quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Fim de semana terá desfiles das escolas de samba de Curitiba


Os desfiles das escolas de samba de Curitiba, no próximo final de semana, na Avenida Marechal Deodoro, são o ponto alto da programação do Carnaval 2019. São cinco escolas do grupo especial e quatro do grupo de acesso, além dos blocos. No fim de semana, acontece também a marcha Zombie Walk.
A festa começa sábado (2), com o Baile Infantil na avenida, às 15h, a apresentação dos blocos Afoxé, Unidos de Judá e Rancho das Flores a partir das 18h, e o desfile das escolas do grupo especial, a partir das 20h20. A programação continua no domingo (3) – primeiro com a marcha Zombie Walk, com concentração a partir das 12h, na Boca Maldita, e depois com o desfile de blocos carnavalescos e escolas de samba do grupo de acesso, a partir das 18h.

ESTRUTURA - A estrutura para receber as festividades está sendo montada, o que requer o bloqueio parcial do trânsito na Avenida Marechal Deodoro, durante esta semana. Serão instalados equipamentos de som e iluminação, e três arquibancadas com um total de 3 mil lugares. Uma delas é exclusiva para idosos, gestantes e pessoas com deficiência, tendo espaço para cadeirantes. Serão instalados também 120 cabines de banheiros químicos, que estarão dispostas por todo o eixo de animação, entre as ruas Barão do Rio Branco e Marechal Floriano Peixoto. Três ambulâncias e uma tenda com ambulatório ficarão responsáveis pelos atendimentos de emergência.
Estarão a postos os efetivos da Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal e uma equipe de segurança privada. Também estarão presentes fiscais do comércio ambulante e equipes da Fundação de Ação Social, Conselho Tutelar e Ministério Público para ações de proteção de crianças e adolescentes e conscientização contra exploração sexual e trabalho infantil.

PROGRAMAÇÃO - A festa na Avenida Marechal Deodoro, no sábado de Carnaval, começa com o Baile Infantil das 15 às 17h. O desfile tem início às 18h, com a entrada de três blocos.  Tradicionalmente, o Afoxé Aiyé Layó é o primeiro a desfilar, fazendo o ritual da “purificação” da passarela do samba. Na sequência entra o bloco Unidos de Judá e o Rancho das Flores, formado por idosos atendidos pelos programas da Fundação de Ação Social. Este ano eles fazem uma homenagem em forma de marchinha à poetisa Helena Kolody.
A primeira escola do grupo especial, Enamorados do Samba, dá a largada às 20h20, seguida pela Leões da Mocidade, Imperatriz da Liberdade, Acadêmicos da Realeza e Mocidade Azul. O desfile neste dia está previsto para terminar à 1h45 da madrugada.
No domingo, mais blocos se apresentam a partir das 18h: Sambistas do Amanhã, Fogosa, Púrpura e Boêmios e Madames. A primeira escola do grupo de acesso é a Unido de Pinhais, que entra na avenida às 21h20. Depois vêm a Império Real de Colombo, Internautas e Embaixadores da Alegria.
As apresentações serão avaliadas por uma comissão de jurados. A apuração das notas e a proclamação da escola campeã de 2019 será na segunda-feira (4), a partir das 15h, no Memorial de Curitiba.

ZUMBIS - A tradicional marcha Zombie Walk acontece no domingo de Carnaval. A concentração será das 12h às 14h, na Boca Maldita. Depois, os zumbis seguem pela Rua das Flores, passam pelo Sesc Paço da Liberdade (Praça Generoso Marques) e continuam até a Praça Santos Andrade, onde estará montado um palco com shows musicais.


Biblioteca Pública do Paraná comemora 162 anos de fundação com muitas atrações


A Biblioteca Pública do Paraná (BPP) promove uma programação especial na quinta-feira (7), dia do aniversário de 162 anos de sua fundação. Os eventos incluem a abertura de uma exposição fotográfica comemorativa, atrações para o público infantil e uma edição dupla do projeto Música na Biblioteca. A entrada é gratuita.
As atividades começam às 9h30, com uma oficina circense para o público infantil, realizada na rampa de entrada (o curso é ofertado novamente às 14 horas). Em seguida, às 10h30, acontece a abertura da mostra “Por Dentro da Biblioteca”, do fotógrafo Eduardo Macarios, que explora o projeto arquitetônico do interior do prédio e evidencia o contraste entre o antigo e o moderno na BPP.
Além dos registros de Macarios, outros seis totens com frases marcantes sobre a importância das bibliotecas, cunhadas por autores nacionais e estrangeiros de todas as épocas, ficam espalhados pelos corredores e salas de leitura até o dia 7 de abril.
Às 11 horas, o MGM Trio de Violões - formado por Murillo Da Rós, Gegê Felix e Mazzar Mazzarolo - se apresenta no hall térreo, com um repertório de jazz e temas instrumentais de compositores latino-americanos. Logo depois, às 11h30, o grupo de teatro Olho Rasteiro apresenta a peça infantil “O Terreno Baldio”, também na rampa de entrada (o espetáculo volta a ser apresentado às 16h).
Encerrando a programação, às 17h30, a banda Alohabana toca clássicos da música cubana e outros ritmos latinos, também no hall térreo. Em caso de chuva, as atrações para crianças são transferidas para a Seção Infantil.

MODERNIZAÇÃO - Fundada em 7 de março de 1857, a Biblioteca Pública do Paraná já passou por 13 sedes. A atual, inaugurada em 1954 e tombada pelo Patrimônio Cultural em 2003, acaba de passar por um intenso processo de modernização, que durou oito anos. Projetada pelo arquiteto Manoel Coelho, a revitalização geral do prédio histórico incluiu desde a pintura até o mobiliário, passando pela iluminação, cantina dos funcionários e a instalação de um café.
A reformulação da BPP também foi de ordem conceitual. A partir de 2011, foram iniciados mais de 30 projetos voltados para aproximar o público da instituição, como shows, peças, cursos, palestras, debates, atividades infantis, concursos literários e a publicação de livros, revistas e um jornal de literatura mensal - o único produzido por uma biblioteca no país. Somou-se a isso a adoção de uma política de renovação do acervo, que já resultou na aquisição de mais de 20 mil livros.
Mais do que um lugar de pesquisa e empréstimo de livros, a Biblioteca Pública do Paraná se consolidou como um verdadeiro centro de cultura, convivência e conhecimento, por onde passam, diariamente, cerca de 2 mil pessoas. É o espaço cultural mais frequentado pelos curitibanos, segundo uma pesquisa feita em 12 capitais brasileiras. Outro levantamento, realizado pelo Grupo DataCenso com 300 usuários da BPP, acusou um índice geral de satisfação de 99% - ou seja, praticamente a totalidade dos frequentadores está muito satisfeita com os serviços prestados e o ambiente pós-reformas.

A Biblioteca Pública do Paraná está situada na rua Cândido Lopes, 133, Centro. Mais informações: 3221-4917 ou www.bpp.pr.gov.br.

Parada Literária Curitibana vai animar Faróis do Saber de praças curitibanas


Em março, uma programação especial será levada aos 12 Faróis do Saber localizados em praças da cidade. É a Parada Literária Curitibana, que acontecerá sempre às 10h e às 16h, com a participação de escritores, poetas, cartunistas e professores que vão mediar rodas de leitura, contações de histórias e atividades que abordam obras de autores curitibanos.
O lançamento da programação será nesta sexta-feira (1°/3), às 11h, no Farol do Saber Machado de Assis, no Vista Alegre. As atividades também serão levadas aos Faróis do Saber das Cidades, Frei Miguel Bottacin, Tom Jobim, Hideo Handa, Antônio Machado, São Pedro e São Paulo, Emílio de Menezes, Gibran Khalil Gibran, Machado de Assis, Aristides Vinholes e Aparecido Quináglia e à Casa Encantada do Bosque Alemão. Veja aqui os endereços.
A Parada Literária é um dos eventos da programação em homenagem aos 326 anos de Curitiba, festejado em março. “É um convite para que crianças, estudantes, famílias e a comunidade comemorem a história e a cultura da nossa cidade, conhecendo e valorizando os talentos locais”, diz Andréa Barletta, coordenadora de projetos da Secretaria Municipal da Educação.

CRONOGRAMA - O cronograma das atividades foi organizado pelas agentes de leitura dos 12 Faróis do Saber participantes. O primeiro convidado será o quadrinista Fúlvio Pacheco, que coordena a Gibiteca de Curitiba e do setor de Ilustração da Fundação Cultural de Curitiba.
Ao longo do mês serão realizadas 26 paradas com apresentações de Ana Rapha Nunes, Anderson Novello, Eloisa Smanhotto (a Bruxa Cidinha), Cleber Fabiano, Juliana Vermelho, Lilian Dalcol, Lydio Roberto, Lucas Buchile, Nelson Bucker, Marcos Juliano, Patricia Galvão, Rafael Duarte, Valter Cardoso, Rosy Greca, Mara Fontoura, Deyse Crystine de Campos e Eduardo B. S. Silveira.
Os Faróis do Saber das praças são bibliotecas de bairro, que prestam atendimento à comunidade em geral, com oferta de consulta aos acervos e de empréstimo de livros e outros materiais. Também oferecem computadores com acesso gratuito à internet e promovem ações e projetos culturais e educativos.

Visita guiada temática pelo Cemitério Municipal aborda trajetória de mulheres pioneiras


Pelo terceiro ano consecutivo, o Cemitério Municipal São Francisco de Paula vai ser palco para uma visita guiada temática sobre as mulheres pioneiras de Curitiba. A ação, que ocorre no dia 9 de março, das 9h às 12h, celebra o dia internacional da mulher, apresentando a biografia de mulheres que desempenharam papéis de importância para nossa história.
Durante três horas, os visitantes serão apresentados às biografias de precursoras em diferentes áreas. São nomes como a da primeira engenheira negra do Brasil, Enedina Alves Marques, a fotógrafa Fany Wolk, a professora Maria Nicolas, a feminista Marianna Coelho, a médica Maria Falce, a poetisa Helena Kolody, Didi Caillet, entre outras.
Os interessados em participar da visita deverão realizar a inscrição via e-mail, a partir do dia 4 de março, segunda-feira, enviando nome completo e número do RG para o e-mail visitaguiada@smma.curitiba.pr.gov.br
Realizadas pela pesquisadora cemiterial da Fundação Cultural de Curitiba Clarissa Grassi, através de uma parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, as visitas guiadas ao Cemitério Municipal São Francisco de Paula contemplaram mais de 5 mil inscritos nos últimos dois anos. A ação explora a potencialidade do primeiro cemitério da cidade enquanto resumo simbólico de Curitiba, explorando sua arquitetura, arte e geodiversidade por meio da trajetória das pessoas ali sepultadas.

“Alberto, o menino que queria voar” abre programação de março no Teatro de Bonecos Dr. Botica


No fim de semana que antecede o Carnaval o Teatro de Bonecos Dr. Botica, promovido pelo Instituto Grupo Boticário, recebe a peça “Alberto, o menino que queria voar”.
Produzido pela Companhia Karagozwk, o espetáculo é uma viagem no tempo, voltando aos anos 1900, em Paris. Com a narração do ator-animador Marcello Andrade dos Santos, é contada a história de Santos Dumont, uma trajetória repleta de perseverança e descobertas aeronáuticas.
As apresentações acontecem nos dias 2 e 3 de março, às 13h, 15h e 17h. O ingresso custa R$ 20,00 e R$ 10,00 (estudantes, idosos e crianças de 3 até 12 anos). Menores de 3 anos não pagam.


Aproveite o feriado de Carnaval para conhecer os museus do Estado


Os espaços museológicos da Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) abrem com horário especial durante o feriado de Carnaval. Essa é uma boa oportunidade para quem fica em Curitiba ou vem à capital de conhecer ou revisitar os museus.
Reaberto ao público recentemente, o Museu Casa Alfredo Andersen (MCAA, foto) passou por obras de restauro e foi totalmente remodelado. O público pode conferir de perto o espaço onde morou o artista norueguês Alfredo Andersen, e contemplar parte de sua obra, além da exposição “in situ/em trânsito”, que tem curadoria de Eliane Prolik e Adolfo Montejo Navas. A mostra apresenta um conjunto de 33 pinturas a óleo, 32 desenhos, além de fotografias, documentos e objetos da escola-ateliê do artista.
No Museu Paranaense (MP), o visitante pode conferir o circuito expositivo “Ocupação do Território Paranaense”, que foi totalmente renovado e fica no anexo do museu. São histórias do Paraná contadas por seus principais atores: dos indígenas aos imigrantes, dos conflitos armados às festas populares presentes no Estado. No prédio histórico estão expostas: “Dinheiro e Honraria: o acervo de numismática do Museu Paranaense”, “A cidade e suas ruas: retratos dos personagens de Curitiba”, “Clubes sociais negros do Paraná”, entre outras mostras.
Quem for ao Museu Oscar Niemeyer (MON) pode visitar as exposições: “Politopos Irregulares – Didonet Thomaz”, “Diáfano – reflexos, transparências e opacidade na obra de Carlos Fajardo”, “Estruturas e Valores – Antonio Arney”, “Nemer | Aquarelas recentes – Geometria residual”, “Bienal 25 anos”, “Pierre Verger”, “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses” e “Serguei Maksimishin – O último Império”. Esta última traz imagens da Rússia contemporânea. Uma imersão, por meio de 65 fotografias, em um país de proporções gigantescas.
O Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC-PR) apresenta a exposição “Tempos Sensíveis”, na sala 8 do MON (a sede do centro está temporariamente fechada para reforma e restauro). Com a curadoria de Agnaldo Farias, a mostra reúne obras do acervo em que a sensibilidade e a reflexão ficam evidentes. São 96 obras de 79 artistas, entre eles Livio Abramo, Carlos Zilio, Käthe Kollwitz, Poty, Carina Weidle, Luciano Zanette, entre outros. O MAC-PR funciona temporariamente nas salas 8 e 9 do MON enquanto sua sede, no centro de Curitiba, passa por obras de restauro.
Quem passar pelo Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR) pode conhecer a exposição “CineMIS", que traz fotos de filmes clássicos, cartazes de cinema e sinopses de filmes. Um resgate da história cinematográfica a partir do acervo do jornalista e colecionador curitibano Aramis Milarch e do antigo Cine Morgenau. Além da coleção tridimensional do museu, composta por rádios, radiolas, toca-discos, moviolas, câmeras fotográficas e projetores.
Já no Museu do Expedicionário (MEXP) é possível ver a exposição permanente que retrata a participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB) durante a Segunda Guerra Mundial, a partir de um vasto material histórico com fotografias, filmes, mapas, livros, ilustrações, peças e documentos.

Endereços:

Museu de Arte Contemporânea do Paraná - Rua Marechal Hermes, 999, 3323-5328.

Museu do Expedicionário - Praça do Expedicionário, s/nº, 3362-8231.

Museu da Imagem e do Som do Paraná - Rua Barão do Rio Branco, 395, 3232-9113.

Museu Oscar Niemeyer - Rua Marechal Hermes, 999, 3350-4400.

Museu Casa Alfredo Andersen - Rua Mateus Leme, 336, 3222-8262.

Museu Paranaense - Rua Kellers, 289, 3304-3300.

Shopping Palladium promove bailinho gratuito para o Carnaval


O Shopping Palladium de Curitiba preparou uma atividade especial para diversão em família durante o Carnaval. O “Pulinho no Palladium” é um bailinho de Carnaval com entrada gratuita que acontece no sábado (2).  Serão 4 sessões com duração de uma hora cada e capacidade para 100 crianças, a primeira iniciando às 14h e a última às 19h. Além de muita música e diversão terá montagem de kit folião com vários acessórios. A brincadeira acontece na praça de eventos do Palladium, em frente às Lojas Americanas, ao som do Grupo Samba de Saia.
Outra opção para as crianças é o Diver City, atração que fica no shopping, na Praça Renner, até o domingo, dia 3. Nesse espaço, a diversão fica por conta de jogos, martelo de força, cama de gato e oficinas de máscaras. O evento atende crianças de 3 a 12 anos e custa R$ 5,00.
Durante o feriadão as lojas do Palladium funcionam em horário normal no sábado (2), das 10h às 22h, domingo (3), das 14h às 20h e na segunda-feira (4), das 11h às 23h. Já na terça-feira (5), as lojas estarão fechadas e na quarta-feira abrem das 12h e fecham às 23h.
Os horários de atendimento das operações de alimentação serão normais: no sábado (2), das 10h às 23h, no domingo (3), das 11h às 22h, segunda (4) e quarta (6), das 11 às 23h. Apenas na terça-feira (5) que o horário será das 11h às 22h. A programação do Imax Palladium pode ser conferida no site www.imaxpalladium.com.br/site/programacao/em-cartaz.html.

SOBRE O SHOPPING - Inaugurado em 2008, o Palladium Curitiba é o maior shopping da região Sul do Brasil. Com área construída de mais de 154 mil m², área bruta locável (ABL) de 58 mil metros quadrados, 350 lojas, entre âncoras e satélite distribuídas em 3 pisos, é o centro de compras com maior variedade de marcas da capital. O empreendimento destaca-se, ainda, pelo amplo espaço gastronômico composto por um Boulevard com oito restaurantes e capacidade de 150 pessoas, cada um; Praça de Alimentação com cerca de 30 opções de restaurantes e capacidade de acomodar 1.200 pessoas sentadas e sala de cinema IMAX com a maior tela do Brasil. Seu estacionamento soma 20 mil vagas cobertas. Localizado no bairro Portão, uma das regiões mais populosas e prósperas de Curitiba, o Palladium recebe, mensalmente, mais de 1,5 milhão de clientes e conta com estrutura de alto nível para garantir o bem-estar de todos os seus visitantes.
O Palladium Curitiba pertence ao Grupo Tacla Shopping, conglomerado com mais de 70 anos de tradição, experiência no varejo e referência no setor em todo país. Ao lado do Palladium Curitiba, outros seis empreendimentos integram o portfólio do Grupo nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo: Palladium Shopping Center Ponta Grossa (PR), Shopping Ventura Curitiba (PR), Catuaí Palladium Foz (PR), Itajaí Shopping (SC), Porto Belo Outlet Premium (SC) e Shopping Cidade Sorocaba (SP). Outras três operações seguem em fase de construção no Paraná – Jockey Plaza, em Curitiba (PR), City Center Outlet, em Campo Largo (PR) e Palladium Umuarama (PR).


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Rei Momo recebe a chave da cidade das mãos do prefeito Rafael Greca


O prefeito Rafael Greca aproveitou o Baile de Carnaval dos Idosos, nesta terça-feira (26), nos salões do Buffet du Batel, para entregar as chaves da cidade ao rei momo Felipe Paz, à rainha Aline Cristina e às princesas do Carnaval de Curitiba Edna Santos e Katiane Oliveira.
Essa chave dourada simboliza o coração de Curitiba, que se abre à alegria do carnaval das crianças, dos idosos, das famílias e que brota do coração – e não da droga e do álcool. Nós viemos ao mundo pra sermos felizes e Curitiba ama o carnaval”, decretou Greca, entregando o objeto ao cortejo real no meio do salão de baile, depois de dançar com os foliões. “A rainha e as princesas são muito lindas, mas o rei é mais magro que o prefeito”, brincou.
Antes de deixar o salão, Greca usou o microfone para puxar o samba enredo Explode Coração, sucesso da escola de samba carioca Salgueiro, em 1993, que passou a ser executado pela banda.

VELHOS CARNAVAIS - Para o prefeito, os bailes são oportunidades para os foliões dos antigos carnavais de rua e de clubes se encontrarem, conhecerem pessoas e se divertirem. “Vendo essas baianas, colombinas, pastores e pastoras de outrora, sinto que nenhum deles pode ser tão sozinho que não possa ter um baile pra chamar de seu. Vamos mandar embora o que é ruim e que venha a alegria”, disse.

Marcelo Teixeira comanda Menu Musical de março no Shopping Curitiba


A programação de março do Menu Musical está fechada. Quem comanda o piano no próximo mês, no Shopping Curitiba, é Marcelo Teixeira.
O músico, pesquisador, arranjador e educador que toca jazz, choro e blues se apresenta de forma gratuita aos fins de semana, sempre das 13h às 15h, no Largo Curitiba (piso L2).
E especialmente no fim de semana dos dias 2 e 3 de março, marchinhas e músicas clássicas de Carnaval estarão no repertório.

Mais informações: 3026-1000 ou www.shoppingcuritiba.com.br

Museu Oscar Niemeyer abre normalmente no feriado de Carnaval


O Museu Oscar Niemeyer funcionará normalmente no final de semana e no feriado de Carnaval. Abre no sábado, domingo e terça, no horário das 10h às 18h. Na quarta-feira, além da entrada gratuita, o horário é estendido até às 20h, por ser a primeira semana do mês. Na segunda-feira, como tradicionalmente acontece, o museu permanecerá fechado ao público.
Os visitantes poderão aproveitar o feriado para visitar as exposições em cartaz no MON: “Diáfano - Reflexos, Transparências e Opacidade na Obra de Carlos Fajardo”, “Luz Matéria”, “Pierre Verger”, “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses”, “Aquarelas Recentes Geometria Residual - José Nemer”, “Tempos Sensíveis - Acervo MAC-PR”, “Bienal 25 anos”, “Estruturas e Valores” - Antonio Arney, “Cones”- Eduardo Frota, "Museu em Construção” - Nani Gois.
A entrada custa R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada). Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada franca. Nas quartas a entrada é sempre gratuita para todos os públicos. A retirada de ingressos no museu pode ser feita até as 17h30, na bilheteria.

Mais informações: 3350-4400 ou www.museuoscarniemeyer.org.br

Ulisses Iarochinski lançou o livro “Cruz Machado - Lenda Virou História” via Amazon


O jornalista e historiador Ulisses Iarochinski lançou mundialmente, no último sábado (23), na maior livraria online do mundo - a Amazon.com - seu mais recente trabalho em formato E-book. O livro de 261 páginas conta a história da maior colônia de imigrantes polacos do Brasil - Cruz Machado - localizada a 40 km de União da Vitória.
Resultado de cinco anos de pesquisas na Polônia e no Brasil, “Cruz Machado – Lenda Virou História”, ao mesmo tempo desmistifica e desmitifica a oralidade histórica de pessoas envolvidas e de descendentes, que transformaram em lenda uma história que não teve tanta tragédia assim.
Iarochinski declara que levou 13 anos para publicar a obra. Depois de várias tentativas de publicar em papel, por meio de patrocínio, editoras, apoios institucionais, leis de incentivo, rendeu-se e acabou por lançar um livro não-impresso, no formato online. “Teve que ser via E-book. Não porque não quis lançar em papel, mas porque nunca houve dinheiro para tal”.
Cruz Machado, hoje município do Sul do Estado do Paraná, foi criado como colônia de emigrantes polacos, rutenos e alemães, em 19 de dezembro de 1910. Já nos dois primeiros anos recebeu 5.500 imigrantes, sendo 95% polacos. E foi justo neste momento, que uma trágica lenda começou a ser contada.
Contudo, Iarochinski depois de produzir o documentário “Cruz Machado – Os Polacos e o Tifo”, ganhou bolsa de estudos do governo da Polônia e foi para Cracóvia escrever tese sobre o que teria sido a maior tragédia ocorrida entre os fluxos imigratórios do Brasil.
Surpresas e contradições foram surgindo ao longo das pesquisas e das contraposições de informações. De um lado o depoimento de pessoas com quase cem anos de idade, e de outro documentos primários, publicações oficiais, jornais da época e relatos de viajantes polacos desmentindo e desqualilificando a oralidade dos envolvidos na tal “tragédia”.
Iarochinski afirma que teóricos da historicidade falam existir ligação entre memória e identidade. Que ambas se conjugam e se apoiam para produzir uma narrativa, uma história ou um sacralizar do mito. “A memória individual é um fragmento da memória coletiva, onde membros de um grupo produzem a respeito de uma memória comum. Fontes orais nos contam não apenas o que o povo fez, mas o que queria fazer, o que acreditava estar fazendo e o que agora pensa que fez. A história oral trabalha com lembranças. Enquanto a memória é vida, gestada por grupos vivos, em permanente evolução; a história é uma reconstrução incompleta e problemática do passado”.
Para Iarochinski “se a memória é afetiva e mágica; a história é uma operação intelectual. Exatamente como a memória, a ciência história pode remontar o passado e foi isto que aconteceu em Cruz Machado. A oralidade tomou conta da história e a subverteu, criando uma lenda fantástica e trágica para explicar as dificuldades de seu início. Ao ignorar, omitir e confundir a história real da colônia de Cruz Machado, oficializaram a lenda em detrimento dos fatos, registros e documentos”, completa o autor.

O livro “Cruz Machado - Lenda Virou História” está disponível para venda por R$ 22,54 na Amazon.com no endereço https://www.amazon.com.br/dp/B07P197Y34

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Grupo Brasileiro e Coral Brasileirinho abrem vagas para novos integrantes

O Coral Brasileirinho e o Grupo Brasileiro, mantidos pelo Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba, estão com inscrições abertas para seleção de novos cantores. Os testes para o Grupo Brasileiro serão realizados nos dias 18 e 19 de março, e para o Coral Brasileirinho no dia 23 de março. As informações completas estão disponíveis no site do Instituto Curitiba de Arte e Cultura.
O Grupo Brasileiro, formado por jovens de 14 a 22 anos, tem quatro vagas: uma para cantora (soprano) e três para cantores (tenores e barítonos). Os interessados devem ter no mínimo 14 anos e no máximo 18 anos. A vaga para cantora é exclusiva para ex-integrantes do Coral Brasileirinho. As vagas para cantores estão abertas para toda a comunidade.
O agendamento se dará por ordem de inscrição, na entrega da ficha de inscrição e demais documentações solicitadas. Os resultados serão divulgados a partir do dia 21 de março. Os ensaios terão início no dia 25 de março. Não há taxa de mensalidade.

BRASILEIRINHO - Para fazer o teste para o Brasileirinho, a criança deve ter no mínimo 8 anos e no máximo 10 anos. No teste, deverá cantar uma música de sua livre escolha, sem acompanhamento instrumental, quando será avaliada pelos diretores do Brasileirinho.
O agendamento se dará por ordem de inscrição, ao preencher e entregar a respectiva ficha na recepção do Conservatório de MPB. Os candidatos deverão chegar 10 minutos antes do horário agendado. Os resultados serão divulgados a partir do dia 26 de março, no edital do Conservatório de MPB, ou através do telefone 3321-3208. Os ensaios terão início no dia 27 de março. Também não há taxa de mensalidade.

TRADIÇÃO - Criado há 25 anos e dirigido por Helena Bel e Milton Karam, o Brasileirinho realiza espetáculos temáticos que unem o canto e a interpretação cênica. O grupo tem o compromisso de executar e divulgar o melhor da MPB e seus maiores compositores, criando uma interpretação própria, sem desrespeitar a criação original das obras.
O Grupo Brasileiro é mais recente, mas o propósito de divulgar o repertório da música brasileira é o mesmo. Foi criado em 2016 para acolher os ex-integrantes do Brasileirinho, agora não mais crianças e sim jovens cantores. Em 2017 o Brasileiro estreou o espetáculo “Pixains e Cabeludos”. Em 2018 montou o espetáculo “Palavras”.

Museu da Fotografia expõe trabalhos de Guilherme Pupo e Raul Frare


O Museu da Fotografia Cidade de Curitiba inaugura nesta quarta-feira (27) as exposições “Curitiba Aérea – Lírica Urbana”, de Guilherme Pupo, com imagens aéreas feitas com drone, e “Parca Hegemonia”, de Raul Frare, com fotografias feitas em três países que despertam o imaginário do ocidente: Coreia do Norte, Turcomenistão e Eritreia. As exposições permanecem abertas até 26 de maio, com entrada gratuita.
A exposição de Guilherme Pupo reúne 25 imagens de Curitiba, de ângulos inusitados e inéditos mesmo para quem conhece a cidade. “A fotografia aérea de Guilherme Pupo nos oferece um novo ângulo e uma perspectiva lúdica da cidade. Em seu "Calçadão da Rua XV", as sombras roubam a cena, tornando-se protagonistas de uma ficção urbana em que contracenam com os sujeitos da foto num cenário ambíguo, onde as imagens parecem existir simultaneamente sob duas perspectivas diferentes”, diz a curadora Cristianne Rodrigues.
Guilherme Pupo é fotógrafo profissional desde 2001 e tem imagens publicadas nos maiores veículos de comunicação do país. Atualmente, tem se dedicado à produção de imagens aéreas com o uso de drones. No ano passado, recebeu o prêmio do Júri no concurso Street Awards, do Lens Culture, uma das maiores comunidades de fotografia no Instagram, e menção honrosa no Drone Awards 2018, premiação internacional que escolhe as melhores imagens feitas com drone pelo mundo.
A imagem premiada nos dois concursos mostra o calçadão da Rua XV e fará parte da exposição no Museu da Fotografia. Além das fotos, os visitantes também vão poder assistir a projeção de vídeos feitos pelo fotógrafo também com o uso de drone em alguns pontos centrais da cidade.

IMAGINÁRIO – Realizadas entre 2007 e 2015, as fotografias de Raul Frare apresentam imagens de países que passam por regimes totalitários e que geralmente são mais conhecidos pelas narrativas que os ocidentais fazem deles do que por seus próprios discursos. “As ditaduras asiáticas e africanas têm fascinado o ocidente, entre a condenação de seus abusos de poder e o encantamento pelo seu exotismo”, comenta a curadora Pollyana Quintella.
“Parca Hegemonia” procura não somente mostrar imagens que refletem a dureza do controle do estado, mas também o lado descontraído de seus habitantes. “Nas fotografias da Coreia do Norte, por exemplo, vemos não só retratos de disciplina e vigilância, mas tentativas de leveza e diversão, como em "As crianças de vermelho" e o "Parque de diversões”, exemplifica a curadora, fazendo referência aos títulos de duas fotos da exposição. A exposição estreou em 2018 na SOMA Galeria.
Raul Frare nasceu em Curitiba (1977) onde vive e trabalha. Apaixonado por expedições e culturas exóticas, já esteve fotografando nos lugares mais remotos dos quatro cantos do mundo. Autor do blog “Pra la de Bagdad” onde compartilha suas experiências de viagens pelo mundo.

O Museu da Fotografia Cidade de Curitiba – Solar do Barão está situado na rua Carlos Cavalcanti, 533, Centro, e estas duas exposições ficam abertas à visitação até o dia 26 de maio, das 9h às 12h e 14h às 18h (terça a sexta-feira) e das 12h às 18h (sábado e domingo). A entrada é gratuita e mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3321-3260.


Gabriel, o Pensador se apresenta em pocket show gratuito e aberto ao público


O Conexão Shopping Curitiba, projeto musical gratuito em parceria com a Rádio Transamérica Light, volta com força total em mais um ano. O primeiro pocket show de 2019 acontece dia 28 de fevereiro, e tem como atração o rapper, compositor, escritor, cantor e empresário Gabriel, o Pensador.
Com oito álbuns, três livros e décadas de sucesso, o artista tem hits em sua trajetória, como “Cachimbo da Paz”, “Astronauta”, “Até Quando?” e “2345meia78”.
O pocket show será realizado no espaço Largo Curitiba (piso L2). Quem não puder assistir, poderá acompanhar a transmissão ao vivo na frequência Transamérica Light FM 95.1
Quem tiver interesse em participar da sessão de fotos com Gabriel, o Pensador haverá distribuição de senhas (limitadas), que devem ser retiradas no dia do pocket show, a partir das 10h, na recepção do Shopping, no piso L3.

Mais informações no fone 3331-1717 (Rádio Transamérica Light).

SOBRE O PROJETO - Com o objetivo de viabilizar encontros e aproximar artistas de seus fãs da capital paranaense, o “Conexão Shopping Curitiba” é um projeto musical gratuito e aberto ao público, resultado de uma parceria entre a Rádio Transamérica Light e o Shopping Curitiba. As apresentações, bate-papos e pocket shows acontecem mensalmente e são transmitidos ao vivo na frequência FM 95.1 e pelas redes sociais da rádio, para todo o todo o país. Já passaram pelo palco os artistas Juca Novaes, Jane Duboc, Sergio Sá, Paulinho Moska, a inglesa Jesuton, Paulo Ricardo, Kiko Zambianchi, Luiza Possi, Kell Smith, Paulo Miklos, Nenhum de Nós, Sergio Loroza, entre outros.

Outras informações: 3026-1000 ou www.shoppingcuritiba.com.br

Começou a venda de ingressos para a Mostra de Repertório Stavis-Damaceno


Começou a venda dos ingressos para a Mostra de Repertório Stavis-Damaceno, que comemora os 15 anos da companhia de teatro curitibana. O espaço reservado para a mostra, dentro da 28ª edição do Festival de Curitiba, é o Teatro Caixa Cultural.
No palco, a companhia vai apresentar quatro peças importantes para a história do grupo. O segundo espetáculo produzido, “Psicose 4h48”, de 2004, e “Árvores Abatidas ou Para Luis Melo” (2008) são dois dos destaques. “São nossos espetáculos de maior sucesso. Todos os anos temos convites para apresentá-los em alguma parte do país. Cada um tem mais de 300 apresentações pelo Brasil inteiro. São nossos hits”, conta Damaceno.
Última peça da dramaturga inglesa Sarah Kane, “Psicose 4h48” foi escrita durante anos de acessos depressivos da autora, que culminaram com seu suicídio aos 28 anos de idade. A adaptação de Damaceno rendeu à Rosana Stavis o Troféu Gralha Azul por sua atuação. Já a montagem “Árvores Abatidas ou Para Luis Melo” é inspirada no romance de Thomas Bernhard e traz para a atualidade a reflexão sobre as delícias e desgraças da vida artística. A peça recebeu indicação para os principais prêmios do teatro brasileiro, como Shell, o da Associação Paulista de Críticos de Arte e o Aplauso Brasil.
Outro espetáculo selecionado para a celebração no Festival de Curitiba 2019 é “Artista de Fuga” (2015), uma peça que é o relato desesperado de um escritor afundado no caos e desordem de sua vida cotidiana. O procrastinador crônico não dá conta dos relacionamentos afetivos e profissionais e dos compromissos, prazos e contas a pagar. Em meio ao caos, ele busca o lugar ideal para construir sua obra-prima, que não passa de um romance eternamente inacabado.
A peça mais recente da companhia, “Homem ao Vento” (2017) completa a seleção. A peça é um convite para experimentar as diferentes emoções de quem sobe aos palcos. Com elenco posto no centro da plateia e uma abordagem intimista, a peça reproduz as relações entre atores e personagens no ambiente mais intenso antes da estreia: a sala de ensaios.
“Stavis-Damaceno 15 anos” também terá uma mesa-redonda aberta ao público, que vai abordar o tema “O Teatro Pelos Curitibanos”. A proposta é debater a influência da cidade no trabalho dos artistas locais. Participam da discussão Ivam Cabral, Beto Bruel, Guta Stresser, Guilherme Weber, Marcio Abreu e Marcos Damaceno. A mediação é de Valmir Santos.
Na programação se completa com a exposição de cartazes do artista plástico Foca Cruz, falecido em 2018. As obras ficam na Caixa Cultural durante todo o festival.

INGRESSOS - Os ingressos para a Mostra de Repertório Stavis-Damaceno 15 anos estão à venda exclusivamente na bilheteria da Caixa Cultural. O horário de funcionamento é de terça a sábado, das 12h às 20h; domingo, das 16 às 19h. Mais informações: 2118-5111.

Arquiteta e cenógrafa, Biba Bettega é a nova diretora do Museu Paranaense


À primeira vista, quase não vemos Biba em meio à austeridade do Palácio São Francisco, sede do Museu Paranaense, com suas paredes escuras e móveis pesados. Alguns minutos de conversa, contudo, bastam para enxergar além: a arquiteta e cenógrafa quer apresentar um novo olhar ao visitante do espaço.
O conteúdo, como ela mesma descreve, “é fértil”. E é na forma que ela vai atuar. Graduada em Arquitetura pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1996) e em Cenografia pela Accademia di Belle Arti di Brera (2004), em Milão, na Itália, Biba é especialista na construção de narrativas visuais.
O objetivo é mais do que trazer público ao museu. A proposta é aproximar dos visitantes as histórias contadas ali. O Museu Paranaense é o terceiro mais antigo do país e possui 400 mil itens em seu acervo.
Determinação e força de vontade não faltam. Biba já provou ser possível unir o passado ao presente de forma contemporânea e acessível. Ela foi a responsável pelo projeto de remodelação do Museu Casa Alfredo Andersen ao lado do designer e também cenógrafo Richard Romanini. “Ali foi um processo superinteressante, porque a exigência era um projeto expográfico, mas a gente percebeu que tinha que abraçar outras áreas. Trabalhamos muito no próprio acervo, restauro de algumas peças e, com os curadores Adolfo Montejo Navas e Eliane Prolik, conseguimos trazer arte contemporânea pra dentro do museu”, diz. Reaberto em dezembro de 2018, o agora museu-casa evidencia traços contemporâneos ao mesmo tempo em que preserva a memória de onde viveu o artista norueguês, considerado o pai da pintura paranaense.

PRIMEIROS CONTATOS - O envolvimento com a expografia teve início no Museu Oscar Niemeyer (MON). Foram três exposições nos últimos dois anos. A primeira e a segunda parte da mostra do acervo “Luz = Matéria”, com curadoria de Agnaldo Farias, e a mostra asiática que teve curadoria de Teixeira Coelho ao lado de Fausto Godoy – o embaixador que doou ao MON 3 mil itens provenientes de mais de dez países asiáticos. O recorte deu origem à mostra “Ásia: a terra, os homens, os deuses”, com 200 peças em exposição.
Todos esses projetos expográficos são assinados pela Ato1Lab, escritório comandado pela arquiteta e seu marido, o designer Richard Romanini. Foi em Milão, onde morou por quase 15 anos, que Biba conheceu o companheiro de trabalho e de vida. “Foi uma decisão conjunta com meu marido de mudar pra cá. Chegando aqui começamos a trabalhar em alguns projetos de audiovisual e montamos um escritório supermultidisciplinar”. O casal mudou-se para Curitiba em 2009.

NOVIDADES - Nos últimos anos, a pesquisa e a produção de conteúdo foram intensas no Museu Paranaense, com atuação de professores e universidades. A estruturação da reserva técnica foi outro passo fundamental na gestão e conservação do acervo do museu. “O importante agora é trazer tudo isso para o público. Acredito que a forma deve ser tão consistente quanto uma pesquisa científica e vamos olhar com muito carinho pra essa parte”, afirma Biba. Partindo da premissa de pensar o espaço, a arquiteta trouxe para a instituição um novo corpo técnico de arquitetura e design. Junto ao setor de museologia e do educativo do Museu, a equipe vai atuar na gestão de conteúdo e em uma nova identidade para o espaço.
A primeira remodelação nas exposições está prevista para o prédio histórico do museu, o Palácio São Francisco, construção de 1929, tombada pelo Patrimônio Histórico, antiga residência da família Garmatter, Palácio do Governo e Tribunal Regional Eleitoral. A parte conhecida como anexo, edificação de concreto, aço e vidro, em dois pisos, com cerca de 1.600 m², passou por reformas e teve o circuito expositivo renovado no fim de 2018. Por esse motivo, a diretora explica que vai dar atenção especial ao palácio.
Outra novidade que está em fase de testes e promete trazer grande agilidade na gestão do espaço é a tecnologia Building Information Modeling (BIM), que permite criar digitalmente cada item do acervo de forma espacial e incluir todos os dados sobre aquele item. Dessa maneira, ao pensar na disposição das peças de uma exposição a ferramenta permite esboçar toda essa mostra no ambiente virtual, com informações espaciais precisas, além dos dados técnicos de cada item.
Se há outra peça que dialogue com essa exposição, seja em outra mostra ou na reserva técnica, é possível criar links com esse item. A tecnologia BIM também facilita muito em caso de itinerância do acervo, fornecendo todas as informações necessárias para montagem de uma exposição em outro local e ainda dados de geolocalização.
Para Biba, a nova identidade do Museu Paranaense deve situá-lo entre o museu tradicional e o hipertecnológico, o que ela chama de “museu narrante”. “Você cria uma série de narrativas transversais sobre uma peça, que vai gerar curiosidades e ainda pode linkar com outras peças do museu”.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

No UCI Day Oscar 2019, os filmes indicados nas principais categorias do Oscar


Chegou a semana mais importante para todos os cinéfilos: é hora de se preparar para a maior premiação cinematográfica do mundo, que acontece no domingo, dia 24 de fevereiro. Aqui no Brasil, a rede UCI - nos Shopping Estação e Palladium - dois dias inteiros com produções indicadas às principais categorias, uma oportunidade para rever filmes como “Pantera Negra”, “Infiltrado na Klan”, “Bohemian Rhapsody” e “Nasce uma Estrela”.
Durante a maratona UCI Day Oscar®, nos dias 21 e 22 de fevereiro, quinta e sexta-feira, todos os 24 cinemas da rede pelo país exibirão, em sequência, as produções indicadas a: Melhor Filme, Ator, Atriz e Diretor. Além de “Guerra Fria” e “Assunto de Família”, que disputam por Melhor Filme Estrangeiro.
Até lá, clientes UNIQUE, o programa de benefícios da rede, garantem desconto de R$ 2,00 para todos os títulos indicados (em qualquer categoria) e que estiverem em cartaz nos cinemas onde a rede atua.  
Os ingressos para o UCI Day Oscar® estão à venda por R$ 15,00 (inteira) para sessões na quinta (21) e na sexta-feira (22) para os títulos abaixo. Clientes UNIQUE pagam meia-entrada.

MELHOR FILME
Pantera Negra
Infiltrado na Klan
Bohemian Rhapsody
A Favorita
Green Book: O Guia
Roma
Nasce Uma Estrela
Vice

MELHOR ATRIZ
Yalitza Aparicio (Roma)
Glenn Close (A Esposa)
Olivia Colman (A Favorita)
Lady Gaga (Nasce Uma Estrela)
Melissa McCarthy (Poderia Me Perdoar?)

MELHOR ATOR
Christian Bale (Vice)
Bradley Cooper (Nasce Uma Estrela)
Willem Dafoe (No Portal da Eternidade)
Rami Malek (Bohemian Rhapsody)
Viggo Mortensen (Green Book: O Guia)

MELHOR DIREÇÃO
Spike Lee (Infiltrado na Klan)
Pawel Pawlikowski (Guerra Fria)
Yorgos Lanthimos (A Favorita)
Alfonso Cuarón (Roma)
Adam McKay (Vice)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Assunto de Família (Japão)
Cafernaum (Líbano)
Guerra Fria (Polônia)
Nunca Deixe de Lembrar (Alemanha)
Roma (México)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Amy Adams (Vice)
Marina De Tavira (Roma)
Regina King (Se a Rua Beale Falasse)
Emma Stone (A Favorita)
Rachel Weisz (A Favorita)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali (Green Book: O Guia)
Adam Driver (Infiltrado na Klan)
Sam Elliott (Nasce uma Estrela)
Richard E. Grant (Poderia Me Perdoar?)
Sam Rockwell (Vice)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Pantera Negra
A Favorita
O Primeiro Homem
O Retorno de Mary Poppins
Roma

Os ingressos já podem ser adquiridos na internet, em aplicativos de celular e nas máquinas de autoatendimento disponíveis no hall dos cinemas. Mais informações sobre a programação no site www.uci.com.br.

Mercado Municipal promove bailinho de carnaval para toda a família


Crianças e adultos poderão cair na folia, no próximo sábado (23), no 2º Bailinho de Carnaval do Mercado Municipal de Curitiba. “Teremos um repertório bastante eclético porque queremos que as famílias se divirtam nesta festa em um dos pontos turísticos mais importantes da nossa cidade”, adianta o carnavalesco Felipe Guerra, coordenador do evento.
Ele convida todos os participantes a entrar no clima e preparar a fantasia para o pré-carnaval. A celebração gratuita é promovida pela Associação dos Permissionários Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba (Ascesme) com apoio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab).
O bailinho terá início às 11h com um desfile de bloco dos participantes pelos corredores do Mercado Municipal e depois pelo calçadão da Avenida Sete de Setembro, que dá acesso ao mercado. O Trio Elétrico Tremendinho irá puxar a folia na parte externa e o público poderá pular ao som de marchinhas infantis, marchinhas clássicas, axé, samba de raiz e samba enredo. “Pensamos em um evento para crianças, jovens e adultos, inclusive para os pets”, reforça Guerra, que é fundador da Enamorados do Samba, a primeira escola de samba sustentável do mundo.
Durante a folia, será realizado um ensaio aberto da Escola Enamorados do Samba, a partir das 16h30. A escola foi campeã do Grupo de Acesso do carnaval de Curitiba, no ano passado, e neste ano disputa o primeiro lugar do Grupo Especial com seus carros alegóricos e fantasias criados a partir de matéria prima reciclável. “Convidamos o Felipe Guerra para coordenar esse grande evento, pois ele tem essa consciência ecológica que vai ao encontro do que nós do Mercado Municipal pensamos. No quanto podemos caminhar para um mundo mais sustentável”, explica Mario Shiguimetu, presidente da Ascesme.
Guerra pede que o público entre no clima e capriche na fantasia, inclusive que use adereços recicláveis, porque será realizado um concurso de fantasia para as crianças. Haverá um espaço para customização de abadás, camarim de pintura e cabelo maluco no Setor de Orgânicos do Mercado Municipal. Pets fantasiados também poderão participar de um concurso exclusivo. Tudo será gratuito.

Mostra de Alfi Vivern segue até março no hall térreo da Biblioteca


A Biblioteca Pública do Paraná (BPP) exibe até o dia 10 de março a mostra “Um breve comentário sobre a eternidade”, de Alfi Vivern. As obras da exposição, que faz parte da programação da Bienal de Curitiba 2018, estão no hall térreo da BPP.
As peças conceituais de Vivern, que são feitas de pedra, madeira e papel, têm o objetivo de despertar a reflexão sobre a brevidade da existência, utilizando elementos que duram mais que a vida humana. “Do pó viemos e ao pó voltaremos. É uma coisa tão passageira”, diz o escultor argentino radicado no Brasil.
Na obra que dá nome à mostra, por exemplo, vê-se uma estante cheia de livros de madeira, resultando em uma biblioteca inanimada dentro de uma instituição funcional, orgânica. Ao utilizar esse material para criar livros que não abrem, Vivern buscou homenagear todos os títulos que não podem ser lidos devido à brevidade da vida. “Meu trabalho tem a ver com a memória, o incomensurável”, pondera o artista.

O AUTOR - Alfi Vivern nasceu em Buenos Aires, em 1948, e está radicado no Brasil desde 1972. Frequentou o instituto Di Tella em seu país de origem e, ao chegar no Brasil, abriu seu primeiro ateliê em Salvador (BA). Ainda na década de 1970, teve aulas de escultura com Francisco Stockinger, já em Curitiba, onde vive atualmente.
Na década de 1980, Vivern estudou litografia com Sonia Maria Tozatti da Rosa e Gilberto Gyarfi, também na capital paranaense. Hoje, seu trabalho já rodou cidades e países de diferentes continentes, da América à Ásia, e suas peças estão expostas em vários museus ao redor do mundo.

Mais informações: 3221-4994.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Música na Biblioteca revisita trajetória do grupo Mundaréu


Itaercio Rocha, Thayana Barbosa e Melina Mulazani revisitam a trajetória do grupo Mundaréu na estreia da temporada 2019 do projeto Música na Biblioteca - que acontece nesta sexta-feira (22), às 17h30, no hall térreo da BPP.
O trio de voz e percussão apresenta o show “Mundaré”, com temas que fizeram parte dos mais de 20 anos de história da formação curitibana, conhecida por seu trabalho fundamentado na cultura popular e nos ritmos regionais brasileiros. A entrada é gratuita.
Criado em 1997, o Mundaréu se notabilizou por misturar música, dança, teatro e arte-educação em seus projetos. Formado por instrumentistas, cantores, atores, dançarinos, bonequeiros e pesquisadores, produziu diversos espetáculos, gravou CDs e DVDs, promoveu oficinas e foi fundamental para a revitalização do Carnaval de rua da cidade - Itaercio é um dos criadores do bloco Garibaldis e Sacis, símbolo dessa transformação.
O repertório do show desta sexta-feira na BPP conta com canções do disco “Mundaré” (2011), produzido por André Abujamra, além de temas que marcaram todas as fases do grupo.

MÚSICA NA BPP - Criado em 2012, o projeto tem o objetivo de colocar artistas locais de todos os estilos em contato direto com o público.
Os shows são gratuitos e acontecem mensalmente e em edições especiais no hall térreo da BPP - por onde passam, todos os dias, 2 mil pessoas. Os músicos podem enviar propostas para a Divisão de Difusão Cultural da Biblioteca, pelo e-mail imprensa@bpp.pr.gov.br. Mais informações: 3221-4911.

MON tem programação especial nesta quarta com entrada gratuita


O Museu Oscar Niemeyer preparou uma oficina e programou uma visita mediada para quem for ao MON nesta semana aproveitar a quarta-feira gratuita (20).
Das 11h às 17h, no subsolo, a equipe do Educativo conduzirá a oficina “Estruturas e Valores”, baseada na exposição de Antonio Arney. Às 15h, a artista Didonet Thomaz faz uma visita mediada à exposição “Polítopos Irregulares”. A mediação contará com tradução para libras.
As ações não têm custo e não exigem conhecimento prévio em arte. Todas as quartas-feiras a entrada é gratuita a todo o público.
Mais informações: 3350-4400 ou http://www.museuoscarniemeyer.org.br

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Abertas as inscrições gratuitas para os Grupos Artísticos da UFPR


Até março a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) recebe inscrições para os testes seletivos dos novos integrantes dos grupos artísticos da UFPR: a Companhia de Teatro (até 15 de março), o Coro, a Orquestra Filarmônica e a Téssera Companhia de Dança (todos até 8 de março).
Ao longo do ano, os grupos apresentam espetáculos de teatro, coro erudito, música orquestrada e dança moderna. As apresentações são gratuitas.

REQUISITOS - Não são cobradas taxas de inscrição ou mensalidades e membros da comunidade podem participar, desde que se enquadre nos pré-requisitos para fazer parte de cada grupo.
É importante, porém, que interessados se atentem a datas, horários, pré-requisitos e critérios de avaliação de cada grupo artístico, descritos especificamente em cada edital.

Confira mais informações sobre as inscrições:

COMPANHIA DE TEATRO
Período: de 11/2 a 15/3
Procedimento: as inscrições deverão ser realizadas on-line neste link ou pessoalmente na sede da companhia (no 2.º andar do Prédio Histórico da UFPR, na Praça Santos Andrade, n.º 50, Centro; em dias úteis, das 13 às 17 horas)
Acesse o edital e o formulário de inscrição
Data dos testes: a confirmar
Mais informações pelo telefone (41) 3310-2736 ou pelo e-mail ciadeteatro@ufpr.br

CORO DA UFPR
Período: de 4/2 a 8/3
Procedimento: inscrições pessoalmente na sede do coro (subsolo do Prédio Histórico) para entrevista e teste vocal. Não é necessário agendamento
Pré-requisitos: os candidatos deverão ser maiores de 18 anos, ter memória musical, senso rítmico e afinação
Acesse a chamada pública
Resultado: edital fixado na sala do Coro a partir de 11/3
Mais informações: (41) 3310-2635 ou coro@ufpr.br. O coro também possui fanpage no Facebook e no Instagram

ORQUESTRA FILARMÔNICA
Período: 4/2 a 8/3
Procedimentos: inscrições via e-mail ou pessoalmente na Sala da Orquestra da UFPR (3.º andar do Prédio Histórico, na Proec, de segunda a sexta das 9 às 13 horas)
Pré-requisitos: maiores de 18 anos que toquem algum instrumento em nível intermediário ou avançado
Acesse a chamada pública e a ficha de inscrição
Mais informações: (41) 3310-2640 ou orquestra@ufpr.br. A orquestra tem página no Facebook.

TÉSSERA COMPANHIA DE DANÇA
Período: 4/2 a 8/3
Procedimentos: as inscrições deverão ser realizadas pessoalmente na secretaria da Unidade de Dança Moderna (1.º andar do Prédio Histórico, de segunda a sexta, das 14 às 18h30), mediante preenchimento de ficha cadastral. Os candidatos também são entrevistados sobre sua experiência em dança e participam de uma audição que consiste em uma aula prática de dança moderna e será realizada em 13/3, às 18h30
Pré-requisitos: ser maior de 18 anos, com experiência prévia em dança (em qualquer técnica ou estilo)
Veja a chamada pública
Mais informações: (41) 3310-2708 ou tessera@ufpr.br. A companhia possui páginas em redes sociais, como Facebook e Instagram, e site próprio. (Proec)