segunda-feira, 30 de abril de 2012

vozdemulher

Adele, "Set Fire to the Rain"

Dize-me com quem andas...

Ao confirmar hoje (30) o nome do deputado federal gaúcho Brizola Neto (PDT-RJ, http://bit.ly/KuR7Z7) como novo ministro do Trabalho, a presidente Dilma Rousseff disse, em nota, ter confiança de que ele “prestará grande contribuição ao país”. Segundo informações do Palácio do Planalto, a posse do novo ministro deverá ocorrer na quinta-feira (3), às 11h.
Segundo o texto, a presidenta agradece a colaboração do ex-ministro Carlos Lupi e do ministro interino Paulo Roberto Pinto “na consolidação das conquistas obtidas pelos trabalhadores brasileiros nos últimos anos”.
A decisão foi tomada depois de uma reunião durante a manhã entre o presidente do PDT, Carlos Lupi, a presidenta da República, Dilma Rousseff, e o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho.
Estavam na lista da legenda, além de Brizola Neto, o deputado Vieira da Cunha (RS) e o secretário-geral do partido, Manuel Dias. Esses dois eram a preferência do partido.
Na foto, o novo ministro do Trabalho, acompanhado pelo sorridente presidente do PDT, Carlos Lupi. Lupi foi afastado do Ministério do Trabalho - mesmo fazendo uma deprimente declaração de amor à presidente, http://bit.ly/IMir0g - após várias denúncias de corrupção em sua gestão. Como se vê, Lupi não consegue se afastar do Trabalho...

corre na internet...

com o traço do chargista Duke


Foz do Iguaçu sediará edições do X Games

(AEN) - O município de Foz do Iguaçu foi escolhido como uma das três cidades para sediar as edições de 2013, 2014 e 2015 dos jogos mundiais X Games, considerado o maior evento de esporte radicais do mundo. O anuncio oficial será realizado nesta terça-feira (1º) pela rede norte-americana de televisão ESPN, que é a responsável pela organização da competição.
A candidatura da cidade foi proposta pela Brunoro Sport Business (BSB), empresa especializada na área de negócios do esporte. Durante encontro com o governador Beto Richa, em março, ele informou que uma equipe da ESPN já havia realizado a última vistoria técnica para avaliar a estrutura física do município para sediar a etapa do evento.
Foz do Iguaçu disputou a fase final com cidades como Barcelona, Munique, Lisboa, Cancun, Santiago, Rio de Janeiro, entre outras. A seleção da sede iniciou em julho do ano passado com a participação de 40 cidades de 21 países. A estimativa dos organizadores é que o evento alcance quase 800 milhões de pessoas de 180 países.
O X Games é um evento de esporte anual que foi criado em 1995, nos Estados Unidos, com o nome The Extreme Games. Na edição de verão, os esportistas competem por medalhas de ouro, prata e bronze, além de prêmios em dinheiro em quatro grandes modalidades: Moto, Rally, Skate e Bike BMX. Os jogos são considerados atualmente a Olimpíada de Esportes Radicais, tornando-se uma referência em esportes de ação.

Cineplus Jardim das Américas será ampliado em 2012

Um dos mais completos de Curitiba, o complexo Cineplus do Shopping Jardim das Américas conta atualmente com três salas de cinema com exibição 3D e uma sala convencional. Com salas multiplex e avançada tecnologia Dolby Digital, que permite excelente qualidade na exibição, o Cineplus teve em julho de 2009, teve a maior taxa de ocupação do Brasil, segundo relatório da empresa de pesquisas Nielsen.
Parte importante do processo de expansão do Shopping Jardim das Américas, que até o final deste ano deve aumentar em 20 mil metros sua área total construída – totalizando 50 mil m² – o Cineplus também passará por uma ampliação e receberá reformas na estrutura atual. Para o segundo semestre de 2012 são programadas mais três novas salas de cinema – uma com um tamanho maior, de 400 lugares, e outras duas com 150 poltronas cada, além da revitalização da bomboniére já existente e do acréscimo de novas bilheterias.
Além da exibição regular de filmes e animações, o Cineplus Jardim das Américas possui ainda a disponibilidade da realização de eventos corporativos e ações especiais. Sessões fechadas para funcionários de empresas, grupos de amigos, escolas ou exibição de produções específicas ou institucionais são alguns dos eventos que podem ser realizados no espaço do cinema.
Para planejar um evento especial no Cineplus, basta entrar em contato com a diretoria do complexo pelo e-mail administração@cinemacineplus.com.br.

Quadro "O Grito" pode bater recorde de valor em leilão

(Reuters) - A obra "O Grito", de Edvard Munch, poderá se tornar a pintura mais cara da história a ser vendida em um leilão, na quarta-feira, caso se cumpram as previsões de que o quadro arrecade até 150 milhões de dólares.
Estima-se que a pintura, uma das quatro versões produzidas pelo artista escandinavo e a única de propriedade privada, seja vendido por 80 milhões de dólares quando o martelo da Sotheby´s bater em Nova York.
Mas o especialista Nicolai Frahm, da Frahm Ltd., acredita que o preço vai subir.
"Acho que chegará aos 150 milhões de dólares", disse ele em uma entrevista por telefone. Com isso, o valor superaria o recorde estabelecido pelo quadro "Nu, folhas verdes e busto", de Pablo Picasso, vendido por 106,5 milhões de dólares em 2010.
"Esta é a primeira vez que temos uma obra tão icônica à venda", acrescentou ele. "Essa pintura é muito mais famosa do que o artista jamais foi".
Outros especialistas independentes sugeriram que o preço final deve ficar em torno de 125 milhões de dólares.
A Sotheby's foi longe para proteger a pintura. Ela está sob vigilância 24 horas por dia em sua sede em Nova York, onde fica abrigada em uma minigaleria especialmente construída para isso, atrás de cercas elétricas.
Duas das quatro telas "O Grito" foram roubados de museus em 1994 e 2004, mas ambas foram recuperadas depois. Petter Olsen, cujo pai era amigo e vizinho de Munch, está vendendo uma versão de 1895, e planeja fundar um museu com o dinheiro.
A Sotheby's disse ter feito a estimativa de modo intuitivo.
"Parece que 100 milhões de dólares pode funcionar como uma barreira", disse David Norman, co-presidente para arte moderna e impressionista.
"Mas pinturas como essa - aonde elas vão parar é uma questão de momento. É muito difícil de prever. Você está tentando determinar o preço de uma das imagens mais raras e singulares dos últimos 150 anos".
Norman afirmou que muitos apreciadores de arte acreditam que o preço da venda será muito maior do que a estimativa pré-venda. A fama da pintura poderá levar o preço à estratosfera.

Até o final do ano, é possível fazer ligações interurbanas de graça nos orelhões da Embratel

(ABr) – De hoje (30) até o dia 31 de dezembro, a Embratel não poderá cobrar por chamadas nacionais de longa distância feitas por meio do código 21 nos 1,5 mil orelhões sob responsabilidade da concessionária. A medida foi determinada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) por causa do desempenho insatisfatório da Embratel na execução do plano de revitalização da telefonia de uso público, iniciado em setembro de 2011.
A Anatel constatou que parte significativa da planta de orelhões da Embratel continua fora de condições de uso. Até junho, as ligações interurbanas grátis deverão estar disponíveis em, no mínimo, 70% dos orelhões da companhia. A Embratel também deverá elevar a disponibilidade e a qualidade dos telefones públicos em 80% até 30 de setembro e em 95% até 31 de dezembro, sob pena de restrição à cobrança de outras chamadas, inclusive nos telefones individuais.
A Embratel informou que a gratuidade foi uma iniciativa proposta pela própria empresa para atender ao plano da Anatel de melhorar a telefonia de uso público. Segundo a concessionária, a planta de orelhões está sendo totalmente renovada, com previsão de conclusão em dezembro de 2012. Antes, até julho, serão substituídos 75% dos telefones públicos da Embratel.

domingo, 29 de abril de 2012

vozdemulher

Maria Gadu, "A Próxima Vez"

Museus da Secretaria de Estado da Cultura têm programação neste feriado

Para quem estiver em Curitiba durante o feriado do Dia do Trabalho, uma boa opção é visitar os museus da Secretaria de Estado da Cultura. Na terça-feira (1º), os espaços funcionam em horário diferenciado.
A Casa Andrade Muricy abriga quatro exposições. São trabalhos que percorrem diferentes vertentes das artes plásticas, com objetos em cerâmica, tecido e ferro. As mostras “(im)permanências”, “Adentros”, “Articulações: Poéticas do Corpo” e “Passatempo” ficam em cartaz até 03 de junho. 
No Museu Oscar Niemeyer a série “Os Caprichos”, de Francisco Goya (foto), permanece em cartaz até 13 de maio. Além desta, também é possível conferir a exposição recém aberta “1911-2011 Arte brasileira e depois, na Coleção Itaú”, que reúne desde obras bidimensionais, tridimensionais e vídeos até holografia, videoinstalação e instalação digital.
No Museu Paranaense duas mostras contemplam o trabalho dos artistas Vladimir Kozák e Karla Kozák. Na exposição “Vladimir Kozák, o olhar de um viajante”, que segue até fevereiro de 2013, quadros, fotos e filmes, produzidos por Kozák, retratam detalhes da história do Estado. Já a mostra “Um olhar feminino sobre a natureza do Paraná: Karla Kozák”, que fica exposta até 5 de agosto, traz as aquarelas feitas pela irmã de Kozák. As obras mostram azaléias e orquídeas e na exposição, além das aquarelas, flores naturais também estarão expostas, como em uma estufa.
No Museu Alfredo Andersen é possível conferir as exposições “Transeuntes”, de Odil Miranda Ribeiro, que tem como foco as características e signos da sociedade, e “Masa”, que faz uma retrospectiva do trabalho do artista japonês Masanori Fukushima, morto em 2008.

Jack White tira Adele do topo das paradas da Grã-Bretanha

(Reuters) - "Blunderbuss", o primeiro álbum solo de Jack White, tirou o disco "21" da cantora Adele do topo das paradas da Grã Bretanha no domingo e Carly Rae Jepsen conseguiu evitar que a nova música de trabalho de Calvin Harris lhe tomasse o primeiro lugar.
O disco da cantora e compositora Adele tem se mantido no topo das paradas britânicas há mais de um ano e, recentemente, a revista americana Time incluiu a cantora na sua lista de 100 pessoas mais influentes do mundo em 2011, uma honra que o primeiro-ministro britânico, David Cameron, não recebeu.
Entretanto, ela perdeu sua posição nesta semana para "Blunderbuss" (ouça http://bit.ly/IczhuH), disco de Jack White, que ficou famoso com o grupo White Stripes que se separou em fevereiro de 2011, segundo a Official Charts Company.
A cantora Lana Del Rey e Nicki Minaj ficaram, respectivamente, com o terceiro e quarto lugares da parada, enquanto o disco de Rufus Wainwright, "Out of the Game", entrou para a lista ocupando o quinto lugar.
Na parada de singles, a cantora canadense que participou do programa American Idol, Carly Era Jepsen, se manteve no primeiro lugar com "Call Me Maybe", que vendeu 434.000 cópias até agora e está a caminho de se tornar um dos álbuns mais vendidos de 2012.
Calvin Harris, compositor escocês que produziu "We Found Love", de Rihanna, ficou com o segundo lugar com "Let's Go", que tem a participação do cantor de R&B, Ne-Yo. Foi a única novidade nas paradas do Top 40 de singles dessa semana.

Evento em Londres reunirá os cinco capitães de "Star Trek"

(Reuters) - O universo de "Star Trek" se teletransporta em outubro para Londres, atingindo então a fronteira final, ao reunir pela primeira vez os cinco atores que já comandaram as tripulações nas séries televisivas dessa franquia de ficção espacial.
Os organizadores do evento "Destination Star Trek London" anunciaram nesta segunda-feira que esse será o primeiro evento oficial da franquia no Reino Unido em dez anos.
Para marcar a ocasião, os atores William Shatner (capitão Kirk), Patrick Stewart (capitão Picard), Avery Brooks (comandante Sisko), Kate Mulgrew (capitão Janeway) e Scott Bakula (capitão Archer) aparecerão juntos diante dos fãs.
Shatner, de 81 anos, que comandou a nave Enterprise pela primeira vez nos episódios gravados em 1966, é figura habitual nesse tipo de evento, que costuma atrair milhares de fãs, principalmente nos EUA.
Avery Brooks (primeiro comandante negro, na série "Star Trek: Deep Space Nine", entre 1993 e 99) e Kate Mulgrew (primeira mulher comandante, em "Star Trek: Voyager") também costumam participar dos eventos.
Os organizadores dizem esperar a presença de 10 a 15 mil fãs da série, oriundos do mundo todo. O evento acontecerá no Excel Exhibition Centre, entre 19 e 21 de outubro, e os ingressos começam a ser vendidos em 30 de abril.
"Não são só os cinco capitães. Haverá vários outros convidados das séries. Os fãs poderão chegar perto", disse Rob Nathan, diretor de marketing da empresa Media 10, que organiza o evento com a CBS.
Ele disse que o evento será maior e mais interativo que edições anteriores. "Haverá exibições de dublês, vamos recriar alguns cenários, e levar alguns cenários originais. As pessoas poderão se sentar na ponte de comando com membros do elenco", afirmou.
Mais informações estão disponíveis no site http://www.startreklondon.com/.

Revista People elege Beyoncé a mulher mais bonita do mundo

(Reuters) - A cantora Beyoncé, ganhadora do prêmio Grammy, foi eleita a mulher mais bonita do mundo em 2012 pela revista People.
Beyoncé, de 30 anos e casada com o rapper Jay-Z, deu à luz seu primeiro filho em janeiro, a menina Blue Ivy Carter. "Eu me sinto mais bonita do que nunca porque tive um filho. Nunca havia me sentido tão conectada, nunca havia sentido que eu tinha tal propósito nesta terra", disse a cantora, em declaração à revista.
Beyoncé ficou no topo da lista anual preparada pela revista, juntando-se assim a outras vencedoras em anos anteriores - Michelle Pfeiffer, Julia Roberts, Nicole Kidman, Halle Berry, Jennifer Aniston, Angelina Jolie e a eleita no ano passado, Jennifer Lopez.
A cantora está se preparando para seu primeiro show depois de ter dado à luz. Será em Atlantic City, no Estado de New Jersey, em maio.

Lugarejo chamado Fucking quer mudar de nome

Os habitantes de uma cidadezinha na Áustria estão cansados de piadas, dos trotes diários e dos roubos das placas locais de sinalização. O motivo é o peculiar nome do povoado: Fucking.
Ainda que em alemão a palavra não tenha qualquer significado, salvo a memória de um nobre que viveu no século 6 chamado Focko, em inglês o termo desperta risadas e brincadeiras por ser sinônimo vulgar de ato sexual.
Desde que os soldados americanos e britânicos descobriram a pequena vila ao Norte de Salzburgo na II Guerra Mundial, turistas não param de chegar para tirar fotos no local. Alguns chegam a arrancar avisos com o nome do povoado como souvenir ou, à noite, tiram fotos debaixo dos letreiros enquanto mantêm relações sexuais.
Para os fuckingers, como são chamados os residentes, não há graça. De fato, estão promovendo a instalação de câmeras para dissuadir os amantes noturnos e uma consulta popular para trocar o nome do povoado.
Há seis anos os cerca de 100 habitantes disseram não à mudança de nome argumentando que Fucking tem uma larga e intensa história de mil anos. Mas agora estão pensando seriamente em mudar de Fucking para Fugging.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

vozdemulher

Sinéad O’Connor, “Nothing Compares 2U”

Na semana de estreia dos Vingadores, a atração é Marilyn

Os Vingadores - Depois do sucesso dos filmes individuais dos super-herois da Marvel, sua esperada reunião em "Os Vingadores - The Avengers", de Joss Whedon, chega às telas. O filme circula em cópias convencionais, 3D e Imax, em versões dubladas e legendadas.
Com um orçamento estimado em US$ 220 milhões, não houve economia de efeitos especiais para justificar o encontro de Thor (Chris Hemsworth), Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), o Incrível Hulk (Mark Ruffalo) e Capitão América (Chris Evans). Ao quarteto de superpoderosos une-se uma alentada dupla de agentes, Natasha Romanoff, mais conhecida como Viúva Negra (Scarlett Johansson), e Clint Barton, ou Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), sob o comando do chefe da S.H.I.E.L.D., a agência que procura proteger nosso mundo, Nick Fury (Samuel L. Jackson).
Para que um time respeitabilíssimo como esse se reunisse, o perigo teria que ser enorme. Do lado de lá, o vilão no comando é Loki (Tom Hiddleston), o irmão adotivo de Thor que caiu em desgraça em Asgard, aliou-se aos rivais, e agora vem apoderar-se de uma temível fonte de energia que estava sob o controle da S.H.I.E.L.D., a Tesseract.
Logo de cara, o estrago é imenso. Loki rouba a Tesseract e ainda passa a controlar a mente tanto do Gavião Arqueiro quanto do cientista Selvig (Stellan Skarsgard), levando-os com ele. Ninguém é páreo para os poderes de Loki e sua temível lança de luz azul.
Divertimento puro. Veja o trailer: http://bit.ly/yrKIOk

Sete Dias com Marilyn - um belo filme que se inspira no livro de memórias de Colin Clark “Minha Semana com Marilyn” (The Prince, The Show Girl and Me: Six Month on the Set with Marilyn and Olivier), para revelar uma das várias facetas de um dos maiores mitos do século 20.
Na narrativa, a musa Marilyn Monroe (Michelle Williams, de “O Segredo de Brokeback Mountain”) está em Londres pela primeira vez para filmar O Príncipe Encantado. É quando conhece Colin Clark (Eddie Redmayne, de “A Outra”), o jovem assistente do prestigiado ator e cineasta Laurence Oliver (Kenneth Branagh, de “Operação Valquíria”).
No início, Clark tinha apenas o sonho de um dia se tornar um grande diretor de cinema, sem imaginar que em pouco tempo viverá um romance com a mulher mais sexy do mundo. O que começa como uma aventura amorosa mudará a vida do ainda inocente Colin.
No elenco do longa dirigido por Simon Curtis ainda estão Judi Dench (“007 Cassino Royale”) e Emma Watson (da saga “Harry Potter”).
O filme ganhou o Globo de Ouro de melhor atriz de comédia ou musical e concorreu ao Oscar 2012 na mesma categoria.
Veja o trailer: http://bit.ly/IaAzAr

As Flores de Kirkuk – drama conta a história de Najla (Morjana Alaoui) - uma mulher que pertence a uma influente família árabe, mas que não deseja seguir as tradições - e Sherko (Ertem Eser) - que é curdo e conhece a jovem em uma viagem à Itália. Com linhagens opostas, mas paixões comuns, os dois resolvem batalhar pelos seus destinos e lutar contra o ódio étnico de suas famílias.
O filme de Fariborz Kamkari mistura política e romance e tem como pano de fundo um dos capítulos mais brutais do Iraque.
Veja o trailer: http://bit.ly/JGkLdM

Orquestra À Base de Corda faz show em homenagem ao choro

A Orquestra À Base de Corda, grupo artístico da Fundação Cultural de Curitiba, apresenta neste sábado (28) e domingo (29), no Teatro do Paiol, um espetáculo em homenagem ao choro. Nesta semana foi comemorado o Dia Nacional do Choro - 23 de abril, data de nascimento de Pixinguinha.
 A maioria dos integrantes da Orquestra - artistas que também atuam como compositores - está desde o início de março escrevendo músicas para homenagear chorões que tiveram importância em suas carreiras. A proposta é que o show, além dos choros inéditos, tenha uma composição de cada chorão escolhido para ser homenageado pelos músicos.
Criada em 1998 e desde 2001 sob a direção musical do violonista e bandolinista João Egashira, a Orquestra À Base de Corda dedica-se à pesquisa e à divulgação da música brasileira. A formação instrumental ímpar - com violino, bandolim, cavaquinho, viola caipira, violão, violão 7 cordas, piano e percussão - confere ao grupo sonoridade bastante particular.
O repertório da orquestra procura abranger diversos períodos da história da música brasileira e inclui composições de seus integrantes. Em 2008, a Orquestra lançou seu primeiro CD, intitulado Antiqüera, ao lado do violeiro Roberto Corrêa, tendo sido indicado para o Prêmio Rival. Em 2009, igualmente ao lado de Roberto Corrêa, participou da gravação do programa “Instrumental SESC Brasil”, em São Paulo.
O concerto da Orquestra À Base de Corda acontece no sábado às 20h e no domingo às 19h. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00.

Grupos dos Estados Unidos e Holanda encerram programação da Bienal Internacional de Dança

A companhia americana Aspen Santa Fe Ballet faz a sua estreia na Bienal Internacional de Dança de Curitiba neste sábado (28), às 21h, no Teatro Guaíra. O espetáculo, composto de três coreografias, terá reprise no domingo (29), encerrando a programação da Bienal, que desde o dia 22 de abril movimenta a cidade, oferecendo oficinas, palestras e apresentações de dança em todos os estilos.
Outras atrações do fim de semana, no Guairinha e Teatro da Reitoria, são o grupo do coreógrafo holandês David Middendorp, a reprise dos Solos Premiados no Festival de Sttutgart, a Mimulus Cia. de Dança, de Minas Gerais, e as apresentações de 12 grupos curitibanos na manhã de domingo (29), no Memorial de Curitiba.
O Aspen Santa Fe Ballet é atualmente um dos principais grupos de dança dos Estados Unidos. Fez apresentações em importantes teatros e festivais americanos de dança, e realizou turnês internacionais pelo Canadá, Guatemala, França, Itália, Grécia e Israel.
Outro nome mundial da dança que se apresenta na Bienal de Curitiba é David Middendorp, conhecido pela sua proposta de integrar dança e tecnologia. Seus espetáculos utilizam recursos de animação e linguagem multimídia, criando um universo próprio. O corpo de cinco bailarinos de diferentes nacionalidades, sob sua direção, faz duas apresentações (sábado e domingo, no Teatro da Reitoria), mostrando três coreografias: “Bread Piece”, “Blue Journey” e “25 Minutes Universe”, peça escolhida para representar a Holanda na World Expo Shangai, na China.
No sábado (28) acontece também mais uma apresentação da série de solos premiados no Festival de Stuttgart. As montagens compõem uma retrospectiva dos vencedores dos últimos cinco anos, com as apresentações de “No Time to Fly Off”, de Valentina Moar; “Susurros raídos, Ángulo de furia”, de Geovanni Pérez e Laura Vera; “When the last candle is blown out”, de Katarzyna Sitarz; “Doroga”, de Ioulia Plotnikova; e “En opposition avec moi”, de Ahmed Soura.
Processo coletivo de criação e experimentalismo são as marcas da Mimulus Cia. de Dança, de Minas Gerais, que se apresenta domingo (29), no Guairinha. Criada em 1990, pelo bailarino e coreógrafo Jomar Mesquita, a Mimulus apresenta o espetáculo “Por um fio”, inspirado na obra de Arthur Bispo do Rosário. A companhia transpõe o fascínio pelos bordados e escritos do artista para o emaranhado de braços e corpos que desenham as coreografias. Fios elétricos, filamentos de lâmpadas incandescentes que se confundem com fios condutores das coreografias fazem parte da composição da obra.
No domingo (29), último dia da Bienal Internacional de Dança, os 12 grupos curitibanos, que fizeram a abertura e durante a semana realizaram flash mobs em diferentes pontos da cidade, voltam ao palco do Memorial de Curitiba. São vários espetáculos que animam a manhã de domingo, a partir das 10h, com entrada gratuita.

Companhia Vigor Mortis celebra Zé do Caixão

O espetáculo “À Meia-Noite Levarei Teu Cadáver”, da companhia Vigor Mortis, que estreou na última quarta-feira (25), permanece em cartaz até o dia 13 de maio no Teatro Universitário de Curitiba (TUC). Com duas sessões diárias, o monólogo de Leandro Daniel Colombo em parceria com o diretor Paulo Biscaia Filho, é uma homenagem à obra de um dos ícones do horror brasileiro, José Mojica Marins, e seu personagem Zé do Caixão.
Em um pacto de sangue com Mojica, Gregório General, um cineasta em crise, é encarnado por Zé do Caixão. A montagem, permeada por muito sangue, répteis e imagens delirantes, busca não só celebrar o horror brasileiro, mas também discutir a identidade artística e cultural do país.
Apesar do monólogo, outros personagens interagem com o protagonista através de projeções em vídeo. No elenco virtual: Carolina Fauquemont, Íria Braga e Luiz Bertazzo, além do próprio Mojica, que roga suas famosas pragas para o personagem e para a plateia.
Paulo Biscaia refere-se à crise vivenciada por Gregório como a própria crise da produção cultural no Brasil. Biscaia exalta a importância do trabalho do cineasta e vê a montagem como uma obrigação social, um espaço para o reconhecimento e valorização de um dos grandes personagens do folclore nacional, admirado internacionalmente, mas que recebe pouco reconhecimento por parte do público brasileiro.
As apresentações de “À Meia-Noite Levarei Teu Cadáver” acontecem de quarta-feira a sábado, às 19h e 21h, com entrada franca. O Teatro Universitário de Curitiba fica na Galeria Julio Moreira, no Largo da Ordem.

Que tal fazer um tour virtual pelo Senado?

Aproximar a sociedade do Senado e permitir ao cidadão conhecer a história da instituição e seu funcionamento são objetivos do Tour Virtual da Casa, programa lançado nesta sexta-feira (27), que permite a visualização pela internet dos espaços mostrados durante a visita guiada oferecida pela Secretaria de Relações Públicas para as pessoas que estão em Brasília.
Durante o percurso virtual, o internauta poderá, por exemplo, visualizar o Plenário, principal espaço de debates e votações do Senado, e obter explicações que o ajudarão a compreender melhor como são tomadas as decisões pelos senadores.
O internauta poderá também visualizar os painéis da exposição localizada no túnel que liga o edifício principal ao Anexo 2, conhecido como Túnel do Tempo, e ler os textos ali afixados. Isso atende a uma demanda dos visitantes da Casa, uma vez que, durante o percurso físico, não há tempo para parar e ler as informações sobre a história do Congresso e do país.
No Tour Virtual, há ainda perspectivas da Praça dos Três Poderes e da Esplanada dos Ministérios. O sistema traz também imagens do Salão Negro e do Salão Azul e textos com informações sobre cada ambiente, além de fotos de algumas obras de arte expostas no Salão Nobre, sede atual do Museu do Senado.  O perfil dos senadores também poderá ser acessado.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

vozdemulher

Marina Lima, "Me Chama"

Bienal de Dança apresenta solos premiados de Stuttgart e companhia Quasar, nesta sexta

A programação desta sexta-feira (27) da Bienal Internacional de Dança conta com solos de bailarinos e coreógrafos de diferentes nacionalidades, premiados no Festival de Stuttgart (Alemanha), e também com performance da prestigiada companhia goiana Quasar. Os espetáculos acontecem, respectivamente, no Guairinha, às 19h30, e Guairão, às 21h, auditórios do Teatro Guaíra.
Os solos premiados no Festival de Stuttgart, abrem a série de apresentações da noite, às 19h30, no Guairinha. O festival foi criado pelo carioca Marcelo Santos, que participou do Balé Teatro Guaíra, em Curitiba, no início dos anos 80. A iniciativa nasceu com o propósito de revelar novos talentos da dança contemporânea, que buscam novas formas de expressão e trazem idéias inovadoras para o meio.
Depois, às 21h, a companhia brasileira Quasar, de Goiânia (GO), sobe ao palco do Guairão para mostrar “Céu na Boca”. Traçando um paralelo entre o real e o intangível, o espetáculo é uma antítese da existência humana, uma busca pelo paraíso. Com coreografia de Henrique Rodovalho, o trabalho não é conduzido por personagens, mas por pessoas em busca de objetivos diversos. Na trilha sonora, música eletrônica contemporânea e instrumental dos anos 50.
Fundada em 1988, por Vera Bicalho e Henrique Rodovalho, a Quasar consolidou-se como companhia profissional e independente, alcançando destaque no cenário da dança contemporânea nacional e internacional, com a conquista de vários prêmios, ao longo dos anos.

Romeu e Julieta Para Crianças no Teatro José Maria Santos

O projeto do Centro Cultural Teatro Guaíra, Teatro para Piás e Gurias, apresenta neste domingo (29) a peça A Triste História de Amor de Romeu e Julieta. A apresentação começa às 11 horas, no Teatro José Maria Santos (rua 13 de Maio, 65, São Francisco), com ingressos a R$ 5,00 e entrada gratuita para menores de 12 anos.
Durante 45 minutos, o clássico Romeu e Julieta é contado em um revezamento de atores e bonecos, que brincam e cantam músicas do cancioneiro popular, encantando crianças e adultos. A história já conhecida é reinventada com vários elementos surpresa em um espaço cênico transformado o tempo todo.

Prorrogada exposição de Goya no Museu Oscar Niemeyer

A série “Os Caprichos”, de Francisco Goya, permanece em cartaz no Museu Oscar Niemeyer até 13 de maio. Desde que foi aberta, em 26 de janeiro, aproximadamente 50 mil pessoas já viram as 80 gravuras que o artista espanhol elaborou entre 1797 e 1799.
É com ‘Os Caprichos’ que Goya se consagra como o grande mestre da gravura”, diz Salvador López Becerra, diretor do Instituto Cervantes de Curitiba, instituição responsável pela mostra.
O MON fica aberto à visitação pública, de 3.ª a domingo, das 10 às 18 horas. Os ingressos custam R$ 4,00 e R$ 2,00. No primeiro domingo do mês a entrada é franca.

Fábio Jr retorna aos palcos curitibanos neste sábado

Fábio Jr. traz a Curitiba o show "Íntimo", que leva o mesmo nome do seu recente disco lançado no ano passado, e faz parte da turnê 2012 que vem percorrendo o país. A apresentação acontece neste sábado (28), no Grande Auditório do Teatro Positivo, às 21h15.  Com cenário de palco caprichado, o cantor vai apresentar as canções do trabalho mais recente - o 25º de seus mais de 40 anos de carreira -, além de grandes sucessos com novos arranjos.
A banda que acompanha o cantor é composta por Amador Longhini (teclado e direção musical), Álvaro Gonçalves (guitarra e violão), Jotinha (baixo), Gustavo Barros (guitarra), Pepa D’Elia (bateria) e Aldo Gouveia e Ellis Negress, nos vocais.
O repertório do show é composto por sucessos que fazem parte da carreira do cantor como "Caça e Caçador", "Felicidade", "Senta Aqui", entre outros, porém, com nova roupagem. As músicas do disco "Minhas Canções", que teve a produção de Guto Graça Melo, também vão estar no set list, assim como as faixas do disco "Intimo", que teve a produção de César Lemos. Mas uma canção que nunca pode faltar no show é "Pai".  Fábio Jr. define como "a mais importante da minha carreira".
O Teatro Positivo fica na rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300, Campo Comprido. Os ingressos variam de R$ 195,00 a R$ 70,00. Maiores informações: (41) 3315-0808 / 3317-3107 ou www.maisumadaprime.com.br

Maestro alemão rege a Sinfônica neste domingo

A Orquestra Sinfônica do Paraná faz neste domingo (29) um concerto sob a regência do maestro alemão Hans-Peter Frank. A apresentação começa às 10h30, no Guairão, com ingressos a R$ 10,00. No programa, obras de Mendelssohn, Schumann e Prokofiev.
A apresentação começa com “A gruta de Fingal (As Hébridas) em Si menor, op. 26”, de Mendelssohn. Considerada uma das grandes produções do compositor, foi escrita durante as viagens que fez à Inglaterra e Escócia, em 1829. O título da peça faz referência a uma caverna localizada numa ilha escocesa.
A segunda obra do concerto será a “Sinfonia em Re Maior Nº 1 – Clássica, op 25”, de Prokofiev. Entre as mais populares do autor, a peça segue um estilo clássico, como indica o subtítulo. Começou a ser escrita em 1916 e foi concluída poucas semanas antes da Revolução de Outubro, em 1917.
A Sinfonia “Nº 3 em Mi bemol maior - Renana, op. 97”, de Schumann, A peça é inspirada nos rios, paisagens, lendas e na alma dos alemães, encerra o concerto.

Diretora teatral escocesa fala sobre dramaturgia contemporânea


A dramaturga e diretora teatral escocesa Stef Smith participa de um bate-papo no Salão de Exposição do Teatro Guaíra, nesta sexta-feira (27), às 19h30. O evento faz parte da programação do Núcleo de Dramaturgia Sesi -Teatro Guaíra. Esta é a primeira vez que a escocesa vem a Curitiba. A entrada é grátis.
Formada em Drama e Artes Cênicas, com especialização em direção, Stef é reconhecida pelo texto da peça RoadKill, que participou no Festival de Edimburgo, em 2010 e 2011, e foi aclamada pela crítica. A obra ganhou também diversos prêmios, incluindo o Fringe First, o Herald Angel, e o Amnesty International Freedom of Expression Award. Recentemente a dramaturga foi indicada para o Laurence Olivier Award.
Em 2011, Stef recebeu o Creative Scotland New Work fund, por um diálogo chamado Falling/Flying. A peça foi bem recebida e rendeu casa cheia no Tron Theatre, em Glasgow. Recebeu também o New Playwrights’ Award do Playwright Studio Scotland (bolsa de estudo para dramaturgos emergentes) para a sua próxima peça, intitulada Jamais Vu, que foi encenada como leitura ensaiada durante o Arches Live, no ano passado, com estreia marcada para 2013.
Stef trabalhou por muito tempo como diretora-assistente de David Leddy, da Companhia Fire Exit, que trouxe ao Brasil, em 2011, a peça Susurrus, apresentada no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Recentemente estreou seu novo trabalho: The Silence of Bees, (O Silêncio das Abelhas), que participou do Arches Behaviour Festival. Atualmente é roteirista contratada do Teatro Nacional da Escócia.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

vozdemulher

Melody Gardot, "Baby I'm Fool"

Companhias nacionais e polonesa na programação da Bienal de Dança, nesta quinta


A agenda da Bienal Internacional de Dança de Curitiba, nesta quinta-feira (26), reúne espetáculos de um grupo local, uma companhia nacional e outra estrangeira. As apresentações começam às 18h, no Teatro Londrina do Memorial de Curitiba, com a Couve-Flor Minicomunidade Artística Mundial. Prosseguem com Maurício Oliveira & Siameses Cia. de Dança, às 19h30, no Guairinha, e terminam com a companhia polonesa Polish Dance Theatre, às 21h, no Guairão.
Realizada por meio da Lei de Incentivo à Cultura, a Bienal Internacional é promovida pelo Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal, Ministério da Cultura e Governo Federal com patrocínio do Bradesco e da Nissan. Com o lema “A dança em todos os estilos”, a Bienal abrange diferentes modalidades: clássica, contemporânea, danças urbanas, dança de salão, jazz dance e videodança.
O palco do Teatro Londrina abriga, às 18h, a performance “Cavalo”, a cargo da Couve-Flor Minicomunidade Artística Mundial, companhia curitibana que tem entre seus ideais tornar a arte contemporânea acessível à população, além de incentivar a reflexão sobre a dança e a produção de conhecimento. Composto pelos artistas curitibanos Cândida Monte, Cristiane Bouger, Elisabete Finger, Gustavo Bitencourt, Michelle Moura, Neto Machado e Ricardo Marinelli, o grupo tem desenvolvido trabalhos desde 2004, impulsionado pelo conceito de coletividade.
O espetáculo solo “Cavalo”, de Michele Moura, aborda a ambiguidade: o cavalo se move ou é movido pelo cavaleiro? Por meio de alterações no padrão respiratório e da deformação da voz, a intérprete é levada a mover-se em um espaço de energias e pulsações distintas. Esta criação integra o projeto "6 por 1/2 dúzia", contemplado pelo prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, em 2009. 
No Auditório Salvador de Ferrante do Teatro Guaíra, conhecido por Guairinha, às 19h30, a companhia Maurício Oliveira & Siameses, de São Paulo, apresenta o trabalho “Objeto Gritante”, inspirado no ofício do artista das artes cênicas, sua relação com o corpo e a utilização de máscaras sociais na construção dos personagens. O resultado é uma espécie de tratado sobre a solidão e a busca pela elevação da qualidade do ser.
Criado em 2005 por Maurício de Oliveira, o grupo paulista baseia seu trabalho na fusão das informações derivadas do estudo da hathayoga, do balé clássico e de outras técnicas corporais que favorecem a integração entre corpo e mente. A companhia já participou de diversos projetos, como o Panorama SESI de Dança e a Virada Cultural de São Paulo.
Para encerrar a noite, a Polish Dance Theatre, da Polônia, toma conta do Guairão, o Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto do Teatro Guaíra, às 21h, repetindo o sucesso obtido na apresentação de quarta-feira.  Considerada uma das principais companhias de dança da Europa, a Polish Dance, nascida em 1973, trouxe 31 bailarinos para apresentar na Bienal o espetáculo “Minus 2”, do israelense Ohad Naharin, um dos mais aclamados coreógrafos da atualidade. O espetáculo aborda a temática da reconstrução. Faz uma combinação entre os tradicionais cantos hebraicos e movimentos contemporâneos.

Evandro Mesquita dirige "Hedwig e o Centímetro Enfurecido" em Curitiba

A Caixa Cultural apresenta "Hedwig e o Centímetro Enfurecido", de John Cameron Mitchell e direção de Evandro Mesquita. Protagonizado por Pierre Baitelli e Felipe Carvalhido, o espetáculo é um rock-musical sobre Hedwig Schmidt, uma deusa do rock'n'roll e vocalista e líder da banda "O Centímetro Enfurecido". Através de canções e monólogos, Hedwig inicia sua história e sua busca pelo amor na antiga Berlim Oriental, seguindo para os Estados Unidos, na mesma época da queda do muro de Berlim.
Como muito rock, comédia e emoção, atráves de canções glam-rock, populares, apaixonadas e narrativas, Hedwig seduz e comove o espectador com a sua busca para encontrar um lugar onde pertença. Com um texto dinâmico, contemporâneo, inteligente e universal, a tradução e adaptação são assinadas por Jonas Klabin e Evandro Mesquita.
Hedwig teve mais de cinquenta diferentes produções internacionais. Primeiro estreou off-broadway, em 1998, estrelado pelo próprio Mitchell que, em seguida, foi responsável por protagonizar, adaptar e dirigir a versão cinematográfica, que se tornou um clássico cult-pop contemporâneo.
"Hedwig e o Centímetro Enfurecido" tem apresentações de 26 a 29 de abril, de quinta a sábados, às 20h, e domingo, às 19h. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia). A Caixa Cultural fica na rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro.

Dilma dará depoimento em novo documentário do cineasta Spike Lee

(ABr) – A presidente Dilma Rousseff encontrou-se nesta quarta-feira (25) com o cineasta norte-americano Spike Lee, que está no Brasil para fazer um documentário sobre o país.
Na rápida conversa com a presidenta, o diretor convidou Dilma Rousseff para dar um depoimento ao filme “Go Brazil Go”, sua nova produção, ainda sem data oficial de lançamento. Segundo Lee, a presidenta respondeu que irá buscar uma brecha na agenda para participar do documentário.
A lista de Lee inclui personalidades brasileiras do esporte, artes e política. No entanto, o diretor evitou revelar os nomes aos jornalistas. Cogita-se participações dos jogadores de futebol Neymar e Ronaldo no documentário, além do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
Lee revelou que o filme vai tratar das transformações econômicas e sociais ocorridas no Brasil nos últimos anos. “É sobre o novo Brasil, como o Brasil emergiu como uma potência. Como um documentarista, o meu trabalho é achar a história, mostrar o que aconteceu para o Brasil se tornar uma potência”, disse.
O diretor retorna ao Brasil após 16 anos. Sua última visita foi em 1996, quando dirigiu o clipe “They Don't Care About Us” do cantor Michael Jackson, gravado na comunidade Dona Marta, no Rio de Janeiro.

Coreógrafos mostram seus projetos no Espaço Portfólio da Bienal de Dança

A Bienal Internacional de Dança de Curitiba oferece a jovens coreógrafos, bailarinos e pesquisadores uma oportunidade de submeter seus projetos a um grupo seleto de profissionais, para avaliação e orientação. As apresentações dos trabalhos no “Espaço Portfólio” da Bienal de Dança acontece em dois momentos: nesta quinta-feira (26) e sábado (28), às 9h, no Teatro Londrina – Memorial de Curitiba. Realizada por meio da Lei de Incentivo à Cultura, a Bienal Internacional é promovida pelo Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal, Ministério da Cultura e Governo Federal com patrocínio do Bradesco e da Nissan.
O grupo de profissionais do Espaço Portfólio, que assistirá às apresentações dos projetos inscritos e previamente selecionados, é coordenado pelo coreógrafo e bailarino Luiz Bongiovanni e formado pelos diretores das companhias de dança que estão participando da Bienal. “O intuito desse espaço é conversar, promover uma troca de ideias e dar um encaminhamento em termos de pensamento, reflexão e referências aos novos artistas”, diz o coordenador.
Segundo o coreógrafo, o espaço Portfólio é uma novidade trazida pela Bienal de Curitiba, pouco comum em outros festivais realizados no país, a maior parte de caráter competitivo.  O evento curitibano, ao contrário, tem o viés de privilegiar a formação e a aplicação de conhecimentos. “O processo de formação do artista acontece de forma natural, lentamente, por meio da sua vivência – participando de aulas, assistindo a espetáculos, atuando em coreografias. O que se pretende é oferecer mais um elemento que auxilia nesse processo, colocando juntos os mais jovens com os mais maduros, os que estão trabalhando localmente com os que têm uma perspectiva global”, explica Bongiovanni.
O coreógrafo acredita que uma oportunidade como essa tem, para os novos artistas, um efeito “transformador”, assim como todo o contexto da Bienal, que está trazendo companhias importantes e fazendo um recorte de todas as vertentes da dança. “Curitiba merecia ter um evento dedicado à dança, assim como tem ao teatro e à música. E o Brasil ter a Bienal de Dança de Curitiba também é muito bacana”, afirma. “Quem assistir a todos os espetáculos estará tendo uma grande chance de renovação”, garante.
Luiz Bongiovanni tem uma importante atuação na área de ensino da dança. Trabalha na coordenação e execução de Oficinas de Improvisação e Composição com as maiores companhias brasileiras, entre elas, o Balé da Cidade de São Paulo, o Balé do Teatro Guaíra e o Balé do Teatro Castro Alves. Desenvolveu o projeto do Artista Residente na UNICAMP, ministrando aulas para graduação e pós-graduação do curso de Dança e de Teatro, dando palestras e apresentando um trabalho de conclusão com alunos da graduação. Trabalhou como bailarino, coreógrafo, professor e foi diretor assistente do Balé da Cidade de São Paulo. Recebeu o prêmio “Braços e Pernas pela Cidade” do Centro Cultural São Paulo, com o solo "Na Bagagem".
Os participantes selecionados para se apresentar no Espaço Portfólio são Julio Mota, André Luiz Miranda, Ailton Galvão, Juliana Roumbedakis, Silvia Baptista Ferraz, Luiz Dalazen e Airton Rodrigues. O tempo máximo para exposição de cada trabalho será de 20 minutos.

Estratégias de convivência no palco do Novelas Curitibanas

Os questionamentos sobre a dificuldade de interação entre as pessoas e o enfrentamento da solidão permeiam a peça “Porque não estou onde você está”, que a Súbita Companhia de Teatro encena no Teatro Novelas Curitibanas Curitibanas (rua Carlos Cavalcanti, 1.222, São Francisco), em temporada que tem início nesta quinta-feira (26) e prossegue até 27 de maio. Passado, presente e futuro atuam constantemente no mesmo espaço para mostrar seres que amam profundamente, mas têm extrema dificuldade em manifestar esse sentimento. As sessões acontecem de quinta-feira a domingo, sempre às 20h, com entrada franca.
Com direção e dramaturgia de Maíra Lour, o espetáculo trata da memória compartilhada entre duas pessoas que decidem não falar sobre o passado. Em um apartamento, um homem e uma mulher constroem estratégias de convivência e de comunicação. Eles criam uma infinidade de regras e reinventam a comunicação por meio de uma linguagem própria, elaborada a partir de gestos e ações corporais que só eles compreendem.
Os personagens criam territórios nos quais se pode existir ou deixar de existir um para o outro. Entretanto, é inevitável que tais territórios se liguem e surjam memórias. Ao longo do espetáculo, o homem e a mulher traçam imagens e metáforas potentes, que refletem a dificuldade de interagir com o outro e a fragilidade das relações humanas.
No elenco estão Alexandre Zampier, Janaina Matter e Helena Portela. O cenário é assinado por Enéas Lour e a iluminação está a cargo de Beto Bruel. Os figurinos foram criados por Cristine Conde e a composição musical é de Edith de Camargo, sendo que Márcio Abreu responde pela supervisão artística.

A companhia – A Súbita Companhia de Teatro tem como objetivo elaborar um ambiente próprio para a profusão de ideias e criação de espetáculos. Ancorada na prática de intensa pesquisa teatral, no trabalho de criação colaborativa e na valorização das ações de teatro de grupo, a Súbita busca em seus espetáculos criar uma linguagem autoral e contemporânea, revelando novos artistas e novas concepções artísticas para o cenário teatral brasileiro. Seus integrantes têm interesse em dialogar com outras expressões artísticas (artes visuais, música, literatura, dança contemporânea), assim como estabelecer conexões criativas com outras companhias brasileiras e estrangeiras.

“Raul: O Início, o Fim e o Meio” ultrapassa os 100 mil espectadores

“Raul: O Início, o Fim e o Meio” segue excelente carreira nos cinemas e ultrapassa os 100.000 após 3 semanas de exibição.  O longa também entra para o seleto grupo dos documentários mais vistos no Brasil, junto com “Vinícius”, “Pelé Eterno” e “Surf Adventures”.
O filme é distribuído pela Paramount Pictures, produzido pela A.F Cinema e Elixir Entretenimento e reúne entrevistas de familiares como o irmão Plínio Seixas, dos amigos Paulo Coelho, com quem compôs várias canções, e Waldir Serrão, fundador do Elvis Rock Clube do qual Raul fez parte. As filmagens ocorreram na Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Estados Unidos e Suíça. 
Em vida, Raul construiu uma carreira singular e até hoje é um dos mais executados do mercado nacional, além de ser o artista póstumo que mais vende disco no país: cerca de 300 mil cópias por ano.  O documentário mostra as diversas facetas do homem e tenta desvendar a enorme comunicação que suas músicas estabeleciam e a legião de fãs que ele continua mobilizando, 22 anos depois de sua morte.

terça-feira, 24 de abril de 2012

passeio no tempo

Billy Joel, "Piano Man"

Companhia polonesa é a atração desta quarta na Bienal de Dança


A companhia polonesa Polish Dance Theatre, o grupo de breakdance Brazilian Groove, a Mote Cia. de Movimento e o Centro de Dança Eliane Fetzer são as atrações desta quarta-feira (25), na Bienal Internacional de Dança de Curitiba. As apresentações acontecem às 18h, no Teatro da Reitoria; às 19h30, no Guairinha; e às 21h, no Guairão.
A programação começa às 18h, no Teatro da Reitoria, com a originalidade do Brazilian Groove, grupo paulista de breakdance que reúne coreógrafos, DJs e dançarinos premiados. Fazem parte do Brazilian Groove o coreógrafo André “Rockmaster” Pires, o B-Boy Neguin (campeão mundial de breakdance), Michel Martins (dançarino e ator), além de Edson Guiu, Mr. Jeff, Washington e Amy Secada. Criado em 2011, o grupo aposta no espírito brasileiro, mesclando ritmos e estilos como samba, capoeira e break. O grupo traz para a Bienal o espetáculo “A vertente única”, concebido e dirigido por Victor Ribeiro.
O Guairinha é o palco para duas atrações, a partir das 19h30. Primeiro, o espetáculo “Strambello”, da Mote Cia. de Movimento, também de São Paulo. A companhia surgiu da parceria entre o músico Marcio Carvalho e o bailarino e coreógrafo Rodrigo Mello, em 20101, para a execução do projeto “Duas histórias movimentadas”, composto pelos espetáculos “Strambello” e “Koitxagnaré”. O projeto recebeu o Prêmio Klaus Vianna de Dança, concedido pela Funarte.
Na sequência, o Guairinha recebe os bailarinos do Centro de Dança Eliane Fetzer, que leva ao palco solos e duos femininos, integrando dança e artes visuais. A pesquisa corporal é um dos pontos principais do trabalho da companhia curitibana, criada em 1990. Na Bienal, Eliane Fetzer apresenta o espetáculo “Teu corpo que me toca”, uma coreografia de dança contemporânea com músicas do compositor Cartola.
A noite encerra como uma atração internacional, a Polish Dance Theatre, da Polônia, que se apresenta às 21h, no Teatro Guaíra.  Considerada uma das principais companhias de dança da Europa, a Polish Dance vem para a Bienal com 31 bailarinos para apresentar o espetáculo “Minus 2”, do israelense Ohad Naharin, um dos mais aclamados coreógrafos da atualidade. O espetáculo aborda a temática da reconstrução. Faz uma combinação entre os tradicionais cantos hebraicos e movimentos contemporâneos. O mesmo espetáculo será reapresentado na quinta-feira (26), também no Guairão.

MON recebe exposição que revela um século de arte em mais de 170 obras

Um olhar sobre 100 anos de arte. É essa a proposta de "1911-2011 Arte Brasileira e Depois, na Coleção Itaú", exposição que será inaugurada nesta quinta-feira (26) às 19 horas, no Museu Oscar Niemeyer (MON) - a entrada é franca. Em três salas expositivas, que somam 1,5 mil metros quadrados, reúne 177 obras, do quadro "A Pequena Aldeã", de Lasar Segall, da primeira década do século 20, à instalação interativa "[Op_Era] Haptic Interface", realizada por Rejane Cantoni e Daniela Kutschat no começo do século 21.
Teixeira Coelho, responsável pela curadoria, afirma que a mostra se faz por meio de seis módulos que, juntos, contemplam os instantes fundacionais e de afirmação da arte brasileira. “Fundacional porque no início desse período começa a surgir uma arte propriamente brasileira. E da afirmação porque é também nesse arco de tempo que a arte feita aqui se torna um ator mundial que conversa em igualdade de condições com outras artes nacionais”, diz Coelho.
Em "1911-2011 Arte Brasileira e Depois, na Coleção Itaú", há desde obras bidimensionais, tridimensionais, vídeos, holografia, vídeo-instalação e instalação digital. A diretora do MON, Estela Sandrini, observa que os caminhos da arte contemporânea serão percebidos nesta mostra. “Por exemplo, o abandono da figuração rumo à abstração é um impasse que esta exposição evidencia”, diz Estela. A mostra segue em cartaz até 29 de julho.
A mostra “1911-2011 Arte Brasileira e Depois, na Coleção Itaú ficará aberta até dia 29 de julho de 2012. A visitação pode ser feita de terça-feira a domingo, das 10 às 18h. Os ingressos custam R$ 4,00 e R$ 2,00 (meia) e no primeiro domingo de cada mês a entrada é gratuita. O Museu Oscar Niemeyer fica na rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico.

Objetos cotidianos sob o olhar de Adriana Tabalipa

Até o próximo dia 10 de junho fica aberta ao público, na Caixa Cultural (Conselheiro Laurindo, 280), a exposição "Adriana Tabalipa: The End Factory Project" da artista paranaense Adriana Tabalipa. A mostra traz pinturas, gravuras, objetos e uma performance inédita da artista, focalizando o percurso de 20 anos de uma produção poética ininterrupta. A curadoria é do crítico colombiano Santiago Rueda Fajardo.
Paranaense radicada no Rio de Janeiro, Tabalipa iniciou sua trajetória artística no final dos anos 80. Sua poética perpassa performances, objetos, pinturas, gravuras e desenhos, apresentados em exposições pelo Brasil e em outros países.

Palestra - A Caixa Cultural promove no dia 5 de junho, às 20h, palestra e lançamento do livro, com edição trilíngue e com título homônimo ao da mostra, com reproduções dos trabalhos da artista e ensaios críticos. A exposição foi contemplada pelo Edital de Ocupação dos Espaços da Caixa e o livro viabilizado pelo Programa de Incentivo à Cultura de Curitiba, com patrocínio integral da Caixa.