quarta-feira, 30 de abril de 2014

Angela Ro Ro vai do blues ao bolero na Caixa Cultural Curitiba

A Caixa Cultural Curitiba apresenta, de 1º a 4 de maio, o show "Angela Ro Ro – 35 de Anos de Sucesso", no formato de teclado e voz, com repertório focado, principalmente, na fase mais recente da cantora e compositora. O show também convida o público a um passeio pelos seus 35 de anos de estrada. A artista vai do blues ao bolero, do romântico ao rock, em músicas como "Compasso", o blues Nossos Enganos, a parceria com Ana Terra em Paixão e Amor, Meu Grande Amor. O tecladista, maestro e arranjador Ricardo MacCord faz duo com a artista em vários momentos do show.
Também fazem parte do repertório a balada “Tola Foi Você”, e os clássicos “Só nos Resta Viver” e, do seu mais recente CD/DVD, a canção título “Feliz da Vida!”, em  parceria com Paulinho Moska, e “Capital do Amor”, uma homenagem ao Rio de Janeiro, em parceria com Jorge Vercillo. Compositora da maior parte do seu repertório, Angela Ro Ro também brilha sendo intérprete de autores como Cole Porter, Vinicius de Moraes e Tom Jobim.

Ângela - Cantora, compositora, instrumentista, produtora e dona de sua própria direção cênica, Ângela Ro Ro possui longa trajetória na história da MPB. Sua estreia fonográfica aconteceu em 1979 com disco homônimo, lançado pela Polygram, que reuniu sucessos como “Gota de Sangue”, “Agito e Uso” e o grande sucesso “Amor, Meu Grande Amor”. No disco seguinte, “Só Nos Resta Viver”, os maiores sucessos foram a faixa-título e a regravação de”Bárbara”, de Chico Buarque e Ruy Guerra.
Na década de 1980, Angela lançou os discos “Escândalo” (1981), “Simples Carinho” (1982), “A Vida é Mesmo Assim” (1984), “Eu Desatino” (1985) e “Prova de Amor” (1988). Suas canções foram gravadas por vários artistas da MPB, dentre eles, Maria Bethânia, Ney Matogrosso, Barão Vermelho, Marina Lima, Simone e Zélia Duncan.
“Acertei no Milênio”, em 2000, com o qual recebeu o prêmio de Compositora do Ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), marca nova vida para Angela Ro Ro. Passou a se dedicar, em 2004 e 2005, ao programa “Escândalo”, no Canal Brasil, em que entrevistava cantores e compositores da MPB. Em 2006, a convite da Indie Records, lançou o álbum “Compasso”.
Em “Feliz da Vida!” seu álbum mais recente, de 2013, Angela optou por um repertório de parcerias inéditas com Ana Carolina, Jorge Vercillo, Lana Braga, Sandra de Sá, Carlota Marques, Moska, Mario de Castro, Antonio Adolfo e Ricardo MacCord, que assina a direção musical e os arranjos.

As apresentações de Angela Ro Ro acontecem de quinta-feira a sábado às 20h e domingo às 19h e os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia, conforme legislação e correntista Caixa). Informações: 2118-5111. O espetáculo é recomendado para maiores de 14 anos.

Curitiba se integra oficialmente ao Sistema Nacional de Cultura

O Diário Oficial da União publicou em sua edição de 3 de abril de 2014 o Acordo de Cooperação Federativa nº 01400.004785/2013, que estabelece a integração de Curitiba ao Sistema Nacional de Cultura. Com a publicação, Curitiba adere oficialmente ao sistema e passa a se beneficiar de apoio técnico e financeiro do Ministério da Cultura para o desenvolvimento de programas, projetos e ações no âmbito do município.
O acordo, firmado em março de 2013 pela ministra Marta Suplicy e pelo prefeito Gustavo Fruet, foi publicado agora após um processo interno de análise e aprovação pelo MinC da proposta apresentada pelo município, mostrando como a cidade vai implementar o modelo de política pública de cultura segundo as diretrizes do sistema nacional.
Para Marcos Cordiolli, presidente da Fundação Cultural de Curitiba, a grande vantagem da adesão de Curitiba ao Sistema Nacional de Cultura, além da facilitação do repasse de recursos financeiros do governo federal e do apoio técnico e de infraestrutura do Ministério da Cultura, é que o modelo proposto propõe uma maior participação da sociedade civil. “As discussões sobre questões da cultura devem passar pela aprovação da sociedade. Não ficam mais restritas aos artistas ou a instituições e órgãos governamentais”, explica Cordiolli. Outra vantagem é a troca de informações com os outros componentes nacionais do sistema, uma vez que o objetivo, em última análise, é a criação de uma política mais unificada em termos de cultura para todo o país.

Etapas – Nesse período de um ano, enquanto a sua proposta estava em análise no MinC, a Prefeitura, por meio da Fundação Cultural de Curitiba, tratou de dar início às ações e etapas previstas. O marco regulatório da implantação do Sistema Municipal de Cultura será aprovado na Conferência Extraordinária de Cultura, que será realizada no final deste mês de maio. O Plano Municipal de Cultura será aprovado no próximo ano, na 5ª Conferência Municipal.
De acordo com Elton Barz, assessor de Assuntos Institucionais da Fundação Cultural de Curitiba, outras etapas do processo serão implementadas até o final do ano que vem: a implantação de dois sistemas auxiliares (Formação de Gestores e Informação e Indicadores), a aprovação pela Câmara de Vereadores da Lei do Sistema Municipal de Cultura, a reformulação do Programa de Incentivo e Apoio à Cultura (que passará a se chamar “Sistema Municipal de Fomento e Incentivo à Cultura”), a eleição dos coordenadores dos fóruns setoriais e regionais de cultura (já em andamento). “Acreditamos que até o final de 2015 ou início de 2016 teremos concluída a integração plena de Curitiba ao sistema nacional”, afirma Barz.

Espaços culturais do Governo do Estado no Dia do Trabalho

Neste 1º de maio, os museus da Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) funcionam em horário diferenciado, exceto o Museu Oscar Niemeyer, que abre das 10h às 18 horas. No dia 2 de maio (sexta-feira) o funcionamento é normal. A Biblioteca Pública do Paraná estará fechada durante o Dia do Trabalho, mas funciona normalmente nos dias 2 e 3 de maio (sexta-feira e sábado). Confira algumas atrações.
Quem for ao Museu Alfredo Andersen vai conferir a mostra “Ser Maria, eis a questão”, organizada pelo Grupo Lupa, que mescla linguagens artísticas como fotografia, música, escultura, literatura e performance. Buscando um panorama atual da relação da mulher com o ambiente, o Grupo Lupa foi a campo e obteve relatos de vida, pensamentos e atitudes para mostrar o modo de viver e o pensamento da mulher na sociedade atual.
No Museu Oscar Niemeyer, que funcionará normalmente durante o ferido, é possível conferir as exposições “Nos Intervalos entre as coisas importantes, nos minutos a toa - José Bechara”, “O Muro”, “Abraham Palatnik – A Reinvenção da Pintura” (foto), “Revisitações Plásticas – Arte Mexicana”, “Heist Films”, “Museu em Construção”, “Cones”, “Espaço Niemeyer” e o “Pátio das Esculturas”. Além das exposições, há ainda a sala em homenagem ao artista Waldemar Freyesleben.
Os visitantes do Museu Paranaense poderão conferir exposições que revelam detalhes e curiosidades da história do Paraná: “Rituais indígenas e a fabricação do corpo”, “Um lar de família: exposição de mobiliário e objetos do cotidiano de uma família de Curitiba”, “Modos e Modas”, “Vladimir Kozák, o olhar de um viajante”, "Dinheiro e Honraria: o acervo de numismática do Museu Paranaense”, além do Memorial à Indústria da Erva-Mate e da mostra “160 anos da Emancipação Política do Paraná”.
Já o Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC-PR) abriga as exposições “A Geodésia museológica”, com curadoria de José Francisco Alves, que apresenta obras do acervo do MAC que dizem respeito a territórios, paisagens, lugares concretos e universos imaginários. Além de “[Conciliar]”, da artista plástica curitibana Uiara Bartira, que traz desenhos inéditos e gravuras realizadas entre 1985 e 2010, e “Leveza e Tensão”, de Eleonora Fabre, com obras produzidas entre 2011 e 2012. O trabalho é o resultado da união de dois objetos encontrados aleatoriamente. São instalações com objetos que tratam de tempo, memória vivida e personagens.
É possível visitar também o Museu do Expedicionário, que tem em seu acervo armas, uniformes, fotografias, filmes, mapas, livros, ilustrações e documentos que contam um pouco sobre a participação dos soldados do Brasil na 2ª Guerra Mundial. Há também peças representativas das três forças armadas brasileira: uma âncora, um carro de combate e um avião Thunderboldt P-47 D.

TV éParaná vai transmitir festa do Dia do Trabalho

O governador Beto Richa, junto com a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa e o secretário do Trabalho, Emprego e Economia Solidária, Luiz Claudio Romanelli, participa da missa do trabalhador, celebrada pelo padre Reginaldo Manzotti. A TV éParaná transmite a festa do Primeiro de Maio Solidário, em comemoração ao Dia do Trabalho. Os festejos acontecem na Praça Nossa Senhora da Salete, no Centro Cívico, em Curitiba.
A programação começará às 9 horas, com a missa conduzida pelo padre Reginaldo Manzotti. Às 11h30 haverá shows com os artistas locais Marcus Fernandes, Os Sertanejos, The Boogie Woogie Pineland´s e Silvio Ruann.
A abertura oficial do evento será às 14h30, com a presença do governador Beto Richa, que irá sancionar o novo piso mínimo regional, reajustado em 7,34%. O piso é o maior do Brasil e será aplicado em quatro faixas salariais, que variam de R$ 948,20 a R$ 1.095,60. Este reajuste regulamenta o salário de categorias profissionais que não têm convenção nem acordo coletivo de trabalho.
O percentual foi definido por uma comissão tripartite formada, por representantes dos empregadores, dos trabalhadores e do poder público, e aprovado por unanimidade pelo Conselho Estadual do Trabalho.
O evento é promovido pela Força Sindical do Paraná e a organização espera reunir cerca de 100 mil pessoas. Estarão presentes o presidente Força, Nelson Silva de Souza, e o vice, Sérgio Butka. O show de encerramento será com a dupla João Neto & Frederico.

terça-feira, 29 de abril de 2014

Willmutt volta a Curitiba para única apresentação

Nesta quarta-feira (30), às 20h, o alemão Willmutt sobe ao palco do Guairinha para apresentar suas bem-humoradas pegadinhas. E desta vez traz também a “Terezinha, polaca de Contenda”, personagem criado pela jovem humorista Pamela Haiduk, que assim como Willmutt faz o sotaque de alemão. Esta é a primeira vez que os dois humoristas se apresentam juntos e prometem muita diversão e brincadeiras. Terezinha é uma polaca de forte sotaque que faz uso de características muito presentes na região de Contenda.
O personagem alemão Wilmutt surgiu de uma brincadeira entre amigos e a partir de 2006 foi lançado na Internet, desde então o humorista passou a ser procurado para vários trabalhos, como shows artísticos, programas de rádio e TV e garoto propaganda.
Oriundo de uma família humilde da cidade paranaense Marechal Cândido Rondon, Cleiton Geovani Kurtz deixou o anonimato para se tornar conhecido no Brasil e no exterior como uma das maiores revelações do humor. Há nove anos apostou na carreira humorística e já se apresentou em várias cidades paranaenses, além de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Piauí, Distrito Federal, Goiás e também no Paraguai.
Hoje o personagem Wilmutt contabiliza mais de 200 brincadeiras gravadas e todas as “pegadinhas”são feitas aleatoriamente. Não existe um roteiro, pois o sucesso depende muito da resposta de quem está do outro lado da linha. E quando surge algum tema que possa gerar uma história interessante, ele faz a ligação telefônica e grava, mas sempre com muito cuidado, sem ofender a pessoa do outro lado da linha e nem usar palavrões. O bobo da história é sempre o Willmutt.
Saiba mais sobre o humorista no site: www.willmutt.com.br
Livre para todas as idades, o show do Willmutt tem ingressos custando R$ 50,00 e R$ 25,00 (meia). Mais informações: 3315-0808.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Fernanda Takai faz pocket show gratuito no Shopping Curitiba

Com o recente trabalho “Na Medida do Impossível”, lançado no último mês, Fernanda Takai confirmou presença no próximo “Trajeto Lumen Ao Vivo” para falar do novo álbum e de sua carreira. O evento acontece nesta quarta-feira (30), às 18h, na Livraria Cultura (Piso L3) do Shopping Curitiba.
A artista voltou a escrever música com maior frequência e afirma que o projeto está como ela sonhou. “Tudo à primeira vista parece meio caótico musicalmente, mas foi pelas arestas que encontrei o encaixe de mundos tão distintos. Não pelo insólito. Pela nobreza de cada voz, compositor e músico que participa desse caminho. Gente que ouvi muito durante minha vida, gente que cresceu profissionalmente à mesma época que eu, autores que talvez gerações desconheçam, parcerias que soam como sacrilégio ou privilégio”, explica.
O disco tem participações de Samuel Rosa, padre Fábio de Melo e Zélia Duncan, além de algumas surpresas, como a canção “Mon amour, meu bem, ma femme”, sucesso na voz do ídolo brega Reginaldo Rossi. Zélia Duncan e Fernanda já haviam cantando juntas essa música e para o registro atual foi providenciada uma releitura com gosto caribenho.
Além de pocket show, ela participará de bate-papo com o público presente e sessão de autógrafos, às 19 horas.  Com entrada gratuita, as entrevistas serão transmitidas ao vivo, pela Rádio Lumen FM (99.5). Mais informações no fone 3271-4700 (Rádio Lumen FM).

TRAJETO LUMEN AO VIVO - A rádio Lumen FM realiza o projeto “Trajeto Lumen ao Vivo” desde 2011 com intuito de fomentar e divulgar a cultura em Curitiba e aproximar artistas do público curitibano. Em 2013, o projeto entrou na terceira temporada, que conta com a parceria do Shopping Curitiba e já contou nomes como Ellen Oléria, Wilson Simoninha, Ronaldo Fraga, Paula Lima e Luiza Possi. 

Centro Cultural Teatro Guaíra abre inscrição para o Troféu Gralha Azul 2014

O Centro Cultural Teatro Guaíra lançou o edital para o Troféu Gralha Azul deste ano, no qual podem concorrer companhias e grupos profissionais de teatro. As inscrições já podem ser feitas e prosseguem até 21 de outubro – a ficha de inscrição está disponível no site do teatro, assim como o edital. O Concurso de Seleção e Concessão do Prêmio Troféu Gralha Azul está em sua 35ª edição. Trata-se de premiação realizada todos os anos para homenagear os profissionais do teatro paranaense que mais se destacarem no ano, em parceria com o Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões no Estado do Paraná e com o Sindicato dos Empresários e Produtores de Espetáculos e Diversões do Estado do Paraná.
É uma premiação muito importante. O Gralha se tornou um grande incentivo ao trabalho dos talentosos profissionais do teatro do Paraná”, afirma a diretora-presidente do CCTG, Mônica Rischbieter.

PRÊMIOS - O Gralha Azul premia 14 categorias, além de conceder o Prêmio Especial a um profissional “pela expressiva contribuição ao teatro” como artista ou técnico ou ainda por relevante contribuição na militância político-cultural em favor dos interesses da classe. Concede, ainda, o prêmio Técnico do Ano, para o destaque em função técnica. Esses dois prêmios são definidos em assembleia das entidades promotoras.
Um corpo de jurados define os melhores nas categorias texto original, cenário, figurino, composição musical, sonoplastia, iluminação, ator e ator coadjuvante, atriz e atriz coadjuvante, direção de espetáculo para crianças, direção, e os melhores espetáculos para adultos e para crianças.
A comissão julgadora deste ano é formada pelos profissionais de teatro: Fernando Cardos, Regina Razzolini, Wellington Silva, Nei Mendes, Alitheia Karla, Cristovão de Oliveira, Jader Alves, Loreci Ferreira, Janaina Matter, Daniel Valenzuela, Jeff Bastos, Franklin de Albuquerque, Ricardo Westphalen, Edson Bueno e Fernando Klug. 

Centro Juvenil de Artes Plásticas inaugura exposição “Nosso Mundo, Nosso Futuro”

Nesta terça-feira (29), às 17 horas, abre a exposição “Nosso Mundo, Nosso Futuro”, com obras produzida pelos alunos do Centro Juvenil de Artes Plásticas (CJAP). Os cartazes, feitos em 2013, ficam expostos até 6 de junho de 2014. A entrada é gratuita.
A partir da reflexão dos alunos sobre o tema, foram produzidas as obras que, por meio de figuras, linhas e cores, retratam uma realidade diferente da atual, apresentando um universo de harmonia e paz. As obras foram inscritas no concurso Lions International, uma parceria com o Lions Clube Curitiba Jardim Social que tem como objetivo incentivar jovens de 11 a 13 anos a expressarem suas visões e pensar sobre a importância da paz no mundo atual.
O Centro Juvenil de Artes Plásticas está situado na rua Mateus Leme, 56, São Francisco e está aberto ao público de segunda a sexta-feira das 8h30 às 12 horas e das 13h30 às 18 horas. Informações: 3223-3805.

Orquestra de Gafieira apresenta show em homenagem a Cartola

O grupo “Sapato Furado Orquestra de Gafieira” apresenta nestas terça e quarta-feiras (29 e 30), às 20h30, no Teatro do Paiol, um espetáculo em homenagem a Cartola. O grupo estreou no cenário musical curitibano no ano passado, dedicando o seu primeiro show a um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos. No repertório, elaborado apenas com arranjos originais, serão relembrados grandes sucessos de Cartola e também obras pouco conhecidas pelo público.
 “Sapato Furado Orquestra de Gafieira” nasceu com o propósito de resgatar a tradição dos bailes de salão e a magia das grandes orquestras dançantes. Com uma formação clássica composta por base, trombone, sax e trompete, o grupo realça a importância do gênero na cultura brasileira. Integram o grupo Bruno Brandalise (trombone de pisto), Clayton Rodrigues (flauta e saxofone), Marco Aurélio (trompete), Fábio Abu (guitarra e violão), Thiago Duarte (baixo), Ricardo Salmazo (voz e percussão) e Luís Rolim (bateria).
Os ingressos para o show da Sapato Furado Orquestra de Gafieira custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada).

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Rede UCI exibe a penúltima ópera da atual temporada do Metropolitan, “Così fan Tutte”

A UCI Cinemas exibe neste sábado (26), a partir das 13h55, ao vivo e em alta definição, a ópera “Così fan Tutte” do compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart. Este é o penúltimo espetáculo da atual temporada do Metropolitam Opera House, de Nova York. A história, escrita há 224 anos, ganhará as telonas de 16 salas de cinema da rede em todo o Brasil, e em Curitiba (PR) será transmitida no UCI Estação (3595-5550) e no UCI Palladium (3208-3344).
 “Così Fan Tutte” é uma ópera em dois atos, com libreto de Lorenzo da Ponte que estreou no Burgtheater, em 26 de janeiro de 1790. O espetáculo conta a história de dois soldados, Fernando e Guglielmo, que influenciados pelo filósofo Don Alfonso colocam à prova a fidelidade de suas noivas, as irmãs Dorabella e Fiordiligi. Pela primeira vez, o consagrado maestro James Levine irá reger o espetáculo para o Met.
A versão atual conta com a produção de Lesley Koenig e estrela Matthew Polenzani e Rodion Pogossov como Fernando e Guglielmo, Susanna Philips e Isabel Leonard como Fiorgiligi e Dorabella, Maurizio Muraro como Don Alfonso e Danielle de Niese como a criada Despina.
Os ingressos para todas as óperas do MET custam R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia) e estão disponíveis para compra no site da UCI (www.ucicinemas.com.br), caixas de autoatendimento e nos balcões de atendimento.

A UCI - Sinônimo de qualidade e tecnologia, a UCI (United Cinemas International Ltda), há 16 anos no Brasil, possui 21 complexos espalhados pelas principais cidades do país: Rio de Janeiro, São Paulo, Ribeirão Preto, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza, Juiz de Fora, São Luís e Campo Grande totalizando 186 salas. A rede é responsável pelo maior cinema do Brasil, o UCI NYCC, localizado no Rio de Janeiro e responsável pelo maior número de público do país desde sua inauguração. Em 2013, manteve sua liderança atraindo cerca de 1 milhão e 900 mil espectadores.

Sandy volta a Curitiba com turnê “Sim”

A cantora Sandy retorna a Curitiba com a turnê do seu novo disco, “Sim” e se apresenta no Teatro Positivo - Grande Auditório (rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300) neste domingo (27), às 19h30. Com set list baseado no álbum homônimo à turnê, como as conhecidas “Aquela dos 30” e “Escolho Você” (conhecida pelo clipe com o humorista Marcelo Adnet), somado a releituras de grandes clássicos da música nacional e internacional (“Angel” e “Bem”, entre outros) e também das mais de duas décadas de carreira da artista, como “A Lenda”, o show tem agradado ao público por onde passa.
Mais uma vez, álbum e turnê dialogam de acordo com as vontades artísticas de Sandy que, como de costume, cuidou pessoalmente de tudo. Para o show, a experiente Romi Atarashi (que já trabalhou com Lenine, Lulu Santos, Marcelo D2, NXZero, Ira!, Sandy e Junior, entre outros) aceitou o convite da cantora e assinou a direção geral da turnê, que também tem Isabelle Bittencourt escalada para a direção de arte e cenografia. O músico, compositor e produtor musical Lucas Lima repetiu a parceria de sucesso com a artista e assumiu novamente a direção musical do espetáculo. Sandy também segue com sua jovem banda, que apresenta Alex Heinrich no baixo, Delino Costa na bateria, Eloá Gonçalves nos teclados e Edu Tedeschi e Maurício Caruso nas guitarras e violões.
Como sempre, todo foco do trabalho está na qualidade musical do espetáculo. No entanto, o cuidado com a concepção visual do show permanece intacto. Para a cenografia, tecidos fluidos, leves, transparentes e sobrepostos, acompanhados de móbiles num cenário que ganha força por meio de um cuidadoso e belíssimo projeto luminotécnico. Em um ambiente que remete à primavera em tons de verde, azul, lilás, lavanda, roxo, cinza, prata, Sandy convida seu público a uma divertida viagem musical. “Sim” tem produção executiva da Live Talentos, empresa responsável pela gestão da carreira da artista.

Informações sobre ingressos: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br

Concerto da Orquestra Sinfônica traz obras de Villa-Lobos e Piazzola

A Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP) tem mais dois concertos agendados para este mês no Guairão (Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto), dias 27 (domingo), às 10h30, e 29 (terça-feira), às 20h30. Este último tem espaço reservado para estudantes de música e coralistas. O maestro convidado é Claudio Cruz.
Esta é a segunda vez que o maestro e violinista Claudio Cruz se apresenta com a OSP; a primeira foi em 2013. Para os concertos deste mês ele exercerá duas funções, além de regente também será o solista em uma das obras mais importantes de Astor Piazzola, “Cuatro Estaciones Porteñas”, que se refere às quatro temporadas em Buenos Aires. A composição é também uma homenagem ao tango e a Vivaldi, compositor italiano, por sua obra imortal “As Quatro Estações”.
A obra de Piazzola se divide em “Verano Porteño” escrita em 1965, originalmente como música incidental para a peça “Melenita de Oro”. de Alberto Rodríguez Muñoz; “Otoño Porteño”, escrita em 1969; “Primavera Porteña”, escrita em 1970 e “Invierno Porteño”, também de 1970.
Outra obra que faz parte deste concerto é “Bachianas Brasileiras n° 7”, de Heitor Villa-Lobos, que faz parte de um ciclo de nove peças que se tornaram destaque no conjunto da obra de aproximadamente mil composições deixadas pelo compositor brasileiro.
Os ingressos para estes dois concertos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia). Entrada franca para estudantes de música no dia 29 (terça-feira).

Erasmo Carlos apresenta o show “Gigante Gentil” no Guairão

"Gigante Gentil" é um apelido criado pelos amigos mais próximos de Erasmo Carlos, por representar a personalidade amável do "Tremendão". Este é 28º álbum do carioca, e tem show de lançamento marcado no Guairão, neste sábado (26), 21h. O trabalho conta com grandes parcerias. A romântica “Sentimentos Complicados” tem letra de Caetano Veloso e música de Erasmo. Ele também assina as faixas “Manhãs de Love” e “Teoria do Óbvio”, com Arnaldo Antunes, e “Amor na Rede”, com Nelson Motta, além de uma nova versão para “Além do Horizonte”, que faz parte da trilha da novela “Jóia Rara” e ganhou ritmo de samba-rock. A canção que dá nome ao disco vem como uma tremenda resposta irônica às ofensas gratuitas despejadas nas redes sociais e que Erasmo dá de ombros e segue seu caminho.
Mesmo consagrado, Erasmo continua incansável - com 50 sólidos anos de estrada, nos brinda com “Gigante Gentil”, álbum de inéditas com a maioria das músicas compostas por ele mesmo e por alguns parceiros mais do que especiais. Cabeça efervescente e coração a mil, o Tremendão vem nos brindando com sucessos já incorporados ao cancioneiro nacional, com toda a ambiguidade que ele carrega e descarrega em nós. Sua fama de mau, roqueiro, casaco de couro e pulseiras não tira dele o lado terno, singelo, sensível e gentil - ou melhor, Gigante Gentil: alcunha tão apropriada criada por Lucinha Turnbull na década de 80 e amplamente defendida por Rita Lee em entrevistas.
Para o projeto, Erasmo convidou também seu grande amigo e maior guitarrista do Brasil Luis Sergio Carlini. Marcelo Jeneci empresta singeleza ao disco, que com bons sintetizadores empregou acordes e notas para somarem ao rock´n´roll. Completam o time o baterista Stephan e os violões de Christian Oyens na banda base.
Passando do estúdio para os palcos, Erasmo não pode deixar de cantar seus grandes sucessos nesta turnê. Ele, que é um dos maiores hitmakers deste país, com orgulho interpreta os clássicos “Sentado à Beira do Caminho”, “Mulher”, “Gatinha Manhosa”, “Minha Fama de Mau” e “Festa de Arromba”, entre outros. Erasmo mostra que ainda é um artista em ebulição, atuante, efervescente, com cabeça de homem e coração de menino.
Informações sobre ingressos: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br

Estação Pedreira celebra a mistura de sons e culturas em Curitiba

No próximo sábado (26), Curitiba será palco para o Estação Pedreira, uma grande celebração musical que marca a reabertura do Parque das Pedreiras (rua João Gava, s/n), que contempla a Pedreira Paulo Leminski e a Ópera de Arame . Com realização da Prime e Planeta Brasil, o festival vai reunir mais de 20 diferentes atrações nacionais, internacionais e locais, com um cardápio musical composto por diversos estilos, que vai do rock passa pelo pop, hip-hop e alternativo, dá espaço à nova MPB e à música eletrônica.
Tudo isso, distribuído em, nada menos que, quatro palcos da megaestrutura que será montada no complexo do Parque das Pedreiras. O evento celebra a mistura de sons e culturas, abraçando diferentes matizes da música. A abertura dos portões está prevista para as 12h e o início dos shows às 13h30.
O festival reúne um elenco composto por ídolos de diferentes gerações, ritmos e estilos. No palco principal da Pedreira Paulo Leminski, já estão confirmados a paranaense Motorocker , O Rappa, Raimundos, Planta e Raiz, Criolo e o Projeto Noites Cariocas, com participações do Bloco do Rio Belém, Fernanda Abreu, Mario Broder, vocalista do Farofa Carioca, e Pedro Quental, um dos cantores do Monobloco.
Além disso, terá o “Marley Sessions”, onde todos os artistas do evento serão convidados a participar de uma jam session em homenagem ao rei do reggae mundial, Bob Marley, que terá como frontman o jamaicano Al Griffiths, filho de Albert Griffiths, do The Gladiators, uma das maiores lendas do reggae.
Na Ópera de Arame, o palco estará voltado para o encontro inédito de bandas da capital paranaense com artistas de outros Estados. A abertura fica por conta da curitibana Terceiro Estado. Foram escalados para dividirem o mesmo palco, Relespública e Nasi, que faz sua última apresentação em carreira solo, antes do retorno do Ira!; os paulistas Curumin e Rael da Rima dividem palco com Karol Conká e Real Coletivo Dub; Tonho Crocco, vocalista da banda gaúcha Ultramen, e a carioca Nina Becker fazem uma jam session com as curitibanas Regra 4 e Michelle Mara.
Para completar, o projeto Toca Raul, promove um encontro na Ópera da paranaense Erre ao Cubo com Maurício Baia, Nasi e Vivi Seixas, onde vão cantar os clássicos de Raul Seixas. Tem ainda a apresentação dos catarinenses do Dazaranha.
No palco Rock Street, bandas locais farão homenagens aos ídolos do rock mundial. Estão escaladas: Jack Vermouth (Tributo ao Lynyrd Skynyrd e Southern Rock com muito blues, country music e rock), Backstage (Tributo a Bon Jovi e Aerosmith), Riff Raff V8 (Tributo ao AC/DC), Rock n´ Roses (Tributo ao Guns n´Roses), Haullys (Tributo ao Sublime e Charlie Brown Jr.), Egg Box (Tributo ao Off Spring e Rage Against the Machine), Magaivers (Tributo aos Ramones), U2 Cover CWB e Musik, que vai tocar clássicos do rock nacional. Já no palco Eletrônico, estão confirmados: André Sarate, Hands Up, Hifly e Vácuo.

Ônibus - Sistema de transporte prático, seguro e confortável, que facilita a locomoção do público em direção à Pedreira Paulo Leminski, com desembarque exclusivo no Portal da Pedreira, já que as vias próximas ao espaço estarão bloqueadas para o tráfico de veículos.
Também é uma maneira de respeito com a comunidade que mora aos arredores, além de causar menos impacto ambiental. A linha especial tem duas categorias e sairá de cinco pontos estratégicos de Curitiba. O Pedreira Bus - Premium (ônibus especiais de turismo com poltronas soft reclináveis, para maior conforto dos passageiros com limite de 40 pessoas – todas sentadas) terá saídas do Museu Oscar Niemeyer e das praças 29 de Março e Oswaldo Cruz. O custo para ida e volta é de R$22,00 por pessoa. Já, o Pedreira Bus  Express (ônibus urbanos com número limitado de passageiros - 60 pessoas -, que poderão ir em pé ou sentados) terá saída das praças Rui Barbosa e Eufrásio Correa. O custo para ida e volta é de R$ 11,00 por pessoa. As saídas para o Estação Pedreira serão a partir das 11horas.
As passagens serão vendidas apenas de forma antecipada, somente pelo Disk Ingressos até o dia 25 de abril às 23h. Não haverá venda no local do embarque.

Informações sobre ingressos: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br ou ainda  www.maisumadaprime.com.br

Ópera Don Giovanni chega às telas do cinema

O Cinemark, do Shopping Mueller, exibirá mais um grande espetáculo da aclamada Royal Opera House, de Londres. De 26 a 29 de abril, o público de Curitiba e região poderá conferir a ópera “Don Giovanni”. Serão quatro sessões especiais, em horários alternativos: dias 26 e 27, às 11h; dia 28, às 15h; e dia 29, às 19h. Os ingressos - com valores de R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia) - estão à venda na bilheteria do Cinemark e nos totens de autoatendimento, localizados no Piso Cinemas, do Shopping Mueller, ou pelo site www.cinemark.com.br/royal-opera-house.
A ópera “Don Giovanni” integra a nova temporada de balés e óperas da Royal Opera House, com duração de 3h40, incluindo um intervalo. O espetáculo é considerado uma obra-prima de Mozart, tendo sido encenado, pela primeira vez, em 1787.

“Don Giovanni” - Don Giovanni é um artista que seduz mulheres com sua habilidade de criar as mais incríveis ilusões. As conquistas são uma tentativa em vão de escapar de sua própria mortalidade e têm um alto preço. A produção destaca a beleza da música de Mozart, que varia de árias deslumbrantes e duetos dramáticos a melodias dançantes que fecham com maestria o primeiro ato da ópera.
Informações: www.shoppingmueller.com.br e www.cinemark.com.br/royal-opera-house

Música e teatro animam a Vinada Cultural

A segunda edição da Vinada Cultural, que acontece neste sábado (26), a partir das 10h, no Passeio Público, será animada por shows musicais de bandas curitibanas. Cinco grupos sobem ao palco da Vinada: Gaiteiros de Lume, Daniel Miranda, Cordas e Sanfonas, Thunder Kelt e Trio em Casa. Outra atração do festival gastronômico será o espetáculo de rua “Outros Quinhentos”, que integra o projeto “Arte no Passeio”.
A primeira banda a ser apresentar, às 13h, é a Gaiteiros de Lume, que pesquisa e divulga a música tradicional das regiões de cultura celta, como a Galícia, Irlanda, Escócia e Bretanha. O grupo utiliza instrumentos típicos e raros, encantando o público com uma sonoridade peculiar. A banda se apresenta regularmente em eventos, teatros e pub’s de todo o Brasil. Em 2012, lançou o seu primeiro CD, “Rock Road to Dublin”.
O clarinetista e saxofonista Daniel Miranda toca em seguida, às 14h, acompanhado dos músicos André Prodossimo (violão) e Lucas Miranda (cavaquinho). Daniel, que já participou de vários grupos de Curitiba e tocou com grandes nomes da música brasileira, mostra composições que foram feitas por outros músicos em sua homenagem, por admiração ao seu trabalho. Este é um show especial para os apreciadores da música instrumental, mais especificamente o choro e suas vertentes.
Às 15h, o palco da Vinada Cultural se abre para o espetáculo “Cordas e Sanfonas – Um passeio musical pelo parque”, que celebra o encontro do violeiro Luciano Pazinato e do acordeonista João Pedro Teixeira. Ambos possuem carreiras distintas, mas se encontram neste trabalho mostrando uma faceta pouco conhecida de seus instrumentos. A ideia é fazer um passeio por estilos pouco explorados pela viola e pela sanfona, como o choro, o tango, a bossa e o samba. O repertório é pautado nos clássicos da música brasileira, como “Brasileirinho”, de Waldir Azevedo, “Tico-tico no fubá”, de Zequinha de Abreu, “Garota de Ipanema”, de Tom e Vinícius, e também em clássicos internacionais, como “Por una cabeza”, de Carlos Gardel.
A música céltica volta a encantar a plateia às 16h, com a banda Thunder Kelt, que também atua na divulgação da cultura celta e folk. O grupo promete uma verdadeira viagem musical através da sonoridade ancestral das nações celtas. Os músicos tocam vários tipos de instrumentos utilizados nesse gênero musical – gaitas de fole, harpa celta, irishe flute, bodhrán, mandolin, entre outros – misturados a instrumentos populares e eruditos como violão, flauta transversa e violino.
O “Trio em Casa”, formado por Antonio Boldrini (baixo acústico), Vinícius Araújo (quitarra e violão) e Samuel Martinelle (bateria), encerra a festa do Passeio Público neste fim de semana, fazendo o último show às 17h. Formado em 2013 com o propósito de estudar e explorar o repertório tradicional e contemporâneo da música popular brasileira, o trio apresenta choros, clássicos do jazz e da bossa nova, músicas de compositores brasileiros consagrados e também de autores paranaenses.  
Enquanto a música toma conta do palco, às 15h30 haverá a encenação do espetáculo “Outros Quinhentos’, na área próxima ao serpentário do Passeio Público. A peça é uma comédia de costumes, adaptada da peça “O Noviço”, de Martins Pena. Conta a história do órfão Carlos, rapaz sonhador, que é enviado a um seminário por decisão de sua madrinha e tutora. Não tendo vocação para a vida religiosa, Carlos foge do seminário e se dedica a desmascarar o ambicioso Ambrósio, que se casará com sua madrinha.
A Vinada Cultural faz parte da ação “Ocupe o Passeio Público”, que começou nas redes sociais e ganhou o apoio da Gazeta do Povo e da Prefeitura de Curitiba. O evento reunirá 14 barracas de cachorro-quente, entre as de maior destaque na cidade, conforme seleção feita por leitores do site Bom Gourmet. Os cachorros-quentes serão vendidos a R$ 6,00. A expectativa é servir 20 mil sanduíches.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Produções europeias se destacam entre as estreias cinematográficas

Os filmes franceses “Os Belos Dias” e "Yves Saint Laurent" e o belga “Alabama Monroe” se destacam entre as novidades nos cinemas. O suspense “Profissão de Risco" e a comédia “Inatividade Paranormal 2” também chegam às salas. Temos duas pré-estreias: a comédia "Amante a Domicílio” e a nova aventura do Aranha, “O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro”.

ALABAMA MONROE - Drama belga dirigido por Felix Van Groeningen e com Veerle Baetens, Johan Heldenbergh, Nell Cattrysse, Geert Van Rampelberg, e Nils de Caster à frente do elenco. Elise (Baetens) e Didier (Heldenbergh) se apaixonam à primeira vista, mesmo sendo pessoas muito diferentes. Ele é um músico romântico e ela a realista dona de um estúdio de tatuagem. Apesar das diferenças, o relacionamento dá certo e eles têm uma filha, Maybelle (Cattrysse). Aos seis anos a menina fica gravemente doente e a família se desestabiliza.
Indicação etária: 14 anos

INATIVIDADE PARANORMAL 2 - Paródia a filmes de terror na linha de “Invocação do Mal” e “Sobrenatural: Capítulo 2” estrelado por Marlon Wayans – que também dirige -, Jaime Pressly, Essence Atkins, Gabriel Iglesias, Cedric the Entertainer. Após sua namorada possuída Kisha morrer em um acidente de carro, Malcolm (Wayans) se apaixona por Megan, uma branca mãe solteira com dois filhos. Enquanto ele se muda para uma nova casa com a família, Malcolm descobre que eventos paranormais bizarros cercam as crianças e a casa. Para piorar, Kisha retorna dos mortos e se muda para a casa do outro lado da rua, e não há nada pior do que o desprezo de uma ex-namorada demoníaca…
Indicação etária: 12 anos

OS BELOS DIAS - Inspirado no romance de Fanny Chesnel, "Une Jeune Fille Aux Cheveux Blancs", este drama da diretora francesa Marion Vernoux (“Instituto de Beleza Vênus”) tem no elenco Fanny Ardant (esbanjando beleza!!!), Laurent Lafitte, Patrick Chesnais, Jean-François Stévenin e Fanny Cottençon. Caroline (Ardant) decide se aposentar, mas não sabe o que fazer em seu tempo livre. Ele pensa em viajar para conhecer novas pessoas, mas seu plano muda quando encontra o jovem Julien (Laffite). Apesar da diferença de idade, os dois iniciam uma relacionamento imprevisível.
Indicação etária: 14 anos

PROFISSÃO DE RISCO - Drama de ação que marca a estreia do diretor David Grovic, com John Cusack, Robert DeNiro e a brasileira Rebecca da Costa à frente do elenco. Jack (Cusack) é um cara valentão com má sorte crônica, mas com sentimentos humanos. Contratado por Dragna (DeNiro), um lendário chefão do crime, para realizar uma tarefa simples, mas incomum: ele precisa ganhar espaço entre uma série de outros personagens obscuros que também foram convocados pelo mafioso para uma reunião em um motel decrépito. Quando o assassino cruza o caminho de uma mulher misteriosa (Rebecca), eles unem forças para fugir e tentar sobreviver a uma noite de caos homicida. Crispin Glover, Dominic Purcell e Sticky Fingaz também estão no elenco.
Indicação etária: 14 anos

YVES SAINT-LAURENT - Drama francês assinado pelo diretor Jalil Lespert (“Amor e Dor”). Paris, 1957. Com apenas 21 anos, Yves Saint Laurent é chamado cuidar do futuro da prestigiosa grife de alta costura fundada por Christian Dior - falecido recentemente. Depois de seu primeiro desfile triunfal, ele vai conhecer Pierre Bergé e este encontro irá abalar sua vida. Amantes e parceiros de trabalho, os dois se associam a fim de criar a grife Yves Saint Laurent. Apesar de suas obsessões e demônios interiores, Saint Laurent vai revolucionar o mundo da moda com sua abordagem moderna e iconoclasta. Pierre Niney (com uma incrível semelhança com o costureiro), Guillaume Gallienne e Charlotte Le Bon têm os principais papéis.
Indicação etária: 16 anos
Veja o trailer

Chega a Curitiba o espetáculo infantil “Coisas que a gente não vê”

O Guairinha recebe neste final de semana a peça “Coisas que a gente não vê”, terceiro espetáculo de Renata Mizrahi voltado para o público infantil. A peça conta a história de Yasmim, menina que tem tudo o que quer, mas não consegue parar de chorar.  O tema é a relação de tempo e afeto entre pais e filhos nas grandes cidades. O assunto é abordado com muito humor, dinamismo e música, revelando aos poucos os verdadeiros sentimentos de cada personagem.

Os pais de Yasmim, Clara e Manoel, não conseguem entender o motivo de tanta choradeira. A menina também está dividida entre seus dois amigos: Beatriz, menina rica e mimada, preocupada com as aparências e os valores do universo das crianças que têm tudo o que desejam, e Raimundo, amigo da escola, garoto simples e cheio de vida, que gosta de brincar na rua.

 “Coisas que a gente não vê” tem direção de Joana Lebreiro e interpretações de Debora Lamm, Elisa Pinheiro, Paula Sandroni, Alexandre Mofati e Vicente Coelho. As apresentações acontecem dias 26 e 27, às 17 horas. Informações sobre ingressos: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br

Grupo Molungo recebe Siba no Teatro do Paiol

Admiradores de longa data do trabalho do cantor, compositor e instrumentista Siba, o grupo Molungo convidou o músico recifense para duas apresentações em Curitiba. O encontro está marcado para o próximo fim de semana, com shows nos dias 25 e 26 de abril, às 20h30, no Teatro do Paiol. Após o show de sábado (26), o público também poderá participar de um bate-papo com os artistas.
"A ideia de chamar o compositor Siba foi natural. Sua trajetória é uma inspiração, uma influência para o nosso trabalho. A vivência dele com os mestres da música nordestina vai enriquecer o nosso trabalho. Será um prazer imenso apresentar essa dobradinha para público curitibano em uma grande festa no Paiol", anima-se o vocalista, violonista e percussionista Carlito Birolli.
Levando-se em conta os pontos em comum entre Siba e Molungo, o encontro era inevitável. Tanto o músico pernambucano quanto o grupo paranaense utilizam-se de ritmos populares como base de suas composições. Cada um a seu modo faz questão de não economizar poesia para falar sobre sentimentos individuais, sobre o Brasil com suas festas, manifestações populares e críticas sociais. O esmero nas letras, além da intensa pesquisa rítmica, é outro elemento que os aproxima.
O paralelo continua também com a recente opção de ambos pelo uso da guitarra em seus trabalhos. Enquanto Siba lançou em 2012 o álbum "Avante", buscando uma nova sonoridade com o instrumento elétrico, o Molungo vive um novo momento ao preparar-se para lançar seu novo disco "Mais Agreste", utilizando também as cordas amplificadas para obter uma sonoridade mais densa.
O encontro, além de misturar vivências e referências, apresentará novidades do próximo disco do Molungo, previsto para o segundo semestre, juntamente com algumas canções do primeiro CD. O show trará também algumas das composições de Siba, músico que o público curitibano vem prestando atenção há vários anos.
Nascido em Recife, em uma família que até hoje mantém forte ligação com suas origens rurais, Siba cresceu entre a cidade e o interior, dois mundos que fazem parte de um mesmo todo. Após viver em São Pulo por sete anos, voltou para Pernambuco e criou o grupo Fuloresta, com músicos tradicionais de Nazaré da Mata. O encontro rendeu dois álbuns, prêmios e turnês europeias. Em 2012, lançou o disco "Avante" como um trabalho solo.
Formado por Caio Guimarães, Cauê Menandro, Carlito Birolli, Fernando Lobo, Gui Handa e Luís Piazzetta, o grupo Molungo nasceu em 2008, em Curitiba, a partir do interesse comum dos músicos pela cultura popular brasileira. A pesquisa rítmica atrelada às vivências individuais de cada um deu origem a uma sonoridade única, em que percussões, violão e guitarra dialogam de forma harmônica com as poesias das letras. Em 2008, lançou o CD "Molungo" e agora se prepara para o novo disco.
O projeto do show do Molungo com o compositor Siba foi aprovado no edital Música no Paiol 2013, da Fundação Cultural de Curitiba, e conta com a produção da Fuá Produções.
Os ingressos para “Molungo convida Siba” custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia). Informações: 3213-1340.


Música renascentista no concerto do Coro da Camerata

As apresentações do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, que acontecem neste fim de semana, iniciam a temporada 2014 de espetáculos patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo, levando ao público um programa que revive o período da Renascença. A maestrina cubana Maria Antonia Jimenez, que responde pela direção artística e a regência do Coro desde o ano passado, selecionou obras corais sacras e profanas de compositores desse período, que compreende o final do século 14 até o início do século 17, embora os estudiosos não tenham chegado a um consenso sobre essa cronologia. 
Na sexta-feira (25), às 20h, na Congregação Evangélica Luterana São João, e no sábado (26), às 18h30, na Capela Santa Maria Espaço Cultural, o concerto “Música Coral Renascentista” exemplifica o contexto histórico musical da Renascença que se caracterizou na história da Europa Ocidental pelo interesse voltado ao saber e à cultura. Os compositores dedicaram-se de maneira mais intensa à música profana (música não religiosa), sendo que a música renascentista é de estilo polifônico – possui várias melodias tocadas ou cantadas ao mesmo tempo.  
Esta performance do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba conta com a preparação cênica do carioca José Brazil, que escolheu Curitiba para expandir sua carreira artística. Integrante da Camerata Antiqua de Curitiba, Brazil formou-se em Canto pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap), sob a orientação da renomada soprano e mestra Neyde Thomas, além de dedicar-se à direção cênica de óperas, tendo aprimorado técnicas com o diretor Carlos Harmuch.
Antecedendo as apresentações, o flautista e regente paulista Flávio Stein profere breve palestra sobre o programa, proporcionando ao público uma melhor apreciação das obras executadas. Radicado em Curitiba e atuando também nas áreas de literatura, teatro, dança e ópera, Flávio realizou projetos de ciclos de leituras, juntamente com o escritor José Castello e com o diretor teatral Walter Lima Torres. Recentemente, dirigiu a ópera “Sarapalha”, de Harry Crowl, e duas óperas barrocas portuguesas, redescobertas pelo maestro Ricardo Bernardes. Dirigiu, ainda, as montagens teatrais, “A Queda”, de Albert Camus, e “Esperando Godot”, de Samuel Beckett, além de publicar artigos sobre leitura.

O coro - Formado em 1974, pelo maestro Roberto de Regina, o Coro da Camerata Antiqua de Curitiba reúne cantores com sólida formação musical, sendo uma referência da música vocal, no Brasil. Destacando-se pela originalidade e leveza na interpretação da música barroca e renascentista, incorporou também a música contemporânea, o que imprimiu ao grupo a característica marcante de transitar com sucesso por um vasto e eclético repertório.
Citado pela imprensa europeia entre os dez melhores do mundo, o Coro da Camerata integrou o 18º Festival Corale Internazionale “La Fabbrica Del Canto”, realizado na Itália, em junho de 2009. Na ocasião, o coro curitibano levou quatro programas diferentes para uma série de dez concertos pela região da Lombardia, com início na cidade de Legnano e término em Milão. A participação no festival resultou do sucesso obtido pelo grupo no 8º Simpósio Mundial de Música Coral, que aconteceu em Copenhague (Dinamarca), em 2008.

A apresentação do Coro da Camerata na Congregação Evangélica Luterana São João (Rua Raggi Izar, 528, Vila Hauer), em entrada franca; na Capela Santa Maria Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273, Centro) os ingressos custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada). 

Misfits retorna com seu velho e bom punk rock

Em turnê de divulgação do álbum “Misfits The Devil’s Rain” no Brasil, a banda norte-americana Misfits passa por Curitiba na sexta-feira (25) para um único show no palco do Music Hall. Detentores de uma extraordinária carreira com milhões de discos vendidos ao redor do mundo, o grupo formado em 1977 é precursor do “horror punk” e figura entre as influências de importantes nomes do rock/metal como Metallica, Guns ‘N Roses, Ramones, Megadeth, Slayer, Black Flag, entre outros.
A banda encarregada de abrir o show na capital é Sick Sick Sinners, que traz no currículo várias turnês internacionais e já tem uma nova rodada pela Europa agendada para o segundo semestre de 2014. Também este ano, o trio formado por Vlad Urban (guitarra e vocal), Cox (baixo acústico e vocal) e Emiliano Ramirez (bateria), inicia a gravação do seu novo álbum.
Com o prestigio de uma imensurável lista de hits representada por “Dig Up Her Bones”, “Die, Die, My Darling”, “Last Caress”, “Skulls”, “American Psycho”, “Where Eagles Dare”, “Hybrid Moments”, “Skulls”, “Astro Zombies” e vários álbuns que se tornaram clássicos, o Misfits geralmente apresenta um repertório extenso. A última passagem do grupo pelo Brasil ocorreu no ano passado.
O nome da banda foi tirado do último filme da atriz Marilyn Monroe, “The Misfits”. Com suas letras pesadas falando sobre corações arrasados, violência e histórias de horror, o grupo ficou famoso e conquistou fãs em todo o mundo. A formação que se apresenta desta vez conta com Jerry Only (baixo/vocal), da formação original, ao lado de Dez Cadena (ex-Black Flag) na guitarra e Eric Arce na bateria.
Em entrevistas sobre a nova turnê brasileira, o baixista e vocalista Jerry Only tem se mostrado satisfeito com esta que é a mais duradoura formação do grupo e analisa o momento como criativo e aberto a novas ideias. Ao comentar o legado de sua banda, conta que nota nas plateias que encontra nos shows os reflexos das influências que exerceram em diferentes vertentes do rock mundial. “Não saberia dizer qual é o perfil do nosso fã, pois encontramos pessoas das mais diferentes origens e idades. Já conhecemos famílias com três gerações de fãs”, disse.
Sobre o set list, ele garante que agradará a todos os fãs, pois conta com uma bela mistura que combina clássicos do início da carreira, músicas mais atuais, alguns covers e até algumas criações do Black Flag.
O Music Hall (rua Engenheiros Rebouças, 1645) abre às 20h e o show acontece após as 23h. Informações sobre ingressos: 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

“O Duelo”, de Tchekhov, chega a Curitiba

A Caixa Econômica Federal é patrocinadora do espetáculo “O Duelo”, que a mundana companhia traz a Curitiba, de 24 a 27 de abril, no Teatro Sesi, no Jardim Botânico. A adaptação da novela homônima do consagrado contista, dramaturgo e novelista russo Anton Tchekhov (1860-1904) é de Vadim Nikitin e Aury Porto, que também é idealizador do projeto e divide a produção com a atriz Camila Pitanga.
A direção é de Georgette Fadel e o elenco é formado por Aury Porto, Camila Pitanga, Carol Badra, Fredy Allan, Guilherme Calzavara, Otávio Ortega, Pascoal da Conceição, Sergio Siviero e Vanderlei Bernardino.
A história inquietante, escrita em 1891, se desenrola sob o calor quase alucinógeno do litoral do lendário Mar Negro. Ali surge a tensão entre dois personagens com visões de mundo antagônicas: um, a típica caricatura do herói romântico russo sem caráter; o outro, um darwinista social.
Repleta de simbolismo, a montagem conta com música ao vivo, um vigoroso trabalho corporal feito por Tarina Quelho, direção vocal e interpretativa de Lúcia Gayotto, iluminação de Guilherme Bonfanti e direção de arte de Laura Vinci. Algumas das 92 peças que compõem o figurino criado por Diego Costa foram assinadas pelos estilistas convidados Alexandre Herchcovitch, Paula Pinto e Lino Villaventura. Compõe a cenografia obra do artista plástico carioca Franklin Cassaro.
 “O Duelo” é a sexta encenação da mundana companhia (sempre escrito com letras minúsculas) e encerra uma tetralogia de autores russos iniciada com “O Idiota”, de Fiódor Dostoiévski, apresentada no Rio de Janeiro em 2011 (Galpão do Espaço Tom Jobim) e 2012 (Fábrica Bhering).

mundana companhia - Desde o ano 2000, inspirados pela militância política dos artistas de teatro de São Paulo que participavam do movimento “Arte Contra a Barbárie”, Aury Porto e Luah Guimarãez desejavam criar um núcleo artístico formado essencialmente por atores-produtores. A partir daí, um diretor, com afinidades afetivas e estéticas com os membros da companhia, seria convidado a participar de cada produção.
A mundana companhia já produziu os espetáculos “A Queda”, em 2007, adaptado e dirigido por Aury Porto a partir do romance homônimo de Albert Camus; “Das Cinzas”, de 2009, texto de Samuel Beckett adaptado e dirigido por Aury Porto, em parceria com a atriz e dançarina francesa radicada no Brasil Renée Gumiel; “O Idiota – Uma Novela Teatral”, de 2010, adaptação da obra homônima de Fiódor Dostoiévski com direção de Cibele Forjaz; “Tchekhov 4 - Uma Experiência Cênica”, de 2010, com direção do russo Adolf Shapiro e “Pais e Filhos”, de 2012, nova direção de Shapiro para adaptação do romance homônimo de Ivan Turguêniev.

O Teatro Sesi  está localizado na Av. Comendador Franco, 1341 (sede do Sistema Fiep no Jardim Botânico) e as apresentações acontecem de quinta-feira (24) a domingo (27) às 20h. Os ingressos custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia). Informações: 3271-7719 ou 3315-0808. O espetáculo e recomendado para maiores de 12 anos.

Peça “Tumba de Cães” está de volta no Teatro Lala Schneider

“Tumba de Cães”, que teve estreia durante Festival de Teatro de Curitiba está em cartaz no Teatro Lala Schneider. Ambientado em um mundo em guerra, o espetáculo, escrito pela italiana Letizia Russo e dirigido por Marino Jr., conta uma história que transita no tempo, sem necessariamente pertencer ao passado: há alusões a guerras diversas e tempos distintos, ao mesmo tempo em que os personagens permanecem presos no espaço caótico da vida contemporânea.
As personagens de “Tumba de Cães” são homens e mulheres degradados a uma condição de mera sobrevivência, de não fazer nada além de esperar. O foco do texto, escrito em 2001, logo após o 11 de setembro, mostra um círculo familiar fechado, em que o excesso de proximidade e o contexto de crise obrigam os personagens a mostrarem o pior de si. O texto aborda esse assunto com muita propriedade e com uma série de referências literárias.
Tal estrutura foi mantida pelo diretor do espetáculo, Marino Jr., que, também devido a suas incursões pela Itália em 2003 e 2011, tem ótimo contato com o teatro europeu atual. Segundo ele, o macrotema apresentado no espetáculo não se resume a uma única guerra, mas aponta para várias: “Fala-se de uma guerra, que poderia ser o Afeganistão ou o Iraque de 2002, a Síria, a Palestina e a Ucrânia de hoje ou o Vietnã de 1975. Ou quem sabe um futuro conflito de grandes potências militares disputando hegemonia no leste europeu ou no norte da África. A genialidade do texto, que procuramos manter na montagem, é ter como foco principal os dramas individuais das personagens que transitam por este contexto mais amplo, da guerra. A escassez de elementos auxilia a criar a atmosfera vazia de que o espetáculo necessita e nos aproxima de uma estética europeia“, finaliza o diretor.
A autora Letizia Russo esteve em Curitiba para assistir à estreia da montagem brasileira no Festival de Teatro de Curitiba deste ano. Considerada como expoente da dramaturgia contemporânea europeia, ela se mostrou contente com o resultado. “O trabalho foi excelente. Há uma grande capacidade dos atores de entrar na história, de se apropriar do texto e dos personagens“, disse na coletiva de imprensa do festival. 
Com Cristóvão de Oliveira, Simone Klein, Andressa Medeiros, Fernando Bachstein, Jader Alves, Pedro Henrique e Daniel Marcondes à frente do elenco, “Tumba de Cães” encerra a temporada no dia 11 de maio com apresentações às quintas-feiras, 21h; sextas-feiras e sábados, 20h; e domingos, 19h; Os ingressos custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia). Informações: www.teatrolala.com.br/tumbadecaes

Cristóvão Tezza e iraniano Mohsen Emadi abrem Festa Literária das Periferias em escola municipal

O premiado escritor Cristóvão Tezza, que acaba de lançar um novo livro - "O Professor" - e o iraniano radicado no México Mohsen Emadi abrem nesta sexta-feira (25) a Festa Literária das Periferias – FLUPP Brasil, que acontece até sábado na Escola Municipal América Sabóia, na Vila Verde (rua Emílio Romani, 316, Cidade Industrial), antes de seguir para outras três cidades-sede da Copa do Mundo. A feira, que tem caráter nacional, vai promover conversas literárias entre duplas formadas por autores paranaenses e estrangeiros, além de uma série de palestras sobre escritores brasileiros,
Mohsen Emadi, poeta perseguido pelo regime autoritário de seu país, vem à FLUPP Brasil com apoio do ICORN – International Cities of Refuge Network. A entidade, que abriga escritores refugiados em diversos pontos do planeta, busca parcerias no Brasil para construir abrigos, inclusive em Curitiba.
Também entram em campo para conversas literárias sobre o global e o local José Castello e o sul-coreano Kim Young-ha, Luci Collin e o mexicano Juan Pablo Villalobos e Rogério Pereira e argelino Abdelkader Djemaï.
A festa mundial do futebol é o momento oportuno para as discussões que serão travadas durante o evento sobre o pensamento de quatro grandes estudiosos do Brasil e dos brasileiros: Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Hollanda, Mário de Andrade e Darcy Ribeiro. O pensamento desses autores servirão de ponto de partida para a produção de textos de novos escritores, à margem dos grandes circuitos literários, que terão a chance de ser publicados em um livro reunindo 40 textos curtos de participantes das quatros edições da FLUPP Brasil.
A FLUPP Pensa, realizada em anos anteriores no Rio de Janeiro, possibilitou uma carreira literária sólida a muitos autores. A FLUPP Brasil acontecerá em Curitiba com o apoio da Prefeitura de Curitiba, por meio da Fundação Cultural de Curitiba e Secretaria Municipal de Educação. “Esperamos que em Curitiba o evento incentive a descoberta e a revelação de talentos e que possibilite à cidade inserção em um processo continuado de formação de leitores e autores”, diz a secretaria de Educação de Curitiba, Roberlayne Borges Roballo.

Programação:

25 de abril
8h30 à 10h – Mesa: Cristovão Tezza e Mohsen Emadi (Irã)
10h30 às 11h30 – Palestra: Yolanda Linda Lobo fala sobre Darcy Ribeiro
14h às 15h – Palestra: Marcos Alvito fala sobre Gilberto Freyre
15h30 às 17h – Mesa: José Castello e Kim Young-há (Coreia do Sul)

26 de abril
9h às 10h30 – Mesa: Luci Collin e Juan Pablo Villalobos (México)
11h às 12h – Palestra: Eduardo Jardim fala sobre Mario de Andrade
14h às 15h – Palestra: Bernardo Buarque de Holanda fala sobre Sérgio Buarque de Holanda
15h30 às 17h – Mesa: Rogério Pereira e Abdelkader Djemai (Argélia)

Grupo apresenta “teatro de playback” no Portão Cultural

O grupo teatral Re-Trato apresenta neste fim de semana, no Auditório Antonio Carlos Kraide – Portão Cultural, o espetáculo “Se você se importa, prove!”. O grupo leva para o palco os seus 15 anos de experiência com a modalidade teatro de playback, em que um grupo de atores, com a mediação de um condutor, encena histórias contadas por pessoas da plateia. As encenações acontecem na sexta-feira e sábado (25 e 26), às 20h, e domingo (27), às 18h. 
O teatro de playback é muito utilizado como técnica de desenvolvimento de recursos humanos no âmbito de empresas e unidades de trabalho. Os atores trabalham temas específicos, de acordo com as necessidades da empresa, proporcionando senso de integração e comprometimento.
Nas apresentações do Portão Cultural, o grupo estará preparado para encenar histórias do cotidiano narradas pelo público. “Estamos disponíveis para assumir espontaneamente personagens e emoções em variadas e infinitas situações que irão se apresentar no momento do espetáculo de uma forma inédita”, dizem os atores. No elenco estão os playbackers Margarete Tonelli, Enza Bonaccorsi, Adriano Gabardo e Mildred Marcon. A direção é de Liziana Rodrigues.
Os ingressos para “Se você se importa, prove!” custam R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia). O espetáculo é indicado para maiores de 16 anos.