quarta-feira, 31 de julho de 2013

bela música

João Bosco, "Aura de Glória"

Banda Ferryboat agita o Teatro do Paiol com o rock de Luiz Ferreira

Nesta sexta-feira (2), às 20h, o Teatro do Paiol recebe a banda curitibana Ferryboat, que apresenta o CD “10 Dias na Praia”, trabalho solo do guitarrista Luiz Ferreira, principal compositor da banda Beijo AA Força, sucesso dos anos 80. O grupo completa-se com Alberto “Kiko” Lins (bateria) e Ângelo Stroparo (baixo). Luiz Ferreira e Alberto Lins também são colegas na banda etnopunk acústica Maxixe Machine.
Luiz Ferreira conta que o CD sai pelo seu selo próprio, o Stereo Toaster, sem nenhum tipo de apoio, e vem em uma latinha charmosa, com um material gráfico composto de fotos tiradas pela sua mulher, Lilian Klimpovuz. O trabalho foi gravado no balneário de Corais, entre Monções e Gaivotas, no litoral paranaense, e reúne canções que Luiz Ferreira não conseguiu registrar em outras gravações de bandas nas quais tocou. O disco conta com a participação do baterista Rolando Castello Júnior, da lendária banda paulistana Patrulha do Espaço, e do baixista Alberto Lins, do grupo curitibano Opinião Pública.
Ainda sobre o CD “10 Dias na Praia”, Luiz Ferreira revela que descobriu a necessidade de gravá-lo quando escutava os CDs confessionais de Caio Marques, somado à experiência que obteve com a Grande Garagem Que Grava, quando gravou mais de 40 CDs ao vivo.  “Decidi que já era hora de fazer meu próprio CD, dar vazão à criatividade, testar meus limites e minhas canções mais pops e meus blues sincopados”, diz o artista.
No trabalho prevalecem as influências musicais de Luiz Ferreira, como The Clash, Pixies, Jimmy Hendrix e Percy Mayfield, além de Beijo AA Força, Maxixe Machine, Blindagem, Paulo Leminski, João Lopes - em suas baladas entoadas nas Ruínas de São Francisco, nos idos de 1970 -, Waltel Branco, que escreveu partituras para Luiz Ferreira aprimorar a técnica ao violão, os irmãos Giovanni e Emerson Caruso, entre outros. “Eu admito as influências, pois sou um compositor de referências, procuro reinventar o que já está por aí, afinal, como já disse o Leminski, ‘tudo já foi dito’, então, tocado, cantado e solado. Só quero tocar, cantar e solar do meu jeito”, destaca Luiz Ferreira.


Os ingressos para o show da banda curitibana Ferryboat custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia). O espetáculo é indicado para maiores de 16 anos. Contato com a banda: ferryboat@ig.com.br

Caixa Cultural Curitiba apresenta Da Vinci em peça infantil

A Caixa Cultural Curitiba apresenta, nos dias 3 e 4 de agosto, a estreia curitibana da peça infantil “Leonardo - O pequeno gênio Da Vinci”, escrito e dirigido por Ivan Fernandes. Leonardo é interpretado pelo ator Paulo Mathias Jr. Flávia Lopes, Lola Nascimento Borges, Marcelo Dias dos Santos, Claudio Amado, Fábio Felix e Miguel Gama completam o elenco que dá vida a personagens, animais e paisagens, com apoio de máscaras e bonecos.
A peça conquistou quatro categorias do prêmio carioca Zilka Sallaberry, sendo melhor ator para Paulo Mathias Jr., melhor texto, melhor direção e melhor espetáculo infantil do ano de 2011. A montagem conta a história de um garoto chamado Leonardo, morador do pequeno e atrasado vilarejo de Vinci, fascinado pelos pássaros e pela possibilidade de construir uma máquina de voar. Longe de ser uma biografia, a peça revela um Leonardo jovem e sonhador, com olhar atento à vida e às descobertas do mundo. O espetáculo recorre à licença poética para contar a história do garoto, com o uso de máscaras, bonecos e sonoplastia. “As máscaras foram usadas na preparação dos atores, durantes os ensaios e no espetáculo são usadas pelo coro que se desdobra em diversos personagens maiores. Os bonecos foram usados para dar vida aos animais como pássaros, cachorro, burro, borboletas, todos interagindo com o menino Leonardo”, explica o diretor Ivan Fernandes.
O palco nu se transforma no vilarejo renascentista com um painel que vira fundo para projeções e sombras que lembram os velhos desenhos no caderno de Leonardo, instigando a imaginação e investindo na formação de uma sensibilidade poética na criança. Criada especialmente para a peça, a trilha sonora de Samanta Renó remete ao univer¬so musical renascentista e sublinha os climas dramáticos e cômicos, simbolizando tam¬bém a passagem do tempo. “Leonardo - O pequeno gênio Da Vinci” desenvolve a imaginação das crianças e maneiras novas para buscarem conhecimento.

As apresentações de “Leonardo - O pequeno gênio Da Vinci” acontecem no  sábado (3), às 15h30 e às 18h e no domingo (4), às 15h30. Os ingressos custam R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia e correntistas Caixa).


Mostra na Cinemateca faz um retrato da sociedade portuguesa atual

A Cinemateca de Curitiba apresenta, de 1º a 4 de agosto, a Mostra de Documentários Portugueses de Neni Glock. Serão exibidos quatro documentários em vídeo sobre grupos que formam uma pequena parcela da sociedade portuguesa. São hippies, rastas, crentes e peregrinos, com seus estilos de vida, filosofias, crenças, maneiras de pensar e agir.
Neni Glock é fotógrafo e documentarista nascido em Curitiba. Viveu em Lisboa por 21 anos e está de volta ao Brasil. Em Portugal atuou como fotógrafo free-lancer para diversas publicações editoriais e realizou programas para a televisão. Produziu documentários para a televisão portuguesa RTP2, tendo também participado de alguns festivais do gênero em Portugal, Espanha e Brasil, onde recebeu premiações.

Confira a programação da mostra:

1º de agosto
A FÉ DE CADA UM (2003 – DVD)
A imagem de Nossa Senhora de Fátima, a padroeira de Portugal, é o estopim de uma polêmica gerada por um padre católico contestador e crítico do culto à Fátima e ao seu santuário, ao qual denomina de “campo de concentração da dor”. Entretanto, milhares de fiéis atravessam o país a pé para agradecer seus milagres. Solitariamente, por vias paralelas às estradas, caminha o “pagador de promessas”. Por uma quantia previamente combinada, ele paga as promessas de quem já não as pode pagar.
Prêmio Especial do Júri – Jornada Internacional de Cinema da Bahia – 2005
Panorama – Lisboa – 2005

2 de agosto
RASTAS (2002 – DVD)
Como vive uma família muito especial, os One Love Family. Dos 7 aos 46 anos, formam uma animada banda de reggae. Todos tocam, todos cantam.
Vivem em contacto direto com a natureza, nas montanhas perto de Coimbra, relativamente afastados da sociedade de consumo que eles denominam, por idealismo, de “Babilônia”.
Menção honrosa na Jornada Internacional de Cinema da Bahia – 2004; Dias do documentário – Cinema King – Lisboa – 2004; Panorama – Mostra de documentários – Lisboa – 2005; Encontros Lusófonos – Países de língua portuguesa – 2005; Festival del Cine Africano – Tarifa/Espanha – 2007; Cabo Verde (em praça pública) – 2008

3 de agosto
TRANSMONTANOS (2011 – DVD)
Aldeias em processo de desertificação humana em Trás-os-Montes no Portugal profundo.
Cubas – O dia a dia sempre igual na lida com a criação, única companhia de um casal que permanece onde já não há mais ninguém.
Cerdedo – Fronteira com Espanha. De seus 300 moradores restam pouco mais de uma dezena, entretanto duas crianças recém chegadas são uma lufada de ar fresco e a esperança de continuidade.
Produzido para a RTP2

4 de agosto
HAMBURG – ALENTEJO (2012 – DVD).
O incidente atômico em Chernobil, na Ucrânia em 1983, além das vítimas mortais, mudou a vida de diversas pessoas também em países vizinhos, como a Alemanha. Muitos foram os que abandonaram suas terras em busca de novos ares. No sul de Portugal, no Alentejo, formou-se uma pequena comunidade de alemães hippies que ali se estabeleceram e criaram seus filhos.
Produzido para a televisão portuguesa, RTP2


Os filmes da Mostra de Documentários Portugueses de Neni Glock serão exibidos na Cinemateca de Curitiba (rua Carlos Cavalcanti, 1174) sempre às 20h, com entrada franca. Os filmes são indicados para maiores de 12 anos.

Museu Oscar Niemeyer tem horário estendido e programação especial nesta quinta-feira

O Museu Oscar Niemeyer (MON) realiza neste dia 1º de agosto, o "Quinta Mais MON", primeira quinta-feira do mês em que o horário é estendido até as 20 horas e depois das 18 horas a entrada é gratuita. Haverá visita guiada, abertura de exposição e apresentação musical.
Às 18 horas ocorre uma visita mediada seguida de demonstração sobre as técnicas de gravura com a artista Uiara Bartira na mostra “A Magia de Escher” – prorrogada até dia 25 de agosto. Às 19 horas, no Olho, acontece a abertura da exposição ZERO, que traz – pela primeira vez no Brasil -  obras de 24 de artistas da Europa e da América do Sul que revelam os modernos modos de pensamento e de trabalho do ZERO, movimento de vanguarda que no período pós-guerra (final da década de 1950) revolucionou a arte com pinturas seriais e vibrantes estruturas luminosas.
A partir das 20h30 haverá a edição de agosto do projeto + MON + Música, no auditório Poty Lazzarotto, com a participação dos músicos Jeff Sabbag (piano), Evangivaldo Santos (baixo), Cristian Julian (baixo), Ruan de Castro (guitarra), e Thiago Nunes (bateria). A apresentação “A alma do Groove Brasileiro” recebe ainda os convidados Kátia Drumond e Ricardo Verocai, a cantora Michele Mara e a rapper Karol Conka, e o DJ Nave, e dá destaque à história do groove brasileiro, estilo musical que surgiu na década de 1960 e mistura samba com a música negra norte-americana.No repertório, músicas de artistas locais e nacionais. A mediação é de Maurício Cruz e Rodrigo Fornos. O ingresso, já disponível na bilheteria, pode ser trocado por um agasalho, cobertor ou 1 kg de alimento não-perecível até 1º de agosto, quinta-feira, na bilheteria do MON, das 10h às 18h. Cada item trocado dá direito a uma entrada, com o limite de dois ingressos por pessoa, válidos até as 20h30, horário do início do espetáculo. As doações serão entregues ao Provopar (Programa do Voluntariado Paranaense).
Além da programação especial, o público poderá conferir as exposições em cartaz no MON, entre elas: “Acervo MON - Aquisições 2011/ 2013”, “Gravuras de Jacek Sroka – Observador Diurno, Observador Noturno”, “Anders Als Immer - algo diferente. Design Contemporâneo e o Poder das Convenções”, “Violeta Franco - A Garaginha e a arte moderna no Paraná”, “PR/BR”, “Museu em Construção” e “Cones”. A loja e o café do MON também ficam abertos até as 20 horas neste dia.

Mais informações: (41) 3350- 4400 ou

Espetáculo mistura dança contemporânea e cultura indígena

O espetáculo de dança "Corpo Ancestral" estreia nesta quinta-feira (1º) e cumpre uma temporada de 12 apresentações no Teatro Cleon Jacques - Centro de Criatividade de Curitiba.  Idealizado pela dançarina e psicóloga Silvia Wy‘a Poty e pelo ator e antropólogo Maikon K, com direção de Cândida Monte, o espetáculo tem como proposta estabelecer o diálogo entre xamanismo, psicologia e dança contemporânea, fazendo com que a dança seja utilizada como forma de integrar mente, corpo e natureza.
O xamanismo é um conjunto de práticas corporais antigas, originárias de tradições indígenas, que visam alinhar o ser humano com a natureza. O espetáculo é estruturado como um “rito de passagem”, uma jornada xamânica, que artistas e público devem atravessar juntos (o público caminha por diferentes ambientes, a encenação acontece ao seu redor, ao seu lado, na disposição de um círculo e até partindo do espectador).
O diálogo com a tradição guarani busca revelar como essa cultura ancestral já detinha conhecimentos sobre o corpo que convergem com os resultados de pesquisas científicas modernas, como a física quântica. O espetáculo propõe uma experiência de integração. O público transita por um cenário-instalação, sendo envolvido por estímulos sensoriais referentes à visão de mundo guarani. Os artistas se revezam nas funções de atuadores e orientadores, ora encenando ora guiando o público através de movimento, respiração e música, dentro de uma estrutura cênica que contrapõe ancestralidade/contemporaneidade, primitivo/tecnológico, performance/ritual.
Com essa pesquisa buscamos as origens do movimento autêntico. O corpo ancestral que pesquisamos é um corpo que busca se conhecer pelo movimento e em conexão com a natureza, expressando suas potencialidades por meio da arte e na vida diária, resgatando em conhecimentos antigos as chaves para seu equilíbrio no presente. Acreditamos que, quanto mais conscientes de nossas origens e de nossas capacidades como seres humanos, mais podemos desenvolver potenciais latentes em nós e atuar com relevância em sociedade”, explicam os idealizadores do projeto.

Os artistas - Silvia Wy’a Poty desenvolve há mais de uma década um trabalho focado na investigação e na prática artística e terapêutica baseada na conexão corpo/mente e suas associações com ecologia, psicologia, arte, ciência e aprimoramento pessoal. O nome artístico Wy'a Poty - recebido em cerimônia indígena brasileira - traduz a outra face de sua pesquisa, integrando a conexão corpo/dança à cultura e tradições ancestrais. Resultados concretos têm sido transmitidos e difundidos no país e no exterior por meio de oficinas, palestras, atendimentos e espetáculos de dança, sempre associados ao trabalho arte-terapêutico de psicologia corporal.
Antropólogo formado pela Universidade Federal do Paraná, Maikon K se interessa pela pesquisa e o estudo das fronteiras entre teatro e performance, teatro e dança, e o sagrado na arte. Em seus trabalhos constrói a encenação a partir da pesquisa corporal, criando também os textos e as composições sonoras e musicais de cada espetáculo. Em 2012, foi contemplado com o Prêmio Klauss Vianna de Dança, da Funarte, pelo projeto DNA de DAN, com estreia prevista para este segundo semestre de 2013.


As apresentações de “Corpo Ancestral”, acontecem de 1º a 18 de agosto, de quinta-feira a sábado, às 20h, e aos domingos, às 19h. A entrada franca e é indicado para maiores de 18 anos.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Leo Fressato invade o palco do TUC com solo cênico

O inquieto e talentoso artista Leo Fressato, que trabalha como diretor teatral, ator, cantor, compositor e humorista, leva ao TUC - Teatro Universitário de Curitiba a performance “Solstício - um espetáculo sobre corações congelados”, resultado de uma pesquisa que une dança e teatro, tendo o figurino como germinador da ação. A estreia acontece nesta quinta-feira (1º), às 20h, e as apresentações prosseguem até o dia 10 de agosto, de quinta-feira a sábado, sempre às 20h.
Nascido em Brasília, em 14 de outubro de 1986, Leo Fressato veio para Curitiba no ano seguinte e é compositor desde os 14 anos de idade. Formado em Direção Teatral pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP), com especialização em Comunicação Audiovisual pela PUC–PR, já atuou em hospitais com o projeto Trupe da Saúde, em 2007, além de dirigir e escrever o espetáculo A Menina e o Outono.
Entre suas realizações constam vários materiais audiovisuais, a autoria da trilha original para o espetáculo As ruas de Bagdá ou Aranha Marrom não Usa Roberto Carlos, da ACRUEL Companhia, paralelamente a participações nas montagens Solução Para Todos os Problemas do Mundo e Sobre Amores e Partidas. O nome de Leo Fressato ganhou projeção nacional em 2011, como compositor de Oração, música que se tornou sucesso com A Banda Mais Bonita da Cidade.
O solo “Solstício - um espetáculo sobre corações congelados”, criado e apresentado por Leo Fressato, tem o apoio da Cia. Senhas de Teatro e a colaboração criativa de Daniel Valenzuela, Mataveri Cultural Vídeos, Samira Chami e Fábia Regina, que também responde pela iluminação. 

O TUC - Teatro Universitário de Curitiba está situado na Galeria Júlio Moreira, Largo da Ordem. Os ingressos custam R$ 16,00 e R$ 8,00 (meia-entrada), e “Solstício” é um espetáculo indicado para maiores de 16 anos.

Garrafa com manuscritos de Turin será aberta na quinta-feira

Nesta quinta-feira (1º), às 9h, no Atelier João Turin, representantes da Fundação Cultural de Curitiba, o gestor do projeto de restauração das obras de Turin, Maurício Appel e o proprietário do acervo do artista, Samuel Ferrari Lago, revelarão o conteúdo dos manuscritos colocados na garrafa encontrada na semana passada sob a estátua de Tiradentes, no Centro de Curitiba.
A descoberta do artefato aconteceu logo após a estátua, esculpida pelo paranaense João Turin e instalada no local em 1927, ser removida do pedestal, na Praça Tiradentes. O fato surpreendeu os presentes e tem gerado grande curiosidade entre os curitibanos.
A ansiedade é para conhecer o conteúdo deste texto que será aberto com todos os cuidados que a situação requer”, disse o presidente da FCC, Marcos Cordiolli.
A estátua deve retornar à Praça Tiradentes em 60 dias. Após a retirada do pedestal, na noite de quinta-feira, o monumento foi transportado para o Atelier João Turin, onde será feita a restauração pelo escultor Elvo Benito Damo.

Segundo a coordenadora de Acervos da FCC, Denise Zanini, responsável pela logística e por acompanhar os trabalhos do ateliê em nome do município, os trabalhos de restauração e confecção de moldes fazem parte de um projeto iniciado há cerca de dois anos, depois que os direitos sobre o acervo do escultor foram comprados pelo colecionador curitibano Samuel Ferrari Lago. Foi realizado um levantamento do acervo e, após negociações entre a família Lago, o poder público e descendentes de Turin, foram iniciados os trabalhos, no Atelier João Turin.

Personagem Artemis Fowl saltará dos livros para as telas

(Reuters) - Artemis Fowl, um gênio do crime milionário de apenas 12 anos que faz sucesso em uma série literária juvenil, vai virar personagem de cinema, disseram as produtoras Walt Disney Studios e Weinstein Company.
O filme abrangerá os dois primeiros livros da série e será adaptado por Michael Goldenberg, roteirista de "Harry Potter e a Ordem da Fênix". A filmagem ainda não começou, e a data de lançamento não foi anunciada.
Os oito volumes com o personagem Artemis Fowl, de autoria do irlandês Eoin Colfer, foram publicados entre 2001 e 2012 e venderam mais de 21 milhões de exemplares no mundo todo.
A produção marca uma retomada na parceria entre a Disney e os fundadores da Weinstein Company, os irmãos Harvey e Bob Weinstein. Eles também foram os criadores da produtora Miramax, que pertenceu à Disney até 2010.
Os irmãos deixaram a Miramax em 2005, por causa de desentendimentos com a Disney, e então fundaram a Weinstein Company, conhecida por suas produções baratas e aclamadas pela crítica, como "O Discurso do Rei".

"Se vocês me dissessem há cinco anos que eu estaria produzindo um projeto com a Disney, eu diria que vocês são loucos", disse Harvey Weinstein em nota.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Museu Oscar Niemeyer inaugura exposição inédita no Brasil

O Museu Oscar Niemeyer abre nesta quinta-feira (1º), 19h, no Olho, a exposição “ZERO”, que traz pela primeira vez ao Brasil uma visão geral, com enfoque temático, dessa vanguarda internacional que no período pós-guerra - final da década de 1950 e início da década de 1960 - revolucionou a arte com pinturas seriais e vibrantes estruturas luminosas. A entrada será gratuita.
São 24 obras de artistas da Europa e da América do Sul que revelam os modernos modos de pensamento e de trabalho da ZERO. O enfoque se dá nas relações entre artistas europeus, como Yves Klein, Günther Uecker, Otto Piene e Hans Haacke, e sul-americanos, como Lucio Fontana, Almir Mavignier e Jesús Rafael Soto.
O diálogo artístico da exposição “ZERO” é ampliado ainda com as obras de Hércules Barsotti, Lygia Clark e Abraham Palatnik (todos do Brasil), Gego (Venezuela) e Gyula Kosice (Argentina). “A exposição reflete a mútua tomada de influências de artistas de ambos os continentes e amplia esse diálogo em torno de abordagens sul-americanas selecionadas que se aproximam formalmente do grupo ZERO”, aponta a curadora Heike van den Valentyn.

O GRUPO - Nos anos 50, um grupo de artistas alemães tentou criar um novo conceito artístico, ao proclamar o nascimento da arte do pós-guerra no país europeu. Em praticamente uma década, o grupo se transformou em um dos mais conceituados movimentos de vanguarda do século 20. Otto Piene, Heinz Mack e Günther Uecker foram os nomes que marcaram o início desta nova vanguarda.
ZERO designou um novo começo em termos históricos e artísticos por ter deixado princípios da arte para trás. Em 1950, na sequência de experiências opressivas da guerra e em distinção do expressionismo abstrato europeu de pintura gestual, o informalismo, ZERO elaborou conscientemente uma linguagem monocromática pictórica repleta de luz.
Desde o início, o grupo ZERO foi concebido como rede internacional. A superação de fronteiras, tanto nacionais quanto artísticas, teve importância central em uma Europa marcada pela guerra.

ESPAÇOS DE LUZ - Históricos espaços centrais de luz estão sendo reinstalados especialmente para a exposição no MON - ambientes de luz e espelhos formam as linhas mestras da exposição nos quais os espaços temáticos são ligados como capítulos individuais: o branco como cor da luz; a ideia de purificação de Yves Klein, que se manifesta em objetos azuis; os objetos em movimento inseridos sob o conceito Dynamo, que vem acompanhado do fenômeno da vibração e a inserção de elementos naturais, que funde o espaço da arte com o espaço da natureza. “A imagem transforma-se em um objeto, que põe o espectador em movimento e vice-versa. O próprio espectador pode por em movimento o objeto da imagem ou mudar sua estrutura por meio de contato. Dessa forma, são gerados relevos movimentados manualmente ou de forma eletromecânica, que procuram crescentemente ocupar o espaço”, explica a curadora.

ITINERÂNCIA - A exposição itinerante de grande amplitude é realizada no âmbito da Temporada “Alemanha + Brasil 2013-2014” e conta com o decisivo apoio do Goethe-Institut, assim como do Ministério de NRW y Pro Helvetia e patrocínio da Copel, Sanepar e Allianz. Após permanecer no Museu Oscar Niemeyer, a mostra segue para a Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre (de dezembro de 2013 a março de 2014), e depois para a Pinacoteca do Estado de São Paulo (de abril a junho de 2014).

A curadoria da exposição é Heike van den Valentyn e a coordenação geral do projeto é da gestora Cultural, Cristina Sommer, e a coordenação do catálogo e montagem é de Violeta Quesada. 

Brasil conquista quatro medalhas na Olimpíada Internacional de Matemática

(ABr) – Com seis estudantes competindo, o Brasil conquistou três medalhas de prata e uma de bronze na 54ª Olimpíada Internacional de Matemática. No ranking de classificação, o Brasil ficou em 28° lugar entre os países participantes. O evento reuniu 528 competidores de 97 países e terminou no domingo (28), em Santa Marta, na Colômbia.
Nesta edição, participaram estudantes brasileiros do ensino fundamental e médio que tiveram treinamento de um mês. Durante a competição, os jovens enfrentaram provas durante dois dias consecutivos quando resolveram problemas de matemática envolvendo álgebra, teoria dos números, análise combinatória e geometria.
Os estudantes que representaram o Brasil no evento internacional foram selecionados pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), competição que ocorre todos os anos nas escolas públicas e privadas do país. Para integrar a equipe, os jovens passam por um processo de seleção, que considera a colocação na disputa nacional, além dos resultados obtidos em cinco provas seletivas e de listas de exercícios que são resolvidas ao longo de seis meses.
As medalhas de prata são dos estudantes Rodrigo Sanches Ângelo (SP), Rafael Miyazaki (SP) e Victor Reis (PE). Franco Severo (RJ) ficou com o bronze. Os estudantes, Alessandro Pacanowski (RJ) e Victor Bitarães (MG) receberam menção honrosa. A equipe foi liderada pelos professores, Edmilson Motta (SP) e Onofre Campos (CE).


Diretores paranaenses lançam curtas-metragens na Cinemateca

Nesta quarta-feira (31), com sessão gratuita às 19h30, a Cinemateca de Curitiba (rua Carlos Cavalcanti, 1.174, São Francisco) abriga o lançamento dos curtas-metragens “Tesouro”, dirigido por Carla Pioli e Willy Schumann; e “Radinho de Pilha”, de Roberto Carlos de Oliveira. Os dois filmes foram finalizados em maio deste ano e têm classificação livre.
Carla Pioli estreia como diretora em “Tesouro”, trazendo no currículo mais de uma década de atuação como produtora de cinema, com vários curtas, médias e longas-metragens, dentro e fora do Paraná. Nessa primeira experiência na direção, Carla tem a parceria de Willy Schumann, um dos nomes de destaque na filmografia paranaense.
Uma adaptação do conto “Causos II”, de “O Livro dos Abraços”, do escritor uruguaio Eduardo Galeano, “Tesouro” (PR, 18’, ficção, digital) narra um episódio na vida de um velho solitário, a importância de seu passado e o quanto esse passado pode ser transformador. O filme já foi selecionado para os festivais Audiovisual Mercosul, em Florianópolis, e Brasil Internacional de Cinema do Rio de Janeiro, reunindo no elenco Luthero Almeida, Jota Eme, Marcos Sabóia, Waldi Teixeira, além do próprio Willy Schumann.

 “Radinho de Pilha” (PR, 12’, ficção, digital) também marca a estreia de Roberto Carlos de Oliveira (Tinho) como diretor. O filme questiona: A vida vale um radinho de pilha? E responde: A vida é o sonho de cada um. No elenco da produção estão os atores paranaenses Silvia Monteiro, Luiz Carlos Pazzello e Rosana Stavis, que tem sido aclamada nacionalmente pelo monólogo “Árvores Abatidas ou Para Luis Melo”, selecionado para o Prêmio Shell de Teatro de São Paulo. 

Divulgados finalistas do II Concurso Nacional de Composição Música Hoje

O Centro Cultural Teatro Guaíra, em parceria com a Universidade Federal do Paraná e a Bienal Música Hoje, divulgou nesta segunda-feira (29) os finalistas do II Concurso Nacional de Composição Música Hoje. As três obras selecionadas são A menina que virou chuva, de Valéria Bonafé; De Profundis, de Igor Maia; e O diálogo entre Vênus, Azrael e Ogum, de Leonardo Martinelli.
As peças serão executadas pela Orquestra Sinfônica do Paraná, sob regência de Márcio Steuernagel, em 25 de agosto, às 10h30, no Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto, do Teatro Guaíra, em Curitiba. A apresentação vai encerrar a II Bienal Música Hoje. A peça vencedora entrará no repertório de 2014 da Orquestra Sinfônica. O concurso foi lançado para fomentar a produção de música sinfônica brasileira.
A Comissão Julgadora foi formada por Maurício Dottori, professor do Departamento de Artes da Universidade Federal do Paraná; Felipe Ribeiro, professor da Universidade Estadual do Paraná/Escola de Música e Belas Artes do Paraná; e Márcio Steuernagel, maestro da Orquestra Sinfônica do Paraná, Orquestra Filarmônica da Universidade Federal do Paraná, e Universidade Estadual do Paraná/Escola de Música e Belas Artes do Paraná.

Os candidatos cujas obras foram selecionadas deverão enviar as partes orquestrais para o Centro Cultural Teatro Guaíra via Sedex, ou em PDF para o e-mail orquestra@cctg.pr.gov.br , até 12 de agosto. As obras não selecionadas estão disponíveis por seis meses para serem retiradas pessoalmente pelos candidatos no Centro Cultural Teatro Guaíra. Depois desse prazo, a documentação será destruída.

TV e-Paraná apresenta Orquestra Filarmônica Lions

(AEN) - A TV e-Paraná (canal 9), do Governo do Estado, vai exibir nesta quinta-feira (1º) o programa e-Espetáculo, que traz a Orquestra Filarmônica Lions, às 22h. O concerto marca a estreia da orquestra com seus 130 músicos – 80 instrumentistas e 50 cantores sob a direção do compositor, regente e maestro Rogério Krieger. O projeto foi criado há quatro anos pelo Lions Clubes Curitiba Batel e o Instituto Pró-Arte Brasil, em realização inédita entre os Lions Clubes do Brasil e exterior.
O grupo destina sua renda para trabalhos sociais e leva adiante a proposta da Escola de Música Lions voltada ao atendimento de jovens, adolescentes e crianças carentes para no futuro próximo criar uma orquestra juvenil de música erudita.
No repertório desta primeira apresentação tem quatro obras do maestro Krieger: Abertura Sinfônica, Motus Sinphonicus, Concertinho Barroco, Allegro Maestoso e Intermezzo. Além da 5ª Sinfonia de Beethoven, uma das principais obras da música erudita mundial. A reprise do programa e-Espetáculo será no domingo (4), às 18h.

FOLCLORE - E nesta terça-feira (30) vai ao ar o Terra Canção, às 22h. O apresentador do programa, Lydio Roberto, e o Trio Taquá prestam homenagem ao folclore nacional.

O grupo é formado por Manchinha, na gaita de ponto, Denis Mariano, na percuteria e Du Gomide, na viola caipira. Tem, também, entrevista com Pedro Caldeira Cabral, músico português, erudito, pesquisador do universo da música antiga que passeia por outros gêneros de maneira virtuosa com sua guitarra portuguesa. A reprise do Terra Canção é às 16h, de sábado (3).

sábado, 27 de julho de 2013

sucesso!

Mettalica, "Nothing Else Matters"

Banda Kattah mistura música árabe, rock e ritmos brasileiros

A banda curitibana Kattah comanda o espetáculo 2ª Fusão Internacional Kattah e Cultura Árabe em Movimento, cartaz do Teatro do Paiol, às 19h deste domingo (28). A técnica e a beleza das danças orientais, ao lado da mescla do heavy metal à música árabe e aos ritmos brasileiros, são elementos de um evento único, que tem como objetivo unir diferentes expressões culturais. 
O show tem início com seis coreografias orientais dos melhores grupos de danças do sul do Brasil, abordando dança tribal, dança árabe e dança folclórica árabe. Na sequência, a banda Kattah toma conta do palco, com a execução na íntegra do álbum Eyes of Sand, lançado em 2011 no Brasil e no exterior, por meio de turnê europeia. Este é o segundo encontro do gênero realizado pela Kattah, que enfatiza a importância de promover a cultura árabe em Curitiba.

A banda – Formada em 2006 e atualmente reunindo os músicos Roni Sauaf (lead vocal), Victor Brochard (guitarra), Cícero Chagas (baixo) e Cristian Alex (bateria), a banda Kattah - que em árabe significa retratar a maneira de ser das pessoas, indo da ilusão à realidade - possui um repertório singular, que valeu ao grupo reconhecimento internacional, sendo classificada como uma promessa para o heavy metal mundial.
O cantor e multi-instrumentista Roni Sauaf é o principal compositor da banda, tendo realizado diversas apresentações por todo o Brasil, desde 2006, além de 14 shows na Europa, em 2011, mesmo ano em que teve participação especial em show da banda Angra, no exterior.
O baterista Cristian Alex estudou no Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba e integrou diversas bandas curitibanas no início da carreira, sempre mantendo o power metal como foco principal. Suas principais influências são Iron Maiden, Metallica, Raphsody Of Fire e Nightwish.
O curitibano Cicero Chagas iniciou os estudos de contrabaixo em 2005, como aluno no Instituto de Música Airton Mann, instituição na qual hoje ministra aulas e responde por workshops. Tocou com várias bandas locais, até tornar-se baixista oficial da banda Kattah. Completa o grupo o instrumentista Victor Brochard, que estuda guitarra desde 14 anos de idade e tem como foco tocar composições próprias. Depois de ter experiência em algumas bandas curitibanas, chegou à Kattah trazendo influências de Iron Maiden, Metallica, Megadeth e Slayer, Jimi Hendrix, U2, Pink Floyd, Pearl Jam, Nirvana e Dream Theater.

Os ingressos para a apresentação da banda Kattah custam R$ 50,00 e R$ 25,00 (meia). Informações: 3213-1340.

Para saber mais:






Novas cédulas de R$ 2 e R$ 5 entram em circulação segunda-feira

(ABr) – Começam a circular nesta segunda-feira (29) as novas cédulas de R$ 2 e R$ 5 da segunda família do real. De acordo com comunicado divulgado hoje (26) pelo Banco Central, as notas trazem elementos adicionais de segurança, como a marca d'água e o número escondido, já presentes nas notas de R$ 50 e R$ 100 e de R$ 10 e R$ 20, lançadas respectivamente em 2010 e 2012.
As novas cédulas encerram o ciclo de substituições iniciado pela autoridade monetária em 2010. Naquele ano, foram divulgadas imagens dos seis novos modelos. As cédulas da segunda família do real trazem o valor da nota no canto superior direito.

A substituição das cédulas antigas pelas novas no dia a dia dos brasileiros será gradual, conforme as primeiras forem tiradas de circulação em função do desgaste natural.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Mick Jagger completa 70 anos

O stone Jagger e o clássico "Satisfaction"

O herói Wolverine e as outras estreias da semana

O blockbuster “Wolverine Imortal” chega às telas competindo com o drama “Amor Pleno” e mais três produções europeias: “A Espuma dos Dias”, “Augustine” e “Zarafa”, este uma animação. Continuam em exibição bons filmes, como “Renoir”, “Antes da Meia-Noite”, “Os Amantes Passageiros” e “Truque de Mestre”.

A ESPUMA DOS DIAS - Drama francês dirigido po Michel Gondry, baseado no romance de Boris Vian e estrelado por Romain Duris, Audrey Tautou, Gad Elmaleh, Omar Sy, Aïssa Maïga e Charlotte Lebon, entre outros.
A trama gira ao redor de Colin (Duris), um homem rico e despreocupado, que nunca precisou trabalhar. Tímido, ele nunca teve muito sucesso com as mulheres, até ser apresentado a Chloé (Tautou) durante uma festa. Apesar de um primeiro encontro desastroso, os dois se apaixonam e se casam. O casal está sempre cercado pelos amigos Nicolas (Sy), um cozinheiro talentoso, Chick (Elmaleh), um intelectual pobre e fascinado pelo filósofo Jean Paul Sartre, e a extrovertida Alise (Maïga). Tudo caminha bem, até o dia em que Chloé é diagnosticada com uma doença rara: ela tem uma flor de lótus crescendo dentro do seu pulmão. O caríssimo tratamento exige o uso de diversos medicamentos e a aplicação de centenas de flores, levando Colin à falência, e a amizade do grupo à crise.

AMOR PLENO - Um homem (Ben Affleck), descontente com a sua vida, viaja a Paris e inicia uma profunda relação amorosa com uma europeia (Olga Kurylenko). Ele volta para os Estados Unidos e se casa com esta mulher, para ajudá-la a ter a permissão de estadia americana. Mas após o casamento, a relação dos dois se degrada. Neste momento, ele encontra uma antiga namorada (Rachel McAdams), com quem inicia um novo romance.
Do mesmo diretor de "A Árvore da Vida", Terrence Malick, o drama tem em seu elenco Ben Affleck ("Atração Perigosa"), Rachel McAdams ("Sherlock Holmes"), Javier Bardem ("Biutiful"), Jessica Chastain ("A Hora Mais Escura") e Olga Kurylenko ("Centurião").

AUGUSTINE - Drama francês dirigido por Alice Winocour e estrelado por Vincent Lindon, Chiara Mastroianni, Olivier Rabourdin, Lise Lamétrie e Roxane Duran, entre outros.
A ação se passa no inverno de 1885, Paris. O professor Jean-Martin Charcot (Vincent Lindon), do Hospital Pitié-Salpêtriere, está estudando uma doença misteriosa, a histeria, que atinge apenas as mulheres. Devido à pouca informação sobre a doença e suas características peculiares, os ataques de histeria por vezes são confundidos com possessões demoníacas, o que faz com que Charcot tenha que provar a seriedade de sua pesquisa. Um dia, chega ao hospital a jovem Augustine (Soko), de apenas 19 anos, que teve um ataque durante o trabalho. Logo ela se torna objeto de estudo de Charcot, que passa a dedicar um bom tempo à garota. Augustine acredita que Charcot possa curá-la e, aos poucos, desenvolve uma relação especial com o médico.

WOLVERINE IMORTAL - Este novo filme protagonizado pelo mutante Logan,  mostra o X-Men mais famoso da série em uma batalha no Japão. Com direção de James Mangold, o longa é baseado nos quadrinhos "Eu, Wolverine".
Deprimido devido à morte de Jean Grey (Famke Janssen), Wolverine (Hugh Jackman) vaga pelos bares e becos, sem grandes motivos para viver. Procurado por um homem que teve sua vida salva por ele décadas atrás, Wolverine viaja ao Japão para vê-lo. Lá recebe uma oferta tentadora: em gratidão por ter salvo sua vida no passado, ele oferece a Wolverine torná-lo mortal. O herói aceita a oferta, sem imaginar que os vilões Samurai de Prata e Viper estavam apenas aguardando esta oportunidade para matá-lo.
Além de Hugh Jackman como Wolverine, completam o elenco os atores Rila Fukushima, como a espadachim Yukio; Svetlana Khodchenkova como a vilã Víbora e Will Yun Lee como Harada, chefe de uma das famílias mais poderosas do Japão.

ZARAFA - Animação franco-belga assinada pelos diretores Rémi Bezançon ("Um Evento Feliz") e Jean-Christophe Lie ("As Bicicletas de Belleville"). A história de Maki, um garoto de 10 anos, e sua amiga, a girafa Zarafa, é contada por um senhor a seus netos. O animal, que é oferecido como presente para o rei francês Charles X por Muhammad Ali, do Egito.Em meio a uma longa jornada que vai do Sudão até Paris, Maki e Zarafa vivem diversas aventuras.

Biblioteca Pública inaugura espaço com acesso à internet

A Biblioteca Pública do Paraná inaugura nesta segunda-feira (29) um novo espaço para os seus usuários. Com o nome de “Biblioteca Online”, o local vai abrigar nove computadores com acesso gratuito à internet. Uma das máquinas será equipada com software acessível a deficientes visuais. A sala, anexa à Seção de História e Geografia, ganhou nova pintura, móveis e plotagens na parede.
Para utilizar o serviço, é preciso fazer um cadastro no sistema da Biblioteca Online. Após o registro, o usuário pode usar os computadores por até uma hora. Monitores estarão disponíveis para auxiliar e tirar dúvidas.
A nova sala, assim como a substituição dos antigos fichários pela consulta online do acervo, ocorrida no último mês de junho, é mais uma etapa do amplo processo de revitalização da BPP, iniciada em 2011. Em 2012, a rede lógica e elétrica do prédio foi trocada e expandida, o que possibilitou a implementação da rede de internet sem fio, outra antiga reivindicação dos usuários. No mesmo ano, foi apresentado um projeto de reforma, assinado pelo arquiteto Manoel Coelho. O projeto prevê mudanças arquitetônicas e funcionais em toda a Biblioteca, que abrigará um café e um espaço maior para exposições e lançamentos de livros.
O início da revitalização começou com o fechamento das laterais do prédio, o que aumentou o espaço útil da BPP (a seção infantil foi ampliada e ganhou uma sala para contação de histórias) e inibiu o consumo de drogas no local. A “Biblioteca Online” está localizada na lateral que faz esquina com a rua Ébano Pereira.

 “É preciso que os leitores estejam na Biblioteca, mas conectados com o mundo. O primeiro passo foi disponibilizar internet sem fio aos usuários, depois informatizar a busca pelo acervo. Agora, com a Biblioteca Online, oferecemos mais um serviço a quem não tem computador próprio e necessita da internet”, diz Rogério Pereira, diretor da BPP. 

A obra literária “Ninguém é de Ninguém” chega ao palco do Guairinha

Com mais de um milhão e meio de livros vendidos em todo o país, a obra "Ninguém é de Ninguém" de Zíbia Gasparetto - pelo espírito Lúcius -, tem sua versão teatralizada chegando a Curitiba para duas apresentações no Guairinha. A obra tem daptação e direção e Sergio Lelys e o elenco é formado por Sergio Lelys, Beto Nasci, Márcia Fritoli, Giovanni Grecco, Nildá Araujo e Gerardo Franco.
Há quem pense que sentir ciúme é provar que se ama ardentemente. Até descobrir que ele transforma sua vida amorosa em dolorosa tragédia, que termina em amarga separação. O enredo torna evidente que, se fizermos as contas, perceberemos que sofremos mais com as pessoas que amamos do que com aquelas que nos odeiam.
Distante da visão idealizada do amor, no enredo, o sentimento é retratado em diversas vertentes e mostra casos em que relacionamentos com ciúme se tornam um tipo de obsessão. O espetáculo emociona e o espectador leva para casa uma linda lição de vida.
“Ninguém é de Ninguém” é um espetáculo para as mais amplas e diferenciadas plateias, não havendo restrições de religiões, doutrinas ou crenças. A peça é um romance, uma história de superação na qual o público ri, se emociona e reflete sobre ciúmes, apego, traição e principalmente sobre o falso e o verdadeiro amor, percebendo-se que a vida afetiva é um constante exercício de autodomínio, e que só possuímos a nós mesmos.


As apresentações acontecem neste sábado (27) às 21h e domingo (28) às 19h e os ingressos custam R$ 80,00 e R$ 40,00.

“RockShow”, de Paul McCartney e Wings, com exclusividade na UCI

Com exclusividade, a UCI cinemas exibe neste final de semana - dias 26 (21h), 27 (00h) e 28 (14h) -, “RockShow”, longa que traz o ex-Beatle Paul McCartney e a banda Wings. E mais: o filme-concerto, gravado em show da década de 70, estará em cartaz nas duas salas de Curitiba: Estação e Palladium. É a chance dos saudosos fãs curtirem mais uma vez a banda inglesa, agora no escurinho do cinema!
Em 1975 e 1976 Paul McCartney e a banda Wings realizaram a “Wings Over the World”, a maior turnê que eles fizeram como banda. Dessa turnê sairam tanto o lendário “Wings Over America”, álbum triplo ao vivo e o “Rockshow”, este filme-concerto. Embora filmado no enorme estádio Kingdome em Seattle, "Rockshow", originalmente uma versão reduzida do show, teve sua estreia apenas em novembro de 1980, em Nova York, e abril de 1981, em Londres. Foi lançado em Betamax e, mais tarde, em DVD. Agora, pela primeira vez, o show completo, em sua total duração, está sendo disponibilizado, a partir do filme de 35mm original, com som restaurado e remasterizado em 5.1. Isto é Paul McCartney e os Wings ao vivo no palco em um concerto que está destinado a viver para sempre!
Os ingressos poderão ser adquiridos nas bilheterias e terminais de autoatendimento ou no site da rede: www.ucicinemas.com.br

Retirada para restauração, estátua de Tiradentes guardava relíquia

A estátua de Tiradentes esculpida pelo paranaense João Turin e que ficava na praça com o mesmo nome foi retirada do pedestal na noite de quinta-feira (25). A peça foi transportada para o Ateliê João Turin, onde será restaurada pelo escultor Elvo Benito Damo, e deve retornar à Praça Tiradentes em 60 dias.
Durante o trabalho de retirada da peça, foi encontrada uma garrafa com manuscritos e algum objeto que teria sido colocada pelo próprio escultor no local, em 1927. O prefeito Gustavo Fruet acompanhava os trabalhos e presenciou o momento da coleta da garrafa.
Segundo a coordenadora de Acervos da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Denise Zanini, responsável pela logística e por acompanhar os trabalhos do ateliê em nome do Município, os trabalhos de restauração e confecção de moldes fazem parte de um projeto iniciado há cerca de dois anos, depois que os direitos sobre o acervo do escultor foram comprados pelo colecionador curitibano Samuel Ferrari Lago. Foi realizado um levantamento do acervo e, após negociações entre a família Lago, o poder público e descendentes de Turin, foram iniciados os trabalhos, no Atelier João Turin.

Descoberta - O conteúdo da garrafa encontrada na quinta-feira será revelado na próxima semana na presença do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, do presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli, e da equipe técnica da instituição e dos restauradores.
Agora, a ansiedade é para conhecer o conteúdo deste texto que será aberto na próxima semana com todos os cuidados que situação requer. Parabéns ao Samuel Ferrari Lago, do Atelier João Turin, e ao Maurício Appel, gestor do projeto. Reconhecemos o imprescindível trabalho que estão fazendo pela preservação e difusão da obra de João Turin”, disse Cordiolli.

Sobre o projeto - Além da estátua de Tiradentes, duas outras obras de Turin (1878-1949) pertencentes ao patrimônio público municipal já estão sendo restauradas e ganhando moldes e pátina de proteção: a peça Luar do Sertão (uma onça rugindo que fica na rotatória ao lado da sede da Prefeitura) e a águia que faz companhia a Rui Barbosa na Praça Santos Andrade. Elas devem voltar a seus locais originais em agosto.
A restauração das três peças faz parte de um projeto maior, que envolve todo o acervo de Turin, reconhecido como um dos maiores artistas paranaenses. O diretor de Patrimônio da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Mauro Tietz, informa que a Fundação acompanha o trabalho desde a retirada das obras que integram o patrimônio do Município até a restauração e devolução aos locais originais.
Maurício Appel, gestor do acervo, diz que é a primeira vez que uma restauração ponta-a-ponta da obra de um artista é realizada no Brasil. O trabalho, conta, chamou a atenção até do Ministério da Cultura, que está acompanhando o processo, pelo interesse museológico.
Atualmente estão sendo trabalhadas as peças maiores, que também são mais complexas. Cada estátua leva, em média, um mês para ser restaurada e ter seu molde retirado. “Há muita dilatação devido ao tempo. Também verificamos pequenos buracos que poderiam comprometer as obras”, informa Appel.
A onça de Luar do Sertão, por exemplo, exposta ao ar livre desde 1969, estava a ponto de perder a cauda. A águia, na praça desde 1936, também estava “bastante agredida”, segundo Appel. “O mais interessante é que percebemos que as pessoas se preocuparam com as obras depois que as retiramos. Isso mostra que elas gostam das esculturas, consideram que os bens também são delas”, ressalta Appel. Ele prevê que a estátua de Tiradentes também deve dar trabalho, pois está desde 1938 exposta ao tempo.
Os moldes que estão sendo feitos permitirão que essas e outras obras de Turin sejam multiplicadas. Normas do mercado preveem um limite de 12 reproduções de cada trabalho, que ainda assim continuam sendo consideradas obras originais. Appel relata que o escultor tinha dificuldade para reproduzir suas obras, devido à pouca estrutura da fundição artística em Curitiba na época. Assim, grande parte das obras ainda é única.

Mostra - As obras deverão ser expostas em Curitiba, no ano que vem. Mais cinco capitais brasileiras devem receber a mostra, bem como Bruxelas – onde Turin estudou, na Real Academia de Belas Artes – e Nova York. Também há a possibilidade de a exposição seguir para Paris, onde o artista viveu entre 1911 e 1922.


As novas reproduções também poderão ser comercializadas ou expostas em mais locais. A prioridade, ressalta Appel, será para museus ou outros espaços abertos ao público. Apesar de os direitos de propriedade das obras pertencerem à família Lago, os direitos autorais continuam sendo da família de Turin. Foi Appel quem mediou as conversas entre as duas famílias para que o projeto pudesse sair do papel.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

“Alô, Dolly!”, versão brasileira do musical da Broadway, chega a Curitiba

Um dos grandes clássicos da Broadway, o musical “Alô, Dolly!” (“Hello, Dolly!”, no original) ganha nova montagem brasileira celebrando o encontro inédito de duas estrelas dos palcos, Marília Pêra e Miguel Falabella, que assina ainda a versão nacional e a direção do espetáculo. Com realização da Prime, a superprodução chega finalmente a Curitiba, neste final de semana, para uma curta temporada de apresentações, no Teatro Positivo Grande Auditório (rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300). As sessões acontecem na sexta (26) e no sábado (27) às 21h15 e no domingo (28) às 19h30.
Baseado na peça “The Matchmarker”, com texto de Michael Stewart e letras e músicas de Jerry Herman, “Alô, Dolly!” estreou na Broadway em 1964 arrebatando nada menos do que 10 Prêmios Tony, entre eles o de Melhor Musical, Melhor Atriz, Melhor Libreto, Melhor Trilha, Melhor Direção e Melhor Coreografia. “Alô, Dolly!” é, até hoje, um dos musicais de maior êxito da história, já foi remontado três vezes na Broadway, além de ter versões no mundo inteiro, inclusive no Brasil, com Bibi Ferreira e Paulo Fortes. Gerou ainda um filme estrelado por Barbra Streisand, com direção de Gene Kelly, e indicado a sete Oscars.
A ação de “Alô, Dolly!” se passa em 1890, no estado de Nova Iorque, e conta a história de Dolly Levi (Marília Pêra), uma célebre viúva casamenteira que é contratada pelo avarento e mal-humorado comerciante de Yonkers, Horácio Vandergelder (Miguel Falabella), para lhe arranjar uma esposa na cidade grande (na capital Nova Iorque). Dolly o apresenta a Irene Molloy (Alessandra Verney), mas inicia uma série de armações, quando decide que ela mesma conquistará o bom partido e ficará rica.
O musical destaca ainda o jovem Cornélio Hackl (Frederico Reuter), funcionário de Horácio que se apaixona por Irene. Ele está sempre metido em confusões com seu fiel escudeiro Barnabé Tucker (Ubiracy Paraná do Brasil). Além de tentar garantir seu próprio casamento, Dolly também resolve ajudar Ambrósio Kemper (Thiago Machado) a namorar Ermengarda (Brenda Nadler), sobrinha de Horácio, que faz forte oposição ao romance, já que o rapaz é pobre. O elenco conta ainda com Ricardo Pêra, Ester Elias e Patrícia Bueno, além de um ensemble formado por 14 atores (sete homens e sete mulheres) e cinco bailarinos. São 29 atores em cena e uma orquestra com 16 integrantes, sob a direção musical de Carlos Bauzys. A superprodução tem cenários de Renato Theobaldo e Roberto Rolnik e quase uma centena de figurinos criados por Fause Haten. A ficha técnica traz ainda os renomados Fernanda Chamma (coreografia) e Paulo Cesar Medeiros (iluminação).


Informações sobre ingressos: 3317-3107 ou 3315-0808.

Blues Etílicos é atração em festival de jazz & blues

A mais popular banda de blues rock em atividade no Brasil, o Blues Etílicos desembarca em Curitiba no sábado (27), para comandar o “II Festival de Jazz & Blues - No Improviso”, que segue até novembro. Com realização do Ministério da Cultura, Governo Federal e Montenegro Produções Culturais, a apresentação acontece no Teatro Bom Jesus (rua 24 de Maio, 135), às 21horas, e terá ainda uma jam session com a curitibana Sabrina Blues Mendes. Com 25 anos de estrada, um DVD e 12 discos lançados, o grupo carioca chega com a turnê do novo álbum, intitulado Puro Malte.
Blues suingado, repleto de referências brasileiras e e de bom humor, o novo trabalho traz nove composições próprias, entre elas, parcerias com renomados letristas como Bernardo Vilhena e Mauro Santa Cecília. A faixa-título “Puro Malte” é o grande destaque, uma homenagem às cervejas artesanais – assim como Sepultura, Velhas Virgens e outras bandas brasileiras, o Blues Etílicos também tem a sua própria marca de cerveja artesanal, ainda restrita apenas ao Rio de Janeiro. As músicas “Cotidiano Nº 2”, de Toquinho e Vinícius de Moraes, e “Espelho Cristalino”, de Alceu Valença, ganham releituras em ritmo de blues. Para completar, a revelação Sabrina Blues Mendes faz uma jam session com o quinteto e promete trazer releituras de clássicos inspirados em Robert Johnson, Willie Dixon, Muddy Watters, Big Mama Thornton, Howlin Wolf, além de T. Bone Walker, Etta James, Billie Holliday, Ray Charles.
O Blues Etílicos participou dos principais eventos de jazz realizados no Brasil e já dividiu palco com B.B. King, Robert Cray e Buddy Guy, entre outros ícones do blues. Atualmente, a banda é formada pelo americano Greg Wilson (vocal, guitarra e trompete), Flávio Guimarães (gaita), Otávio Rocha (guitarra), Pedro Strasser (bateria) e Cláudio Bedran (baixo).

O FESTIVAL - O Festival No Improviso conquista espaço na cena local e ganha notoriedade com a classe artística. "O No Improviso é um dos grandes festivais de Jazz e Blues do Brasil, ele já iniciou sua primeira edição com uma força muito grande e com uma vantagem em relação aos outros festivais porque ele tem uma continuidade”, destaca o bluesman carioca Flávio Guimarães.
Mantendo a proposta de contribuir para o fortalecimento do gênero e democratizar o acesso aos shows, a curadoria deste ano selecionou atrações nacionais e internacionais que vem fazendo apresentações improvisadas com músicos locais. “A informalidade das Jam Sessions resgata as origens do jazz e blues, trazendo liberdade e improvisação no palco. Esse formato trouxe a característica maior do festival ao promover a troca de experiências entre músicos de diferentes escolas”, explica Carolina Montenegro, coordenadora geral do projeto. Com a proposta de contribuir para formação de jovens plateias, o projeto visa atender uma carência na continuidade e sistematização de ações que fortaleçam os ritmos jazz & blues e incentivar o desenvolvimento, a sensibilidade e criatividade por meio do contato com a linguagem artístico-musical.
A grade de programação, que abriu com Zimbo Trio e Sérgio Albach, traz ainda Nuno Mindélis, Saul Trumpet, Badi Assad, Diogo Guanabara, Igor Prado Blues Band, Sax Gordon (EUA), Muddy Waters Jr (EUA), Decio Caetano Blues Band, entre outros.

Os ingressos para esta apresentação do Blues Etílicos custam R$ 25,00 e R$ 15,00 (meia). Mais informações: 3315-0808 ou www.facebook.com/festivalnoimproviso .

Monobloco lança novo trabalho no Curitiba Winter Fest

Pela primeira vez, os Grupos Santi e Wood’s estão juntos em um evento que promete agitar o público curitibano: o Curitiba Winter Fest. Em sua primeira edição, que será realizada no dia 27 de julho no Espaço Torres, a partir das 23h, serão três grandes atrações: Monobloco, que realiza o show da turnê de lançamento do CD ‘Arrastão da Alegria’, o grupo de DJs mascarados, A Liga, e a dupla sertaneja Marcus & Adriano.
Em “Arrastão da Alegria”, o Monobloco - grupo criado em 2000 por C.A. Ferrari, Celso Alvim, Mário Moura, Pedro Luís e Sidon Silva, integrantes da banda Pedro Luís e A Parede, a partir de uma oficina de percussão - resgata clássicos, sambas garimpados, pérolas da MPB, marchinhas e canções do imaginário pop, ao mesmo tempo em que traz composições inéditas, novos estilos e batidas. Serão mais de 6 horas de música preparadas especialmente pelas casas que são referências em diversão e entretenimento em Curitiba. Com uma mega estrutura, a pretensão do Curitiba Winter Fest é entrar no calendário anual de festas da cidade.
De acordo com o diretor nacional de marketing do Grupo Wood’s, que detém as marcas Wood’s e WS Brazil, Alan Ceppini, o Curitiba Winter Fest vai ser o primeiro de muitos outros dessa parceria. “Estamos dando o pontapé inicial num grande evento que vai marcar o calendário do inverno curitibano. A primeira edição já começa não sendo uma simples festa. Com o nosso know-how aliado à ação de co-branding com o Grupo Santi, vamos proporcionar uma experiência única ao público presente”.
Já o sócio-proprietário do Grupo Santi, do qual fazem parte o DUC Club, Boteco Santi, Santillana e Villa do Porto, em Florianópolis, Diego Fortun, acredita que a parceria entre as casas será muito importante para fortalecer o festival. “Com a união dos grupos, conseguiremos manter o festival como um evento fixo no calendário anual da cidade. Com a força das marcas viabilizaremos as melhores atrações, e também grandes parceiros e patrocinadores. O resultado será espetacular”, finaliza.
O festival contará com um atendimento personalizado e estrutura diferenciada para trazer mais conforto para quem quer curtir os shows sem preocupações. Os espaços serão divididos em pista, área VIP, on stage e camarote. A expectativa é receber um público de mais de 2 mil pessoas.

O Espaço Torres está situado na rua Pergentina Silva Soares, 159,a Jardim Botânico. Informações sobre ingressos: 3315-08080 ou www.diskingressos.com.br