sexta-feira, 31 de maio de 2013

De tudo um pouco nos cinemas curitibanos

A comédia “Se Beber, Não Case! - Parte III”, os dramas “Faroeste Caboclo”, “Amor Profundo” e “Depois de Lúcia” e a animação "A Fuga do Planeta Terra" movimentam os cinemas nesse final de semana de feriadão. O aguardado “Star Trek - Além da Escuridão” tem sessões de pré-estreia. Um palpite: “Amor Profundo”.

A FUGA DO PLANETA TERRA - Animação dirigida por Callan Brunker e com as vozes de Brenda Fraser e Sarah Jessica Parker, na versão original. A ação gira em torno de Scorch Supernova, um herói interplanetário bastante conhecido, já que seus feitos costumam ser televisionados por todo o universo. Isto faz com que ele se torne uma lenda para as crianças, graças também à ajuda de Gary, o diretor da Missão BASA Control e seu irmão. Namorando a bela repórter Gabby Gabblebrock e tendo o sobrinho Kip como fã número um, Scorch tem sua vida alterada ao interceptar um pedido de ajuda vindo do "Planeta Escuro", também conhecido como Terra. Acreditando que esta seja a grande chance de sua carreira, ele parte para o planeta apesar dos apelos de Gabby para que desista da aventura, já que ninguém conseguiu voltar de lá.

AMOR PROFUNDO - Drama inglês dirigido por terence Davies. Na década de 1950, Hester Collyer (Rachel Weisz) é a jovem esposa de um importante juiz do Estado, Sir William Collyer (Simon Russell Beale). Envolvida em um casamento afetuoso, mas sem contato sexual, Hester inicia uma relação fulgurosa com um piloto aéreo (Tom Hiddleston) perturbado por suas experiências durante a guerra. Quando a relação entre os dois é descoberta, Hester decide cometer suicídio. Mas quando os planos falham, ela começa a questionar as escolhas que fez em sua vida.
  
DEPOIS DE LÚCIA - Drama franco-mexicano dirigido por Michael Franco e estrelado por Tessa Ia, Gonzalo Vega Jr., Tamara Yazbek, Hernán Mendoza, Monica del Carmen. Quando a esposa de Roberto morre, a relação dele com sua filha Alejandra, de 15 anos, fica abalada. Para escapar da tristeza que toma conta da rotina dos dois, pai e filha deixam a cidade de Vallarda e rumam para a Cidade do México em busca de uma nova vida. Alejandra ingressa em um novo colégio, e sentirá toda a dificuldade de começar de novo quando passa a sofrer abusos físicos e emocionais. Envergonhada, a menina não conta nada para o pai, e à medida que a violência toma conta da vida dos dois, eles se afastam cada vez mais.

FAROESTE CABOCLO - Uma das canções mais famosas da banda Legião urbana, liderada pelo poeta Renato Russo nos anos 70 e 80, finalmente ganhou sua versão para os cinemas. Faroeste Caboclo é uma história de amor e bandidagem narrada em versos, dirigida por René Sampaio e estrelada por Ísis Valverde, Fabrício Boliveira e Felip Abib. João deixa Santo Cristo em busca de uma vida melhor em Brasília. Ele quer deixar o passado repleto de tragédias para trás. Lá, conta com o apoio do primo e traficante Pablo, com quem passa a trabalhar. Já conhecido como João de Santo Cristo, o jovem se envolve com o tráfico de drogas, ao mesmo tempo em que mantém um emprego como carpinteiro. Em meio a tudo isso, conhece a bela e inquieta Maria Lúcia, filha de um senador, por quem se apaixona loucamente. Os dois começam uma relação marcada pela paixão e pelo romance, mas logo se verá em meio a uma guerra com o playboy e traficante Jeremias, que coloca tudo a perder.

SE BEBER, NÃO CASE! PARTE III – Última parte da trilogia cômica estrelada por Bradley Cooper, Ed Helms e Zach Galifianakis e direção de Todd Phillips. Alan está deprimido devido à morte de seu pai. Preocupado com o cunhado, Doug sugere que ele vá até um lugar chamado New Horizons, que pode torná-lo um novo homem. Alan apenas aceita a sugestão após Phil e Stu concordarem em levá-lo. É o início de uma nova viagem do trio, que acaba sendo interrompida bruscamente pelos capangas de um traficante. O malfeitor está atrás de Chow, que lhe aplicou um golpe milionário, e acredita que os três amigos ainda possuam contato com ele. Precisando encontrá-lo a todo custo, eles acabam indo parar no México e, mais uma vez, em Las Vegas.

Um gato pardo no Teatro Fernanda Montenegro

A peça "À noite todo gato é pardo" retorna à capital neste fim de semana, com três apresentações no Teatro Fernanda Montenegro. Comédia no estilo vaudeville, de encontros e desencontros, a trama se passa num rico haras e aborda o universo do oportunismo, relacionamentos de fachada, sexo e trapaças financeiras. Com direção de Ricardo Rizzo e texto de Carlos Antônio Soares, a peça tem no elenco o ator e cantor Junno Andrade, além de Delisiée Marinho, Viviane Salles, Alessandra Venansi, Guilherme Chelucci e Cacá Toledo.
Na trama, o casal proprietário do haras, Geraldo (Junno Andrade) e Clotilde (Delisiée Marinho), parece em perfeita harmonia, feliz e realizado. É o dia do aniversário de casamento, Geraldo prepara uma carinhosa surpresa, enquanto a esposa faz de tudo para ir à cidade, a sós, com o empregado e peão Amarildo (Guilherme Chelucci), seu amante insaciável e cúmplice num golpe financeiro, que envolve um caríssimo cavalo garanhão. No entanto, os amigos, o alpinista social, candidato a deputado e marido ciumento Zé Carlos (Cacá Toledo), e a perua alcoólatra e libidinosa Maria Amélia (Viviane Salles), chegam para o fim de semana, com outro plano de golpe na mala, a de vender terras improdutivas, herança de família, por peso de ouro.
No meio e observando tudo, está Dinorá (Alessandra Venansi), uma empregada louca pelo patrão Geraldo, ingênua e de comunicação limitada, que de forma muito sincera e com boas intenções, acaba potencializando a confusão, criando discórdias entre os casais e novas oportunidades, inclusive para si própria, de golpes que envolvem dinheiro e sexo. Uma história hilária, com personagens surpreendentes, contemporânea, cheia de surpresas, confusões e segredos.

As apresentações acontecem no sábado (1º), às 21h e no domingo (2), às 19h. Os ingressos custam R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia). Inofrmações: 3322-6644 / 3222-4484.

Domingo Onze e Meia tem pré-lançamento de disco

O artista curitibano Fabiano Silveira (O Tiziu), que desenvolve uma rica carreira musical, comanda o show de pré-lançamento de seu segundo disco independente, “Os Afrochoros”. O espetáculo acontece às 11h30 deste domingo (2), no Conservatório de MPB de Curitiba, dentro do programa Domingo Onze e Meia, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba. A entrada é franca.
 “Os Afrochoros” é um álbum instrumental que une as referências musicais de Fabiano Silveira - principalmente Baden Powell - e a sua vivência nas rodas de choro, somadas às batidas contagiantes da percussão afro-brasileira. Uma imersão musical na cultura brasileira e africana, trazendo as batidas das rodas de terreiro para a sofisticação do choro brasileiro.
Após lançar em 2011 seu primeiro disco autoral, “Ectoplasma”, O Tiziu apresenta agora uma gravação inédita, somente com músicas instrumentais. A banda, montada com critérios de excelência, reúne Rodrigo Simões no bandolim, Gabriel Castro na flauta e clarinete e, na percussão, Iê dos Santos, Gui Miúdo e Cris Loureiro. O disco revela a maturidade musical de O Tiziu, contando com a participação de renomados músicos curitibanos que executam as composições e os arranjos criados por esse premiado violonista 7 cordas.

Carreira – Fabiano Silveira (O Tiziu) é professor do Conservatório de MPB de Curitiba. Apaixonado pelo violão brasileiro, o músico especializou-se no instrumento de sete cordas e, como chorão, segue a escola de Pixinguinha. Em seu currículo exibe trabalhos ao lado de diversos grupos musicais, como compositor, arranjador e instrumentista.
Com o Trio Quintina já gravou cinco discos e dois DVD, tendo colecionado sucessos em apresentações nas casas de shows curitibanas desde 1997. Participou de turnês pela Europa e América Latina, dedicando-se à pesquisa da música popular brasileira nas suas variadas vertentes. Também atuou na Orquestra À Base de Corda, com a qual lançou o disco Antiquera.

Artista plástico Sérgio Sister lança catálogo e faz palestra no Portão Cultural

O artista plástico paulistano Sérgio Sister lança, no dia 4 de junho, às 19h, o catálogo da sua exposição “A Cor Reunida”, que está aberta no MuMA - Museu Municipal de Arte. Na mesma ocasião, Sister faz uma palestra sobre a sua produção artística, no Auditório Antonio Carlos Kraide - Portão Cultural.
Na exposição, o artista apresenta cerca de 30 trabalhos, entre pinturas, desenhos e principalmente relevos. Sob o imperativo da cor, as obras de Sérgio Pires procuram se aproximar do cotidiano. Os relevos se dividem em duas séries distintas: os pontaletes e as caixas. Pontaletes são conjuntos de hastes de alumínio ou madeira com cerca de 2,5m, que, reunidos, formam estruturas pictóricas que dialogam com a superfície do espaço. As caixas guardam formas próximas àquelas que são utilizadas em feiras livres para transportar frutas. A exposição conta com a curadoria de Cristiane Silveira.
Considerado um dos principais artistas brasileiros da atualidade, Sérgio Sister participou de duas edições da Bienal de São Paulo (a 9ª e a 25ª edições, em 1967 e 2002). Sister integrou também importantes mostras coletivas em São Paulo, Sevilha (Espanha) e Nova York (EUA). Em 2003, expôs na Galeria Casa da Imagem, em Curitiba, onde também havia apresentado seus trabalhos em 1993 e 1996. Suas obras fazem parte de acervos como os do Museu de Arte Moderna de São Paulo, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Centro Cultural São Paulo e Instituto Figueiredo.

Festival Mia Cara Curitiba apresenta “La Dolce Vita” com músicas de cinema

Já estão disponíveis na bilheteria do Teatro Guaira os ingressos para apresentações de “La Dolce Vita”, quando a Orquestra Sinfônica do Paraná apresentará trilhas do cinema italiano com direção e arranjos de Giuliano Di Giuseppe e participações especiais de Patrizia Cigna (soprano), Pierluigi Ruggiero (violoncelo) e Danieli Longo (piano).
Os quatro italianos vêm ao Brasil especialmente para as duas apresentações, que são parte do festival Mia Cara Curitiba. No programa estão as músicas que embalaram “Cinema Paradiso”, “Era Uma Vez na América”, “A Vida é Bela”, “8 e Meio” e, claro, “La Dolce Vita”.
As apresentações acontecem no Guairão no sábado (1º) e domingo (2), às 18 horas. Retirar os ingressos 1 hora antes, na bilheteria do Teatro. Programação completa no site www.miacaracuritiba.com.br e no Facebook www.facebook.com/miacaracwb

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Museu Oscar Niemeyer realiza o Domingo + Arte

O Museu Oscar Niemeyer (MON) realiza no dia 2 de junho o projeto “Domingo + Arte”, dia em que o MON oferece uma programação especial e entrada gratuita. Haverá oficina com a artista Larissa Franco, visita mediada e apresentações musicais. O ingresso precisa ser retirado no dia na bilheteria do museu até as 17h30.
Neste domingo, a artista do acervo, Larissa Franco, realizará oficinas artísticas com o tema “Recortes de papel”, às 14h, 15h15 e 16h30, no espaço da Ação Educativa, no Subsolo. As vagas são limitadas. Às 11 horas e às 16 horas haverá visita mediada seguida de demonstração sobre a técnica de gravura em metal com a artista Uiara Bartira na exposição “A Magia de Escher”, nas salas 1 e 2.
A apresentação musical será com a Orquestra de Cordas da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP) sob a regência do maestro Aldo Villani. O repertório traz músicas clássicas do artista italiano Vivaldi, em dois horários, às 14h30 e às 15h30, no vão livre.
O público poderá conferir também as exposições em cartaz: “Acervo MON - Aquisições 2011/ 2013”, “Múltiplo Leminski”, “O Brasil de Marc Ferrez- fotografias do Instituto Moreira Salles”, “Ione Saldanha: O Tempo e a Cor”, “Leda Catunda - Pinturas Recentes”, “PR/BR”, “Anders Als Immer - Algo Diferente. Design Contemporâneo e o Poder das Convenções”, “Museu em Construção” e “Cones”. Apenas a exposição “A Magia de Escher” terá horário estendido até às 20 horas, sendo que o último acesso ocorre até 19h30, porém o museu poderá encerrar antes do horário previsto a distribuição de ingressos caso exista um fluxo de visitantes superior ao recomendado.
O Centro de Documentação e Referência do museu também funcionará neste domingo. O espaço possui cerca de cinco mil publicações e 1.300 periódicos para consultas no local sobre artes visuais, design, arquitetura e urbanismo. O horário especial de atendimento deste serviço neste domingo é das 12h às 18 horas.

Feriado - No dia 30 de maio, quinta-feira, feriado de Corpus Christi, o museu funcionará normalmente, das 10 às 18 horas. Apenas a exposição “A Magia de Escher” tem horário de visitação estendido até as 20 horas - de quinta a domingo - sendo que o último acesso às salas é até 19h30. As demais exposições permanecem com o horário de funcionamento inalterado: terça a domingo, das 10h às 18 horas. Sexta, sábado e domingo o museu funciona normalmente.

Prêmio Jovem Cientista tem a água como tema em 2013

O Prêmio Jovem Cientista de 2013 tem como tema “Água: Desafios da Sociedade”. A Sanepar é uma das incentivadoras do prêmio instituído em 1981 pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com o objetivo de reconhecer, estimular e incentivar novos talentos da ciência, além de dar visibilidade a temas importantes. As inscrições serão abertas no dia 6 de maio. Os vencedores receberão mais de R$ 700 mil em premiações em dinheiro, laptops, viagens e bolsas de estudo.
Podem participar estudantes do ensino médio, de graduação e pós-graduação e jovens doutores oriundos de instituições públicas ou privadas de ensino. São quatro categorias: mestre e doutor, estudante do ensino superior, estudante do ensino médio e mérito institucional. Professores podem solicitar o kit pedagógico para melhor orientar alunos interessados na premiação. As solicitações devem ser feitas pelo e-mail jovemcientista@frm.org.br ou pelos telefones (21) 3232-8898 e (21) 3232-8817.
No site www.jovemcientista.cnpq.br é possível obter informações. As inscrições vão até o dia 31 de agosto.

Escolha - O tema escolhido está alinhado à Política Nacional de Recursos Hídricos do Governo Federal e ao Ano Internacional de Cooperação pela Água, promovido pela Unesco.
Anualmente, é indicado para premiação um tema importante para o desenvolvimento científico e tecnológico, definido pelo CNPq e pelos parceiros Gerdau, GE e Fundação Roberto Marinho. “Os temas devem ter prioridade nacional, atender a políticas públicas do Governo Federal e ter relevância para a sociedade brasileira”, explica Rita de Cássia da Silva, chefe do Serviço de Prêmios do CNPq no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Ronaldo Correia de Brito participa do projeto “Um Escritor na Biblioteca”

O cearense Ronaldo Correia de Brito é o terceiro escritor convidado do projeto “Um Escritor na Biblioteca 2013”. O bate-papo acontece em 5 de junho, às 19h, no Auditório Paulo Garfunkel da BPP e tem entrada franca. Nascido em Saboeiro em 1951, Correia de Brito é psicanalista, escritor e dramaturgo. Paralelamente à psicanálise e ao teatro, Brito também trabalhou com cinema, dirigindo filmes como “Cavaleiro reisado” e “Lua Cambará”.
Autor da coletânea de contos Faca, de 2003, O livro dos homens (2005) e Retratos imorais (2010), em 2009 Brito foi o vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura com o romance Galileia, apontado pela crítica como um livro que resgatava e repaginava o romance regionalista. O livro foi traduzido para o francês e o espanhol. Seu mais recente livro é Estive lá fora, lançado em 2012.

O projeto - As conversas também são transcritas, editadas e publicadas no Cândido, jornal de literatura da BPP. O terceiro encontro de 2013, marcado para o dia 5 de junho, será com o escritor cearense, radicado em Pernambuco, Ronaldo Correia de Brito.
Retomado há dois anos, o projeto “Um Escritor na Biblioteca” já recebeu mais de 20 autores. Ainda este ano, estarão na BPP os escritores Bernardo Carvalho (julho), Michel Laub (agosto), Marcelo Backes (setembro), Paulo Scott (outubro) e Luci Collin (novembro).

Mais informações: (41) 3221-4900 ou www.bpp.pr.gov.br

O Haiti é aqui na Caixa Cultural Curitiba

A galeria da Caixa Cultural Curitiba apresenta a exposição “Nos Jardins do Éden”, do fotógrafo Christian Cravo, que aborda a singularidade do povo haitiano, revelando a inseparável relação entre os indivíduos e os rituais místicos do país. Além das fotografias, o público vai poder conferir a projeção “Testemunho do Silêncio”, sobre o terremoto devastador que assolou o Haiti, em 2010, e que representa um total estado de destruição em contraponto às fotos, que registram a grande fé e religiosidade do povo haitiano.
Na exposição, que conta com 49 fotos em preto e branco, produzidas ao longo de mais de 20 viagens do fotógrafo ao Haiti, desde 2001, Cravo procura investigar os rituais dos peregrinos do vodu, religião oficial daquele país. Entre os locais por onde o fotógrafo passou, estão a Grota de São Francisco de Assis, uma cova histórica na qual são feitas as oferendas; e as cachoeiras de Sodo, ao norte do que agora são as ruínas da cidade de Porto Príncipe.
Pelo trajeto expográfico, se pretende que o visitante entre em contato com o “real” e o “fantástico”, que no Haiti convivem de forma harmoniosa, complementar ou até indiscernível. Entre problemas econômicos, instabilidade política, desastres naturais sublimados e a prática espiritual, que ganha concretude, os contrastes coexistem. O artista se desprendeu de preconceitos para realizar o trabalho, para lidar com a falta de pudor dos indivíduos e a pureza com a qual o povo haitiano manifesta sua religiosidade. Corpos nus, vísceras de animais e olhares em transe, são detalhes que, apesar de possuir uma simbologia carregada, não apelam para o sensual, para o caótico nem para o bizarro.
 Vejo o Haiti como a expressão máxima da essência humana”, comenta Christian Cravo. “Estamos falando de uma sociedade com características muito particulares, intensamente espiritualizada, repleta de simbologias, onde a falta de pudor do povo se apresenta por meio de elementos de grande pureza. E é a pureza nas relações do homem, na manifestação do seu credo, que desperta meu olhar. A amplitude filosófica que podemos traçar a partir da existência humana, no Haiti, é algo perturbador e incrível”, destaca o fotógrafo.

Christian Cravo - Nascido em 1974, da união de uma dinamarquesa com um brasileiro, Christian Cravo cresceu em Salvador. Aos sete anos, seguiu com a mãe para a Dinamarca e, durante os anos seguintes, viveu um intercâmbio constante entre o seu país de origem e sua nova "casa". Aos 17 anos, voltou para o Brasil e viajou pelo sertão nordestino, em um processo de imersão que o fez descobrir a fotografia como veículo para conhecer o mundo.
Christian já recebeu prêmios do Museu de Arte Moderna da Bahia, do Mother Jones International Fund for Documentary Photography, uma bolsa de estudos da fundação Vitae e a bolsa de estudos da Fundação John Simon Guggenheim, para sua pesquisa sobre o nordeste brasileiro. Foi nomeado para o prêmio Paul Huff (Holanda 2007) e indicado para o Prix Pictet (Reino Unido/Suíça 2008), a mais importante premiação voltada para temas sobre sustentabilidade na fotografia, sendo o único fotógrafo sul americano a participar.
Publicou “Irredentos” (2000), retratando a vida e a fé no sertão brasileiro, “Roma noire, ville métisse” (2005), sobre a cultura negra no estado da Bahia, e “Nos Jardins do Éden” (2010). Seu último projeto editorial, “Exú Iluminado”, é a retrospectiva sobre o seu avô, o escultor Mário Cravo Júnior.

A exposição “Nos Jardins do Éden” fica aberta à visitação até dia 4 de agosto, de terça-feira a sábado, das 9h às 20h e domingo, das 10h às 19h. A entrada é franca. Informações: 2118-5114.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Sinfônica comemora aniversário com homenagem ao maestro Alceo Bocchino

A Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP) comemora nesta quarta-feira (29) 28 anos de fundação com um concerto que vai homenagear o maestro emérito e fundador Alceo Bocchino, recém-falecido. A apresentação terá a participação especial do violinista russo Alexander Trostiansky e será às 20h30, no Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão). Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia).
 Preparamos um concerto diferenciado para celebrar a data”, diz o maestro Osvaldo Ferreira. “Iremos executar trechos da obra de Alceo Bocchino, numa homenagem carinhosa para o primeiro maestro da Orquestra. Queremos lembrá-lo como pessoa criativa e alegre, grande compositor e amante das artes”, afirmou.
Criada pelo então governador José Richa, em 1985, a Orquestra Sinfônica do Paraná já realizou mais de 500 apresentações nas quase três décadas de existência, tendo à frente grandes maestros brasileiros e solistas de renome. Hoje, posiciona-se como um dos grupos sinfônicos mais conceituados do Brasil.
 A Orquestra Sinfônica do Paraná é uma riqueza do nosso Estado, pois cumpre o importante papel de despertar o gosto pela música erudita e estimular novos talentos”, diz o governador Beto Richa. “Por essa contribuição de inestimável valor, os músicos da nossa orquestra e os regentes têm o reconhecimento e o aplauso da sociedade”, afirma Richa.

Novas ações - O secretário da Cultura, Paulino Viapiana, ressalta que até o final deste ano várias ações deverão ser implantadas para fortalecer o grupo. Uma delas é o aumento no número de músicos, aquisição de novos equipamentos e ampliação do acesso da população ao universo da música erudita com concertos ao ar livre. As ações deverão ser feitas em parceria com uma Organização Social a ser selecionada via edital ainda este ano. “O Estado tem o dever de preservar instituições como a orquestra, que tem como missão difundir a música erudita, e promover o acesso da população a este conhecimento”, disse.
De acordo com Viapiana, o Estado fará todo o esforço para que a OSP dê um grande salto de qualidade. “Queremos que os paranaenses sintam cada vez mais orgulho do grupo, e que solistas e maestros também se sintam orgulhosos de se apresentar com nossos músicos. Iniciamos 2011 com o compromisso de fortalecer a cultura do Paraná e os resultados até agora têm sido bastante positivos”, diz o secretário.
Há dois anos, a Sinfônica do Paraná está sob o comando do maestro Osvaldo Ferreira. Neste período, algumas novidades foram implantadas como a agenda anual pré-definida de concertos no Teatro Guaíra e outros espaços de Curitiba, além da circulação de espetáculos por diversas cidades do interior. No ano passado, a Orquestra realizou 28 concertos na capital e seis em cidades paranaenses para um público de 37 mil pessoas.
O grupo também ampliou suas atividades com a criação, em 2012, do Concerto para Crianças, com objetivo de formar novas plateias, unindo o universo lúdico infantil a um repertório musical diferenciado.
A diretora-presidente do Teatro Guaíra, Mônica Rischbieter, lembra que a orquestra está com programação bastante consistente. “Estamos orgulhosos e felizes, porque consideramos que estamos no caminho certo”, afirma Mônica.

Aniversário - Sob a regência do maestro Osvaldo Ferreira, o concerto de aniversário terá a participação especial do violinista russo Alexander Trostiansky interpretando “Concerto para Violino e Orquestra”, de Aram Khachaturian (1903-1978). O repertório traz ainda a “Sinfonia nº 3 para Grande Orquestra”, do brasileiro Camargo Guarnieri.
Professor no Conservatório Tchaikowsky de Moscou, o violinista já se apresentou no Canadá, Coréia do Sul, França, Rússia e Reino Unido. Participou no ano passado da Oficina de Música de Curitiba e é vencedor de diversos concursos internacionais, como: Prêmio Paganini em Genova, Primeiro Prêmio no concurso do Centre d’Arts, em Orford (Canadá); Concurso Internacional Tchaikovsky, em Moscou, em 1998. Como Primeiro Violinista do Quarteto Davidov (1991 a 1993) foi vencedor no Concurso Internacional de Roma. Trostiansky também recebeu um prêmio como membro de um Duo com a pianista Dina Vainshtein, no Concurso Internacional Franz Schubert e Música do Séc XX, Graz (Áustria).

Caixa Cultural apresenta “Nas Trilhas da Atlântida"

A Caixa Cultural Curitiba apresenta, a partir desta quinta-feira (30) até domingo (2), a série de shows “Nas Trilhas da Atlântida", com as cantoras Maria Alcina e Vânia Bastos, dirigidas pelo cantor, pianista e arranjador Marco Bernardo. Entre os hits, estão “Bate o bumbo, Sinfrônio” (Humberto Teixeira), “Jalousie” (Jacob Gade), “Beijinho doce” (Nhô Pai), paródia a Brigitte Bardot, do filme “O homem do Sputnik Paraíba” (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira), “Sereia de Copacabana” (Nássara e Wilson Batista) e “Rio de Janeiro” (Ary Barroso). No sábado (1º), haverá ainda uma mesa redonda com os protagonistas do espetáculo, mediada pelo crítico Zuza Homem de Mello.
O espetáculo é uma homenagem à Companhia Atlântida Cinematográfica Brasileira, que teve seu apogeu na década de 1950 e lançou artistas como Oscarito, Grande Otelo, Eliana Macedo, Anselmo Duarte e Norma Bengell, entre tantos outros. “Nas Trilhas da Atlântida” apresenta grandes sucessos musicais dos filmes da companhia, interagindo com os filmes projetados ao fundo do palco. O projeto promove uma interessante e instigante inversão de papéis: a música se torna protagonista e as cenas cinematográficas criam uma "trilha imagética".

Os protagonistas - A mineira Maria Alcina é uma das grandes cantoras brasileiras, reconhecida no Brasil e no exterior. Fez sua estreia no Maracanãzinho, participando de um festival com a música "Fio Maravilha", de Jorge Ben. Com voz grave e estilo irreverente, chegou a ser comparada a Carmen Miranda, pelo guarda-roupa escandaloso. Alcina sempre incluiu, em seu repertório, músicas dos ícones do rádio, como Marlene, Emilinha Borba, Aracy de Almeida, Bando da Lua, Lana Bittencourt e Carmen Costa.
Vânia Bastos é considerada voz fundamental da música contemporânea. A carreira artística iniciou na década de 1980, ao lado de Arrigo Barnabé, ao integrar a histórica banda “Sabor de Veneno”. Em 2007, gravou “Tocar na Banda”, CD e DVD gravados ao vivo em comemoração aos seus 20 anos de carreira. Nesse primeiro trabalho gravado ao vivo, Vânia expôs a alegria irrefreável de uma carreira celebrada em mais de duas décadas, oferecendo aos ouvintes-espectadores um apanhado de seu repertório clássico, composto por Jobim, Caetano, Arrigo, Gudin e Itamar, entre outros nomes que integram seu eclético conjunto musical.
Quem acompanha as duas divas é Marco Bernardo, arranjador, pianista e cantor. Possui intensa atividade musical, como diretor de corais, maestro preparador, pianista acompanhador e diretor musical, entre outras atividades. O pianista dedica atenção especial ao choro, linguagem musical de sua predileção, arranjando para diversas formações instrumentais, idealizando e apresentando o programa “Contando o Choro”, da Rádio Cultura.

Mesa Redonda - No sábado (1º) haverá ainda uma mesa redonda, às 17h, com os protagonistas do espetáculo, mediada pelo crítico Zuza Homem de Mello. A entrada é franca e os ingressos podem ser retirados na bilheteria do teatro a partir das 16h do dia do evento.

Os ingressos para o espetáculo “Nas Trilhas da Atlântida" custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia e correntistas Caixa). Informações: 2118-5111.

Cinemateca exibe documentário sobre a arte dos bonecos

O mais novo filme do cineasta curitibano Túlio Viaro é um resgate do teatro de bonecos e uma investigação sobre a arte dos bonequeiros. “Um Filme de Bonecos” mistura documentário e ficção, tendo como personagens três bonecos que decidem fazer cinema e entrevistam seus próprios criadores. A produção será lançada nesta quarta-feira (29), às 20h, na Cinemateca de Curitiba. Após a exibição, Túlio Viaro participará de um debate sobre o seu trabalho. 
Os três personagens desse documentário de animação foram elaborados especialmente para o filme. São eles os entrevistadores dos personagens reais - os bonequeiros Manuel Kobachuk, Renato Perré e Olga Romero - que, no filme, dão seus depoimentos sobre a condição e a natureza de suas criações. Apesar da participação dos artistas curitibanos, Viaro mostra o aspecto universal dessa arte. “É um filme que pode ser assistido em qualquer lugar do mundo. Ele não traz nada de histórico ou regional”, diz.
Realizado por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura de Curitiba, “Um Filme de Bonecos” já entrou na seleção do “É Tudo Verdade 2013”, o mais importante festival de documentários da América Latina. Foi exibido em sessões do festival no Rio de Janeiro, São Paulo, Campinas e Brasília. Com legendas em inglês e francês, e 18 minutos de duração, percorrerá, depois do lançamento em Curitiba, um circuito de mostras nacionais e internacionais.
A experiência de Túlio Viaro no cinema está consolidada numa série de outras produções de curtas-metragens e documentários, realizados desde 1998. Suas mais recentes realizações, como diretor e roteirista, foram os documentários “Carrascos - Artistas do Ringue” (2009), selecionado para os festivais Gramado, Cinevideo e Cinesul, “Pescadores de Tainha” e “Teatro Político - Uma História de Utopia”.

Festival Gastronômico do Litoral começa nesta quinta-feira

A terceira edição do Festival Gastronômico Sabores do Litoral começa nesta quinta-feira (30) para mostrar aos visitantes da região as delícias da culinária paranaense a preços especiais. Durante 30 dias, o evento será realizado em 31 restaurantes que oferecerão pratos típicos de seis municípios - Morretes, Antonina, Pontal do Paraná, Matinhos, Guaratuba e Paranaguá, além da Ilha do Mel.
O secretário de Turismo do Paraná, Jackson Pitombo, explica que o Festival Gastronômico do Litoral cumpre o importante papel turístico e econômico de movimentar a região na época em que o público é menor. “Além de apresentar as delícias da culinária local, o Festival incentiva a visitação na região, com possibilidade de conhecer os diversos atrativos do Litoral, como artesanato, a história e a natureza”, disse.
Promovido pela Agência de Desenvolvimento do Turismo Sustentável do Litoral do Paraná (Adetur), Associação de Bares e Restaurantes do Litoral do Paraná (Abrasel Litoral) e a concessionária Ecovia, o evento promete atrair público ainda maior que nas duas últimas edições. O número de restaurantes participantes aumentou e os estabelecimentos têm expectativa de superar as 3,5 mil refeições vendidas no ano passado.
Uma das formas de incentivo será oferecer pratos especiais com 20% de desconto. Doze pratos foram elaborados exclusivamente para o Festival, como o Linguado à Belvedere, a Chapa de Peixe com Palmito, o Bistrô Caiçara, a Paella Capelista, o Camarão à Nazaré, a Feijoada de Frutos do Mar, a Moqueca Capixaba, o Linguado à Valeska, os Frutos do Mar à Paranaguá, o Sabor Olimpo, o Bobó de Camarão da Dona Helô e o Peixe Grelhado com Amêndoas.

Fotógrafa apresenta exposição “Janelas, os olhos da alma”

O Museu da Fotografia Cidade de Curitiba, unidade da Fundação Cultural localizada no Solar do Barão, apresenta até 30 de junho a exposição “Janelas, os olhos da alma”, da fotógrafa Lúcia Biscaia. As imagens foram inspiradas na arquitetura dos prédios de antigas cidades europeias, como Verona, Lisboa e Évora.
Para a fotógrafa, as janelas incitam a curiosidade e a reflexão. “O interesse sobre os traços e cores que as compõem, as vidas escondidas por detrás e as janelas que se abrem para o mundo, trazendo a visão de seus interiores, são a tônica da exposição”, diz Lúcia Biscaia.
A mostra “Janelas, os olhos da alma” fica aberta até dia 30 de junho, de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados e domingos, das 13h às 18h. A entrada é franca. Informações: 3321-3260

Total de inscritos no Enem atinge recorde de 7,8 milhões

(ABr) - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, informou hoje (28) que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) contabilizou 7.834.024 milhões de inscritos. As inscrições foram encerradas às 23h59 de ontem (27). Ao apresentar o número recorde de inscrições no exame, Mercadante disse que há “um tsunami por mais educação” no país.
O ministro lembrou que nem todos os inscritos efetuaram o pagamento da taxa de inscrição, processo que confirma a participação do candidato no exame e mostra o número de exato de quantos farão a prova. O prazo para o pagamento vai até amanhã (29). O número de inscritos neste exame supera o de candidatos inscritos na edição do ano passado (6.495 milhões) e também o de confirmados em 2012 (que pagaram a taxa de inscrição ou isentos), um total de 5.971.290.  
Segundo Mercadante, ontem, o site do Enem chegou a registrar 3 mil inscrições por minuto e 120 mil por hora. Apesar de o site ter sofrido dois ataques de hackers - um pequeno e um médio -, o processo não foi prejudicado, disse o ministro.  
O Exame será aplicado nos dias 26 e 27 de outubro em todos os estados e no Distrito Federal. A nota do Enem pode ser usada para classificação no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) que oferece vagas em instituições públicas de educação superior e também para concorrer a vagas em instituições privadas de ensino, por meio do Programa Universidade para Todos (ProUni). Uma boa avaliação no Enem é também requisito para obter bolsa no Programa Ciência sem Fronteiras e para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).
Os estudantes maiores de 18 anos que ainda não obtiveram a certificação do ensino médio podem fazê-lo por meio do Enem. Eles devem pedir, no ato da inscrição, que o resultado do exame seja usado para a certificação.
O número supera o de candidatos inscritos no ano passado que foi de 6,495 milhões, e também o de confirmados em 2012 (que pagaram a taxa de inscrição ou isentos), um total de 5.971.290.

Visitar museus é boa opção para o feriado de Corpus Christi

Durante o feriado de Corpus Christi (30), os espaços da Secretaria de Estado da Cultura estarão abertos para visitação. Além das mostras no Museu Oscar Niemeyer, Museu Paranaense, Museu Alfredo Andersen, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Casa Andrade Muricy e Museu do Expedicionário, há também as sete mostras que estão itinerando pelo Estado. As cidades de Francisco Beltrão, São José dos Pinhais, Irati, Morretes, Paranaguá e Araucária oferecem ao público um pouco do vasto acervo que integra os museus do Governo do Estado.
Quem for ao Museu Oscar Niemeyer poderá conferir as exposições “Di Cavalcanti, Brasil e Modernismo”, “Degas - Poesia Gral da Ação. As Esculturas – Coleção MASP”, “Múltiplo Leminski”, “Estruturas Brincantes”, “Museu em Construção”, “América do Sul, a Pop Arte das contradições”, “IDEA Brasil – o melhor do design brasileiro de 2012” e “Cones”. O museu fica aberto no horário normal, das 10h às 18h. Porém, até às 20h é possível visitar a exposição com obras do artista gráfico holandês Maurits Cornelis Escher. O ingresso custa R$ 6 e R$ 3 (meia). No domingo (2), ocorre o projeto Domingo mais arte, com diversas atividades e entrada franca das 10h às 18h.
No Museu de Arte Contemporânea do Paraná é possível conferir duas exposições recém-inauguradas: “Cor, Cordis”, com curadoria de Angélica de Moraes, apresenta obras do acervo do museu, e “Lugar inComum”, que exibe o trabalho das artistas Erica Kaminishi, Julia Ishida e Sandra Hiromoto. Já a Casa Andrade Muricy apresenta as mostras “Ocidentes e Orientes”, “Under Construction” e “Apresentação | Representação”. Durante o feriado os dois espaços funcionam das 10h às 16h. A entrada é gratuita.
O Museu Alfredo Andersen abriga as exposições “Um gole”, de Gabriele Gomes, e “Reflexos”, de Mariana Canet, compostas de pinturas, instalação e fotografias. No Museu Paranaense as mostras “Negros no Paraná: passado e presente”, “Modas e Modos”, “Vladimir Kozák, o olhar de um viajante”, “Um lar de família” e “Dinheiro e Honraria: o acervo de numismática do Museu Paranaense” trazem um pouco da história do Estado. Ambos ficam abertos das 10h às 16h e a entrada é gratuita.
O programa Museus Paraná, que leva exposições dos museus do Governo do Estado para o interior, está atualmente com sete mostras em cartaz. Em Francisco Beltrão está a exposição “A Guerra do Contestado”; em São José dos Pinhais é possível conferir a mostra “Dorothea Wiedemann, aqui ou em qualquer lugar”. Em Irati a exposição em cartaz é “O Mundo do Trabalho”, e em Morretes é possível conferir “Nego Miranda no acervo do Museu Alfredo Andersen” e “Jesus Santoro, a revelação de um mestre”. “Gravuras no acervo MAC” está em exposição em Paranaguá, e “Memória e Imagem nas Lentes de Guilherme Glück” em Araucária.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

a arte do encontro

Tony Bennet & Amy Winehouse, "Body and Soul"

Museu da Imagem e do Som celebra centenário de "A Sagração da Primavera"

O Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR) promove, nesta quarta-feira (29), às 20 horas, no Auditório Brasilio Itiberê, a exibição do filme que apresenta uma reconstrução na íntegra da coreografia original da obra “A Sagração da Primavera”, dançada pela Companhia de Balé do Mariinsky Theatre (antigo Kirov), de São Petersburgo (Rússia), com figurinos e cenários idênticos aos originais. A entrada é gratuita.
A exibição será no dia em que se comemoram os cem anos da estreia do consagrado balé, que tem música de Igor Stravinsky e coreografia de Vaslav Nijinsky. Antes da sessão, o compositor Harry Crowl, diretor artístico da Orquestra Filarmônica da UFPR, vai abordar o trabalho revolucionário de Stravinsky nessa obra, que influenciou decisivamente os rumos da música. Em seguida, a coreógrafa Cristiane Wosniak, coordenadora do Curso de Dança Moderna da UFPR, professora e pesquisadora da Faculdade de Artes do Paraná, fala sobre o trabalho coreográfico inovador de Nijinsky.
A estreia de "A Sagração da Primavera", em 29 de maio de 1913, no Théâtre des Champs-Élysées em Paris, é considerado um dos maiores escândalos na história das artes, com parte do público presente vaiando estrepitosamente e arremessando objetos nos músicos e bailarinos. Enquanto a coreografia original foi esquecida até os anos 1980, as inovadoras e complexas estruturas rítmicas da partitura, timbres originais e uso de dissonância fizeram da música uma das mais importantes do século 20, ganhando o mundo em salas de concerto e em inúmeras versões coreográficas.

O Auditório Brasilio Itiberê está situado na rua Cruz Machado, 138, Centro, anexo à Secretaria de Estado da Cultura. A entrada é gratuita.

Exposição de pinturas no Memorial de Curitiba revela o encantamento da Bossa Nova

A atração do Memorial de Curitiba, a partir das 19h desta terça-feira (28), é a exposição “Bossa: Encantamento Pictórico”, que reúne 15 pinturas dos artistas plásticos Sandra Marchi e Carlos Rocha. Na técnica de acrílica sobre tela, as obras tiveram como fonte de inspiração a música brasileira do final dos anos 50 - com o movimento da Bossa Nova -, e traduzem sentimentos de pura brasilidade.
A Bossa Nova teve nos músicos João Gilberto, Tom Jobim e Vinicius de Moraes alguns de seus mais importantes representantes. A batida diferente do violão e as letras singulares resultaram em uma música mais intimista e refinada, derivada do samba e com forte influência do jazz. Essa reformulação estética tornou a Bossa Nova uma das principais referências na história da nossa música popular, conhecida no mundo todo.
 A música sempre denotou sensibilidade de alma e de espírito. Tanto faz quem toca ou pinta um instrumento. Um idealiza a forma, o outro revela seu âmago. As cores, assim como as ondas melodiosas, além de acalmarem nossos instintos, nos iluminam os sentimentos”, diz Sandra Marchi.
A artista revela que a proposta da série de pinturas da exposição é unir várias formas de arte - música, poesia, cor e traços - numa representação visual que entrelace a batida da Bossa (redonda, uniforme, elegante, levemente envolvente) com acordes musicais e a poesia das letras com as cores e formas, “possibilitando ao público vivenciar traços de paixão e variações de interpretações”. 

Trajetórias – Sandra Marchi nasceu em Lages (SC), em 11 de maio de 1968, mas vive e trabalha em Curitiba desde 1999. Graduada em Educação Artística / Artes Plásticas pela Universidade para o Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina (Udesc), concluiu mestrado em “Ergonomia da Cor no Ambiente e Luz Natural”, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2007.
A artista realizou exposições individuais em Santa Catarina, Paraná e Goiás, além de participar de diversas exposições coletivas e salões em estados brasileiros. Em 2012, integrou a “IX Muestra Internacional de Arte Postal Ciudade de Ceuta”, na Espanha. Entre as premiações recebidas, destacam-se as obtidas no 29º Salão de Artes Visuais de Jacarezinho (PR, 2012), Espaço de Arte Jayabujamra de Curitiba (PR, 2011) e CACEV - Centro de Arte Contemporânea Edilson Viriato de Curitiba (PR, 2008). Em 1995, recebeu o troféu “Personalidade Feminina”, selecionada entre artistas plásticos do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.
O carioca Carlos Rocha nasceu em 1943 e escolheu Curitiba para desenvolver seu trabalho. Estudou Artes Plásticas com José Severo Fernandes (Severus), em Niterói (RJ), Bruno Mrosk, Ronald Simon, Cristina Mendes, Edilson Viriato e Tatiana Trota, em Curitiba. É integrante do Ateliê de Pintura Edilson Viriato e exibe no currículo várias exposições individuais e coletivas em diferentes cidades do Brasil.

A exposição “Bossa: Encantamento Pictórico” está aberta à visitação até dia 23 de junho, de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h;  sábados e domingos, das 9h às 15h. A entrada é franca.

Obra de Ivane Carneiro ocupa Espaço de Arte Urbana

O Espaço de Arte Urbana, unidade da Fundação Cultural de Curitiba, localizado na Galeria Júlio Moreira (Largo da Ordem), está sendo ocupado pela obra “O Cubo”, da artista plástica Ivane Carneiro. A artista propõe uma forma de intervenção que faz de todas as paredes da sala o suporte para a sua obra.
Com curadoria de Tatiana Alves, a intervenção busca a proximidade com o observador, que poderá literalmente imergir na obra. A artista cria formas que causam ilusão de ótica, alterando a percepção comum do espaço e das próprias formas, e produzindo uma ilusão de movimento.
Ivane Carneiro atua como artista plástica, pesquisadora e produtora cultural. É licenciada em Artes Plásticas pela Faculdade de Artes do Paraná, mestre em Educação e Cultura pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), especialista em Gestão Cultural pela Universidad de la Comunicación (México), orientadora do Atelier de Desenho do Centro de Criatividade de Curitiba e professora da Escola de Música e Belas Artes do Paraná.

A intervenção de Ivane Carneiro pode ser visitada até dia 7 de julho de 2013, de terça-feira a domingo, das 8h às 18h. A entrada é franca. Informações: 3213-7594.

Paiol apresenta atrações femininas do mundo da bateria e percussão

O Teatro do Paiol será o palco nesta quarta-feira (29), às 19h, do festival “Girls On Drums 2013”, que terá sete atrações femininas do mundo da bateria e percussão: as paulistas Roberta Kelly, Camila Teixeira e Lari Constantine, a gaúcha Biba Meira, a carioca Letícia Santos, a curitibana Babi Age, além de uma atração internacional, a argentina Silvana Colagiovanni. Esta é a quarta edição desse festival único no Brasil, dedicado a divulgar exclusivamente o talento das mulheres bateristas e percussionistas.
Criado em 2010, o evento teve três edições em Curitiba e uma em São Paulo, reunido bateristas de todo o Brasil. Nesses três anos, o festival contou com a participação de Nina Pará, Simone Sou, Vera Figueiredo, Jully Lee, Lucy Peart, Nicolle Paes, Paula Padovani, Aishá, Pitchu Ferraz, Patricia Teles, Isabel Gabiatti, Dani Gomes, Clau Sweet, Michelle Abu, Shirley Granato, Fernanda Terra e Naná Rizinni, entre outras instrumentistas de destaque.
O idealizador do projeto é o músico Joel Jr, da Drum Time Escola de Bateria e Percussão, que sempre foi admirador do trabalho de bateristas e percussionistas femininas, mas percebeu que não havia espaço para elas em um meio dominado por homens. Reconhecendo o talento dessas instrumentistas, o músico concebeu o evento, que hoje conta com apoio de artistas, fãs, lojas e marcas renomadas no mercado. O festival acabou por incentivar a formação de novas bandas e o surgimento de diversas ações na internet, como a criação de blogs e publicações voltadas a esse público.

Mais informações: 3322-5462/ 9211-5562 ou www.girlsondrums.com.br

Nova edição da Revista Helena já está em circulação

A nova edição da Revista Helena, publicada pela Secretaria da Cultura do Paraná já está sendo distribuída a bibliotecas e instituições culturais de todo o Brasil. Neste número, 22 colaboradores traçam, por meio de crônicas, artigos, fotos, ilustrações e poemas, um panorama histórico e cultural da região dos três “oestes” do Estado: o Oeste, o Centro-Oeste e o Sudoeste.
As pautas foram escolhidas pelo Conselho Editorial deste número, formado pelo pesquisador e escritor Nivaldo Krüger, o jornalista Zé Beto Maciel e o historiador Davi Schreiner. Nomes como Domingos Meirelles, Paulo Markun, Deonísio da Silva, Jorge Baleeiro de Lacerda, Cecília Helm, Caco Galhardo e João Marcon também integram o time de colaboradores, que inclui acadêmicos, jornalistas, fotógrafos e artistas gráficos.
Nesta edição Helena traz narrativas sobre a ocupação do terceiro planalto paranaense, o deslumbramento dos conquistadores com as Cataratas do Iguaçu, a pacífica reforma agrária desenvolvida no Sudoeste, o massacre que deu origem à Coluna Prestes e o início da Operação Condor. Também resgata histórias da Colônia Tereza Cristina, do Território Federal do Iguassú e da movimentação dos povos indígenas pela região.
A publicação ainda apresenta um painel sobre as Sete Quedas, com fotos e textos que remetem aos últimos dias daquela paisagem natural, antes da construção da Usina de Itaipu. O poema “Adeus a Sete Quedas”, de Carlos Drummond de Andrade, encerra a edição, que tem capa assinada pelo artista gráfico Rafael Campos Rocha.

Multimídia - Os leitores podem conferir todo o conteúdo, inclusive as edições anteriores da revista, na internet, no endereço issuu.com/revistahelena. A versão para tablets também poderá ser baixada gratuitamente. A página da revista no Facebook (www.facebook.com/revistahelena) traz conteúdo exclusivo, como fotos e vídeos.

Ficha técnica - A Revista Helena é uma publicação da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná. O nome é uma homenagem à Helena Kolody, uma das principais poetas da nossa terra, e também à civilização helênica, berço da produção cultural ocidental.
A terceira edição contou com a consultoria do escritor Ernani Buchmann e coordenação editorial de Rogério Pereira, diretor da Biblioteca Pública do Paraná. A edição executiva fica por conta do jornalista Omar Godoy e da coordenadora de comunicação da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, Thaísa Teixeira Sade, edição de Luiz Rebinski Jr e Márcio Renato dos Santos e revisão de Marjure Kosugi. O projeto gráfico é assinado pelas designers Rita Brandt, coordenadora de Desenho Gráfico da Secretaria, e Adriana Salmazo. A versão digital para tablets é do designer Maico Amorim.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Ação e política se destacam nos cinemas

Apenas quatro estreias neste final de semana nos cinemas. Os destaques ficam por conta da ação de “Velozes & Furiosos 6” e o suspense político “Sem Proteção”, de Robert Redford. Filmes de maior apelo popular ficam para o feriado. “Se Beber Não Case – Parte III”, “Star Trek - Além da Escuridão”, “Faroeste Caboclo” e “A Fuga do Planeta Terra”, entre outros, são as atrações.
  
DATILÓGRAFA – Comédia romântica francesa dirigida por Regis Roinsard. Aos 21 anos de idade, Rose Pamphule mora com seu pai e estar prestes a casar com o pacífico filho de um garagista. Ela poderia virar uma dona de casa, mas a jovem tem planos mais ambiciosos. Ela sai de sua cidade e tenta um emprego de datilógrafa no escritório de seguros de Louis. Mesmo se suas habilidades como secretária são fraquíssimas,o homem fica impressionado com a velocidade com a qual Rose consegue digitar. Logo o espírito competidor de Louis se desperta: ele decide aceitar Rose como sua secretária, contanto que ela treine para participar da competição de datilógrafa mais rápida do país.  Romain Duris, Déborah François, Bérénice Bejo estão à frente do elenco, sob a dieção de Regis Roinsard.
  
RAÇA – O documentário de Joel Zito Araújo em parceria com a norte-americana Megan Mylan (vencedora do Oscar em 2009 pelo curta-documentário “Smile Pinki”, sobre uma criança indiana), acompanha três personagens na luta pela igualdade de direitos dos negros no Brasil. Netinho de Paula, ex-músico e hoje vereador, é o mais conhecido deles, mas também são apresentados o senador Paulo Paim e a ativista Miúda dos Santos. O objetivo do trabalho é mostrar que, apesar de o país ser considerado democrático e pouco racista, as diferenças raciais ainda existem e configuram obstáculos importantes para a tomada de decisões e conquista de direitos sociais.

SEM PROTEÇÃO – Suspense baseado no livro “The Company You Keep”, escrito por Neil Gordon. Jim Grant é um advogado de direitos civis e pai solteiro. Quando o jovem repórter Ben Shepard expõe sua verdadeira identidade, ele precisa partir imediatamente. Revelado como um ativista fugitivo procurado por assassinato, Jim começa uma jornada para limpar o seu nome, mas vai precisar escapar da caçada policial que está no seu encalço. O astro Robert Redford dirige e encabeça o elenco, que conta ainda com Shia LaBeouf, Susan Sarandon, Terrence Howard, Anna Kendrick, Julie Christie, Nick Nolte e Richard Jenkins.

VELOZES E FURIOSOS 6 – Depois do sucesso de “Velozes 5”, novamente o trio Vin Diesel, Paul Walker e Dwayne Johnson se reúnem sob a direção de Justin Lin. A nova aventura se passa na Inglaterra. Desde que o golpe de Dom e Brian no Rio de Janeiro deixou o grupo com US$ 100 milhões, os heróis se espalharam pelo mundo. Mas a incapacidade de voltar para casa e viver em um lar tornou suas vidas incompletas. Enquanto isso, Jobbs esteve perseguindo uma organização de mercenários sobre rodas, um grupo de homens cruéis divididos em 12 países, cujo mentor tem ajuda da destemida Letty, a antiga namorada de Dom, que ele acreditava estar morta. A única maneira de parar este grupo de criminosos é superá-los nas ruas, por isso Hobbs pede a Dom para reunir um grupo de elite em Londres. A recompensa? Perdão a todos eles, para poderem voltar para as suas casas e tornarem suas famílias completas novamente. Rihanna, Michelle Rodriguez, Gina Carano, Jordana Brewster, Tyrese Gibson, Ludacris e Clara Paget completam o elenco.

Calçadão da Rua XV terá brinquedos e oficinas neste sábado

Diversas atividades de recreação, como brinquedos infláveis, jogos gigantes, camas elásticas e oficinas de pintura de rosto estarão ao longo do calçadão da Rua XV de Novembro, Centro de Curitiba, no sábado (25) antecipando a comemoração do Dia Internacional do Brincar (World Play Day) que oficialmente é festejado dia 28. A data foi instituída na 8ª Conferência Internacional de Ludotecas em Tóquio, no ano de 1999.
As atividades serão desenvolvidas no calçadão, entre a Boca Maldita e a rua Dr. Muricy, das 10h às 17 horas. Elas desenvolvem o estímulo a prática de brincadeiras, revelando a importância do ato de brincar nas diversas fases da vida. “Queremos resgatar e incentivar o brincar e trazer reflexão sobre a importância da brincadeira como momento da criação cultural e humana”, disse Leloir Santos, coordenadora do evento, realizado pela Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Smelj).

Luiz Felipe Leprevost faz leitura dramática no Portão Cultural

Neste sábado (25), das 15h às 17h, a Casa da Leitura Wilson Bueno do Portão Cultural abriga mais uma edição do programa Leituras Dramáticas, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba. O encontro conta com a presença do escritor e dramaturgo curitibano Luiz Felipe Leprevost, que irá abordar a tragédia “Medeia”, uma das mais conhecidas obras do poeta grego Eurípides. A entrada é franca.
Nascido no século V a.C, Eurípides foi um dos grandes expoentes da tragédia grega clássica, tendo ressaltado em suas obras as agitações da alma humana e em especial a feminina. “É certo que Medeia contém o dom da clarividência, como é certo que suas escolhas a todo momento são feitas pela via do risco, indo da inconsequência às certezas absolutas”, comenta Leprevost.
O curitibano Luiz Felipe Leprevost é poeta, dramaturgo, contista, músico, ator e diretor teatral. Formado em artes cênicas pela CAL – Casa de Artes de Laranjeiras (RJ), é autor do romance “E se contorce igual um dragãozinho ferido” (Ed. Arte e Letra). Também publicou “Ode mundana” (poesia) e os livros de contos “Inverno dentro dos tímpanos”, “Barras antipânico e barrinha de cereal” e “Manual de putz sem pesares”.
Integra as antologias de poesia Roteiro (Global Editora) e Peso Pena (Editora Black Demon Press). Poemas de sua autoria foram publicados na revista Coyote, número 20, além de contos nas revistas Arte e Letra e Lama 1 e 2. Entre as suas peças já encenadas constam “Hieronymus nas masmorras” (direção de Roberto Alvim, tendo Juliana Galdino no elenco), “O butô do Mick Jagger” (direção do autor), “Na verdade não era encenada” e “Pecinha para uma tecnologia do afeto”, ambas dirigidas por Nina Rosa Sá. Atualmente, Leprevost trabalha em seu novo romance, “Dias Nublados”, e responde pelo blog  www.notasparaumlivrobonito.blogspot.com.br.

A Casa da Leitura Wilson Bueno está situada na avenida República Argentina, 3.430, Portão). Informações: 3345-6311.