terça-feira, 29 de maio de 2018

Biblioteca Pública abre inscrições para concurso literário


Estão abertas as inscrições para o Prêmio Paraná de Literatura 2018. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 12 de julho por meio de um formulário disponível no site bpp.pr.gov.br. Em sua quinta edição, o concurso da Biblioteca Pública do Paraná e da Secretaria de Estado da Cultura selecionará livros inéditos em três categorias que homenageiam escritores importantes da literatura paranaense: Romance (prêmio Manoel Carlos Karam), Contos (prêmio Newton Sampaio) e Poesia (prêmio Helena Kolody).
No ano passado, com a adoção de um sistema de inscrição online e gratuito, mais de 2 mil obras foram enviadas por autores de todo o Brasil.
O vencedor de cada categoria receberá R$ 30 mil e terá sua obra publicada pelo selo Biblioteca Paraná, com tiragem de mil exemplares (que serão distribuídos gratuitamente em bibliotecas estaduais e diversos pontos de cultura do país).
Os premiados também receberão 100 cópias de seus livros e poderão, mais tarde, reeditar os trabalhos por outras editoras.
As obras concorrentes serão avaliadas por uma comissão julgadora formada por um presidente e nove membros (três em cada categoria). O resultado será divulgado até a primeira semana de dezembro.
Em 2017, os vencedores foram Henrique Schneider (“Setenta”, romance), Marcelo Degrazia (“A Bandeira de Cuba”, contos) e Sônia Barros (“Tempo de Dentro”, poesia). Os livros foram lançados e distribuídos pelo selo Biblioteca Paraná, que também edita autores paranaenses e resgata títulos relevantes que estejam esgotados ou fora de catálogo. “O Prêmio Paraná de Literatura já se estabeleceu como uma das principais premiações do país. Não só pelo valor investido, mas principalmente pela qualidade dos livros lançados”, diz Rogério Pereira, diretor da Biblioteca Pública do Paraná e presidente do júri.
Pereira também destaca o sucesso do sistema de inscrição online, que tornou o Prêmio Paraná ainda mais democrático e acessível. Para ele, o grande número de inscrições em 2017 reforça a importância do concurso em sua missão de projetar o Paraná no cenário literário nacional. “O Prêmio Paraná de Literatura contribui de maneira expressiva para consolidar o projeto da Biblioteca Pública do Paraná de se firmar como um importante polo cultural do Estado e do País”, afirma.

Iluminação cênica destaca monumentos e parques nas noites curitibanas


A Secretaria de Obras Públicas está investindo na iluminação cênica dos monumentos de Curitiba. Iniciado em 2017, o programa que melhora a iluminação de parques, praças e outras referências da cidade tem continuidade em 2018. Até agora foram investidos R$ 800 mil neste trabalho.
"Nossos monumentos também precisam ser valorizados, conforme diretriz do prefeito Rafael Greca", afirmou o secretário de Obras Públicas e vice-prefeito Eduardo Pimentel. Ele explica que, com o uso de sistemas de iluminação mais eficientes, a Prefeitura garante a economia e melhora a qualidade da iluminação.
"A iluminação dos espaços turísticos da cidade e dos que são referências importantes nos bairros fazem parte do programa desenvolvido para melhorar a luminosidade dos parques, das praças e dos bairros de Curitiba”, disse Pimentel. “Além da economia para o município, o objetivo é garantir segurança para que as pessoas ocupem os espaços públicos”, completou.
Depois de espaços como o Jardim Botânico, o Parque Tanguá, a Capela Santa Maria, o Teatro do Paiol, o Portal de Santa Felicidade, o prédio da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Praça Santos Andrade, nos próximos meses será feita a iluminação cênica da igreja do Memorial Ucraniano, no Parque Tingui, e do Portal Polonês, próximo ao Bosque do Papa, no Centro Cívico.
O Mirante Belvedere do Parque Tanguá também já está de iluminação nova desde o aniversário de Curitiba, em março deste ano. Foi implantada luzes cênicas inéditas, com iluminação da lâmina de água, das torres e das escadarias. Neste mês de maio foi concluída a parte da pista de caminhada que dá acesso ao túnel do paredão de pedras do parque.

Turismo - O diretor do Departamento de Iluminação Pública, Tony Malheiros, explica que a iluminação não é apenas funcional. "Os monumentos de Curitiba também são atrativos turísticos. Quando fazemos a iluminação cênica, fomentamos o turismo na nossa cidade, a economia, embelezamos a cidade", explicou Malheiros.
O Jardim Botânico, atração turística mais visitada de Curitiba, foi o primeiro espaço a receber a atenção da Prefeitura de Curitiba, no início da gestão. A estufa voltou a ter iluminação depois de mais de um ano no escuro. Os projetores de led permitem a troca de cores, o que garante a decoração da estufa em datas comemorativas, como o aniversário de Curitiba, o Outubro Rosa, o Novembro Azul, a Semana da Pátria.
A iluminação dos acessos, do estacionamento, das pistas de caminhada do bosque do Jardim Botânico e também do velódromo foi reformada para garantir a segurança e o conforto dos frequentadores.
No Memorial Ucraniano do Parque Tingui, no bairro São João, foi feita a troca dos postes com a instalação de novos, passando de quatro para 14 postes, para aumentar a eficiência luminosa e reduzir o consumo de energia. Toda a rede de cabos subterrâneos, com cerca de 300 metros, também foi substituída. As melhorias deixaram a pista de caminhada mais clara e iluminaram o portal de forma mais adequada.

Seminário - Conhecida como Fonte de Jerusalém (Fonte dos Anjos), o monumento da Praça Pedro Gasparello, no Seminário, recebeu projetores de led e novas luminárias, mais potentes. A Secretaria do Meio Ambiente tem mantido a limpeza do espaço e o seu paisagismo. A Fonte de Jerusalém foi inaugurada em 1995, no primeiro mandato do prefeito Rafael Greca. Ela foi construída em comemoração aos três mil anos da cidade israelense sagrada para as três mais antigas religiões monoteístas – judaísmo, islamismo e cristianismo. 

Centro Cívico - No novo espaço cultural Largo da China, localizado no Centro Cívico, foi feita a iluminação da estátua do filósofo chinês Confúcio (551 - 479 a.C), escultura do artista Wu Weishan doada pelo governo chinês para a cidade.
A Secretaria de Obras Públicas também iluminou os painéis do artista Poty Lazzarotto, na Travessa Nestor de Castro, onde embarcam e desembarcam passageiros de diversas linhas de ônibus, o da Praça 29 de Março e o painel do artista Rogério Dias, na Praça Rio Iguaçu, no Centro Cívico.

Mais luz - Também foram iluminadas casas históricas, como a Casa Hoffman, igrejas do centro histórico, do Portão e do Boqueirão, as esculturas do Homem Nu e da Mulher Nua na Praça 19 de Dezembro, o Cine Passeio, na Rua Riachuelo, a Praça do Japão, o Memorial Árabe, o Paço da Liberdade, a imagem de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, na Rua Barão do Serro Azul, o Farol das Cidades e o Farol do Saber da Casa de Leitura Miguel de Cervantes, na Praça Espanha. Também foi feita a iluminação da torre de cronometragem do Parque Náutico, no Boqueirão.

Série “Palcos Musicais” traz à Curitiba o Klaviertrio de Budu, Ratchev e Weigle


A série “Palcos Musicais” ocorre em Londrina desde 2013 e chega a Curitiba nesta terça-feira (29), com o recital do Klaviertrio, do aclamado pianista Cristian Budu, do violinista londrinense Nikolau Ratchev e do violoncelista alemão Jonathan Weigle. No Espaço Cultural Capela Santa Maria, às 20h, o Trio mostrará obras de compositores consagrados: Beethoven, Brahms e Dvorák. Esta será a primeira vez que o Trio se apresentará em Curitiba.
O recital trará duas obras para duos e uma em trio, tendo o piano como elemento em comum de todo o recital. Na primeira parte, a “Sonata para violino e piano, op. 96, n.10, G Dur”, de Ludwig Van Beethoven, e a “Sonata para Violoncelo e piano, op.38, n.1 in, e moll”, de Johannes Brahms. São obras que exigem dos musicistas muita precisão e virtuosismo. A “Sonata n.10”, de Beethoven, foi escrita em 1812 e dedicada ao Arqueduque Rudolph, da Áustria, que estreou a peça com o violinista Pierre Rode. Beethoven pensou no estilo de Rode para compor o movimento final. É uma peça bela e calma. A “Sonata para Violoncelo e piano, op.38, n.1 in, e moll”, de Brahms, foi escrita entre 1862 e 1865. Brahms criou uma música em que qual o piano não aparece como acompanhante do violoncelo, mas assume voz igualmente protagonista. A obra foi dedicada a obra a Johann Sebastian Bach e o tema principal do primeiro movimento é baseado em dois contrapontos de “A Arte da Fuga”. A segunda parte do recital traz o “Trio para piano op.90, n. 4 em mi maior”, conhecido por "Dumky", que significa em linguagem eslava uma balada épica. Foi composta em 1891 e tornou-se uma das músicas mais tocadas de Dvorák e quase uma exigência para trios com piano.

O Trio - O Klaviertrio de Budu, Ratchev e Weigle tem uma característica inusitada. Os dois brasileiros que participam do trio possuem raízes do Leste Europeu. Cristian Budu é descendente de romenos. Nikolau Ratchev nasceu em Londrina e é descendente de búlgaros. A estes uniu-se Werigle, que toca com Ratchev na Orquestra de Colônia.
Cristian Budu é brasileiro de origem romena, considerado um dos expoentes de sua geração. Laureado com o primeiro lugar em diversos concursos nacionais, como o Nelson Freire (2010) e o Programa Prelúdio da TV Cultura (2007), em 2013 tornou-se o primeiro brasileiro a vencer o 25º Concours International de Piano Clara Haskil, na Suíça. Além do grande prêmio, Cristian arrebatou o prêmio do público e o prêmio Children’s Corner. Outro concurso que venceu foi o “WIld Card Ensemble Honors Competition” do New England Consevatory em Boston. O CD recém-lançado, com obras de Chopin e Beethoven, ganhou a "Editor's Choice" da revista Gramophone, a mais importante no mundo da música clássica.
Nikolau Ratchev iniciou suas aulas de violino com seu pai, o violinista e professor búlgaro Evgueni Ratchev. Integrou a Orquestra  de Câmara “Solistas de Londrina”, dirigida pelo seu pai e gravou dois CDs com obras de compositores brasileiros. Em 2012 foi admitido na Universidade “Folkwang Universität der KünsteEssen“, Alemanha, na classe do mestre Mintcho Mintchev, onde concluiu o Bacharelado em 2016. Sua formação musical foi complementada com masterclasses com Mintchev, Christoph Poppen e Eva Szekely (Universidade de Missouri-Columbia, EUA). Atualmente, além do aperfeiçoamento de violino com Mintchev, integra classes dos professores Andreas Reiner, Evgeny Sinaiski e Yannick Rafalimanana. Desde 2015 é membro da Orquestra de Câmera de Colônia, Alemanha, sob regência de Christoph Poppen. Nikolau participa em várias formações camerísticas e como solista na Alemanha, Portugal e Bulgária e Brasil.
Jonathan Weigle iniciou seus estudos de violoncelo aos cinco anos de idade. Em 2014 concluiu o seu  mestrado na Escola Superior de Música Hanns Eisler, em Berlim. Estudou música de câmara na Escuela Superior de Música Reina Sofía, em Madri, em 2011 e 2012. Recebeu orientações artísticas de Steven Isserlis, Tsuyoshi Tsutsumi, Ivan Monighetti, Michael Sanderlinge  dos membros do Artemis Quartett. Foi por dez anos o violoncelista principal da Junge Philharmonie Brandenburg. Foi violoncelista principal das Frankfurter Opern und Museumsorchester, Hong Kong Sinfonietta e Göteborgs Symfoniker e integrou a Orquestra de Câmara de Paris. Weigle se apresenta regularmente com renomadas orquestras, como a Mahler Chamber Orchestra, a Orquestra Filarmonic de Hong Kong e a Gewandhausorchester Leipzig. Desde 2015 é o violoncelista principal da Orquestra de Câmara de Colônia. Tem realizado inúmeras apresentações na Europa, China, Oriente Médio, Brasil e Argentina.

Série traz música de qualidade - Criada em 2013, a série “Palcos Musicais” é iniciativa desafiadora que prova mais uma vez que a música de câmara de qualidade tem lugar, público e espaço para ser prestigiada. “Hoje a série é um marco para a cultura musical de Londrina e região, um dos eventos mais importantes da nossa agenda cultural, por sua característica inovadora, voltada para as diversas faixas etárias e classes socioeconômicas”, informa Irina Ratcheva, coordenadora artística da série. “Os recitais privilegiam o ecletismo estilístico da música de câmara, através da variedade de repertório, que focaliza desde barroco até o contemporâneo”.
Atualmente, na cena musical do Paraná, há uma carência de circuitos que privilegiem a música clássica de câmara e a Série Palcos Musicais contribui para suprir essa lacuna. “A prática da música de câmara é singular, pois coloca sobre cada um dos músicos igual responsabilidade artística e o repertório é abrangente e universal. Trazendo nomes consagrados da cena internacional, a mostra coloca Londrina e região no calendário nacional de eventos dessa categoria”, revela Irina Ratcheva, que pela primeira vez está levando uma atração da Série a Curitiba. “A ideia é que a música conquiste o reconhecimento de novos públicos, abrindo espaço à música instrumental brasileira, tentando atingir todas as vertentes, da música pura autoral à importância da improvisação e releitura de grandes clássicos”.

A apresentação do Klaviertrio na Capela Santa Maria dentro da série “Palcos Musicais”, é uma realização da Apolônia Produções e tem produção local de Alvaro Collaço Produções. Conta com incentivo da Lei Federal de Incentivo à Cultura - Ministério da Cultura, patrocínio da Unimed e BRDE e apoios da Fundação Cultural de Curitiba, ICAC e do Restaurante Banoffi. Ingressos a R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia) podem ser adquiridos de forma online (www.aloingressos.com.br) ou no Espaço Capela Santa Maria, na Rua Conselheiro Laurindo, 273. Informações pelo fone 3321-2840.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” estréia no Estúdio Delírio


O Grupo Delírio Cia de Teatro traz ao palco do Estúdio Delírio espetáculo “Memória Póstumas de Brás Cubas” com adaptação, sonoplastia e direção de Edson Bueno. A peça fica em cartaz de 25 de maio a 10 de junho, sextas e sábados, às 20h; domingo, às 19h. O elenco conta com Diogo Cavazotti, Gabriel Comicholi e Robysom Souza. O Estúdio Delírio está situado na rua Saldanha da Gama, 69, Alto da XV e os ingressos custam R$ 40,00 e R$ 20,00 (meia).
A adaptação de uma das maiores obras literárias brasileiras é, na verdade, uma apropriação. “Memórias Póstumas de Brás Cubas” é considerado uma espécie de revolução na maneira de contar uma história e Machado de Assis, seu criador, um revolucionário da escrita e das palavras. A obra conta a história de Brás Cubas que, morto, começa a relatar as próprias memórias. No palco pelo Grupo Delírio, a liberalidade poética de Machado, munido da sua conhecida sutileza, ironia fina e humor negro. Este ano o livro é cobrado no vestibular da Universidade de São Paulo - USP.
O espetáculo fala da criatura humana, as imperfeições, sonhos de ilusão e desejos. Tudo pela boca de um morto, ou seja, alguém que não pode mais ser reprimido ou condenado por dizer o que pensa. Se o conteúdo de “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, publicado em 1881, já é inovador e provocativo, em sua forma é mais ainda. Machado de Assis conversa abertamente com o leitor, rompendo com diversos conceitos da escrita linear ou formal. Ora erudito, ora popular, ora didático, ora poético ao extremo, ele desliza sua literatura em pouco mais de 300 páginas de puro prazer e genialidade.
Em pouco mais de uma hora, a encenação do Grupo Delírio busca dar forma e sentido a um romance tão fundamental para a cultura brasileira. É, ao mesmo tempo, uma reverência e uma homenagem ao maior romancista brasileiro.  É puro exercício de teatralização. Mais do que criação de personagens, é colocar o ator num estado de interpretação onde a intimidade da plateia aprofunda-se à medida que a literatura assim exige. Machado de Assis foi um escritor, pensador, quase filósofo. Deixou para as gerações um pensamento profundo sobre o homem e sua relação com a vida, com a política, com a família, com o próximo. Às vezes pessimista, às vezes irônico, às vezes suave e poético; ele continua tendo muito a dizer para as novas gerações. “Encená-lo é abrir uma porta para o melhor da cultura brasileira e uma oportunidade rara de pensar e refletir com o teatro e com a escrita original de um dos mais importantes romancistas de nosso país”, opina o diretor do espetáculo, Edson Bueno.

Sábado é dia de jogos de tabuleiro e estratégia, cardgames e RPGs na Gibiteca


O inverno curitibano e a série Game of Thrones são o tema da 15º Jogarta, que acontece na Gibiteca neste sábado (26), das 14h às 20h. Aberto ao público de todas as idades, o evento vai trazer os últimos lançamentos de jogos de tabuleiro, estratégia, cardgames, RPGs e Larps que podem ser experimentados gratuitamente pelo público.
De acordo com os organizadores, os jogos que serão apresentados permitem exercitar a inteligência, a capacidade para resolver problemas e sociabilidade com jogos. Um dos destaques do encontro é "A Liga da Gibiteca", uma batalha campal que envolve as personagens curitibanas em um jogo intenso de estratégia com miniaturas do Gralha, da Loira Fantasma, Pirata Zulmiro, Planta, Lobo da Estrada e o Vampiro de Kuri Etuba e várias outras personalidades dos quadrinhos curitibano.
Os jogos são ofertados por uma equipe de mediadores preparada para ensinar e atender iniciantes e veteranos de todas as idades. Representantes dos fã-clubes de Tolkien, Steampunk, Harry Potter e Star Wars também estarão presentes no evento disponibilizando atividades.
O Jogarta é realizado com patrocínio do Colégio COC Beraldo, RetroPunk Publicações, Gentle Ogre, Taverna Game House e conta com o apoio da Universidade Federal do Paraná (UFPR) – Museu de Arqueologia e Etnologia, Prefeitura de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Gibiteca de Curitiba, Ministério da Defesa Exército Brasileiro 5°GAC AP, AVEC Editora, Nerdz Curitiba, SSCWB – Shinobi Spirit e Zombie Walk CWB.
Não é cobrada entrada no evento, mas solicita-se que os participantes doem uma roupa de inverno ou 1kg de alimento não perecível como arroz, feijão, macarrão ou 1 caixa de leite longa vida. As roupas serão encaminhadas para a Campanha do Agasalho 2018 logo após o evento, já os alimentos serão destinados a abrigos de menores e outras instituições sociais.

Elian Woidello se apresenta no MuMA


O cantor e compositor Elian Woidello apresenta o show “Terra do Quase”, no Auditório Antônio Carlos Kraide – Portão Cultural, nesta sexta (25), às 19h30. O show contará também com a participação de outros artistas e poetas curitibanos como o grupo Poesia Abstrata e o duo Folkears formado por Jade Farah e Rafael Dauer. O evento tem classificação livre e entrada franca.
O maestro curitibano, Elian Woidello cunhou um novo estilo musical quando morava em Buenos Aires propondo uma narrativa do cotidiano somado a um novo pensamento rítmico e harmônico. Além disso, em 2018 publicou o texto “O Manifesto da Terra do Quase” que será a espinha dorsal do show.

Elian Woidello - Natural de Curitiba, músico, arranjador e compositor, aprendeu tocar piano sozinho e desde cedo participou de orquestras populares e eruditas, ajudando a fundar alguns movimentos artísticos como o Viola e Cantoria e o Movimento Autoral Curitibano.
Em 2015 gravou dois trabalhos “Eu Mando Noticias” em parceria com o músico florianopolitano Vinicius Manhães, e “Nueva Onda”, este último com caráter instrumental e experimental, mesclando trilhas pré-montadas, flamenco, música eletrônica, jazz e etc.
Mais informações: 3229-4458 ou 3374-5019.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

“Universo Casuo”: do Cirque du Soleil para o palco do Positivo


Após o sucesso em 2016, retorna a Curitiba o “Universo Casuo”, criado há cinco anos por Marcos Casuo, que foi protagonista do espetáculo “Alegria”, do Cirque Du Soleil. Assistido por mais de 2 milhões de pessoas em todo o Brasil, a montagem une números acrobáticos, clown, música ao vivo e efeitos especiais em um universo paralelo regado por cores, sonhos e fantasias capazes de conquistar das crianças aos adultos. Com realização da Prime, a trupe desembarca na cidade no sábado (26) com seu novo espetáculo “Grand Spectacle du Cirque” para única apresentação no Teatro Positivo – Grande Auditório, às 21h15.  A montagem é um novo conceito em arte circense, com uma exibição altamente moderna, mas com a essência lúdica do mundo do circo.
O palhaço mais conhecido no mundo encanta com o show que reúne uma combinação emocionante de artes acrobáticas, humor, poesia, design extravagante e uma trilha musical criada por Charlie Dennard – músico, compositor e band líder do famoso circo canadense, especialmente para o Universo Casuo: “Um espetáculo de qualidade, com muito conforto, tecnologia, arte com poesia, música ao vivo e respeito aos espectadores, como ocorre nos grandes circos internacionais”, revela Marcos Casuo.
O “Universo Casuo” utiliza a mesma forma lúdica que os circos internacionais, artistas de altíssimo nível como equilibristas, malabaristas, músicos, performances e a poesia do Clown responsável pelo enredo da história. O show foi desenvolvido por Casuo através de anos de pesquisa em suas viagens ao redor do mundo com o “Alegria”: “Como não podia ser diferente, depois de tantos anos com a companhia Canadense, o “UC” tem a mesma plataforma do Cirque, isto é, um circo moderno e vibrante, que conta uma história através de performances de vários artistas, com roupas e maquiagens ligadas ao espetáculo, enredo próprio ao som de música ao vivo e muitos efeitos de luz”, comenta.
O figurino do espetáculo é de encher os olhos: feito à mão, foi pintado com as cores da cromoterapia, nos tons infinitos do Universo que é vasto e rico em degrades, brilho, cores e principalmente luz.  Já o do protagonista, tem um toque a mais, é assinado por Chico Spinoza, conceituado figurinista e carnavalesco de imenso talento que já mostrou seu trabalho  nas  melhores  escolas de samba  de São Paulo e Rio de Janeiro.
O espetáculo conta a história de um universo paralelo, o “Universo Casuo”, através do gramelô, língua oficial desse planeta multicolorido, um lugar diferente, onde tudo é possível. O personagem denominado Clown percebe que a Terra, o Planeta Azul, o qual, antigamente esbanjava cores, hoje está desbotada, quase sem cor. O palhaço resolve atravessar o portal, entrar no nosso mundo para trazer de volta os sonhos, as fantasias e assim torná-lo novamente colorido.

Livre para todas as idades, “Universo Casuo” tem ingressos que variam de R$ 50,00 (meia) a R$ 190,00 (inteira) de acordo com o setor do teatro. A taxa administrativa de R$ 10,00 está incluída no valor. Mais informações: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

Festival de Inverno do Centro Histórico de Curitiba já tem data marcada


Baixas temperaturas também são sinônimos de programação cultural variada e gastronomia de primeira em Curitiba. A Rede Empresarial do Centro Histórico acaba de divulgar que está confirmada a sexta edição do Festival de Inverno da região. De 19 a 29 de julho a associação dos empresários prepara uma programação com cultura, música, descontos e comidinhas. As atividades acontecem em espaços públicos e também nos estabelecimentos associados. Confira a programação completa em www.centrohistoricodecuritiba.com.br.
A realização do Festival de Inverno do Centro Histórico é da Rede Empresarial com o apoio do Sebrae, Fundação Cultural de Curitiba, Instituto Municipal de Turismo, Fecomércio, Sesc, Senac, Curitiba Free Walking, Curta Curitiba, Empreendedorismo Rosa, Projeto Polvo Solidário, Grupo Pulse, Grupo As Fiandeiras, Museu Paranaense, Tribal Brasil. Moncloa, Chá Contigo, Muralzinho de Ideias, Criança na Plateia, Contarte, Pintando na Calçada.

A Associação – Desde 2012 a Associação do Centro Histórico de Curitiba reúne empresários da região preocupados em promover maior ocupação e melhorias no Centro Histórico da capital paranaense. Com a iniciativa fomentada pelo Sebrae Paraná, em parceria com o Sistema Fecomércio e a Prefeitura Municipal de Curitiba, 20 estabelecimentos estão unidos em torno deste objetivo.
Dentre as ações da Rede estão dois eventos anuais que já estão consagrados pelo público: o Festival de Inverno do Centro Histórico e o Centro Histórico Divertido.
Fazem parte da Rede Empresarial: A Caiçara, Artemísia Produções, Barbearia Rei Trajano, Bar do Alemão, Bar Fogo, Bella Vivenda, Brasileirinho, Café Catedral, Casa do Fumo, Espaço Carmela, Hotel Blumenau, Hotel Brasília, Hostel Roma, Jeito Mineiro, Jokers, Nonna Giovanna, Pizza, Oriente Árabe, Quintal do Monge, Restaurante Mikado.

Corais cantam na Catedral para abrir final de semana do Mia Cara Curitiba


Nesta sexta-feira (25), às 19h30, a Catedral de Curitiba recebe seis corais especializados em música italiana em única apresentação. O repertório faz um apanhado da tradição musical da Itália, dos eruditos aos populares. Entram nos repertórios compositores clássicos como Giuseppe Verdi ("Và Pensiero"); da virada do século XIX como Bepi de Marzi ("Ave Maria") e Giovanni Capurro ("O Sole Mio") e modernos do século XX como Franco Migliacci ("Volare"). Participam o Coral da Sociedade Dante Alighieri, Escola de Cantores S. Pio X, Coro Itálico - Centro de Cultura Italiana, Coral Folclórico Italiano Santa Felicidade, Coral Charitas e Coral da Catedral Basílica de Curitiba.
Também na sexta-feira, às 20h, o Espaço Cultural Capela Santa Maria recebe o violonista italiano Vincenzo Cortese e o violinista Winston Ramalho. Nascido em Nápoles, Cortese está há 30 anos no Brasil. Foi presidente do Instituto Fondazione Italia, responsável por eventos de música clássica e mostras de cinema italiano. Como tenor solista, passou pelos maiores teatros do Brasil, além de cantar na Argentina, Uruguai, Inglaterra, Estados Unidos e Itália.
Winston Ramalho atua como diretor musical e spalla da Orquestra de Câmara de Curitiba. Venceu concursos nacionais e internacionais, como Jovens Instrumentistas do Brasil e Shell Competition for Young Musicians (Inglaterra). Na apresentação, se revezam entre momentos solo e em dupla, apresentando composições do renascentista Girolamo Frescobaldi e dos clássicos românticos Niccolo Paganini e Mauro Giuliani.
Durante o final de semana, a mostra "O Cinema Segundo Pasolini" continua na Cinemateca, exibindo filmes do diretor italiano Pier Paolo Pasolini, com curadoria de Antonio Cava. Após a abertura na quinta (24), a programação continua na sexta com "Accatone, Desajuste Social" e "Mamma Roma, sábado com "Mamma Roma" e "Accatone, Desajuste Social" e no domingo com "RoGoPaG, Relações Humanas" e "O Evangelho Segundo São Mateus". As sessões acontecem às 18h e 20h. O espaço tem ainda a mostra fotográfica "O Evangelho Segundo Pasolini", com imagens das gravações de "O Evangelho Segundo São Mateus", de 1964.
No Teatro Lala Schneider, acontece o espetáculo infantil "Pinóquio", no sábado e domingo (26 e 27), às 17h. A peça é um clássico do autor italiano Carlo Collodi, e ganha adaptação musical dirigida por João Luiz Fiani, interpretada pelo Grupo de Teatro Peripécia.

Mais informações em www.miacara.com.br.

Biblioteca e Gazeta promovem exposição sobre Copas do Mundo


A Biblioteca Pública do Paraná, em parceria com a Gazeta do Povo, inaugurou a exposição “A Vida se Conta em Copas”. A mostra segue em cartaz até julho e ocupa o Hall Térreo e salas da BPP com 80 fotografias dos últimos quatro mundiais de autoria de seis fotojornalistas da Gazeta do Povo. A curadoria é do Editor de Fotografia do jornal, Alexandre Mazzo. A entrada é franca.
Mazzo afirma que selecionou as imagens com a ajuda da equipe de fotojornalistas da Gazeta. Levando em consideração plástica, relevância histórica e de informação, o curador escolheu fotografias de Albari Rosa, Antonio Costa, Edson Silva, Hugo Harada, Jonathan Campos e Pedro Serápio. “Para a Gazeta do Povo, realizar esta exposição, em parceria com a Biblioteca, representa a consolidação para com o nosso público da importância de um jornalismo sério e comprometido com o país”, disse.
O diretor da BPP, Rogério Pereira, também destaca a importância de, em parceria com a Gazeta do Povo, promover esta exposição no momento em que o interesse das pessoas no Brasil e no mundo se voltam para a Copa da Rússia. “O futebol une e aproxima a comunidade, ainda mais nesse período. Então, é importante a Biblioteca oferecer ao público um panorama de mundiais recentes, ainda mais por meio do olhar dos profissionais da Gazeta do Povo”, afirmou.

TEM COPA NA BIBLIOTECA - A Biblioteca vai exibir os jogos da Copa do Mundo da Rússia na Arena BPP, no hall térreo - com exceção das partidas do Brasil.
A proposta dialoga com o projeto da atual gestão que, desde 2011, transformou a BPP em um centro cultural que, bem mais do apenas local de empréstimo de livros, proporciona ao público a oportunidade de conferir apresentações, por exemplo, de teatro e música. “Quem estiver no centro de Curitiba nos dias de jogo, pode conferir as partidas aqui na Biblioteca. A pessoa também pode se programar para ver um jogo aqui. A Copa do Mundo muda a rotina e precisamos oferecer à população essa alternativa”, afirmou Pereira.

TROCA DE FIGURINHAS – Desde o dia 14 abril, a Biblioteca mantém um clube de troca de figurinhas do álbum da Copa do Mundo da Rússia 2018. Os encontros acontecem todos os sábados, até 14 de julho, na Seção Infantil, das 10h às 12h30.
Além de viabilizar a troca de figurinhas entre os participantes, a Biblioteca também promove uma campanha. As crianças que fizerem doações de figurinhas, para um álbum da BPP, participam de um sorteio. O vencedor escolhe uma instituição carente, na qual a Seção Infantil da BPP vai promover uma atividade cultural. Quando estiver completo, o álbum da Copa do Mundo da Rússia 2018 da BPP ficará no acervo da Divisão de Documentação Paranaense, disponível para consultas no local.

A Biblioteca Pública do Paraná funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 20h e sábado das 8h30 às 13h. Mais informações 3221-4917 ou http://www.bpp.pr.gov.br.

Cineasta Guido Viaro participa de bate-papo no CineClube MIS


O CineClube MIS promove nesta sexta-feira (25), às 19h, mais uma edição do “Bate-papo com o Cineasta” e traz como convidado o diretor Guido Viaro. Ele conversa com o público e exibe a sua produção cinematográfica “A Vida de Jair”. O evento acontece no miniauditório do Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR), em Curitiba, e a entrada gratuita.
A obra tem 12 minutos de duração e fala sobre a trajetória e a carreira de Jair Mendes, artista plástico que morreu no ano passado.
Em seguida, será exibido o longa “A Cor da Romã", de Sergei Paradjanov, filme indicado por Viaro aos espectadores presentes. Essa obra, lançada em 1968, fala sobre a vida, a arte e as ideias do trovador armênio do século XVIII, conhecido como Sayat Nova. É uma abordagem lírica de toda a trajetória do poeta, desde a sua infância até sua morte. Classificação indicativa: 14 anos.

O Museu da Imagem e do Som do Paraná está situado na rua Barão do Rio Branco, 395, Centro. Outras informações: 3232-9113 ou http://www.mis.pr.gov.br.

Paróquia Senhor Bom Jesus do Portão recebe Coro da Camerata


O Coro da Camerata Antiqua de Curitiba apresenta concerto gratuito, nesta quinta-feira (24), na Paróquia Senhor Bom Jesus, do bairro Portão. A apresentação, sob a regência de Mara Campos, faz parte do Projeto Concerto nas Igrejas que acontece todo mês em diversos espaços religiosos. A entrada é gratuita.
A característica e a proposta musical dos projetos também estão refletidas no repertório dos concertos. “Buscamos nos aproximar ainda mais e mostrar que a música erudita não é tão distante como as pessoas costumam pensar”, adianta a regente destes concertos, Mara Campos. “Nossa proposta é trabalhar a música como terapia”.
No programa, um apanhado histórico das grandes obras clássicas de compositores estrangeiros e brasileiros, representativos em sua época, como Ola Gjeilo (1978), Antonio Vivaldi (1678-1741), Heitor Villa-Lobos (1887-1959), Eric Whitacre (1970) e Edmundo Villani-Côrtes (1930).

A Paróquia Senhor Bom Jesus está situada na Rua João Bettega, 7, Portão. Mais informações: 3329-3468.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Espetáculo inovador reúne música e dança em Curitiba


Estreando em Curitiba, o espetáculo “Águas do Éden e do Hades” terá quatro apresentações em três dias no Teatro Zé Maria Santos. Em formato de balé-concerto, um gênero de performance musical, músicos e bailarinos misturam-se no palco em total sintonia.
As águas míticas dos rios do Éden hebraico e do Hades grego - o fluxo das águas dos rios que se reencontram subterraneamente, a morte que flui em vida e a vida que flui em morte, a transcendência, a importância das águas como fonte original de vida - foram a inspiração do espetáculo.
A música, especialmente composta para a ocasião, é de Maurício Dottori, Santiago Beis, Indioney Rodrigues e Márcio Steuernagel; a criação coreográfica é de Rosane Gonçalves; e os músicos são da Nova Camerata: Sergio Albach, Valentina Daldegan, Fabiane Nishimori/Shanda Olandovski e Bruno Oliveira. No palco, junto aos músicos, estarão três bailarinos: Raquel Bombieri, Eraldo Kühl e Juan Silva.
“No ano passado realizamos a pré-estreia na Bienal Música Hoje, e estamos de volta com o espetáculo completo, com cenário, iluminação e figurinos. Um concerto em que a dança é parte da música. É uma honra poder apresentar esse trabalho em Curitiba. O ‘Águas do Éden e do Hades’ é um evento para quem gosta de arte em sua expressão máxima”, diz o diretor artístico, Maurício Dottori.

A obra é apoiada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$10,00 (meia) e podem ser adquiridos nas bilheterias de www.diskingressos.com.br. Mais informações: 3315-0808.

Curitiba recebe segunda edição do “Festival do Deizão” no Pátio Favre


O “Festival do Deizão” está de volta. O Pátio Faivre promove a segunda edição do evento nesta sexta-feira (25) e sábado (26), com opções de comidas e bebidas por R$ 10,00. As operações da vila gastronômica, que fica no centro de Curitiba, vão oferecer hambúrgueres, pizzas, fish’n’chips, pastéis, shawarma, massas, sopas e sobremesas a preço fixo de “deizão”. Vai rolar muita cerveja e chope também.
Devido ao grande sucesso da edição passada, que aconteceu em março, o Pátio Faivre optou por estender para dois dias o “Festival do Deizão”, para oferecer ao público curitibano muita comida boa e agito no fim de semana. O evento acontece durante todo o dia, das 11 às 23 horas.
No cardápio do General Chopp ‘n’ Beer, vai ter hambúrguer basic e o clássico, giant fries, além de double de chope pilsen, tudo a deizão. O Paradoja Bar vai oferecer Fish’n Chips e pizza. Na Tom Pastel, vai rolar pastel tamanho médio de carne e queijo acompanhado de refrigerante.
O Delicious Bubble Waffle, oferece o Little bubble de confete, no Pasta La Vista o cardápio conta com sopa de capeletti (frango, carne ou queijo), Mac’n cheese, ou taça de vinho que pode ser branco ou tinto. No King Shawarma, o prato de frango vai ser a opção do “Festival do Deizão” do Pátio Faivre, e na RedFace todos os chopes estarão por R$ 10,00.
Localizado em uma região que até então carecia de boas opções gastronômicas, o Pátio Faivre tem como foco um público descolado, que busca comida de qualidade em um ambiente moderno e aconchegante, com opções para todos os gostos e bolsos.

O Pátio Faivre fica na Rua Doutor Faivre, 229, no Centro de Curitiba. A segunda edição do “Festival do Deizão” será realizada nesta sexta e sábado, das 11 às 23 horas. Mais informações na página oficial do empreendimento no Facebook ou pelo telefone 99121-9070.

Caixa Cultural Curitiba apresenta a mostra “Mundo Giramundo”


A Caixa Cultural traz a Curitiba a mostra “Mundo Giramundo”, uma coleção de peças de conteúdo lúdico e educativo que busca revelar o modo de trabalho e o processo criativo do Giramundo, nacionalmente conhecido por atuar com o universo do teatro de bonecos. O acervo não se limita à exibição convencional de uma coleção de bonecos, o que normalmente enfatiza apenas dimensões estéticas, representadas pela forma escultórica, pela pintura, figurino e acabamento. Muito mais do que isso, a mostra revela as dimensões construtivas, mecânicas e cinéticas das marionetes, que priorizam o movimento e seus mecanismos.
Outro fator distintivo da mostra está na exibição organizada do processo de planejamento e construção de marionetes, suas etapas, ferramentas e abordagens, ou, em outras palavras, aquilo que pode ser qualificado como “acervo imaterial” do Giramundo, representado por seu know-how ligado ao design de bonecos. Nesse campo, destaca-se a rara exibição da coleção de desenhos, estudos e projetos para teatro de marionetes de Álvaro Apocalypse, criador do Giramundo e um dos grandes mestres mundiais desta expressão artística.
A dimensão histórica é representada na mostra por meio de cenas selecionadas dos principais espetáculos do grupo, de 1970 a 2014, com o intuito de compor uma trajetória visual das transformações pelas quais passaram as pesquisas da companhia. Essa dimensão pragmática é ressaltada por meio da apresentação dos espetáculos previstos para o mês de junho (“Pedro e o Lobo” e “A Bela Adormecida”), no Teatro da Caixa Cultural Curitiba e, ainda, através de uma palestra que irá demonstrar o processo de montagem dos espetáculos do Giramundo, também programada para junho. Os espetáculos e a palestra têm o propósito de aproximar o espectador do ofício do marionetista e de sua realidade prática. O principal objetivo da “Mostra Mundo Giramundo” é a formação de plateia e criação de um espaço de reflexão crítica sobre a o teatro de bonecos através de atividades multidisciplinares.
Livre para todos os públicos, a mostra “Mundo Giramundo" fica aberta à visitação até dia 12 de agosto, de terça a sábado, das 10h às 20h; e domingo, das 10h às 19h. Mais informações: (41) 2118-5111.

Dia da Libertação da África será celebrado com música, cultura e gastronomia

O próximo fim de semana será marcado por intensa atividade cultural em homenagem ao Dia da Libertação da África, celebrado em 25 de maio. A comemoração em Curitiba será no sábado (26) e no domingo (27), das 9h às 18h30, no Memorial de Curitiba, com uma feira de música, cultura, gastronomia, artesanato, além de palestras.
Para conhecer mais sobre a contribuição negra na fundação de Curitiba e das cidades centenárias do Paraná, o Memorial terá um estande de livros, com destaque para a obra poética “Oralidades Afroparanaenses: Fragmentos da Presença Negra na História do Paraná”. Escrito por Adegmar da Silva Candiero, assessor de Direitos Humanos e Igualdade Racial de Curitiba, e Melissa S. Reinehr, o livro custa R$ 35,00 e apresenta histórias de comunidades remanescentes de quilombos e comunidades tradicionais negras paranaenses.
Já os estandes brasileiros e africanos, da Nigéria e do Senegal, trarão produtos naturais e artesanais, moda, acessórios, esculturas e delícias culinárias. Os valores das peças variam de R$ 20,00 a R$ 350,00.
Ao longo da programação serão feitas apresentações poéticas e musicais, com destaque para as palestras no sábado e o desfile de moda África no domingo. A atividade é organizada pela Comunidade Nigeriana no Estado do Paraná (Conipa).

A data - O Dia da Libertação da África resgata a importância do continente, celebra sua beleza, riqueza e as contribuições negras na fundação e desenvolvimento de Curitiba e de todas as cidades centenárias do Paraná.
A data marca a luta do povo africano por independência e libertação colonial e a fundação da Organização da Unidade Africana, em 1963, em Addis Abeba, na Etiópia. Participaram daquele momento histórico 32 estados africanos.
Apesar da conquista da independência formal, muitos países africanos não romperam totalmente as relações com as ex-metrópoles e dessa continuidade surgiu o neocolonialismo, um modelo de dominação estrangeira na política e na economia das nações africanas.
Para nós, afrocuritibanos e africanos da capital do Paraná, os desafios vão desde o reconhecimento da existência da nossa população afrodescendente, negada historicamente, desmistificando a falsa ideia de que em Curitiba não existe população negra”, diz Candiero.
Alguns exemplos de contribuição positiva da presença negra no desenvolvimento da capital foram, entre outros, os mestres construtores especialistas em taipa, responsáveis pelas mais antigas edificações da cidade; os africanos detentores das técnicas milenares de prospecção, extração e fundição do ouro, do bronze e do ferro; e a participação dos brilhantes engenheiros negros irmãos Rebouças na qualificação do mate para exportação.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Exposição "Mar de Nuvens" reúne fotos da Serra do Mar Paranaense no Memorial


As principais cadeias montanhosas e paisagens da Serra do Mar Paranaense, onde se localizam os maiores picos do sul do Brasil, são tema da exposição "Mar de Nuvens", do fotógrafo Lucas Pontes, que será aberta nesta terça-feira (22), às 19h, no Memorial de Curitiba.
A exposição vai apresentar ao público uma seleção de imagens do livro "Mar de Nuvens", lançado em dezembro de 2017. A publicação conta com textos de especialistas na área, ilustrações e fotografias do conjunto arquitetônico da Serra do Mar. "O resultado é uma combinação do fotógrafo, que utiliza a técnica e sua sensibilidade de captar imagens, e do geógrafo, que procura entender a gênese e a evolução da paisagem destas cadeias montanhosas", descreve Leonardo J. Cordeiro dos Santos, professor doutor em geomorfologia e solos da UFPR.
"Mar de Nuvens" - em cartaz até dia 22 de julho - é inspirado na experiência pessoal do fotógrafo e montanhista com a serra do mar ao longo de sua vida. E o registro desta bela combinação de paisagens e as frequentes nuvens nestes locais montanhosos criando cenários únicos e surpreendentes a todo instante. O projeto acontece via Programa de Apoio e Incentivo à Cultura/Mecenato Subsidiado da Fundação Cultural de Curitiba.

Sobre o fotógrafo - Lucas Pontes é mineiro, mas vive em Curitiba desde 1989. É geógrafo, mestre em Paisagem e Análise Ambiental pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Na fotografia seus projetos na fotografia abordam principalmente as paisagens, a natureza, o cotidiano e a cultura do homem. Já teve fotos premiadas em concursos nacionais e internacionais. Atualmente é fotógrafo comercial e impressor de suas fotografias.


Cantora Rosie Mankato lança disco "Palomino" no Paiol Musical


O Paiol Musical desta semana terá show e bate-papo de lançamento do disco “Palomino”, álbum autoral da cantora e compositora Rosie Mankato, integrante do grupo Rosie and Me. O show, que acontece na sexta-feira (25) e sábado (26), às 20h, une folk a novas camadas de brasilidade.
No Conservatório de MPB de Curitiba, na quinta-feira (24), às 19h, a compositora comenta sobre a produção autoral e experiências durante o processo de produção do disco “Palomino”. A entrada é gratuita.
As composições e trabalhos de Rosie são todos inéditos. O disco conta com obras atemporais feitas por ela ao longo de cinco anos. Trata-se de um repertório estudado e fundamentado no estudo da artista.
Nas obras, Rosie buscou inspiração em suas origens russas e indígenas para criar uma nova página em sua carreira, mas sem, no entanto, deixar de lado sua brasilidade e experimentalismo.

Paiol Musical - Essa é a quarta apresentação que integra a programação anual do Paiol Musical. O projeto que visa fomentar a produção e divulgar a música curitibana prevê ainda mais 14 espetáculos no espaço. O próximo será nos dias 8 e 9 de junho, com o lançamento do primeiro EP (extended play) do grupo Bananeira Brass Band.

A apresentação de Rosie Mankato no Paiol tem ingressos custando R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia) à venda no www.aloingressos.com.br.

Aline Muniz faz pocket show gratuito e aberto ao público no Shopping Curitiba


Nesta quinta-feira (24), a cantora Aline Muniz, um dos principais nomes da nova geração musical, se apresenta no Conexão Shopping Curitiba, a partir das 18h.
Com sucessos autorais, como “Eu, você e mais ninguém”, interpretações de canções consagradas e versões de sucessos de outros artistas – como “Mensaje de Amor”, uma nova roupagem para a conhecida “Mensagem de amor”, da banda Paralamas do Sucesso –, Aline traz ao público toda sua influência da bossa nova e da música pop.
Quem tiver interesse em participar da sessão de fotos com a artista, haverá distribuição de senhas (limitadas), que devem ser retiradas no dia, a partir das 12h, na recepção do shopping, no piso L3.
O pocket show é gratuito e aberto ao público e acontece no Piso L2. Mais informações no fone 3331-1717 (Rádio Transamérica Light).

Sobre o “Conexão Shopping Curitiba” - Com o objetivo de viabilizar encontros e aproximar artistas de seus fãs da capital paranaense, o “Conexão Shopping Curitiba” é um projeto musical gratuito, resultado de uma parceria entre a Rádio Transamérica Light e o Shopping Curitiba.
As apresentações, os bate-papos e os pocket shows acontecem mensalmente e são transmitidos ao vivo na frequência FM 95.1 e pelas redes sociais da rádio, para todo o todo o país. Já passaram pelo palco os artistas Juca Novaes, Jane Duboc, Sergio Sá, Paulinho Moska, a inglesa Jesuton, Paulo Ricardo, Kiko Zambianchi, Luiza Possi, Jorge Vercillo e Ana Vilela.
Outras informações: 3026-1000 ou www.shoppingcuritiba.com.br.

Teatro de Pirandello e cinema de Pasolini abrem segunda semana do Mia Cara Curitiba


A segunda semana do festival de cultura italiana Mia Cara Curitiba começa neste meio de semana com destaque para o teatro de Pirandello e o cinema de Pasolini. Quarta e quinta-feiras será apresenta no Guairinha o espetáculo “Três Vezes Pirandello – Tragédia, Drama, Comédia”, homenageando o grande dramaturgo italiano Luigi Pirandello. Com direção de Roberto Innocente, a montagem do grupo Arte da Comédia faz um apanhado da carreira de Pirandello. Nos dois dias, a encenação acontece às 20h.
Na quinta, começa a Mostra “O Cinema Segundo Pasolini”, com filmes do diretor italiano Pier Paolo Pasolini. A Cinemateca terá quatro dias de exibições até o domingo, com produções selecionadas pelo curador Antonio Cava. Na abertura, haverá um bate-papo sobre o diretor com o crítico de cinema Paulo Camargo e o produtor Fernando Brito (DVD Versátil).
A programação completa na Cinemateca é a seguinte:
Quinta (24) – “O Evangelho Segundo São Mateus” (19h30);
Sexta (25) – “Accatone, Desajuste Social” (18h) e “Mamma Roma” (20h);
Sábado (26) – “Mamma Roma” (18h) e “Accatone, Desajuste Social” (20h);
Domingo (27) – “RoGoPag, Relações Humanas” (18h) e “O Evangelho Segundo São Mateus” (20h).
Pier Paolo Pasolini (1922-1975) foi um dos maiores nomes do cinema italiano. Sua obra une inquietação, poesia narrativa e polêmica muito particulares, retratando temas como política, religião e as estruturas sociais e familiares. Entre livros, poemas, ensaios e peças de teatro, realizou dezenas de filmes e marcou a sétima arte com sua produção.

O teatro de Pirandello - Luigi Pirandello foi um grande dramaturgo siciliano do fim do século XIX e início do XX, ganhou o Nobel de Literatura em 1934, dois anos antes de sua morte. Estudou Filosofia na Alemanha antes de se radicar em Roma. Deu origem ao termo “meateatro” ao retratar em suas peças a própria criação teatral e discutir seu desenvolvimento.
O grupo Arte da Comédia – Art Brazilian Comedy nasceu do encontro do diretor italiano Roberto Innocente, radicado em Curitiba, com atores e atrizes paranaenses em 2006. Seguindo a tradição da Commedia dell’Arte, gênero originado na Itália, busca pesquisar as “máscaras” brasileiras, que poderiam representar o povo. Produziram 14 espetáculos, quatro óperas líricas e uma intervenção urbana.

Sobre o Mia Cara - A realização é da Embaixada da Itália no Brasil e do Consulado Geral da Itália em Curitiba, com produção de Lucia Casillo Malucelli, diretora do Solar do Rosário, espaço particular de Arte e Cultura. O projeto foi viabilizado via Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, com patrocínio das empresas GME e Havan. Mais informações: www.miacara.com.br.

Caixa Cultural traz a Curitiba a arte de Maurício Einhorn


A Caixa Cultural traz a Curitiba - no final da semana - Maurício Einhorn, um dos grandes músicos do Brasil. Considerado um completo melodista, improvisador e compositor, o artista é respeitado nos EUA e na Europa e considerado um dos mais virtuosos instrumentistas de harmônica de boca. Mauricio Einhorn ganhou sua primeira gaita aos 5 anos de idade e, aos 10, já se apresentava em programas de rádio. Iniciou-se no jazz na década de 1950 e participou intensamente do movimento musical que fez surgir a bossa nova. Várias de suas composições, tais como “Estamos aí”, “Sambop”, “Batida diferente”, “Tristeza de nós dois”, “Clouds - Nuvens” e “Alvorada”, tornaram-se clássicos da música popular brasileira.
Além de produzir belíssimas composições, Maurício Einhorn também participa de um grande número de gravações de praticamente todos os intérpretes da MPB, tais como Elis Regina, Elizeth Cardoso, Zizi Possi, Maria Bethânia, Gal Costa, Maísa, Elba Ramalho, Nara Leão, Sarah Vaughan, Tim Maia, Ivan Lins, Lúcio Alves, Eumir Deodato, João Donato e muitos outros. Foi gravado por incontáveis artistas brasileiros e também artistas de mais de 30 países, por intérpretes como Jean Toots Thielemans e Paquito D’Rivera. Da mesma forma, suas apresentações nas principais cidades do mundo fizeram dele um músico conhecido internacionalmente. Participou de concertos como Montreaux/SP – Festival Internacional de Jazz, NorthSea Jazz Festival (Holanda) e Montreaux Jazz Festival (Suíça).
Nas apresentações na Caixa Cultural Curitiba, Maurício Einhorn será acompanhado por Alfredo Chimelli, ao piano, Luiz Alves, no baixo, e João Cortez, na bateria.

Livres para todas as idades, as apresentações de Maurício Einhorn acontecem sexta e sábado, às 20h; e domingo às 19h. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia, conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito Caixa). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura. Mais informações: 2118-5111.

Mateus Solano e Miguel Thiré apresentam a peça “Selfie” no Teatro Guaíra


“Selfie”, em inglês, é um neologismo que significa “autorretrato”, e dá nome às fotos clicadas por aparelho celular e compartilhadas na internet. Em 2013, o verbete “selfie” foi eleito a palavra do ano, segundo o blog da Oxford University Press, ligado à universidade inglesa de mesmo nome. Esta escolha foi motivada pela constatação de que este verbete cresceu 1.7000% em 2013, o que confirma o seu status de uma das palavras mais procuradas em um ano.
O fenômeno estimulou e inquietou o produtor Carlos Grun, que se uniu aos atores Mateus Solano e Miguel Thiré, parceiros artísticos de longa data, para refletir – e rir de tudo isso concebendo a criação teatral da comédia Selfie, que chega a Curitiba no sábado (26) para apresentação única, às 21h, no Guairão  com o patrocínio do Grupo Bradesco Seguros e realização da Bem Legal Produções. Para dar forma ao desejo do trio, o ator, autor e diretor Marcos Caruso foi convidado para dirigir a comédia, cujo texto foi criado por Daniela Ocampo.
O espetáculo fala da febre contemporânea da autoexposição e da necessidade de estar online acompanhando tudo e todos. Desde que estreou, em outubro de 2014, a comédia já teve mais de 250 apresentações e 250 mil espectadores em três anos de sucesso no Brasil, Estados Unidos e Portugal.

Indicada para maiores de 12 anos, a peça “Selfie” tem ingressos que variam de R$ 56,00 (meia) a R$ 126,00 (inteira) de acordo com o setor do teatro. A taxa administrativa de R$ 6,00 está incluída no valor. Mais informações: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

Grupo Sashas apresenta espetáculo de dança “A Caixa” no Sesc da Esquina


O projeto Terças das Danças Urbanas apresenta nesta terça-feira (22), às 20h, no Teatro Sesc da Esquina o espetáculo “A Caixa”, com o grupo de dança curitibano Sashas. O espetáculo tem direção e coreografia do curitibano Jonatas Cardoso e co-direção do coreógrafo Gandhi Tabosa, de Manaus, em uma parceria promovida pelo o Festival Internacional de Hip Hop (FIH2).
O espetáculo traz inquietações e reflexões que percorrem a existência humana, de maneira filosófica leva para o universo artístico e questiona sobre a teoria da caixa e todos os seus seis lados. Que caixa nós fazemos parte na sociedade? A que caixa pertence o seu sexo? Você pensa fora dessa caixa? “A Caixa” não só vai fazer você pensar, vai fazer você levar essa dúvida ao próximo e cada vez mais desconstruir essa caixa que permeia nossa sociedade. A apresentação é dividida em cinco partes: O Chão (a caverna), Fundo (O passado), Lado A Lado B (Oposição), O Teto (A pergunta) e A Frente (A resposta).
O projeto Terças das Danças é um “esquenta” para o Festival Internacional de Hip Hop (FIH2), que acontecerá de 6 a 8 de julho, no Teatro Positivo.
O FIH2 é maior festival de danças urbanas da América Latina. Além de uma mostra de dança, o festival reúne palestras, exposições e workshops, aliados a uma proposta única de envolver temas como Economia Criativa e Empreendedorismo, que são amplamente debatidos durante o evento na Cidade da Dança. A expectativa é reunir 5 mil bailarinos.
O evento foi criado para reunir dançarinos, professores, coreógrafos e produtores de danças urbanas e promover a dança como profissão. O FIH2 é um grande ponto de convergência de artistas, empresários e apreciadores das danças urbanas. O festival não é só uma vitrine, mas também um espaço de posicionamento e projeção de artistas e ideias em torno de uma forma de arte que vem cativando mais e mais adeptos, explica Nassur. A programação completa do evento, assim como inscrições para os Super Workshops e outras atividades da Cidade da Dança, está disponível no site www.fih2.com.br.

Sobre o Sashas - O grupo Sashas nasceu em 2014, com quatro integrantes. A fórmula criada teve grande repercussão dentro e fora do Brasil. A primeira audição para ampliar a equipe foi realizada em cinco estados diferentes. Hoje, são mais de setenta bailarinos de todo o país que entregam energia, técnica e presença de palco para todas as produções que participam. E o resultado não poderia ser outro: um potencial performático que cabe nos palcos, nas baladas, nos clubes, em festas.

O Teatro Sesc da Esquina está situado na rua Visconde do Rio Branco, 969 e os ingressos para o espetáculo “A Caixa” custam R$ 40,00 e R$ 20,00 (meia). Mais informações em https://www.eventbrite.com.br.

Camerata participa de concerto beneficente ao lado do pianista Pablo Rossi


Em comemoração aos 60 anos da Associação Santa Rita de Cássia, a Camerata Antiqua de Curitiba se apresenta nesta terça-feira (22), às 20h, no Teatro Guaíra. O grupo é um dos convidados para o concerto com o pianista Pablo Rossi, e celebra o aniversário da Associação ao lado do Studio D, Ensamble Promenade, Olga Kiun, Giovana Coradin, Erickson de Oliveira, Estefan Iatcekiw e Grande Coral. A entrada é gratuita.
Com a regência de Mara Campos, a Camerata Antiqua tem uma apresentação de destaque na programação. Serão executadas composições de Heitor Villa-Lobos (1887-1959), como “Bachiana Brasileira”, “Trenzinho do Caipira” e “Melodia Sentimental” e obras de compositores clássicos como Johann Sebastian Bach (1685-1750) e Georg Friedrich Händel (1685-1759).
O pianista que irá acompanhar a Camerata nasceu em Florianópolis. Pablo foi o mais jovem a vencer o concurso Nelson Freire e o mais jovem solista a tocar a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp). Ele estudou no Conservatório Tchaikovski em Moscou durante seis anos, onde foi aluno de uma das professoras mais importantes da Rússia, Elisso Virsaladze.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Pianista vencedor do Grammy Award dá aula no Conservatório de MPB


Vencedor do Grammy Award e do Latin Grammy, o pianista Fábio Torres chega a Curitiba para ministrar o curso “O Jazz e os Ritmos Brasileiros”. Métodos de aprimoramento técnico e estético serão apresentados a partir do estilo jazz. O workshop que acontece no Conservatório de MPB, no dia 24 de maio, conta com duas horas de duração e 20 vagas. As inscrições estão abertas através do e-mail conservatoriodempb@gmail.com e custam R$ 50,00.
Entre os conteúdos apresentados estão a improvisação brasileira: como encontrar seus próprios caminhos; a carreira musical, que músico você quer ser? e métodos eficientes de estudo: como tocar melhor amanhã do que hoje.
O curso não é apenas para pianistas, é indicado a todos os instrumentos e a todos os níveis. Os músicos mais avançados serão convidados a tocar e interagir com o pianista. Os alunos com nível mais básico participam como ouvintes.

Biografia - Fabio Torres começou a estudar piano aos cinco anos e não parou até hoje. Sua música passa pelas horas dedicadas às partituras de Bach, Chopin e Ravel, mas também pela audição apaixonada dos mestres do jazz, como Coltrane e Miles Davis. Porém, seu estilo se fixou na música popular.
Com pouco mais de 20 anos já havia gravado e tocado com Paulo Moura, Heraldo do Monte, Arismar do Espírito Santo e Dominguinhos. Atualmente, Fabio integra o Trio Corrente, um dos mais reconhecidos grupos de jazz brasileiro da atualidade, ao lado dos parceiros Paulo Paulelli (contrabaixo) e Edu Ribeiro (bateria). Juntos os três músicos criaram uma maneira única de interpretar os standarts brasileiros e venceram o Grammy Award e o Latin Grammy em 2014 na Categoria Melhor Álbum de Latin Jazz, com o CD “Song for Maura”, uma parceria com o clarinetista cubano Paquito D’Rivera. Fabio também integra o grupo da cantora Rosa Passos e do trombonista Raul de Souza.

Comédia "Boca Maldita" resgata personagens lendários da capital paranaense


Se você quer conhecer mais Curitiba, não pode perder a peça “Boca Maldita”, que está em cartaz até 16 de Junho, no Teatro Lala Schneider, com apresentações às sextas-feiras e sábados, 21h. Com direção de João Luiz Fiani, a peça - livre para todas as idades - apresenta no palco personagens lendários de um dos lugares mais icônicos da capital paranaense.
O espetáculo é uma grande comédia musical sobre Curitiba e resgata a história por meio de personagens icônicos que representam o desenvolvimento econômico e cultural da cidade. A travesti Gilda, o italiano Chico Bosta, que enriqueceu limpando as fossas da cidade, e as Marias Sete Bundas e Maria Pelanca são alguns desses personagens. O elenco conta com Fábio Silvestre, Ranieri Gonzalez, Jefferson Franco, Ana Flávia Corrêa, Letícia Camargo, Rogério Bozza, Fernanda Bahl, Ingrid Bozza, Marcyo Luz e Celso Loch.
Quando resolvi escrever esse texto, fui impulsionado pela vontade de falar da cidade que escolhi para viver e que tão bem me escolheu. E nada melhor do que falar das pessoas que fazem a cidade. Nada melhor do que falar desses tipos inesquecíveis que por lá passaram e passam”, explica Fiani, que, além de ser figura conhecida da cena teatral paranaense, é o atual secretário de Estado da Cultura do Paraná.
Irreverente e cheia de humor, a peça é uma viagem no tempo, que permite ao público conhecer um pouco mais da história de Curitiba, com passagens por um dos locais mais icônicos e ponto turístico obrigatório no roteiro daqueles que visitam a cidade, a Boca Maldita.
A peça é mais uma das atrações do Circuito Cultural Ademilar, que integra uma série de manifestações culturais que estão levando, além de teatro, música, cinema, literatura, dança e artes visuais para todas as regiões da cidade, em um calendário viabilizado pela Lei do Mecenato Municipal.

A Boca Maldita - O trecho entre a Rua Ébano Pereira e a Praça Osório, a Avenida Luiz Xavier – popularmente conhecida como Boca Maldita –, é considerada por alguns a menor avenida do mundo, com seus 145 metros de comprimento. Mas a chancela não consta no Guinness World Records, organização responsável pelo registro dos recordes mundiais, e apesar da fama, é mais um mito dessa rua que guarda muitas histórias de Curitiba.
Tradicional ponto de encontro de intelectuais e políticos paranaenses, a Boca Maldita foi um importante reduto cultural da cidade e também palco de protestos, como em 1984, onde foi um dos principais cenários do movimento Diretas Já, com manifestações que somaram mais de 50 mil pessoas.

O Teatro Lala Schneider está situado na Rua 13 de Maio, 629, São Francisco e os ingressos para “Boca Maldita” custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia). O espetáculo é livre para todas as idades.