segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

noite brega

Jerry Adriani, MR "Indiferença"

Saul Trumpet e Gabriel Castro tocam músicas de natal na Biblioteca Pública do Paraná

Entre 17 e 22 de dezembro a Biblioteca Pública do Paraná promove edições diárias do projeto “Música na Biblioteca”. Em dois horários - das 13h às 14h e das 17h às 18h -, os músicos Saul Trumpet e Gabriel Castro apresentam pocket shows na entrada principal da BPP. No sábado, Castro toca sozinho, das 11h às 12h. No repertório dos músicos, apenas canções que remetem ao natal. A entrada é gratuita.
Iniciativa da BPP, o “Música na Biblioteca” é um projeto que valoriza os talentos da música local. “Bem mais do que apenas proporcionar o empréstimo de livros, a Biblioteca Pública do Paraná se afirma como espaço cultural diversificado que fomenta a arte e a cultura de diversas maneiras. Trazer a música para o cotidiano do público faz parte da proposta de integração de linguagens da BPP”, diz Tatjane Garcia, responsável pela curadoria do projeto.
Desde 2011, mais de cem músicos, dos mais diversos gêneros - da MPB à música barroca, passando pelo chorinho e pela música indiana, tango e samba -, já passaram pelo palco da BPP.

Os músicos - Saul Trumpet é um dos maiores nomes da música instrumental brasileira. Paranaense de Bandeirantes, Saul foi um menino precoce que tocava em igrejas e, aos 13 anos, já se apresentava profissionalmente no Rio de Janeiro. Aos 20, em 1970, se estabeleceu em Curitiba, onde começou a tocar com importantes músicos locais. Em 2000, ele estreou em CD, ao vivo, com composições de paranaenses. Em 2008 lançou o aclamado disco Sal grosso.
Gabriel Castro é argentino e toca saxofone e clarinete. Junto com o uruguaio Santiago Beis (piano) e o curitibano Cris Julian (percussão), integra o trio que leva seu nome e que já fez diversas apresentações por todo o Brasil. Em 2009 fez o lançamento do CD Bosquejo, primeiramente editado na Argentina e no Uruguai, que traz a união de ritmos e cores que acompanham o artista argentino desde o começo de sua carreira. Radicado em Curitiba desde 2008, Castro atua na Orquestra À Base de Sopro.

UFPR comemora centenário com música

Cantores do Coro e do Madrigal da Universidade Federal do Paraná (UFPR) se preparam para homenagear a Instituição em seu aniversário de 100 anos com muita música. Estão agendadas duas apresentações que inclui a Orquestra Filarmônica da UFPR, e o grande Coro Comunitário da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), nos dias 18, na Reitoria e 19 no Teatro Guaira. A regência é do maestro Márcio Steuernagel.
O programa é composto por duas importantes obras: “Da Cúpula Sonhou-se o Palácio da Luz” (estreia), escrita pelo maestro Márcio Steuernagel em homenagem à Instituição, que será apresentada pela Orquestra Filarmônica da UFPR e “Hallelujah”, de Händel, com os cantores dos dois grupos musicais, Coro e Madrigal da UFPR e Coro Comunitário da UTFPR.
A peça, “Hallelujah” é um trecho da obra “O Messias” (Messiah), um dos oratórios mais populares do célebre compositor alemão.
A entrada é franca e os convites são distribuídos pela UFPR e também disponíveis na bilheteria do Teatro Guaíra até fechar a lotação do auditório.

"Hobbit" fatura US$ 13 mi nos EUA e Canadá, recorde para dezembro

(Reuters) - A primeira parte da trilogia "Hobbit" faturou 13 milhões de dólares no seu lançamento nos cinemas dos EUA e Canadá, na madrugada de sexta-feira, batendo um recorde para estreias no mês de dezembro.
Essa bilheteria supera os 8 milhões de dólares da primeira sessão de "O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei", em dezembro de 2003. "O Hobbit: Uma Jornada Inesperada" retoma o mesmo universo de "O Senhor dos Anéis", embora narrativamente anteceda à primeira trilogia. As duas trilogias se baseiam na obra literária de J.R.R. Tolkien.
"O Hobbit" estreou na quarta-feira em 42 mercados internacionais, faturando 27,3 milhões de dólares, segundo a distribuidora Warner Bros. Juntando essa cifra à do mercado da América do Norte, o total chega a 40,3 milhões de dólares.
Paul Dergarabedian, presidente da divisão de bilheterias do site Hollywood.com, estimou que "Hobbit" irá encerrar seu primeiro fim de semana nos EUA e Canadá com um total de pelo menos 75 milhões de dólares.
Alguns analistas falam em até 100 milhões de dólares, mas nunca uma estreia teve tanta bilheteria em dezembro, quando as férias escolares e festas natalinas esvaziam os cinemas norte-americanos.

Piano de filme Casablanca foi vendido por US$ 602 mil em leilão

(Reuters) - O piano usado no clássico filme "Casablanca" foi vendido por um pouco mais de 600 mil dólares, muito abaixo de previsões de que poderia atingir a marca de 1 milhão de dólares ou mais.
O piano vertical de 58 teclas no qual o ator e cantor Dooley Wilson interpretou "As Times Goes By", a emblemática canção do filme de 1942 protagonizado por Humphrey Bogart e Ingrid Bergman, foi vendido por 602.500 dólares em Sotheby, com comissão.
A casa de leilões havia atribuído ao icônico instrumento um preço estimado entre 800 mil e 1,2 milhões de dólares, considerando as somas vultuosas pagas por objetos do filme nos últimos anos.
O filme, ambientado no Marrocos durante a Segunda Guerra Mundial, ganhou três Oscar, incluindo melhor fotografia, melhor roteiro e melhor direção.
A casa de leilões não divulgou quem foi o comprador.

Corina Ferraz apresenta metáforas poéticas no Masac

A pintura de Corina Ferraz, considerada uma das expressões paranaenses da arte naïf (denominação da corrente que aborda os contextos artísticos de modo espontâneo e com plena liberdade estética e de expressão), toma conta do Masac – Museu de Arte Sacra da Arquiodiocese de Curitiba, com a exposição “Ceias Sertanejas”. A mostra permanece aberta ao público até o dia 3 de março de 2013.
Com oito telas que retratam a Santa Ceia, Nossa Senhora com pescadores e a Arca de Noé, a exposição completa-se com um mosaico da Igreja da Ordem. As obras são verdadeiras metáforas poéticas, capazes de transformar a complexidade do mundo numa forma artística de aparente simplicidade.
 Aproveitando o ar brejeiro que nos circunda, essa atmosfera lírica e vernacular a que chamamos Brasil, Corina nos apresenta Santas Ceias tropicais, rodeadas de pássaros revoados e bandeirinhas de festa junina. Ao redor da fatídica mesa, a metafísica do sofrimento redentor se transforma em alegria festiva e partilhada. Ao invés do pão e do vinho, com suas metáforas trágicas de carne e sangue, nos vemos diante de homens simples e felizes, que se deliciam com melancias, bananas e abacaxis: homens que brindam à vida com a leveza de um suco de manga”, destaca o crítico, professor e historiador da arte Artur Freitas, no texto de apresentação da exposição.
Nascida em Leme (SP), em 1948, a pintora Corina Ferraz ingressou na Universidade de Artes Plásticas de Ribeirão Preto – Unaerp, tendo concluído seus estudos na Escola de Música e Belas Artes de Curitiba – Embap, em Curitiba, onde vive desde 1971. A artista trabalhou como ilustradora em agências de propaganda, estúdios de arte e editoras, ampliando sua formação em cursos de desenho animado, aerografia, produção gráfica e cartum, além de aperfeiçoamento em litografia, calcogravura e xilogravura.
A exposição “Ceias Sertanejas” está aberta à visitação pública de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 9h às 14h, com entrada franca.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

A Banda Mais Bonita da Cidade faz show no Paiol

Um dos últimos espetáculos do ano, no Teatro do Paiol, é o da Banda Mais Bonita da Cidade, que se apresenta neste sábado (15), às 20h, para lançamento de um compacto em vinil, além de um álbum virtual com músicas para download. As duas faixas do vinil foram gravadas no próprio Teatro do Paiol, durante um show realizado pela banda em junho passado, com a participação do cantor pernambucano China.
O disco é resultado da parceria entre a banda curitibana e o músico, que também estará no show deste sábado. O vinil traz duas músicas compostas por China – “Só serve pra dançar” e “Terminei indo”, em que Uyara Torrente, a vocalista da banda, divide os vocais com o cantor pernambucano. Além disso, o lançamento contará com cinco faixas inéditas para download.
"Aproveitamos a oportunidade para gravar um álbum virtual com as músicas que fazem parte do repertório do show e que até então não haviam sido gravadas oficialmente", explica Uyara.
Sucesso absoluto na internet com o clipe de "Oração", lançado em maio do ano passado, o quinteto curitibano logo gravou seu primeiro álbum, viabilizado por fãs através de financiamento coletivo. Na agenda do grupo, além de apresentações por todo o Brasil, há passagens pela França e Portugal. Além de ser o vocalista do grupo Del Rey, que também conta com os integrantes do Mombojó em uma banda cover de Roberto Carlos, China é VJ da MTV e ex-vocalista do Sheik Tosado. O show tem curadoria de Bina Zanette e Heitor Humberto, das produtoras Santa! Produção e Fineza Comunicação e Cultura.
Os ingressos para a apresentação da Banda Mais Bonita da Cidade custam R$ 25,00 e R$ 12,50 (meia-entrada). Informações: 3213-1340.

Camerata Antiqua encerra temporada 2012 de concertos com obras natalinas de Bach

Neste fim de semana, a Camerata Antiqua de Curitiba encerra a temporada 2012 patrocinada pela Volvo com o concerto “Cantatas de Advento e de Natal”, reunindo obras de Johann Sebastian Bach, tendo como regente convidado o maestro mineiro Luís Otávio Santos. As apresentações acontecem na Capela Santa Maria Espaço Cultural, às 20h de sexta-feira (14) e às 18h30 de sábado (15).
O programa leva ao público algumas das composições mais admiráveis de Bach, escritas em curto espaço de tempo – uma a cada semana – o que demonstra a excepcionalidade do compositor. “Nesse ritmo acelerado, Bach conseguia compor uma cantata melhor que a outra”, analisa Luís Otávio Santos, que também integra o conselho artístico da Camerata.
No repertório estão três cantatas compostas durante o período em que Bach dirigia atividades musicais na cidade alemã de Leipzig, cargo que passou a ocupar em 1723. São elas: BWV 36 - Schwingt freudig euch empor, BWV 62 - Num Komm, der Heiden Heiland e BWV 121 - Christum wir sollen loben schon, que se destacam pelo dinamismo e interação entre instrumentos e vozes.
A intenção do maestro Luís Otávio é resgatar a antiga forma de interpretação, devolvendo a estética interrompida. “Na música antiga, a interpretação é mais retórica, mais eloquente. E a Camerata sempre teve um olhar atento para essas obras”, ressalta. Para Luís Otávio, é importante diminuir o abismo entre os músicos que tocam em orquestras modernas e os que executam música antiga. “Vejo como compromisso a interpretação da música antiga contextualizada”, diz o maestro sobre um trabalho que se convencionou chamar de interpretação historicamente informada, e que teve início em 1950.
Os ingressos para estas apresentações da Camerata Antiqua de Curitiba custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada).

Espaço de Arte Urbana tem intervenção de Felipe Pacheco

A percepção arquitetônica do Espaço de Arte Urbana, com o teto em forma de abóboda, levou o artista plástico Felipe Pacheco a criar a intervenção “BÜNKER”, que remete ao abrigo destinado a suportar e desviar a onda de pressão e choque criada por projéteis inimigos. A mostra, que permanece aberta ao público até o dia 25 de fevereiro de 2013, é um convite a uma estada nesse abrigo subterrâneo.
O estoque de objetos úteis à sobrevivência em caso de ameaças são, em “BÜNKER”, marcas pintadas, desenhadas, escritas, esmagadas e gravadas diretamente nas paredes e piso da sala, que tomam o lugar como sombras da ausência física do narrador. Potencializam o memorial narrativo duas janelas fictícias, que representam o diálogo estético e conceitual da vida não convencional abaixo do chão, levando à reflexão sobre um refúgio que une proteção e cárcere.
A exposição “BÜNKER” é um dos projetos selecionados pelo Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, desenvolvido com recursos do Fundo Municipal da Cultura, e especialmente destinado ao Espaço da Arte Urbana, um endereço expositivo que foge dos padrões formais. Destinado à difusão e reflexão sobre arte urbana, o local abriga intervenções artísticas temporárias de artistas convidados a executar sua obra diretamente nas paredes da sala.
O artista – Formado em Gravura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná – Embap, Felipe Pacheco integrou o grupo Gravura em Metal do Solar do Barão, de 2001 a 2004. Participou das Bienais de Gravura de Santo André e Santos (SP) e conquistou o primeiro lugar no Salão da Embap, em 2003.
O Espaço de Arte Urbana está situado na Galeria Júlio Moreira (Largo da Ordem) e o horário de visitação vai de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h, com entrada franca.

Exposição apresenta arquitetura da década de 1930 em Curitiba


O Memorial de Curitiba sedia a exposição “Arquitetando Curitiba na década de 1930”, resultado de uma pesquisa realizada pela antropóloga Zulmara Clara Sauner Posse e pela arquiteta Elizabeth Amorim de Castro, por meio do Fundo Municipal da Cultura.
“Arquitetando Curitiba na década de 1930” expõe projetos arquitetônicos do engenheiro Eduardo Fernando Chaves que, durante 31 anos de vida profissional, acompanhou o processo de urbanização da cidade e incorporou em seus projetos as inovações tecnológicas e programáticas daquela época.
Entre 1912 e 1943, o arquiteto realizou 220 obras, distribuídas em projetos arquitetônicos e estruturais, construções e fiscalizações de diversos tipos de habitações, escritórios, edifícios comerciais e residenciais, igrejas e educandários, reformas, ampliações e muros de vedação. São edificações de um a sete pisos, com área variando entre 36 e 1300 m², diversos usos e múltiplas técnicas (madeira, alvenaria autoportante e concreto armado).
A obra de Eduardo Chaves também é tema do livro “As virtudes do bem-morar”, este viabilizado pelo Mecenato Subsidiado e incentivado pelo Banco do Brasil. O livro registra a sua grande e diversificada produção – palacetes, vilas, bangalôs, casas de comércio, escritórios, depósitos, instituições, além de reformas, ampliações e muros que o engenheiro projetou, calculou, fiscalizou ou administrou. De acordo com as autoras, sua obra incorpora os princípios da “casa moderna”, relacionando-se com o processo de modernização de Curitiba (com a introdução da infraestrutura urbana), e remete à valorização do conforto, da privacidade, da higiene, da individualidade e da modernidade.
A exposição “Arquitetando Curitiba na década de 1930” está aberta à visitação pública de terça a sexta-feira, das 9h às 12 h e das 13h às 18h; sábados e domingos, das
9h às 15h, com entrada franca. Informações: 3321-3313.

Evento promove ações culturais e solidárias para 800 aprendizes

Os 800 jovens que integram o programa de aprendizagem da ONG Elo Apoio Social e Ambiental participam no dia 15 de dezembro de um sábado de atividades culturais e solidárias, contando com a presença de artistas convidados. O evento, chamado de CulturElo, acontece durante o período da manhã no Memorial de Curitiba, espaço cedido pela Fundação Cultural de Curitiba, a partir da parceria com a  área ambiental da Elo.
A programação do evento tem como atrativo principal a Gincana Solidária entre as turmas de aprendizes. Durante um mês os jovens arrecadaram produtos para doação a uma instituição social, escolhida pelos próprios aprendizes – a ACOA (Associação Curitibana dos Órfãos da AIDS). As atividades recreativas que acontecerão no CulturElo somarão pontos para esta Gincana Solidária e cada ponto será revertido em doações para a ACOA.
Além da gincana solidária, uma série de atividades culturais estão programadas, haverá apresentações diversas, entre elas de artistas convidados, como Moacir Reis com o personagem “O Menestrel” e o Trio Curucaca. Também haverá o espaço reservado para a mostra de talentos dos aprendizes, com apresentações de música (e dança) e concursos recreativos, como o “Garoto e Garota Elo”.
O CulturElo encerra o ano letivo do curso de Qualificação Profissional da Elo Apoio, que é vinculado à Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/00, decreto 5.598/05). Neste programa participam atualmente 800 jovens de 14 aos 18 anos, que ao participarem têm a oportunidade de atuarem no setor administrativo de grandes empresas, recebendo remuneração mensal e com possibilidade de efetivação após os vinte e um meses de programa. Em paralelo, os jovens participam do curso aos sábados, em que aprendem noções sobre mercado de trabalho, com conteúdos como Finanças, Contabilidade, Informática, Gestão, Postura, Comunicação, Meio Ambiente, além de aulas lúdicas, em que eles desenvolvem aptidões na área cultural, como Música, Literatura, Teatro, Poesia, entre outros. O CulturElo envolve também o resultado das aulas de leitura realizadas com os aprendizes durante o Curso.
O CulturElo acontece das 8h às 13h30, no Memorial de Curitiba (Largo da Ordem - Rua Doutor Claudino dos Santos, 79). Mais informações: www.eloapoio.org.br

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

uma música

Zeca Baleiro, MR "Disritmia"

“Blow Elliot Benjamin” tem nova temporada em dezembro

A montagem “Blow Elliot Benjamin”, com texto e dirigido por Cleide Piasecki, em 2011 para o G2 Cia. de Dança mistura teatro e dança. “Originalmente o texto foi escrito para uma peça teatral, mas acabou se tornando um espetáculo de dança”, diz a coreógrafa. A magia do espetáculo está aliada ao cenário, luzes, dança e à interpretação de cada bailarino.
Tragicomédia baseada em fatos cotidianos, com histórias reais, que juntas se transformam em uma lenda urbana, o espetáculo coloca uma lente de aumento sobre a vida de pessoas comuns abordando o aspecto transitório e fugaz da existência humana, sempre com uma pitada de humor.
 “Blow Elliot Benjamin” tem cenografia e figurinos do premiado artista Gelson Amaral Gomes e assistência coreográfica de Júlio Mota. O espetáculo fez turnê recentemente pelo interior do Estado, sempre com muito sucesso.
Guaíra 2 Cia. de Dança – Criado em dezembro de 1999, o Guaíra 2 Cia de Dança é constituído por bailarinos profissionais que atuaram no Balé Teatro Guaíra. Incentivados pela pesquisa de movimento e criação coletiva, dedicam-se à montagem de espetáculos como “intérpretes criadores”, aliando técnica à maturidade artística na busca de novos rumos e estéticas na linguagem da dança contemporânea.
Em 2000 a Companhia recebeu o Prêmio Estímulo da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), como incentivo ao trabalho de ampliação da carreira de bailarino, geralmente curta.
As apresentações de “Blow Elliot Benjamin” acontecem no Guairinha (Rua XV de Novembro, 971) de 14 a 16 de dezembro, sexta-feira e sábado às 20h30 e domingo às 18h. Os ingressos custam R$10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada conforme prevista em lei).

Autores recebem Prêmio Paraná de Literatura

Um grande público prestigiou a entrega do Prêmio Paraná de Literatura 2012, que aconteceu na manhã desta terça-feira, 11 de dezembro, no auditório Paul Garfunkel, na Biblioteca Pública do Paraná. Alexandre Vidal Porto, Lila Maia e José Roberto Torero foram os vencedores, respectivamente, nas categorias romance, poesia e conto. A cerimônia contou com as presenças do secretário de estado da Cultura, Paulino Viapiana, do diretor da Biblioteca Pública do Paraná, Rogério Pereira, e da diretora-geral da Secretaria de Estado da Cultura, Valéria Marques Teixeira.
Durante a solenidade, foram apresentadas as obras vencedoras do Prêmio Paraná de Literatura 2012: "Sérgio Y. vai à América", de Alexandre Vidal Porto; "As maçãs de antes", de Lila Maia e "Panis et circenses", de José Roberto Torero. Cada título tem tiragem de 1 mil exemplares, cada autor vencedor recebeu 100 exemplo - a BPP vai distribuir os livros para as bibliotecas do Paraná e de outros Estados. O secretário Paulino Viapiana lembrou que o Prêmio Paraná é mais uma ação que visa dar acesso à cultura ao cidadão. “O Prêmio, além de colocar o Paraná no centro das discussões culturais, dá início à Biblioteca Paraná, uma iniciativa que com certeza vai movimentar a cena literária”, disse Viapiana.
Já o diretor da BPP, Rogério Pereira, chamou atenção para o fato de que o Prêmio Paraná de Literatura 2012 surge em um momento de valorização e discussão do livro e leitura no país. “A leitura está sendo discutida como nunca no país. Isso é muito bom. O Prêmio integra esse contexto”, afirmou Pereira. O diretor lembrou ainda que, no passado, o Paraná promoveu o Concurso Nacional de Contos, que teve grande repercussão e que valorizou o talento de grandes nomes, como Dalton Trevisan, Clarice Lispector, João Antônio e Luiz Vilela. “Queremos recuperar a importância desse Prêmio, que já foi uma referência nacional”, completou Pereira.
Biblioteca Paraná - A publicação dos três livros vencedores do Prêmio Paraná de Literatura 2012 marca o início do selo editorial Biblioteca Paraná, que tem o objetivo de editar obras relevantes de autores nascidos ou radicados no Estado, além de reeditar títulos relevantes que estejam esgotados ou fora de catálogo.

Fundação Cultural de Curitiba já tem 80% dos recursos captados para o complexo cultural do Cine Passeio

Oitenta por cento dos recursos necessários para as obras do Cine Passeio já foram captados por meio de potencial construtivo. Com isso, já está garantida a verba necessária para dar início ao processo de licitação, consolidando um dos mais importantes projetos da Prefeitura de revitalização do Centro Histórico e de retomada dos cinemas de rua. O custo total estimado da obra é de R$ 5 milhões e já foram captados por potencial construtivo R$ 4 milhões.
O Cine Passeio será um novo complexo cultural, com três salas de projeção, salas de cursos, de edição de imagem e som, uma biblioteca voltada às artes visuais, áreas de convivência, e espaço para encontros e exposições. Será instalado no antigo quartel da Rua Riachuelo – uma edificação de propriedade do município que, em 2010, foi destinada à Fundação Cultural de Curitiba, para desenvolver, em conjunto com o Ippuc – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, o projeto de reforma e ocupação do espaço. 
Em setembro deste ano, o edifício do antigo quartel foi definido como Unidade de Interesse Especial de Preservação (UIEP) pelo decreto municipal nº 1275/2012. Foi o que possibilitou a arrecadação dos recursos da obra por meio de transferência de potencial construtivo. Em menos de três meses, foram levantados 80% dos recursos, viabilizando a realização da licitação, já a partir do início de 2013.
De acordo com a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Roberta Storelli, foi feito todo o esforço para o projeto se concretizar. Inicialmente, o orçamento de R$ 5 milhões para o Cine Passeio seria composto por duas fontes: recursos oriundos do PAC das Cidades Históricas e da venda do Cine Luz. Como a verba do PAC ainda não foi liberada e a venda do Cine Luz ainda não foi efetivada, buscou-se outras alternativas para não retardar o início das obras. 


Linha Especial de Natal começa a operar

Começou a funcionar a Linha Especial de Natal, servida por ônibus decorados, que até o próximo dia 21 transportarão turistas e demais usuários com passagem pelos diversos pontos de referência natalina em toda a cidade. A iniciativa, já tradicional, é do Instituto Municipal de Turismo (IMT).
A Urbs - Urbanização de Curitiba S/A, que gerencia o sistema de transporte, definiu que as saídas serão a cada 30 minutos, das 20h às 21h30, da praça Tiradentes, defronte à Catedral Basílica, de onde também tradicionalmente saem os ônibus da Linha Turismo. A tarifa custa R$ 10,00.
Não haverá embarques ao longo do trajeto da linha Crianças com menos de cinco anos não pagam passagem. Ao longo do trajeto, os ônibus passam por 13 endereços decorados para o Natal e pontos de atração para os passageiros.
Além da própria Catedral, recentemente restaurada e ponto de partida da linha, as atrações, ao longo da viagem e pela ordem, são a Praça Dezenove de Dezembro; o Centro Histórico; o Palácio Avenida; a rua 24 Horas; o Shopping Crystal; a Praça da Espanha; o Castelo do Batel; a Praça do Japão; a Praça Oswaldo Cruz; a Praça Eufrásio Correia, que fica em frente ao shopping que no passado foi estação ferroviária; a casa decorada que fica na rua Elbe Pospissil, no Cabral, a  Reitoria da Universidade Federal do Paraná, a sede da Associação Comercial do Paraná e, por último, o Paço da Liberdade, antiga sede da Prefeitura de Curitiba, que fica na praça Generoso Marques e ponto final da linha.

Natal do Paço convida a viajar nos sonhos

Cores e luzes são o caminho que leva a uma grande viagem ao mundo dos sonhos. Este é o de Natal do Paço da Liberdade, em Curitiba. As apresentações seguem até quinta-feira (13).
O espetáculo, projetado na fachada do prédio histórico, conta a história de um menino que descobre o poder de viajar pelo mundo da imaginação. Acrobatas, músicos e bailarinos interagem neste cenário. “Nos sentimos parte do espetáculo. É como sonhar acordado. Como se pudéssemos tocar o cenário. O Natal de Curitiba realmente é fabuloso”, disse o engenheiro catarinense Pedro Bruno Meireles, 40 anos, que passa férias na cidade com a família.
"Curitiba se consolida cada vez mais como a Capital do Natal. As luzes, feiras e espetáculos são um convite a quem visita a nossa cidade nesta época do ano", afirmou Juliana Vosnik, presidente do Instituto Municipal de Turismo.
A direção é de Pablo Colbert, responsável junto ao Sesc Paço da Liberdade pela produção do Natal no Paço. As músicas ao vivo são executadas pela Soulution Orchestra, combinadas com efeitos sonoros integrados com os artistas e projeções.

Lendário citarista indiano Ravi Shankar morre aos 92 anos

(Reuters) - O citarista e compositor Ravi Shankar, que ajudou a introduzir a cítara para o mundo ocidental através de suas colaborações com os Beatles, morreu nesta terça-feira (11), no sul da Califórnia, informou sua família. Ele tinha 92 anos.
O indiano Shankar, vencedor de três Grammys e que fez aparições lendárias no Festival de Monterey e em Woodstock, estava com a saúde frágil há vários anos e passou por uma cirurgia na semana passada, disse a família em comunicado.
"Embora seja um momento de sofrimento e tristeza, é também um momento para todos nós agradecermos e sermos gratos pela chance de tê-lo como parte de nossas vidas", disse a família. "Ele vai viver para sempre em nossos corações e em sua música".
Na Índia, o gabinete do primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, postou uma mensagem no Twitter chamando Shankar de um "tesouro nacional e embaixador global do patrimônio cultural da Índia".
"Uma era morreu com a morte de... Ravi Shankar. A nação junta-se a mim para homenagear seu gênio insuperável, sua arte e sua humildade", acrescentou o primeiro-ministro indiano.
Shankar vinha sofrendo de problemas respiratórios e cardíacos no último ano e foi submetido a uma cirurgia para substituição de uma válvula cardíaca na semana passada em um hospital de San Diego, ao sul de Los Angeles.
A cirurgia foi bem sucedida, mas ele não conseguiu se recuperar.
Shankar - que viveu na Índia e nos Estados Unidos - realizou seu último show com sua filha Anoushka em 4 de novembro, em Long Beach, Califórnia, segundo o comunicado. Na noite anterior à cirurgia, ele foi nomeado para um Grammy por seu álbum mais recente "The Living Room Sessions, Part 1".
Ele também é pai da cantora vencedora do Grammy Norah Jones, e tem três netos e quatro bisnetos. Sua família disse que os planos para a cerimônia em memória ao citarista serão anunciados em outro momento e pediu que as doações sejam feitas para a Fundação de Ravi Shankar.
O citarista é creditado pela popularização da música indiana através de seu trabalho com o violinista Yehudi Menuhin e com os Beatles na década de 1960, inspirando George Harrison a aprender a cítara e à banda britânica a gravar músicas como "Norwegian Wood" (1965) e "Within You, Without You "(1967).

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

voz de mulher

Alcione, MR "Quem é Você?"

História da Gibiteca de Curitiba em livro de Key Imaguire Júnior

A Gibiteca, uma das unidades da Fundação Cultural de Curitiba, sedia nesta quinta-feira (13), às 19h, o lançamento e a sessão de autógrafos do livro “Gibiteca de Curitiba”, escrito pelo arquiteto, colecionador e crítico de história em quadrinhos Key Imaguire Júnior, um dos idealizadores desse espaço que completou 30 anos de existência em outubro passado. A obra, em forma de "graphic novel", conta ainda com um DVD, realizado por Nira Oliveira, com apoio de Key, que documenta a trajetória da primeira biblioteca brasileira especializada em histórias em quadrinhos. 
O livro registra o início dos quadrinhos na cidade, que aconteceu no fim do século 19. Na sequência, aborda publicações curiosas ao longo do século 20, como os álbuns em alemão editados em Curitiba, além de manifestações, exposições e publicações que chegaram à revista "Casa de Tolerância", assinada por Key Imaguire e pelo escritor e cineasta Valêncio Xavier, obra que integrou o ciclo das revistas alternativas brasileiras.
O autor destaca, então, como surgiu a ideia de criar um local de encontro para falar de gibis, um espaço dedicado à arte dos quadrinhos, que embasasse quem quisesse produzi-los e oferecesse aprimoramento ao público leitor. Também enumera as diversas fases da Gibiteca, dos grupos e autores que lá se formaram, festivais e as várias iniciativas que a tornaram conhecida em todo o Brasil, servindo inclusive de modelo para outros endereços semelhantes. Atualmente, entre as atividades da Gibiteca estão exposições, concursos, encontros com profissionais, palestras, eventos de RPG (Role Playing Game), feiras de gibis, cursos, oficinas e workshops.
Grandes nomes da HQ brasileira, como Laerte, Angeli, Glauco, Luiz Gê, Primaggio, Malavoglia & Garfunkel, entre outros, já estiveram na Gibiteca trocando informações com a nova geração de cartunistas. Aos poucos, artistas curitibanos também foram despontando no cenário nacional e hoje têm seus desenhos e histórias estampadas em jornais e revistas de todo o Brasil. É o caso de José Aguiar, Romolo D’Hipóltyto, André Caliman, RHS (Rafael Higino da Silveira) e Simone Hembecker.
A Gibiteca, nascida do projeto embalado por Key Imaguire, ao lado dos também arquitetos Abrão Assad e Domingos Bongestabs, ostenta um acervo de 33 mil títulos e diversas coleções de gibis infantis, super-heróis, humor, terror, cartuns, fanzines, mangás e exemplares estrangeiros que fazem do espaço uma fonte valiosa para pesquisas.
O livro “Gibiteca de Curitiba”, ricamente ilustrado com documentação pesquisada em arquivos de Curitiba e de outras cidades, completa-se com um documentário de 35 minutos, em DVD, realizado por Nira Oliveira. No curta-metragem estão as entrevistas feitas com pessoas ligadas à história da Gibiteca, como Cortiano, Edson Bueno, Chico da Itiban, Fúlvio Pacheco, Marcia Skiba, Solda, entre outros. Também participam do filme cartunistas de destaque no Paraná, como Bennet e Priscila.

Artista curitibano volta aos palcos locais após turnê pela Europa

O artista curitibano Neto Machado volta a fazer temporada em sua cidade-natal depois de quase dois anos fora. Durante esse tempo, ele apresentou em importantes festivais nacionais e carimbou o passaporte com diferentes trabalhos em Madri, Paris, Buenos Aires, Berlim, Lisboa, Porto, Barcelona, Boston, além de Zagreb na Croácia.
Neto desembarca na capital paranaense com o inédito “Desastro”, com estreia nacional nesta quarta-feira (12) no Espaço Cênico para uma curta temporada. A montagem é o resultado do projeto “Stop&Motion”, que venceu o Prêmio Pró-cultura de Estímulo ao Circo, Dança e Teatro, concedido pelo Ministério da Cultura.
Durante esse ano, “Desastro” foi montado a partir de uma residência em Salvador dentro do encontro de artes “Interação e Conectividade”, promovido pelo grupo Dimenti, e também no Rio de Janeiro, dentro do projeto “Dança pra Cacilda”, que reúne coreógrafos de todo o país.
"Nesta peça tenho a sensação de estar emprestando meus brinquedos pros meus amigos. E assim, aprendendo um novo jeito de brincar, já que o amigo se relaciona com o brinquedo de maneira diferente. Desastro é uma coreografia neon, é um futuro parado no tempo, um universo de excentricidade espacial, um golpe de espada de plástico, um mundo construído a partir de um vômito de luz", explica o coreógrafo.
O espetáculo tem ainda no elenco os artistas Bernardo Stumpf, Daniella Aguiar, Jorge Alencar e Jorge Oliveira.
O Espaço Cênico está situado na rua Paulo Graeser Sobrinho, 350. As apresentações acontecem de quinta a domingo, às 20h, com entrada franca.

"Operação Skyfall" ganha de "Lincoln" nas bilheterias dos EUA e Canadá

(Reuters) - James Bond mostrou um notável poder de permanência no topo das bilheterias com o mais recente capítulo da série de espionagem "Operação Skyfall" arrecadando 11 milhões de dólares em sua quinta semana nos cinemas dos Estados Unidos e Canadá.
O filme superou "Lincoln", de Steven Spielberg, e a saga "Crepúsculo: Amanhecer Parte Dois", último capítulo da bem sucedida série sobre vampiros.
"Operação Skyfall", o 23o filme da série com o agente 007, também liderou as bilheterias quando estreou em 2 de novembro.
Distribuído pelo estúdio Sony, esse já é o filme mais vendido da série que tem 49 anos e, neste fim de semana, se tornou o filme de maior bilheteria da história da Sony Pictures, com 918 milhões de dólares em vendas de ingressos em todo o mundo.
O filme familiar "A Origem dos Guardiões" ficou em segundo lugar com 10,5 milhões de dólares, chegando perto de se tornar o principal sucesso de filmes do gênero, na sua terceira semana de exibição.
"Amanhecer - Parte Dois", que liderou as bilheterias nos três últimos fins de semana, arrecadou 9,2 milhões de dólares. A série de cinco filmes, lançada pela Lions Gate Entretainment, é baseada no livro best seller sobre o amor de jovens vampiros.
"Lincoln", produzido pela Dreamworks e lançado pela Walt Disney, narra a luta bem sucedida do 16º presidente norte-americano para aprovar uma emenda constitucional proibindo a escravidão. O filme arrecadou 9,1 milhões, segundo estimativas do estúdio fornecidas pela divisão de bilheterias do Hollywood.com.
"As Aventuras de Pi", da Fox, fecha a lista dos cinco primeiros colocados, com uma arrecadação de 8,3 milhões de dólares.

Arte cosmopolita produzida na Alemanha é tema de mostra na Casa Andrade Muricy

Aberta ao público na Casa Andrade Muricy (CAM), a mostra “Espaço de Arte Alemanha”, organizada em parceria com o Institut für Auslandsbeziehungen – Instituto de Relações com o Exterior da Alemanha.
A exposição apresenta um olhar curioso sobre o mais novo “Espaço de Arte Alemanha”, cujo desenvolvimento tem relação com a abertura política cultural da federação alemã. Desde os anos 1990, muitos artistas de outras nações escolheram o país como ponto central de sua vida e de seu trabalho. Em pouco tempo eles se integraram à produção de arte germânica, se tornando parte do discurso cultural local. Ao assumirem atividades acadêmicas na Alemanha, ampliaram os horizontes da produção, o que tornou as faculdades locais de estudos atrativos para jovens artistas do país e do estrangeiro. Ao lado dos alemães, são principalmente os artistas imigrados para a Alemanha que marcam hoje a vida artística.
Esta é a primeira mostra realizada transnacionalmente na esfera da política cultural exterior da Alemanha. Os trabalhos de artistas, como a sul-africana Candice Breitz, o britânico Tony Cragg, a suíça Marianne Eigenheer, a turca Ayse Erkmen, a alemã Christine Hill, a checa Magdalena Jetelová, o dinamarquês Per Kirkeby, o norte-americano Joseph Kosuth, a belga Marie-Jo Lafontaine, o sul-coreano Nam June Paik, o italiano Giuseppe Spagnulo e o holandês Herman de Vries representam a pluralidade entre culturas distintas. Além de apresentar posicionamentos exemplares dos últimos 40 anos, a exposição investiga seu significado e sua influência sobre temas, mídias e formas de expressão do discurso atual.
Casa Andrade Muricy está situada na Alameda Dr. Muricy, 915, Centro e fica aberta à visitação de terça a sexta-feira das 10 às 19h; sábado e domingo das 10 às 16 horas, com entrada gratuita.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

uma música

Nando Reis, "Sei"

Linguagens diversas em mostras no Museu da Gravura

As artes plásticas ganham vitrine privilegiada nas exposições que tomam conta do Museu da Gravura de Curitiba, a partir das 19h desta terça-feira (11), levando ao público propostas em diferentes linguagens. Uma das salas abriga seleção de obras assinadas por artistas brasileiros e estrangeiros, pertencentes ao acervo municipal. Paralelamente, acontecem as mostras individuais “Inside”, de Fabrizio Andriani, e “O Curinga está morto”, de Cyntia Werner. O público pode conferir a programação até o dia 17 de fevereiro de 2013, com entrada franca.  
Na mostra “Autorretratos, livros de artista, construções e processos”, organizada pela artista plástica e coordenadora do museu, Ana González, estão trabalhos de Lygia Pape, Helio Oiticica, Brice Mardem, Amílcar de Castro, Waltércio Caldas, Didonet Thomaz, Eldon Garnet, Alex Cerveny, Fernando Lopes, Cildo Meirelles, Andy Warhol, Sandra Ramos, Brice Mardem, Claudio Mubarac, Miguel Casanova, Luise Weiss e Poty Lazzarotto, selecionadas entre as 2.820 obras que integram o acervo do Museu da Gravura.
 A exposição reúne algumas das presenças importantes do acervo, afastando-se da tentativa de estabelecer uma linha única de conexão entre elas. As obras estão agrupadas em núcleos, com a intenção de iniciar pequeno levantamento de afinidades, relembrando a existência de parte dos numerosos tesouros que constituem esse acervo”, diz Ana González. Com essa iniciativa, a curadora pretende suscitar o interesse do espectador sobre o papel do Museu da Gravura de Curitiba na representação da produção artística histórica e contemporânea. “A intenção é manter as obras ativas no movimento contínuo do imaginário da cidade, para torná-las parte da vida das pessoas”, destaca.  

Dupla atração no projeto que comemora os 40 anos do Paiol

O projeto “Radar – a nova música brasileira nos 40 anos do Teatro do Paiol” encerra a programação do ano com duas atrações de grande destaque na nova cena musical do país. Nos dias 12 e 13 de dezembro, o Radar recebe a banda paulistana Bixiga 70 e o guitarrista da banda Nação Zumbi, Lúcio Maia, com seu projeto solo “Maquinado”.
A banda Bixiga 70 se apresenta quarta-feira (12), às 20h30, trazendo ritmos e elementos das músicas brasileira, latina e africana. A banda surgiu da junção de vários músicos já conhecidos da cena paulistana a partir de trabalhos desenvolvidos no estúdio Traquitana, localizado no coração boêmio do centro de São Paulo. Considerado por muitos o berço do samba paulistano, o bairro do Bixiga também hospeda e alimenta a imaginação desses dez músicos que buscam estreitar laços entre passado e futuro por meio de uma leitura da música cosmopolita. O grupo foi buscar inspiração em países como Gana e Nigéria, nos tambores dos terreiros e do samba, na música malinké, sempre com uma atitude despretensiosa e sem limites para o improviso e a dança.
Vindos das mais variadas frentes musicais, os músicos exploram o território do afrobeat em versões instrumentais de músicas próprias e composições de outros artistas. Fazem parte do grupo Décio 7 (bateria), Rômulo Nardes e Gustávo Cék (percussão), Marcelo Dworecki (baixo), Cris Scabello (guitarra), Maurício Fleury (piano e guitarra), Cuca Ferreira (sax barítono e flautim), Daniel Nogueira (sax tenor), Douglas Antunes (trombone) e Daniel Gralha (trompete).
Maquinado – Na quinta-feira (13), o Paiol será tomado pelo som do guitarrista Lúcio Maia, que apresenta o seu novo trabalho, “Maquinado”. Considerado um dos melhores guitarristas de sua geração, Lúcio é também vocalista. Em várias composições, entre elas, “Tropeços Tropicais”, “SP”, “Um recado para o Lucas extensivo ao Pio” e “Mundialmente anônimo”, Lúcio deixa transparecer as suas várias referências – do rock ao hi hop, do dub aos ritmos brasileiros, das batidas afro-caribenhas à vanguarda eletrônica.
Os ingressos para as apresentações do projeto “Radar” custam R$ 40,00 e R$ 20,00 (estudantes, professores, idosos, doadores de 1kg de alimento, doadores de sangue e deficientes físicos). Inofrmações: 3213-1340.

Francês "Amor" é escolhido como melhor filme por críticos de Los Angeles

(Reuters) - O filme francês sobre um casal envelhecendo, "Amor", foi a escolha surpresa para melhor filme de 2012 pela Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, no domingo, enquanto Joaquin Phoenix foi nomeado melhor ator por seu papel como um problemático no drama cult "O Mestre".
Em uma lista que não bateu com as primeiras escolhas de premiações em Nova York, a Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles nomeou Paul Thomas Anderson o melhor diretor por "O Mestre" e a atriz Amy Adams, que integra o elenco do filme, como melhor atriz coadjuvante.
"A Hora Mais Escura", o filme sobre a morte de Osama bin Laden, levou apenas um prêmio, o de melhor edição.
Na semana passada, o mesmo suspense conquistou dois prêmios de melhor filme do Conselho Nacional de Críticas, sediado em Nova York, e do Círculo de Críticos de Cinema de Nova York.
Ao longo desta semana devem ser anunciadas as nomeações para os prêmios do Screen Actors Guild e do Globo de Ouro, que devem ser as principais indicações para o Oscar, em fevereiro.
Os 60 membros ou mais da Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles mostraram gostos variados e pouca concordância com os observadores de prêmios da indústria.
Emmanuelle Riva, 85 anos, que interpreta uma professora de piano aposentada que sofre um acidente vascular cerebral no filme vencedor do Festival de Cinema de Cannes "Amor" foi considerada a melhor atriz em um empate com a norte-americana Jennifer Lawrence, que interpreta uma jovem viúva na comédia "O Lado Bom da Vida".
Supostos favoritos ao Oscar como os atores Daniel Day-Lewis ("Lincoln"), Jessica Chastain ("A Hora Mais Escura") foram ignorados pelos críticos de Los Angeles, junto com o bastante aguardado musical "Les Misèrables" e a fantasia épica "O Hobbit: Uma Jornada Inesperada".
O novato Dwight Henry ganhou como melhor ator coadjuvante pelo papel de pai sitiado no mítico filme indie "Indomável Sonhadora", e os críticos de Los Angeles deram o prêmio de melhor roteiro para o drama sobre reféns no Irã "Argo".
As indicações para os prêmios Critics Choice sairão na terça-feira, com o Screen Actors Guild anunciando seus candidatos para melhor filme e melhor performance de TV no ano na quarta-feira. Os organizadores dos Globos de Ouro revelam suas escolhas na quinta-feira.
As indicações para o Oscar serão anunciadas em 10 de janeiro, com a cerimônia de premiação marcada para 24 de fevereiro, em Hollywood.

Nova edição do Cândido mostra a literatura tipo exportação

Nos últimos anos, um movimento que envolve editoras, o poder público e escritores, tenta alavancar a difusão da literatura brasileira no exterior. Depois dos fenômenos Jorge Amado e Paulo Coelho, dois dos autores nacionais mais conhecidos no mundo, outros escritores têm conseguido êxito em mercados editoriais estrangeiros. De Milton Hatoum, traduzido em 12 países, a Alberto Mussa, com nove traduções de sua obra, a literatura brasileira, aos poucos, avança em territórios até então inóspitos.
A 17ª edição do Cândido se dedica a investigar as razões desse avanço que, em alguma medida, se deve ao dinamismo experimentado pelo mercado editorial brasileiro nas últimas décadas, com o surgimento de mais editoras e, consequentemente, mais agentes interessados em vender a literatura brasileira a outros países. Autores, editores e agentes literários falam sobre esse recente interesse do mercado editorial estrangeiro pela ficção nacional e de que forma eventos como a Feira do Livro de Frankfurt, que em 2013 homenageia o Brasil, pode difundir ainda mais nossa literatura no exterior. O tradutor alemão Berthold Zilly fala sobre sua tradução de Grande Sertão Veredas, de Guimarães Rosa, e de como a literatura brasileira é vista em seu país.
O maringaense Oscar Nakasato, ganhador do prêmio Jabuti na categoria romance em 2012, fala da sua estreia na literatura com Nihonjin, livro que retrata os conflitos existenciais de filhos de imigrantes japoneses, divididos entre as culturas japonesa e brasileira. O “Perfil do Leitor” destaca as leituras de Guilherme Weber, ator curitibano e um dos fundadores da Sutil Companhia de Teatro. Já a seção “Making Of” refaz o percurso editorial de Tanto faz, romance de Reinaldo Moraes que se tornou um clássico contemporâneo nos últimos 20 anos e fez a cabeça de várias gerações de leitores.
Entre os inéditos, destaque para os vencedores do Prêmio Paraná de Literatura 2012. Cândido adianta trechos do três livros vencedores: Sérgio Y. vai a América, de Alexandre Vidal Porto (Romance), As maças de antes, de Lila Maia, e Papis et circensis, de José Roberto Torero. Na seção “Em busca de Curitiba”, Luís Henrique Pellanda surge com o conto Serafim Bailarino.
O Cândido tem tiragem mensal de dez mil exemplares e é distribuído gratuitamente na Biblioteca Pública do Paraná e em diversos pontos de cultura de Curitiba. Também é enviado, via correio, a diversas partes do Brasil. É possível ler a versão online do jornal no seguinte endereço: www.candido.bpp.pr.gov.br. O site também traz conteúdo exclusivo, como entrevistas e inéditos.

Ana Maria Machado é reeleita para a presidência da Academia Brasileira de Letras

(ABr) - A escritora Ana Maria Machado foi reeleita na quinta-feira (6) presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL) para o ano de 2013, em votação secreta feita no Petit Trianon, sede da instituição, no centro do Rio. A chapa única, encabeçada pela escritora, tem os acadêmicos Geraldo Holanda Cavalcanti, secretário-geral, Domício Proença Filho, primeiro-secretário, Marco Lucchesi, segundo-secretário, e Evanildo Bechara, tesoureiro.
A votação foi feita separadamente para cada cargo, conforme determinam os estatutos da ABL, sendo considerados eleitos os acadêmicos que obtiveram a maioria absoluta de 20 votos. A regra é a mesma para a admissão de novos membros da academia, que tem um total de 40 cadeiras.
Se algum dos candidatos não atingir a maioria absoluta, o estatuto prevê que sejam feitos até quatro escrutínios. Ao final da sessão, depois de anunciados os eleitos para 2013, ocorre a cerimônia de incineração das cédulas, uma tradição da instituição fundada por Machado de Assis em 1897.
A carioca Ana Maria Machado, que desde 2003 ocupa a cadeira número 1 da ABL, é considerada pela crítica uma das mais importantes escritoras brasileiras contemporâneas. Também jornalista, trabalhou em Paris e Londres, além de diversos veículos de comunicação no Brasil. A carreira literária teve início em 1969 e desde então Ana Maria Machado publicou nove romances, oito livros de ensaios e mais de 50 livros infanto-juvenis, que venderam cerca de 19 milhões de exemplares.
A posse da diretoria para o novo mandato será na próxima quinta-feira (13), às 17h30, também no Petit Trianon.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Coletivo Siete Flamenco faz apresentação no Museu Guido Viaro

O Coletivo Siete Flamenco apresenta o espetáculo Flamenco no Museu no dia 12 de dezembro (quarta-feira) no Museu Guido Viaro (rua XV de Novembro, 1.348, Centro), a partir das 20 horas. Com duração de 90 minutos, o show terá 5 bailes flamencos. A entrada é franca.
Formado por 6 bailarinas e 1 bailarino que estudam e praticam flamenco há mais de 10 anos em escolas e academias de Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e junto a profissionais de flamenco do exterior, sobretudo da Espanha, o Siete Flamenco surgiu da necessidade, de seus integrantes, de aliar o conhecimento teórico e prático, sobretudo por meio de apresentações ao vivo. Andréia Costa, Ana Paula Bacchi, Fabiola Mann, Fernanda Gimenez, Gabriel Della Latta, Luciana Veiga e Priscila Frehse compõem o grupo, que também conta com a presença do guitarrista Alexandre Palma.
 O nosso objetivo é promover apresentações pelo menos uma vez por mês. Estudamos, nos aprimoramos, mas é ao vivo que o flamenco faz sentido. O nome ‘Coletivo’ traduz o que somos, uma reunião de pessoas com um histórico muito parecido, com ideias e anseios a compartilhar. Aqui todos têm voz, não há hierarquia, e buscamos o aprimoramento juntos, ou seja ‘coletivo’”, diz o grupo, por meio de sua assessoria de imprensa, completando que entrar em cena no Museu Guido Viaro é a realização de um sonho.
O flautista Marcelo Oliveira (da Orquestra Sinfônica do Paraná e do Jump Jazz), o guitarrista Fabiano Zanin e o cantor Junior Flamenco também participam da apresentação ao lado do Siete Flamenco.