quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Coral Curumim conta “Histórias da Música” em sua 27º temporada

O grupo vocal infantil faz um passeio pela música ao longo dos séculos através de divertidos personagens que dão vida a alguns dos principais períodos que marcaram a evolução da música até nossos dias. Será em uma única apresentação, livre para todas as idades, nesta quarta-feira (30), às 20 horas, no Guairinha.
Enquanto disputam quem é o mais importante de todos os tempos, os personagens vão trazendo à cena grandes compositores e obras ilustrativas de diferentes estilos e épocas. A intenção é situar dentro das diversas fases da história da música, canções do repertório construído pelo Coral Curumim, contextualizando dentro da época em que viveram seus autores.
Por ter o propósito de alcançar o interesse e a compreensão de crianças, o caminho para formatar o concerto explorou o terreno da imaginação, transformando os períodos históricos, segundo o qual a música universal é classificada, em personagens com características humanas. O percurso desse breve recorte da História da Música, passa pelas eras Primitiva, Medieval, Renascença, Barroca, Clássica, Romântica e Contemporânea. Thomas Tallis, Vivaldi, Mozart, Beethoven, Bizet, Verdi e Villa-Lobos são alguns dos compositores representados no repertório.
Além dos 54 jovens cantores do Coral Curumim, com idade de 5 a 17 anos, Histórias da Música tem participação especial do grupo vocal Fuxico de Moça, atores e músicos convidados. O concerto faz parte do projeto “Coral Curumim 27ª Temporada, incentivado pela Lei Rouanet e patrocinado pela empresa Parati. Conta ainda com o apoio cultural do Círculo Militar do Paraná, que sedia o Coral Curumim; Conservatório de Música Villa Lobos; e do selo Criança na Plateia.

Os ingressos custam R$ 20,00 + taxa administrativa de R$ 6,00. Mais informações: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

Contrato dos Beatles com empresário é vendido por mais de 550 mil dólares em Londres

(Reuters) - "Money can't buy me love" (“Dinheiro não pode me comprar amor”), certa vez cantaram os Beatles, mas um contrato que ajudou a lançar a banda mais famosa de todos os tempos foi vendido em um leilão da Sotheby’s nesta terça-feira por 365 mil libras (553.121 dólares).
O contrato firmado por John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr em 1 de outubro de 1962, confirmou Brian Epstein, por vezes chamado de o quinto Beatles, como seu empresário, e também estabeleceu Ringo como baterista da banda.
Foi o segundo contrato assinado pelos Beatles com Epstein, um ex-dono de loja de discos que se apaixonou pelo grupo após ouvi-los várias vezes seguidas no Cavern Club, em Liverpool.
O contrato substituiu o que o grupo havia assinado em janeiro daquele mesmo ano, que incluía Pete Best como baterista. Ele foi substituído por Richard Starkey, mais conhecido como Ringo.
O documento foi assinado dias antes do lançamento do primeiro single de sucesso da banda, “Love Me Do”.
Sem este contrato, e a relação que representa, parece ser inconcebível que os Beatles pudessem ter conquistado tudo que conseguiram”, disse Gabriel Heaton, especialista em livros e manuscritos da Sotheby’s, por meio de um comunicado.

Lady Gaga é escolhida mulher do ano pela Billboard

(Reuters) - A cantora Lady Gaga foi indicada a mulher do ano pela revista especializada em música Billboard por ser considerada uma figura de grande influência.
Lady Gaga foi escolhida porque ela foi uma "figura-chave de influência" este ano, disse em comunicado nesta terça-feira Janice Min, que supervisiona a Billboard como co-presidente do grupo Guggenheim Media's Entertainment, que controla a revista.
"Não há nenhuma outra mulher dominando os gostos da cultura popular e sua evolução como ela o faz hoje", disse Min. 
Lady Gaga, de 29 anos, vai receber o prêmio na cerimônia da Billboard em Nova York, em dezembro. No ano passado, a homenageada foi Taylor Swift.

Jardim Botânico expõe animais empalhados do acervo do Museu de História Natural

Quem for passear no Jardim Botânico poderá, até domingo (4), observar a exposição “Fauna Brasileira e Convidados” que está instalada no salão de exposições. A mostra itinerante faz parte da comemoração do Dia Mundial dos Animais (4 de outubro) e é composta por vários animais empalhados (taxidermizados) que fazem parte do acervo do Museu de História Natural Capão de Imbuia.
Jaguatirica, gato do mato, tamanduá mirim, macaco prego, cobras, lagartos, aves, além de um tigre, urso e um filhote de hipopótamo estão dispostos dentro de uma área cênica que lembra uma floresta e estão fazendo a alegria das crianças que foram até o local.
Maíra Uhaile e Eduardo Gonçalves da Rosa, estudantes da 7.ª série do Colégio Sagrado Coração de Jesus, de Ponta Grossa, aproveitaram para fotografar os animais. “Achei muito criativo. A reprodução da floresta está muito legal. Assim podemos ver de perto animais silvestres que normalmente não poderíamos chegar tão perto”, diz Eduardo.
A auxiliar de cozinha Suellen Dias e o marido, o garçom Alex Almeida, estão morando em Curitiba há menos de um ano. Eles aproveitaram a tarde de folga para conhecer o Jardim Botânico. “Adorei o Jardim Botânico. É espetacular! Estou aproveitando para conhecer, mesmo que empalhados animais que nunca tinha visto”, conta Suellen.
O secretário municipal de Meio Ambiente, Renato Lima, ressalta que o objetivo da exposição itinerante é oferecer a oportunidade de observar os animais em um ambiente que represente o mais próximo do original. “As crianças estão adorando. A exposição é uma excelente ferramenta de sensibilização e para conhecimento da biodiversidade".

O salão de exposições do Jardim Botânico está aberto das 9 às 11h e das 14 às 16h30, com entrada gratuita.

Bienal Internacional de Curitiba 2015 começa no dia 3 de outubro

A Bienal Internacional de Curitiba completa 22 anos em 2015 priorizando a arte que vai para as ruas, com ações que não se restringem aos museus, centros culturais e galerias, mas que ganham o espaço urbano. Tem curadoria geral do crítico de arte Teixeira Coelho e acontece na capital paranaense entre os dias 3 de outubro e 6 de dezembro com obras de artistas dos cinco continentes em mais de 100 espaços da cidade.
Nesta edição, a Bienal tem como conceito curatorial a Luz do Mundo, fio condutor das obras que representam o melhor da arte contemporânea mundial. “A edição de 2015 da Bienal Internacional de Curitiba tem por tema a arte da luz, a arte com a luz, a arte feita de luz e que tem na luz sua matéria, seu material e conteúdo”, observa o crítico e curador geral Teixeira Coelho. Paralelamente, a UNESCO instituiu em 2015 o Ano Internacional da Luz, no campo da Ciência e Tecnologia.
Este ano, a comissão organizadora decidiu homenagear o artista franco-argentino Julio Le Parc, expoente da arte contemporânea e um dos pioneiros da arte cinética. Fundador do coletivo GRAV nos anos 60, sua obra consiste principalmente de relevos que compõem a luz e movimento com líquido fluorescente e outros materiais. “Deslumbramento: palavra que melhor expressa a reação humana diante de suas obras”, afirma Teixeira Coelho. Julio Le Parc tem uma obra impactante, que será exposta pela primeira vez na capital. “O público se surpreenderá com a qualidade das obras e dos artistas que estarão na Bienal. Nomes icônicos, de grande visibilidade internacional, e artistas emergentes premiados estarão nos inúmeros espaços, nomes como Anthony McCall (EUA), Carlo Bernardini (Itália), Dan Flavin (EUA), Doug Wheeler (EUA), Yumi Kori (Japão). Eliane Prolik (Brasil), Iván Navarro (Chile), Jeong Moon Choi (Coreia do Sul), Bill Viola (EUA), Odires Milászho (Brasil) e Xul Solar (Argentina)”, adianta a presidente da Bienal, Luciana Casagrande Pereira.
A Bienal conta com os curadores convidados Leonor Amarante, Tereza de Arruda, Fernando Ribeiro, Bo Nilsson e Yamil Le Parc. Os ganhadores do Prêmio Jovens Curadores 2015, Ana Rocha e Goura Nataraj, trabalham em conjunto com o curador convidado Daniel Rangel. Vera Miraglia e Carmen Lúcia Kassis são as responsáveis pela curadoria educacional.
Para o Circuito de Museus os curadores são Adriana Almada, Alfons Hug, Ana Gonzales, Antonio Cava, Benedito Costa Neto, Dannys Montes de Oca, Fernando Bini, Isadora Hofstaetter, Joice Gumiel Passos, Lenora Pedroso, Luiz Carlos Brugnera, Rodrigo Marques, Mauricio Vieira, Oriete Heloisa Cavagnari, Royce W. Smith e Vanessa Múrio. Stephanie Dahn Batista e Angelo Luz assinam a curadoria do Circuito Universitário e Paulo Camargo e Denize Correa Araujo formam o corpo curatorial do Festival de Cinema. O Circuito de Galerias conta com curadoria de Cleverson Oliveira, Keila Kern, Livia Fontana, Lucia Casillo Malucelli, Márcia Aracheski, Mauricio Pinheiro Lima, Regina Casillo, Roberto Pitella e Tuca Nissel.
A Bienal estará presente nos principais espaços culturais de Curitiba, entre museus, centros culturais, galerias e espaços de arte tais como Museu Oscar Niemeyer (MON), Centro Cultural Sistema Fiep, Museu Municipal de Arte (MuMA), Catedral Metropolitana de Curitiba, Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões – Pavilhão Antony McCall, Museu de Arte da UFPR (MusA), Museu Paranaense, Galeria APAP, Museu da Gravura, Museu da Fotografia, Memorial de Curitiba, Museu Guido Viaro, Museu de Arte Contemporânea do Paraná e Pátio Batel entre outros.
Nesta edição, a arte urbana e as performances artísticas ganham atenção especial, pois, além de estarem cada vez mais fortes e presentes no cenário internacional, oferecem um contato direto e imediato com a comunidade. Não fosse o bastante, as obras de rua ainda ajudam a cumprir o papel de deixar heranças mais duradouras, ampliando sua ação para além do período de exposições.
A Bienal é uma excelente oportunidade para se ter contato com o que há de mais contemporâneo no mundo da arte. Ao observar as obras, acompanhar as performances, visitar um museu, é possível cruzar fronteiras geográficas e expandir o repertório cultural. Mais uma vez, a Bienal envolverá toda a cidade, provocando as pessoas de um jeito diferente”, afirma o diretor-geral da Bienal, Luiz Ernesto Meyer Pereira.

Educativo - O Projeto Ação Educativa busca prolongar e potencializar os efeitos da Bienal na rede pública de ensino. A proposta é criar uma rede multiplicadora de conhecimento com palestras, mesas-redondas e visitas mediadas. Será publicado um material educativo (disponível também para download no site da Bienal), impactando professores, alunos e a comunidade em geral. Todas as bibliotecas escolares do Paraná receberão essa publicação.

Histórico - A Bienal Internacional de Curitiba teve sua primeira edição em 1993, quando ainda se chamava VentoSul, com artistas da Argentina, Brasil e Paraguai. Em 1995, acrescentou a participação para artistas do Chile e Uruguai. O marco da edição de 1997 foi a itinerância com obras que seguiram para grandes centros culturais como o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) e o Centro Cultural Recoleta (Buenos Aires).
Em 2007, a mostra passou a ser temática com obras relacionadas a “Narrativas Contemporâneas” e teve abrangência latino-americana. Em 2009, trouxe artistas dos cinco continentes e o grande tema abordado foi “Água Grande: Os Mapas Alterados”, trazendo artistas como Bruce Nauman, Gary Hill e Marina Abramovic. Em 2011, foi intitulada Bienal de Curitiba e transformou a cidade num grande espaço de arte contemporânea, com destaque para o projeto educativo visando democratizar as artes visuais. Em 2013, a Bienal Internacional de Curitiba comemorou 20 anos de história e se consolidou como um dos eventos mais importantes do circuito mundial. Artistas de relevância no cenário da arte contemporânea internacional, como o sul-africano William Kentridge, o chinês Ai Weiwei, a francesa Louise Bourgeois, o austríaco Peter Kubelka e o alemão Heinz Mack passaram pela mostra. Artistas residentes em cidades do Paraná e de outros estados brasileiros também conquistaram grande visibilidade durante o evento.

Circuitos - Com o intuito de expandir e consolidar seus vínculos locais, a Bienal apoia a realização de cinco circuitos. O Circuito de Museus terá mostras organizadas pelas instituições, dialogando com o conceito da Bienal. O Circuito de Galerias conta com uma programação especial nas principais galerias de arte contemporânea da cidade. Já o Circuito de Ateliês colocará o público em contato com a produção dos artistas locais em seu ambiente de trabalho.
O Circuito Universitário da Bienal Internacional de Curitiba – CUBIC, promove debates, reflexões e expõe obras de artistas universitários. Neste circuito, a Bienal oferece um prêmio para a melhor obra, que neste ano será uma residência artística na Cité Internationale Universitaire de Paris.
Apresentado pela Petrobras, o Festival de Cinema da Bienal Internacional de Curitiba acontece de 5 a 15 de novembro e tem curadoria do jornalista e crítico Paulo Camargo e da PhD em cinema Denize Araújo. A programação conta com exibição de filmes nacionais e internacionais e uma mostra universitária competitiva. Três participantes serão premiados com um estágio na Academia de Cinema de Nova York.

Roteiros - São quatro tipos de roteiros para quem quiser visitar a Bienal: a Pé, de Bicicleta, de Van e de Ônibus. Basta escolher qual o melhor trajeto, agendar a visita via site e aproveitar tudo o que está exposto pela cidade. Quem quiser também pode adquirir um guia pocket bilíngue, que mostra onde as obras estão, seja nos espaços expositivos ou na rua.

Museografia - O arquiteto Jayme Bernardo é o autor do projeto de museografia nos diversos museus e centros culturais da Bienal Internacional de Curitiba.

Publicações - Com o início do evento, o guia com a programação da Bienal será distribuído nos espaços expositivos e em diversos pontos da cidade. O site oficial também incluirá toda a programação e as informações gerais. Os catálogos da Bienal Internacional de Curitiba e do Festival de Cinema contêm informações detalhadas de todos os artistas e obras e poderão ser adquiridos a partir de outubro. O guia e o catálogo da Bienal são editados pela Arte e Letra.

Patrocínio - O Ministério da Cultura apresenta a Bienal Internacional de Curitiba 2015, realizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura (Lei Rouanet). Esta edição também conta com o patrocínio master da UEG Araucária e patrocínio do BNDES, Petrobras, Sanepar, Scania e BRDE. Tem copatrocínio da Barigui Financeira, Sesi FIEP, Monreal Construtora e Pátio Batel. Tem o apoio da APAP-PR e o apoio internacional da Fundação Japão, Consulado Geral do Japão, Embaixada da Argentina, Consulado da Argentina, Instituto Goethe, Prefeitura de Columbus, Prefeitura de Cracóvia, Embaixada da Itália, Consulado Geral da Itália, Instituto Italiano de Cultura, Centro Cultural Coreano no Brasil e Consulado Geral da República da Coréia, Embaixada do México e Embaixada da Suécia.

Mais informações: www.bienaldecuritiba.org

Lúcia Schiffer Durães escreve sobre a última obra de Richard Wagner

A paranaense Lúcia Schiffer Durães, autora do livro “O Anel do Nibelungo, Guia Prático do Ouvinte”, está lançando a sua segunda obra: “Guia do Ouvinte Parsifal”, uma análise literária e musical da ópera “Parsifal” do compositor Richard Wagner. O lançamento ocorre nesta quarta-feira (30), às 18h30, na Livraria da Vila do Pátio Batel.
“Parsifal” é uma ópera de três atos, que estreou no Bayreuth Festspielhaus, em julho de 1882. O primeiro e o último ato da ópera são encenados no território do Graal, na floresta e no templo do Graal, em Montsalvat, que é um local fictício com uma paisagem típica das montanhas do norte da Espanha, na época gótica, onde vivem os cavaleiros do Graal. O segundo ato é encenado no castelo de Klingsor e no jardim onde vivem as Moças-Flores.
Segundo Lúcia, “Parsifal” é o ponto alto da grande reforma da ópera, realizada por Wagner. “O compositor queria fazer uma reforma completa, musical e social, no mundo da ópera. Wagner foi bastante abrangente ao desafiar as tradições sociais e musicais do teatro lírico do século XIX. Ele criticou o mundo da ópera de forma polêmica e moralista, pois o público se preocupava mais com o glamour social e o divertimento do que com o significado e a unidade artística”.
Lúcia enfatiza que o principal objetivo de Wagner ao promover uma reforma na ópera era causar o retorno da sociedade ao seu espírito puro e original, utilizando o drama na música. “Ele desejava mostrar as verdades não compreendidas pela sociedade. A música deveria ter um poder expressivo em relação ao drama”.
A autora do “Guia do Ouvinte Parsifal” explica que, as óperas de Wagner são divididas em árias e duetos, como acontecia nas óperas italianas e francesas. “O compositor queria restaurar a importância do tema e do movimento dramático, de forma a transformar a partitura em uma sinfonia”. O mais importante na música deveria ser a sensação expressa, que despertava as emoções do ouvinte e não somente a expressão melódica em si. O resultado seria a melodia dramática, que podemos ouvir na ópera Parsifal.
A autora comenta, também, que “Parsifal” é uma obra de arte que reflete profundamente sobre os aspectos do sagrado e sobre as questões humanas essenciais como o amor, o erro, a ética, o perdão, a redenção, a compaixão, a caridade, a sabedoria e o ser humano perante a coletividade. “Parsifal é uma obra que pode ser interpretada como sagrada ou profana, cristã ou pagã, conservadora ou progressista. É uma síntese de toda a ambivalência estética do compositor”.

Sobre o Guia do Ouvinte Parsifal - “Esse livro tem o objetivo de facilitar a compreensão da ópera Parsifal que é muito complexa. Lançar um segundo Guia para auxiliar o ouvinte a conhecer melhor o trabalho de Wagner é muito importante, pois no Brasil não temos livros publicados em português com uma análise literária e musical das óperas de Wagner”, comenta Lúcia.
A autora espera que o “Guia do Ouvinte Parsifal” cumpra o seu propósito como arte, a mais importante forma de expressão humana. “A arte reflete os mais profundos sentimentos e torna-se um instrumento de transformação para que as pessoas possam divisar a compreensão de valores fundamentais, sensibilizar a alma e alcançar a felicidade”.

Sobre a autora - Lúcia Schiffer Durães é aluna do maestro e professor Osvaldo Colarusso, consultor e orientador musical do “Guia do Ouvinte Parsifal”. Lúcia também estudou piano, durante muitos anos, com a professora Margô Zugueib, o que possibilitou o estudo avançado de obras musicais como as de Richard Wagner.
Depois de muitos anos de trabalho com disciplina e dedicação para escrever sobre a obra de Wagner, a autora afirma que este é o segundo Guia do Ouvinte de uma série de livros com a análise literária e musical das óperas do compositor que pretende escrever.
Lúcia conta que desde o lançamento do “O Anel do Nibelungo, Guia Prático do Ouvinte”, tem recebido inúmeros convites para fazer palestras, ministrar aulas, participar de grupos de estudos, orientar trabalhos universitários em diversas disciplinas, sobre as óperas de Wagner. “Esse trabalho auxilia a compreensão das características dos personagens das óperas – muitos deles mitológicos – e dos símbolos utilizados por Wagner. As explicações sobre a música são muito importantes porque levam à compreensão dos significados dos temas (leitmotiven) que Wagner introduz na sinfonia como motivo condutor”.
Lúcia revela, ainda, que esse trabalho de estudo e pesquisa não tem data para terminar. “Estou cada vez mais interessada pela obra de Richard Wagner. A oportunidade de divulgar a obra do compositor para públicos diferentes abriu um campo de atuação que me traz muita realização pessoal”. A autora já anuncia a continuidade de sua pesquisa e deixa escapar que o próximo objeto de estudo será a ópera Tristão e Isolda.

Para ler e ouvir - “Parsifal é emocionante porque mostra a importância da presença divina no mundo, independente dos dogmas, pois sem ela o mundo se desagregaria e viveria em desarmonia. É muito importante manter acesa a chama da espiritualidade no ser humano, baseada no amor, na fé e na esperança”, reforça a autora.
Sobre a organização do livro, Lúcia explica que o Guia do Ouvinte Parsifal contém a cronologia de Wagner, considerações gerais sobre a obra do compositor, considerações gerais sobre a ópera Parsifal, a lista dos temas que aparecem na sinfonia, uma análise musical detalhada da ópera seguida de comentários e dos trechos da partitura dos temas (leitmotiven).
No final do livro há um CD-ROM de multimídia interativa que é autoexecutável em computadores e/ou aparelhos de CD, DVD e BLUE RAY, que contém a gravação dos 29 temas exemplificados no Guia do Ouvinte Parsifal; o nome dos temas gravados pelo professor Osvaldo Colarusso; a tradução alemão-português da ópera Parsifal com os temas marcados em números no texto em alemão (esses números quando pressionados tocam o seu respectivo tema).

O “Guia do Ouvinte Parsifal” foi editado pela Keyboard, Editora Musical, e poderá ser adquirido a partir desta terça-feira (30 de setembro) na Livraria da Vila do Pátio Batel, em Curitiba, ou pelo site da autora: www.luciaduraes.com.br.

Crianças ganham um dia com atividades e brincadeiras gratuitas no Centro Histórico

O Dia das Crianças vai chegar mais cedo no Centro Histórico de Curitiba. Pelo quarto ano consecutivo a Rede Empresarial da região preparou um dia de atividades para comemorar a data. Com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba, o Centro Histórico Divertido acontece dia 3 de outubro, das 10h às 18h e reunirá mais de 40 atrações gratuitas espalhadas em diversos pontos da cidade.
A cada ano um tema é escolhido e para 2015 o mote é “Revivendo Brincadeiras e Brinquedos”. Ou seja, toda a família poderá desfrutar de brincadeiras de outros tempos como pular corda, amarelinha, elástico, jogar pião. Francielle Zuffo, coordenadora do evento, explica que o Centro Histórico Divertido é um evento para resgatar a brincadeira de rua e incentivar os pais a aproveitarem o tempo com seus filhos.
Conseguimos diversos parceiros, de pequenos a médios empresários, que se engajaram nesta iniciativa para juntos proporcionarmos um dia muito especial para toda a família. A colaboração de todos foi muito importante para conseguirmos chegar a esta programação tão rica de atividades e com muita diversão”, afirma Francielle.
Os apoiadores do Centro Histórico Divertido, que já está no Calendário Oficial da Cidade, são: Sebrae, Fecomércio, Sesc, Curitiba Convention e Bureau, Instituto Municipal Curitiba Turismo, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba, Escola Anjo da Guarda, Café IPIC, Esal Flores, Exército, Anjuss, Omicron Escola de Fotografia, Casa Labirinto, Casa do Contador de Histórias, Cia Brink Brinquedos, Contarte, Escoteiros do Brasil, Grupo de Dança Dream Quest Crew, Colégio Integral, Mãezíssima, Colégio Integral, Spirit Animation Studios, Grupo Taque Tique Tá, Grupo Thá, Tupi Pererê, Tecnokena.

Programação acontece em mais de dez pontos do Centro Histórico

O Centro Histórico Divertido será realizado das 10 às 18 horas do dia 03 de outubro (sábado) em mais de dez espaços da região do Centro Histórico. São diversas praças, ruas, teatros e estabelecimentos que terão uma estrutura especialmente montada no dia com brincadeiras diversas.
O calçadão do Largo da Ordem, por exemplo, terá uma grande tenda organizada pelo Sesc com apresentações musicais, contação de histórias, brincadeiras e oficinas de confecção de brinquedos. O local ainda vai ter um painel de fotos da Omicron Escola de Fotografia, parceira da Associação do Centro Histórico desde o Festival de Inverno.
As Praças também são grandes protagonistas. A Generoso Marques, João Cândido e Eufrásio Correia recebem atrações como apresentações de dança, uma pista de skate da Anjuss (apoiador do evento), treinamento de cordas com o Exército e atividades com os Escoteiros. O Sesc Paço da Liberdade, Casa Hoffmann e Teatro Cine Glóriah foram reservados para exibição de filmes, desenhos, shows e apresentações. As ruas Saldanha Marinho e São Francisco terão recreação; e um dos pontos mais conhecidos de Curitiba, o relógio das Flores, terá tendas com yoga infantil, oficina de malabares, a atividade Minha Pequena Horta, da Esal Flores, dentre outros.

Sobre a Associação do Centro Histórico de Curitiba - Pensando em promover a maior ocupação do região do Centro Histórico pelos turistas e, principalmente pelos próprios curitibanos, em 2012 surgiu a Rede. Com a iniciativa fomentada pelo Sebrae Paraná, em parceria com o Sistema Fecomércio e a Prefeitura Municipal de Curitiba, 20 estabelecimentos se uniram em torno deste objetivo.
Dentre as ações da Rede estão dois eventos anuais que já estão consagrados pelo público: o Festival de Inverno do Centro Histórico e o Centro Histórico Divertido. A Rede também traz atrações durante alguns períodos muito característicos da cidade, como o Festival de Teatro de Curitiba, evento conhecido internacionalmente.

CLIQUE AQUI para ver a programação completa



FCC prepara programação especial para o "Dia de Ler. Todo Dia!"

Nesta quinta-feira, dia 1º, acontece o evento "Dia de Ler. Todo Dia!", uma mobilização nacional de incentivo à leitura realizada em mais de 200 cidades brasileiras. Em Curitiba, a ação acontecerá nas unidades da Rede Municipal de Bibliotecas Escolares (Faróis do Saber, Bibliotecas Escolares, Bibliotecas Temáticas, Biblioteca Especializada em Educação e Gibitecas), nas Casas da Leitura da Fundação Cultural de Curitiba e na Biblioteca Pública do Paraná. Também participam Núcleos Regionais da Educação, Escolas Municipais, Centros Municipais de Educação Infantil e Espaços Culturais da FCC.
O objetivo do evento é fomentar a iniciativa de ler. Para participar vale ler livros inteiros ou apenas trechos, romance, poesia, ficção, biografia, narrativa visual, livro, revista, jornal ou gibi. Mais sobre o projeto em http://www.diadelertododia.com/

PROGRAMAÇÃO:

Casa da Leitura Walmor Marcellino
"Intercâmbio Poético", no período da tarde, recebendo alguns poetas da regional que frequentam a Casa. O intuito é a leitura autoral desse público, a troca de versos e a mediação de alguns poemas de vários autores. A Casa será decorada com poemas em flores que poderão ser colhidas após a atividade.

Roda de leitura "Maria dos Prazeres"
Mediador: Murilo Coelho
Data: 01 de outubro
Período: das 8:00 às 9:30
Local: Colégio Estadual Guaira

Roda de leitura “A Casa de Bonecas”
Mediador: Fabiane Cezaro
Data: 01 de outubro
Período: manhã
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Manoel Carlos Karam
Sinopse da apresentação: Leitura em voz alta da obra “A Casa de Bonecas”, de Katherine Mansfield. Este conto, escrito há aproximadamente um século, traz questões atuais sobre a hierarquia social vivenciada por crianças através da imposição do adulto.

Roda de Leitura “Miragem: esfera rubra”
Data: 01 de outubro
Período: manhã
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Walmor Marcellino (Rua: Lupionópolis, sem número, Casa 12 – Vila Tecnológica – Bairro Novo B – Sítio Cercado Casa da Leitura Walmor Marcellino
Sinopse: Roda de Leitura em Múltiplas Linguagens, unindo texto literário, música e imagens, cuja discussão levantará questões do que é uma terra sem lei onde o absurdo e a alucinação se sobrepõem à realidade. A ênfase da discussão se dará em torno da violência social, onde os participantes poderão trocar suas experiências e fazer um parâmetro com as obras apresentadas.
Mediação: Kely Medeiros

Roda de Leitura “Leitores imaginários”
Mediação: Leandro Toporowicz
Data: 01 de Outubro
Período: manhã
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Paulo Leminski
Sinopse: Roda de leitura com obras de arte que têm como temática a prática da leitura.

Roda de Leitura “O Milagre dos Pássaros”
Mediação: Daniele Rosa
Data: 01 de outubro
Duração da atividade: 02h
Período: manhã
Local: Casa da Leitura Augusto Stresser
Sinopse da apresentação: Leitura compartilhada da novela “O Milagre dos Pássaros” de Jorge Amado.

Roda de leitura “A voz imortal de Ariano Suassuna”
Mediador: Alisson Freyer e Carolina Correia
Data: 01 de outubro
Período: manhã
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Wilson Bueno
Sinopse da apresentação: Leitura de trechos da obra “Fernando e Isaura”, primeiro romance do escritor

Roda de Leitura de “Em busca do tempo perdido”.
Mediador: Murilo Coelho.
Data: 01 de outubro
Período: tarde
Duração da atividade: 2h.
Local: Casa da Leitura Dario Vellozo.
Sinopse da apresentação:

Roda de leitura “A Casa de Bonecas”
Mediador: Fabiane Cezaro
Data: 01 de outubro
Período: tarde
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Manoel Carlos Karam
Sinopse da apresentação: Leitura em voz alta da obra “A Casa de Bonecas”, de Katherine Mansfield. Este conto, escrito há aproximadamente um século, traz questões atuais sobre a hierarquia social vivenciada por crianças através da imposição do adulto.

Roda de leitura Vamos falar de literatura infantil!
Mediador: Sueelem Witsmiszyn
Data: 01 de outubro
Período: tarde
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da leitura Wilson Martins
Sinopse da apresentação: Bate-papo e reflexão sobre arte, literatura infantil e a escola – com momentos de contação de história.

Os Ato-Mosaicos da Espera
Mediador: Tarik Alexandre
Data: 01 de outubro
Período: tarde
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Jamil Snege
Sinopse da apresentação: Roda de leitura sobre o texto “A Espera” em “Fragmentos de um Discurso Amoroso” de Roland Barthes.

SEM PALMEIRA OU SABIÁ
Mediador:Juliana Baum
Data: 01 de outubro
Período: tarde
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Hilda Hilst
Sinopse da apresentação: Roda de leitura e partilha de impressões com textos de Bartolomeu Campos de Queirós.

Área artística: Literatura
Nome da atividade: Conversas animais
Mediador: Samuel Rodrigues Teixeira
Data: 01 de outubro
Período: tarde
Duração da atividade: 2h
Local: Espaço da Leitura Eucaliptos.
Sinopse da apresentação: O que outros animais teriam a dizer dos seres humanos? Partindo de textos em que autores consagrados emprestam sua narrativa à visão de outros animais podemos reavaliar o nosso papel no mundo.

Roda de Leitura “A segunda à direita, e depois, sempre em frente, até de manhã”
Mediação: Leandro Toporowicz
Data: 01 de Outubro
Período: tarde
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Paulo Leminski
Sinopse: Roda de leitura com trecho de Peter e Wendy, de J. M. Barrie.

Roda de leitura “A voz imortal de João Ubaldo Ribeiro”
Mediador: Alisson Freyer e Carolina Correia
Data: 01 de outubro
Período: tarde
Duração da atividade: 2h
Local: Casa da Leitura Wilson Bueno
Sinopse da apresentação: Roda de leitura em texto e vídeo das obras “O santo que não acreditava em Deus” e trechos de “Deus é brasileiro”, filme de Cacá Diegues baseado no texto de João Ubaldo.

Os endereços e contatos das Casas de Leituira você encontra no link http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/espacos-culturais/literatura/

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Festival É Tudo Verdade abre inscrições para 2016

O Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, principal mostra do gênero na América Latina, abriu as inscrições para a edição de 2016. Desde a edição de 2015, o vencedor do festival é também automaticamente selecionado para participar da disputa pelo Oscar da categoria em longa e curta-metragem, dispensando outras exigências da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas - como a exibição do filme em salas de Los Angeles e Nova York. Na última edição, "A Paixão de JL", de Carlos Nader, sobre o artista plástico José Leonilson (1957-1993) foi o principal vencedor do festival.
As inscrições vão até o dia 13 de dezembro e podem ser encaminhadas ao site oficial do festival (http://www.etudoverdade.com.br/br/home/). A 21ª edição do É Tudo Verdade, fundado e dirigido pelo crítico de cinema Amir Labaki, acontece entre 7 e 17 de abril de 2016 simultaneamente no Rio e em São Paulo.

Cineclube Sesi em outubro exibe filmes de Richard Fleischer

O eclético diretor americano Richard Fleischer vai ser o tema no Cineclube Sesi durante o mês de outubro. Todas as quintas-feiras do mês, sempre às 19h30, o Centro Cultural Sistema Fiep possibilita que o público confira as exibições de “Um Sábado Violento,” (no dia 1º), “Vikings, Os Conquistadores” (08), “Estranha Compulsão” (15), “O Homem Que Odiava as Mulheres” (22) e “No Mundo de 2020” (29). A entrada é gratuita.
Filho do diretor de animações Max Fleischer, Richard passou a se interessar por Artes Dramáticas só após completar seus estudos em Medicina. “Eclético, transitou pelos mais diversos gêneros e condições de produção, chegando a assinar séries de filmes B, compilações de filmes mudos e documentários premiados”, explica o curador do Cineclube Sesi e integrante do Coletivo Atalante, Miguel Haoni.
As exibições dos filmes acontecem na Sala Multiartes do Centro Cultural Sistema Fiep (Av. Cândido de Abreu, 200, Centro) e são seguidas de debates. A entrada é franca com vagas limitadas por ordem de chegada. Mais informações pelo site www.sesipr.org.br/cultura.

PROGRAMAÇÃO

01/10 – “UM SÁBADO VIOLENTO”, com Victor Mature, Richard Egan e Stephen McNally (90 minutos). Classificação indicativa: 14 anos.
Sinopse: Uma quadrilha de ladrões assalta um banco de uma pequena cidade do estado do Arizona. A violência do assalto provoca as mais variadas reações no seio dos habitantes daquela cidade e acabam por revelar as melhores e as piores características de cada um.

08/10 – “Vikings, Os Conquistadores”, com Kirk Douglas, Tony Curtis, Ernest Borgnine e Janet Leigh (114 minutos). Classificação indicativa: 14 anos.
Sinopse: Ódio profundo separa dois irmãos. O príncipe Einar é o filho e herdeiro de um selvagem líder viking. O príncipe Eric é seu meio-irmão desconhecido, filho bastardo do pai de Einar e da rainha inglesa. Quando os vikings raptam a princesa, sua beleza inflama os desejos de ambos os homens, forçando um duelo sangrento que decidirá seu destino... e o futuro do trono inglês.

15/10 – “Estranha Compulsão”, com Orson Welles, Bradford Dillman e Dean Stockwell (103 minutos). Classificação indicativa: 14 anos.
Sinopse: Chicago, 1924. Judd Steiner e Artie Straus são dois jovens homossexuais que pertencem a famílias ricas. Os dois crêem serem superiores intelectualmente, além de se consideram acima da moralidade convencional. Para provar que são superiores, eles assassinam Paulie Kessler sem o menor motivo. Porém logo um pequeno detalhe faz o "crime perfeito" se mostrar falho. Para tentar alterar este quadro, as famílias de Judd e Steiner contratam Jonathan Wilk, um famoso advogado que tem a fama de dobrar os jurados.

22/10 – “O HOMEM QUE ODIAVA AS MULHERES”, com Tony Curtis, Henry Fonda e George Kennedy (116 minutos). Classificação indicativa: 14 anos.
Sinopse: Filmado como um documentário, a ação se passa na década de 1960, quando uma série de mortes envolvendo jovens mulheres coloca a polícia da cidade de Boston em alerta.

29/10 – “NO MUNDO DE 2020”, com Charlton Heston, Leigh Taylor e Chuck Connors (96 minutos). Classificação indicativa: 14 anos.
Sinopse: No ano de 2022, a população de New York é de 40 milhões de habitantes. Para alimentar os excluídos - pobres e desempregados -, existem tabletes verdes chamados de “soylent green”, produzidos inicialmente através da industrialização de algas. Um policial é encarregado de investigar a morte de um magnata envolvido diretamente nesses alucinógenos consumidos pela população oprimida.

“Ensaio Para um Adeus Inesperado” volta em cartaz

Após estrear na Mostra Oficial do Festival de Curitiba, espetáculo “Ensaio para um Adeus Inesperado” faz curta temporada no Teatro José Maria Santos
Escrito por Sérgio Roveri, aborda questões existenciais profundas que se desdobram nas narrativas de uma mãe, cujo filho se matou sem deixar nenhum bilhete, e de um filho que rememora suas experiências mais íntimas decidindo-se ir embora. Pleno de delicadeza, estranhamentos, sustos e com uma densidade que não se afrouxa nunca, o texto nos convida a vivenciar o embate entre a força da vida e a força da morte. A montagem enaltece o valor do ator/atriz, como os grandes responsáveis pelo patrimônio emocional da humanidade. O espetáculo estreou na Mostra Oficial do Festival de Curitiba deste ano e conta com os atores Pedro Bonacin e Fátima Ortiz. O texto é de Sérgio Roveri e a direção de José Simões e Jean Carlos Sanchez. 
Indicadas para maiores de 16 anos, as encenações de “Ensaio Para um Adeus Inesperado” acontecem de 1º a 4 de outubro, às 20h e os ingressos custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia). Mais informações: 3324-8208.

Ficha Técnica:

Texto: Sergio Roveri
Elenco: Fátima Ortiz e Pedro Bonacin
Direção: José Simões e Jean Carlos Sanchez
Iluminação: Beto Bruel / Cenografia: Fernando Marés e Ricardo Alberti
Figurino: Fernando Marés e Carmen Rodriguez
Trilha Sonora: Vadeco Schettini
Violoncelo: Joaquim Rebollo
Preparação Corporal: Juliana Adur
Preparação Vocal: Edith de Camargo
Fotografia: Edu Camargo e Eli Firmeza
Fotomontagem: Enéas Lour
Programação Visual: Érico Almeida
Assessoria de Imprensa: Diogo Cavazotti
Produção Executiva: Daniel Valenzuela
Direção de Produção: Giselle Lima

Realização: Pé no Palco Atividades Artísticas - 20 anos e Mataveri Cultural.

Grupo Gonzaga lança concurso fotográfico “Nossa Curitiba”

O Grupo Gonzaga convida os curitibanos a fotografarem seus bairros preferidos da capital paranaense no concurso “Nossa Curitiba”. As doze fotos vencedoras, que serão escolhidas por um júri de fotógrafos, irão fazer parte do calendário e da agenda 2016 do Grupo Gonzaga e o autor da melhor imagem será premiado com uma câmera fotográfica.
Segundo a diretora do Grupo, Marília Gonzaga, com o concurso a Gonzaga quer celebrar Curitiba, mostrando tudo o que ela tem de mais bonito, afinal é a cidade onde a imobiliária foi fundada e onde atua há mais de 60 anos. Para participar, os fotógrafos, amadores ou profissionais, precisam fazer um cadastro na página conteudo.grupogonzaga.com.br/nossacuritiba e responder ao e-mail que será recebido em seguida com a foto de sua autoria. É possível se inscrever até o dia 12 de outubro e o resultado será divulgado no dia 19 de outubro.

Sobre o Grupo Gonzaga - Com mais de 60 anos de experiência no mercado imobiliário de Curitiba, o Grupo Gonzaga administra mais de 8.000 imóveis a partir da Gonzaga Aluguel, a maior imobiliária no segmento de aluguel e administração de imóveis na cidade, da Gonzaga Imóveis, que atua na venda de imóveis, e da Gonzaga Prime, especializada na locação de imóveis de alto padrão.

Prefeitura atende demanda histórica e em 2016 irá destinar à cultura 1% da receita líquida

A Prefeitura de Curitiba vai investir no próximo ano R$ 66,3 milhões na área de cultura, o que representará 1% da sua receita corrente líquida – ou seja, o total de receitas tributárias descontados os valores das transferências constitucionais. Dessa forma, será atendida mais uma meta do atual plano de governo municipal. A informação foi apresentada nesta segunda-feira (28) pelo presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli, durante a audiência pública que tratou da Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2016.
Prioritárias para a atual gestão, as áreas de educação e saúde receberão juntas investimentos de R$ 3,095 bilhões no próximo ano. O valor consolidado para o orçamento do município ficou em R$ 8,338 bilhões, de acordo com a proposta da LOA, que será enviada na próxima quarta-feira (30) à Câmara Municipal.
Em quatro anos, teremos investido mais de R$ 6 bilhões na educação. Temos uma proposta orçamentária em que vamos chegar ao índice de 30% aplicado na educação. Além disso, caminhamos para chegar a 8 mil novas moradias entregues e 15 mil regularizações fundiárias. É um olhar muito especial da Prefeitura para quem mais precisa”, disse o prefeito Gustavo Fruet, que esteve presente à audiência.
Para Marcos Cordiolli, o índice de 1% aplicado em cultura atende a uma reivindação histórica dos agentes culturais da cidade. “Trata-se de um compromisso que foi atendido graças a um esforço pessoal do prefeito Gustavo Fruet e da secretária municipal de Finanças, mesmo no atual momento de dificuldades fiscais que o País atravessa”, disse. De acordo com o presidente da FCC, 13% dos recursos da área já são investidos nos bairros, com a maioria das ações coordenadas pela Fundação ocorrendo fora da região central da capital. “Houve uma grande mudança de prioridade nos investimentos”, resumiu.

Museu Oscar Niemeyer recebe mostra “Glück: O Tempo e a Imagem”

A partir de quinta-feira (1º), o Museu Oscar Niemeyer (MON), em parceria com o Museu da Imagem e do Som de Paraná (MIS-PR), apresenta a mostra “Glück: O Tempo e a Imagem”. Com curadoria de Ederson Santos Lima e Graça Bandeira, a mostra traz cercas de 100 fotografias de Guilherme Glück e estará em exposição na sala 10.
Glück registrou por quatro décadas a cidade da Lapa, seus habitantes, seus costumes e tradições. Dessa forma, sua trajetória reflete também as mudanças sociais, políticas e arquitetônicas da cidade. A mostra traz mais que o cotidiano de uma pequena cidade do interior, ela apresenta um registro histórico e iconográfico do local.
Dos diferentes temas abordados pelo fotógrafo, essa exposição abrange os considerados mais representativos da riqueza cultural lapeana e paranaense: educação, trabalho, período varguista, cultura e a Lapa urbana.
Para Juliana Vosnika, diretora-presidente do MON, preservar e contar a história do Paraná para as novas gerações é uma das funções dos museus. “É uma grande satisfação receber esta mostra, que retrata a vida cotidiana da primeira metade do século passado de uma cidade tão significativa para a nossa história como é a Lapa”, comenta.

Quinta + MON - Neste mesmo dia (1º) ocorre a Quinta + MON. Toda primeira quinta-feira do mês, o horário de funcionamento do museu é estendido e a entrada é gratuita das 18h às 20h. Além disso, a loja e o café também ampliam seu horário de atendimento.

Mais informações: 3350-4400 ou www.museuoscarniemeyer.org.br.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Documentário “Aqui Deste Lugar” ganha pré-estreia na Caixa Cultural

A Caixa Cultural Curitiba promove, nesta terça-feira, às 20h, a pré-estreia do documentário "Aqui Deste Lugar", com entrada franca. O filme dos diretores Sérgio Machado (“Cidade Baixa”) e Fernando Coimbra (“O Lobo Atrás da Porta”), conta a história de três famílias de diferentes regiões do país que tiveram suas vidas modificadas ao longo dos últimos dez anos. A produção chegará aos cinemas brasileiros no mês de outubro.
O filme acompanha esses três núcleos familiares desde o momento de suas inscrições no programa Bolsa Família até os dias de hoje. Nos últimos dez anos, milhões de brasileiros cruzaram a linha da pobreza extrema. O documentário mostra como as diferentes gerações assimilaram essa mudança e como está, por exemplo, a nova família que nasceu sem eletricidade e hoje passa o dia em uma lan house.
Foram dois anos de viagens pelo Brasil e quase mil entrevistados, resultando em um material de 85 minutos que visita as casas das famílias, mostra a rotina, pega conversas de cozinha, a interação entre os filhos, a intimidade desses ambientes. O projeto expõe as diferenças entre as regiões do país e propõe uma reflexão sobre o programa social.
Sérgio Machado iniciou sua carreira no cinema como assistente de direção de Walter Salles nos filmes “Central do Brasil”, “O Primeiro Dia” e “Abril Despedaçado”, sendo que nesse último dividiu também a autoria do roteiro. Em 2001, estreou na direção com o documentário “Onde a Terra Acaba”, sendo eleito melhor documentário no Festival do Rio, São Paulo, Havana, Biarritz, entre outros. Em 2005, estreou na direção de longa-metragem de ficção com “Cidade Baixa”, recebendo inúmeros prêmios, entre eles o de Melhor Filme no Festival do Rio e o Prêmio da Juventude no Festival de Cannes.
Diretor e roteirista, Fernando Coimbra trabalhou por nove anos no Teatro Oficina como ator, dramaturgo e diretor de vídeo. Paralelamente, escreveu e dirigiu curtas-metragens com os quais participou e foi premiado em importantes festivais de cinema como Brasília, Clermont-Ferrand, Guadalajara, Bilbao e Festival do Rio. Lançou no primeiro semestre de 2014 o premiadíssimo “O Lobo Atrás da Porta”. O filme trilhou uma ótima trajetória em festivais de cinema, tendo sido contemplado com o Prêmio Horizontes Latinos no Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, como Melhor Longa de Ficção no Festival do Rio e como Melhor Filme no Festival de Cinema de
Após a sessão haverá debate com Sérgio Machado (diretor), Fabiano Gullane  (produtor) e Natália mota (entrevistada retratada no filme).

Não recomendada para menores de 12 anos, esta pré-estreia tem entrada franca e a retirada dos ingressos acontece a partir das 19h, no dia da sessão. Mais informações: 2118-5409.

Marcelo Jeneci é atração do Trajeto Lumen no Shopping Curitiba

Nesta terça-feira (29), às 18h, o compositor Marcelo Jeneci bate-papo com o público no Largo Curitiba do Shopping Curitiba.
Além de falar de sua trajetória e carreira, em pauta está seu novo disco “De Graça”, que possui 13 faixas, todas autorais. Seis são co-assinadas por Isabel Lenza, atual namorada de Jeneci. Três são assinadas só por Jeneci, Arnaldo Antunes aparece em duas e outros parceiros incluem Luiz Tatit, Arthur Nestrovski, Raphael Costa e Laura Lavieri. “O disco novo é muito mais pessoal que o primeiro”, comenta Jeneci. “Isso me dá uma convicção muito forte com ele, de olhar nos olhos de pra quem estou cantando. Apesar das parcerias todas, as canções são muito minhas, pessoais, desenvolvemos juntos, meus parceiros como interlocutores. Me senti à vontade pra botar minha cara na capa porque eu estou mais convicto de todas as palavras ali”.
O projeto da rádio Lumen FM (99,5) em parceria com o Shopping Curitiba é gratuito e aberto ao público. Para a sessão de autógrafos, estarão disponíveis 50 senhas, que podem ser retiradas a partir das 12h do dia do evento, no The Fifties (Largo Curitiba – piso L2).
A Lumen FM transmitirá ao vivo o programa através do dial 99,5 do rádio e através do player online disponível em www.lumenfm.com.br. Mais informações no fone 3271 -4700.


TRAJETO LUMEN AO VIVO - A Rádio Lumen FM realiza o projeto “Trajeto Lumen ao Vivo” desde 2011 com intuito de fomentar e divulgar a cultura em Curitiba e aproximar artistas do público curitibano. Em 2013, o projeto passou a contar com a parceria do Shopping Curitiba e já está em sua quarta temporada. Ao longo de 2014, o “Trajeto Lumen ao Vivo” trouxe importantes nomes como Ronaldo Fraga, Paula Lima, Luiza Possi, Fernanda Takai, Jorge Vercillo, Luciana Mello, Negra Li, Paulinho Moska, Suricato e Humberto Gessinger. Em 2015, já passaram pelo palco, Tiê, Biquini Cavadão, Pato Fu, Nenhum de Nós, Ivan Lins, Mariana Aydar, Ana Cañas e Scalene.