terça-feira, 30 de abril de 2013

Toda quinta tem Roda de Choro no Conservatório de MPB

Os músicos Lucas Melo e Julião Boêmio comandam as rodas de choro que acontecem todas as quintas-feiras, às 17h, no Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba. O encontro é aberto à participação de outros músicos, que podem se integrar à roda, e do público, que pode apreciar gratuitamente um repertório de qualidade.
O programa inclui os clássicos do chorinho, assinados por nomes como Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Ernesto Nazareth. São tocadas também composições de músicos da cidade, entre eles Walter Scheibel, Sérgio Albach, Cláudio Menandro e do próprio Julião Boêmio.
Além de cavaquinista, Julião Boêmio é compositor de choros, maxixes e polcas. Como instrumentista acompanhou nomes como Nelson Sargento, Yamandu Costa, Ceumar e Mônica Salmaso. Em 2010 lançou o seu primeiro CD, “Feijão no Dente”. Músico da nova geração do choro curitibano, o violonista Lucas Melo formou-se pela Faculdade de Artes do Paraná - FAP e atua no Conservatório de MPB de Curitiba. O instrumentista forma com Lucas Miranda (cavaquinho) o duo “Papo de Xará”.

Exposição fotográfica retrata ecossistema e população do Pantanal

A exposição "Pantaneira - Fotos de Julio Covello" registra diversos aspectos do ecossistema do Pantanal mato-grossense, das margens paraguaias e brasileiras do Rio Paraguai e da população que ali vivia em 1984, ano em que o fotógrafo paranaense Julio Covello percorreu a região em companhia do jornalista Ewaldo Schleder.
A mostra abre para visitação nesta quinta-feira (2), às 17h, na Biblioteca Pública do Paraná, e faz parte do programa de exposições itinerantes da Secretaria de Estado da Cultura, denominado “Museus Paraná”. A entrada é gratuita.
O material fotográfico, doado pelo autor para o acervo do Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR), só havia sido exposto em Atenas, Grécia, à época da captação das imagens, e parcialmente publicado na revista Panorama. Nos últimos trinta anos a região retratada, no estado do Mato Grosso do Sul e arredores, sofreu grandes transformações por conta da agropecuária e das atividades voltadas ao turismo.
Nessas fotos, o olhar sensível de Covello se volta para aspectos humanos e paisagísticos pouco conhecidos no restante do país, e formula um original ensaio poético sobre lugares e pessoas do universo pantaneiro mato-grossense.

Últimos dias para inscrições de candidaturas para edital da Semana de Teatro Italiano

Atores e escolas de teatro do Paraná e Santa Catarina interessados em participar das leituras dramáticas na Semana de Teatro Italiano do festival Mia Cara Curitiba têm até o dia 3 de maio, essa sexta-feira, para inscrever suas propostas. A melhor leitura apresentada durante o evento será premiada no valor de R$ 15 mil.
Entre os dias 28 de maio e 2 de junho e do dia 5 a 9 de junho acontece, no Teatro José Maria Santos, a Semana de Teatro Italiano. As apresentações acontecem sempre às 20h e a entrada é gratuita para o público.
Dez grupos de teatro do Paraná e Santa Catarina serão selecionados por meio de edital público (http://miacaracuritiba.com.br/?page_id=245) para apresentar leituras dramáticas de autores italianos. As inscrições podem ser feitas até o dia 3 de maio e a melhor leitura será premiada no encerramento do evento, no valor de R$15 mil. As apresentações acontecem sempre às 20h e a entrada é gratuita para o público.

Mia Cara Curitiba - A Semana é parte da terceira edição do evento Mia Cara Curitiba, realizado pela Universidade Livre da Cultura e o Consulado Geral da Itália em Curitiba com apoio da Fundação Cultural de Curitiba. O objetivo é difundir a cultura do país no Brasil, que possui a maior população de descendentes italianos do mundo. O Mia Cara Curitiba ainda conta com shows de música, eventos ao ar livre, feira gastronômica e outras atividades. A programação completa pode ser conferida em breve no site www.miacaracuritiba.com.br

Filme no Cine Guarani revela a trajetória de Valêncio Xavier

O escritor e cineasta Valêncio Xavier, fundador da Cinemateca de Curitiba, é tema do documentário longa-metragem “Muitas vidas de Valêncio Xavier” (BR/PR, 90’, digital, 2011), obra do diretor Beto Carminatti, em cartaz no Cine Guarani (Portão Cultural) até o dia 9 de maio, com sessões às 18h e às 20h, de terça-feira a domingo. Valêncio, que faleceu em 2008, tem sua trajetória retratada por meio de depoimentos e entrevistas, com o uso de uma linguagem inspirada no universo de artista e pesquisador que caracterizou sua existência.
O paulista Valêncio Xavier – radicado em Curitiba –, que completaria 80 anos no último dia 21 de março, deixou um vasto legado cultural como roteirista, pesquisador, escritor e cineasta. No documentário, Beto Carminatti usa a sala de exibição da Cinemateca de Curitiba como espaço de referência para revelar essa trajetória. “Colocar a Cinemateca como espaço físico para o desenvolvimento da história de Valêncio é bem mais que um pretexto narrativo”, diz Carminatti. “Trata-se de um movimento orgânico da relação sala/cinema/vida. De maneira inventiva, ele sempre trabalhou a construção do tempo, ação, memória na sua literatura/cinema e o sentido do que é verdade histórica ou ficção no processo de criação”, enfatiza o diretor.
O documentário pretende desvendar e divulgar, para o maior número de pessoas possível, uma obra de inestimável valor para a nossa cultura, por meio de uma linguagem que alterna simplicidade e ousadia na captação das imagens. Carminatti usou duas câmeras na filmagem: a primeira numa concepção clássica de enquadramento, e a outra saltando para planos de maior envolvimento emocional, numa dinâmica de construção narrativa, baseada no rigor estético e preciso de montagem do cinema de Sergei Eisenstein, com a atmosfera da poética visual dos filmes de Alain Resnais, cineastas prediletos de Valêncio.
A carência de informações sobre a história do audiovisual no Paraná é um dos elementos que moveu a realização do documentário, pois o cinema e a televisão têm sido objeto de poucos estudos em nosso estado. Seus principais representantes ainda não têm os trabalhos devidamente registrados e divulgados. Resgatar conhecimentos por meio de um dos nomes de destaque é contribuir para o enriquecimento da cultura local e nacional. “Valêncio Xavier tem forte presença no país pela sua produção literária, mas seu pioneirismo no audiovisual ainda não recebeu a devida atenção”, ressalta Carminatti.

Pioneiro – Valêncio Xavier foi pioneiro da televisão brasileira, tendo trabalhado na realização de filmes e vídeos, além de ser colaborador dos jornais Gazeta do Povo e Folha de São Paulo. Sua carreira na literatura é conhecida internacionalmente, sendo que a obra “O mez da grippe e outros livros” ganhou o prêmio Jabuti de melhor produção editorial, em 1999.
Valêncio criou o Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro, no final dos anos 60 e, em 1975, fundou a Cinemateca de Curitiba, dando incentivo à formação de profissionais do cinema na cidade. Na Cinemateca, desenvolveu e coordenou trabalhos de prospecção, restauração e pesquisas sobre o cinema paranaense.

Os ingressos de “Muitas Vidas de Valêncio Xavier” custam R$ 5,00 (inteira), R$ 2,50 (meia-entrada) e R$ 1,00 (aos domingos). A classificação é 14 anos. Informações: 3345-4051.

Museu Oscar Niemeyer tem horário estendido, visita guiada e projeto musical nesta quinta-feira

O Museu Oscar Niemeyer (MON) realiza no dia 2 de maio, o “Mais MON”, primeira quinta-feira do mês em que o horário é estendido e entre 18h e 20 horas a entrada é gratuita. Às 18h ocorre uma visita mediada seguida de demonstração sobre as técnicas de gravura com a artista Uiara Bartira na exposição “A Magia de Escher”.
A partir das 19h30 haverá o projeto + MON + Música, no auditório Poty Lazzarotto, com o trio residente, formado por Jeff Sabbag (piano), Cristian Julian (contrabaixo) e Endrigo Betega (bateria). Nesta edição, o destaque é a música latina, que traz o pianista uruguaio Santiago Beis, o multi-intrumentista argentino Gabriel Castro e o contrabaixista panamenho Edwin Pitre. Edwin também é doutor em antropologia e professor de Música da UFPR e aproveita para participar do bate-papo musical com Maurício Cruz. A apresentação tem ainda as participações dos cantores Cris Tarran e Rodrigo Fornos. No repertório, clássicos de todos os gêneros musicais da rica cultura latino americana. A entrada é gratuita.
Até as 20 horas, o público poderá conferir as exposições em cartaz no MON, entre elas: “Acervo MON - Aquisições 2011/ 2013”, “Múltiplo Leminski”, “A Magia de Escher”, “O Brasil de Marc Ferrez- fotografias do Instituto Moreira Salles”, “Ione Saldanha: o tempo e a cor”, “Leda Catunda – Pinturas recentes”, “PR/BR”, “Museu em Construção” e  “Cones”.
A loja e o café do MON também ficam abertos até às 20 horas neste dia.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

um sucesso

Arnaldo Antunes, "Essa Mulher"

Arnaldo Antunes apresenta o projeto Dois Violões no Guairinha

O cantor e compositor Arnaldo Antunes presenteia o público curitibano com uma apresentação do projeto “Dois Violões”, ao lado dos músicos Chico Salem e Betão Aguiar nesta terça-feira (30), 21h, no Guairinha.
O repertório da apresentação vai passear por músicas de sua carreira, como Não Vou Me Adaptar, O Pulso, Alegria e Essa Mulher, mas Arnaldo também apresenta canções escritas em parceria com Paulo Miklos (Fim do Dia), Marisa Monte e Carlinhos Brown (Consumado) e Liminha (Invejoso), entre outros artistas. O show vai contar ainda com uma versão da música Judiaria, de Lupicínio Rodrigues.
Poeta, cantor e compositor, Arnaldo Antunes nasceu em São Paulo em 1960. Ele integrou o grupo Titãs, com o qual gravou sete discos e em carreira solo desde 1992, já lançou oito discos, além de Tribalistas (com Marisa Monte e Carlinhos Brown). O artista tem vários livros publicados no Brasil, na Espanha e em Portugal.
Em comemoração aos seus 30 anos de carreira, Arnaldo gravou em dezembro de 2011 seu novo trabalho “Acústico MTV”. Com produção musical de Liminha e direção de Roger Carlomagno, o projeto foi gravado em São Paulo. O “Acústico MTV Arnaldo Antunes” foi lançado em CD, DVD e Blu-Ray em 2012 e segue em turnê pelo Brasil e exterior.
Os ingressos para a apresentação de Arnaldo Antunes custam R$ 120,00 e R$ 60,00 (meia, conforme legislação). A classificação é livre.

Editora da UFPR e Volvo doam 5.600 livros para as Tubotecas

O acervo das Tubotecas, pequenas bibliotecas instaladas em 10 estações-tubo da cidade, acaba de ser reforçado com 5.600 livros de autores radicados no Paraná. As obras - de escritores como Miguel Sanches Neto, Alice Ruiz e Manoel Carlos Karam - foram doadas pela editora da Universidade Federal do Paraná e pela Volvo.
Para o presidente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Marcos Cordiolli, com um mês de funcionamento as Tubotecas caíram no gosto da população. “O sucesso do projeto foi maior do que o previsto, mas para que possamos aperfeiçoar e ampliar o número de leitores é preciso receber mais doações”, afirmou.
A primeira grande doação que as Tubotecas receberam veio da Editora da Universidade Federal do Paraná, que repassou mais de 5 mil livros para o projeto. Segundo Gilberto de Castro, diretor da editora, logo após o lançamento do projeto foi feito um levantamento dos títulos que se enquadravam no perfil solicitado pela Fundação Cultural. “Nós não temos o mesmo espaço na mídia que outras grandes editoras. Então, percebemos que a Tuboteca nos oferece uma ótima oportunidade de difundir o nosso catálogo. Além de ser uma maneira de dar um retorno para a sociedade, já que nossos livros são produzidos com dinheiro público”, ressaltou.
Outra doação importante recebida pela Fundação esta semana veio da Volvo. A empresa doou aproximadamente 500 livros, todos produzidos no Paraná, com apoio da empresa.

Como doar - As doações de livros podem ser feitas em qualquer equipamento mantido pela Fundação Cultural, nas Casas da Leitura, na sede da Fundação (Rua Engenheiros Rebouças, 1.732, Rebouças), no Ippuc (Rua Bom Jesus, 669, Juvevê) e na sede da Prefeitura (Avenida Cândido de Abreu, 817, Centro Cívico).
As publicações passarão por uma triagem antes de serem levadas para as Tubotecas. Aceitam-se livros de literatura, contos, crônicas, romances, poesia, história em quadrinhos, infantil e infanto-juvenil. Não serão aceitos livros didáticos, técnicos, religiosos, jornais e revistas de assuntos gerais ou de notícias, manuais, guias, enciclopédias, bem como qualquer material com teor ofensivo, discriminatório e pornográfico.
Grandes doadores, interessados em doar acima de 1.000 volumes, precisarão se adequar a Edital de Chamamento Público lançado no dia 1º de abril de 2013, que está disponível no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

Inscrições abertas para o Prêmio Paraná de Literatura 2013

A Biblioteca Pública do Paraná lançou nesta segunda-feira (29) o Prêmio Paraná de Literatura 2013. Como na primeira edição, realizada no ano passado, o concurso da Secretaria da Cultura do Paraná vai selecionar livros inéditos em três categorias que homenageiam escritores importantes da literatura paranaense: Romance (prêmio Manoel Carlos Karam), Contos (prêmio Newton Sampaio) e Poesia (prêmio Helena Kolody). Em 2012, quase 900 obras foram inscritas por autores de todo o Brasil.
O vencedor de cada categoria receberá R$ 40 mil e terá sua obra publicada pela BPP, com tiragem de mil exemplares. Os premiados também receberão 100 cópias de seus livros e poderão, mais tarde, reeditar seus trabalhos por outras editoras. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 30 de julho (o edital com as regras e instruções está disponível nos sites bpp.pr.gov.br e seec.pr.gov.br). O resultado será divulgado na primeira quinzena de dezembro.
Em 2012, os vencedores foram Alexandre Vidal Porto (com o romance Sergio Y vai à América), José Roberto Torero (Papis et circensis, contos) e Lila Maia (As Maçãs de antes, poesia). Os três livros foram lançados e distribuídos pelo selo Biblioteca Paraná, que também edita autores paranaenses e resgata títulos relevantes que estejam esgotados ou fora de catálogo. Vidal Porto e Torero já confirmaram a reedição de suas obras pelas editoras Companhia da Letras e Alfaguara, respectivamente, enquanto Lila Maia promete para breve uma segunda impressão de seu trabalho.
 A publicação dos livros ganhadores também por grandes editoras mostra a força do Prêmio Paraná de Literatura e a seriedade com que os jurados trabalharam na escolha dos vencedores”, afirma Rogério Pereira, diretor da BPP e presidente do júri - que em 2012 contou com nomes como José Castello, Luiz Ruffato, Marçal Aquino e Heloisa Buarque de Hollanda, entre outros. “A comissão julgadora é um dos pilares do Prêmio. Teremos um cuidado muito especial na escolha dos nove integrantes do novo júri”, completa Pereira.
Para o diretor da BPP, a preocupação central da organização do Prêmio Paraná é fortalecê-lo como um dos principais concursos literários do País. Para isso, foram mantidas a premiação em dinheiro apenas para os três primeiros colocados de cada categoria e a exigência de total ineditismo dos livros inscritos. “Os ganhadores com certeza serão reconhecidos como autores de qualidade, pois a disputa será sempre acirrada, levando em consideração o valor expressivo a ser pago. Além disso, um prêmio como este precisa surpreender o meio literário, despertar a curiosidade sobre a obra ganhadora. Daí a opção por trabalhos 100% inéditos”, explica.
Vencedor na categoria Romance em 2012, Alexandre Vidal Porto diz que a premiação significou um impulso em sua carreira como escritor e o apresentou a outros públicos. “Como Sergio Y vai à América foi distribuído em bibliotecas e escolas, tenho recebido várias mensagens de leitores desse universo comentando algum aspecto da história”.
Praticamente desconhecida antes do concurso, Lila Maia conta que As maçãs de antes já recebeu críticas positivas de autores importantes como Affonso Romano de Sant’Anna, Marcelino Freire e Suzana Vargas. “O Prêmio Paraná tem essa característica muito importante de abrir portas para escritores que estão fora do circuito literário”, afirma.
José Roberto Torero, vencedor do Jabuti em 1995 por O Chalaça, destaca o fato de que a comissão julgadora do Prêmio Paraná avalia as obras inscritas sem saber quem são os participantes. “É muito melhor assim. Em outros prêmios, o nome do autor, da editora, os amigos e inimigos do autor e a cobertura da imprensa podem acabar influindo, para o bem ou para o mal. Aqui, não. Aqui quem ganha é o texto. E só ele é que importa”.

As inscrições ficam abertas até o dia 30 de julho e o edital e informações podem ser encontrados em bpp.pr.gov.br e seec.pr.gov.br

Caixa Cultural Curitiba realiza a pré-estreia de “KinoClown”

A Caixa Cultural Curitiba apresenta, nesta terça-feira (30), 20h, a pré-estreia do documentário “KinoClown”, sob o risco do ridículo, realizado por Bruno Mancuso, Camila Jorge e Jessica Candal. Após a exibição do filme, haverá um bate-papo entre o público e os realizadores. O projeto conta com incentivo da Caixa Econômica Federal por meio da Lei de Mecenato Municipal e tem entrada franca.
O documentário apresenta uma pesquisa estética em que os documentaristas se apropriam de técnicas de palhaço para abordar a relação com os documentados. Os realizadores acreditam que dessa maneira é possível transformar a relação do documentarista com o “outro”, tendo em vista questões como status, exposição e intimidação entre quem empunha a câmera e quem está diante do equipamento. Os três “kinoClowns”, cada um com sua câmera e nariz vermelho, investigam essas possibilidades, nem sempre bem sucedidas.
Para o realizador Bruno Mancuso, a ideia de abordar a relação entre documentarista e documentado não é nova. “Existe uma relação de status entre quem tem o domínio do dispositivo audiovisual e da elaboração do material-discurso e quem não tem. “KinoClown”, sob o risco do ridículo nasce do desejo de encontrar modos alternativos de estabelecer essas relações, se aproveitando da convenção do ‘palhaço’ para isto”.
Mancuso destaca que o uso das técnicas de palhaço nessa pesquisa evidencia a exposição do documentarista, que ao invés de se esconder, aparece na condição do ridículo. Dessa forma, o documentarista fica desprotegido e fragilizado, facilitando a relação com o documentado. “Estou convencido de que o palhaço, quando exibe ao público suas experiências, deixa-o confortável, em uma posição levemente superior, mas que por outro lado, secretamente, cria uma identificação”, afirma o realizador. 

sexta-feira, 26 de abril de 2013

a arte do encontro

Keith Richards e James Cotton, "Little Red Rooster"

“Homem de Ferro 3” e as outras estreias dos cinemas curitibanos

A aguardada aventura “O Homem de Ferro 3”; as comédias românticas “Um Bom Partido”, “2 Dias em Nova York” e o documentário “Margaret Mee e a Flor da Lua” são as estréias desta sexta-feira nos cinemas curitibanos.

2 DIAS EM NOVA YORK - Nesta comédia romântica, Marion (Julie Delpy) é uma fotógrafa francesa radicada em Nova York, onde vive com o marido Mingus (Chris Rock), os filhos que tiveram em outros relacionamentos e um gato. O casal apaixonado vive tranquilamente enquanto Marion prepara sua exposição. Porém, quando o animado pai de Marion, sua irmã fogosa, juntamente com seu namorado ofensivo, aparecem sem avisar para uma visita internacional, começa uma confusão familiar que durará por dois dias inesquecíveis. Com franqueza sexual e muita extroversão, o trio não tem limites e ninguém passa despercebido por eles. Os visitantes provocam o casal em todos os quesitos, colocando seu relacionamento à prova.
  
HOMEM DE FERRO 3 - Megalançamento, que chega simultaneamente a 1223 cinemas brasileiros. Na trama, inspirada na HQ “Extremis”, Tony Stark (Robert Downey Jr.) vem enfrentando dificuldades para dormir e, quando consegue, tem terríveis pesadelos. Ele teme não conseguir proteger sua namorada Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) dos vários inimigos que passou a ter após vestir a armadura do Homem de Ferro. Para piorar, no seu caminho vão surgir dois vilões - o Mandarim (Ben Kingsley), terrorista internacional que estaria por trás de misteriosas explosões em que não se acham vestígios de bombas; e o excêntrico empresário Aldrich Killian (Guy Pearce), ligado à engenharia genética, e que teve uma passagem no passado de Stark, em 1999. Para enfrentá-los Stark precisará superar seu maior medo: o de fracassar.

MARGARET MEE E A FLOR DA LUA - Em 1952, uma inglesa de olhar aguçado e talento para o desenho desembarcou em São Paulo após enfrentar duas guerras na Europa. Em terras brasileiras, Margaret Mee dedicou seus dias a registrar plantas e chegou a visitar a Amazônia 15 vezes. O documentário dirigido por Malu de Martino recupera diários e depoimentos diversos para mostrar como Margaret ajudou a moldar a forma como encaramos a natureza e preservamos o meio-ambiente. A narração é de Patrícia Pillar.

UM BOM PARTIDO - Comédia romântica onde Gerard Butler vive um famoso jogador de futebol aposentado que retorna à cidade natal e tenta reconstruir uma relação com seu filho e sua ex-mulher (Jessica Biel), enquanto treina o time do garoto. Porém, as coisas se complicam quando o treinador é assediado pelas mães dos outros jogadores.
A direção é de Gabrielle Mucino e Dennis Quaid, Uma Thurman e Catherine Zeta-Jones completam o elenco.


Maestro turco rege concerto da Orquestra Sinfônica neste domingo

O premiado maestro turco Alpaslan Ertungealp comanda o concerto deste domingo (28), que tem como solista uma das mais importantes pianistas sul-americanas, Linda Bustani. A Orquestra Sinfônica do Paraná abre a apresentação com a estreia da obra “Da cúpula sonhou-se o Palácio da Luz”, do compositor e maestro paranaense Márcio Steuernagel. Também serão apresentadas as “Bachianas Brasileiras nº 3”, de Villa-Lobos e a “Sinfonia nº 2 em Dó Maior, Op. 61” de Schumann, compositor alemão.

Maestro - Alpaslan Ertüngealp é natural de Istambul (Turquia), começou sua educação musical aos sete anos de idade como pianista. Estudou regência no Music Franz Liszt Academy, onde concluiu também seus estudos como mestre da música em Direção de Orquestra em 2000.

Solista - Linda Bustani, renome internacional, em 2003 conquistou o importante Prêmio Carlos Gomes como melhor pianista do ano. Seu primeiro prêmio foi aos quinze anos no Concurso Internacional Vianna da Mota de Lisboa, em seguida, nos Concursos Internacionais de Bratislava e Rio de Janeiro.

O Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná acontece no domingo (28), às 10h30, no Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto, Guairão. Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia, conforme legislação).

Espetáculo de grupo mineiro em cartaz no Cleon Jacques

O espetáculo “Máquina de Pinball”, encenado pela companhia “O Coletivo”, de Belo Horizonte (MG), tem apresentações gratuitas às 20h de sábado e domingo (27 e 28), no Teatro Cleon Jacques. A adaptação livre do texto da escritora gaúcha Clarah Averbuck, dirigida por Gil Esper, leva ao palco o retrato de uma geração que presenciou as mudanças comportamentais e os conflitos dos desejos particulares e coletivos, desde a década de 80.
Ganhadora do prêmio Funarte Miriam Muniz de Teatro 2007 e do Prêmio Procultura 2010, a montagem utiliza uma linguagem fragmentada, que evoca símbolos e imagens do cotidiano dos jovens, como litros de álcool, cigarros, beijos, vexames, músicas, paixões relâmpagos e o universo dos meios de diálogo pós-contemporâneo.
A história de Camila, uma jovem de vinte e poucos anos, escritora, viciada em anfetaminas e em baladas, aproxima a dramaturgia de conceitos existenciais e universais inerentes a todas as épocas. A partir de citações e referências aos textos de Álvaro de Campos, John Fante e Bukowski, os atores Priscilla D`Agostini, Rodrigo Fidelis e Isaque Ribeiro - que utilizam um jogo cênico sobre solidão, amor, relacionamentos e vícios - recriam uma perspectiva atual, conjugando, assim, a liquidez da era do videoclipe e da internet com os anseios das gerações anteriores. 
As características dos textos de Clarah Averbuck mantêm-se no espetáculo. O humor, a ironia e o desprendimento para falar de temas complexos, como a solidão, o vício e as dificuldades de sobrevivência, reafirmam a ideia que deu título à peça. Se hoje se trata de uma raridade, a máquina de pinball, famosa nos anos 70 e 80, metaforiza a vida como um jogo de perdas e ganhos, não apenas doloroso, mas também como embate lúdico. "É um humor típico de quem cresceu nos anos 80, vendo muita televisão, lendo histórias em quadrinhos, escutando rock e suas derivações e percebendo que o mundo sério dá errado, na maioria das vezes. Mas, nesse caso, nos apoiamos em Caetano e pensamos que pode ser diferente”, analisa o diretor Gil Esper. Assim como nos textos de Averbuck, suspende-se o juízo de valor. O espectador é convidado a deixar uma postura passiva e permissiva e construir diversos sentidos, de acordo com a sua vivência.
Além da possibilidade de dramaturgia, “Máquina de Pinball” verbaliza as propostas de pesquisa de “O Coletivo”. Estéticas distintas de criação, com atores e equipe com formações e linhas diferentes, fortalecem uma linguagem híbrida. A referência imagética passa pelas mídias contemporâneas - como a Internet, a televisão, o blog e as animações - permeada pelo movimento, pela imagem e pelo som, ganhando equilíbrio. 
Encontros entre clarinetistas e pianistas para um recital são relativamente comuns. Os dois instrumentos oferecem muitas possibilidades sonoras e há um importante repertório para execução. Duos que tenham um trabalho contínuo, ensaios e apresentações há anos, estes, no entanto, são raros no Brasil. E a raridade torna-se maior quando se fala em gravações de CD ou DVD, produto que vem a traduzir horas e horas de intenso comprometimento com a música de câmara e a divulgação de um repertório não tão conhecido do grande público.  O clarinetista Jairo Wilkens e a pianista Clenice Ortigara desde 2000 formam o “Duo Palheta ao Piano”, que agora em 28 de abril lança seu primeiro CD, trazendo a público um repertório ousado apenas com compositores brasileiros. O concerto de lançamento ocorre dentro do projeto Domingo no Campus, na Universidade Positivo.
Possível graças a Lei Municipal de Incentivo a Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba, o CD “Duo Palheta ao Piano” tem incentivo do Positivo e é produzido por Alvaro Collaço Produções. Traz um repertório com obras compostas para a formação clarinete e piano, dos autores Osvaldo Lacerda, Marlos Nobre, Lindembergue Cardoso, Liduíno Pitombeira e Harry Crowl. Além de proporcionar uma expansão do repertório para a formação (a obra “25 Esboços para Clarinete e Piano”, de Harry Crowl foi composta especialmente para o Duo), o CD trouxe um desafio aos intérpretes: mostrar nesse registro os dois instrumentos de maneira equilibrada, pois é comum encontrar registros priorizando um dos instrumentos. “Por isso, todas as obras reunidas são de igual potencial virtuosístico e musical para ambos os intérpretes”, destaca Clenice Ortigara.
No recital de lançamento, o Duo optou por um repertório mais abrangente que o do próprio CD. A primeira para é dedicada a duas obras seminais para formação: “Premiére Rhapsodie”, do impressionista Claude Debussy, e a “Fantasiestücke, opus 73”, do romântico Robert Schumann. A segunda parte é dedicada ao repertório do CD e o Duo tocará “25 Esboços Para Clarinete e Piano”, de Harry Crowl, “The Magic Square Opus 34”, de Liduíno Pitombeira, e “Desafio XI Opus 31 nº 11 a”, de Marlos Nobre, um repertório que mescla atonalismo a música regional brasileira, em um ambiente absolutamente distinto da primeira parte e que revela as atuais possibilidades da formação clarinete e piano.                                                                           
O CD “Duo Palheta ao Piano” tem produção de Alvaro Collaço e foi gravado pelo Estúdio Trilhas Urbanas. A direção de gravação é de Dirceu Saggin, a direção de arte de Cid Alonso Pierin e fotografias de Andréa Paccini. E é mais um produto de arte da Lei Municipal de Incentivo de Curitiba, da Fundação Cultural de Curitiba, com incentivo do Positivo.

O lançamento do disco, no Projeto Música no Campus ocorre no domingo (28), às 11h, no Pequeno Auditório da Universidade Positivo (rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300, Campo Comprido).  Ingressos a R$ 10,00 (inteira). Informações: 3317-3118.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

novidade

Michael Bublé, "To Love Somebody"

Coro da Camerata abre temporada 2013 com programa que apresentará na Alemanha

As apresentações do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, que acontecem de sexta-feira a domingo (26 a 28), na Capela Santa Maria Espaço Cultural, proporcionarão ao público momentos especiais. Na abertura da agenda anual de espetáculos, patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo, o grupo executa um concerto que levará à Alemanha, no próximo mês de junho, quando representará o Brasil na Bienal de Coros, em Aachen. A maestrina cubana Maria Antonia Jimenez, que assume a direção artística e a regência do Coro na temporada 2013, elaborou ainda outro programa para evidenciar a versatilidade e o virtuosismo dos cantores.
Na sexta-feira (26), às 20h, e no domingo (28), às 18h30, o concerto “A Cantiga Brasileira – Música Coral do Brasil” reúne obras de Villa-Lobos, Lindembergue Cardoso, Waldemar Henrique, Camargo Guarnieri, Francisco Mignone, Henrique de Curitiba, Ernani Aguiar, Aylton Escobar, Chico Buarque de Holanda  e Ronaldo Miranda.
É com essa programação que o Coro da Camerata Antiqua de Curitiba mostrará na Alemanha a excelência do trabalho que desenvolve desde a sua criação, em 1974, e que extrapolou fronteiras. A apresentação dos cantores conta com a preparação cênica do carioca José Brazil, que escolheu Curitiba para expandir sua carreira artística. Barítono da Camerata Antiqua de Curitiba, Brazil formou-se em Canto pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, além de dedicar-se à direção cênica de óperas.
O concerto completa-se com a declamação de Claudia Römmelt, nascida em Bonn (Alemanha), mas que vive no Brasil desde 1994. Na Universidade Federal do Paraná, Claudia obteve doutorado em História e, em 2003, assumiu a gerência do Instituto Goethe em Curitiba, atuando em diferentes áreas da cultura, com ênfase em música e artes visuais.

Outro programa - No sábado (27), às 18h30, o Coro da Camerata Antiqua de Curitiba apresenta o concerto “O Sacro na Música Coral Brasileira”, com composições de Manoel Dias Oliveira, José Maurício Nunes Garcia, Villa-Lobos, Ronaldo Miranda, Ernani Aguiar, Camargo Guarnieri e Aylton Escobar.
O espetáculo contará com comentários da maestrina Maria Antonia Jimenez, dando continuidade à proposta da Fundação Cultural de Curitiba de introduzir breves palestras de especialistas nos concertos da Camerata Antiqua, Orquestra de Câmara e Coro da Camerata, com o objetivo de permitir ao público melhor apreciação da produção de grandes compositores.

Os ingressos para as três apresentações do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada).

Homenagem

A revista norte-americana Boston Magazine fez uma homenagem às vítimas do atentado na Maratona de Boston no último dia 15 de abril. Na capa da edição de maio, a publicação usou uma foto dos tênis dos atletas que participaram da corrida, posicionados em forma de coração.
Junto com a imagem, uma mensagem: “Nós vamos terminar a corrida”. Os donos dos calçados que aparecem na foto dão seus relatos sobre o caso para a revista, em uma matéria especial sobre o caso.

O absurdo vai à mesa na Caixa Cultural Curitiba

A Caixa Cultural Curitiba apresenta, de 26 a 28 de abril, o espetáculo “No Pirex”, do grupo mineiro Armatrux. Com direção de Eid Ribeiro, o espetáculo dispensa a palavra para narrar o encontro de cinco personagens, grotescos e surreais, em torno da mesa de um restaurante, tendo como foco as relações de poder, o sexo, o amor e a morte. “No Pirex” é um misto de ingredientes surrealistas, que resulta numa mistura de teatro físico, comédia muda, clown e boas doses de manipulação de objetos cotidianos.
A peça conta a história da dona de casa Boquélia, do jovem garçom Bencrófilo, da cozinheira Bonita, do velho garçom Ubaldo e do velho Alcebíades. As personagens dão vida a uma história, que transita entre pesadelo cômico, jantar surrealista e festa macabra, aberta a qualquer outra interpretação do público. A direção de "No Pirex" é de Eid Ribeiro e o elenco conta com Cristiano Araújo, Eduardo Machado, Paula Manata, Raquel Pedras, Tina Dias e Rogério Araújo.
“No Pirex” é uma criação coletiva, que se iniciou no grupo de estudos “Sociedade do Riso” - projeto de pesquisa do Armatrux sobre a comicidade em suas mais diversas manifestações. "A partir do nada, chegamos a uma pequena monstruosidade", conta o diretor. Elementos do clown, do teatro físico, da comédia muda e uma surpreendente forma de manipulação de objetos cotidianos, demonstram a maturidade do grupo nas mais diversas técnicas teatrais e circenses.
Uma das peças de maior destaque, no cenário contemporâneo do teatro mineiro, “No Pirex” recebeu o Prêmio Usiminas/Sinparc de Teatro e Dança, nas categorias “melhor direção” e “melhor iluminação”. O grupo também esteve presente no Festival Internacional de Teatro do Mercosul, em Córdoba (ARG), e foi homenageado no Festival Internacional de Teatro de La Paz (FITAZ), na Bolívia.

As apresentações acontecem sexta-feira e sábado, às 20h e domingo, às 19h. Os ingressos custam R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia, conforme legislação e correntista Caixa). Informações: 2118-5111.

UCI transmite o grand finale da temporada do MET com “Giulio Cesare”

Encerrando a temporada 2013 do Metropolitan Opera House, a rede UCI transmite, ao vivo de Nova York e em alta definição, a ópera “Giulio Cesare”, de Handel. Esta é a última oportunidade para quem ainda não conferiu uma produção de uma das maiores casas de música clássica do mundo. O espetáculo traz David Daniels, um dos contratenores mais aclamados da atualidade, no papel do emblemático protagonista. Em Curitiba (PR), as sessões acontecem no UCI Estação e no UCI Palladium, no sábado (27), às 13h.
Criada pelo compositor alemão George Frideric Handel, “Giulio Cesare” teve sua estreia em 1724, no King’s Theatre de Londres. Composta por três atos, a ópera retrata a fuga de Pompeu para o Egito depois de ser derrotado por César. Lá, ele se depara com o conturbado governo do casal de irmãos Ptolomeu e Cleópatra, que disputam o poder pelo trono. A partir desse momento, a história se desenrola entre jogos políticos e o romance de César e Cleópatra.  
David Daniels assume o papel principal, enquanto Natalie Dessay vive a exótica e irresistível Cleópatra. A ópera é dirigida por David McVicar e conduzida pelo maestro especialista do estilo barroco Harry Bicket.  
“Giulio Cesare” encerra no dia 27 a bem sucedida temporada do MET, iniciada em outubro de 2012. Em doze espetáculos foram exibidas mais de 50 horas de conteúdo exclusivo, ao vivo e em alta definição. O público, de mais de 20 mil pessoas, pode conferir o trabalho dos maiores tenores e sopranos da atualidade no conforto de salas digitais.

Os ingressos custam R$ 60,00 e R$ 30,00 (meia-entrada) e poderão ser adquiridos nas bilheterias dos cinemas e nos terminais de autoatendimento. Os bilhetes também podem ser comprados no site da rede: http://www.ucicinemas.com.br/met-opera/.

Melhores filmes do Festival do Minuto serão exibidos em dois espaços culturais do Governo do Estado

O Festival do Minuto, mostra competitiva de filmes de curtíssima duração, que ocorre anualmente desde 1991, realiza uma mostra itinerante em diversos espaços culturais.  O Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR) promove nesta sexta-feira (26), às 20h, no Auditório Brasílio Itiberê (anexo à Secretaria de Estado da Cultura), a sessão “Os Melhores Minutos de 2012”, em que serão exibidos 63 filmes selecionados pela curadoria do festival, muito deles são premiados. A classificação indicativa é de 16 anos e a entrada é gratuita.
Já o Centro Juvenil de Artes Plásticas selecionou filmes do festival com classificação indicativa livre para apresentar em seu espaço. A sessão ocorre a partir das 17 horas do mesmo dia (26). A entrada também é franca.
A cada edição do Festival do Minuto, um tema é sugerido e os participantes fazem uso de toda sua criatividade e capacidade de síntese para criar um filme de até um minuto de duração, utilizando diversas linguagens e técnicas. O festival já revelou vários talentos do cinema brasileiro, como Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”), Beto Brant (“O Invasor”) e Tata Amaral (“Um Céu de Estrelas”) e é um dos eventos mais aguardados da área audiovisual.

Leo Fressato se apresenta no projeto “Música na Biblioteca”

Leo Fressato é a atração desta sexta-feira (26) do projeto “Música na Biblioteca”. O cantor e compositor se apresenta a partir das 17h30, no hall térreo da Biblioteca Pública do Paraná. Durante a apresentação, Fressato será acompanhado pelo músico francês Arthur Mensch. A dupla vai interpretar canções autorais em português e francês. A entrada é franca.
Formado em Artes Cênicas pela FAP, Fressato faz questão de incorporar o teatro em suas músicas. Seu nome ganhou projeção nacional como compositor da música “Oração”, gravada pela Banda Mais Bonita da Cidade. O francês Arthur Mensch vive em Curitiba há quatro anos e usa a cultura brasileira como inspiração para suas composições. Juntos, os artistas apresentam um repertório que une canções pra criar “pequenos diálogos de amor”.
Criado em 2011, o “Música na Biblioteca” é um projeto que valoriza os talentos da cena musical local. Nesse período, mais de cem músicos, dos mais diversos gêneros - da MPB à música barroca, passando pelo chorinho, música indiana, tango e samba - já se apresentaram no palco da BPP.
Mais informações: 3221-4900 ou www.bpp.pr.gov.br.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Direto da Inglaterra, pela primeira vez em Curitiba, o melhor tributo ao rei do rock

Os fãs paranaenses de um dos maiores ídolos da música mundial de todos os tempos, Elvis Presley, terão a oportunidade de reviver uma era. Considerado o Melhor Tributo a Elvis Presley do Mundo, o show “The King Is Back”, desembarca pela primeira vez em Curitiba, nesta quinta-feira (25), para única apresentação no Teatro Positivo, às 21 horas. A energia e os principais hits de Elvis serão revividos pelo intérprete britânico Ben Portsmouth e sua banda, a The Taking Care Elvis Band.
Ben Portsmouth, que encarna Elvis Presley no show, venceu, em 2012, o Worldwide Ultimate Elvis Tribute Artist Contest 2012, concurso que reúne, em Memphis, Tennessee, centenas de artistas que fazem tributos a Elvis de todo o mundo. Ben desbancou 10 artistas na final, e foi o primeiro artista não americano a vencer o concurso desde seu início em 2007.
No show, Ben, ao lado de uma super banda, a The Taking Care Elvis Band, interpreta todos os grandes clássicos de Elvis Presley, passando em revista todas as fases de sua carreira, com inúmeras trocas de vestuários, caracterizando bem toda a vida de um dos maiores cantores de todos os tempos.
O público terá a oportunidade de ver as diferentes fases da carreira, com os figurinos de época e interpretações de clássicos que vão do início de sua carreira, como Jailhouse Rock e All Shook Up, do período que Elvis brilhava no cinema no final dos anos 1950 até seus sucessos dos anos 1960 e 1970, como Love me Tender, It’s Now or Never, Bridge Over Troubled Water, Kiss me Quick, Can’t Help Falling In Love, Surrender, Suspicious Minds e tantos outros que marcaram várias gerações. Do surgimento em 1954 até a morte em 1977, Ben e sua banda, a Taking Care Of Elvis, apresentam o melhor do eterno Rei do Rock.
O grupo é formado por Ben Portsmouth (guitarra acústica e voz), David Portsmouth (bateria), Richardo Gibson (teclados), Ryan Quartermaine (guitarra e vocais), Dan Caney (baixo e vocais), Alison Povey, Colleen Rowe e Natalie Vale (vocais).

O preço dos ingressos varia de R$ 120,00 a R$ 240,00.

Peça sobre educação ambiental é atração do Projeto “Aventuras Teatrais” da BPP

Nesta quinta-feira (25), às 15 horas, o Grupo Apoema é a atração da segunda edição do projeto “Aventuras Teatrais” em 2013. A companhia apresenta a peça “Aventuras na Terra da Lixolândia”. O evento acontece no auditório Paul Garfunkel da Biblioteca Pública do Paraná e tem entrada franca.
Criado em 2003, o Grupo Apoema surgiu com o intuito de abordar o tema da educação ambiental, conscientizando e incentivando práticas sustentáveis que gerem equilíbrio entre o homem e o ambiente. Além de palestras e peças teatrais, o grupo também produz material didático relacionado à educação ambiental e presta assessoria para escolas.
 O projeto Aventuras Teatrais é uma iniciativa da Seção Infantil da BPP e tem como objetivo criar uma porta de entrada para o mundo da ideias por meio de apresentações de teatro. São espetáculos que proporcionam reflexão e ampliam as possibilidades culturais do público, seja ele formado por crianças, adolescentes e até mesmo adultos”, explica Lidiamara Gross, responsável pela Divisão de Coleções Especiais (DCE) da Biblioteca Pública do Paraná.
A próxima edição do evento acontece no dia 17 de maio, com a peça “Sustentabili... quê?", com o Grupo Contarte. Mais informações: 3221-4980.

Sesi Zoom Cultural promove bate-papo entre escritores, músicos e cineastas e o público jovem

Nesta quinta-feira (25), 20h, tem início a nova temporada do projeto Sesi Zoom Cultural em Curitiba (PR). Os convidados são o escritor e quadrinista Lourenço Mutarelli e o músico Klaus Koti, da monobanda “O Lendário Chucrobillyman”. Voltado ao público jovem, o Sesi Zoom Cultural une grandes nomes do cenário artístico nacional e regional para promover um intercâmbio de idéias e discutir a importância da leitura e da literatura entre os participantes.
Iniciativa do Sesi/PR com produção e curadoria do Rascunho, no evento, os artistas - entre músicos, escritores, cineastas e dramaturgos — trazem para a conversa suas influências literárias, obras preferidas e leituras marcantes, além de discutirem sua produção. Após o bate-papo, com mediação do jornalista Omar Godoy, o encontro é finalizado com um pocket show ou exibição de um curta-metragem ou documentário.

Os convidados - Lourenço Mutarelli é escritor, artista gráfico, roteirista e ator. Publicou diversos álbuns de histórias em quadrinhos, como a trilogia Diomedes e Caixa de areia. O cheiro do ralo, seu primeiro romance, saiu em 2002, seguido por O natimorto, Nada me faltará e A arte de produzir efeito sem causa, vencedor do Prêmio Portugal Telecom, entre outros. Também escreveu peças de teatro e atuou em curtas-metragens e no filme O cheiro do ralo, de Heitor Dhalia, baseado em seu livro.
"O Lendário Chucrobillyman" é uma monobanda (banda formada por um único integrante) surgida em 2005, em Curitiba. Nela, o músico Klaus Koti toca bateria, guitarra e outros instrumentos - tudo ao mesmo tempo. Suas influências vão do punk e blues ao rock de garagem. Participou de vários festivais de música independente no Brasil, além de ter se apresentado em países como Portugal, Áustria, Eslovênia, França, Itália, Uruguai e Argentina. Em 2008, lançou o álbum The chicken flow, em que explora a sonoridade da viola caipira de dez cordas.

Esta nova edição do Zoom Cultural acontece no Teatro do Sesi, situado na rua Padre Leonardo Nunes, 180, Portão. A entrada é gratuita (os ingressos podem ser reitrados 30 minutos antes do evento).

Museu Oscar Niemeyer recebe a exposição “Leda Catunda – Pinturas Recentes”

O Museu Oscar Niemeyer (MON) inaugura a exposição “Leda Catunda – Pinturas Recentes”, nesta quinta-feira (25), às 19 horas, na sala 5. Nesta mostra estarão expostos os mais recentes trabalhos de Leda, com 18 obras em tinta acrílica sobre tela e tecido que, segundo a artista, “remetem à questão da identificação do sujeito com algum tipo de imagem”.
Leda Catunda é uma das mais significativas artistas nacionais da atualidade. Ela fez parte do grupo artístico de forte relevância no Brasil denominado “Geração 80”, participou de bienais, exposições nacionais e internacionais e suas obras estão em importantes coleções de museus, fundações e centros culturais do país e do mundo.
O curador da mostra, Jacopo Crivelli Visconti, explica o conceito da exposição, “os logotipos, as imagens, as cores, os símbolos, os números: todo o repertório visual do esporte aparece nessas obras, cada elemento competindo com os outros, tentando sobrepor-se aos que o rodeiam, até preencher cada centímetro do espaço à disposição”, conclui Visconti. 

O Museu Oscar Niemeyer está aberto à visitação de terça a domingo, das 10h às 18 horas. Os ingressos custam R$ 6,00 e R$ 3,00 (meia-entrada). Mais informações: 3350- 4400.

Gwyneth Paltrow é eleita mulher mais bonita do mundo pela revista People

(Reuters) - A atriz vencedora do Oscar Gwyneth Paltrow foi eleita nesta quarta-feira a mulher mais bonita do mundo em 2013 pela revista People, tirando a cantora pop Beyoncé do topo da lista.
Gwyneth Paltrow, de 40 anos e mãe de dois filhos, credita sua boa forma aos exercícios que faz cinco dias por semana.
"Isso me faz parecer mais jovem e me sentir forte", afirmou Paltrow à revista. "Quando eu comecei, eu pensei, 'nunca vou ser boa nisso, isso é um pesadelo!' Mas agora é como escovar os dentes".
É a quarta vez que Paltrow, casada com o cantor do Coldplay Chris Martin, é escolhida para a edição anual das pessoas bonitas da revista, mas é a primeira vez que lidera a lista de mulher mais bonita.
Ela se junta a nomes como os das atrizes Jennifer Lopez, Julia Roberts, Halle Berry e Jennifer Aniston, que já estiveram em primeiro lugar.
Paltrow retoma o papel como Pepper Potts no filme de ação "Homem de Ferro 3", que estreia nesta sexta-feira (26).
A atriz reduziu seu trabalho no cinema depois de dar à luz os filhos Apple, de 8 anos, e Moses, de 7, e lançou seu segundo livro, "It's All Good", neste mês.
Paltrow ganhou um Oscar por seu papel como musa de William Shakespeare no filme de 1998 "Shakespeare Apaixonado".
A lista completa das "Pessoas Mais Bonitas do Mundo" pode ser encontrada em www.people.com/mostbeautiful.

“Homem de Ferro 3” estreia no Cinesystem com direito a brinde e venda antecipada

Robert Downey Jr. está de volta na pele do bem-humorado “Homem de Ferro”. A terceira aventura da Disney/Marvel estreia nesta sexta-feira (26), mas os clientes da Rede Cinesystem Cinemas já podem garantir a melhor poltrona, antecipadamente, pelo site (www.cinesystem.com.br) ou nos multiplex de Curitiba (Shoppings Cidade, Curitiba e Total).
A partir do dia da estreia, os fãs do super herói ainda poderão levar uma lembrança para casa na compra do combo “Homem de Ferro 3”, grande ou duplo, mais R$ 8,00. O brinde é um squeeze de metal personalizado, que também pode ser adquirido separadamente por R$ 14. A promoção da bomboniere é válida para todas as unidades da Rede.

Filme - Depois de lutar para manter o segredo de sua armadura a salvo no segundo filme da franquia, o milionário Tony Stark (Robert Downey Jr.) tem enfrentado dificuldades para dormir e, quando consegue, tem terríveis pesadelos desde o ataque dos chitauri a Nova York. Ele teme não conseguir proteger sua namorada Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) dos vários inimigos que passou a ter após vestir a armadura do Homem de Ferro. Um deles, o Mandarim (Ben Kingsley), decide atacá-lo com força total, destruindo sua mansão e capturando Pepper. Para enfrentá-lo Stark precisará ressurgir do fundo do mar, para onde foi levado junto com os destroços da mansão, e superar seu maior medo: o de fracassar.

Cinesystem - A Rede Cinesystem Cinemas é uma das principais exibidoras do País graças a um agressivo plano de expansão iniciado em 2003. Hoje são 79 salas em operação, distribuídas em seis estados brasileiros, do Maranhão ao Rio Grande do Sul passando por Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Até o final deste ano, a Rede vai ampliar ainda mais suas atividades com novos complexos em Imperatriz (MA), Maceió e Arapiraca (AL), Vila Velha (ES) e Rio Grande (RS).
O pioneirismo tem sido uma das marcas da Cinesystem na indústria cinematográfica nacional. Precursora da digitalização no Brasil, foi a primeira Rede a operar complexos 100% digitais. Além disso, trouxe para o País o inédito conceito de “autosserviço”, onde o cliente compra os ingressos em estações de vendas com monitores touch screen e também se serve sozinho dos produtos oferecidos na bomboniere.
Mais informações no site www.cinesystem.com.br.

Biblioteca Pública do Paraná adquire 2 mil novos livros

A partir desta quarta-feira (24), o público da Biblioteca Pública do Paraná (BPP) tem à disposição mais 2 mil novos livros. As obras, todas em edições recentes, serão incorporadas ao acervo da Seção de Linguística e Literatura e já estão disponíveis para empréstimo no Hall de entrada da BPP.
A compra faz parte da política de renovação de acervo iniciada no começo de 2011 - desde então, três grandes compras foram realizadas, totalizando mais de 20 mil livros. Entre as novas aquisições, estão obras de autores nacionais, como o memorialista Pedro Nava, e estrangeiros, como a best-seller Stephenie Meyer, autora da saga "Crepúsculo", que passam a integrar o acervo de mais de 400 mil exemplares da BPP.
Da literatura contemporânea, destacam-se títulos de Paulo Scott ("Habitante Irreal"), do cultuado escritor norte-americano Charles Bukowski ("Notas de um Velho Safado") e de Nelson Rodrigues que, além das mais recentes reedições de sua obra, também têm disponibilizada uma coletânea inédita de contos publicados na mítica coluna “A Vida Como Ela É”, publicada entre os anos 1950 e 1960 em jornais cariocas.
O restabelecimento do acervo da Biblioteca é uma das nossas prioridades. Ainda em 2013, a BPP vai investir R$ 1 milhão na compra de livros”, diz o diretor da BPP, Rogério Pereira. A seleção das obras foi escolhida por uma equipe composta por membros do Conselho Editorial da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná (Seec) e da BPP.