhante professora de Letras judia, um tanto quanto dedicada demais. Nesse período, eles vão viver altos e baixos no relacionamento e na carreira literária de Victor, tudo contado pela visão de uma rancorosa viúva que viveu à sombra do marido. Antoine Gouy, Christiane Millet, Pierre Arditi, Zabou Breitman e Julien Boisselier completam o elenco.
Indicação etária: 14 anos

O REENCONTRO - Comédia dramática do diretor francês Martin Provost (“Violette”) estrelada por Catherine Frot, Catherine Deneuve, Mylène Demongeot e Olivier Gourmet. Claire exerce sua profissão de parteira com muita paixão. Ela é conhecida por ser uma mulher séria e prudente, além de bastante solitária. Sua vida se transforma com a aparição inesperada de Béatrice, uma antiga amante de seu pai, em busca de ajuda para problemas pessoais. Claire hesita em ajudá-la a princípio, mas logo apoia a mulher extravagante, e descobre um modo de vida muito diferente do seu.
Indicação etária: 14 anos
Veja o trailer 

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Últimos dias da mostra “Kirchgässner: um modernista solitário” no MON

O Museu Oscar Niemeyer (MON) encerra no dia 30 de julho, domingo, a exposição “Kirchgässner: um modernista solitário”, inaugurada em 21 de fevereiro de 2017. A mostra tem curadoria de Salvador Gnoato e conta com obras ainda desconhecidas do arquiteto que antecipou o modernismo no Brasil, Frederico Kirchgässner (1899-1988).
Kirchgässner nasceu na Alemanha em 1899, vindo para o Brasil pouco tempo depois em 1909. Instalado em Curitiba, o alemão estudou Artes Plásticas e Arquitetura por correspondência na Architectktur System Karnack-Hachfeld de Potsdam e na Deutche Kunstschule de Berlim. No final da década de 1920, foi para Berlim fazer provas e tirar seu diploma. Lá conheceu Hilda (1902-1999), sua prima, com quem já trocava cartas. Apaixonaram-se, casaram-se e vieram para o Brasil.
Aqui, o arquiteto projetou a casa em que moraria com Hilda, no ano de 1930. Na Rua Jaime Reis, no centro da capital paranaense, a casa de Kirchgässner surpreendeu com a estética modernista que só seria difundida no país nas décadas de 1950 e 1960. A edificação com laje ao invés de telhado, com pórticos no terraço emoldurando a paisagem, seguia a tendência modernista já reconhecida na Europa e Estados Unidos, com Le Corbusier, Ludwig Mies van der Rohe, Alvar Aalto e Frank Lloyd Wright. Em Curitiba, o usual eram as casas com grandes telhados inclinados, herança da colonização europeia.
Para combinar com a vanguarda da casa, Kirchgässner desenhou e produziu móveis de design inovador, criando um mobiliário notável. O arquiteto projetou também a casa de seu irmão, Bernardo Kirchgässner, e um pequeno edifício de apartamentos.
Kirchgässner trabalhou como topógrafo da Prefeitura de Curitiba. Em 1929, desenhou a Planta de Curytiba, com nanquim sobre tecido, e uma série de desenhos da paisagem da cidade. Além da arquitetura, dedicou-se à pintura, e este seu lado artístico também é exposto na mostra.
A exposição é composta também por obras de Hilda Kirchgässner, que também era artista visual e se dedicava principalmente às aquarelas. Em 1941, Hilda teve seu trabalho reconhecido no I Salão Paranaense de Belas Artes.

Mais informações: 3350-4400 ou www.museuoscarniemeyer.org.br.

José Luiz Passos é o próximo convidado do projeto Um Escritor na Biblioteca

A edição de agosto do projeto Um Escritor na Biblioteca tem como convidado o romancista José Luiz Passos. O encontro acontece na próxima terça-feira (1º), às 19h30, no auditório da Biblioteca Pública do Paraná. O jornalista e cronista Luís Henrique Pellanda faz a mediação do bate-papo, em que o convidado fala sobre suas obras e experiência de leitura. A entrada é gratuita.
Nascido em Catende, Pernambuco, em 1971, José Luiz Passos é crítico, tradutor e romancista. Há mais de duas décadas vive nos Estados Unidos e atua como professor titular de literatura brasileira e portuguesa na Universidade da Califórnia (UCLA). Formado em sociologia, é autor dos livros de ensaios “Ruínas de Linhas Puras” (1998) - sobre as viagens de Macunaíma, o célebre personagem de Mário de Andrade - e “Machado de Assis, O Romance Com Pessoas” (2007), em que interpreta a influência do autor de “Dom Casmurro” na imaginação moral do realismo brasileiro.
Passos fez a sua estreia na ficção com o romance “Nosso Grão Mais Fino” (2009). Com “O Sonâmbulo Amador” (2012), foi vencedor do Prêmio Portugal Telecom de 2013 (atual Prêmio Oceanos). O seu mais recente livro, lançado em 2016, é “O Marechal de Costas”, romance histórico baseado na trajetória de Floriano Peixoto.
Elogiado pela construção de seus personagens, José Luiz Passos tem sido apontado como um dos mais destacados autores da literatura brasileira contemporânea. “O Sonâmbulo Amador é um dos romances mais bem urdidos dos últimos anos”, apontou o crítico Alfredo Monte, em resenha na Folha de S.Paulo.

O projeto - Um Escritor na Biblioteca é um projeto realizado pela Biblioteca Pública do Paraná na década de 1980 e retomado em 2011, com a participação de autores brasileiros de variadas gerações, entre os quais Affonso Romano de Sant'Anna, Elvira Vigna, Marçal Aquino, Luci Collin, Marcelino Freire e Ana Miranda. Os depoimentos são gravados e, posteriormente, publicados no jornal Cândido e editados em formato de livro pelo Núcleo de Edições da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná.
Mais informações: 3221-4974.

Flip 2017 homenageia Lima Barreto

A 15ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que começa nesta quarta-feira (26) e vai até domingo (30), homenageará o escritor carioca Afonso Henriques de Lima Barreto, nascido em 13 de maio de 1881 e morto aos 41 anos em 1º de novembro de 1922. A edição de 2017 também se destaca por ser a primeira em que o número de escritores convidados do sexo masculino é igual ao número de escritoras.
A curadora do evento, Joselia Aguiar, conta que a homenagem a Lima Barreto estava, há alguns anos, nos planos da organização. “Lima Barreto já estava nos planos da Flip há algum tempo”, disse. Embora seu nome tenha sido citado no final de 2013 entre os prováveis homenageados, as edições seguintes da festa destacaram Millor Fernandes, Mário de Andrade e Ana Cristina Cesar.
Era realmente o momento de trazer Lima Barreto, até porque o país e o mundo têm discutido bastante a questão racial. Era uma forma de contribuir para essas discussões”. Joselia esclareceu que embora essa questão tenha destaque na obra de Barreto, a Flip vai destacar toda a potencialidade do autor. "É uma feira com muita literatura em todos os gêneros que ele [Lima Barreto] exerceu. Tem uma pluralidade muito grande de autores e a ideia é trazer diálogos e debates novos, para que as pessoas tenham na Flip um estímulo para conhecer autores, livros e ficar um pouco mais a par de discussões contemporâneas”.
Lima Barreto perdeu a mãe, Amália Augusta, que era uma escrava liberta e professora, aos seis anos de idade. O pai, o tipógrafo João Henriques, tomou conta do menino e de outros três filhos, mas, poucos anos depois, foi diagnosticado como neurastênico, ficando recolhido pelo resto da vida. A doença do pai fez Lima Barreto abandonar os estudos na Escola Politécnica para sustentar a família. Em 1903, iniciou vasta colaboração com a imprensa, publicando artigos e crônicas em jornais como o Correio da Manhã e o Jornal do Commercio.
Na revista Floreal, que fundou com amigos, iniciou a publicação do folhetim Recordações do Escrivão Isaías Caminha, que foi publicado em livro em 1909. Em 1911, publica, no Jornal do Commercio, Triste Fim de Policarpo Quaresma, que é editado em livro em 1915. Barreto pagou a edição com recursos próprios.
O alcoolismo e a depressão o levaram a ser internado pela primeira vez, em 1914. Seu estado de saúde piorou e ele se aposentou por invalidez em 1918, na Secretaria de Guerra, para onde havia feito concurso em 1903. No ano seguinte, publica o romance Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá. Em 1921, tenta o ingresso, pela terceira vez, na Academia Brasileira de Letras, e desiste antes da votação.
O escritor foi homenageado no carnaval carioca de 1982 pela Escola de Samba Unidos da Tijuca, com o samba-enredo "Lima Barreto, mulato pobre mas livre".

Paridade - A edição da Flip deste ano é a primeira em que há paridade de gênero entre os convidados: são 23 autores do sexo feminino e 23 do sexo masculino. A curadora Joselia Aguiar lembra que até 2013, não se questionava a participação reduzida de mulheres na Flip. “Isso não era uma questão”.
A partir de 2014, com o projeto '#readwomen2014 (#leiamulheres2014) da escritora inglesa Joanna Walsh, esse cenário começou a mudar. “Existem eventos na Colômbia, na Espanha, nos Estados Unidos que têm mais mulheres na programação, por uma visão de que há muita coisa nova para ser mostrada, há muitas novas vozes e possibilidades para serem mostradas”, comentou Joselia.
Joselia chama a atenção também para a participação de autores negros, que também aumentou. “São 30% de autores negros. Eu diria que os mais estrelados são eles”, observou. Dentre os representantes negros se destacam Marlon James, da Jamaica; Scholastique Mukasonga, de Ruanda; e os brasileiros Lázaro Ramos e Conceição Evaristo.

Mesas literárias - O número de mesas literárias também aumentou nesta edição da Flip. “Tem mais literatura desta vez, porque nos últimos anos, a Flip tinha mesas com outros temas, outras áreas do conhecimento”, comentou Joselia.
Existe também maior integração com outras formas de expressões artísticas. Muitos autores se conectam com outras artes, como o teatro, por exemplo. A abertura da Flip terá direção de cena de Felipe Hirsch e falará de Lima Barreto, com participação do ator e escritor Lázaro Ramos e da historiadora e antropóloga brasileira Lilia Schwarcz.
O show de abertura terá apresentação do pianista, compositor e arranjador brasileiro André Mehmari. A festa terá uma série intitulada Fruto Estranho, com intervenções poéticas e performáticas antes do início das mesas literárias. "Tem autores que também fazem letras de música, tem rapper que é ativista político", disse Joselia.

Novidades - Por decisão do diretor-geral da Flip, Mauro Munhoz, e da equipe de arquitetura e design da festa, a programação principal do evento ocorrerá na Igreja da Matriz, considerada patrimônio histórico nacional. Antes, ela ocupava a Tenda dos Autores. No redesenho da Flip 2017, a intenção é possibilitar que mais pessoas possam assistir de graça as apresentações. Para isso, foram instalados, no entorno da Praça da Matriz, 700 lugares cobertos para os visitantes.

Flipinha - Com programação voltada ao público infantojuvenil, os autores convidados farão atividades lúdicas com estudantes. Os pequenos leitores terão encontros com escritores e ilustradores na Casa da Cultura Câmara Torres. Na Praça da Matriz, as árvores vão se transformar em “pés de livros”, exibindo obras literárias que ficam à disposição dos leitores mirins enquanto durante a festa. Da Central Flipinha, que é um espaço de encontro de crianças e jovens com os autores da Flip, sairão vários cortejos literários.
A Flip deste ano também será transmitida ao vivo pela internet. “É uma forma de acompanhar as discussões, conhecer os autores”.

Praça da Língua - Outro ponto de destaque na programação da Flip 2017 é a Praça da Língua. A reconstrução do Museu da Língua Portuguesa, inaugurado em 2006 na Estação da Luz em São Paulo, e destruído por um incêndio em 2015, é tema de celebração na Casa de Cultura de Paraty. Ali, haverá uma instalação audiovisual que recria a experiência considerada símbolo do museu, que é a Praça da Língua. “Acho que vai ser um momento importante também”, disse Joselia.
É uma Flip que tem mais lusofonia, no sentido de que vai ter mais autores de língua portuguesa, de Angola, de Portugal, e vai ser um momento importantíssimo de se conhecer a língua portuguesa, a história da língua, de ter uma apreensão da língua portuguesa”.
Iniciativa do governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, o Museu da Língua Portuguesa foi concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. As atividades relativas ao museu são gratuitas e abertas ao público em geral. A mesa de abertura da exposição Praça da Língua será no dia 28, às 11h. A exposição vai além do período da Flip e ficará aberta ao público até 27 de agosto.
A programação completa está disponível na página do evento.



Caixa Cultural recebe a exposição “Tomie Ohtake: Cor e Corpo”

A Caixa Cultural Curitiba apresenta a exposição “Tomie Ohtake: Cor e Corpo”, que traz à Curitiba 40 gravuras, cinco pinturas e três esculturas da artista que é uma das grandes referências da arte abstrata brasileira. A mostra revela um recorte de obras de Tomie, que produziu continuamente por mais de 60 anos e viveu 101 anos. A artista japonesa naturalizada brasileira chegou ao país aos 23 anos e iniciou sua carreira quase aos 40 anos.
Tomie Ohtake (1913-2015) recebeu 28 prêmios, participou de 20 bienais nacionais e internacionais e mais 120 exposições ao redor do mundo. De acordo com os curadores Carolina De Angelis e Paulo Miyada, os interesses pictóricos de Tomie Ohtake foram constantemente renovados ao longo de sua trajetória profissional. “A artista construiu um vocabulário plástico amplo e complexo. Forma, matéria e cor nunca foram pensadas por ela de modo dissociado, mas alternaram suas ênfases para se potencializar mutuamente”, afirmam. Eles acrescentam que o conjunto da obra é uma unidade coesa.
Tomie Ohtake preferia sempre deixar suas obras sem título. Embora suas obras sejam associadas ao informalismo por alguns, suas formas destacam-se por remeterem a elementos da natureza e a volumes que se assemelham a movimentos orgânicos. Desde as primeiras décadas, Tomie Ohtake impõe tremores, desvios e abaulamentos às formas geométricas, traçando contornos e silhuetas, evitando a rigidez. Outra característica é o uso das cores. “Desde meados da década de 1980, a artista imerge na intensidade de uma paleta cromática profunda, cheia de pretos, brancos e vermelhos saturados, intercalados com azuis, verdes e amarelos densos”, explicam os curadores.
Dentre as 40 gravuras – serigrafias, litografias e gravura em metal – é possível perceber mudanças sucessivas com o passar das décadas de produção de Tomie Ohtake. Há desde as mais antigas, em que o gesto da artista transparece nos contornos irregulares que traduzem os atos de rasgar papeis deixando rebarbas (como ela fazia em seus esboços); passando por aquelas que testam a combinação de cores ousadas, como se Tomie utilizasse tudo o que está à mão para reproduzir em série texturas antes possíveis apenas nas pinturas; chegando até aquelas em que há uma delicadeza programada do ato, linhas finas que se cruzam, que se sobrepõem e que se encontram sob (ou sobre) uma superfície aquosa.
Nas três esculturas, delicadeza, manualidade e fluidez se destacam. Isso porque a forma como elas se equilibram no solo causa a sensação de estarem suspensas. As estruturas metálicas são frutos de torções, dobras e voltas realizadas previamente pela mão da artista em pequena escala, depois transplantadas da maneira mais fiel possível em dimensão escultural.
As cinco pinturas enfatizam as analogias corpóreas e orgânicas. Feitas com procedimentos, cores e gestualidades diferentes, elas compartilham um apelo sensual ao olhar. Como conjunto, podem remeter a diferentes estágios de fecundação, multiplicação, nascimento e crescimento.

Tomie Ohtake - Ela nasceu em Kyoto, no Japão, dia 21 de novembro de 1913, onde fez seus estudos. Em 1936 chegou ao Brasil para visitar um de seus cinco irmãos. Impedida de voltar, devido ao início da Guerra do Pacífico, acabou ficando no país. Casou-se, criou seus dois filhos, e com quase 40 anos começou a pintar incentivada pelo artista japonês Keisuke Sugano.
A carreira atingiu plena efervescência a partir dos seus 50 anos, quando realizou mostras individuais e conquistou prêmios na maioria dos salões brasileiros. Além da pintura, da gravura e da escultura, marcam sua produção as mais de 30 obras públicas desenhadas na paisagem de várias cidades brasileiras, dentre elas, uma em Curitiba – instalada no Museu Municipal de Arte (MuMA), no Portão Cultural. A obra em concreto tem 11 metros de altura e foi criada especialmente para Curitiba celebrar o centenário de amizade Brasil-Japão, em 1996.
Sobre o seu trabalho foram publicados três livros, 20 catálogos e oito filmes/vídeos, entre os quais o realizado pelo cineasta Walter Salles Jr. Em São Paulo, dá nome a um vibrante centro cultural, o Instituto Tomie Ohtake. Com seu reconhecimento, Tomie tornou-se uma espécie de embaixatriz das artes e da cultura no Brasil. Foi sempre convocada a receber grandes personalidades internacionais, como a Rainha Elizabeth, o Imperador, a Imperatriz e o Príncipe do Japão, o dançarino Kazuo Ohno, a coreógrafa Pina Bausch, a artista Yoko Ono, o escritor José Saramago, o encenador Robert Wilson, entre muitos outros. Dos 100 aos 101 anos concebeu cerca de 30 pinturas. Até a sua morte em fevereiro de 2015, aos 101 anos, seguiu trabalhando.

A exposição “Tomie Ohtake: Cor e Corpo” pode ser visitada até dia 10 de setembro, de terça a sábado, das 10h às 20h; domingo, das 10h às 19h. A entrada é franca.

Exposição no Memorial de Curitiba investiga relações entre tempo e espectador

O artista plástico Daniel Dach inaugurou, no Memorial de Curitiba, a sua exposição “RE-Existência”. O artista expõe trabalhos em vídeos, painéis e fotografia.
"Em meus trabalhos mais recentes busco evidenciar os limiares, as dicotomias dor/alegria, morte/vida, claro/escuro, água/fogo, potencializando assim o olhar do vídeo ao direcioná-lo às minorias, aos instantes pouco notados da rotina de nosso cotidiano", diz Daniel Dach.
Os trabalhos pretendem criar diversas possibilidades de reflexão sobre a complexidade do tempo, o instante irrecuperável da vida, a manipulação dessas passagens como forma de meditação. “Nas instalações o espectador deve concentrar-se, deixar-se imergir e acompanhar todas as nuances, as mudanças e os silêncios aparentes”, sugere o artista.
O projeto foi realizado por meio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba.

A exposição de Daniel Dach pode ser visitada até dia 3 de setembro, de terça a sexta-feira das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 9h às 15h. A entrada é franca.

Teatro de Comédia abriu inscrições para nova montagem

O Centro Cultural Teatro Guaíra abriu as inscrições para atores e atrizes interessados em compor o elenco da próxima montagem do Teatro de Comédia do Paraná-TCP. O texto definido pela Secretaria de Estado da Cultura e pelo Centro Cultural Teatro Guaíra é “Hoje é Dia de Rock”, de José Vicente, com direção de Gabriel Villela. A estreia está prevista para 17 de novembro, no auditório Salvador de Ferrante (Guairinha).
O período para as inscrições segue até as 23h59 de 17 de agosto de 2017, exclusivamente por e-mail dirigido ao endereço dpa@cctg.pr.gov.br, com a ficha de inscrição devidamente preenchida. O edital completo e ficha de inscrição estão em www.teatroguaira.pr.gov.br.
Somente serão aceitas inscrições de profissionais com idade igual ou superior a 18 anos e que sejam residentes no Paraná. Os interessados deverão ter disponibilidade para ensaios a partir de 4 de setembro de 2017, de acordo com o cronograma estabelecido para a produção do espetáculo.

REQUISITOS - O candidato deverá interpretar, aproximadamente, por um minuto, a primeira cena do terceiro ato de “Hamlet” (“Ser ou Não Ser”) ou um trecho do personagem Segismundo, em “A Vida é Sonho”, de Pedro Calderón de La Barca, ou ainda um trecho de “Henrique IV”, de Luigi Pirandello.
Será também solicitado ao candidato que cante um trecho das seguintes canções: “Palavra de Mulher”, de Chico Buarque, ou “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso, ou “Travessia”, de Milton Nascimento. Poderá fazê-lo a capela ou, caso domine algum instrumento musical, acompanhado deste instrumento.
Os profissionais inscritos deverão participar nos dias 19 e 20 de agosto de 2017, em horário e local a serem comunicados através do e-mail fornecido na inscrição, de audição com a direção do espetáculo.
A lista final dos artistas selecionados será divulgada em 23 de agosto de 2017, no site oficial do CCTG www.teatroguaira.pr.gov.br. Outros esclarecimentos podem ser obtidos somente pelo email dpa@cctg.pr.gov.br.

Orquestra Ouro Preto lança DVD “The Beatles” no Guairão

A Orquestra Ouro Preto, regida pelo maestro Rodrigo Toffolo, lança o DVD “The Beatles”, nesta quarta (26), no Teatro Guaíra. Esta é a primeira vez que a OOP se apresenta na capital paranaense. O concerto integra a turnê nacional de lançamento do DVD e conta com patrocínio da SulAmérica, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.
Dialogando os universos da música erudita e popular, o DVD propõe uma vibrante viagem sonora pela biografia musical do quarteto de Liverpool, a partir de uma combinação inusitada: a união, em um mesmo palco, de uma orquestra de cordas e uma banda de rock.
Gravado ao vivo, no Cine Theatro Brasil, em Belo Horizonte, o repertório do DVD abrange todo o período de produção artística dos Beatles, de grandes sucessos, que há muito fazem parte do imaginário coletivo, até canções menos conhecidas do grande público, em arranjos inéditos, assinados pelo jovem violinista Mateus Freire. Destaque para as clássicas “Day Tripper”, “In My Life”, “Penny Lane”, “Because”, “Something” e “With a Little Help From My Friends”.
As músicas privilegiam a linha melódica original das canções, com os violinos, violas, violoncelos e baixo, substituindo a palavra cantada. De acordo com o maestro Rodrigo Toffolo, diretor artístico e regente titular da Orquestra Ouro Preto, o objetivo da escolha é manter fidelidade às peças, “desvendando a complexidade melódica das canções do grupo e, ao mesmo tempo, reafirmando o caráter atemporal da obra do quarteto de Liverpool”, explica.
Sucesso de público e crítica, o espetáculo que compõe o DVD alcança aproximadamente uma centena de apresentações por vários estados do Brasil, incluindo também a participação na International Beatle Week, em Liverpool, no ano de 2012, em três elogiados concertos, tornando-se a primeira orquestra do mundo a participar do tradicional evento destinado a beatlemaníacos de todo o mundo.
Livre para todas as idades, a apresentação da Orquestra Ouro Preto tem ingressos que variam de R$ 26,00 (meia) a R$ 16,00 (inteira) de acordo com o setor do teatro. A taxa administrativa de R$ 6,00 está incluída no valor. Mais informações: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.


Torneio Paranaense de Economia desafia estudantes em jogo virtual

O cenário da economia brasileira é bastante desafiador, até mesmo para economistas com grande experiência, devido as altas taxas de juros e inflação. Mas um jogo virtual promete desafiar acadêmicos de economia do Paraná a utilizarem os seus conhecimentos para solucionarem essas questões, através do 7º Torneio Paranaense de Economia, que será realizado nos dias 27 e 28, de julho de 2017, em Curitiba, na FAE Business School (Rua Visconde de Guarapuava, 3263, Centro, Curitiba, Paraná). O evento promovido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (CORECONPR) estimula os estudantes a desenvolverem e aplicarem na prática conceitos que possibilitem a simulação de variáveis macroeconômicas.
Idealizado pelo professor Paulo Henrique Sandroni, da Fundação Getulio Vargas de São Paulo e desenvolvido para a plataforma virtual por Jaime Diaz, o Jogo da Economia Brasileira, simula um problema econômico em que os competidores precisam solucioná-lo através do seu conhecimento, com estratégia e um pouco de sorte. Cada carta do jogo representa uma decisão macroeconômica, que pode ter consequências como aumento da inflação ou recessão.
O Torneio Paranaense de Economia, que envolve na disputa uma dupla de estudante por instituição de ensino superior, tem como objetivo estimular estudantes à prática, o desempenho, a competência e a solidez teórica sobre temas distintos da Economia em suas diversas áreas, além de estreitar os lanços entre os estudantes e o Corecon.
A dupla vencedora será classificada para participar da Gincana Nacional de Economia. A premiação total oferecida é de R$ 4 mil, distribuída conforme regulamento, entre três melhores classificadas.  As duplas que ficarem em 2º e 3º lugares serão classificadas para participarem da 2ª Gincana Regional de Economia – Sul, que acontecerá no sábado, dia 29.

Mais informações: www.coreconpr.gov.br.

Quinta-feira ao som de Paulinho Moska no Shopping Curitiba

Nesta quinta (27), a partir das 18h, o "Conexão Shopping Curitiba" recebe o cantor Paulinho Moska. O projeto musical em parceria com a Rádio Transamérica Light, é gratuito e aberto ao público, o artista vai cantar e conversar bem perto do público, em palco montado no espaço gastronômico Largo Curitiba (piso L2).
O repertório é composto por “Pensando em Você”, “A Seta e o Alvo”, “A Idade do Céu”, “Lágrimas de Diamantes”, “Último Dia”, entre outras. Estão também a regravação de “Enrosca” (da novela “Império” - Guilherme Lamounier), “Tudo Que Acontece de Ruim É Para Melhorar” (da novela “Êta Mundo Bom!” - Moska e Mú Carvalho) e “Impaciente Demais” (da novela “A Lei do Amor” - Moska e Ricardo Leão), ambas de novelas globais e sucessos nas rádios do Brasil.
Todo mundo pode participar, não é necessário adquirir ingresso. Os fãs podem ainda aproveitar a sessão de autógrafos que acontece logo após o pocket. Serão distribuídas 50 senhas, que devem ser retiradas no dia, a partir das 12h, na recepção do shopping, no piso L3. Mais informações: 3331-1717 (Rádio Transamérica Light).

Sobre o “Conexão" - Com o objetivo de viabilizar encontros e aproximar artistas de seus fãs da capital paranaense, o “Conexão Shopping Curitiba” é um projeto musical gratuito e aberto ao público, resultado de uma parceria entre a Rádio Transamérica Light e o Shopping Curitiba.
As apresentações, bate-papos e pocket shows acontecerão mensalmente e serão transmitidos ao vivo na frequência FM 95.1 e pelas redes sociais da rádio, para todo o todo o país. Já passaram pelo palco os artistas Juca Novaes, Jane Duboc e Sergio Sá.

Mais informações: 3026-1000 ou www.shoppingcuritiba.com.br.

Esta é a última semana para conferir a mostra Buenos Bares na BPP

Esta é a última semana para o público conferir a exposição Buenos Bares, do fotógrafo Carlos Dominguez, em cartaz no hall térreo da Biblioteca Pública do Paraná. A mostra que encerra na próxima segunda-feira (31) é composta por 34 imagens digitais de cafés e outros estabelecimentos culturalmente importantes de Buenos Aires, na Argentina. A entrada é gratuita.
Os cafés portenhos - que muitas vezes também incluem serviços de bar e bilhar - fazem parte da cultura e da rotina dos argentinos. Muitos desses locais, que se destacam pelo design arquitetônico, foram reconhecidos como patrimônio cultural pela prefeitura local e ganharam a designação de “Bares Notáveis”. Foi deste circuito que Dominguez partiu para realizar seu trabalho.
Nascido em um bar e restaurante de Curitiba nos anos 1950, o fotógrafo é filho de imigrantes espanhóis e tem familiares portenhos, que conheceu apenas aos 12 anos de idade. “Essa ligação afetiva entre a história da minha família e a trajetória profissional de meu pai, que era dono do restaurante Universal, no centro de Curitiba, foi determinante para eu iniciar esse trabalho”, diz Dominguez.
No começo de maio, parte da mostra Buenos Bares foi inaugurada e ainda segue em cartaz na capital argentina. As imagens focam a atmosfera, a arquitetura externa e interna, o mobiliário de época, os adornos, a gastronomia, os frequentadores e os atendentes dos cafés.
Engenheiro civil de formação, Dominguez faz trabalhos autorais de fotografia há mais de 20 anos. A maioria de seus ensaios retrata viagens a grandes cidades do mundo, como Paris e Montevidéu.

Mais informações: 3221-4974.

Capela de Nossa Senhora da Glória terá R$ 1 milhão para restauração

Um convênio assinado na manhã desta terça-feira (25) vai garantir a transferência de potencial construtivo no valor de R$ 1 milhão para as obras de restauração da Capela Nossa Senhora da Glória, na Avenida João Gualberto, no Alto da Glória. O documento foi assinado pelo prefeito Rafael Greca e pelo arcebispo de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo.
Agradeço que a Igreja tenha a disposição de manter esse local importante para a história e para a fé”, disse o prefeito. Greca lembrou que a capela foi construída no século 19, a pedido da viúva do Comendador Fontana, Maria Dolores de Leão Fontana. Ainda foi lá, destacou o prefeito, que começou a devoção de Curitiba à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.
Dom Peruzzo reforçou a necessidade de se conservar o patrimônio da capela. “Quero lhe assegurar que vamos manter, cuidar e proteger essa edificação, porque é retrato de cansaços, esforços e esperanças”, afirmou. “Quem sabe interpretar o trabalho de quem construiu Curitiba pode olhar o futuro com mais otimismo e ajudar a fazer essa cidade cada vez melhor”.
Participaram o secretário municipal do Urbanismo, Marcelo Ferraz César; o presidente do Ippuc, Reginaldo Reinert; a superintendente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Castro; o diretor de Patrimônio da Fundação, Marcelo Sutil; o coordenador geral das Administrações Regionais, Dirceu de Matos; o padre José Aparecido Pinto; a assessora jurídica da Mitra da Arquidiocese de Curitiba, Cinthya Ferreira; a assessora técnica da Mitra da Arquidiocese de Curitiba, Maria Helena Eyng; o vereador Geovane Fernandes; além de Jucimara Campelo, da Secretaria do Urbanismo, e Fatima Mercure, da Fundação Cultural.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

MIS-PR realiza mostra de filmes em comemoração ao dia dos avós

O Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR) promove nos dias 26 e 27 de julho a exibição dos filmes “Cocoon” e “Conduzindo Miss Daisy” (foto), respectivamente, em comemoração ao dia dos avós, celebrado no dia 26. Os filmes serão exibidos no miniauditório do museu, às 15h. A entrada é gratuita.
O filme escolhido para a sessão de quarta-feira é “Cocoon”, comédia de ficção científica que conta a história de três idosos que ganham um novo sopro de vida ao descobrirem uma "fonte da juventude", em uma piscina de uma casa aparentemente abandonada. O que eles não sabem é que aquela piscina é utilizada por extraterrestres para abrigar casulos de seres de outro planeta, com o objetivo de conservá-los até que possam levar todos para fora da Terra. Quando os três amigos descobrem a razão do que está acontecendo, decidem ajudar os extraterrestres a cumprirem sua missão. O filme é livre para todas as idades.
Na quinta-feira será exibido o premiado filme “Conduzindo Miss Daisy”. O longa, dirigido por Bruce Beresford, conta a história de uma senhora judia de 72 anos, interpretada por Jessica Tandy, que inicialmente recusa ser conduzida pelo novo motorista (Morgan Freeman), que seu filho contratou para ela. Gradativamente, porém, o motorista quebra as barreiras sociais, culturais e raciais que existem entre eles, e com isso cresce entre os dois uma amizade que atravessa duas décadas. A produção é indicada para maiores de 14 anos.

Museu da Imagem e do Som do Paraná está situado na rua Barão do Rio Branco, 395. Centro. Mais informações: 3232-9113 ou www.mis.pr.gov.br.

Museu Paranaense abre mostra sobre o ex-governador Ney Braga

O Museu Paranaense abre nesta terça-feira (25), às 17h, a exposição “Ney Braga: 100 Anos na História do Paraná”, composta por fotografias, textos e objetos que contemplam a carreira política do ex-governador Ney Braga. A mostra permanece até 5 de novembro de 2017 e entrada é gratuita.
Nos quase 50 anos de vida pública, Ney Braga ocupou diversos cargos. Foi prefeito de Curitiba, de 1954 a 1958, cuja gestão foi premiada com “os dez municípios brasileiros de maior progresso”, entregue pelas mãos do presidente Juscelino Kubitschek. Também foi deputado federal, duas vezes governador do Paraná, ministro da Agricultura e da Educação e Cultura, senador, diretor-geral da Itaipu Binacional e, ainda, presidente do Conselho de Administração da Copel, até 2000, ano em que faleceu.

A exposição “Ney Braga: 100 Anos na História do Paraná” pode ser visitadade terça a sexta-feira, das 9h às 18h; sábados, domingos e feriados das 10h às 16h. Mais informações: 3304-3300 ou www.museuparanaense.pr.gov.br.

Casa Kozák recebe exposição de pinturas de artistas de Santa Felicidade

A Casa Kozák, centro cultural localizado no bairro Uberaba, inaugurou nesta segunda-feira (24) uma exposição de pinturas de artistas do bairro de Santa Felicidade. Os participantes são alunos do curso de pintura em tela da Rua da Cidadania de Santa Felicidade, orientado pelos professores Iriene Borges e Osmar Delgado.
A exposição “Janelas da Alma” reúne trabalhos realizados durante mais de um ano de atividades. “É um exercício do olhar manifestado em várias técnicas, evidenciando a diversificada bagagem dos artistas envolvidos e possibilitando a composição de uma poética coesa e plural”, dizem os orientadores.

A Casa Kozák está situada na rua Padre Júlio Saavedra, 588 e a exposição “janelas da Alma” pode ser visitada até dia 31 de agosto de 2017, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Mais informações: 3376-6421.

Concerto das Rosas traz música e ação social ao palco do Guairão

O espetáculo “Concerto das Rosas”, projeto organizado pela ONG Unicultura e pelo Grupo Orquestral Ladies Ensemble, em benefício da Associação dos Amigos do Hospital de Clínica, será atração no Guairão, nesta terça (25), às 20h30. Será a segunda apresentação da turnê do musical, que se iniciou no dia 22 de julho em Ponta Grossa e deverá seguir para mais oito cidades do Paraná em 2017 - Guarapuava (a confirmar), Cascavel, Foz do Iguaçu, Medianeira (a confirmar), Maringá, Londrina, Toledo e Francisco Beltrão.
De caráter cultural e social e com captação de recursos via Lei Rouanet, o projeto prevê que parte do que for arrecadado com as apresentações seja destinado aos Amigos do HC para ações de apoio às mulheres com câncer de mama atendidas no Hospital de Clínicas da UFPR. “A arte é a melhor forma de expressar nossa sensibilidade com quem vive essa situação difícil de enfrentar um tratamento pesado como o do câncer de mama. Queremos tocar essas pessoas e, de alguma forma, suavizar e deixar mais leve esse processo”, conta Fabiola Bach.
O “Concerto das Rosas” destaca a música clássica com interpretações das estações de Vivaldi e Piazzolla pelo Ladies Ensemble, grupo formado por 20 musicistas das principais orquestras do Paraná, que tocam violino, viola, violoncelo, piano, contrabaixo, acordeon e percussão. A regência é do maestro Alessandro Sangiorgi, com a participação das solistas Maryanne Francescon e Moara Pessatti e a direção artística de Fabiola Bach.

Os ingressos para os concertos no Guairão estão à venda na sede dos Amigos do HC (Av. Agostinho Leão Junior, 336 - Alto da Glória) e também pelo Disk Ingressos - preços de R$ 70,00 e R$ 35,00 (meia-entrada). Nas apresentações do interior, os valores são de R$ 40,00 e R$ 20,00 (meia-entrada). São apoiadores da ação para a venda dos bilhetes o Rotary Club International e o Lions Club do Brasil. Mais informações: 3315-0808.