terça-feira, 31 de dezembro de 2013

"Desejo", de Victor Hugo

"Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconsequentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.

E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.

E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar".

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Nos cinemas, estreias para todos os gostos

Feriado natalino sem um filme que atraia maior público, apesar das boas estreias. Entre os filmes em cartaz, merecem ser vistos o polêmico “Azul é a Cor Mais Quente”, “Blue Jasmine”, “O Hobbit: A Desolação de Smaug” e, para as crianças, “Um Time Show de Bola”.

A VIDA SECRETA DE WALTER MITTY - Ben Stiller dirige e estrela esta comédia dramática sobre um sonhador que escapa de sua vida anônima ao desaparecer em um mundo de fantasia, repleto de heroísmo, romance e ação. Quando seu trabalho ao lado de uma colega é ameaçado, Walter decide enfrentar o mundo real e embarca em uma jornada global que transforma-se em uma aventura mais extraordinária que poderia ter imaginado. Sean Penn, Kristen Wiig, Adam Scott, Shirley MacLaine, Adrian Martinez, Joey Slotnick e Alan D. Purwin estão no elenco. Trata-se de um remake do filme “O Homem de 8 Vidas”, estrelado por Danny Kaye em 1947. O filme original, por sua vez, é baseado em um conto de 1939, escrito pelo humorista norte-americano James Thurber.
Indicação etária: 10 anos

A VOZ ADORMECIDA - Drama espanhol dirigido por Benito Zambrano inspirado no livro de mesmo nome de Dulce Chacón. Após a Guerra Civil Espanhola, que colocou Francisco Franco no poder e instaurou a ditadura no país, Pepita (María León) vai a Madri tentar salvar a irmã, Hortensia (Inma Cuesta). Hortensia está presa e, mesmo grávida de seu primeiro filho, é condenada à morte. Lá, Pepita se apaixona por um homem que também luta contra o regime.
Indicação etária: Livre

CINE HOLLIÚDY - Comédia nacional do diretor Halder Gomes estrelada por Edmilson Filho, Miriam Feeland e Roberto Bomtempo. A ação se passa no interior do Ceará, na década de 1970. A popularização da TV permitiu que os habitantes da cidade desfrutassem de um bem até então desconhecido. Porém, o televisor afastou as pessoas dos cinemas. É aí que Francisgleydisson entra em ação. Ele é o proprietário do Cine Holiúdy, um pequeno cinema da cidade que terá a difícil missão de se manter vivo como opção de entretenimento. Totalmente falado em “cearensês”, o filme é exibido com legendas em português para traduzir o amplo vocabulário regional.
Indicação etária: 12 anos

ENDER'S GAME: O JOGO DO EXTERMINADOR - Ficção americana dirigida por Gavin Hood (“X-Men Origens: Wolverine”).  Em um futuro próximo, extraterrestres hostis atacaram a Terra. Com muita dificuldade, o combate foi vencido, graças ao heroísmo do comandante Mazer Rackham. Desde então, o respeitado coronel Graff e as forças militares terrestres treinam as crianças mais talentosas do planeta desde pequenas, no intuito de prepará-las para um próximo ataque. Ender Wiggin, um garoto tímido e brilhante, é selecionado para fazer parte da elite. Na Escola da Guerra, ele aprende rapidamente a controlar as técnicas de combate, por causa de seu formidável senso de estratégia. Não demora para Graff considerá-lo a maior esperança das forças humanas. Falta apenas um treinamento com o grande Mazer Rackham, e depois garoto estará pronto para a batalha épica que decidirá o futuro da Terra e da humanidade. Ben Kingsley, Harrison Ford, Abigail Breslin, Asa Butterfield, Hailee Steinfeld e Viola Davis estão à frente do elenco.
Indicação etária: 10 anos

MATARAM MEU IRMÃO - Documentário nacional de Cristiano Burlan. Reconstituindo os detalhes da morte de seu irmão, Rafael Burlan da Silva, ocorrida há 12 anos, o cineasta Cristiano Burlan lança-se em uma jornada pessoal que conduz ao coração de um círculo de violência em torno dos bairros da periferia paulistana, como o Capão Redondo. É lá que morava a família e onde o irmão, de 22 anos, foi morto com sete tiros em 2001. Explorando as razões do envolvimento do irmão com drogas e roubo de carros, o diretor expõe partes de sua própria história familiar.
Indicação etária: 18 anos

MINHOCAS - Animação nacional do diretor Paolo Conti que conta a divertida história de Júnior que está entrando na pré-adolescência e enfrentando uma crise existencial. Cavado acidentalmente para fora da terra e levado a um lugar distante, Júnior viverá uma incrível aventura com seus novos amigos Nico e Linda e precisará encontrar um jeito de voltar para casa, mas antes ele terá de impedir os planos de dominação de um terrível tatu-bola. Rita Lee, Anderson Silva e Daniel Boaventura emprestam suas vozes aos personagens
Indicação etária: Livre

QUESTÃO DE TEMPO - Romance do diretor Richard Curtis (“Simplesmente Amor”) estrelado por Domhnall Gleeson, Rachel McAdams, Bill Nighy, Margot Robbie, Tom Hollander, Vanessa Kirby e Lindsay Duncan, entre outros. Tim é um descendente de uma família de viajantes do tempo que usam o poder para ajudar o mundo. Ao descobrir o dom, o jovem, no entanto, passa a usá-lo em proveito próprio, como para conquistar a garota dos seus sonhos.
Indicação etária: 12 anos

UM CORPO QUE CAI - Este clássico do mestre do suspense Alfred Hitchcock é relançado em cópia de alta qualidade. Em São Francisco, o detetive aposentado John “Scottie” Ferguson sofre de um terrível medo de alturas. Certo dia encontra com um antigo conhecido, dos tempos de faculdade, que pede que ele siga sua esposa, Madeleine Elster. John aceita a tarefa e fica encarregado da mulher, seguindo-a por toda a cidade. Ela demonstra uma estranha atração por lugares altos, levando o detetive a enfrentar seus piores medos. Ele começa a acreditar que a mulher é louca, com possíveis tendências suicidas, quando algo estranho acontece nesta missão. James Stewart, Kim Novak e Konstantin Shayne são os principais nomes do elenco.
Indicação etária: 14 anos
Assista ao trailer

Vote na mais bela foto de Curitiba

Até 31 de dezembro, internautas podem escolher a mais bela fotografia de Curitiba, pelo concurso cultural “Como você vê Curitiba”. Para votar pela campeã, entre as dez classificadas, basta acessar o site http://www.imap.curitiba.pr.gov.br, no link Concurso Cultural.
O concurso de fotografias é promovido pelo  Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), como ação do Espaço Imap Cultural e do programa Portal do Futuro. As fotografias mostram aspectos urbanos, culturais, artísticos, paisagísticos e desportivos da cidade de Curitiba.
O autor da fotografia vencedora do Concurso Cultural receberá, como incentivo ao seu aperfeiçoamento, uma câmera fotográfica digital. 

Companhia de dança apresenta “Carmina Burana” na Casa Hoffmann

A Companhia de Dança Masculina Jair Moraes apresenta o espetáculo “Carmina Burana” neste sábado (21), às 20h, na Casa Hoffmann – Centro de Estudos do Movimento. A obra mais famosa do compositor alemão Carl Off ganhou uma coreografia da companhia curitibana, que é a primeira com corpo de baile exclusivamente masculino do Brasil. A entrada é franca.
Assim como a obra musical, considerada pelo próprio compositor como um hino à vida, a coreografia está dividida em três partes: o encontro do homem com a natureza, particularmente com a natureza despertada na primavera, seu encontro com os dons da natureza culminando com o dom do vinho, e por fim seu encontro com o amor.
O grupo, dirigido por Jair Moraes, nasceu dentro da Escola de Dança do Teatro Guaíra, tornando-se independente em 2007. A companhia realiza um trabalho de cunho social junto a jovens da periferia, que têm oportunidade de desenvolver o talento e a aptidão pela dança.

Museu Oscar Niemeyer oferece colônia de férias para crianças em janeiro

O Museu Oscar Niemeyer (MON) realiza, por meio da Ação Educativa, a sexta edição da Colônia de Férias entre os dias 21 e 31 de janeiro de 2014, das 14h às 17h. O evento é direcionado para crianças de 6 a 11 anos e o valor da taxa diária é de R$ 40,00 por pessoa ou R$ 130,00 para a participação durante cada semana. O número de vagas é limitado a 60 participantes por dia e as inscrições começam dia 2 de janeiro.
Serão duas semanas de colônia, a primeira do dia 21 a 24 de janeiro e a segunda do dia 28 a 31 de janeiro (terça a sexta-feira). As atividades previstas incluem, diariamente, visita monitorada a uma exposição, duas oficinas artísticas relacionada às mostras em cartaz, lanche, atividades de vida e cidadania voltadas às diferentes etnias, música, dança, contação de histórias, teatro e encerramento com uma prática lúdica interativa. Todos os materiais para o desenvolvimento das atividades serão fornecidos pelo museu, inclusive o lanche. 
Durante o evento serão trabalhadas as seguintes exposições: “A expressão de Freyesleben”, “Meu Bem - Beatriz Milhazes”, “Idea Brasil - O melhor do Design Brasileiro de 2013”; “Ida Hanemann de Campos, entre o pincel e a pena”, “Nuno Ramos - Anjo e Boneco”; “Jayme Bernardo, designer”; “Museu em Construção”(História da fundação do MON); Roger Ballen: Transfigurações, fotografias 1968-2012; “45 Manoel Coelho - Arquiteturadesign”, “João Osório Brzezinski- Salvando Aparências”, “FotoBienal MASP 2013”; “Cones”.
Os interessados devem fazer a pré-inscrição no site do MON (www.museuoscarniemeyer.org.br), entre os dias 2 e 17 de janeiro, por meio do preenchimento de um formulário específico. Só serão considerados inscritos os candidatos que efetuarem o pagamento da taxa até o dia 17 de janeiro na bilheteria do museu, de terça a domingo, das 10h às 18 horas.
Mais informações: 3350-4412/ 3350-4468 ou pelo e-mail agendamento@mon.org.br

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Museu Oscar Niemeyer recebe exposição do arquiteto e designer Jayme Bernardo

O Museu Oscar Niemeyer (MON) recebe nesta quinta-feira (19), às 19 horas, na sala 5,  a exposição “Jayme Bernardo, designer”, com curadoria e concepção de Consuelo Cornelsen.  A mostra fica em cartaz até o dia 8 de março de 2014.
São 22 peças de mobiliário expostas, resultado de seu trabalho de design com linhas assinadas e produzidas em escala industrial, entre mesas, aparadores, bancos, pufes, cadeiras, poltronas e sofás de autoria de Jayme e sua equipe – a divisão de seu escritório denominada “Jayme Bernardo Design”. Entre elas, três já premiadas na versão brasileira do IDEA Awards, categoria Prata: a mesa Medusa, em 2012, e as linhas Taj e Arcos, em 2013. Para a curadora Consuelo Cornelsen, “a exposição foi pensada para que os móveis concebidos fossem apresentados de maneira mais solta e integrados na modernidade escultórica do aço Corten e do videoclipe, onde o móvel se integra com a imagem e a textura sonora de forma criativa e interativa”.
Formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), o arquiteto e designer Jayme Bernardo sempre desenhou, desde a faculdade, móveis exclusivos para seus projetos de interiores. Em 2010 criou um departamento específico de design em seu escritório, “não só para aumentar a produção dessas peças, mas com a intenção de ter um espaço para criação de mobiliário que expressasse beleza estética, inovação no uso de materiais e, ao mesmo tempo, para ter conexão com os projetos arquitetônicos”, explica Jayme.
Para o arquiteto cada peça e linha são frutos de muito trabalho e da busca constante por aperfeiçoamento, desde seus aspectos criativos aos de inovação tecnológica e sustentabilidade: “o que torna uma peça realmente única, para mim, é o fato de poder admirar como ela pode reunir beleza, estética, funcionalidade, inovação material e produção eficiente; essa união de grandes qualidades dá sua personalidade e, em consequência disso, singularidade a todo o ambiente que ela integra”, afirma.

JAYME BERNARDO - Nascido em São Paulo e criado no Paraná, Jayme Bernardo mantém há 30 anos seu escritório de arquitetura em Curitiba – e filiais em São Paulo e Miami. Neles desenvolve interiores de residências, hotéis, restaurantes e casas noturnas, além dos projetos de arquitetura, design e eventos.
Equilibrado entre forma e função e criterioso com a plástica e a estética, busca o novo e atua bastante em São Paulo, além da capital paranaense, e em diversas cidades no País –  assim como no exterior: Estados Unidos EUA (Miami e NY), França (Paris) e Angola.
Desenvolve seu próprio design de móveis em madeira, laca, metal, resina e tecido. Nas mostras de decoração nacionais, as edições da Casa Cor de Curitiba e São Paulo lhe renderam muitos prêmios na última década – quando também ganhou premiações da indústria: Deca e Docol. 

Dwayne Johnson lidera lista da Forbes de atores que mais rendem bilheteria

(Reuters) - Dwayne Johnson ficou em primeiro lugar na lista da Forbes de atores de maior bilheteria em 2013, enquanto seu colega de "Velozes e Furiosos 6", Vin Diesel, e o ator Paul Walker, que morreu recentemente num acidente de carro, se posicionaram entre os seis primeiros colocados, informou a revista nesta segunda-feira.
"The Rock", como Johnson é conhecido desde sua carreira como lutador, bateu o astro Robert Downey Jr., de "Homem de Ferro 3", que ficou em segundo, por estrelar em quatro filmes, incluindo "G.I. Joe: Retaliaçã", que no conjunto resultaram em uma arrecadação total de 1,3 bilhão de dólares no mundo.
"Homem de Ferro 3" é o filme de maior arrecadação até o momento em 2013, com 1,2 bilhão de dólares em venda de ingressos globalmente.
A Forbes elabora a lista compilando quantos dólares cada astro do cinema arrecadou nas bilheterias do mundo todo neste ano. Esse resultado não está relacionado com os ganhos individuais de cada ator.
O sexto filme da altamente rentável franquia "Velozes e Furiosos", de corridas de carros nas ruas, obteve 789 milhões de dólares nas bilheterias, e Diesel acrescentou 98 milhões de dólares do terceiro filme nas séries "Riddick", aparecendo em quarto na lista da Forbes.
"Velozes e Furiosos 6" alçou Walker sozinho ao sexto lugar. O ator de comédias Steve Carell ficou em terceiro lugar graças ao sucesso da animação "Meu Malvado Favorito 2". A atriz Sandra Bullock vem em quinto lugar, com dois grandes sucessos de bilheteria "Gravidade" e "As Bem-Armadas".

Edward Snowden será tema de livros e talvez de filme

(Reuters) - Uma história que não fica devendo nada a nenhum romance de espionagem vai ser contada por três escritores, que preparam livros possivelmente concorrentes sobre as revelações de Edward Snowden, ex-prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos.
Glenn Greenwald, ex-repórter do jornal britânico The Guardian, deve lançar seu livro em março. O jornalista recebeu os documentos confidenciais de Snowden em encontros secretos em Hong Kong depois que o ex-prestador de serviços fugiu dos Estados Unidos.
O livro é "sobre o meu período com Snowden em Hong Kong e sobre as reportagens feitas, mas principalmente sobre a vigilância do Estado, com base nos documentos que eu tenho (e não o Guardian), e os meus argumentos de por que essa vigilância é ameaçadora", disse o jornalista por email.
A editora será a Metropolitan Books. Greenwald discute uma adaptação para o cinema.
O jornal The New York Times publicou em outubro que a 20th Century Fox, a Sony Pictures e a HBO haviam analisado a possibilidade de um projeto para as telas. No entanto, Greenwald afirmou que ainda não há nada acertado em relação a isso.
Possíveis livros rivais estão sendo escritos por Barton Gellman, blogueiro e ex-repórter do Washington Post, e Luke Harding, jornalista do Guardian.
Gellman, que escreveu as matérias sobre Snowden para o Post, mas que não está mais no jornal, declarou que seu projeto é anterior às revelações do ex-prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional norte-americana (NSA, na sigla em inglês).
"Já tinha começado a trabalhar num livro sobre sociedade da vigilância quando Edward Snowden apareceu. Ele certamente enriqueceu as minhas reportagens, mas não estou apostando corrida contra ninguém. Minha narrativa cobre um tema amplo e tem vários personagens", afirmou Gellman por email.
Nem Harding, também co-autor de um livro sobre o WikiLeaks, nem ninguém do Guardian quiseram comentar sobre o livro do jornalista, que será publicado pelo Guardian em parceria com a britânica Faber and Faber.
Uma pessoas que conhece o projeto do jornal disse, sob anonimato, que quando Greenwald deixou o Guardian as duas partes concordaram que os livros seriam lançados de forma simultânea para que ninguém tivesse vantagem comercial.
Acredita-se que Snowden tenha baixado milhares de documentos confidenciais da NSA e do governo britânico, o que provocou um debate mundial sobre a vigilância eletrônica dos EUA.
Segundo os vazamentos feitos por Snowden, o Brasil foi alvo de espionagem da NSA, incluindo as comunicação da presidente Dilma Rousseff.
Nesta terça-feira (17), Snowden, que está asilado temporariamente na Rússia, disse em "Carta Aberta ao Povo do Brasil" que está disposto a ajudar nas investigações brasileiras sobre o monitoramento norte-americano no país, e sugeriu que pode pedir asilo ao Brasil.

TV éParaná exibe making of da série A Saga

A TV éParaná (canal 9) exibe nesta quinta-feira (19), às 23h, o making of da série A Saga. Os 16 capítulos que relatam a história do Paraná, de 1541 a 1952, serão apresentados a partir de 21 de janeiro. A série tem direção de Manaoos Aristides e produção da TV Brasil. Cada capítulo tem duração de uma hora. A exibição faz parte das comemorações pela Emancipação Política do Paraná, comemorada em 19 de dezembro.
A história começa com a chegada do espanhol Alvar Núñez Cabeza de Vaca, em 1541, por Paranaguá, passando por Peabiru até chegar a Assunção (Paraguai). Ele foi o primeiro homem branco a avistar as Cataratas do Iguaçu.
Os capítulos seguem com a chegada dos portugueses, escravos, italianos, alemães, ucranianos, poloneses e japoneses, a Coluna Prestes e o início dos anos 50 entre outros episódios da história paranaense.
A equipe técnica percorreu 30 cidades do Paraná para as gravações e construiu três cidades cenográficas, cada uma com 72 casas, nas regiões de Cascavel, Porto Mendes e Foz do Iguaçu. A filmagem da série levou de 1999 a 2012.
Além dos 5 mil figurantes, presentes nos 16 capítulos, estão na série A Saga, os atores Roberto Bomtempo, Igor Rickler, João Vitti, Gabriela Alves, Raymundo de Souza e Emilio Pitta. Há também participação do jornalista Pedro Franco Cruz, que faleceu em 2009, e que por muitos anos trabalhou em veículos de comunicação no Paraná.
A exibição do making of pode ser assistida também pela internet, ao vivo, em www.rtve.pr.gov.br

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Coral Brasileirinho abre inscrições para seleção de novos integrantes

O Coral Brasileirinho, mantido pelo Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), órgão responsável pela gestão da área musical da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), está recebendo inscrições para o teste de seleção de novos integrantes. Para participar, a criança deve ter no mínimo oito anos e no máximo 13 anos de idade. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas na recepção do Conservatório de MPB de Curitiba, das 9h às 18h, até o dia 24 de fevereiro de 2014. Informações pelo telefone 3321-2855, com Bete Carlos.
Os testes acontecerão nos dias 26 e 27 de fevereiro de 2014, das 19h às 21h, com agendamento feito por ordem de inscrição, sendo que o candidato deve chegar com dez minutos de antecedência do horário marcado. A criança deverá cantar uma música de sua livre escolha, sem acompanhamento instrumental, e será avaliada pelos diretores do Brasileirinho. Os resultados serão divulgados a partir do dia 5 de março, em edital afixado na entrada do Conservatório de MPB. Os aprovados não pagam mensalidade e já participam das atividades normais do coral, que têm início com os ensaios, no dia 6 de março.

O coral – Criado em outubro de 1993, o Coral Brasileirinho desenvolve a proposta de recriar a canção popular urbana brasileira, por meio de arranjos que valorizam o potencial cênico das composições. O coral canta e interpreta cenicamente os personagens das canções, utilizando adereços e cenários que emprestam mais vida e colorido ao espetáculo. Com direção cênica do compositor Milton Karam e direção musical da cantora e violinista Helena Bel, o Brasileirinho tem um histórico com perto de 150 apresentações, acumulando 14 espetáculos temáticos e mais de 160 canções brasileiras, com ritmos, estilos e gêneros bem diferentes.
No repertório do Brasileirinho estão músicas que resgatam grandes compositores populares do passado, entre eles Noel Rosa, Sinhô, Pixinguinha, Chiquinha Gonzaga, Lamartine Babo e Adoniran Barbosa, ao lado de obras de Vinícius de Moraes, Toquinho, Taiguara, Gonzaguinha, Fátima Guedes, Arnaldo Antunes, Caetano Veloso, Chico Buarque, Sá e Guarabyra e muitos outros. Também há espaço para autores locais, como Osiel Fonseca e Milton Karam.
Das apresentações do coral, foram marcantes as realizadas em 1995, no Teatro Amazonas, em Manaus. No mesmo ano, o grupo participou do show que comemorou os 30 anos de carreira de Toquinho, merecendo o convite do compositor para gravar uma das faixas do disco Canção dos Direitos da Criança, lançado em 1997.
Em dezembro de 1996, o Coral Brasileirinho lançou seu primeiro disco, mas o talento dos jovens cantores também está registrado em participações nos CDs Curitiba Canta o Natal e Canções Curitibanas, lançados respectivamente em 1995 e 1997, pela Fundação Cultural de Curitiba, e nos CDs do 8º e 9º Encontro de Corais do Sesc da Esquina (1997 e 1998).
Em setembro de 2008, o Brasileirinho foi convidado a integrar a turnê do projeto musical Life is a Loop, comandado pelo DJ curitibano Rodrigo Paciornik. A participação do coral aconteceu em projeções de imagens e sons do grupo – gravados em estúdio, em um show especialmente preparado para o projeto –, durante as apresentações do espetáculo que percorreu o Brasil e depois foi levado aos Estados Unidos.

Objetos da atriz Farrah Fawcett são leiloados por quase US$ 200 mil

(Reuters) - A atriz e modelo Farrah Fawcett foi a estrela de um leilão de objetos associados a celebridades, realizado em Dallas. Um maiô vermelho reluzente que ela usou numa capa de revista e 64 outros objetos pessoais foram arrematados por quase 200 mil dólares.
Outro destaque do leilão foi o terno que Gene Kelly deixou ensopado no musical "Dançando na Chuva", em 1952. O traje de lã cinza foi vendido por 106.250 dólares, segundo a casa de leilões Heritage Auctions.
O terno pertencia a um carteiro aposentado da Califórnia, que o comprou por dez dólares num leilão do estúdio MGM, em 1970. A peça agora foi arrematada pela rede de restaurantes Planet Hollywood.
O maiô de vinil vermelho que Fawcett usou numa capa da Esquire em 1995 saiu por 4.062,50 dólares.
Um troféu do prêmio People's Choice dado à atriz foi vendido por 20.625 dólares; o passaporte dela de 1980 foi vendido por 17,5 mil dólares, e um roteiro do telefilme "The Burning Bed", de 1984, ficou por 8.750.
Fawcett morreu em 2009, de câncer, aos 62 anos.

Museu Alfredo Andersen apresenta mostra com obras premiadas no Salão de Cerâmica

Nesta quinta-feira (19), às 18 horas, o Museu Alfredo Andersen (MAA) abre a mostra “Premiados do Salão de Cerâmica”. A exposição é composta de peças do MAA, com curadoria de Amarílis Puppi, e faz uma retrospectiva dos premiados no Salão.
A exposição conta com 23 obras de 17 artistas e faz uma retrospectiva que começa em 1980 e vai até 2004, período em que o Salão tinha prêmios de aquisição e, por isso, as obras pertencem ao acervo do MAA.
A mostra é uma atividade paralela ao 4º Salão Nacional de Cerâmica, que começa nesta terça-feira (17), na Casa Andrade Muricy. No total, 30 artistas autores de 56 obras inéditas irão representar a produção contemporânea da cerâmica brasileira nesta edição, que fica em cartaz até 30 de março de 2014, aberto à visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 18h; sábado e domingo das 10 às 16h e com entrada franca. Informações: 3222-8262 / 3323-5148 ou www.maa.pr.gov.br

Paolo Ridolfi apresenta "Transfigurações" no MuMA

Nesta quinta-feira (19), às 19h, o premiado artista plástico paranaense Paolo Ridolfi inaugura a mostra individual "Transfigurações", no MUMA – Museu Municipal de Arte de Curitiba, no Portão Cultural. A exposição reúne obras do artista desenvolvidas desde 1989, a exposição permanece em cartaz até dia 9 de fevereiro, com entrada franca.
"Transfigurações" tem curadoria do crítico de arte Arthur do Carmo e reúne obras de diferentes séries de Paolo Ridolfi sem, no entanto, configurar uma retrospectiva. “O recorte curatorial relaciona obras do início da carreira que possuem pertinência de questões na produção recente do Paolo. Logo, a exposição opera pela aproximação de antigas preocupações artísticas dele e seus desdobramentos no trabalho mais atual”, explica o curador. O artista maringaense, que continua vivendo na cidade do interior do Paraná, também tem obras no Museu Oscar Niemeyer e na coleção Marcantônio Villaça.
A exposição reúne obras como Céu de Lata (1989), Facas (1992) ao lado de outras da série Superman (2013) e também algumas pertencentes à série Azulejos (2007-2013). De acordo com Carmo, que pela primeira vez realiza uma curadoria com as obras de Paolo, não é correto afirmar que a mostra será uma ‘linha do tempo’ com os trabalhos do artista, já que, segundo ele, Paolo opera por saltos, ou seja, o seu método instintivo de produção não o leva naturalmente de uma questão a outra como ocorre com grande parte dos artistas. “Apesar de ser possível identificar vários conjuntos ou séries em sua produção, Paolo Ridolfi se afasta de uma linearidade ou evolução, os desdobramentos instaurados por ele constroem um vácuo quase indecifrável entre uma série e outra, mas há sempre algum elemento naformalização, ou conceito dos seus trabalhos, que retorna numa outra elaboração”, explica.
Realizada pela SIM Galeria, galeria de arte contemporânea com apoio da FCC, a mostra "Transfigurações" é apresentada pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Barigui Crédito Inteligente e da Elejor – Energia para um Mundo Sustentável e apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba e da Fundação Cultural de Curitiba.
A exposição pode ser visitada de terça-feira a domingo, das 10 às 19h.

"Memória do Brasil" mostra a construção da ponte Rio-Niterói

A TV éParaná exibe nesta quarta-feira (18), às 23h, mais um capítulo da série "Memória do Brasil". O filme "A Ponte Rio-Niterói", produzido em 1973, tem narração de Sérgio Chapelin e mostra como foi construída a ponte Presidente Costa e Silva, popularmente conhecida como Ponte Rio-Niterói, entre 1971 e 1974, feita no pior momento da ditadura militar.
O documentário mostra cada etapa da construção, desde os estudos iniciais, em 1969, e destaca as sondagens do solo no fundo da Baía de Guanabara, feitas com a ajuda do Serviço Geográfico do Exército.
No segundo bloco do programa, o destaque é o documentário "Amazônia Vai ao Encontro de Brasília", produzido em 1958. O filme apresenta, nas primeiras cenas, a fauna da região: o tucano, a preguiça, o jacaré. Depois, a floresta compacta, cortada apenas pelo espaço livre dos rios. Na época, essas imagens ainda eram desconhecidas da maioria dos brasileiros.
Dali, corta para um aviãozinho que sobrevoa aquele lugar tão ermo, e nele, observando tudo, está o presidente Juscelino Kubitscheck.
O programa é apresentado pelo jornalista e escritor Ruy Castro e pode ser visto pela internet em www.rtve.pr.gov.br

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Guinga apresenta "Canções Necessárias" na Caixa

A Caixa Cultural Curitiba apresenta, nesta terça-feira (17), às 20h, o show “Canções Necessárias”, do violonista carioca Guinga, que encerra a temporada 2013 da Série Solo Música. Sozinho no palco - uma característica do projeto, que traz músicos instrumentistas ao palco do teatro da Caixa Cultural pelo quinto ano consecutivo -, Guinga apresenta suas canções da forma como elas foram criadas, ou seja, sentado ao violão. O recital de viés intimista traz músicas conhecidas do compositor, como “Comendador Albuquerque”, “Picotado”, “Dichavado” e “Lendas Brasileiras”, composta com Aldir Blanc; “Saci”, escrita com Paulo César Pinheiro; e “Contenda”, com Thiago Amud.
Apresentação solo não é algo inusitado na vida deste ex-dentista que, ao retornar de seu consultório, no Rio de Janeiro, passava as madrugadas em claro dedilhando composições ao violão, enquanto a família dormia. O músico relembra que o rádio, sintonizado no repertório eclético da Rádio Nacional, era seu companheiro e tutor nas noites insones da juventude - influência que pode ser percebida em suas composições, marcadas por diálogos criativos com Ravel, Debussy, os compositores russos e os brasileiros Radamés Gnatalli, Ary Barroso, Garoto, Villa-Lobos e Tom Jobim.

Guinga - O violonista, compositor e intérprete Carlos Althier de Souza Lemos Escobar, o Guinga, nascido em 1950, no Rio de Janeiro, aprendeu violão intuitivamente aos 13 anos e, aos 17 anos, teve sua primeira canção classificada no Festival Internacional da Canção (FIC). Formou-se em Odontologia em 1975, atividade que exerceu paralelamente à música.
Trabalhou profissionalmente, acompanhando Clara Nunes, Beth Carvalho, Alaíde Costa, Cartola e João Nogueira, e teve músicas gravadas por artistas como Elis Regina, Michel Legrand, Chico Buarque, Clara Nunes, Cauby Peixoto, Sérgio Mendes, Leila Pinheiro, Ivan Lins, Mônica Salmaso e Quarteto Maogani. Teve como parceiros, entre outros, Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc, Chico Buarque, Nelson Motta, Francis e Olivia Hime.
Com carreira de prestígio em países como Itália, Estados Unidos, Espanha, França, Alemanha e Canadá, Guinga gravou seis CD pela gravadora Velas: “Simples e absurdo” (1991), “Delírio carioca” (1993), “Cheio de dedos” (1996), “Suíte Leopoldina” (1999), “Cine baronesa” (2001) e “Noturno Copacabana” (2003). Sua discografia se completa ainda, com “Graffiando Vento”, realizado com o clarinetista italiano Gabriele Mirabassi e lançado pelo selo italiano Ejea (2004), “Casa de Villa” (2007) e “Saudade do Cordão” (2009), ambos com o clarinetista Paulo Sérgio Santos, lançado pelo selo Biscoito Fino, gravadora com a qual também lançou “Rasgando Seda” (2012), com o Quinteto Villa-Lobos, e “Francis e Guinga” (2013), em parceria com Francis Hime.
Os ingressos para o show de Guinga custam R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia, conforme legislação e correntista Caixa). Informações: 2118-5111. O espetáculo é recomendado para maiores de 10 anos.

Museu da Gravura inaugura novas exposições

Quatro novas exposições serão abertas nesta terça-feira (17), no Museu da Gravura Cidade de Curitiba (Solar do Barão). As salas do museu serão ocupadas pelas mostras “Acervo, Acervo Meu”, “Reorganização de Fragmentos Sentidos”, “Visita ao Planeta dos Macacos” e “Os Inominados”. As exposições permanecerão abertas até 17 de fevereiro de 2014, com entrada franca.
“Acervo, Acervo Meu” apresenta exemplares pertencentes ao próprio museu, reconhecido pela sua excelência na representação da gravura brasileira. Gravuras em pequenos formatos compõem a exposição “Reorganização de Fragmentos Sentidos”, com temática intimista do artista Toni Graton. Em contraposição, a artista Gleyce Cruz apresenta suas obras em grande formato. São cinco desenhos em grafite e carvão, com o tema “Os Inominados”. Na linha dos quadrinhos, a exposição “Visita ao Planeta dos Macacos” apresenta desenhos da série americana “Planeta dos Macacos”, criada por Carlos Magno e Daryl Gregory. A revista teve 16 edições com sucesso de público e crítica.
As exposições podem ser visitadas de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados e domingos, das 12h às 18h.

Museu Oscar Niemeyer abre três grandes exposições nesta terça-feira

O Museu Oscar Niemeyer (MON) abre nesta terça-feira (17), às 19 horas, três grandes exposições: João Osório Brzezinski, Nuno Ramos e Roger Ballen. A entrada é gratuita na hora da abertura.
João Osorio Bueno Brzezinski nasceu em Castro (PR), em 1941. Formou-se em Pintura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná e em Didática de Desenho pela Pontifícia Universidade Católica. Brzezinski é reconhecido por uma produção artística caracterizada pelo rompimento de paradigmas. Nesta exposição para o Museu Oscar Niemeyer ele criou a obra “Salvando aparências”, que ficará exposta na sala 9. Esta instalação retoma a linha iniciada em 2002 com “A farsa da cruz”. De acordo com o artista “nela encontram-se penduradas formas recortadas em MDF que iluminadas por lâmpadas incandescentes, projetam, desta vez sobre telas, sombras a serem trabalhadas no museu”. A curadoria é do crítico e professor de História da Arte Fernando Bini.
“Anjo e Boneco” é a nova individual do artista Nuno Ramos. A mostra traz uma série de desenhos em larga escala, todos feitos em guache, carvão e pastel seco; e um quadro em grandes dimensões feito com materiais diversos, produzido especialmente para a exposição no MON. O título da exposição é parte de um verso extraído da obra “Elegias de Duíno” de Rainer Maria Rilke – “Anjo e boneco: haverá espetáculo”. A exposição será marcada pelo retorno do artista a suas célebres pinturas, ou quadros-relevo de grandes dimensões, que não produzia há alguns anos. Caracterizados por uma potência de volume e uma agressividade de materiais ímpares, lançam-se fisicamente sobre o espectador, ao mesmo tempo que têm no chassis espelhado uma espécie de fundo infinito. Haverá uma conversa com o artista no mesmo dia, 17, no Miniauditório do MON, às 18h15, com mediação de Fabricio Vaz Nunes, professor de História da Arte da Embap (Escola de Música e Belas Artes do Paraná).  A capacidade total são de 60 pessoas e a entrada é gratuita.
“Roger Ballen: Transfigurações, fotografias 1968-2012” é a primeira retrospectiva do fotógrafo na América Latina e apresenta uma seleção de obras de oito séries fotográficas, que cobrem desde os seus trabalhos iniciais até a sua pesquisa mais recente. A exposição reflete tanto a evolução das investigações estéticas, formais e metodológicas de Ballen, quanto sua busca por autoconhecimento, oferecendo, assim, uma jornada de transfigurações reais e simbólicas. “As imagens de Ballen são costuradas pela escolha singular das pessoas fotografadas, pela estranheza de gestos, pela relação sui generis entre os elementos (alguns recorrentes, como fios, desenhos rudimentares na parede, marcas de sujeira etc), além de frequentemente evocar uma proximidade entre humanidade e animalidade” aponta a curadora Daniella Géo. Ballen é considerado hoje, um dos fotógrafos mais respeitados internacionalmente.

Salão Nacional de Cerâmica apresenta retrato da produção contemporânea brasileira

A Casa Andrade Muricy, em Curitiba, abre nesta terça-feira (17) as portas para o 4º Salão Nacional de Cerâmica. Pelo conjunto artístico, o evento se posiciona mais uma vez como um espaço que busca a avaliação correta das poéticas da Cerâmica e o reconhecimento das potencialidades plásticas e estéticas desta arte. Trinta artistas autores de 56 obras inéditas irão representar a produção contemporânea da cerâmica brasileira nesta edição, que fica em cartaz até o dia 30 de março de 2014. A entrada é gratuita.
A seleção oficial aconteceu em novembro, no Museu Alfredo Andersen. Os trabalhos de 200 artistas inscritos de todo País foram avaliados pelos membros do júri, formado pela pesquisadora de Artes Plásticas, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e crítica de Arte, Angela Ancora da Luz, e pelas escultoras e ceramistas Ligia Borba e Maria Cheung. Os artistas tiveram suas obras escolhidas após a avaliação de material fotográfico e ficha técnica identificada por número, de acordo com o regulamento do Salão.
Considero que o resultado alcançado foi muito positivo. A seleção de apenas 30 trabalhos nos obrigou a uma avaliação muito cuidadosa, com as considerações que alimentam o debate sobre a produção artística, observando-se o peso da poética de cada participante, tanto pela carga autoral, como pela técnica e, ainda, pelas possibilidades buscadas em relação à criatividade e execução. Creio que o conjunto de obras projeta um leque de ideias, soluções técnicas e domínio do material, cujo resultado nos permitiu uma seleção que sinaliza uma significativa exposição”, explica Angela Ancora da Luz.
O 1º e 2º colocados na seleção, Andrey Zignnatto (foto), de São Paulo, e Alexandra Eckert, de Porto Alegre, foram premiados com R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente. Diante da alta qualidade dos trabalhos, além dos dois prêmios previstos no regulamento, os membros do júri resolveram conferir seis menções especiais aos artistas Eduardo Luiz de Freitas (Castro-PR), Glaucia Flügel (Curitiba-PR), Juan Parada (Curitiba-PR), Marcio Montoril Prado (Araraquara-SP), Maria Tereza Koffler Anazco (São Paulo) e Sada Mohad (Curitiba-PR).
“Creio que o salão é um lugar para apresentar a produção de artistas, sobretudo os que se iniciam. Por sua própria natureza ele é um lugar democrático, de acesso direto, que possibilita uma abertura para o artista e contribui para a cultura do país. O 4º Salão se apresenta em nível muito bom, é representativo, trará uma grande contribuição e servirá de estímulo a muitos outros artistas brasileiros”, defende a professora.

AÇÕES PARALELAS - Antes da abertura do 4º Salão, duas ações paralelas ao evento atraem os olhares da cidade para a arte da Cerâmica. O Museu Oscar Niemeyer (MON) ganhou, no início de dezembro, um simbólico jardim de 4 mil flores brancas de cerâmica presas por hastes flexíveis, no gramado próximo ao espelho d’água. A instalação congrega o trabalho de 80 artistas, professores e alunos e pode ser vista até 20 de janeiro.
Outra ação paralela será a exposição “Retrospectiva dos Premiados dos Salões de Cerâmica”, que entrará em cartaz no Museu Alfredo Andersen nesta quarta-feira (18). A mostra vai reunir os trabalhos premiados de 25 artistas participantes dos salões ocorridos entre os anos de 1980 (data do primeiro Salão) e 2012, e que fazem parte do acervo do Museu Alfredo Andresen. A curadoria é assinada pela artista plástica Amarílis Puppi.
Realizado pela Sociedade Amigos de Alfredo Andersen, o 4º Salão Nacional de Cerâmica recebe o apoio do Governo do Estado do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Cultura e do Museu Alfredo Andersen. O 4º Salão é um projeto aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura e conta com o patrocínio da Sanepar.

Lote de 59 gravações inéditas dos Beatles será colocado à venda

(Reuters) - Gravações inéditas de 59 músicas dos Beatles serão colocadas à venda pela primeira vez nesta terça-feira (17), quando a Apple Records vai disponibilizá-las para download.
A Apple, selo fundado pelos Beatles em 1968, disse que irá divulgar uma série de faixas do início dos anos 1960 que estavam disponíveis anteriormente apenas como gravações piratas.
Entre as canções a serem vendidas no iTunes, estão versões de "She Loves You", "A Taste of Honey" e "There's a Place", assim como demos, gravações descartadas no processo de edição e apresentações ao vivo para a rádio BBC.
Uma porta-voz da Apple Records não forneceu detalhes sobre o momento do lançamento, nem comentou a especulação de que o objetivo era estender os direitos autorais sobre o material.
Em 2011, a União Europeia decidiu que os direitos autorais sobre gravações sonoras podem ser estendidas de 50 para 70 anos a partir do próximo ano, mas apenas para gravações lançadas antes desse prazo de 50 anos vencer.
A maior parte das faixas dos Beatles que estará disponível para download nesta terça-feira foi gravada para a BBC em 1963, mas não havia sido divulgada.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Trombone de Frutas mostra repertório experimental no Domingo Onze e Meia

O tradicional programa Domingo Onze e Meia, promovido pela Fundação Cultural de Curitiba, leva a banda curitibana Trombone de Frutas ao Conservatório de MPB de Curitiba, às 11h30 deste domingo (15), para um espetáculo que mostra canções experimentais do grupo. O show tem entrada franca.
A banda Trombone de Frutas começou suas atividades em 2010, compondo a trilha musical do espetáculo “MARAT/SADE” para o grupo teatral Folha Branca, além de realizar temporada no espaço Pé no Palco e apresentações no Festival de Teatro de Curitiba.
Formado por Conde Baltazar, Marc Olaf, Thiago Ramalho, Rodrigo Chavez, João Taborda, em parceria com Rimon Guimarães e Macel Cruz, o grupo busca o experimentalismo nas suas canções, utilizando instrumentos como o charango (instrumento de corda), viola caipira e loop station (pequeno equipamento de gravação), paralelamente ao canto a cappella (sem acompanhamento instrumental).
Em 2011, a banda participou da Virada Cultural, em Curitiba, e de duas temporadas do músico argentino Jorge Salinas no Brasil, além de integrar o MOB 2011, no Solar do Barão. No ano seguinte, apresentou-se no projeto “Música para Sair da Bolha”, que aconteceu em espaços abertos, e esteve na Bicicletada de Curitiba, além de abrilhantar a abertura de diversas exposições.
Neste ano de 2013, já acumula participações na Virada Cultural de Maringá, Homenagem a Vinícius de Moraes do Sesc Paço da Liberdade, Festival Psicodália, Festival Fora de Forma (Curitiba, Florianópolis e Rio de Janeiro) e atuação no projeto “Cultura na Rua”, da Fundação Cultural de Curitiba, dividindo o palco com o cantor e compositor Siba. O grupo também respondeu pela trilha do espetáculo “Extraordinário Cotidiano”, da Súbita Companhia de Teatro, contemplado com o prêmio Miriam Muniz.
Ainda em 2013, o Trombone de Frutas grava seu primeiro EP, intitulado “Chanti, Charango?”, com algumas das principais músicas que compõem o repertório da banda. Fazem parte dos shows a interatividade com o público, uma proposta teatral de improviso, muitas frutas e um Rock Experimental Brasileiro.

Concerto natalino encerra temporada 2013 da Orquestra Sinfônica do Paraná

O último concerto do ano da Orquestra Sinfônica do Paraná será neste domingo (15), às 10h30, no Teatro Guaíra, auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão). A apresentação traz obras com temas natalinos, sob a regência do maestro Osvaldo Ferreira, e participação dos corais Copel e Curumim. 
O programa é composto por: “Concerto Grosso em Sol menor, Op. 6 nº 8” (Concerto para a noite de Natal), Arcangelo Corelli (1653-1713); “Apoteose Natalina” Rodrigo Lara; “Variações para orquestra sobre um tema de Haydn Op. 56a”, Johannes Brahms (1833-1897); “Natal das Crianças”, Alexandre Brasolin; “De Magia de Dança e Pés”, Aramis Teixeira Mendes; “Choeur des gamins” (Ópera Carmen), Georges Bizet (1838-1875).
O Coral Curumim formado por 60 crianças e adolescentes foi criado em 1988. Recentemente lançou o CD “Aos Que Virão”, com obras de compositores brasileiros que marca os 25 anos do grupo. Neste quarto de século, o coral participou de importantes produções culturais da cidade (óperas, musicais, concertos e festivais) e foi pioneiro em projetos inseridos no calendário de atrações turísticas de Curitiba, como o Natal do Palácio Avenida.
O Coral Copel é formado por funcionários da empresa e pessoas da comunidade, e atualmente é coordenado por André da Silva.
Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia) e o  público poderá participar da campanha do Provopar Estadual com um brinquedo novo, que será coletado na entrada do auditório e posteriormente doado às crianças de instituições beneficentes.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Segundo filme da trilogia “Hobbit” é o blockbuster da semana

Além das estreias, continuam em exibição - e são boas opções - “Blue Jasmine”, “Azul é a Cor Mais Quente”, “À Procura do Amor” e “Capitão Phillips”. Para as crianças, “Um Time Show de Bola” é diversão certa. Vamos às novidades:

EDUCAÇÃO SENTIMENTAL – Drama nacional dirigido por Júlio Bressane e estrelado por Josie Antello, Bernardo Marinho e Débora Olivieri. Áurea é uma professora solitária que inicia uma estranha relação com um jovem que conheceu por acaso. Bastante sensível, ela fica encantada pela beleza decorrente das mudanças da vida que provocam diversas perdas. Nos dias seguintes à sua primeira conversa, Áurea acaba por revelar seus sentimentos durante as aulas particulares que dá ao rapaz. Isso leva à revelação de uma história incomum do passado que transformará o presente.
Indicação etária: 12 anos

HOBBIT: A DESOLAÇÃO DE SMAUG – Dirigido por Peter Jackson, este segundo filme da trilogia de adaptação da obra-prima “The Hobbit”, de J.R.R. Tolkien, dá continuidade à aventura de Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) em sua épica jornada com o mago Gandalf (Ian McKellen) e treze anões, liderados por Thorin Escudo de Carvalho (Richard Armitage), para o Reino dos Anões de Erebor. Bilbo, os anões e Gandalf continuam sua jornada depois de serem salvos pelas águias nas Montanhas Sombrias e se encontram com Beorn, um troca-pele, que pode se transformar em um urso enorme. Depois disto eles continuam até a Floresta das Trevas, onde Gandalf os abandona para tratar de “assuntos pessoais”. Os anões e o hobbit seguem sozinhos por dentro da floresta escura e assustadora até que são surpreendidos pelas Aranhas Gigantes, mas Bilbo com a ajuda de seu anel os salva, mas acabam sendo capturados pelos elfos da floresta.
Indicação etária: 12 anos

TOKIORI - DOBRAS DO TEMPO – Documentário de Paulo Pastorelo. Os destinos de seis famílias de imigrantes japoneses se cruzaram, entre 1927 e 1934, no bairro rural de Graminha, a 45 km de Marília (SP). O filme segue o percurso das memórias de três gerações dessas famílias, criando um mosaico de diferentes vivências. Projeta ainda contribuições desta comunidade dentro da realidade paulista e brasileira.
Indicação etária: Livre

PEDALANDO COM MOLIÉRE - Comédia francesa dirigida por Philippe Le Guay e estrelada por Fabrice Luchini, Lambert Wilson, Maya Sansa. No auge de sua carreira de ator e cansado dela, Serge Tanneur (Luchini) decide aposentar-se e se isolar em uma pequena ilha paradisíaca. Sua paz é interrompida com a chegada de Gauthier Valence (Wilson), uma famoso ator de tv, que o convida para em uma adaptação de O Misantropo, de Molière. Serge recusa a proposta inicialmente, mas aceita ensaiar durante cinco dia com o outro ator antes de dar sua decisão final. É aí que começa um jogo de manipulação e poder entre dois grandes atores.
Indicação etária: Livre

PREENCHENDO O VAZIO – Drama israelense dirigido por Rama Burshtein. Shira, uma garota de 18 anos, é a filha caçula de sua família hassídica ortodoxa de TelAviv. Ela está prestes a se casar com um jovem da mesma idade. É um sonho que se tornou realidade, e Shira se sente preparada. Quando Esther, sua irmã de 28 anos, morre ao dar à luz a seu primeiro filho, a família adia o casamento de Shira. Tudo muda quando Yochay, marido da falecida Esther, tem um segundo casamento arranjado com uma viúva da Bélgica. A mãe das garotas descobre que Yochay pode deixar o país com seu único neto e propõe um casamento arranjado entre Shira e Yochay. Shira terá que escolher entre os seus sentimentos e o dever familiar. Hadas Yaron, Yiftach Klein e Irit Sheleg são os principais nomes do elenco.
Indicação etária: 10 anos
Assista ao trailer

Paulinho Mixaria traz seu humor “sadio” à Curitiba

De Gramado, Rio Grande do Sul, Paulinho Mixaria, que é conhecido por sua simplicidade e por disseminar o humor sadio, sem o uso de palavrões, apresenta-se, neste sábado (14), no Teatro Positivo, às 21 horas. Ele apresenta na capital paranaense o espetáculo “Humor à Moda Antiga – Temporada 2013”. Este “baixinho simpático” consegue fazer toda a família rir, sem dizer um único palavrão.
No repertório, o mais famoso humorista da região Sul, traz causos do cotidiano, de situações engraçadas da política, do futebol, e não podem faltar as “sogras”, elas não escapam, mas o comediante procura tratá-las com muito carinho e respeito.
Com 7 CDs lançados e dois DVDs, mais de 20 milhões de acessos no youtube e 65 mil fãs no facebook, Paulinho Mixaria viu recentemente a concretização de um novo sonho, o de levar o sucesso dos palcos para as telas do cinema, e acaba de finalizar o filme “As Aventuras de Paulinho Mixaria no Cinema”, gravado em Gramado/RS e que deve ser apresentado ao público paranaense em 2014.
Inspirado por um dos maiores comediantes que o mundo já viu, Charlie Chaplin, Paulinho encarou o desafio de produzir o seu primeiro filme, assumindo as funções de diretor, roteirista e ator. Para entreter o público, o humorista procurou incluir os ingredientes que fazem sucesso no teatro: humor simples, mas humor de verdade. Paulinho Mixaria inclui no filme a sua principal característica, a de pessoa simples do interior. “Pra chegar aonde cheguei, existe um grande segredo: É preciso levantar cedo e sonhar como eu sonhei”, observa Mixaria.

O espetáculo é indicado para todas as idades. Informações sobre ingressos: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br

Casa Kozák é doada para a Prefeitura de Curitiba

A Casa Kozák, imóvel localizado no bairro do Uberaba e que faz parte do espólio do cineasta e pesquisador Vladimir Kozák falecido em 1979, sem deixar herdeiros, foi doada pelo governo do Estado à Prefeitura Municipal de Curitiba após solicitação feita pelo prefeito Gustavo Fruet. A decisão publicada no Diário Oficial do Estado foi sancionada no último dia 6 de dezembro e prevê a reativação da biblioteca em até dois anos. Com a transferência do imóvel para a Prefeitura de Curitiba, a administração municipal poderá incluir no orçamento para 2014 a previsão de recursos para reforma e reativação da biblioteca.
Nesta sexta-feira (13), líderes comunitários do Uberaba estiveram reunidos, na sede da Fundação Cultural de Curitiba, com o presidente Marcos Cordiolli e o vereador Helio Wirbiski que anunciou a destinação de R$ 250 mil de suas emendas individuais para as obras e outros R$ 50 mil para a manutenção do espaço. As emendas serão votadas na próxima semana.
Cordiolli enalteceu o trabalho conjunto realizado pelos poderes públicos. Vamos honrar a confiança do prefeito Gustavo Fruet, do governador Beto e Richa e do vereador Helio Wirbiski levando programas que ajudem a ampliar o acesso à literatura e à cultura no bairro do Uberaba”, disse Cordiolli.
Esse é um presente que os moradores do Uberaba e região aguardam há muito tempo e que conquistamos depois de um ano de muito trabalho junto ao governo do Estado e a Prefeitura de Curitiba”, afirmou Wirbiski.

Histórico – Localizada na Vila São Paulo, na Rua Padre Júlio Saavedra, n° 588, a Casa Kozák tornou-se um Centro de Cultura e biblioteca em 1992. Por decisão judicial, a casa com os móveis, objetos, filmes e outros registros deixados por Kozák foi incorporada ao acervo do Museu Paranaense. Em julho de 2011, foram identificados vários problemas estruturais na edificação, razão pela qual foi solicitada vistoria por parte da COSEDI – Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis, que emitiu relatório sugerindo a imediata interdição do local. Considerando que a referida casa não era propriedade do Município ou da Fundação Cultural de Curitiba e sim do Estado do Paraná, o imóvel foi devolvido ao Estado para a elaboração de projeto de reforma.

O pesquisador – Tcheco naturalizado brasileiro, Vladimir Kozák chegou ao Brasil em 1924, instalando-se no Paraná. Depois percorreu outros estados brasileiros, registrando em filmes, fotografias, desenhos e aquarelas o cotidiano de grupos indígenas brasileiros e manifestações da cultura popular. Os registros cinematográficos reúnem 36 horas de filmes em 16mm coloridos e não sonorizados. Grande parte das filmagens é dedicada ao homem e ao território paranaense, entre as décadas de 1940 e 1950, e constitui uma rica fonte de pesquisas para cineastas, antropólogos, geógrafos, biólogos e historiadores.