segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

vozdemulher


Elis Regina canta 20 Anos Blues, de Vitor Martins e Sueli Costa.
O clip é do programa "Ensaio - MPB Especail", da TV Cultura de São Paulo.

WTCC e Stock Car no calendário de Curitiba em março

A programação do carnaval, atrações esportivas, o maior encontro das artes cênicas do Brasil e a festa de 318 anos da cidade estão no calendário de eventos de março. O maior destaque vem do automobilismo. A etapa inicial da temporada 2011 da Stock Car será disputada no mesmo fim de semana do WTCC, o Campeonato Mundial de Carros de Turismo. Os dois eventos serão no dia 20 de março, no Autódromo Internacional de Curitiba.
A Stock Car é a maior categoria do automobilismo nacional. O WTCC, depois da Fórmula 1, é o mais importante evento mundial do automobilismo. Para a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliana Vosnika, os campeonatos são "vitrines" mundiais e servem para que Curitiba mostre sua capacidade de receber grandes eventos.
São espetáculos que geram postos de trabalho, fazem com que a ocupação da rede hoteleira aumente, movimentam a economia e reforçam positivamente a imagem", afirma Juliana.

Mais atrações - Março começará com as atrações do carnaval. O desfile de blocos e das escolas de samba na avenida Cândido de Abreu, está marcado para sábado, 5 de março, a partir das 18h30, com entrada gratuita.
O feriadão também terá o festival Psycho Carnival, com shows de bandas nacionais e internacional de psychobilly, rockabilly e suf music. Nesta edição, o festival será realizado de 4 a 7 de março e o público esperado é de 12 mil pessoas.
Oferecer uma programação alternativa, que foge do lugar-comum, é uma boa tática de geração de fluxo turístico na cidade, uma vez que o perfil dos visitantes está cada vez mais diversificado. Os turistas atuais procuram vivenciar novas experiências, além de conhecer novos atrativos”, diz a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliana Vosnika.
Outra atração do mês é a comemoração dos 318 anos de Curitiba. No dia 27, a festa será no Parque Barigui, com bolo gigante de aniversário. Também haverá programação com música e brincadeiras nas administrações regionais da cidade.
O mês terminará com a programação da 20ª edição do Festival de Curitiba, de 29 de março a 10 de abril, com a participação de companhias teatrais do Brasil e do exterior. “O festival tem mostrado ser um evento importante para movimentar a economia da cidade”, afirma Juliana.

Chloris Justen recebe prêmio Bertha Lutz nesta terça, em Brasília

A vice-presidente da Academia Paranaense de Letras, Chloris Casagrande Justen, receberá nesta terça-feira (1), às 10h, em Brasília, o diploma Mulher-Cidadã Bertha Lutz. A indicação do nome de Chloris para o prêmio partiu do Conselho Municipal da Condição Feminina de Curitiba.
"Solicitamos o reconhecimento de Chloris e ficamos muito honrados com a escolha. Ela fez por merecer. Sinto orgulho em ver uma mulher paranaense com tamanho conhecimento e norteando, ainda, as gerações que a sucedem. Com o pensamento atual, Chloris é uma mulher contemporânea”, diz Beth Maia, presidente do Conselho da Condição Feminina.
Esta será a 10ª premiação do Diploma Mulher-Cidadã Bertha Lutz, conferida anualmente pelo Senado, a cidadãs brasileiras com atuação relevante na defesa dos direitos da mulher e nas questões de gênero em nosso País.

Morre aos 67 anos a ex-musa de Bob Dylan, Suze Rotolo

A artista norte-americana Suze Rotolo, mais famosa por seu relacionamento de três anos com o cantor e compositor Bob Dylan, morreu, informou seu amigo Jim Hoberman, crítico do semanário The Village Voice.
Hoberman escreveu em seu blog que a artista de 67 anos morreu "depois de uma doença prolongada, em seu loft em Noho (Nova York) e nos braços de seu marido, Enzo Bartoccioli, com quem estava casada havia 40 anos".
A revista Rolling Stone considerou Rotolo a musa que teria inspirado algumas das primeiras canções de amor de Dylan, entre elas "Don't Think Twice, It's All Right", "Boots of Spanish Leather" e "Tomorrow Is a Long Time".
Graças a sua postura esquerdista, ela também "exerceu um papel enorme no despertar político de Dylan", escreveu a Rolling Stone.
Rotolo foi fotografada com Dylan na capa de seu álbum de 1963 "The Freewheelin' Bob Dylan", e seu livro de memórias, lançado em 2009, é intitulado "A Freewheelin' Time: A Memoir of Greenwich Village in the Sixties".
Ela tinha 17 anos quando começou a namorar Dylan, em 1961. Na canção "Don't Think Twice, It's All Right", ele escreveu: "Uma vez amei uma mulher, uma criança, me disseram / Dei a ela meu coração, mas ela queria minha alma".

Vai ao Rio de Janeiro? Gosta de fotografias? Então não deixe de ver a exposição Retratos do Império e do Exílio

Até dia 29 de maio, o Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro apresenta a mostra Retratos do Império e do Exílio, com 150 fotografias pertencentes ao acervo do príncipe dom João de Orleans e Bragança, curador da mostra ao lado de Sergio Burgi, coordenador de fotografia do IMS. Compõem a exposição retratos da família imperial brasileira, muitos inéditos (em especial do período do exílio após a proclamação da República), além de importantes imagens associadas a eventos que marcaram o Império, como as comemorações do fim da Guerra do Paraguai e a abolição da escravatura.

Os visitantes poderão conferir registros de Marc Ferrez, agraciado pelo imperador com o título de Cavaleiro da Ordem da Rosa e também fotógrafo da Marinha Imperial; e Revert Henry Klumb, professor de fotografia das princesas Isabel e Leopoldina. Os dois mantiveram uma relação muito próxima com a família imperial – fotografaram momentos de maior privacidade no interior dos palácios, registrando imagens menos formais, em que os retratados se relacionam com a câmera de uma forma direta e menos mediada pelas exigências do cargo e da vida pública.

Também estarão na mostra imagens de Alberto Henschel, Joaquim Insley Pacheco, Luiz Terragno, Otto Hess, entre os diversos fotógrafos atuantes no Brasil que integram o acervo, além de imagens dos fotógrafos retratistas europeus Félix Nadar e John Jabez Edwin Mayall, entre outros.

O Instituto Moreira Salles fica na rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea. Informações: (21) 3284-7400

http://twitter.com/imoreirasalles
www.blogdoims.com.br
http://ims.uol.com.br/Cinema/D17/P=632

domingo, 27 de fevereiro de 2011

para pensar...

Depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é a música.
(Aldous Huxley)

"Gnomeu e Julieta" chega ao topo das bilheterias nos EUA

O filme da Disney "Gnomeu e Julieta" saltou duas posições para chegar ao topo das bilheterias dos Estados Unidos neste final de semana, em um período de pouco movimento nos cinemas, quando a maioria do público busca os filmes indicados ao Oscar, maior prêmio do cinema mundial.
"Gnomeu e Julieta", uma animação 3D infantil que foi bem recebida pela crítica e estréia nos cinemas brasileiros na próxima sexta-feira (4), arrecadou 14,2 milhões de dólares nas bilheterias, superando o novo "Passe Livre", segundo colocado, com arrecadação de 13,4 milhões de dólares, de acordo com estimativas dos estúdios neste domingo.
Veja os filmes que mais arrecadaram nas bilheterias dos EUA neste final de semana:
1. Gnomeu e Julieta - US$ 14,2 milhões
2. Passe Livre - US$ 13,5 milhões
3. Desconhecido - US$ 12,4 milhões
4. Just Go With It - US$ 11,1 milhões
5. Eu Sou o Número Quatro - US$ 11,0 milhões
6. Justin Bieber: Nunca Diga Nunca - US$ 9,2 milhões
7. O Discurso do Rei - US$ 7,6 milhões
8. Vovó... Zona 3 - US$ 7,6 milhões
9. Drive Angry - US$ 5,1 milhões
10. Bravura Indômita - US$ 1,9 milhão

Eminem supera Lady Gaga como artista preferido no Facebook

É oficial: Eminem é o artista vivo de quem mais pessoas no Facebook dizem que gostam.
O rapper de Detroit superou Lady Gaga esta semana nesse quesito. No momento há 28.883.000 pessoas que afirmam gostar dele, contra 28.872.000 que dizem gostar de Lady Gaga.
Eminem, 38 anos, vem recebendo ultimamente em média meio milhão de adeptos por dia, segundo a Famecount. A continuar neste ritmo, em breve ele deve superar Michael Jackson como o artista "preferido" no Facebook, já que o Rei do Pop conta atualmente com 29,1 milhões de indicações.
Mas, no quadro mais amplo de influência nas redes sociais, Lady Gaga está muito à frente de Eminem em matéria de seguidores no Twitter, com 5 milhões a mais que o rapper, que também passa por longos períodos de obscuridade.
Esta semana Eminem alcançou a marca de 1 bilhão de vezes em que suas músicas foram tocadas no YouTube, tornando-se com isso apenas o terceiro artista a conseguir esse feito.
Ele perde para Lady Gaga e Justin Bieber nesse quesito, estando atrás dos dois por uma diferença de 190 milhões e 340 milhões de vezes, respectivamente, em que suas músicas foram tocadas.

Imortal da Academia Brasileira de Letras, escritor Moacyr Scliar morre aos 73 anos

Morreu na madrugada deste domingo (27) o escritor e imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL) Moacyr Scliar. Vítima de falência múltipla dos órgãos, Scliar tinha 73 anos e estava internado havia mais de um mês no Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Em 11 de janeiro, Scliar deu entrada no hospital para a retirada de pólipos do intestino. Cinco dias mais tarde, ele sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e teve de passar por nova cirurgia. No início de fevereiro, o quadro se agravou, com uma infecção respiratória.

O velório aconteceu no Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. O corpo do escritor será enterrado nesta segunda-feira, em cerimônia reservada para parentes e amigos.

Vencedor de três prêmios Jabuti, em 1988, 1993 e 2009, Scliar escreveu mais de 70 livros, entre contos, crônicas, ensaios e romances. O escritor também recebeu o Prêmio Casa de las Américas, em 1989, e o Prêmio José Lins do Rêgo, concedido em 1998 pela ABL. Com obras publicadas em mais de 20 países, o escritor foi eleito para uma cadeira na ABL em 2003.

Filho de imigrantes judeus da Bessarábia (Rússia), Moacyr Scliar nasceu em Porto Alegre em 23 de março de 1937. Médico sanitarista, o escritor começou na literatura escrevendo, em 1962, uma série de contos sobre sua formação. O primeiro romance, A Guerra no Bom Fim, levou o nome do bairro onde nasceu e cresceu na capital gaúcha.

O livro O Centauro no Jardim (1980), incluído na lista dos 100 melhores livros de temática judaica pelo "National Yiddish Book Center", dos Estados Unidos. Outras obras de destaque são O Olho Enigmático, A Orelha de Van Gogh, A Majestade do Xingu e Manual da Paixão Solitária.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

viagem no tempo


O 14 Bis canta Espanhola, sucesso da dupla Flávio Venturini & Gutenberg Guarabyra. O clip é do primeiro dvd da banda.

No cinema: Desconhecido

Em trânsito em Berlim para uma conferência, o botânico norte-americano Martin Harris (Liam Neeson) sofre um acidente de carro. Acorda num hospital dias depois, sem qualquer identificação.
Fica preocupado, pois sua mulher (January Jones) está sozinha na cidade, e nem sequer fala alemão. Quando a reencontra, no hotel onde o casal está hospedado, ela não o reconhece, e apresenta seu marido, Martin Harris, agora interpretado por Aidan Quinn. Se este é Martin Harris, quem é então o outro cara?
Desconhecido gira em torno dessa questão. O tal Harris, de Neeson, fará de tudo para provar que o outro Harris, de Quinn, é uma fraude. Mas, se ele é um sujeito tão comum - apenas um botânico bem conceituado -, por que alguém se passaria por ele? E mais: por que sua mulher participaria da farsa?
As respostas, dadas em momento propício, fazem de Desconhecido um suspense metido a hitchcockiano, mas que, ao contrário dos filmes do inglês, pouco tem de sutil. Excesso de explicações e suspensão da realidade transformam o longa de Jaume Collet-Serra ("A Órfã") num passatempo insosso, sem grandes momentos ou criatividade.
Em sua jornada em busca da identidade, o suposto Harris conta com a ajuda de Gina (Diane Kruger, de "Bastardos Inglórios"), imigrante ilegal vinda da Bósnia que teve sua família exterminada e agora vive clandestina. Também conhece um ex-agente da polícia secreta da antiga Alemanha Orienta, a Stasi, vivido por Bruno Ganz ("Asas do Desejo"), que o ajuda a desvendar um passado um tanto obscuro.
Neeson, um bom ator (vide trabalhos como "A Lista de Schindler"), aos 59 anos está se tornando heroi de filmes de ação. Depois de trabalhos como "Busca Implacável" e "Esquadrão Classe A", ele encontrou um novo nicho, que pouco explora suas possibilidades dramáticas - mas requer preparo físico.

No cinema: Bruna Surfistinha

Bruna Surfistinha, o filme, chega aos cinemas de todo o país em 315 cópias, amparado numa grande campanha publicitária (com direito a cinco cartazes diferentes) e mostrando disposição para repetir nas telas o sucesso do livro "O doce veneno do escorpião - Diário de uma garota de programa", de Raquel Pacheco e Jorge Tarquini. Publicado em 2005, o livro vendeu 280.000 exemplares e foi traduzido em 15 países.
Dirigido por Marcus Baldini, egresso da publicidade, Bruna Surfistinha tem como primeiro grande trunfo a presença da atriz Deborah Secco, que vive aqui seu maior papel no cinema, numa carreira até aqui bem mais televisiva.
Em ótima forma aos 31 anos, Deborah convence na pele da protagonista, interpretando-a desde a adolescência, quando ela ainda era a estudante do ensino médio Raquel, até a mais madura Bruna, o nome de guerra que adota na vida de garota de programa - ao qual é somado o aposto "Surfistinha", anos mais tarde, numa inspiração sugerida por seus clientes.
A história segue os passos de Raquel, um peixe fora d'água numa família de classe média, em que ela foi adotada. Não tem privações econômicas mas visivelmente não se enquadra. O mesmo acontece na escola, onde ela vive isolada, sem amigos, e finalmente é vítima de cyberbullying, quando um colega posta na Internet uma foto da intimidade entre os dois.
Raquel sai de casa, rumo ao clube Privé, comandado pela gerente Larissa (Drica Moraes, "O Bem-Amado"). A princípio tímida, Raquel, que adota o nome de Bruna, rapidamente torna-se a garota mais requisitada da casa, causando ciúme nas colegas. Sua única amiga é Gabi (Cris Lago, de "Olhos Azuis").
Um mundo mais rico e perigoso descortina-se quando ela conhece Carol (Guta Ruiz). Esta se torna sua agenciadora junto a clientes de classe mais alta e sua parceira no aluguel de um novo endereço, num apartamento num bairro grã-fino, onde Bruna atende com hora marcada. Nesse momento, escorada no sucesso de um blog na Internet, onde ela assume o codinome de Bruna Surfistinha, a garota ganha dinheiro como nunca.
Se o filme não se propõe a fazer um discurso moral sobre a prostituição, da mesma forma tem a qualidade de não glamourizá-la - o que acontece com muita frequência no cinema. Ao contrário, há sequências de realismo bem cru, especialmente na fase em que a moça cai em decadência, por conta do abuso da cocaína. As cenas de sexo são eventualmente fortes, mas nunca explícitas.

No cinema: Um Lugar Qualquer

A primeira cena de Um Lugar Qualquer é de uma simplicidade tão grande quanto a complexidade que ela representa. Um homem, numa Ferrari preta, dá diversas voltas numa pista circular. A câmera está parada e meio deslocada para o canto. Depois de um tempo, ele para, desce do veículo, lança um olhar inquisidor ao seu redor, como que perguntando: 'Onde estou?'. A resposta vem com o título do filme, que aparece em seguida.
O homem é o astro de cinema Johnny Marco (Stephen Dorff, de 'Inimigos públicos'), e esse arco de transformação pelo qual ele passa é catalisado em sua filha de 11 anos, Cleo (Elle Fanning, de 'O curioso caso de Benjamin Button'). O pai mora no Chateau Marmont - um dos hoteis mais famosos de Hollywood, que serve de abrigo a muitas celebridades. Mais tarde, depois de passar um tempo cuidando da filha, a mesma Ferrari da primeira cena terá outro significado.
Em Um Lugar Qualquer, vencedor do Leão de Ouro em Veneza em 2010, Sofia Coppola, que assina roteiro e direção, pode transitar em sua zona de conforto, remetendo diretamente ao seu filme mais famoso, 'Encontros e desencontros' (2003). Nem por isso ela se repete. Aqui, ela lida com os temas que são constantes em sua obra: a solidão, o amadurecimento, os relacionamentos familiares. Mas o que fazem os grandes cineastas senão dirigirem o mesmo filme várias vezes? Sofia realiza um cinema que desafia os padrões norte-americanos atuais, em que tudo deve ser muito explicado e acontecer de forma rápida.

No cinema: Justin Bieber: Never Say Never

O cantor adolescente Justin Bieber, que acaba de ver seu sonho de conquistar o Grammy de artista revelação destruído pela contrabaixista e cantora de jazz Esperanza Spalding, agora aparece no cinema com Justin Bieber: Never Say Never.
Não se espere uma radiografia do fenômeno musical - o filme foi comparado a uma commodity pela revista norte-americana "Time Out" -, mas apenas um bem-cuidado espetáculo musical recheado de cenas do cantor fora do palco e de fotos e filmes de infância, de certa forma premonitórios de seu futuro, como os que o mostram ainda menino, tocando bateria.
Os fãs, predominantemente garotas da mesma faixa etária, suspiram e choram durante seus shows, como os filmados em sua última turnê e no Madison Square Garden de Nova York, que serviram de base para o documentário dirigido por Jon Chu.
Entrecortam-se cenas pessoais e de bastidores com o garoto brilhando no palco e meninas histéricas na plateia. O pai do garoto, Jeremy Bieber, é uma espécie de figura decorativa, que aparece por alguns minutos, chora quando vê o filho no palco, e nunca mais se ouve falar dele. Na sua cidade natal, o menino joga basquete com os colegas e reza antes de comer uma pizza. É o complemento para a mensagem de bom-mocismo que o cantor quer exalar por todos os poros.
O filme custou relativamente barato - apenas US$ 13 milhões - e conseguiu se pagar no fim de semana de abertura, nos Estados Unidos, quando faturou US$ 29,5 milhões.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

vozdemulher


Ivete Sangalo e Carlinhos Brown cantam Quanto ao Tempo. O clip é do dvd "Pode Entrar", onde Ivete recebe vários convidados especais.

Filosofia do Dr. House

"Nada pior do que amar alguém que sempre vai nos decepcionar!!!"

Um espetáculo para olhar com a imaginação

A vontade de montar um espetáculo ao molde dos tradicionais circos de pulgas – populares na Europa no século 18 – movia os integrantes do Centro Teatral Etc e Tal há dez anos. Esse foi o tempo necessário para a maturação da pesquisa que culminou na peça “O Maior Menor Espetáculo da Terra”, que estréia nesta sexta-feira (25) e permanece em cartaz até domingo (27). No Teatro da Caixa.
O grupo carioca leva ao palco pulgas cantoras, acrobatas e malabaristas - que na verdade partem da imaginação do público. O título que brinca com a ideia de opostos define exatamente a dinâmica do espetáculo. “Fizemos uma adaptação criando o maior circo de pulgas que existe”, conta Melissa Teles Lobo, atriz que também assina texto e direção ao lado de Alvaro Assad. O ator Marcio Moura completa o elenco.
O poder ilusório da mímica, elemento presente no trabalho do grupo carioca, é aliado à maquinaria que delineia o centro do picadeiro. Os números com pulgas (ou supostas pulgas) aconteciam no meio da rua, tendo apenas uma mala como espaço cênico. Adaptado, os circos de pulgas aparecem no espetáculo com algumas modificações.
No palco os três substituem o único ator que tradicionalmente protagonizava o circo de pulgas. Para fazer uma releitura da obra e adaptá-la para a uma sala de teatro, o grupo contou com a consultoria de Domingos Montagner, da Cia La Mínima.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

vozdemulher


Relembrando um grande sucesso de Joyce: Feminina.

Joyce lança "Samba-Jazz & Outras Bossas"

A cantora e compositora Joyce e o instrumentista Tutty Moreno são casados na vida e na música. Ironicamente, em 30 anos de união, nunca haviam lançado um disco juntos. Em 2007, quando celebraram as três décadas que se passaram desde que seus caminhos afetivos se cruzaram em Nova York, decidiram mudar o rumo da história. E o fizeram com um bonito álbum em homenagem ao gênero que serviu de trilha sonora para dois nos anos 60. Gravaram Samba-Jazz & Outras Bossas, primeiro lançado no exterior pela gravadora inglesa Far Out e agora, quase quatro anos mais tarde, no Brasil, pela Biscoito Fino.
A demora do lançamento brasileiro ocorreu por exigência contratual. Segundo a cantora, quando se grava por encomenda de um selo de fora, “eles pedem um prazo, pois, quando o CD sai no Brasil, acaba voltando para lá como importado, a preços mais baixos”. Isso se torna uma concorrência injusta com quem bancou a produção.
A versão do disco que chega às lojas brasileiras não é idêntica à original. Foi encorpada. O choro instrumental “Garoto”, dedicado ao gênio musical Aníbal Sardinha (1915-1956), cujo nome artístico era Garoto, ganhou letra e virou faixa-bônus. Na verdade, a primeira ideia de Joyce, que ano passado relançou (pela EMI) seu álbum mais popular, Feminina (1980), era realizar um trabalho instrumental. A proposta gerou um entrevero doméstico.
Tutty – justamente ele, que é um instrumentista – além de compositor, a convenceu de que Joyce não poderia excluir seu lado de cantora. Assim, o trabalho acabou ganhando novas composições e voz, além de músicas que ela chama de “dedicatórias”, escritas por ou a respeito de compositores que influenciaram na formação musical do casal. Dentre eles, Baden Powell, Vinicius de Moraes (Berimbau), Luiz Reis e Haroldo Barbosa (“Devagar com a Louça”); e Moacir Santos, Raymond Evans e Jay Livinsgtone (“April Child”).

Lady Gaga quebra recorde no iTunes e diz que faz "dieta bêbada"

(Reuters) - "Born This Way", de Lady Gaga, tornou-se o single de vendas mais rápidas da história em todo o mundo na loja iTunes, da Apple, tendo sido descarregado mais de 1 milhão de vezes em cinco dias, anunciou a Apple na sexta-feira.
A Apple disse que a canção, uma faixa de dance com influência de Madonna que a cantora de 24 anos apresentou depois de "nascer" de um ovo gigante na entrega dos prêmios Grammy, é a número 1 da iTunes em 23 países.
"Born This Way", que é também a faixa-título de um álbum novo a ser lançado em maio, foi diretamente para o topo da lista Billboard Hot 100 singles no início da semana.
A bombástica artista performática também revelou seu segredo para se manter tão magra e explicou como conserva sua criatividade fluindo.
"Estou fazendo a dieta bêbada", ela disse à rádio Sirius XM na sexta-feira.
"Vivo minha vida do jeito que quero, criativamente. Gosto de tomar uísque e outras coisas enquanto trabalho. Mas tenho que malhar todos os dias e, se estiver de ressaca, malho de ressaca. Faço cross-training e me conservo inspirada. E tenho que admitir que faço muita ioga", disse ela.
Em entrevista à televisão no fim de semana passado, a cantora disse que também fuma maconha enquanto compõe suas canções.

Obras de reforma do MuMA cumprem cronograma

As obras de reforma do Museu Metropolitano de Arte de Curitiba - MuMA estão adiantadas, dentro do cronograma previsto pela Fundação Cultural de Curitiba. Pelas características da edificação e especificidades técnicas do espaço, com salas de exposições, teatro e cinema, a reforma do MuMA é uma das obras mais complexas em execução pela Prefeitura de Curitiba.
Orçada em R$ 2,17 milhões, a segunda fase dos trabalhos teve início em janeiro de 2010. As obras compreendem a execução de pisos, forros e revestimentos, a colocação de vidros, portas e esquadrias, as instalações hidrossanitárias, de prevenção de incêndio e de águas pluviais, as instalações elétricas e telefônicas, a preparação do sistema logístico para equipamentos de informática. Também está sendo feito o tratamento acústico das salas onde vão funcionar o teatro e o cinema. Os trabalhos dessa segunda fase estão previstos para terminar no próximo mês de abril.
Cliqe aqui e leia mais.

Com saudação aos orixás, escolas e blocos animam desfile de Carnaval em Curitiba

“Pinhais pede a benção e saúda os orixás”. Esse é o enredo que a Escola de Samba Unidos de Pinhais apresenta no desfile da Avenida Cândido de Abreu, no sábado de Carnaval. Uma das mais tradicionais do Carnaval curitibano, a Unidos de Pinhais sai este ano no grupo B, e promete caprichar no desfile, com uma homenagem ao candomblé. Ela disputa uma vaga no grupo principal com a Escola de Samba Os Internautas, cujo enredo “Pinhais, uma dádiva da natureza” enaltece os pinheirais existentes naquele município da região metropolitana de Curitiba.
Aproximadamente 200 componentes defendem as cores da Unidos de Pinhais. A comissão de frente, representando os orixás, abre o desfile, seguida pela ala de Ogã, os iniciados no candomblé. Na bateria ficarão os representantes de Ogun, o Guerreiro, e na ala das baianas estarão as Ialorixás, mães de santo. O mestre-sala e a porta-bandeira levam as cores de Iemanjá. No carro alegórico, a pomba gira simboliza a alegria que contagia os foliões.
A Escola de Samba Os Internautas igualmente conta com 200 integrantes para desenvolver o enredo que homenageia o município de Pinhais, onde também está sediada. Os pinheirais, a gralha azul, a nascente do Rio Iguaçu, os moinhos e as olarias são símbolos da cidade que aparecem nas fantasias e alegorias. A escola ainda enaltece a vitalidade do povo e o progresso do município, emancipado em 1992.
Clique aqui e leia mais.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

para encerrar o dia...


Joe Cocker, Tonight.

Chico Cesar no Teatro da Caixa

O paraibano Chico César realiza três apresentações no Teatro da Caixa Cultural Curitiba (rua Conselheiro Laurindo, 280), nos dias 18, 19 (21h) e 20 de fevereiro (19h). Acompanhado pela sanfona de Lívia Mattos, ele canta músicas do mais recente trabalho Francisco, Forró y Frevo, entre outros sucessos.

No álbum, o músico apresenta misturas de ritmos regionais e globais, ao mesclar xote com reggae, e frevo e arrasta-pé com ska, por exemplo. A proposta do trabalho é exaltar a força dos sons que animam o carnaval e os festejos juninos do nordeste. A obra inova ao apresentar características das orquestras de metais de Pernambuco com a guitarra baiana dos trios elétricos de Salvador da década de 70.

Fazem parte do show canções do novo álbum como Girassol, Deus Me Proteja e Pelado, além de sucessos românticos já consagrados pela música popular brasileira, como Onde Estará o Meu Amor, Templo, À Primeira Vista e Pensar em Você.

Lívia Mattos, que se apresenta com Chico César nessa temporada, é uma jovem sanfoneira com trabalho focado em ritmos nordestinos. Atuante no cenário musical baiano e paulista, em 2008 lançou um álbum demonstrativo produzido por Oswaldinho do Acordeon, considerado por muitos o precursor do forró em São Paulo.

No cinema: 127 Horas

Em maio de 2003, o alpinista Aron Ralston (James Franco) saiu para uma aventura e ficou preso por pouco mais de cinco dias num isolado cânion em Utah, nos Estados Unidos. Essa história real foi adaptada pelo diretor Danny Boyle e chega aos cinemas brasileiros com seis indicações ao Oscar - entre elas, melhor filme, ator e roteiro adaptado.

Dono de um espírito livre e aventureiro, Ralston fazia mais uma de suas escaladas nas montanhas norte americanas quando uma pedra despencou, prensando seu braço contra a parede da rocha. Foram 127 Horas lutando pela sobrevivência, intercalando momentos de tensão e memórias de sua vida. Sozinho e desesperado, o alpinista corta o próprio braço e escala mais de 20 metros para conseguir sair da fenda e contar a sua história.

Diretor de Trainspotting e A Praia, Boyle volta a assinar um filme depois de vencer o Oscar pelo filme Quem Quer Ser um Milionário.

No cinema: O Besouro Verde

Criado em 1936 para um programa de rádio e sucesso na série televisiva da década de 60, O Besouro Verde chega aos cinemas brasileiros totalmente repaginado. A história que, em 1966, lançou Bruce Lee no mercado americano, traz agora o ator de Taiwan Jay Chou no papel de Kato. O elenco ainda conta com Seth Rogen, interpretando o super-herói, e Cameron Diaz, como a protagonista feminina da trama.

Filho de James (Tom Wilkinson), o magnata da mídia mais respeitado de Los Angeles, Britt Reid (Rogen) é um playboy que leva uma vida perfeita e totalmente irresponsável. Sempre no meio da farra, o jovem vê seu mundo virar de ponta-cabeça quando seu pai é misteriosamente morto. Herdeiro de um vasto império e sem saber o que fazer, Britt encontra em Kato (Jay Chou), mordomo e faz-tudo da família, um improvável amigo.

Quando descobre que o funcionário mais dedicado de seu pai é também perito em artes marciais, Britt tem uma ideia: assumir uma identidade secreta e sair pelas ruas combatendo o crime. Ele se torna, então, o vigilante Besouro Verde, que conta com toda engenhosidade e diversas habilidades de seu braço-direito Kato para zelar pela lei e, quem sabe, encontrar o responsável pela morte de James.

Escoltados pelo Beleza Negra, um carro indestrutível e com alta potência criado por Kato, os heróis logo se tornam populares na cidade e ganham uma nova aliada: Lenore Case (Cameron Diaz), a nova secretária de Britt. O trio parte em busca de Benjamin Chudnofsky (Christoph Waltz), o responsável pelo controle do submundo de Los Angeles. O que eles não sabem é que Chudnofsky tem seus próprios planos para liquidar com o Besouro Verde.

No cinema: Deixe-me Entrar

Abby (Chloe Moretz) é uma garota cheia de mistérios. Recém-chegada a Blackeberg, subúrbio de Estocolmo, ela mora com o silencioso pai (Richard Jenkins) ao lado de Owen (Kodi Smit-McPhee), um garoto solitário de 12 anos que, apesar de ser satirizado e provocado pelos garotos do colégio, nunca reage. Ele passa seus dias planejando uma vingança e as noites, espiando a vizinhança.

Numa noite, quando brinca no pátio do prédio onde mora, Owen conhece a garota pálida que parece ser imune à neve e ao frio que faz. Logo, eles se aproximam e se tornam amigos, fazendo companhia um ou outro.

Paralelamente ao início dessa complicada amizade, uma série de assassinatos macabros aterroriza a cidade, mas Owen nem imagina que o grande segredo de Abby tem tudo a ver com os crimes. Isso porque ela é bem mais velha do que aparenta e, para sobreviver, precisa se alimentar de sangue.

Deixe-me Entrar, dirigido por Matt Reeves, é uma releitura do terror sueco Deixa Ela Entrar (2008). Este é o terceiro longa com a assinatura de Reeves; os anteriores foram O Primeiro Amor de um Homem (1996) e Cloverfield - Monstro (2008).

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

lembrando Pixinguinha


Pixinguinha partiu em 17 de fevereiro de 1973.
No clip, Marisa Monte e Paulinho da Viola cantam o clássico Carinhoso.

para pensar...

“De todas as músicas, a que mais longe chegou no céu é a batida de um coração amoroso".
Henry Ward Beecher

O universo de Clarice Lispector em "Minha vontade de ser bicho"

O que diferencia o homem do animal? A natureza humana é primitiva? O que nos aproxima de nós mesmos? Questões como essas são levantadas na obra de uma das escritoras mais controversas de nossa literatura. Clarice Lispector falava que escrevia para ficar livre de si mesma. Também falava que escolher a própria máscara é o primeiro gesto voluntário humano e solitário. Colhendo essas e muitas outras frases e pensamentos de Clarice e apresentando um pouco da personalidade intrigante da escritora o Grupo Delírio Cia. de Teatro abre a temporada 2011 de espetáculos do Teatro Novelas Curitibanas (rua Carlos Cavalcanti, 1222).
Três mulheres, três histórias que se intercalam e em comum a escrita indefinível e mágica de Clarice Lispector. Com adaptação e direção de Edson Bueno o espetáculo Minha vontade de ser bicho fala de vida e morte, amor e renúncia, o significado da felicidade e sentimentos íntimos presentes num espetáculo de comunicação aberta. A peça trata também de descobertas. Uma das características da literatura de Clarice Lispector e a tomada de consciência da própria vida, a partir de acontecimentos banais ou não.
As três mulheres dessa peça (que se assume como tal perante o público, num exercício de metalinguagem) passam a refletir sobre a verdade que nunca permitiram viver e sobre os sentimentos que por mais que tentem, não conseguem expressar com palavras”, explica o diretor Edson Bueno. Outro aspecto do espetáculo, de acordo com Bueno, é a pura literatura das palavras. “As palavras que ditas ou escritas nunca conseguem expressar a verdade. São como flores de plásticos que imitam as verdadeiras, mas nunca serão sequer silenciosas como elas”, diz o diretor.
Minha vontade de ser bicho fica em cartaz de 17 de fevereiro a 20 de março, de quinta a domingo, sempre às 20h. A novidade desse ano dos espetáculos do Teatro Novelas Curitibanas, viabilizados pelo Fundo Municipal de Cultura, é que a entrada é gratuita.

De costas para plateia

No mínimo inusitado. Os dançarinos não olham uma única vez para o público. Ficam o tempo todo de costas ou de perfil. O espetáculo "Não olhes para trás" aborda mitos que tratam de questões fundamentais do comportamento humano: ter livre arbítrio, seguir normas, respeitar leis. As coreografias exploram a essência dramática dos mitos de Ló e de Orfeu. Além deles, exploram também os mitos da Caverna, de Ulisses e da Medusa, sem buscar ilustrá-los.
Ao trabalhar a dramaturgia do corpo, o grupo "Yesbody Teatro Físico" coloca o ato de falar em segundo plano e mistura as linguagens da dança e do teatro. A concepção e direção do espetáculo são de Júlio Mota, coreógrafo e professor do curso de Teatro da PUCPR.
As apresentações acontecem no Centro de Criatividade de Curitiba (Parque São Lourenco), de quarta a sexta-feira, às 20h e aos sábados e domingos, às 18 e 20h. A entrada é franca.

Políticos e seus projetos: Proposta declara hip hop manifestação de cultura popular

A Câmara analisa o Projeto de Lei 3/11, do deputado Maurício Rands (PT-PE), que declara o movimento hip hop manifestação de cultura popular de alcance nacional. O parlamentar argumenta que esse reconhecimento dará às iniciativas de artistas e de entidades sociais ligadas ao movimento o direito de receberem do Poder Público a mesma atenção conferida a outras expressões culturais, como a possibilidade de serem beneficiadas por políticas públicas.
O hip hop é uma manifestação cultural iniciada na década de 1970 em áreas de comunidades jamaicanas, latinas e afro-americanas da cidade de Nova Iorque. Inicialmente, o movimento se concentrou na música, mas ao longo do tempo foi agregando outras manifestações com dança (break dance), poesia (rap) e pintura (grafites). No Brasil, o hip hop começou a se consolidar como forma de expressão nacional na década de 90, especialmente em São Paulo.
Inclusão social
Pela proposta de Maurício Rands, o Poder Público, em todas as esferas administrativas, deverá considerar, na elaboração de ações governamentais, as iniciativas do hip hop que atuem na promoção à educação, à cultura e à inclusão social.
Segundo o autor, o objetivo do projeto é institucionalizar o movimento e, assim, contribuir para a inclusão social e a valorização cultural de grande número de artistas, especialmente de áreas pobres das grandes cidades.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

"Às vezes amamos tanto uma pessoa, que fingimos não sentir. Porque, se percebermos o tamanho deste amor, isto poderia nos matar".
Do filme Os Garotos da Minha Vida

Grammy de Paul


Sir Paul McCartney, em plena forma, cantando Helter Skelter.

Paul McCartney recebe primeiro Grammy solo, por "Helter Skelter"

O ex-Beatle Paul McCartney levou seu primeiro Grammy solo em 39 anos no domingo, por uma gravação ao vivo de "Helter Skelter".
McCartney levou a estatueta de melhor gravação ao vivo de rock pela canção de 42 anos, dos Beatles, que ele apresentou na gravação de seu álbum ao vivo "Good Evening New York City", de 2009.
Foi seu 14o Grammy, dos quais 10 estavam ligados aos Beatles, desde 1965 até um projeto de relançamento em 1997.
Como artista solo, ele levou o Grammy em 1972 por seu arranjo para "Uncle Albert/Admiral Halsey". Depois, levou mais dois Grammys por composições para sua banda Wings, em 1975 e 1980.
McCartney, de 68 anos, já recebeu diversas indicações aos Grammys - 11 desde 2005 - mas foi derrotado por artistas como Bruce Springsteen, Amy Winehouse e Justin Timberlake.

Saravah Soul no John Bull Pub

Da cena musical "underground" de Londres, nasce uma ampla mistura cultural: o som original da Saravah Soul. A banda estará em Curitiba, no palco do John Bull Pub, nesta sexta-feira (18). Liderada pelo cantor curitibano Otto Nascarella, a intensidade dos shows conquista cada vez mais fãs.
Na estrada desde 2005, com dois discos lançados mundialmente pela gravadora britânica Tru Thoughts, eles seguem firme em sua ousada missão de misturar as músicas do Brasil com o soul norte-americano da década de 60 e os sons do continente africano, em especial o afrobeat nigeriano da década de 70.
A banda liderada por Otto Nascarella ganhou fama rapidamente na cena underground de Londres, pela capacidade de hipnotizar e sacolejar as mais variadas platéias com performances únicas e eletrizantes, marca registrada no trabalho do músico.
Seu primeiro disco, que leva o nome da banda, foi lançado em Abril de 2008. Muito bem recebido por público e crítica, teve ótima repercussão nas rádios européias, o que resultou na primeira turnê da banda pelo Reino Unido, Europa e até mesmo uma série de shows pelo Brasil.

Novo filme do Homem-Aranha recebe título original dos quadrinhos

O estúdio de Hollywood responsável pela franquia do Homem-Aranha divulgou o título para o novo filme do super-herói. De volta às origens da história em quadrinhos, o filme se chamará "The Amazing Spider-Man" ("O Incrível Homem-Aranha").
O novo filme da Columbia Pictures, que estreia nos cinemas em 3 de julho, de 2012, terá Andrew Garfield no papel principal.
O super-herói adolescente fez sua primeira aparição nas páginas de uma história em quadrinhos de 1962 chamada "Amazing Fantasy", edição número 15. Ele foi tão popular entre os leitores que a editora Marvel Comics criou a série "O Incrível Homem-Aranha" em 1963.
A Columbia está buscando uma forma de reinventar o sucesso da franquia de filmes do "Homem-Aranha" ao escolher Garfield para substituir Tobey Maguire no papel principal. O ator nasceu nos Estados Unidos, mas cresceu na Grã-Bretanha.
Os filmes "Homem-Aranha", de 2002, "Homem-Aranha 2" e o último lançamento "Homem-Aranha 3", de 2007, foram todos protagonizados por Maguire, e arrecadaram 1,1 bilhão de dólares nas bilheterias dos Estados Unidos e do Canadá, segundo o site boxofficemojo.com. A franquia é uma das de maior sucesso na história do cinema.
Em 2008, a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos recebeu o equivalente a uma certidão de nascimento do Homem-Aranha, quando um doador anônimo entregou os desenhos originais de "Amazing Fantasy #15".

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Grammy


Este é o clip oficial da música Need You Now, do trio Lady Antebellum, que recebeu o Grammy de melhor canção de 2010.

Lady Antebellum e Arcade Fire dominam o Grammy

O trio country Lady Antebellum e a banda canadense de rock Arcade Fire ganharam os principais prêmios Grammy, no domingo, numa cerimônia cheia de zebras e com uma humilhante derrota para Eminem.
O rapper era o artista com mais indicações - dez -, mas levou apenas dois troféus.
Já o trio Lady Antebellum saiu da cerimônia com cinco prêmios, inclusive melhor canção e melhor gravação do ano. É a segunda vez consecutiva que o gênero country domina o evento, que no ano passado teve Taylor Swift como grande destaque.
A festa do Lady Antebellum só não foi completa porque o Arcade Fire levou o principal prêmio, o de álbum do ano, o que surpreendeu os críticos. A banda já havia perdido essa disputa em duas ocasiões, e seus integrantes pareceram perplexos ao ouvirem a apresentadora Barbra Streisand fazer o anúncio.
O álbum "The Suburbs" ganhou o Grammy depois de liderar as paradas dos EUA e do Canadá, no ano passado, sem o apoio de uma grande gravadora. Foi a primeira vez que uma banda de rock recebe esse prêmio desde o U2 em 2005.
O prêmio de revelação também foi uma surpresa: a baixista Esperanza Spalding, superando dois ídolos canadenses do momento, Justin Bieber e Drake, que tinham duas e quatro indicações, respectivamente, mas voltaram para casa de mãos vazias.
Spalding, de 26 anos, é a primeira artista de jazz indicada ao prêmio de revelação nos últimos 35 anos. Mas ela não é exatamente uma novata, já que lançou seu disco de estreia em 2008.
A cantora pop Lady Gaga e o rapper Jay-Z levaram três troféus cada um.
Eminem, retomando sua carreira com um disco que fala da sua luta contra a dependência química, era o favorito para agradar aos 12 mil membros da indústria fonográfica que votam no Grammy. Mas ele ficou apenas com os troféus de melhor álbum de rap ("Recovery") e solo de rap ("So Afraid").
Dono de 13 Grammys ao longo da carreira, Eminem já foi derrotado três vezes na categoria álbum do ano, e nunca venceu também como melhor gravação ou canção.
O Grammy premiou artistas em 108 categorias. Outros ganhadores múltiplos foram o produtor de música clássica David Frost (quatro), o guitarrista Jeff Beck, o cantor e compositor de soul John Legend (três cada), o cantor Usher e a banda de rock Black Keys (dois).

Romero Britto presenteia Dilma com retrato publicado no New York Times

Depois de ter investido U$ 20 mil para publicar um retrato da presidente Dilma Rousseff na revista semanal do jornal norte-americano New York Times, o artista pernambucano Romero Britto foi recebido nesta segunda-feira (14) pela presidente no Palácio do Planalto. Britto lhe deu de presente à a obra que foi publicada em anúncio de página inteira na New York Times Magazine, em janeiro.

A audiência foi pedida por Britto logo no começo do ano. O artista, conhecido por seus painéis coloridos e geométricos, mora em Miami onde tem uma galeria. No retrato, Dilma aparece em tons fortes.

Britto é conhecido como um artista brasileiro da arte pop. Suas obras conquistaram o gosto dos norte-americanos e de europeus. Em dezembro de 2010, Britto inaugurou sua segunda exposição individual no Museu do Louvre, em Paris. Imagens de sua obra também foram projetadas no Castelo Trazberg, na Áustria.

A inspiração para pintar o retrato da presidenta, de acordo com o artista, ocorreu durante a campanha, quando a então candidata visitou o Hospital da Mulher no Rio de Janeiro. Segundo o artista, ele ficou emocionado ao ver a presidente observando um painel de sua autoria que decora uma das paredes do hospital.

Ao vê-la observando meu trabalho percebi que ela estava tão contente que fiquei emocionado. Aí pensei: tenho que pintar um retrato para a Dilma”, disse o artista.

Peça "Entre Nós" volta aos palcos de Curitiba

A peça "Entre Nós”, escrita pela jornalista Andressa Portugal, volta ao palco do Era Só o Que Faltava (Rep. Argentina, 1334), todas as sextas-feiras de fevereiro, 21h.

Fruto de um trabalho que a jornalista Andressa Portugal realizou com diversas mulheres, a peça conta a história de duas amigas que se re-encontram na despedida de solteira de uma delas.

Esse encontro se transforma numa hilária discussão sobre relacionamentos, revelando aspectos importantes e um tanto quanto secretos da vida da mulher atual.

Tudo o que falamos em cena alguém me contou. Misturei várias histórias e conceitos e criei essas duas personagens típicas da sociedade contemporânea”, afirma a autora e atriz. Andressa divide o palco com a atriz, cantora e produtora Anna Martha Sá.

O público é o júri no Festival de Curtas

Um festival competitivo de curtas sem júri oficial. É o público que vota em todas as categorias. O evento acontece até dia 20 de fevereiro simultaneamente em 22 cidades brasileiras. Em Curitiba, os filmes serão apresentados na Cinemateca (rua Carlos Cavalcanti, 1174), às 16, 18 e 20h.
O Comitê de Seleção formado por Eduardo Ades (produtor e curador), Ines Aisengart Menezes (curadora), Maria Flor Brazil (produtora), Raphael Mesquita (diretor e produtor) e Angelo Defanti (coordenador do festival) avaliou as mais de 400 inscrições e 41 filmes foram selecionados.
Antes de cada uma das sessões, em todas as salas de exibição, a cada um dos espectadores, será ofertada uma cédula de votação que apresentará todas as categorias de todos os filmes que serão exibidos. Ao fim de cada exibição, uma urna estará disponível para que o público deposite as cédulas após a sua avaliação em cada uma das categorias.
Os filmes da mostra competitiva concorrerão nas seguintes categorias sob o julgamento do público: Grande Prêmio, Melhor Ficção, Melhor Documentário, Melhor Animação, Melhor Experimental, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Ator e Melhor Atriz.
O Grande Prêmio receberá o Prêmio Porta Curtas Petrobras, Prêmio Estúdios Mega, Prêmio Distribuição Curta o Curta dentre outros prêmios em serviços. A Melhor Fotografia ainda receberá o Prêmio Kodak.
Mais informações: www.festivaldojuripopular.com.br

domingo, 13 de fevereiro de 2011

vozdemulher


"Ah, meu amor, estamos mais safados / Hoje tiramos mais proveito do prazer
E somos um / Quando dormimos juntos, sonhos separados
Que nós não vamos confessar de modo algum..."
Condenados é uma das mais belas músicas da cantora e compositora carioca Fátima Guedes.
Simone, Maria Bethânia, Joanna, Zizi Possi, Leila Pinheiro, Ney Matogrosso, Nana Caymmi e outros cantores têm no repertório suas músicas.
Conheça um pouco mais sobre a cantora no site www.fatimaguedes.com.br

Novo single de Lady Gaga é comparado a Madonna

O novo single de Lady Gaga, "Born This Way", estreou na sexta-feira e foi rapidamente comparado a Madonna.
O single, um gesto de aceitação à diversidade racial e sexualidade, é a faixa principal do novo álbum do mesmo título a ser lançado em maio. Os álbuns anteriores de Lady Gaga foram "The Fame" e sua versão estendida, "The Fame Monster", ambos com grandes vendas.
A cantora de 24 anos, nascida em Nova York, disse que escreveu "Born This Way" em apenas dez minutos e que a canção é um hino ao orgulho gay. Mas vários críticos e fãs observaram que o som é muito semelhante ao sucesso de Madonna "Express Yourself", de 1989.
"Basicamente é 'Express Yourself', de Madonna, retrabalhado com um toque de 'Vogue', de Madonna. É Madonna demais para alguém que procura definir sua própria identidade", escreveu Neil McCormick, crítico do Daily Telegraph de Londres.
Os fãs pensaram a mesma coisa, e "Madonna" e "Express Yourself" rapidamente viraram dois dos principais tópicos no Twitter.
Para alguns jornalistas especializados em música, a semelhança entre as duas canções não passa das influências normalmente derivadas de outros gêneros musicais ao longo das décadas. A revista Rolling Stone atribuiu quatro estrelas, de um total possível de cinco, ao single com toques de house e disco.
"Apesar do gesto óbvio em direção a 'Express Yourself', de Madonna (que por sua vez foi simplesmente a versão de Madonna de 'Respect Yourself', dos Staple Singers), a canção é imbuída de décadas de tradição disco gay", disse a revista.
"'Born This Way' resume todos os mitos complexos de Lady Gaga, sua política, sua angústia existencial católica, o batom borrado, em uma explosão pop brilhante."
Lady Gaga, cujo nome real é Stefani Germanotta, já foi comparada a Madonna muitas vezes pelas táticas de choque que emprega em seus vídeos musicais e apresentações ao vivo, além de suas canções pop dançantes como "Bad Romance" e "Poker Face".

"Profusão de cores" em nova exposição de Lidia Saczkovski

A artista plástica Lidia Saczovski abre, nesta segunda-feira (14), sua nova exposição chamada "Profusão de Cores". Para esta mostra, a artista traz obras que revelam uma mistura de elementos e cores, que retratam um universo rural e urbano ricamente imaginado. As telas ficarão expostas no hotel Blue Tree Towers Curitiba (Rua Lamenha Lins, 71 ).
Lidia cria em suas composições cidades que misturam árvores, calçadas e jardins em meio a construções típicas urbanas como igrejas, prédios ou lojas. Todas as imagens sempre estão repletas de cores e com pouco ou quase nenhuma presença humana. Esta referência vem da origem ucraniana familiar da artista e de sua convivência com o folclore, a arte e os costumes eslavos, mesclados ainda com o colorido adquirido durante os anos em que morou no nordeste brasileiro.
A artista
No currículo de Lidia, que durante anos participou do ateliê de criação de Edílson Viriato, estão diversas exposições coletivas, além de importantes menções honrosas concedidas na 6ª e na 7ª Bienal Internacional Naif em Buenos Aires, Argentina, e menção especial na 13ª Bienal de Arte Naif e Marginal Arte, em Jagodina, na Servia.

Últimos dias da mostra De Picasso a Gary Hill, no Museu Oscar Niemeyer

Você tem até 27 de fevereiro para visitar a mostra “De Picasso a Gary Hill”, no Museu Oscar Niemeyer (rua marechal Hermes, 999). A exposição apresenta uma noção do que é a arte moderna ocidental. No conjunto estão 46 obras de artistas consagrados como: Pablo Picasso, Paul Klee, Marc Chagall, Antoni Tàpies, Salvador Dalí, Alexander Calder, Christian Boltanski, Bruce Nauman e Gary Hill. Completam a aventura da arte ocidental moderna no Século 20 o uruguaio Arden Quin e os brasileiros Aldemir Martins, Antônio Bandeira e Letícia Parente.

Para traçar os caminhos da arte moderna, os curadores José Guedes e Roberto Galvão Lima dividiram a exposição em sete grupos de artistas e obras, relatando desde o “marcante movimento que inicia a relativização do olhar e da percepção, que foi o cubismo picassiano – surgido no início do Século 20 –, até a absorção pelas artes das linguagens eletrônicas, tão bem representadas pela obra de Gary Hill”.

“De Picasso a Gary Hill” conta com o apoio do Governo do Paraná, da Secretaria da Cultura e da Caixa Econômica Federal. A mostra já foi exibida em Fortaleza (CE) e após a temporada em Curitiba-PR retorna para a Espanha.

Orquestra Sinfônica do Paraná tem novo regente e Balé Teatro Guaíra nova diretora

O secretário de Estado da Cultura, Paulino Viapiana, e a diretora do Teatro Guaíra, Mônica Rischbieter, anunciaram novos nomes para ocupar a regência da Orquestra Sinfônica do Paraná e a direção do Balé Teatro Guaíra. O maestro Osvaldo Ferreira passa a ser o novo regente da orquestra e a coreógrafa Andréa Sério Bertoldi a nova diretora do Balé Guaíra.

ORQUESTRA - Osvaldo Ferreira é natural de Portugal e formado no Curso Superior de Violino pelo Conservatório de Música do Porto. Concluiu o mestrado em Direção de Orquestra em Chicago (Estados Unidos) e a pós-graduação no Conservatório de São Petersburgo (Rússia).
O maestro foi regularmente convidado a participar dos principais festivais de música de Portugal, tendo dirigido orquestras na Rússia, Europa, Brasil e Estados Unidos. Em 2008, Ferreira assumiu a direção artística da fase erudita da Oficina de Música de Curitiba à convite da Fundação Cultural. Ele substitui o maestro Alessandro Sangiorgi, no cargo desde 2002.

BALÉ - Andréa Sério Bertoldi é graduada em Dança e Fisioterapia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Também é mestre e doutoranda em Comportamento Motor pela Universidade Federal do Paraná, investigando processos de aprendizagem e controle do movimento.
A nova diretora do Balé Guaíra estudou dança clássica, moderna e contemporânea. Foi premiada pela Funarte por sua produção coreográfica e representou o Brasil em festivais internacionais de arte realizados nos Estados Unidos, Ásia e Europa.
Desde 1997, atua como professora na Faculdade de Artes do Paraná e como palestrante de cursos de pós-graduação em inúmeras instituições do país. É autora de publicações nacionais e internacionais sobre pesquisas teóricas e aplicadas na área do comportamento motor e sobre o corpo com deficiência física na dança contemporânea brasileira.
Na direção do Balé Teatro Guaíra, Andréa inaugura uma fase de revitalização do trabalho como companhia de dança pública, com o desenvolvimento de ações que atualizam modos de produção e a relação com o público e artistas. Andréa Bertoldi substitui Carla Reinecke, que atuou na função durante os últimos seis anos.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

vozdemulher


A fadista Mariza canta Há Uma Música do Povo, canção que homenageia o poeta português Fernando Pessoa.
A cantora é acompanhada pela Orquestra Sinfônica de Lisboa, regida pelo violoncelista e maestro brasileiro Jacques Morelembaum.
O clip é do "Concerto em Lisboa", realizado em 2006.

Samba e literatura na agenda de domingo

Lazer e cultura marcam a programação preparada pela Fundação Cultural de Curitiba para o fim de semana, com música e atividades literárias em espaços urbanos. Neste domingo (13), às 15h30, o Parque Barigüi sedia mais uma edição do programa Música nos Parques, com a apresentação do Grupo Serenô, enquanto o Parque São Lourenço recebe o Biblioparque, posto móvel de empréstimo gratuito de livros, que atenderá das 10h às 18h. Em caso de chuva, o equipamento não poderá funcionar.
Um mergulho no universo do samba de raiz é a proposta do Grupo Serenô, que interpreta composições próprias como resultado de intenso trabalho de pesquisa sonora por todo o Brasil. Roseane Santos (voz e percussão), Marco Filgueiras (cavaco), Eduardo Gomide (voz e violão), Gustavo Proença (voz e percussão), Raphael Araújo (percussão) e Manchinha (gaita ponto) mostram que o samba nunca deixou de ser lamento, celebração dos amores e das dores, das alegrias e das saudades, além de revelar a existência do samba paranaense.
Com três anos de atuação no cenário musical curitibano, o Grupo Serenô une sonoridades vindas das chulas e modas de viola, do maracatu e das cirandas, do samba de roda e do samba de partido, até chegar à forma urbana de fazer samba. O show do grupo, neste domingo (13), integra o programa Música nos Parques, que seleciona as atrações por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura com o objetivo de proporcionar lazer e diversão gratuita a milhares de curitibanos.

Leitura – Atividades literárias também integram as opções deste domingo (13), com o Biblioparque atendendo no Parque São Lourenço, das 10h às 18h. O equipamento, que foi inaugurado em outubro do ano passado, numa parceria entre a Fundação Cultural e a Vivo, permite que os frequentadores dos parques emprestem livros gratuitamente, mediante apresentação de um documento. Ele é itinerante e conta com uma estrutura especial para proteger uma estante de títulos atuais da literatura brasileira e estrangeira, além de acomodar mesas, cadeiras e pufs. O Biblioparque integra o programa Curitiba Lê, desenvolvido pela Prefeitura para incentivar o hábito da leitura entre os curitibanos.

Adam Sandler e Jennifer Aniston podem liderar bilheteria nos EUA

Com quatro filmes estreando nos EUA nesta sexta-feira, um dos quais do ídolo adolescente Justin Bieber, o fim de semana do Dia dos Namorados no país (segunda-feira, 14) deve ajudar a desfazer o mal-estar que vem dominando as bilheterias de cinema este ano.
A expectativa é que a comédia romântica "Esposa de Mentirinha", com Adam Sandler e Jennifer Aniston, estreie com mais de 30 milhões de dólares (para alguns observadores, a cifra será mais próxima de 35 milhões) e lidere as bilheterias. O filme também deve ser visto por muitas pessoas na segunda-feira, o próprio Dia de São Valentim, ou Dia dos Namorados.
"Justin Bieber: Never Say Never", da Paramount, é uma grande incógnita. Os serviços de previsão admitem que têm dificuldade em avaliar a performance possível desse tipo de filme, voltado a meninas pré-adolescentes.
Em parte biografia, em parte filme musical, o lançamento em 3D deve ter valores de estreia entre as de "Hannah Montana e Miley Cyrus - O Melhor dos Dois Mundos" (31,1 milhões de dólares em 2008) e "Jonas Brothers 3D - O Show" (apenas 12,5 milhões).
Uma coisa que talvez prejudique a bilheteria de "Justin Bieber" é a animação "Gnomeu e Julieta", com música de Elton John e que está sendo vista positivamente pelos pais.
O quarto filme a estrear na sexta é o épico "The Eagle", que deve atrair principalmente o público masculino e tem previsão de arrecadar entre 6 e 9 milhões de dólares.
Kevin Macdonald dirigiu Channing Tatum em uma adaptação do livro histórico de 1954 "The Eagle of the Ninth", de Rosemary Sutcliff, sobre um jovem oficial romano que procura a verdade sobre o desaparecimento da legião de seu pai na atual Escócia.

Fãs arrecadam dinheiro para erguer estátua de RoboCop em Detroit

Como o próprio RoboCop no filme cult "RoboCop - O Policial do Futuro", os planos para criar em Detroit uma estátua do policial mecanizado podem não estar mortos, afinal.
O prefeito de Detroit, Dave Bing, desencadeou uma discussão na Internet esta semana ao rejeitar uma sugestão de que a cidade, que enfrenta problemas financeiros, erga uma estátua a RoboCop.
A ideia chegou à prefeitura através do Twitter, vinda de alguém que mais tarde disse que tinha sido apenas uma brincadeira.
Mas na quinta-feira mais de 4.000 pessoas já tinham se inscrito em uma página do Facebook em favor da proposta, e um grupo de artistas prometeu levantar 50 mil dólares em uma campanha online para financiar a construção da estátua.
No filme de 1987 estrelado por Peter Weller, um policial de Detroit, mortalmente ferido, volta a viver como ciborgue, metade homem, metade máquina, para continuar a combater o crime.
Alguns moradores de Detroit argumentam que a cidade não deveria homenagear um filme que a mostra como sendo afetada por um "câncer" criminoso, ao mesmo tempo em que campanhas para erguer estátuas de lendas da música pop de Motown, como Michael Jackson e Diana Ross, não foram para frente.
"Acho que o importante no filme é o próprio RoboCop e os valores que ele representa", disse o artista Brandon Walley, um dos fundadores do esforço de levantamento de fundos.
Uma porta-voz do prefeito disse ao Detroit Free Press que Bing estuda a possibilidade de usar terreno público para erguer uma estátua de RoboCop, se esta for doada.

"A Rede Social" vence "O Discurso do Rei" em prêmio britânico

"A Rede Social" recebeu nesta quinta-feira quatro prêmios do Círculo de Críticos Cinematográficos de Londres, superando assim "O Discurso do Rei", que levou três prêmios. Ambos tinham sete indicações.
"A Rede Social", que conta a história do site Facebook, recebeu os prêmios de melhor filme, melhor diretor (David Fincher), melhor ator britânico em papel coadjuvante (Andrew Garfield) e melhor roteiro (Aaron Sorkin).
"O Discurso do Rei", filme com mais indicações ao Oscar neste ano (12), ficou com os prêmios de melhor filme britânico do ano, melhor diretor britânico (Tom Hooper) e melhor ator (Colin Firth).
Annette Bening ganhou o prêmio de melhor atriz por "Minhas Mães e Meu Pai," derrotando Natalie Portman, de "Cisne Negro".
Christian Bale ("O Lutador") foi escolhido melhor ator britânico do ano. Lesley Manville ("Another Year") recebeu o prêmio equivalente na categoria feminina.
"Monsters" deu a Gareth Edwards o prêmio de cineasta britânico revelação. O francês "De Homens e Deuses" recebeu o prêmio de melhor filme em língua estrangeira.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

O tempo...


"... Toda minha vida / Sinto que esperava / Por você pra ser feliz..."
Ivan Lins canta O Tempo Me Guardou Você.
O clip é do dvd "Cantando Histórias", gravado em 2004, no Café Teatro Arena (RJ).

No cinema: O Discurso do Rei

Com sete indicações ao Globo de Ouro, sendo vencedor na categoria melhor ator (Colin Firth), e líder de indicações ao Oscar, concorrendo a 12 estatuetas - entre elas, melhor filme, diretor, ator e roteiro original - O Discurso do Rei chega aos cinemas brasileiros. O drama assinado por Tom Hooper conta a história real do Rei George VI (Firth) em busca de sua voz e da vitória na batalha contra os alemães.

Desde pequeno, Bertie (Firth) sofre de com sua gagueira nervosa; um problema que sempre diminuía suas possibilidades de sucesso em qualquer ocasião. Sem grandes expectativas, Bertie foi surpreendido depois da morte de seu pai, o Rei George V (Michael Gambon), e da escandalosa abdicação do Rei Eduardo VIII, quando o improvável jovem gago foi escolhido para ser coroado o Rei George VI da Inglaterra. O único problema, no entanto, era que, com o país à beira de uma guerra, a nação precisava desesperadamente de um líder com voz ativa.

Sentindo a dificuldade e o sofrimento do marido, Elizabeth (Helena Bonham Carter), a futura Rainha Mãe, procura diversos tratamentos, mas encontra a esperança num método pouco ortodoxo, com o excêntrico terapeuta da fala, Lionel Logue (Geoffrey Rush). Depois de um difícil começo, os dois acabam consolidando um forte vínculo, imprescindível para o sucesso do Rei.

Chega a hora de George VI acreditar em si, superar a gagueira e proferir o discurso mais importante de sua vida. Veiculada no rádio para toda a nação ouvir, sua voz vai inspirar e unir seu povo para a iminente batalha contra os alemães na Segunda Guerra Mundial.

No cinema: Bravura Indômita

Com dez indicações ao Oscar 2011 - entre elas, melhor filme, diretor e ator -, a refilmagem do clássico estrelado em 1969 por John Wayne, Bravura Indômita, chega aos cinemas brasileiros depois de quebrar o recorde de arrecadação entre o estilo western. Dirigido por Joel e Ethan Cohen, a película arrecadou cerca de US$ 24 milhões na estreia norte-americana e quase US$ 100 milhões em duas semanas de bilheteria.

No longa, Mattie Ross (Hailee Steinfeld), de apenas 14 anos, sofre com a morte de seu pai, assassinado a sangue frio por Tom Shaney (Josh Brolin). Movida pela vingança, ela contrata o ex-xerife Ruben J. Coghburn (Jeff Bridges) para encontrar e matar Shaney. No início, ele recusa a oferta, mas a necessidade de ganhar dinheiro faz o beberrão mudar de ideia.

Determinada, a garota ainda exige acompanhá-lo nessa jornada para ter certeza de que seu objetivo será alcançado. Juntos, eles precisam entrar em territórios indígenas e encontrar o assassino antes de LeBoeuf (Matt Damon), um patrulheiro texano que também quer capturá-lo por outro crime cometido.

Os irmãos Cohen, que já assinaram Os Fracos Não Têm Vez e Cada um com seu Cinema, ambos em 2007, afirmaram que, para dirigir o remake, evitaram assistir ao filme original, a fim de não sofrerem influências nas filmagens. Uma curiosidade é que Jeff Bridges, que disputa a estatueta de melhor ator com Colin Firth (O Discurso do Rei), ganhou o prêmio em 2010 pelo filme Coração Louco.

No cinema: O Ritual

Baseado no livro The Making of a Modern Exorcist, de Matt Baglio, e dirigido pelo sueco Mikael Hafströn (Conspiração Xangai e 1408), o longa O Ritual narra a história real de Michael Kovak (Colin O´Donoghue), um cético seminarista que, mesmo relutante, frequenta uma escola de exorcismo no Vaticano. Isso faz parte de seu plano: abandonar o emprego na funerária de seu pai, estudar no seminário às custas da Igreja e pular fora antes de se tornar padre.

No entanto, sua vida e seus conceitos sobre fé, demônio e exorcismo mudam radicalmente quando conhece o Padre Lucas (Anthony Hopkins), um famoso exorcista que irá apresentar ao jovem um lado obscuro da fé. A partir da convivência com o sacerdote, Michael perceberá que a descrença no diabo não significa proteção; na verdade, dessa forma ele se torna ainda mais vulnerável na hora de enfrentá-lo.

A brasileira Alice Braga - que atuou em outras obras estrangeiras, como Predadores e Ensaio Sobre a Cegueira - faz parte do elenco, interpretando a jornalista Angeline, responsável pela aproximação do seminarista com o padre.

No cinema: Burlesque

Christina Aguilera marca sua estreia nas telonas com o musical Burlesque. Vencedor do Globo de Ouro na categoria melhor canção original (You Haven't See the Last of Me), o longa, assinado pelo também estreante em direção cinematográfica Steve Antin, ficou com o quarto lugar nas bilheterias norte-americanas, arrecadando US$ 17 milhões no primeiro fim de semana de exibição.

No musical, Christina Aguilera é Ali, uma ambiciosa garota do interior que parte para a cidade grande em busca de fama e sucesso em Hollywood. Quando chega em Los Angeles, consegue trabalhar como garçonete na boate Burlesque, comandada pela ex-dançarina de cabaré Tess (Cher), que entende tudo sobre música e dança, e ajudará a tornar realidade o sonho da garota.

Enquanto batalha pela realização de seus desejos, Ali faz amizade com Georgia (Julianne Hough), uma bailarina local, e desperta o interesse do músico e barman da casa Jack (Cam Gigandet); porém, terá que lidar com o ciúme e a inveja de Nikki (Kristen Bell), outra gananciosa bailarina da boate.

No cinema: O Samba Que Mora em Mim

No período que antecede o carnaval, a diretora estreante Georgia Guerra-Peixe sobe o Morro da Mangueira em busca de boas histórias, contadas por pessoas que, em sua simplicidade, fazem parte do carnaval carioca de diversas maneiras. Assim, o documentário O Samba que Mora em Mim se propõe a fazer um relato pessoal do samba e da história da comunidade.

Partindo da quadra da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, as câmeras captam depoimentos como o da Vó Lucíola, de Timbaca, de Cosminho, do Mestre Taranta, de Lili e do DJ Glauber. Todos moradores do morro que fazem parte do carnaval tanto quanto o samba faz parte de suas vidas.

Vencedor do Prêmio Especial do Júri na 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o documentário opta por não mostrar a violência existente na favela carioca, focando-se apenas na influência e na alegria que o ritmo leva aos moradores do morro.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

One


One, sucesso do U2, ganha uma interpretação personalíssima de Joe Cocker.
O clip é de uma apresentação no programa de entrevistas de Jay Leno, na rede NBC.

Emily Bronte vence Shakespeare em disputa de fala mais romântica

Os britânicos escolheram uma frase do romance "O Morro dos Ventos Uivantes", de Emily Bronte, como sendo a mais romântica da literatura inglesa.
Uma pesquisa conduzida com 2.000 adultos, encomendada pela Warner Home Video para acompanhar o lançamento em DVD da comédia romântica "Com o Pé na Estrada", mostrou que 20 por cento dos entrevistados escolheram a frase "Seja do que for que nossas almas são feitas, a dele e a minha são iguais".
A declaração feita pela personagem Catherine Earnshaw sobre o amor que sentia por Heathcliff ficou à frente na pesquisa de uma frase de Winnie Puff, o ursinho criado pelo escritor inglês A.A. Milne: "Se você viver até os 100 anos, espero viver até ter 100 anos menos um dia, para que eu nunca precise viver sem você".
O dramaturgo mais famoso da Inglaterra, William Shakespeare, foi o terceiro colocado, com um verso de sua peça "Romeu e Julieta": "Mas, espere! Que luz é essa que surge por aquela janela? É o leste, e Julieta é o sol".

Médicos australianos alertam: “127 Horas” pode provocar desmaios

Médicos australianos advertiram os cidadãos do país de que o filme “127 Horas” não é indicado para algumas pessoas devido ao realismo da cena de uma mutilação, informou a imprensa local nesta quinta-feira (10).
O hospital St. Vincent, em Sidney, atendeu durante esta semana três pessoas que sofreram desmaios, vômitos e até um ataque epilético dentro do cinema.
A produção narra a história real do alpinista americano Aron Ralston, que precisou arrancar o próprio braço para se livrar de uma rocha que o prendeu por mais de cinco dias no Bluejohn Canyon.
O chefe da unidade de emergências do centro médico australiano, Gordian Fulde, assegurou ao jornal Daily Telegraph que uma cena como essa pode provocar queda de pressão e outros problemas de saúde.
"Um pode começar a perder oxigênio e sangue no cérebro, e o passo seguinte é o ataque em todo o sistema nervoso", disse Fulde, depois de uma pessoa ter ficado inconsciente por cinco horas após assistir ao filme.
O diretor britânico Danny Boyle já foi obrigado a pedir desculpas ao público quando seis espectadores desmaiaram durante a exibição do filme no Canadá e nos Estados Unidos.
“127 Horas” foi indicado ao Oscar em seis categorias, entre elas a de melhor ator (James Franco) e a de melhor filme

Exposição fotográfica marca abertura do coletivo “E ISO Mesmo”

No Quintana Café & Restaurante (av. Batel, 1440), acontece a exposição fotográfica Quintana em Imagens, do coletivo fotográfico “E ISO Mesmo”, composto por 12 fotógrafos curitibanos. A mostra abre a temporada 2011 de exposições do Quintana Café.

O coletivo escolheu o Quintana Café para o lançamento oficial dos trabalhos do grupo. A ideia da exposição Quintana em imagens é retratar em 16 fotos os versos simples de Quintana, refletindo imagens fortes e repletas de musicalidade que marcaram gerações de leitores. Para compor a exposição, os artistas buscaram inspiração nos sonetos do poeta, usando técnicas distintas para traduzir em imagens o trabalho de Mario Quintana.

Sete integrantes do coletivo Ana Chiossi, Lili Brito, Duke Wellinton, Guilherme Zawa, Julien Méliès, Mari Canet e Ricardo Marques de Medeiros participaram dos trabalhos da exposição, que foi concebida especialmente para o Quintana Café, em uma homenagem ao poeta gaúcho. A exposição fica até o dia 26 de março.

Conheça mais sobre o coletivo “E ISO Mesmo”: www.coletivoeim.com.br

Ensaios das escolas deixam a cidade em ritmo de Carnaval

As escolas de samba de Curitiba estão em pleno ritmo de Carnaval. Em alguns bairros da cidade é possível ouvir o repique das baterias e a animação nas quadras de ensaio. São quatro agremiações que concorrem ao título de campeã do Carnaval 2011, mais duas escolas do Grupo B e dois blocos carnavalescos. A festa pode ser conferida nos ensaios abertos ao público.

A Escola de Samba Mocidade Azul, no Fazendinha, tem vários ensaios programados, e domingo é o dia em que todos os componentes se reúnem. Quem for até lá verá a bateria completa e a performance dos três cantores do samba-enredo, do casal de mestre-sala e porta-bandeira, dos passistas e destaques. “Só não verá as fantasias e alegorias, para não estragar a surpresa do desfile”, diz o presidente Altamir Lemos. A entrada para o ensaio é gratuita.

Um ambiente familiar e com segurança é o que promete a Escola de Samba Acadêmicos da Realeza nos ensaios feitos nas noites de terça-feira a quinta-feira, no Music Hall, no bairro Rebouças. “Temos muitas crianças entre os componentes, que participam devidamente acompanhadas de seus pais ou responsáveis”, conta a diretora Bárbara Muriden.

O ingresso para os ensaios da Realeza custa R$ 3. Para garantir a segurança, além da revista em homens e mulheres, há um limite de mil pessoas no espaço.

Os carnavalescos também tomam conta da quadra da Escola de Samba Leões da Mocidade, nas noites de quarta-feira a sexta-feira. O ingresso custa R$ 5 para homens e é gratuito para mulheres. Além da animação do ensaio, o público pode conhecer os bastidores da produção.

O barracão onde estão sendo produzidas as fantasias e alegorias dos Leões da Mocidade fica próximo ao ginásio alugado pela escola. “Quem quiser pode ir até lá e visitar. Estamos trabalhando direto, até nos fins de semana”, convida o presidente Vilmar Alves.

O barracão da Leões da Mocidade, no Boqueirão, é um dos Pontos de Cultura de Curitiba. A escola concorreu a um edital e foi contemplada no final do ano passado, depois de cumprir os requisitos do convênio entre a Prefeitura e o Ministério da Cultura.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

"o que queima e seduz, enlouquece..."


João Bosco canta Quando o Amor Acontece, composição dele e de Abel Silva.
O clip é do dvd "Obrigado, Gente!".

Circo da Cidade "Zé Priguiça" abre agenda de espetáculos

Duas apresentações, neste fim de semana, marcam a abertura da temporada 2011 de espetáculos no Circo da Cidade “Zé Priguiça”. Instalado na Rua Benedicto Siqueira Branco, s/n, Alto Boqueirão, perto do Armazém da Família Jardim Paranaense, o Circo tem em cartaz a montagem “GiraMundi”.
Na sexta-feira (11), às 10h, o show é destinado aos alunos de escolas públicas da Regional Santa Felicidade. No sábado (12), às 15h, o espetáculo é aberto à comunidade, dentro da proposta de levar a arte circense a todos os bairros da cidade.
O espetáculo GiraMundi, promovido pela Associação dos Profissionais da Área Artística do Paraná – Aspart, foi selecionado por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura, e usa técnicas de circo para revelar o universo dos livros. Entre acrobacias, equilibrismo, malabarismo e humor, os artistas apresentam o livro como um objeto mágico, capaz de dar asas à imaginação.
Com uma estética contemporânea, GiraMundi surpreende pela poesia e performances de impacto visual. A montagem conta com a participação da Cia. La Arena, de Buenos Aires, trazida a Curitiba por Imã.circo e Aspart com o objetivo de promover um intercâmbio entre artistas argentinos e criadores curitibanos.
A direção geral do espetáculo é de Gerardo Hochman, sendo que Michelle Porto responde pela direção artística. No elenco estão Mariano Carneiro, Irene de Paz, Marcelo Junior, Luthy Milano, Clara Parada, Pablo Morizio e Pablo Pramparo. A trilha sonora é de Ary Giordani e a coreografia assinada por Josefina Gorostiza, com cenário e figurinos de Cristine Conde, adereços de Adriana Madeira e iluminação de Anri Aider.

A banda checa The Spankers pela primeira vez no Brasil

The Spankers, uma das principais bandas de Praga, República Tcheca, se apresenta no John Bull Pub nesta quinta-feira, 10 de fevereiro. Desde 2008 fazem uma mistura explosiva e acelerada de Reggae, Ska, Pop e Soul.
Liderados pela carismática vocalista Tereza Krippnerová, a banda reúne experientes músicos da cena tcheca, inclusive Tomas "Skabelo", baterista que realizou em 2008 uma bem-sucedida tour por terras brasileiras com a banda Fast Food Orchestra, tocando em diversas casas noturnas de São Paulo e Rio de Janeiro.
A banda acompanhou grupos de renome como The Aggrolites (USA), Ska-P (Espanha), Toots and The Maytals (Jamaica); Leningrad Cowboys, Papa Roach e tocou em diversos festivais europeus como o Mighty Sounds, Reggae meeting e Sazava fest após lançar em 2009 o EP "Right in the Morning" e estará lançando seu novo videoclip “Superman” e o CD “Boom! Bang! Pow!” durante a tour brasileira entre Janeiro e Fevereiro, logo após uma tour pela Alemanha, Rep. Tcheca e Eslováquia.
O John Bull Pub fica na rua Mateus Leme, 2.204 e maiores informações são encontradas em www.johnbull.com.br.

"A Leitura", de Pablo Picasso, é arrematada por US$ 40,7 milhões

A pintura que Pablo Picasso fez de sua amante e modelo Marie-Thérèse Walter chamada "A Leitura" foi arrematada por 25,2 milhões de libras (40,7 milhões de dólares) num leilão da casa Sotheby's na terça-feira, acima das estimativas.
A previsão era de que a pintura fosse vendida por entre 12 e 18 milhões de libras em Londres. A obra ajudou a aumentar o total do leilão de arte moderna e impressionista para 68,8 milhões de libras, incluindo o prêmio dos compradores.
Segundo a Sotheby's, até sete concorrentes tentaram comprar "A Leitura", de 1932. Após seis minutos de leilão, a obra foi arrematada por um comprador anônimo que deu seu lance por telefone.

Sem moleza: católicos não podem se confessar pelo iPhone, diz Vaticano

Os católicos não podem fazer suas confissões por meio do iPhone e a tecnologia não substitui a presença física quando se admite os pecados a um padre, disse um porta-voz do Vaticano nesta quarta-feira.
O comunicado do padre Frederico Lombardi foi divulgado depois do lançamento de um aplicativo do iPhone criado para ajudar os católicos na confissão exigida pela Igreja Católica nos Estados Unidos.
"Não se pode falar de forma alguma de confessar pelo iPhone", disse Lombardi nesta quarta-feira, acrescentando que a confissão requer a presença do penitente e do padre.
"Isso não pode ser substituído por nenhum aplicativo de TI", afirmou.
“Confissão”, o aplicativo "roman catholic", pensado para ser o primeiro aprovado por uma autoridade da Igreja, acompanha os católicos pelo processo de sacramento e contém o que a empresa responsável pelo programa considera ser "uma avaliação personalizada da consciência para cada usuário".
O aplicativo não foi criado para substituir as confissões presenciais, mas ajuda os católicos no processo de admitir pecados aos padres em uma cabine de confissão.
Artigos divulgados sobre a aprovação do produto pela Igreja Católica nos EUA diziam que a confissão agora seria possível pelo iPhone.